• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
A arte do tuning
 

A arte do tuning

on

  • 1,232 views

Uma breve motivação inicial sobre a importância de um processo de tuning e as principais preocupações que devemos ter.

Uma breve motivação inicial sobre a importância de um processo de tuning e as principais preocupações que devemos ter.

Statistics

Views

Total Views
1,232
Views on SlideShare
1,172
Embed Views
60

Actions

Likes
1
Downloads
0
Comments
0

3 Embeds 60

http://www.seatecnologia.com.br 57
https://www.seatecnologia.com.br 2
http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Apple Keynote

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • <br />
  • <br />
  • Antes de se propor &#xE0; execu&#xE7;&#xE3;o de performance tuning, certifique-se de que o problema a ser atacado realmente &#xE9; performance, e n&#xE3;o outra coisa qualquer. Cada cliente tem problemas pr&#xF3;prios e, naturalmente, necessidades espec&#xED;ficas de tuning. &#xC0;s vezes, o consumo de mem&#xF3;ria em demasia por n&#xE3;o ser necessariamente um problema para o &#xF3;rg&#xE3;o X, que conta com 500TB de mem&#xF3;ria em seus servidores, mas pode ser o calcanhar de aquiles para outra institui&#xE7;&#xE3;o, que sofre de car&#xEA;ncia de recursos computacionais. Descubra o que aflige seu cliente e ajude-o, com ou sem tuning. <br />
  • (...)n&#xE3;o necessariamente o melhor ganho esteja em ajustes do JBoss, mas na configura&#xE7;&#xE3;o da rede, no sistema operacional, no banco de dados ou na pr&#xF3;pria aplica&#xE7;&#xE3;o em cheque. &#xC0;s vezes, uma &#xFA;nica linha de c&#xF3;digo pode resolver todo o gargalo que tanto incomoda seu cliente. <br />
  • No dia-a-dia, chamamos essas restri&#xE7;&#xF5;es de gargalos. Esses gargalos s&#xE3;o os pontos que representam problemas no uso dos recursos computacionais dispon&#xED;veis (pra mais ou pra menos). Na pr&#xE1;tica ent&#xE3;o, o que ocorre num trabalho de tuning &#xE9; a busca incessante desses gargalos, a fim de elimin&#xE1;-los. Mas, sempre que um gargalo &#xE9; desfeito, outro &#xE9; criado (essa &#xE9; a teoria), e o desafio &#xE9; decidirmos at&#xE9; que ponto essa busca vale a pena. <br />
  • Num processo de tuning, mesmo antes de se saber ao certo o ponto exato do tuning, &#xE9; preciso estabelecer alguma estrat&#xE9;gia de varredura, que deve ser seguida &#xE0; risca para que todos os potenciais pontos de gargalo sejam avaliados. A n&#xE3;o obedi&#xEA;ncia do padr&#xE3;o pr&#xE9;-estabelecido de pesquisa abre lacunas colaboradoras ao fracasso de todo esfor&#xE7;o empreendido. <br />
  • Dentro do processo de tuning em si, &#xE9; essencial a busca incessante do menor esfor&#xE7;o que gerar&#xE1; o maior benef&#xED;cio (Pareto). Em primeira inst&#xE2;ncia, deve-se avaliar a curva de custo/benef&#xED;cio da contrata&#xE7;&#xE3;o. Por exemplo, se o problema relatado pelo cliente &#xE9; &#x201C;o servidor cai por OutOfMemoryError sempre que o sistema atinge 400 usu&#xE1;rios simult&#xE2;neos&#x201D;, pode sair mais barata a aquisi&#xE7;&#xE3;o de mais pentes de mem&#xF3;ria do que a execu&#xE7;&#xE3;o de um processo de tuning para investiga&#xE7;&#xE3;o de memory leaks na aplica&#xE7;&#xE3;o ou o reajsute de par&#xE2;metros de inicializa&#xE7;&#xE3;o do servidor. <br />
  • <br />
  • No papel de consultoria externa tida como a salva&#xE7;&#xE3;o da p&#xE1;tria, qualquer passo em falso pode desencadear conflitos capazes de inviabilizar todo o trabalho. <br />
  • Assim, sempre sob a luz do ROI, &#xE9; essencial conhecer quais fatores cujo alinhamento contribuem para o problema em quest&#xE3;o, para que s&#xF3; ent&#xE3;o se tome a decis&#xE3;o certa sobre o pr&#xF3;ximo passo do tuning, de prefer&#xEA;ncia, a que apresentar o melhor custo/benef&#xED;cio. <br />
  • Num processo de tuning, n&#xE3;o existe o cara do banco, o cara do JBoss e o desenvolvedor da aplica&#xE7;&#xE3;o, mas sim a equipe respons&#xE1;vel por resolver o problema em pauta, seja ele qual for. Neste modelo, ao inv&#xE9;s de ficar cada um no seu quadrado, todos circulam al&#xE9;m das fronteiras de sua especialidade, abra&#xE7;ando a mesma causa e colaborando um com ou outro para o sucesso global da iniciativa. <br />
  • N&#xE3;o existe receita de bolo para tuning. Se existisse, todo servidor JBoss j&#xE1; viria tunado de f&#xE1;brica. <br />
  • E, por defini&#xE7;&#xE3;o, o processo de tuning &#xE9; lento, emp&#xED;rico e gradual, que exige muita concentra&#xE7;&#xE3;o e perseveran&#xE7;a. <br />
  • <br />
  • <br />

A arte do tuning A arte do tuning Presentation Transcript

  • A Arte do Tuning
  • 2
  • Tunar pra quê? 3
  • Tunar o quê? (onde está o nó?) 4
  • Teoria das Restricões aplicada 5
  • Defina uma estratégia 6
  • Dê o tiro certeiro 7
  • Guie-se pelo ROI 8
  • Seja le g al 9
  • A multicasionalidade 10
  • Comprometimento vs Envolvimento 11
  • Tuning não se compra, se faz 12
  • 13
  • http://blog.seatecnologia.com.br/ 2009/02/11/ a-arte-do-jboss-tuning 14
  • P&R