BACIA HIDROGRÁFICA

18,513 views
18,287 views

Published on

BACIA HIDROGRÁFICA 1 ANO E.M.

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
18,513
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
187
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

BACIA HIDROGRÁFICA

  1. 1. Conceito de Bacia HidrográficaEntende-se por Bacias Hidrográficas, localidades da superfície terrestreseparadas topograficamente entre si, cujas áreas funcionam comoreceptores naturais das águas da chuva.Devido a isso, todo o volume de água captado não infiltrado éautomaticamente escoado por meio de uma rede de drenagem das áreasmais altas para as mais baixas, seguindo uma hierarquia fluvial, atéconcentrarem-se em um único ponto, formando um rio principal.Assim, o conceito de Bacia Hidrográfica pode ser entendido por meio dedois aspectos: Rede Hidrográfica e Relevo.1. A Rede HidrográficaRede Hidrográfica significa um conjunto de cursos d‟água (rios) dispostosem hierarquias encontrados nas bacias hidrográficas.Os rios de primeira ordem correspondem às nascentes, onde o volumede água ainda é baixo. Os rios de segunda ordem correspondem àjunção de dois rios de primeira ordem e os rios de terceira ordem, ajunção de dois de segunda, assim sucessivamente, formando umahierarquia. A conclusão dessa análise é de que, quanto maior for aordem do rio principal, maior será a quantidade de rios existentes, emaior será também sua extensão.Em microbacias, os rios principais serão no máximo de 3° ordem,enquanto que em grandes bacias hidrográficas, como a do rio Tietê, porexemplo, pode-se chegar até a 10° ordem. Além disso, o escoamentodas águas dentro de uma bacia segue um outro caminho, bem mais
  2. 2. lento, através da infiltração no solo, em direção ao leito fluvial ouseguindo outros estratos geológicos subterrâneos que levam aosgrandes aqüíferos.Uma outra característica importante no estudo sobre BaciasHidrográficas é a questão escalar.Dependendo da escala adotada é possível verificar detalhes comorelevo, solo, ocupação humana, encontrados em microbacias (escalalocal), até a abrangência de uma mesobacia (escala continental),resultado do agrupamento de inúmeras microbacias.2. RelevoDe modo geral, uma Bacia Hidrográfica pode ser melhor caracterizada,analisando-se seu perfil topográfico.Dentro desta perspectiva de análise, é possível observar as seguintespartes de uma bacia:2.1.InterflúviosSão regiões mais elevadas de uma Bacia Hidrográfica, servindo dedivisor entre uma bacia e outra. Também são chamados de divisorestopográficos ou divisores de água, e também vulgarmente de espigõesdependendo da análise.Nos interflúvios predominam os processos de erosão areolar (emcírculos), realizadas pelo intemperismo físico e químico, que tendem arebaixar o relevo. Os sedimentos resultantes desses processos tendem ase deslocar em direção ao leito fluvial (canal do rio), caracterizandoassim uma região fornecedora de material.2.2.VertentesPor definição, é considerada uma vertente, qualquer superfície quepossua uma inclinação superior a 2°, ângulo suficiente para haverescoamento da água. Entretanto, as vertentes são mais do quesuperfícies inclinadas; são consideradas as partes mais importantes deuma bacia, principalmente por estabelecerem uma conexão dinâmicaentre os topos dos interflúvios e o fundo do vale, ou leito fluvial, e porcomportarem geralmente, a maior parte da vegetação.
  3. 3. Além de servirem de região de transportes de sedimentos, a inclinaçãodas vertentes é fundamental na densidade de drenagem em uma bacia.Em vertentes muito inclinadas e sem a presença de vegetação nas suasencostas, o resultado em geral é rápido e desastroso. A perda de solocausa voçorocas (grandes buracos) e os sedimentos são carreados emdireção ao fundo do vale, ocasionando o assoreamento do rio, tornando-se mais raso.2.3. O Leito FluvialO leito fluvial é denominado como sendo o canal de escoamento de umrio.2.4. Leito da VazanteRegião mais baixa da bacia hidrográfica, onde o rio escoa em época de seca, isto é, comsua menor vazão anual.2.5. Leito MenorO leito menor é considerado como sendo o leito do rio propriamente dito, por ser bemencaixado e delimitado, caracterizando-se também como a área de ocupação da água emépoca de cheia.2.6. Leito MaiorDenominado também como planície de inundação, é nessa área que ocorrem as cheiasmais elevadas, denominadas enchentes.
  4. 4. 2.7. Perfil Longitudinal de um RioO perfil longitudinal de um rio está intimamente ligado ao relevo, pois corresponde àdiferença de altitude entre a nascente e a confluência com um outro rio. Por isso, aoanalisar o perfil longitudinal, é possível constatar sua declividade ou gradientealtimétrico, pois se trata de uma relação visual entre a altitude e o comprimento de umdeterminado curso d’água.Através do perfil longitudinal é possível também classificar cada trecho do rio ao longodo seu canal de escoamento:2.8. A cidade de São CarlosSão Carlos está inserida na Bacia Hidrográfica do Rio Monjolinho, e este por sua vezsitua-se na Bacia Hidrográfica do Rio Tietê, inserida na Bacia Hidrográfica do Paraná,que por sua vez, está inserido na Bacia Hidrográfica do Rio da Prata.A cidade é cortada pelos rio Monjolinho, Gregório e Santa Maria do Leme, e peloscórregos, Tijuco Preto, Simeão, Água Quente e Água Fria.
  5. 5. Clique na imagemou aqui para visualizar as sub-bacias da região urbana de São CarlosFonte: CDCC http://www.ufscar.br/aprender/aprender/2010/06/bacias-hidrograficas/Bacia hidrográficaOrigem: Wikipédia, a enciclopédia livre.Bacia hidrográfica do Rio Douro na Península IbéricaUma bacia hidrográfica ou bacia de drenagem de um curso de água é oconjunto de terras que fazem a drenagem da água dasprecipitações para essecurso de água e seus afluentes.A formação da bacia hidrográfica dá-se através dos desníveis dos terrenos queorientam os cursos da água, sempre das áreas mais altas para as mais baixas.Essa área é limitada por um divisor de águas que a separa das baciasadjacentes e que pode ser determinado nas cartas topográficas. As águassuperficiais, originárias de qualquer ponto da área delimitada pelo divisor, saemda bacia passando pela seção definida e a água que precipita fora da área da
  6. 6. bacia não contribui para o escoamento na seção considerada. Assim, oconceito de bacia hidrográfica pode ser entendido através de doisaspectos: Rede Hidrográfica e Relevo. Em qualquer mapa geográfico as terraspodem ser subdivididas nas bacias hidrográficas dos vários rios.Catalogações de especialistas em geografia, de acordo com a maneira comofluem as águas, classificam as bacias hidrográficas em: Exorreica, quando as águas drenam direta ou indiretamente para o mar; Endorreica, quando as águas caem em um lago ou mar fechado; Arreica, quando as águas se escoam alimentando os lençóis freáticos; Criptorreica, quando o rio se infiltra no solo sem alimentar lençóis freáticos ou evapora;A bacia hidrográfica é usualmente definida como a área na qual ocorre acaptação de água (drenagem) para um rio principal e seus afluentes devido àssuas características geográficas e topográficas.A história do homem sempre esteve muito ligada às bacias hidrográficas: abacia do rio Nilo foi o berço da civilização egípcia; os mesopotâmicos seabrigaram no vale dos rios Tigre eEufrates; os hebreus, na bacia do rio Jordão;os chineses se desenvolveram às margens dos rios Yangtzé e Huang Ho; oshindus, na planície dos rios Indo e Ganges, apenas para citar os maioresexemplos.Os principais elementos componentes das bacias hidrográficas são os“divisores de água” (tergos), cristas das elevações que separam a drenagemde uma e outra bacia, “fundos de vale” – áreas adjacentes a rios ou ribeiros eque geralmente sofrem inundações, “sub-bacias” – bacias menores,geralmente de alguma afluente do rio principal, “nascentes” – local onde a águasubterrânea brota para a superfície formando um corpo de água, “áreas dedescarga” – locais onde a água escapa para a superfície do terreno, vazão,“recarga” – local onde a água penetra no solo recarregando o lençol freático, e“perfis hidrogeoquímicos” ou “hidroquímicos” – características da águasubterrânea no espaço litológico.Às vezes, as regiões hidrográficas são confundidas com “bacias hidrográficas”.Porém, as bacias hidrográficas são menores – embora possam se subdividirem sub-bacias (por exemplo: a bacia amazônica contém as sub-baciashidrográficas dos rios Tapajós, Madeira e Negro), e as regiões hidrográficaspodem abranger mais de uma bacia.
  7. 7. BaciaRede hidrográfica BACIAS HIDROGRÁFICAS BRASILEIRASAs principais bacias hidrográficas brasileiras são: Bacia Amazônica, Bacia doAraguaia/Tocantins, Bacia Platina, Bacia do São Francisco e Bacia do AtlânticoSul. BACIA AMAZÔNICASeus principais rios são:1. Rio Amazonas2. Rio Solimões3.Rio Negro4. Rio Xingu5. Rio Tapajós6. Rio Jurema7. Rio Madeira8. Rio Purus9. Rio Branco10. Rio Juruá11. Rio Trombetas12. Rio Uatumã13. Rio Mamoré
  8. 8. É a maior bacia hidrográfica do planeta, com cerca de 7.000.000 km2, dosquais aproximadamente 4.000.000 km2 estão situados em território brasileiro, eo restante distribuído por oito países sul-americanos: Guiana Francesa,Suriname, Guiana, Venezuela, Colômbia, Peru, Equador, Bolívia. Tem a suavertente delimitada pelos divisores de água da cordilheira dos Andes, peloPlanalto das Guianas e pelo Planalto Central.Seu principal rio nasce no Peru, com o nome de Vilcanota, e depois recebe asdenominações de Ucaiali, Urubamba e Marañon. Ao entrar no Brasil, passa ase chamar Solimões, até o encontro com o Rio Negro, passando a serchamado a partir daí de Rio Amazonas. É o rio mais extenso do planeta, com6.868 km de comprimento, e de maior volume de água, com drenagem superiora 5,8 milhões de km2. Sua largura média é de 5 km, chegando a mais de 50km em alguns trechos. Possui cerca de 7 mil afluentes. Possui ainda, grandenúmero de cursos de águas menores e canais fluviais criados pelos processosde cheia e vazante. A maioria de seus afluentes nasce nos escudos dosPlanaltos das Guianas e Brasileiro na Venezuela, Colômbia, Peru e Bolívia.Possui o maior potencial hidrelétrico do país, mas a baixa declividade do seuterreno dificulta a instalação de Usinas Hidrelétricas. Na época das cheias,ocorre o fenômeno conhecido como "Pororoca", provocado pelo encontro desuas águas com o mar. Enormes ondas se formam, invadindo o continente.Localizada numa região de planície,a Bacia Amazônica possui cerca de 23 milkm de rios navegáveis, possibilitando o desenvolvimento do transportehidroviário. O Rio Amazonas é totalmente navegável.A Bacia Amazônica abrange os estados do Amazonas, Pará, Amapá, Acre,Roraima, Rondônia e Mato Grosso.O Rio Amazonas é atravessado pela linha do Equador, portanto possuiafluentes nos dois hemisférios. Os principais afluentes da margem esquerdasão o Japurá, o Negro e o Trombetas e da margem direita o Juruá, o Purus, oMadeira, o Xingu e o Tapajós. Rio Negro
  9. 9. BACIA DO TOCANTINS-ARAGUAIA SEUS PRINCIPAIS RIOS SÃO:1. Rio Araguaia2. Rio TocantinsÉ a maior bacia localizada inteiramente em terri 10.0pt; font-family: Verdana;mso-fareast-font-family: Times New Roman; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA; mso-bidi-font-family:Times New Roman"> Dentre os principais afluentes da bacia Tocantins-Araguaia, estão os rios do Sono, Palma e Melo Alves, todos situados namargem direita do rio Araguaia.Seu rio principal, o Tocantins nasce na confluência dos rios Maranhão eParaná, em Goiás, percorrendo 2.640 km até desembocar na foz doAmazonas. Durante o período de cheias, seu trecho navegável é de 1.900 km,entre as cidades de Belém (PA) e Peixe (GO). Em seu curso inferior situa-se aHidrelétrica de Tucuruí, a segunda maior do país, que abastece os projetos demineração da Serra do Carajás e da Albrás.O rio Araguaia nasce na serra das Araras, no Mato Grosso, na fronteira comGoiás. Tem cerca de 2.600 km de extensão. Desemboca no rio Tocantins emSão João do Araguaia, logo antes de Marabá. No extremo Nordeste de MatoGrosso, o rio divide-se em dois braços, pela margem esquerda o rio Araguaia epela margem direita o rio Javaés, por aproximadamente 320 km, formando ailha de Bananal, maior ilha fluvial do mundo. O rio é navegável por cerca de1.100 km, entre São João do Araguaia e Beleza, porém, não possui nenhumcentro urbano de destaque ao longo desse trecho.O regime hidrológico da bacia é bem definido. No Tocantins, a época de cheiaestende-se de outubro a abril, com pico em fevereiro, no curso superior, emarço, nos cursos médio e inferior. No Araguaia, as cheias são maiores e ummês atrasadas em decorrência do extravasamento da planície do Bananal. Osdois rios secam entre maio e setembro, com picos de seca em setembro.A construção da hidrovia Araguaia-Tocantins tem sido questionado por ONGsque criticam os impactos ambientais que poderão ser causados. Por exemplo,a hidrovia cortaria 10 áreas de conservação ambiental e 35 áreas indígenas,afetando cerca de 10 mil índios.
  10. 10. Rio Araguaia BACIA DO SÃO FRANCISCODivide-se em quatro regiões: Alto São Francisco, das nascentes até Pirapora-MG; Médio São Francisco, entre Pirapora e Remanso – BA; Submédio SãoFrancisco, de Remanso até a Cachoeira de Paulo Afonso, e, Baixo SãoFrancisco, de Paulo Afonso até a foz no oceano Atlântico.Possui área de aproximadamente 645.000 km2 e é responsável pela drenagemde 7,5% do território nacional. É a terceira bacia hidrográfica do Brasil,ocupando 8% do território nacional. É a segunda maior bacia localizadainteiramente em território nacional. A bacia encontra-se no estados da Bahia,Minas Gerais, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Goiás e no Distrito Federal.Situa-se quase inteiramente em áreas de planalto.O rio São Francisco nasce em Minas Gerais, na serra da Canastra e atravessao sertão semi-árido mineiro e baiano, o que possibilita a sobrevivência dapopulação ribeirinha de baixa renda, a irrigação de pequenas propriedades e acriação de gado. Possui grande aproveitamento hidrelétrico, abastecendo nãosó a região Nordeste, como também parte da região Sudeste. Até a sua foz, nadivisa dos estados de Alagoas e Sergipe, o São Francisco percorre 3.160 km.Seus principais afluentes são os rios Paracatu, Carinhanha e Grande namargem esquerda e os rios Salitre, das Velhas e Verde Grande na margemdireita. Embora atravesse um longo trecho em clima semi-árido, é um rioperene e navegável por cerca de 1.800 km, desde Pirapora (MG) até a
  11. 11. cachoeira de Paulo Afonso. Apresenta fortes quedas em alguns trechos, e temseu potencial hidrelétrico aproveitado através das Usinas de Paulo Afonso,Sobradinho, Três Marias e Moxotó, entre outras. O rio São Francisco liga asduas regiões mais populosas e de mais antigo povoamento: Sudeste eNordeste. BACIA PLATINAÉ constituída pelas sub-bacias dos rios Paraná, Paraguai e Uruguai. Seusprincipais rios são:1. Rio Uruguai2. Rio Paraguai3. Rio Iguaçu4. Rio Paraná5. Rio Tietê6. Rio Paranapanema7. Rio Grande8. Rio Parnaíba9. Rio Taquari10. Rio SepotubaÉ a segunda maior bacia hidrográfica do planeta, com 1.397.905 km2. Seestende por Brasil, Uruguai, Bolívia, Paraguai e Argentina. Possui cerca de60,9% das hidrelétricas em operação ou construção do Brasil.O rio da Prata se origina do encontro dos três principais rios desta bacia:Paraná, Paraguai e Uruguai. Eles se encontram na fronteira entre a Argentina eo Uruguai.A bacia do Paraná possui localização geográfica privilegiada, situada na partecentral do Planalto Meridional brasileiro.O rio Paraná possui cerca de 4.900 km de extensão e é o segundo emextensão na América. É formado pela junção dos rios Grande e Parnaíba.Apresenta o maior aproveitamento hidrelétrico do Brasil, abrigando a Usina deItaipu, entre outras. Os afluentes do Paraná, como o Tietê e o Paranapanema,também apresentam grande potencial hidrelétrico. Sua navegabilidade e a deseus afluentes vem sendo aumentada pela construção da hidrovia Tietê-Paraná. A hidrovia serve para o transporte de cargas, pessoas e veículos,
  12. 12. tornando-se uma importante ligação com os países do Mercosul. São 2.400 kmde percurso navegável ligando as localidades de Anhembi e Foz do Iguaçu. Emfunção de suas diversas quedas, o rio Paraná possui navegação de porte até acidade argentina de Rosário. O rio Paraná é o quarto do mundo em drenagem,drenando todo o centro-sul da América do Sul, desde as encostas dos Andesaté a Serra do Mar.A bacia do Paraguai é típica de planície e sua área é de 345.000 km2.Atravessa a Planície do Pantanal e é muito utilizada na navegação.O rio Paraguai possui cerca de 2.550 km de extensão ao longo dos territóriosbrasileiro e paraguaio. Tem sua origem na serra de Araporé, a 100 km deCuiabá (MT). Seus principais afluentes são os rios Miranda, Taquari, Apa e SãoLourenço. Antes de se juntar ao rio Paraná para formarem o rio da Prata, o rioParaguai banha o Paraguai e a Argentina. O rio Paraguai drena áreas deimportância, como o Pantanal mato-grossense.A bacia do Uruguai tem um trecho planáltico, com potencial hidrelétrico, e outrode planície, entre São Borja e Uruguaiana (RS).O rio Uruguai nasce pela fusão dos rios Canoas (SC) e Pelotas (RS), servindode divisa entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina, Brasil e Argentina, e maisao sul, entre Uruguai e Argentina. Possui uma extensão de aproximadamente1.500 km e deságua no Estuário do Prata. Seu curso superior é planáltico epossui expressivo potencial hidrelétrico. Os cursos médio e inferior são deplanície e oferecem condições favoráveis para a navegação. É navegáveldesde sua foz até a cidade de Salto. Fazem parte de sua bacia os rios Peixe,Chapecó, Peperiguaçu, Ibicuí, Turvo, Ijuí e Piratini.O aproveitamento econômico da bacia do Uruguai é pouco expressivo querseja em termos de navegação, quer seja em termos de produção hidrelétrica. BACIA DO ATLÂNTICO SULO Brasil possui ao longo de seu litoral três conjuntos de bacias secundáriasdenominadas bacias do Atlântico Sul, divididas em três trechos: Norte-Nordeste, Leste e Sudeste. Estes trechos não possuem ligação entre si, foramagrupados por possuírem rios que correm próximo ao litoral e deságuam noOceano Atlântico.Seus principais rios são:
  13. 13. 1. Oiapoque2. Gurupi3. Parnaíba4. Jequitinhonha5. DoceO trecho Norte-Nordeste é formado por rios perenes que correm ao norte dabacia Amazônica e entre as fozes dos rios Tocantins e São Francisco. Entreseus rios, destacam-se: Acaraú, Jaguaribe, Piranhas, Potengi, Capibaribe,Una, Pajeú, Turiaçu, Pindaré, Grajaú, Itapecuru; Mearim e Parnaíba. São cincobraços principais, cobrindo uma área de 2.700 km2.O principal rio é o Parnaíba, com 970 km de extensão. Sua foz, localizada entrePiauí e Maranhão, forma o único Delta Oceânico da América. O rio Parnaíba étambém uma importante hidrovia utilizada no transporte dos produtos agrícolasda região.O trecho Leste é formado pelas bacias dos rios que correm entre a foz do SãoFrancisco e a divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Seus riosde maior destaque são: Pardo, Jequitinhonha, Paraíba do Sul, Vaza-Barris,Itapicuru, das Contas e Paraguaçu.Seu rio mais importante é o Paraíba do Sul, localizado entre os estados de SãoPaulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Possui, ao longo de seu curso, grandeaproveitamento hidrelétrico, bem como indústrias importantes como aCompanhia Siderúrgica Nacional.O trecho Sudeste é formado pelas bacias dos rios que estão ao sul da divisados estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. Entre eles, destacam-se: Jacuí,Itajaí e Ribeira do Iguape. Eles possuem importância regional pela participaçãoem atividades como transporte hidroviário, abastecimento de água e geraçãode energia elétrica.Fonte: www.geobrasil2001.hpg.ig.com.br Hidrografia do BrasilConhecer a hidrografia de uma região significa estudar o ciclo da água queprovém da atmosfera ou do subsolo. O vapor de água da atmosfera precipita-se ao se condensar. Ao entrar em contato com a superfície, a água pode seguirtrês caminhos: escorrer, infiltrar-se no solo ou evaporar. Na evaporação, elaretorna à atmosfera na forma de vapor. A água que se infiltra no solo e a queescorre, pela lei da gravidade, dirigem-se às depressões ou partes mais baixasdo terreno, formando rios, lagos e mares.Os pontos mais altos do terreno cumprem o papel de divisores de águas entredois rios. Entre os divisores, forma-se uma rede de captação na qual toda aágua converge para o mesmo ponto, a chamada vertente. Nela se encontramas bacias hidrográficas com seus rios principais, seus afluentes e subafluentes.Se a drenagem dirige-se ao oceano, é denominada exorréica; se a água ficaretida no interior do continente, por exemplo, num lago ou num deserto, adrenagem é endorréica (em grego exo significa „fora‟ e endo, „dentro‟).A densidade de rios de uma bacia relaciona-se ao clima da região. NaAmazônia, onde os índices pluviométricos são muito altos, existem muitos riosperenes e caudalosos, ou seja, que nunca secam e possuem um grandevolume de água em seus leitos. Em áreas de clima árido ou semi-árido, os riosmuitas vezes são temporários, secando no período em que não chove. Se umrio atravessa um deserto árido e é perene, isso significa que ele nasce em uma
  14. 14. área chuvosa e a captação da água ocorre fora do deserto. O rio Nilo, porexemplo, nasce no lago Vitória, na região equatorial africana, por issoconsegue atravessar o deserto do Saara.As nascentes dos rios são os locais em que os níveis hidrostático ou lençolfreático atinge a superfície. Em períodos de estiagem prolongada, elas chegama secar, enquanto em épocas chuvosas o volume da água aumenta, o quedemonstra que a água das nascentes é água da chuva que se infiltra no solo.Essa variação na quantidade de água no leito do rio ao longo do ano recebe onome de regime. Se as cheias dependem exclusivamente da chuva, o regime épluvial; se dependem do derretimento da neve, é nival; se dependem degeleiras é glacial. Muitos rios apresentam um regime misto ou complexo, comono Japão, onde os rios são alimentados pela chuva e pelo derretimento daneve das montanhas.Você já notou que os rios ou riachos que descem serras possuem um cursoretilíneo? Isso acontece porque eles tem uma grande velocidade deescoamento, cujo limite máximo é encontrado nas cachoeiras. Em áreas dedeclive acentuado, os rios tendem a transpor ou erodir rapidamente osobstáculos. Já os rios de topografia plana, devido à baixa velocidade deescoamento são meândricos. Os meandros, portanto, são as curvas de riosque correm em áreas planas, desviando-se dos obstáculos que aparecem emseu curso.Os lagos são depressões do terreno preenchidas por água. Em regiões deestrutura geológica antiga, como no território brasileiro, elas já forampreenchidas por sedimentos e tornaram-se bacias sedimentares. Asdepressões podem ter origem no movimento das placas tectônicas, novulcanismo ou no movimento das geleiras. Ao fim de um período de glaciação,as depressões cavadas pelas geleiras são preenchidas pelas águas da chuva edos rios que a ela se dirigem, formando lagos, como no Canadá e naEscandinávia.A rede de drenagem, constituída por rios e lagos, sempre é muito importantepara a prática da irrigação na agricultura. Os rios que apresentam desnível aolongo de seu curso possuem energia potencial que pode ser aproveitada para aprodução de hidreletricidade, mas a navegação depende da construção deeclusas.Os lagos e os rios que correm em áreas planas são facilmente navegáveis,desde que não se formem bancos de areia em seu leito (fato comum emregiões onde o solo fica exposto à ação da erosão) e não ocorra grandediminuição do nível das águas, o que pode impedir a navegação deembarcações com maior calado (parte da embarcação que fica abaixo do nívelda água).Fonte: www.frigoletto.com.brO Brasil é dotado de uma vasta e densa rede hidrográfica, sendo que muitosde seus rios destacam-se pela extensão, largura e profundidade. Emdecorrência da natureza do relevo, predominam os rios de planalto queapresentam em seu leito rupturas de declive, vales encaixados, entre outrascaracterísticas, que lhes conferem um alto potencial para a geração de energia
  15. 15. elétrica. Quanto à navegabilidade, esses rios, dado o seu perfil nãoregularizado, ficam um tanto prejudicados. Dentre os grandes rios nacionais,apenas o Amazonas e o Paraguai são predominantemente de planície elargamente utilizados para a navegação. Os rios São Francisco e Paraná sãoos principais rios de planalto.De maneira geral, os rios têm origem em regiões não muito elevadas, exceto orio Amazonas e alguns de seus afluentes que nascem na cordilheira andina.Em termos gerais, como mostra o mapa acima, pode-se dividir a redehidrográfica brasileira em sete principais bacias, a saber: a bacia do rioAmazonas; a do Tocantins - Araguaia; a bacia do Atlântico Sul - trechos norte enordeste; a do rio São Francisco; a do Atlântico Sul - trecho leste; a baciaPlatina, composta pelas sub-bacias dos rios Paraná e Uruguai; e a do AtlânticoSul - trechos sudeste e sul. BACIA DO RIO AMAZONASEm 1541, o explorador espanhol Francisco de Orellana percorreu, desde assuas nascentes nos Andes peruanos, distante cerca de 160 km do OceanoPacífico, até atingir o Oceano Atlântico, o rio que batizou de Amazonas, emfunção da visão, ou imaginação da existência, de mulheres guerreiras, asAmazonas da mitologia grega.Este rio, com uma extensão de aproximadamente 6.500 km, ou superiorconforme recentes descobertas, disputa com o rio Nilo o título de mais extensono planeta. Porém, em todas as possíveis outras avaliações é, disparado, omaior.Sua área de drenagem total, superior a 5,8 milhões de km2, dos quais 3,9milhões no Brasil, representa a maior bacia hidrográfica mundial. O restante desua área dividi-se entre o Peru, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana eVenezuela. Tal área poderia abranger integralmente o continente europeu, aexceção da antiga União Soviética.O volume de água do rio Amazonas é extremamente elevado, descarregandono Oceano Atlântico aproximadamente 20% do total que chega aos oceanosem todo o planeta. Sua vazão é superior a soma das vazões dos seis próximosmaiores rios, sendo mais de quatro vezes maior que o rio Congo, o segundomaior em volume, e dez vezes o rio Mississipi. Por exemplo, em Óbidos,distante 960 km da foz do rio Amazonas, tem-se uma vazão média anual daordem de 180.000 m3/s. Tal volume dágua é o resultado do clima tropicalúmido característico da bacia, que alimenta a maior floresta tropical do mundo.Na Amazônia os canais mais difusos e de maior penetrabilidade são utilizadostradicionalmente como hidrovias. Navios oceânicos de grande porte podemnavegar até Manaus, capital do estado do Amazonas, enquanto embarcaçõesmenores, de até 6 metros de calado, podem alcançar a cidade de Iquitos, noPeru, distante 3.700 km da sua foz.O rio Amazonas se apresenta como um rio de planície, possuindo baixadeclividade. Sua largura média é de 4 a 5 km, chegando em alguns trechos amais de 50 km. Por ser atravessado pela linha do Equador, esse rio apresentaafluentes nos dois hemisférios do planeta. Entre seus principais afluentes,destacam-se os rios Iça, Japurá, Negro e Trombetas, na margem esquerda, eos rios Juruá, Purus, Madeira, Tapajós e Xingu, na margem direita.
  16. 16. BACIA DO RIO TOCANTINS - ARAGUAIAA bacia do rio Tocantins - Araguaia com uma área superior a 800.000 km2, seconstitui na maior bacia hidrográfica inteiramente situada em territóriobrasileiro. Seu principal rio formador é o Tocantins, cuja nascente localiza-seno estado de Goiás, ao norte da cidade de Brasília. Dentre os principaisafluentes da bacia Tocantins - Araguaia, destacam-se os rios do Sono, Palma eMelo Alves, todos localizados na margem direita do rio Araguaia.O rio Tocantins desemboca no delta amazônico e embora possua, ao longo doseu curso, vários rápidos e cascatas, também permite alguma navegaçãofluvial no seu trecho desde a cidade de Belém, capital do estado do Pará, até alocalidade de Peine, em Goiás, por cerca de 1.900 km, em épocas de vazõesaltas. Todavia, considerando-se os perigosos obstáculos oriundos dascorredeiras e bancos de areia durante as secas, só pode ser consideradoutilizável, por todo o ano, de Miracema do Norte (Tocantins) para jusante.O rio Araguaia nasce na serra das Araras, no estado de Mato Grosso, possuicerca de 2.600 km, e desemboca no rio Tocantins na localidade de São Joãodo Araguaia, logo antes de Marabá. No extremo nordeste do estado de MatoGrosso, o rio dividi-se em dois braços, rio Araguaia, pela margem esquerda, erio Javaés, pela margem direita, por aproximadamente 320 km, formandoassim a ilha de Bananal, a maior ilha fluvial do mundo. O rio Araguaia, énavegável cerca de 1.160 km, entre São João do Araguaia e Beleza, porémnão possui neste trecho qualquer centro urbano de grande destaque. BACIA DO ATLÂNTICO SUL - TRECHOS NORTE E NORDESTEVários rios de grande porte e significado regional podem ser citados comocomponentes dessa bacia, a saber: rio Acaraú, Jaguaribe, Piranhas, Potengi,Capibaribe, Una, Pajeú, Turiaçu, Pindaré, Grajaú, Itapecuru, Mearim eParnaíba.Em especial, o rio Parnaíba é o formador da fronteira dos estados do Piauí eMaranhão, por seus 970 km de extensão, desde suas nascentes na serra daTabatinga até o oceano Atlântico, além de representar uma importante hidroviapara o transporte dos produtos agrícolas da região. BACIA DO RIO SÃO FRANCISCOA bacia do rio São Francisco, nasce em Minas Gerais, na serra da Canastra, eatravessa os estados da 88Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. O rio SãoFrancisco possui uma área de drenagem superior a 630.000 km2 e umaextensão de 3.160 km, tendo como principais afluentes os rios Paracatu,Carinhanha e Grande, pela margem esquerda, e os rios Salitre, das Velhas eVerde Grande, pela margem direita.De grande importância política, econômica e social, principalmente para aregião nordeste do país, é navegável por cerca de 1.800 km, desde Pirapora,em Minas Gerais, até a cachoeira de Paulo Afonso, em função da construçãode hidrelétricas com grandes lagos e eclusas, como é o caso de Sobradinho eItaparica. BACIA DO ATLÂNTICO SUL - TRECHO LESTEDa mesma forma que no seu trecho norte e nordeste, a bacia do Atlântico Sulno seu trecho leste possui diversos cursos dágua de grande porte e
  17. 17. importância regional. Podem ser citados, entre outros, os rios Pardo,Jequitinhonha, Paraíba do Sul, Vaza-Barris, Itapicuru, das Contas e Paraguaçu.Por exemplo, o rio Paraíba do Sul está localizado entre os estados de SãoPaulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, os de maior significado econômico nopaís, possui ao longo do seu curso diversos aproveitamentos hidrelétricos,cidades ribeirinhas de porte, como Campos, Volta Redonda e São José dosCampos, bem com industrias importantes como a Companhia SiderúrgicaNacional. BACIA PLATINA, OU DOS RIOS PARANÁ E URUGUAIA bacia platina, ou do rio da Prata, é constituída pelas sub-bacias dos riosParaná, Paraguai e Uruguai, drenando áreas do Brasil, Bolívia, Paraguai,Argentina e Uruguai.O rio Paraná possui cerca de 4.900 km de extensão, sendo o segundo emcomprimento da América do Sul. É formado pela junção dos rios Grande eParanaíba. Possui como principais tributários os rios Paraguai, Tietê,Paranapanema e Iguaçu. Representa trecho da fronteira entre Brasil eParaguai, onde foi implantado o aproveitamento hidrelétrico binacional deItaipu, com 12.700 MW, maior usina hidrelétrica em operação do mundo.Posteriormente, faz fronteira entre o Paraguai e a Argentina. Em função dassuas diversas quedas, o rio Paraná somente possui navegação de porte até acidade argentina de Rosário.O rio Paraguai, por sua vez, possui um comprimento total de 2.550 km, aolongo dos territórios brasileiro e paraguaio e tem como principais afluentes osrios Miranda, Taquari, Apa e São Lourenço. Nasce próximo à cidade deDiamantino, no estado de Mato Grosso, e drena áreas de importância como oPantanal mato-grossense. No seu trecho de jusante banha a cidade deAssunción, capital do Paraguai, e forma a fronteira entre este país e aArgentina, até desembocar no rio Paraná, ao norte da cidade de Corrientes.O rio Uruguai, por fim, possui uma extensão da ordem de 1.600 km, drenandouma área em torno de 307.000 km2. Possui dois principais formadores, os riosPelotas e Canoas, nascendo a cerca de 65 km a oeste da costa do Atlântico.Fazem parte da sua bacia os rios Peixe, Chapecó, Peperiguaçu, Ibicuí, Turvo,Ijuí e Piratini.O rio Uruguai forma a fronteira entre a Argentina e Brasil e, mais ao sul, afronteira entre Argentina e Uruguai, sendo navegável desde sua foz até acidade de Salto, cerca de 305 km a montante. BACIA DO ATLÂNTICO SUL - TRECHOS SUDESTE E SULA bacia do Atlântico Sul, nos seus trechos sudeste e sul, é composta por riosda importância do Jacuí, Itajaí e Ribeira do Iguape, entre outros. Os mesmospossuem importância regional, pela participação em atividades como transportehidroviário, abastecimento dágua e geração de energia elétrica.Fonte: www.brcactaceae.org Hidrografia do BrasilA Hidrografia do Brasil envolve o conjunto de recursos hídricos do territóriobrasileiro, as bacias hidrográficas, Oceano Atlântico, os rios, lagos,
  18. 18. lagoas,arquipélagos, golfos, baías, cataratas, usinas hidrelétricas, barragens,etc.O Brasil é um país de dimensões continentais que tem uma dos maiorescomplexos hidrográficos do mundo, com rios que apresentam grande extensão,grande largura e grande profundidade. Como curiosidade, destaque-se que amaior parte dos rios brasileiros nasce em regiões pouco elevadas, comexceção do rio Amazonas e de alguns afluentes que nascem na cordilheira dosAndes.O fato dos rios de planalto predominarem, permite bom aproveitamentohidrelétrico. Entretanto, os rios de planície, que são em menor número, sãobastante utilizados para a navegação..Fonte: pt.wikipedia.org Hidrografia do BrasilBacia Amazônica, Bacia do São Francisco, Bacia do Tocantins-Araguaia, Baciado Prata, Bacia do Atlântico SulO Brasil tem uma das maiores redes hidrográficas do mundo, com rios queapresentam grande extensão, largura e profundidade. A maior parte nasce emregiões pouco elevadas, com exceção do Amazonas e de alguns afluentes, quetêm origem na cordilheira dos Andes. O predomínio de rios de planalto permitebom aproveitamento hidrelétrico. Já os rios de planície, em menor número, sãomuito utilizados para a navegação.O transporte hidroviário passa a ser utilizado em maior escala no Brasil nosanos 90. Até então estava relegado a segundo plano, já que o rodoviário émais flexível e mais rápido. Para que um rio se torne uma hidrovia sãonecessárias algumas obras de engenharia, que permitem ou ampliam suanavegabilidade, como a dragagem (retirada de terra do fundo), o balizamento(demarcação de canais de navegação) e a sinalização para as embarcações.Alguns dos projetos hidroviários, no entanto, causam impacto no meioambiente quando necessitam de obras de drenagem e retificação de rios emáreas como parques, reservas, pantanais, mangues e florestas.Para gerenciar os recursos hídricos do país é instituída a Política Nacional deRecursos Hídricos, pela Lei Federal 9.433, de 1997. A lei estabelece acobrança de taxas das indústrias, empresas agropecuárias e mineradoras queusem diretamente a água proveniente dos rios. Os recursos devem sergerenciados pelos Comitês de Bacias Hidrográficas.As principais bacias hidrográficas brasileiras são a Amazônica, do SãoFrancisco, Tocantins-Araguaia, do Prata e do Atlântico Sul.Bacia Amazônica – A maior bacia hidrográfica do mundo é a Amazônica, com7.050.000 quilômetros quadrados, dos quais 3.904.392,8 estão em terrasbrasileiras. Seu rio principal nasce no Peru, no lago Lauricocha, com o nomede Vilcanota, e recebe posteriormente as denominações de Ucaiali, Urubambae Marañón. Quando entra no Brasil passa a se chamar Solimões, até oencontro com o rio Negro, próximo de Manaus. Desse ponto até a foz recebe onome de Amazonas. Atravessando os vales andinos e a floresta Amazônica atédesembocar no oceano Atlântico, percorre 6.868 quilômetros, sendo o maiorem extensão e também em vazão de água (100 mil metros cúbicos porsegundo) do planeta. Sua largura média é de 5 quilômetros, alcançando 50quilômetros em alguns trechos. Com cerca de 7 mil afluentes, conta ainda com
  19. 19. grande número de cursos d‟água menores e canais fluviais criados pelosprocessos de cheia e vazante – igarapés, paraná-mirins e furos.Localizada em uma região de planície, a bacia Amazônica tem cerca de 23 milquilômetros de rios navegáveis, que possibilitam o desenvolvimento dotransporte hidroviário. A navegação é especialmente importante nos grandesafluentes do Amazonas, como o Madeira, o Xingu, o Tapajós, o Negro, oTrombetas e o Jari, entre outros.Bacia do São Francisco – Possui uma área de 645.067,2 quilômetrosquadrados de extensão e seu principal rio é o São Francisco. O Velho Chico,como é conhecido, nasce em Minas Gerais, na serra da Canastra. PercorreBahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe até a foz, na divisa destes dois últimosestados, totalizando 3.160 quilômetros de percurso. É o maior rio totalmentebrasileiro. Atravessa o semi-árido nordestino e torna-se fundamental naeconomia da região ao permitir a atividade agrícola em suas margens eoferecer condições para a irrigação artificial de áreas mais distantes. Temafluentes permanentes, como os rios Cariranha, Pardo, Grande e Velhas, eafluentes temporários, como os rios das Rãs, Paramirim e Jacaré. Seu maiortrecho navegável se encontra entre as cidades de Pirapora (MG) e Juazeiro(BA), com extensão de 1.371 quilômetros. O potencial hidrelétrico do SãoFrancisco é aproveitado, principalmente, pelas usinas de Xingó e Paulo Afonso.Bacia do Tocantins-Araguaia – É a maior bacia localizada inteiramente emterritório brasileiro, com 813.674,1 quilômetros quadrados. O rio Tocantinsnasce em Goiás, no encontro dos rios Alma e Maranhão, e percorre 2.640quilômetros até desembocar na foz do Amazonas. Seu trecho navegável, de1,9 mil quilômetros, se encontra entre Belém (PA) e Peixe (GO), e parte de seupotencial hidrelétrico é aproveitado pela Hidrelétrica de Tucuruí. O rio Araguaianasce em Mato Grosso, na fronteira com Goiás, e une-se ao Tocantins noextremo norte desse estado.Bacia do Prata – O rio da Prata tem origem no encontro dos rios Paraná,Uruguai e Paraguai, na fronteira entre a Argentina e o Uruguai. Esses rios sãoos principais formadores dessa bacia, que possui 1.397.905,5 quilômetrosquadrados – a segunda maior do país – e se estende por Brasil, Uruguai,Bolívia, Paraguai e Argentina.O Paraná, com 2.940 quilômetros, nasce na junção dos rios Paranaíba eGrande, na divisa entre Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo.Apresenta o maior aproveitamento hidrelétrico do Brasil, abrigando, porexemplo, a Usina de Itaipu. Seus afluentes, como o Tietê e o Paranapanema,também têm grande potencial para geração de energia.Utilizado em larga escala para a navegação, o rio Paraguai tem origem naserra do Araporé, a 100 quilômetros de Cuiabá (MT), atravessa o pantanalmato-grossense, cruza o território paraguaio e deságua no rio Paraná, já naArgentina. Sua extensão é de 2.078 quilômetros, dos quais 1,4 mil estão noBrasil.O rio Uruguai, que nasce na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina,na confluência dos rios Canoas e Pelotas, possui cerca de 1,5 mil quilômetrosde extensão, dos quais 625 correspondem ao trecho navegável, entre SãoBorja e Uruguaiana (RS). Em outros trechos tem potencial hidrelétrico.Bacia do Atlântico Sul – É composta de várias pequenas e médias baciascosteiras formadas por rios que deságuam no oceano Atlântico. O trechoNorte–Nordeste engloba rios localizados ao norte da bacia Amazônica e
  20. 20. aqueles situados entre a foz do rio Tocantins e a do rio São Francisco. Entreeles está o Parnaíba, que, ao desembocar na divisa do Piauí com o Maranhão,forma o único delta oceânico das Américas. Entre a foz do São Francisco e adivisa de Rio de Janeiro e São Paulo estão as bacias do trecho Leste, no qualse destaca o rio Paraíba do Sul. A partir dessa área começam as bacias doSudeste-Sul. Seu rio mais importante é o Itajaí, no estado de Santa Catarina.Fonte: paginas.terra.com.br

×