Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011

53,377
-1

Published on

alcoolismo e suas consequencias

Published in: Health & Medicine
0 Comments
18 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
53,377
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1,277
Comments
0
Likes
18
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011

  1. 1. ALCOOLISMO E SUAS CONSEQUÊNCIAS<br />PALESTRANTE:<br />CARLOS ROBERTOSANTOSDE OLIVEIRA – TC PM<br />SEASSO/PMRO<br />
  2. 2. Alcoolismo...<br />O Alcoolismo não é uma fraqueza de caratér, nem<br />um vício, mas sim uma doença crônica, com aspectos<br />comportamentais e socioeconômicos, caracterizada<br />pelo consumo compulsivo de álcool, na qual o usuário<br />se torna progressivamente tolerante à intoxicação<br />produzida pela droga e desenvolve sinais e sintomas<br />de abstinência, quando a mesma é retirada. <br />
  3. 3. A dependência...<br />O indivíduo dependente perdeu a liberdade de se abster no consumo de bebidas alcoólicas, não conseguindo controlar o seu consumo; a necessidade de beber ocupa os seus pensamentos, modificando o seu comportamento. <br />
  4. 4. O consumo...<br />Falar do álcool e do seu consumo implica distinguir entre o consumo moderado e o consumo excessivo. Ao contrário de outras substâncias, o álcool é uma substância em que se aceita um consumo moderado, em adultos saudáveis.<br />
  5. 5. Outrasdrogas...<br />“O álcool é classificado como um depressor do sistema nervoso central, e é a porta de entrada à outras drogas” <br />
  6. 6. Fatores que influenciam...<br />A predisposição genética; <br />Estrutura psíquica; <br />Influências familiares e culturais;<br />Facilidade de acesso ao álcool;<br />Aceitação social do vício;<br />Estilo de vida estressante;<br />A gratificação e o prazer da bebida;<br />A mídia;<br />Efeitos da abstinência.<br />
  7. 7. Como acontece...<br /><ul><li>Primeira fase: A pessoa bebe para relaxar; usa o álcool para se socializar; mente à respeito de seus hábitos em relação à bebida;
  8. 8. Segunda fase: A pessoa precisa cada vez mais de álcool, surge a tolerância;
  9. 9. Terceira fase: A pessoa não consegue mais se controlar, não consegue parar; começa a ter amnésia; surgem problemas familiares, financeiros, no trabalho, relacionados com a própria saúde</li></li></ul><li>Efeitos imediatos...<br /><ul><li>Após a absorção no intestino, ocorre uma dilatação nosvasos do organismo;
  10. 10. Essa vasodilatação faz com que mais sangue chegue à pele;
  11. 11. A ação no cérebro demora poucos minutos para ocorrer – os movimentos, os reflexos, a fala e a visão ficam comprometidos;
  12. 12. O álcool ingerido passa por metabolismo no fígado – o metabolismo é lento (cerca de 1 dose de bebida é metabolizada em 90 minutos);
  13. 13. A ingestão de uma quantidade maior leva à intoxicação.</li></li></ul><li>Efeitos a longo prazo...<br /><ul><li>No cérebro: Leva à morte das células e à perda de memória;
  14. 14. Nos pulmões: o alcoolismo agudo aumenta o risco de pneumonias;
  15. 15. No fígado: Destrói os tecidos do fígado e causa a cirrose;
  16. 16. No coração e sistema cardiovascular: Lesa o músculo cardíaco, podendo causar insuficiência cardíaca; favorece a hipertensão arterial, que é uma das causas de derrames cerebrais;
  17. 17. Na mulher grávida: retardo no desenvolvimento do bebê;
  18. 18. No estômago: Causa gastrite, úlceras, perda de apetite, deficiências de vitamina;
  19. 19. Outros: Impotência (diminuição dos hormônios masculinos); doenças da pele; diabetes; desnutrição.</li></li></ul><li>Álcool e o Trânsito<br />Mais de 1.000 brasileiros morrem, por ano, vítimas de acidentes causados por excesso de álcool e cerca de 10% de todos os acidentes com vítimas, resultam de dirigir com excesso de álcool no sangue. Isso porque a bebida alcoólica dá uma falsa sensação de segurança; causa euforia; diminui o controle muscular e a coordenação; prejudica a habilidade de avaliar velocidades, distâncias; reduz a acuidade visual e a capacidade de lidar com o inesperado.<br />
  20. 20. Riscos de acidentes...<br />“O Código Nacional de Trânsito estabelece que a concentração de 6 decigramas de álcool por litro de sangue comprova que o condutor se acha sob influência do estado de embriaguez alcoólica” <br />
  21. 21. Fique atento aos “sinais de alerta”<br /><ul><li> Beber de manhã;
  22. 22. Ficar de "pileque" em toda festa que vai;
  23. 23. Colocar o álcool como prioridade nos seus interesses;
  24. 24. A percepção dos outros para os excessos (quando começam a implicar com seus "goles");
  25. 25. O que nos ajuda a detectar o alcoolismo é a perda da liberdade para o ato de beber;
  26. 26. O indivíduo começa com a intenção de 2 ou 3 "doses"e depois não consegue se controlar.</li></li></ul><li>Alcoolismo e a família...<br />O alcoolismo é uma doença que afeta não só a pessoa que consome bebidas alcoólicas. Os membros da sua família, as pessoas mais próximas, são particularmente atingidos no plano afetivo e no seu cotidiano, sentindo-se tão desamparados como o alcoolista.<br />
  27. 27. Padrões de funcionamento mais comuns em famílias de alcoólicos...<br /><ul><li>Falta de confiança;
  28. 28. Irresponsabilidade;
  29. 29. Medo;
  30. 30. Culpa;
  31. 31. Solidão e isolamento;
  32. 32. Vergonha e Mágoa.</li></ul>“Um dependente de álcool prejudica cerca de 15 pessoas à sua volta”<br />
  33. 33. A hora de parar...<br />O tratamento é fundamentado na aceitação da doença, enfrentamento e prevenção a recaída.Atualmente o tratamento do alcoolismo, envolvem duas etapas:<br />Desintoxicaçãoe Reabilitação.<br />
  34. 34. Os tratamentos...<br />Alcoólicos Anônimos - Associações altamente positivas concomitantemente com um tratamento profissional. (oração da serenidade, os doze conceitos e os doze passos, além do sigilo)<br />Terapias comportamentais cognitivas - Estratégias de autocontrole e automonitorização (recusa para aceitar bebidas) juntamente com aprendizagem de alternativas para enfrentamento de situações conflitivas.<br />Terapia conjugal e familiar - No ambiente pós-tratamento, com enfoque para o relacionamento do paciente com familiares.<br />
  35. 35. Dados Estatísticos...<br /><ul><li>O alcoolismo no Brasil atinge entre 10 a 20% da população.
  36. 36. O álcool é responsável por 60% dos acidentes de trânsito nas cidades brasileiras e aparece em 70% dos laudos cadavéricos das mortes violentas.
  37. 37. Estima-se que 1 em cada 3 leitos hospitalares no Brasil é ocupado em decorrência direta ou indireta do consumo abusivo de álcool.
  38. 38. De cada 11% de brasileiros alcoólatras, somente 1% consegue vaga para uma internação pelo Sistema Público de Saúde. Os demais vão para a rua ou morrem por falta de assistência nos hospitais públicos.</li></li></ul><li>Conclusão...<br />Pode-se concluir que a propaganda televisiva, a realidade social e a desestruturação familiar influenciam direta ou indiretamente na propensão ao uso de álcool e dependência.<br />O público jovem é o mais visado pelas empresas de propagandas, tendo como conseqüência uma faixa etária cada vez menor para a iniciação ao consumo de álcool.<br />O álcool não escolhe camada social ou sexo da pessoa, levando como conseqüência até a morte. <br />
  39. 39. Referências bibliográficas...<br /><ul><li>www.psicosite.com.br
  40. 40. www.alcoolismo.com.br
  41. 41. www.ufrrj.br
  42. 42. www.drauziovarella.ig.com.br
  43. 43. www.bibliomed.com.br
  44. 44. Cavalheiro, João. A influencia televisiva no modo </li></ul>de pensar e de ser de crianças e adolescentes: <br />Uma reflexão pisicopedagógica. Palmas, Paraná <br />2006 (Monografia).<br />

×