Estudos de redes sociais

  • 1,615 views
Uploaded on

 

More in: Self Improvement
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,615
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
75
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
    PROGRAMA DE POS-GRADUAÇÃO EM LINGUÍSTICA
    TÓPICOS AVANÇADOS II
    PROF DR. JÚLIO ARAÚJO
    Estudos de Redes Sociais
    Sayonara Costa (@sayonaracosta)
    Mestranda em Linguística
    Grupo de Pesquisa Hiperged
  • 2. Métodos de pesquisa para internet
    Parte I – Perspectivas sobre a pesquisa empírica
    Panorama dos Estudos de Internet
    Construção de Amostras
    Teoria Fundamentada
    Parte II – Apropriações Metodológicas
    Estudos de Redes Sociais
    Análise de Hiperlinks
    Abordagens Etnográficas
  • 3. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    A Rede Social
    Metáfora estrutural para a compreensão de grupos expressos na internet (RECUERO, 2009, p. 24)
  • 4. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    “A análise de redes sociais é inerentemente uma empreitada interdisciplinar. Seus conceitos foram desenvolvidos por um propício encontro da teoria social e da aplicação da matemática formal, da estatística e dos métodos computacionais” p. 115
    • “Na realidade, a força da abordagem de redes sociais está em sua necessidade de construção empírica tanto qualitativa quanto quantitativa que busca, a partir da observação sistemática de fenômenos, verificar padrões e teorizar sobre os mesmos.” (RECUERO, 2009, p. 21)
  • Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Análise de Redes Sociais (ARS) - Ao estudar as estruturas decorrentes das ações e interações entre os atores sociais é possível compreender elementos a respeito desses grupos e, igualmente, generalizações a seu respeito.
    Teoria das Redes – Foca, principalmente, nas propriedades dinâmicas dessas redes, tratando-as como estruturas em movimento e em evolução constante.
  • 5. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Rede Social como metáfora estrutural
    Composição
    Nós Atores
    Conexões Interações construídas pelos atores
    Tipos de Redes
    Redes Emergentes
    Redes de Filiação
  • 6. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Sites de Redes Sociais
    Construção de um perfil com características identitárias;
    Apresentação de novas conexões entre esses perfis.
  • 7. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    1. Marco Histórico
    Jacob Levy Moreno (1978) – Autor do livro Who sallsurvive. Trabalhou os primeiros gráficos sociométricos, na tentativa de quantificar interações e avaliar seu impacto no grupo, além de criar boa parte das definições que regem ARS, bem como o conceito de sociograma.
    Kurt Lewin (1951) – Influência da Gestalt das dinâmicas de grupos para as redes sociais. Concepção de grupo social em um espaço percebido pelos membros do grupo. Este espaço seria dotado de propriedades matemáticas e estruturais.
  • 8. Estudos de Redes Rociais – Raquel Recuero
    Embora os estudos sociométricos sejam, sob muitos aspectos, anteriores à Teoria das Redes, essa diferencia-se por focar, principalmente, nas propriedades dinâmicas dessas redes, enquanto aquela concentraria suas forças em perceber as redes como estruturas estáticas. p. 118.
    “A ARS nasce, assim, de um conjunto de estudos com foco empírico e sistemático e também com um foco matemático e gráfico.” p. 118
  • 9. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    “Nenhuma rede tem fronteiras ‘naturais’, é o pesquisador quem as impõe.” Degenne e Forsé (1999, p. 22)
    2. Primeiros Passos: Delimitando o objeto
    Atores – Indivíduos, instituições e grupos
    Conexões – Desde formais até informais
    Tipos de rede – Rede inteira ou rede ego
    Grau de conexão - Cada grau de separação é representado por uma conexão.
    Outros níveis – ator, díades, tríades, subgrupos e um conjunto de atores ou rede.
  • 10. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    3. Dados
    Coleta associada a um sistema de entrevistas ou questionários, com a posterior análise em sociomatrizes e sociogramas. (...) Cabe ao pesquisador selecionar o momento e as variáveis que serão analisadas, que devem ser selecionados de acordo com a problemática que será focada pelo pesquisador. p. 120-1.
  • 11. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Sociomatrizes
    Matrizes utilizadas com as conexões entre os diversos atores. De um lado ficam os sujeitos observados e, entre eles, são marcadas as interações/relações.
  • 12. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    b) Sociogramas
    Sociogramas são modos de representação de uma rede social. Geralmente essa representação é feita através de um grafo, onde as conexões são linhas e os atores pontos.
  • 13. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    3.1. Propriedades dos dados
    Os dados coletados podem ser analisados com relação a:
    Estrutura – compreende a forma da rede e as características que podem ser extraídas desta;
    Composição – refere-se à qualidade da forma, ou seja, os atores determinados e à qualidade de suas conexões.
    Dinâmica – consequência direta do processo de interação entre os atores.
  • 14. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    3.1.1. Dados de Composição
    Laços Sociais - São conexões estabelecidas entre os atores sociais. Através de conversações ou conexões estabelecidas por links, são expressos nas redes sociais que aparecem na internet. Granivetter (1973 e 1983) discute que os laços sociais poderiam ser fracos ou fortes, na medida em que conectam indivíduos que dividem valores sociais diferentes.
  • 15. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Capital Social – Consideraremos o capital social como um conjunto de recursos de um determinado grupo que pode ser usufruído por todos os membros do grupo, ainda que individualmente, e que está baseado na reciprocidade. Ele está embutido nas relações sociais e é determinado pelo conteúdo delas. Para que se estude o capital social dessas redes, é preciso estudar não apenas suas relações, mas igualmente o conteúdo das mensagens que são trocadas através delas. p. 123
  • 16. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Mas como se apresenta o capital social?
    Bertolini e Bravo (2004, p.1-5) partem da definição de Coleman (1998), que caracteriza capital social como heterogêneo, e constroem categorias para sistematizá-lo:
  • 17. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
  • 18. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    O capital social pode ainda ser classificado em dois níveis distintos:
    A existência de capital social do primeiro nível é requisito para a constituição do capital de segundo nível. Um segundo nível de capital social demonstra uma maior maturidade da rede social, além de maior densidade e existência no tempo de seus laços. (p. 124)
  • 19. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    3.1.2. Dados de Estrutura
    Grau de Conexão – É a quantidade de conexões que um determinado nó possui.
    Centralidade – É a medida da popularidade de um determinado nó.
    Densidade – É a medida que descreve o grau de conexão de uma determinada rede.
    Centralização – É a medida de centralidade do grafo.
  • 20. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    3.1.3. Dados dinâmicos
    Os processos dinâmicos das redes são consequência direta dos processos de interação entre os atores. Redes são sistemas dinâmicos e, como tais, sujeitos a processos de ordem, caos, agregação, desagregação e ruptura (Nicolis e Prigogine, 1989). São processos denominados emergentes, característicos de sistemas complexos. Os comportamentos emergentes, bem como a forma através da qual a emergência aparece, precisam ser adequadamente estudadas nas redes sociais.
  • 21. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    4. Exemplo em estudo de caso: Fotologs
    Delimitação
    Nós (atores) – Indivíduos
    Conexões –Comentários
    Tipo de rede – Rede emergente egocentrada
    Grau de conexão - Dois graus de conexão
  • 22. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Pré-noções
    A escolha do grau de separação interfere diretamente no tamanho da rede analisada;
    A presença dos comentaristas frequentes demonstraria que, possivelmente aquelas interações poderiam auxiliar a construir laços sociais e prover tais laços de capital social;
    As relações recíprocas serão consideradas como indício de um laço social, uma vez que indicam laços mais dialógicos entre os atores da rede.
    Os comentários e sua frequência são capazes de revelar laços sociais e tornar perceptível o capital social entre os nós.
  • 23. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Reciprocidade
    Granovetter (1973), apontou a reciprocidade como um indicativo dos laços mais fortes. Neste trabalho, os laços mais fortes são compreendidos como aqueles que contêm mais comentários recíprocos, pois a frequência do contato, a duração e a reciprocidade que advém desta medida são indicativos aceitos por grande parte da literatura como importantes para a definição de laços sociais. (p. 130)
  • 24. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Grafos da rede analisada
    Grafo apenas com comentários recíprocos
    Grafo de Rede Inteira
  • 25. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Tipos de Interação (de acordo com a ação da interação sobre o laço social)
    Interações de Construção – Interações que visam construir o laço. Utilizadas para criar uma determinada conexão, construir intimidade e aprofundar a relação.
    Interações de Manutenção – São aquelas interações que visam manter o laço social. Não buscam aumentar a intimidade nem aprofundar um relacionamento, visam apenas manter o laço no patamar em que está.
    Interações de Desgaste – Mais raras, especificam uma briga ou conflito entre os atores. Normalmente, acabam gerando o fim da conexão ou, mesmo, a redução dos comentários entre ambos.
  • 26. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Consequências dos tipos de interação na estrutura do grafo
    Comentários de construção podem gerar uma ampliação e uma aproximação da rede (clusterização);
    Comentários de manutenção podem simplesmente manter aberto o canal de comunicação, mantendo os nós conectados, sem aproximar ou afastar cada um deles;
    Comentários de desgaste podem gerar o afastamento dos nós e a desestabilização do cluster (dependendo da importância do nó).
  • 27. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Tipos de Capital Social encontrado
    Capital Social Relacional – primeiro tipo imediatamente discernível. Aparece tanto nas interações dos comentaristas esporádicos, quanto nas interações dos comentaristas habituais e únicos.
    Capital Social Normativo – compreende as regras de comportamento. As interações sociais nos fotologs (e nas redes sociais na internet) são baseadas em regras implícitas e não escritas.
    Capital Social Cognitivo – relaciona-se à informação presente na rede, que se torna acessível aos usuários por meio de suas interconexões.
  • 28. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Capital Social de Segundo Nível
    Confiança no ambiente social – relacionado ao comportamento do indivíduo em um grupo e dos elementos do grupo que podem auxiliar o individuo no ambiente da rede. Ex. exposição de si mesmo.
    Capital Social Institucional – Instituições formais e informais que emergem da criação dos grupos, com grande nível de cooperação e coordenação. É o reconhecimento do grupo enquanto grupo. Típica das comunidades virtuais Ex. cooperação do grupo nos ataques recebidos pelos membros, organização de festas.
  • 29. Estudos de Redes Sociais – Raquel Recuero
    Referências
    FRAGOSO, S.; RECUERO, R.; AMARAL, A. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.
    RECUERO, R. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre, Sulina, 2009.