Teroria da deriva continental
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teroria da deriva continental

on

  • 2,946 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,946
Views on SlideShare
2,946
Embed Views
0

Actions

Likes
3
Downloads
105
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Teroria da deriva continental Teroria da deriva continental Presentation Transcript

    • DINÂMICA DA TERRA
    • O nosso planeta é um sistema dinâmico
    • A Terra é um sistema físico movido a energia, são elas: a irradiação solar e a energia vinda do interior da Terra;
    • Os subsistemas da Terra são:
    • A litosfera ou crosta terrestre é a camada externa da Terra, formada por rochas e minerais, com profundidade entre 5 e 70 km;
    • A TEORIA DA DERIVA CONTINENTAL
      WEGENER (1912)
      “Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente – a Pangeia – rodeado por um único oceano – a Pantalassa.
      Posteriormente, a Pangeia fraturou-se e os continentes deslocaram-se até atingirem as posições atuais.”
    • A TEORIA DA DERIVA CONTINENTAL
      Pérmico:
      Os continentes estavam reunidos no supercontinente Pangea, rodeados por um único oceano Panthalassa .
      Triásico:
      Ruptura da Pangea, segundo a linha do Equador com formação a Norte da Laurásia (Eurásia, América do Norte, Gronelândia) e a Sul a Gondwana (América do Sul, África e Austrália).
      Entre a Laurásia e a Gondwana surge o Mar de Tétis.
      Jurássico:
      A Índia separa-se da Austrália e ruma a Norte.
      Cretácico:
      Madagáscar separa-se da Africa.
      Forma-se o Atlântico.
      Fecho do Mar de Tétis.
      Formam-se o Alpes na Europa por compressão do continente africano.
      Até à actualidade:
      Abertura do Atlântico continua.
      Gronelândia separa-se da Eurásia e ruma a Norte
      As Américas unem-se e a Austrália separa-se da Antártida
      A Índia colide com a Ásia e forma os Himalaias
    • ARGUMENTOS A FAVOR DA TEORIA DA DERIVA CONTINENTAL
    • ARGUMENTOS CONTRA A TEORIA DA DERIVA CONTINENTAL
      A Teoria da Deriva dos Continentes foirejeitadapela comunidade científica da altura porque:
      
      Wegener não conseguiu explicar convenientemente como é que os continentes se conseguiam mover…
      Só cerca de 50 anos mais tarde, com a realização de estudos da morfologia dos fundos oceânicos, a teoria da Deriva Continental voltou a ser considerada…já Wegener tinha falecido.
      Evidencia o CARACTER DINÂMICO DA CIÊNCIA!
    • MORFOLOGIA DOS FUNDOS OCEÂNICOS
      Fossa
      Dorsal
    • MORFOLOGIA DOS FUNDOS OCEÂNICOS
      Dorsal médio-oceânica – cadeia montanhosa com milhares de km de comprimento situada na zona mediana dos oceanos. Na parte central apresenta um profundo vale – rifte – por onde ascende magma que origina novo fundo oceânico. É ainda atravessada por várias fracturas transversais.
      Fossa oceânica – zona muito profunda onde ocorre destruição do fundo oceânico mais antigo pelo que se designa dezona de subdução.
      Planície abissal – superfície profunda, mais ou menos plana, de um e outro lado da dorsal.
      Talude continental – zona de declive acentuado que faz a transição entre continente e oceano.
      Plataforma continental – zona ligeiramente inclinada, que ainda faz parte do continente.
    • Porque é que a dimensão da superfície da Terra não se altera?
      As zonas de crescimento (riftes) são compensadas pelas zonas de destruição e,
      portanto, a Terra mantém-se com a mesma dimensão total, sem aumentar nem diminuir.
    • TEORIA DA DERIVA CONTINENTAL
      +
      TEORIA DA EXPANSÃO DOS FUNDOS OCEÂNICOS
      =
      TEORIA DA TECTÓNICA DE PLACAS
    • TEORIA DA TECTÓNICA DE PLACAS
    • Continentais
      (mais espessas 120km)
      Oceânicas
      (menos espessas 20-70km)
      Mistas
      Suportam um continente e uma boa parte de oceano.
      Exemplos: P. africana, P. norte-americana, P. sul-americana, P.euro-asiática, P. antárctica.
      Suportam um oceano.
      Não compreendem crosta continental.
      Exemplo: P. pacífica
      P. de Nazca
      Placas que compreendem partes semelhantes de crosta oceânica e de crosta continental.
      Exemplo: P. indo-australiana.
      TIPOS DE PLACAS
    • DERIVA CONTINENTAL
      VS
      TECTÓNICA DE PLACAS
        
      Não são os continentes que se movem, mas sim as placas litosféricas.
      Já é explicado como se movimentam as placas litosféricas – através dos movimentos de convecção do manto.
    • MOVIMENTO DAS PLACAS E TIPOS DE LIMITES
      Há três tipos de limites de placa:
      ·Limites divergentes ou construtivos-nova litosfera é gerada (acreção), enquanto as placas se afastam entre si
      · Limites convergentes ou destrutivos-litosfera é destruída (subducção), enquanto as placas colidem entre si e uma placa "mergulha" sob outra.
      · Limites transformantes ou conservativos -a litosfera nem está a ser produzida nem a ser destruída, enquanto as placas deslizam horizontalmente uma em relação à outra
    • VULCÕES E SISMOS
      “Vulcão corresponde a uma estrutura geológica que surge a partir da emissão de magma, gases e partículas quentes do interior da Terra para a superfície terrestre.”;
      “Terremotos, também chamados de abalos sísmicos, são tremores passageiros que ocorrem na superfície terrestre. Esse fenômeno natural pode ser desencadeado por fatores como atividade vulcânica, falhas geológicas e, principalmente, pelo encontro de diferentes placas tectônicas”;
    • SISMOS
    • VULCÕES
    • TSUNAMI
      É uma palavra de origem japonesa, que significa ‘grande onda’;
      Os tsunamis surgem após grandes terremotos;
      Uma onda gigante pode viajar centenas ou até milhares de quilômetros;
    • FORMAÇÃO DOS TSUNAMIS
    • SISMOS E VULCÕES
    • ROCHAS E MINERAIS
    • O que são Minerais?
      • São elementos ou compostos químicos com composição bem definida dentro de certos limites, cristalizados e formados naturalmente por meio de processos geológicos ou inorgânicos, na terra ou em corpos extraterrestres.
      O que são Rochas?
      • São produtos consolidados, resultantes da união natural de minerais. (Um agregado de minerais)
      Obs: Diferente de sedimentos, por exemplo: areia da praia é um conjunto de minerais soltos.
    • GRUPOS DE ROCHAS
      As rochas podem ser classificadas em:
      • ígneas (resultam da solidificação do magma)
      • Intrusivas: Formam-se em profundidade e apresentam um lento resfriamento.
      • Extrusivas: Formam-se na superfície e apresentam um ra´pido resfriamento
       metamórficas (resultam de transformação de outras rochas, em profundidade)
       sedimentares(resultam de materiais provenientes de outras rochas, depositados e consolidados em sub-superfície)
    • INTEMPERISMO
      = Rocha Ígnea
      Intrusiva (plutônica)
      Extrusiva (vulcânica)
      Solidificação
      Magma
    • CLASSIFICAÇÃO GENÉTICA DAS ROCHAS
      ÍGNEAS
      METAMÓRFICAS
      SEDIMENTARES