Administração aula 8

1,083 views
1,025 views

Published on

Aula TGA 08/11/2012

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,083
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
44
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Administração aula 8

  1. 1. Teorias da AdministraçãoCapítulo 6Estratégia Empresarial (pg-113) Prof. Pércio Sobrinho Pércio Sobrinho 1
  2. 2. TGA - Teoria Geral da administraçãoAbordagens da EstratégiaA estratégia pode constituir um padrão de comportamento, uma posição desejadaou uma perspectiva futura. Pércio Sobrinho 2
  3. 3. TGA - Teoria Geral da administração Abordagens da Estratégia MENSAGEM MENSAGEM PROCESSO DE: CONTRIBUIÇÃO PRETENDIDA REALIZADAPrescritivas e normativasDesign Concepção Ajuste Pense Olhar para o futuroPlanejamento Formal Formalize Programe Olhar para o futuroPosicionamento Analítico Análise Calcule Olhar para o passadoDescritivas e explicativasEmpreendedorismo Visionário Vislumbre CentralizeCognitiva Mental Crie PreocupeAprendizado Emergente Aprenda JoguePoder Negociação Promova EntesoureCultural Social Combine PerpetueAmbiental Reativo Reaja CapituleConfiguração Transformação Integre AcumuleFig. 6.1: Características das escolas de pensamento estratégico segundo Mintzberg e Lampel.pg115 Pércio Sobrinho 3
  4. 4. TGA - Teoria Geral da administração Componentes da estratégia empresarial (116) O processo de Administração Estratégica envolve o conjunto de decisões e ações integradas e contínuas para: 1. Promover a adequação da empresa dentro de seu ambiente; 2. Definir seu direcionamento estratégico; 3. Prover a vantagem competitiva frente à concorrência; 4. Implementar e controlar efetivamente os objetivos e resultados organizacionais, visando êxito A estratégia representa integração,adequação e compatibilização.OS três componentes básicos:1- Ambiente: as oportunidades visualizadas no ambiente de tarefas e principalmente no mercado, bem como as restrições e limitações.2- Empresa:a organização, sua missão, visão, recursos utilizados, bem como as habilidades em lidar com os pontos fortes e fracos.3- Adequação entre ambos: a postura que a empresa deverá adotar para compatibilizar seus objetivos, recursos, competências e limitações com as condições ambientais no sentido de extrair o máximo das oportunidades e se expor o mínimo possível. Pércio Sobrinho 4
  5. 5. TGA - Teoria Geral da administraçãoComponentes da estratégia empresarial (117) Objetivos Globais Como compatibilizar da Empresa todas as variáveis envolvidas? Análise Análise O que temosO que há noambiente? Ambiental Organizacional na empresa? Pontos fortes e pontos fracos, Oportunidades e ameaças, recursos disponíveis, talentos, restrições, coações e habilidade e competências contingências Estratégia Empresarial O que fazer? Pércio Sobrinho 5
  6. 6. TGA - Teoria Geral da administraçãoA busca da vantagem competitiva (117)A busca pela competitividade é o cerne , o coração e a alma da administraçãoestratégica. Não se pode firmar que se esteja administrando estrategicamente umnegócio ou uma empresa, se não se está buscando esta competitividade e com elaa diferenciação. Com a diferenciação , a empresa garante vantagem sobre seuscompetidores. Essa vantagem denomina-se Vantagem Competitiva.Por Vantagem Competitiva entende-se, por exemplo sair na frente, antecipar-seàs mudanças que possam eventualmente ocorrer, ter retornos mais elevados emais rapidamente que os concorrentes ou agregar efetivo valor ao negócio que seestá administrando.Porter (1986): “a luta pelas vantagens competitivas”, batalha pela diferenciação emuma competição acirrada em tempos de internacionalização da economia. Pércio Sobrinho 6
  7. 7. TGA - Teoria Geral da administraçãoPosicionamento estratégicoDefine o que a organização oferece para diferenciar seus produtos e serviços eadicionar valor ao cliente. Também orienta como as principais atividades se“encaixam” para fortalecer esta diferenciação.Com base nos fatores críticos de sucesso e no posicionamento estratégico, a organizaçãodefine seus objetivos.Normalmente o posicionamento estratégico deve ser feito com base emtrês fontes distintas:1-Variedade de produtos e serviços,2-Atendimento às necessidades de um determinado grupo defornecedores,3-Particularidades de modalidades de acesso Pércio Sobrinho 7
  8. 8. TGA - Teoria Geral da administraçãoPlanejamento estratégico (pg119): Processo de elaborar a estratégia – a relação pretendida da organização com seu ambiente Compreende a tomada de decisões sobre o padrão de comportamento que a organização pretende seguir: Produtos e serviços que pretende oferecer e mercados e clientes que pretende atingir.“Processo através do qual a empresa se mobiliza para atingir o sucesso econstruir o seu futuro, por meio de um comportamento pró ativo,considerando seu ambiente atual e futuro.” Pagnoncelli & Vasconcellos.“Processo gerencial que busca desenvolver e manter um ajuste entre osobjetivos e recursos da organização e as oportunidades de mercado empermanente modificação.”Kotler Pércio Sobrinho 8
  9. 9. TGA - Teoria Geral da administraçãoPlanejamento estratégico Quem somos? Crenças & Valores Negócio  Missão Direção Corporativa Análise do Ambiente Onde estamos hoje? Interno Externo Direção das Visão de Futuro Para onde vamos? Objetivos Estratégicos Unidades de Negócio FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA Nível Como chegaremos lá? Corporativo Nível de Processos Nível Funcional Pércio Sobrinho 9
  10. 10. TGA - Teoria Geral da administraçãoPlanejamento estratégico Análise Ambiental Aspectos Verificação das considerados pela Mercados Economia variáveis cúpula da empresa ambientais Concorrência Governo Tecnologia Legislação Cenário de Formulação de Avaliação das Decisões estratégicas oportunidades e ameaças alternativas alternativas específicas à empresa estratégicas Análise Organizacional Forças internas Recursos Definição das possibilidades e dos Fragilidades Competências recursos e competências Capital Financeiro necessários Capital IntelectualFig. 6.3: Etapas do planejamento estratégico pg120 Pércio Sobrinho 10
  11. 11. Planejamento estratégico AMBIENTE VALORES VISÃO MISSÃO DIRETRIZES OBJETIVOS ESTRATÉGIAS METAS AÇÕES Pércio Sobrinho 11
  12. 12. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO ADMINISTRAÇÃOÉ o processo ativo de determinação e orientação do caminhoseguido por uma organização para realização dos seus objetivos. Amplo conjunto de atividades compreendendo: Análises, Decisão, Comunicação, Liderança, Motivação, Decisão Avaliação e Controle. O Processo Decisório é o principal vetor de inter-relação e interdependência entre os processos de administração e planejamento. Pércio Sobrinho 12
  13. 13. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO Administração Decisão Planejamento Decisões são consideradas a essência do processo Planejamento é o processo que da suporte a processo de planejar estrutura decisória da instituição, composta de decisões relacionadas aos diferentes níveis da organização: estratégico, gerencial, operacional Processo participativo, desenvolvido para o alcance de uma situação desejada de um modo mais eficiente e efetivo, com amelhor concentração de esforços e recursos de uma organização 13 Pércio Sobrinho
  14. 14. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO PLANEJAMENTO É UM PROCESSO QUE OPORTUNIZA:- maior eficiência do processo decisório;- estimula o envolvimento do nível gerencial;- facilita a integração de informações;- proporciona a formação de um espírito de equipe;- permite coordenação de esforços;- estimula a produção de idéias. Pércio Sobrinho 14
  15. 15. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO Planejamento demanda continuidade, devendo ser incorporado como prática permanente da organizaçãoCARACTERÍSTICAS ASSOCIADAS AO PLANEJAMENTOO planejamento diz respeito as implicações futuras dedecisões presentes É um processo de decisões interrelacionadas e interdependentes que visam alcançar objetivos previamente estabelecidos O processo de planejamento é mais importante que seu produto final, os planos Os objetivos planejados precisam ser viáveis operacionalmente Diz respeito à mudança Pércio Sobrinho 15
  16. 16. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) HISTÓRICO E DEFINIÇÃO Problema EstratégicoPreocupação com as relações entre a organização e seu ambiente Estratégico Solução Diferentemente de sua utilização mais Utilização de uma técnicacomum, em que estratégico denota o de planejamento que incorporasse uma análise racional das oportunidades e ameaçaso termo assume que é importante, aqui geradas pelo o significado de “tudo o que se refere ambiente, em consonância com os pontos fortes e fracos da às relações entre a organização e o seu organização ambiente” Ajuste, Sintonia entre os recursos e objetivos da organização e as demandas de um ambiente externo em constante mutação Pércio Sobrinho 16
  17. 17. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) HISTÓRICO E DEFINIÇÃO A necessidade de adaptar-se ao ambiente, exigiu a adoção de ummodelo administrativo preocupado com as modelo administrativo mudanças no âmbito interno da organização Administração Estratégica Adaptação EstratégicaPlanejamento Estratégico Administração Estratégica Preocupado com o Preocupado com asambiente externo à organização mudanças organizacionais Planejamento Estratégico Organizacional Pércio Sobrinho 17
  18. 18. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) PORQUE PLANEJAR?Visa preparar a organização para adaptá-la aos novos contextosambientaisRepensar o que está sendo feitoDefinir novas Diretrizes / Políticas para o futuroTraçar novos programas ou eliminar linhas de ação superadas Pércio Sobrinho 18
  19. 19. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) PORQUE PLANEJAR?Não planejar é expor-se por demais às incertezas futuras Inovação tecnológica, novos modelos de gestão, novos desafios do setor público, decisão mais participativa, transparência administrativa,...) Pércio Sobrinho 19
  20. 20. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) ANTECEDENTES DO PLANEJAMENTO PREPARAÇÃO PARA O PLANEJAMENTODecisão de Planejar COMPROMISSOGrupo de Planejamento PARTICIPAÇÃOModelo de Planejamento ADEQUAÇÃOComunicação INFORMAR E ENVOLVER Pércio Sobrinho 20
  21. 21. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (ORGANIZACIONAL) MODELO DE PLANEJAMENTO Análise Diretrizes Gerais ExternaAmbiente Objetivos Cenários Valores Visão Planos Implantação FCS Metas Missão de Ação e Controle Análise Estratégias Interna Feedback Acompanhamento e Verificação Pércio Sobrinho 21
  22. 22. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Ambiente Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna FeedbackAmbiente - Fatores Econômicos Tecnológicos, Políticos, Sociais, Ecológicos, Demográficos, Culturais, Legais. Ambiente Externo - Comunidade Ambiente - Usuários Interno - Clientes - Fornecedores - Aspectos Organizacionais - Instituições - Imagem da Organização Congêneres - Produtos e Serviços - Relações - Recursos Tecnológicos Internacionais - Recursos Humanos - Disponibilidade - Recursos Financeiros de mão-de-obra - Recursos Materiais - Outras Entidades Pércio Sobrinho 22
  23. 23. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna FeedbackAnálise do Ambiente Externo Fatores Ambientais que afetam a vida da instituição. FATORES EXTERNOS Oportunidades Ameaças - Fatores externos - Fatores externos que influenciam que influenciam positivamente negativamenteNovas demandas de Reforma do Estadoprodutos e/ou serviços (extinção, demissões...)Financiamentos Contingenciamentoalternativos (estaduais, federais) Orçamentário Pércio Sobrinho 23
  24. 24. BARREIRAS DE ENTRADAS•ECONOMIA DE ESCALA DETERMINANTES DE RIVALIDADE DETERMINANTES DE RIVALIDADE •CRESCIMENTO DA INDÚSTRIA•DIFERENÇA ENTRE PRODUTOSPATENTIADOS •CRESCIMENTODOS INDÚSTRIA •CUSTOS FIXOS DA VALORES•IDENTIDADE DE MARÇA MARCA AGREGADOS •CUSTOS FIXOS DOS VALORES AGREGADOS CAPACIDADE •EXCESSO DE•POLITICA GOVERNAMENTAL NOVOS INTERMITENTE;DIFERENÇAS DE •EXCESSO DE CAPACIDADE•ACESSO A DISTRIBUIÇÃO PARTICIPANTES PRODUTOS; IDENTIDADE DE INTERMITENTE; DIFERENÇAS DE•VANTAGENS DE CUSTOS ABSOLUTOS MARCA;CUSTOS DE PRODUTOS; IDENTIDADE DE MODIFICAÇÃO;DIVERSIDADE DO MARCA; CUSTOS DE MODIFICAÇÃO;•CUSTOS DE MUDANÇA RISCO DE CONCORRENTE; DO CONCORRENTE; DIVERSIDADE RISCOS DE NOVOS CORPORAÇÃO RISCOS DE CORPORAÇÃO•RETALIAÇÃO ESPERADA PARTICIPANTES PODER DE PODER DE BARGANHA DOS BARGANHA DOS FORNECEDORES CONCORRENTES COMPRADORES NO SETOR FORNECEDORES COMPRADORESDETERMINANTES DO PODER RISCO DE DETERMINANTES DO PODER DOSDO FORNECEDOR SUBSTITUTOS COMPRADORES•DIFERENCIAÇÃO DE ENTRADAS•DIFERENCIAÇÃO DE ENTRADAS •VOLUME DO COMPRADOR •CONCENTRAÇÃO DE COMPRADORES X CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS•CUSTO DE MUDANÇA DE•CUSTO DE MUDANÇA DE •CUSTO DE MUDANÇA DO COMPRADOR EMFORNECEDORES EMPRESAFORNECEDORES E E EMPRESA PRODUTOS RELÇÃO DO CUSTOS DE •VOLUMEAOSCOMPRADOR MUDANÇAS DE•CONCENTRAÇÃO DE•CONCENTRAÇÃO DE FORNECEDORES SUBSTITUTOS EMPRESAS •CUSTO DE MUDANÇA DO COMPRADOR EMFORNECEDORES •PRODUTOS SUBSTITUTOS RELÇÃO AOS CUSTOS DE MUDANÇAS DE•A IMPORTÂNCIA DO VOLUME DE DETERMINANTES DE RISCOS DE EMPRESAS•A IMPORTÂNCIA DO VOLUME DEFORNECEDORES SUBSTITUIÇÃO •SER BEM SUCEDIDOFORNECEDORES •PRODUTOS SUBSTITUTOS•IMPACTO DE ENTRADAS SOBRE •INFORMAÇÕES DOS COMPRADORES •DESEMPENHO RELATIVO DE PREÇOS•IMPACTO DIFERENCIAÇÃOCUSTOS OU DE ENTRADAS SOBRE •SER BEM SUCEDIDO SUBSTITUTOS •CONCENTRAÇÃO DE COMPRADORES XCUSTOS OU DIFERENCIAÇÃO•PRESENÇA DE ENTRADAS CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS •INFORMAÇÕES DOS COMPRADORES •CUSTO DE MUDANÇA•PRESENÇA DE ENTRADASSUBSTITUTAS •SENSIBLIDADE DOS PREÇOS(PREÇO TOTAL •SENSIBLIDADE DOS PREÇOS(PREÇO TOTAL DESUBSTITUTAS •TENDÊNCIA DO COMPRADOR EM DE COMPRAS; DIFERENÇAS DE PRODUTOS; COMPRAS;DIFERENÇAS DE PRODUTOS;LUCROS SUBSTITUIR LUCROS DO COMPRADOR; INCENTIVOS AOS DO COMPRADOR;INCENTIVOS AOS TOMADORES TOMADORES DE DECISÃO DE DECISÃO Pércio Sobrinho 24
  25. 25. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Análise Estratégias Interna FeedbackAnálise do Ambiente Interno Condições internas que afetam os resultados institucionais - capacidades, recursos, habilidades... - Pontos Fortes Pontos Fracos- Fatores que diferenciam a - Fatores característicos deinstituição e proporcionam situação inadequada - vantagem operacional oportunidades de melhoria Qualificação Sistema de Comunicação Recursos Humanos deficiente Moderna Elevado grau de centralização Infra-Estrutura nas decisões Pércio Sobrinho 25
  26. 26. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Cenários Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Cenários Hipóteses, Suposições, Conjeturas...É um exercício de prospecção que analisa a influência nopresente, de futuros alternativos, e os impactos no futuro, de decisões atuais de atuação Futuro Possível 1 Futuro Possível 2 Futuro Possível 3 PresentePassado Pércio Sobrinho 26
  27. 27. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Valores Preferências, pontos de vista, deveres, inclinações internas, preconceitos...Conjunto de Crenças e Princípios que orientam as atividades e operações de organização Valores de uma instituição de ensino “Liberdade, Democracia, Responsabilidade, Justiça, Consciência Ética, Educação e Respeito, Identidade, Comprometimento Social, Cidadania, Pluralidade, Integração e Criatividade.” Pércio Sobrinho 27
  28. 28. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Visão de FuturoA visão tem a intenção de propiciar o direcionamento dosrumos da Instituição - estado que a organização desejaatingir no futuro. VISÃO De uma instituição de ensino“Ser reconhecida como referencial de excelência no ensino, pesquisa e extensão, pela comunidade científica e pela sociedade em geral.” Pércio Sobrinho 28
  29. 29. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Missão A Missão responde a pergunta: Por que existimos?A Missão define a razão de ser da Instituição. MISSÃO De uma instituição de ensino “Promover ensino, pesquisa e extensão, formando lideranças capazes de desenvolver a sociedade.” Pércio Sobrinho 29
  30. 30. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Fatores Críticos do SucessoCondições Fundamentais que precisam ser satisfeitas para que a organização tenha sucesso no ambiente Os FCS estão diretamente relacionados às capacidades e recursos existentes ou necessários à organização. Exemplo de FC para uma instituição de ensino “Otimização dos Recursos Humanos” Pércio Sobrinho 30
  31. 31. Análise Diretrizes Gerais Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Diretrizes GeraisSão princípios orientadores e canalizadores das decisõese do desencadeamento das ações. EXEMPLO DE DIRETRIZ “Manutenção do Ensino Público e Gratuito.” Pércio Sobrinho 31
  32. 32. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Objetivos O quea instituição quer Intenções claras e bem definidas Objetivos Representam o que será realizado para O que construir a visãoa instituição pode atingir e cumprir a missão Pércio Sobrinho 32
  33. 33. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Objetivos Os objetivos expressam uma situação que a Instituição deseja atingir no futuro. EXEMPLO DE OBJETIVOO que se quer “Ampliar oferta de vagas na Instituição.” Pércio Sobrinho 33
  34. 34. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Estratégias Estratégias são as escolhas. Decisões que caracterizam um conjunto integrado de ações, destinadas a viabilizar os objetivos organizacionaisComo atingir EXEMPLO DE ESTRATÉGIAo objetivo -indicam os meios “Estimular o desenvolvimento de projetos alternativos de ensino.” Pércio Sobrinho 34
  35. 35. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Metas Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Metas As metas serão referencias para avaliação do desempenho do processo de planejamento Base para construção de INDICADORES Metas são os alvos quantificados, derivados dos objetivosQuando EXEMPLO DE METAe Quantofazer “Ampliar oferta de vagas em 10% até 2013.” Pércio Sobrinho 35
  36. 36. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Planos deQuem Onde O que Quando Porque Como 5W - 2H Ação É o conjunto de atividades planejadas claramente o que deve ser feito, quando, e quem é que indicam o responsável. EXEMPLOS DE AÇÕES Projeto de novos cursos noturnos, Programas de ensino a distância, etc. Pércio Sobrinho 36
  37. 37. Análise Diretrizes Gerais Externa Objetivos Cenários Ambiente Visão Valores Planos Implantação FCS Metas de Ação e Controle Missão Análise Estratégias Interna Feedback Implantação e ControleAnalisar causas e efeitos dos desvios entre o programado e o realizadoem função de indicadores pré-estabelecidos Aprovação do Plano Conselho Universitário Programação de Implantação Cronograma, Distribuição Divulgação Comunicação Controle e Verificação Avaliação Pércio Sobrinho 37

×