• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
IV - ROCHAS QUIMIOGÉNICAS
 

IV - ROCHAS QUIMIOGÉNICAS

on

  • 11,914 views

 

Statistics

Views

Total Views
11,914
Views on SlideShare
11,846
Embed Views
68

Actions

Likes
0
Downloads
275
Comments
0

3 Embeds 68

http://www.slideshare.net 46
http://ejal-biogeo11.blogspot.com 18
http://www.ejal-biogeo11.blogspot.com 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    IV - ROCHAS QUIMIOGÉNICAS IV - ROCHAS QUIMIOGÉNICAS Presentation Transcript

    • ES JOSÉ AFONSO 09/10 PROFª SANDRA NASCIMENTO
    • Formadas essencialmente por materiais resultantes da precipitação de substâncias em solução.
    • Os calcários são rochas formadas essencialmente por calcite – mineral constituído por carbonato de cálcio. Calcário ✎ São rochas pouco duras; ✎ Quando puros são brancos; cores variadas possuem impurezas; ✎ Fazem efervescência com o ácido clorídrico diluído a frio. Esta efervescência resulta de uma reacção química na qual se liberta CO2.
    • Recordando: As águas acidificadas provocam a meteorização química dos calcários modelado cársico – ex. campo de lápias. Campo de lápias, Granja dos Serrões, Sintra
    • A dissolução dos calcários está na base da formação de grutas
    • As águas que circulam nas grutas transportam hidrogenocarbonato de cálcio que em determinadas condições pode precipitar sob a forma de carbonato de cálcio. Sedimentos: iões cálcio e Mineral: Carbonato de bicarbonato (solúvel ) cálcio Aumento da Temperatura da água Diminuição do Precipitação de Diminuição da Pressão atmosférica CO2 dissolvido calcite Diminuição da Agitação das águas nas águas A deposição e posterior diagénese dos minerais de calcite origina calcário, neste caso de origem química.
    • Estalactites – estruturas pendentes, de forma cónica que se formam como resultado da precipitação do carbonato de cálcio arrastado pela água que goteja do tecto da gruta. Correspondem a calcários de precipitação. Grutas de Mira de Aire
    • Estalagmites – estruturas ascendentes, que se originam no chão da gruta pela deposição de carbonato de cálcio proveniente da água que goteja do tecto. Colunas – resultam da união de uma estalactite e de uma estalagmite. Gruta de Alvados, Fátima
    • Na água que flui sobre o chão da gruta pode ainda haver precipitação, formando camadas sobrepostas de calcite, que originam um calcário de precipitação chamado travertino. Gruta de Santo António
    • Os travertinos podem também formar-se em terrenos alagadiços, envolventes dos maciços calcários, ficando por vezes com marcas de seres vivos como p.ex. as plantas.
    • Resultam da precipitação de sais dissolvidos, devido à evaporação da água que os contém em solução. Ocorre em águas marinhas retidas em lagunas e em lagos salgados existentes em regiões áridas. Salinas de Rio Maior
    • SALGEMA – forma-se por precipitação de sais de cloreto de sódio (NaCl ), com formação do mineral halite. Salgema
    • Formação de um doma salino O sal-gema é pouco denso e muito plástico. Na natureza, os depósitos profundos de sal-gema, quando sob pressão, podem ascender através de zonas frágeis da crusta, formando grandes massas de sal, chamadas domas salinos ou diapiros.
    • GESSO – forma-se por precipitação de sais de sulfato de cálcio ( CaSO4 ), com formação do mineral gesso. Nota: os termos sal-gema e gesso utilizam-se para designar quer o mineral, quer a rocha – é a dimensão das ocorrências que as classifica em agregado mineral ou afloramento rochoso. Gesso Exploração de gesso em Araripe, sertão de Pernambuco, Brasil
    • 8 de Fevereiro de 2001 foram descobertos os maiores cristais naturais em 2 cavernas existentes numa mina de prata e zinco, localizado perto de Naica, Chihuahua, México. Os cristais são de selenite – uma variedade cristalina de gesso (diâmetro – entre 1 a 2 m e comprimento – até 15 m ). Gruta dos cristais gigantes, México
    • Precipitação de carbonato Precipitação de sais de de cálcio sulfato de cálcio CaCO3 CaSO4 Precipitação de sais de cloreto de sódio NaCl Diagénese Diagénese Diagénese GESSO CALCÁRIO SAL-GEMA
    • FIM