• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Recenseamento Agrícola 2009
 

Recenseamento Agrícola 2009

on

  • 1,228 views

Uma breve síntese da evolução da agricultura de 1999 para 2009.

Uma breve síntese da evolução da agricultura de 1999 para 2009.

Statistics

Views

Total Views
1,228
Views on SlideShare
853
Embed Views
375

Actions

Likes
0
Downloads
27
Comments
0

4 Embeds 375

http://irrml.blogspot.pt 299
http://irrml.blogspot.com 41
http://www.irrml.blogspot.pt 27
http://www.blogger.com 8

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Recenseamento Agrícola 2009 Recenseamento Agrícola 2009 Presentation Transcript

    • O QUE DIZ O RECENSEAMENTO AGRÍCOLA 2009 1
    • O Recenseamento Agrícola contribui de forma decisiva para a caracterização: da agricultura do país das estruturas de produção da população rural dos modos de produção agrícola. 2
    • Importância dos recenseamentos agrícolas São de carácter obrigatório Caracterizam a estrutura das explorações agrícolas e analisam a sua evolução; Analisam a evolução dos sistemas de produção agrícola; Dão a conhecer as principais práticas culturais; Caracterizam a população agrícola familiar e a mão- de-obra agrícola; (…). 3
    • O que diz o ra 2009 4
    • De 1999 para 2009 constata-se que: Desapareceram 111 000 explorações Predominam as explorações de pequena dimensão. 2/3 da SAU é gerida por explorações de dimensão superior a 50 hectares. Aumentou a dimensão média das explorações de 9,3 hectares para cerca de 12 hectares. Cresceu o número de sociedades agrícolas em 23% 5
    • Alterou-se a paisagem agrícola reorientando-se para sistemas de produção extensivos. Diminuíram as terras aráveis. Aumentaram as pastagens permanentes. Reduziu-se o número de efetivos pecuários. 6
    • Decresceu 23% a superfície regada. Duplicou a dimensão média das explorações com efetivos bovinos e suínos. Aumentou em 10% o número de tratores. 1/3 dos produtores agrícolas são mulheres Aumentou 4 anos a média de idade dos produtores agrícolas. 7
    • O produtor agrícola tipo: A dimensão das explorações agrícolas em Portugal é, em média, 5 hectares inferior à da UE. 8 Dinheiro Vivo 2013. Infografia: Luísa Sousa
    • Ler, analisar e interpretar são atividades fundamentais quando nos debruçamos sobre dados estatísticos. 9
    • Número de explorações e SAU, por classes de SAU (variação 1999-2009) Classes de SAU (hectares) Explorações (%) SAU (%) Variação 1999/2009 Nºexpl.(%) SAU (%) Total 100,0 100,0 -26,6 -5,0 < 1 21,6 1,0 -40,9 -40,0 1 a 5 54,0 9,9 -23,7 -23,7 5 a 20 17,1 13,4 -20,0 -19,4 20 a 50 3,8 9,8 -10,3 -9,7 50 a 100 1,4 8,3 -0,8 0,7 100 a 500 1,6 29,9 6,0 5,3 500 a 1000 0,3 15,8 5,8 5,2 >= 1 000 0,1 12,0 -0,4 -0,3 10
    • Explorações agrícolas 2009 Explorações agrícolas (variação 1999-2009)11
    • Repartição do número de explorações, por classes de SAU (1999-2009) Repartição da SAU, por classes de SAU (1999-2009) 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 12
    • Terras aráveis 45% Culturas permanentes 18% Pastagens permanentes 36% Horta familiar 1% 1999 32% 19% 48% 1% 2009 Composição da SAU 13
    • Nova tipologia das explorações 14
    • Valor de Produção Padrão (VPP): é o valor monetário médio da produção agrícola numa dada região. É expresso em hectare ou cabeça de gado, conforme o sistema de produção. Valor de Produção Total (VPT) ou Valor de Produção Padrão Total (VPPT) da exploração: corresponde à soma dos diferentes VPP obtidos para cada atividade, multiplicando os VPP pelo número de unidades (de área ou de efetivo) existentes dessa atividade na exploração. Dimensão Económica (DE): é definida com base no VPPT da exploração, sendo expressa em euros. Orientação Técnico-Económica (OTE) de uma exploração: determina- -se, avaliando a contribuição de cada atividade para a soma do VP total dessa exploração. 15
    • Explorações segundo a OTE – Orientação Técnico-Económica OTE especializadas em: Culturas arvenses (cereais), oleaginosas, proteaginosas, batata, horticultura extensiva e tabaco; Horticultura intensiva e floricultura; vinha; olival; bovinos de leite; bovinos para carne; ovinos e caprinos; granívoros; suínos; aves. OTE indiferenciadas ou combinadas: Policultura Polipecuária Mistas de culturas e criação do gado. 16
    • Explorações segundo a dimensão económica:17 Dimensão económica expressa em euros (€)
    • O que mudou na agricultura nos últimos 10 anos Alterou-se a ocupação cultural Decréscimo generalizado de culturas industriais (-67%), batata (-63%), leguminosas secas (-49%) e cereais para grão (-43%); Aumento relativo das áreas com culturas forrageiras, bem como das hortícolas, flores e plantas ornamentais, ao ar livre e em estufa. 18
    • Decréscimo de 25% das áreas de pomares de frutos frescos, 28% da área de citrinos e 19% da área de vinha. Acréscimos de área nos frutos subtropicais (+17%), em particular do kiwi. A superfície de olival modificou significativamente as suas características mais de 30 mil hectares de olivais com densidades de plantação superiores a 300 oliveiras por hectare. 19
    • Acentuada redução do número de explorações pecuárias Diminuição do número de explorações agrícolas (sobretudo pelo desaparecimento de unidades de menor dimensão com efetivos pecuários) 20
    • Aumentou a dimensão dos efetivos por cada exploração com animais: o número médio de bovinos por exploração mais que duplicou, passando de 13,8 cabeças para as 28,2 o número médio de suínos por exploração passaram, em média, das 18,2 cabeças para as 37,5. 21
    • Produtores agrícolas, de 1999 para 2009: 1/3 dos produtores agrícolas são mulheres +8% 48% dos produtores com + 65 anos +4 anos 52% dos produtores com o 1ºCiclo 89% dos produtores tem formação agrícola prática 22
    • 1/5 dos produtores trabalha a tempo inteiro nas atividades da exploração + 5% 6% dos produtores têm rendimento exclusivamente da exploração -2% 64% dos produtores recebem pensões e reformas 84% dos produtores têm rendimento formado maioritariamente por outras origens. 23
    • Comparação entre empresas agrícolas e explorações agrícolas Empresas agrícolas Explorações agrícolas Indicadores técnicos: Efetivo por exploração pecuária (CN/expl) Tratores por 100 ha de SAU (Nº/100 ha) 278 1 22 5 Indicadores estruturais: SAU média por exploração (ha) Volume de trabalho por exploração (UTA/expl) SAU por unidade de trabalho (ha/UTA) 142 5 29 12 1 10 Indicadores sociais: Idade média do dirigente Dirigentes com 65 e mais anos (%) Dirigentes mulheres (%) 50 15 12 62 47 29 24 UTA - Unidade de trabalho agrícola equivalente ao trabalho de uma pessoa a tempo completo realizado num ano, medido em horas (1 UTA = 275 dias de trabalho a 8 horas por dia).
    • Fonte – RA 2009, Destaque 25 Trabalho elaborado a partir do ra2009. irrml