Boechat

1,223 views

Published on

Workshop Pólo de Florestas

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,223
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
25
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Boechat

  1. 1. * NOME: CARLOS PEDRO BOECHAT SOARES * LINHAS DE PESQUISA: * MODELAGEM DO CRESCIMENTO E DA PRODUÇÃO FLORESTAL * DENDROMETRIA E INVENTÁRIO FLORESTAL
  2. 2. <ul><li>TRABALHOS RELACIONADOS </li></ul><ul><li>Além dos trabalhos apresentados pelo Prof. Jacovine. </li></ul><ul><li>Geração de equações para estimar a biomassa de árvores em plantios de eucalipto; </li></ul><ul><li>Análise econômica da geração de créditos de carbono em plantios de eucalipto; </li></ul><ul><li>Modelos para estimar o estoque de carbono em florestas de eucalipto </li></ul><ul><li>Estoque de carbono em florestas naturais na região do Rio Doce; </li></ul><ul><li>Estoque de carbono em florestas naturais na região de Viçosa; </li></ul>
  3. 3. MINHA EXPERIÊNCIA ... <ul><li>Plantios comerciais de eucalipto e em Mata Atlântica – biomassa acima do solo; </li></ul><ul><li>Métodos clássicos aplicados à mensuração florestal; </li></ul><ul><li>Projeto no CNPq – Dendrometria de espécies florestais: volume, biomassa, teor de carbono => subsídio para trabalhos científicos (melhorar precisão de estimativas) </li></ul>
  4. 4. QUANTIFICAÇÃO DA BIOMASSA NA VEGETAÇÃO * BIOMASSA: Pode ser definida como a massa orgânica produzida por unidade de área, podendo ser expressa em termos de peso seco, peso úmido, peso em carbono (ODUM, 1986). BIOMASSA  FITOMASSA
  5. 5. METODOLOGIAS <ul><li>* FUNÇÃO: </li></ul><ul><ul><li>TIPO DE VEGETAÇÃO; </li></ul></ul><ul><ul><li>COMPARTIMENTOS AMOSTRADOS; </li></ul></ul><ul><ul><li>PARTES DAS ÁRVORES CONSIDERADAS; </li></ul></ul><ul><ul><li>RECURSO, PRECISÃO, TEMPO; </li></ul></ul><ul><ul><li>NÍVEL OU AMPLITUDE DA ABORDAGEM. </li></ul></ul><ul><li>* Métodos destrutivos e não-destrutivos </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Alguns aspectos relativos a estudos relacionados à biomassa e carbono </li></ul><ul><li>Dispersão das informações; </li></ul><ul><li>Estimativas muito “genéricas” (sem detalhamentos); </li></ul><ul><li>Problemas metodológicos. </li></ul>
  7. 7. METODOLOGIAS (cont...) <ul><li>* NESTE PROJETO: </li></ul><ul><ul><li>VEGETAÇÕES NO CERRADO: plantios, pastagem, áreas recuperadas, “cerrado”. </li></ul></ul><ul><li>1 a Etapa : Definição das áreas de vegetação; </li></ul><ul><li>2 a Etapa : Inventário Florestal por amostragem </li></ul><ul><li>* Amostragem sistemática ou aleatória </li></ul><ul><li>* Intensidade amostral (n): E ± 10% </li></ul><ul><li>* Plantios: parcelas de 500 a 600 m 2 </li></ul><ul><li>* Cerrado: tamanho depende do tipo </li></ul>
  8. 8. METODOLOGIAS (cont...) <ul><li>* Inventário dos Plantios : </li></ul><ul><li>Parte aérea: Medidas de diâmetro e altura </li></ul><ul><li>Serrapilheira: pesagem de material dentro de </li></ul><ul><li>gabaritos de 1 m 2 -> peso úmido </li></ul><ul><li>* Inventário do Cerrado : </li></ul><ul><li>Nível I (DAP ≥ 5,0cm): Medidas de diâmetro, altura e caracterização das espécies nas parcelas. </li></ul>
  9. 9. METODOLOGIAS (cont...) <ul><li>* Inventário do Cerrado (cont...) : </li></ul><ul><li>Nível II (DAP ≤ 5,0cm): corte e pesagem de todo o material em sub-parcelas-> peso úmido ; </li></ul><ul><li>Nível III (Serrapilheira) -> pesagem de material em sub-sub-parcelas -> peso úmido; </li></ul><ul><li>* Inventário em pastagem e áreas recuperadas : </li></ul><ul><li>Alguns procedimentos descritos anteriormente. </li></ul>
  10. 10. METODOLOGIAS (cont...) <ul><li>* Cerrado : Exemplo do esquema da amostragem </li></ul>
  11. 11. METODOLOGIAS (cont...) <ul><li>4 a Etapa : Análise Fitossociológica (cerrado) </li></ul><ul><li> Caracterização diamétrica (plantios) </li></ul><ul><li>Objetivos : </li></ul><ul><li>Caracterização das vegetações estudadas; </li></ul><ul><li>Definição das espécies de maior Importância no cerrado e dos tamanhos das árvores que serão amostradas para a geração de equações alométricas. </li></ul>
  12. 12. METODOLOGIAS (cont...) <ul><li>5 a Etapa : Coleta de dados de campo e análise laboratoriais </li></ul><ul><li>Partes: Fuste (madeira+casca), galhos, folhas, raízes. </li></ul><ul><li>Procedimentos: abater árvores, desgalhar, desfolhar, cavar para retirar raízes, cubar rigorosamente, realizar pesagens no campo, determinar densidades, determinar teores de carbono, etc. </li></ul><ul><li>Objetivo: gerar equações alométricas (volume, biomassa e carbono). </li></ul>
  13. 13. METODOLOGIAS (cont...) <ul><li>6 a Etapa : Totalização do inventário e elaboração de relatório. </li></ul>

×