Um novo líder
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 
  • 354 views

 

Statistics

Views

Total Views
354
Views on SlideShare
354
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Um novo líder Um novo líder Document Transcript

    • UM NOVO LÍDER Iniciamos 2013 com desafios novos. Lançar produtos, SBDG Cursos Abertos, SBDG In Company, DIAV – Desenvolvimento Interpessoal Avançado, Pós Graduação, seguir nosso caminho na Qualidade, executar o nosso Planejamento Estratégico e celebrar os 30 anos de vida da nossa amada SBDG. Ainda este ano teremos o VIII Congresso Brasileiro de Dinâmica dos Grupos, congresso referência no assunto em toda América Latina. O desafio maior é adequar nossos avanços mantendo a alta qualidade em meio a um mundo cada vez mais neurótico.E assim, honrar tudo aquilo que foi feito por seus fundadores e todos quecontribuíram nesses anos todos perpetuando nossa sociedade.O ser humano tem um novo desafio. O inconsciente coletivo sofre osresultados do abuso do nosso sistema capitalista. As pessoas estãoestressadas, sobrecarregadas, individualistas, trabalhando maior parte do seudia, com pouco tempo para cuidar de si, viver e desfrutar de seus amores,amigos. Chegam em casa com dores, torcicolos, contraturas, nervosismo,irritação. Buscam academias para malhar o corpo, a sociedade reconhecequem trabalha muito e tem uma posição de destaque e dinheiro. Pessoas quejulgam ter sucesso, mas seus olhos não brilham, fazem happy hour comfrequência para abafar suas angústias em volta a uma mesa de bar. Muitos,adoecem a cada inverno. Tem a saúde fraca. Desenvolveram-seintelectualmente, mas são indigentes emocionais. O ser humano desenvolveuestratégias para sobreviver nesse cenário desde que era criança e passou afazer somente o que os pais validavam. Engoliu o choro e hoje paga suascontas.Quanto mais nos distanciamos do que somos para tentar ser o que não somos,para tentar ser o que queremos ser ou o que achamos que os outros queremque sejamos, maior é o sofrimento. De fato pretendemos o impossível, umalaranjeira nunca poderá ser uma figueira. Não podemos deixar de ser o quesomos. O sofrimento vem não tanto de não conseguir ser o que não somos,mas de tentar deixar de ser o que somos.Neste esforço vai embora nossa vitalidade, a vida perde a graça e o significadoe um dia não conseguimos mais nos levantar da cama. O médico diagnosticadepressão. E receita antidepressivos. E a vida segue.Infelizmente na família, na escola e diante da TV, aprendemos muitos padrões,aprendemos a imitar, a nos comparar com os outros, mas não aprendemos aser nos mesmos.Essas mesmas pessoas fazem parte da sua equipe de trabalho. É chegada ahora de desenvolver pessoas além do intelectual. É o momento de buscarmosa reconexão do homem com seu corpo, com suas emoções, sua naturezainstintiva. Dar significado aos objetivos, colocar o coração na frente dosnúmeros. Qualidade de vida de verdade, criar um ambiente dentro das equipes
    • em que seja permitido falar, chorar, discutir, brigar, ser verdadeiro. Viver aemoção presente, sem atuar. Em meu último trabalho com feedback em umPlano de Desenvolvimento de Lideranças fiz feedback na prática com 30executivos. Eles estranharam muito pois estavam acostumados a falar comrodeios, usando técnicas de sanduíche entre outras. O mundo está maquiado,com máscaras. Há líderes vivendo vidas duplas, com mania de limpeza naempresa enquanto joga papel na rua e seu quarto em casa é um lixo.Conforme nos disse Alexander Lowen, uma pessoa que obedecendo a suascrenças, geralmente interiorizadas na infância, não expressa sua raiva, estaráatraindo circunstâncias que provocam cada vez mais raiva até que sejaimpossível não expressá-la. Uma pessoa que não desenvolve seus talentos einsiste em trabalhar em atividades que nada tem a ver com ela, atrairá umchefe mais exigente, uma ampliação de horas de expediente sem remuneraçãoou até ser demitido o que pode obrigá-la a desenvolver suas capacidades.Finalmente a melhor maneira de desenvolver uma capacidade é precisar fazê-lo, especialmente se disso depende a sobrevivência.Nosso crescimento se dá em primeiro lugar superando nossas dificuldades,resolvendo nossos bloqueios e em segundo lugar desenvolvendo nossascapacidades.Nossos líderes precisam de autoconhecimento profundo. Poucos estãopreparados para sair desse cenário e construir uma vida melhor. É umacaminhada continua, sem fim, dolorosa, mas libertadora. Assim, teremosempresas, líderes, equipes com preparo para fazer suas escolhas, seremfelizes, criativas e produtivas.Num mundo onde se trabalha mais da metade do tempo em quepermanecemos acordados nossa qualidade de vida e felicidade vai dependermuitíssimo de que o tempo dedicado a trabalhar nos dê ou não gratificação.Não é necessário nenhum esforço para ser o que somos, para sair dosofrimento, para sermos felizes, basta estar atentos. Só podemos estar atentossi estamos no aqui e no agora. A vida só transcorre no aqui e no agora, atransformação só pode acontecer aqui e agora. A maneira mais simples parasair da compulsão mental de estar no futuro ou no passado é observar arespiração que só acontece e só pode acontecer aqui e agora.Mais do que nunca contamos com todos para atingi-los.A Diretoria de Marketing e Comercial está à disposição para ideias, sugestões,críticas, e tudo mais. Queremos cada vez mais estar próximo de você.Rumo ao VIII Congresso Brasileiro de Dinâmica dos Grupos, até breve!Um abraço,Renato Morais.