5- MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Muito elucidativo, educativo e de fácil compreensão devido à sua exposição clara e apelativa.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
26,704
On Slideshare
26,304
From Embeds
400
Number of Embeds
15

Actions

Shares
Downloads
923
Comments
1
Likes
6

Embeds 400

http://netciencias.blogspot.pt 249
http://ciencias9-sandranasci.blogspot.com 43
http://afonki.blogspot.pt 27
http://netciencias.blogspot.com.br 24
http://ciencias9-sandranasci.blogspot.pt 12
http://afonki.blogspot.com 12
http://www.slideshare.net 9
http://ciencias9-sandranasci.blogspot.com.br 8
http://www.ciencias9-sandranasci.blogspot.com 5
http://www.netciencias.blogspot.com.br 3
http://netciencias.blogspot.com 3
http://ciencias9-sandranasci.blogspot.mx 2
http://netciencias.blogspot.com.es 1
http://afonki.blogspot.com.br 1
http://afonki.blogspot.com.ar 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. AE MV 08/09 PROFª SANDRA NASCIMENTO
  • 2. Decidir ter um filho é uma opção do casal que vai influenciar a sua vida para sempre. Os pais são responsáveis pela sobrevivência e educação do filho nos primeiros anos de vida e são o seu modelo de afecto durante toda a vida.
  • 3. Os futuros pais podem e devem realizar o seu planeamento familiar, ou seja, decidir a altura própria para ter um filho, recorrendo a serviços médicos e a métodos contraceptivos (naturais ou artificiais) que permitem ao casal viver a sexualidade sem o receio de uma gravidez não desejada.
  • 4. • Nenhum contraceptivo é o ideal para todas as pessoas. Por este motivo, é importante encontrar aquele que seja melhor para cada indivíduo. • Escolher um método contraceptivo é uma decisão importante para as mulheres. Antes de tomar uma decisão, as mulheres necessitam de conhecer os factos sobre cada opção.
  • 5. NATURAIS MÉTODOS CONTRACEPTIVOS TECNOLÓGICOS (NÃO NATURAIS)
  • 6. M. CALENDÁRIO (OGINO-KNAUS) NATURAIS M. TEMPERATURA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS TECNOLÓGICOS M. MUCO (NÃO NATURAIS)
  • 7. Consiste em anotar durante mais ou menos um ano a duração dos ciclos menstruais da mulher. A contagem inicia-se no primeiro dia da menstruação até ao primeiro dia da menstruação seguinte. Uma vez feita esta contagem, subtrai-se ao ciclo mais curto uma constante de 18 dias e ao ciclo mais longo uma constante de 11 dias.
  • 8. A partir do momento em que estes resultados estão encontrados, o intervalo entre ambos indica o espaço de tempo no qual a mulher se encontra no período mais fértil. Se a mulher não deseja engravidar não deverá ter relações durante esse período. Exemplo: — Ciclo mais curto de 26 dias e o mais longo de 35. Então: 26 – 18 = 8 35 – 11 = 24 Entre o oitavo e o vigésimo quarto dia do seu ciclo, a mulher não deve ter relações sexuais.
  • 9. Vantagens Não apresenta efeitos físicos e não é definitivo. Desvantagens Muito falível, pois qualquer desequilíbrio biológico pode conduzir à alteração do dia da ovulação.
  • 10. Este método consiste na medição diária da temperatura basal do corpo da mulher. Deve ser medida na boca, no recto ou na vagina, ao acordar, sempre à mesma hora, em jejum e sem fazer esforço muscular. Nos dias entre a ovulação e a menstruação seguinte a temperatura sobe cerca de duas a cinco décimas de grau.
  • 11. Vantagens Não apresenta efeitos físicos e não é definitivo. Desvantagens Exige uma verificação sistemática, pois existem diversos factores, internos e externos, que podem influenciar a temperatura corporal.
  • 12. É feita através da observação diária do muco cervical, retirando-o da vagina com dois dedos, observando e registando a sua elasticidade ou, então, pela sensação de secura ou humidade. O muco cervical é uma substância gelatinosa produzida pelas glândulas do colo do útero (cérvix) que sofre alterações ao longo do ciclo.
  • 13. Se uma mulher quiser utilizar este método para contracepção deverá registar à noite as características do muco ao longo dos dias.
  • 14. Vantagens Não apresenta efeitos físicos e não é definitivo. Desvantagens Requer uma análise diária e sistemática, para que sejam perceptíveis as alterações que ocorrem no muco produzido.
  • 15. PÍLULA ADESIVO NATURAIS HORMONAIS MÉTODOS ANEL VAGINAL CONTRACEPTIVOS TECNOLÓGICOS BARREIRA (NÃO NATURAIS) IMPLANTE TRANSDÉRMICO CIRÚRGICOS
  • 16. Como actuam? Actuam, modificando a concentração de hormonas no sangue. Com a administração de doses baixas de hormonas, a hipófise deixa de produzir LH e FSH. A diminuição de hormonas (FSH e LH) vai reduzir a produção de progesterona e estrogénios, que não vai permitir o desenvolvimento normal do folículo. Logo, não se forma o ovocito, então não há fecundação.
  • 17. Existem vários tipos de pílulas, com diferentes concentrações de hormonas, que servem para evitar a ovulação. Na maioria dos casos, toma-se um comprimido diariamente durante 21 dias e suspende-se a toma durante 7 dias, durante os quais aparece a menstruação. A pílula tem uma eficácia de cerca de 100%, eficácia essa que diminui quando não é tomada correctamente ou se houver vómitos ou diarreias.
  • 18. Vantagens Elevada taxa de sucesso, regulariza os ciclos menstruais. Desvantagens Tem de ser tomada diariamente e não protege contra as infecções sexualmente transmissíveis. EFICÁCIA (Gravidezes em 100 mulheres/ano) : - Combinado: 0.1 a 1 - Progestativo: 0.5 a 1.5
  • 19. O contraceptivo transdérmico consiste num sistema adesivo de libertação diária de hormonas (estrogénios e progesteronas). Deve ser colocado no 1º dia do ciclo menstrual e trocado sempre no mesmo dia da semana em que foi aplicado a primeira vez, nas três semanas de uso. Na quarta semana deve ser feita a pausa. Neste período ocorre a menstruação.
  • 20. Vantagens Elevada taxa de sucesso, regulariza os ciclos menstruais e evita a toma diária de um comprimido. Desvantagens Não protege contra as infecções sexualmente transmissíveis.
  • 21. • Contraceptivo hormonal intravaginal de um mês de duração. • Composto de plástico transparente e flexível que liberta substâncias hormonais no organismo que inibem a ovulação • Sua composição hormonal altera o muco cervical tornando-o mais espesso, o que dificulta a passagem dos espermatozóides
  • 22. Vantagens Elevada taxa de sucesso, regulariza os ciclos menstruais, evita o esquecimento da toma do comprimido e pode ser retirado durante o acto sexual. Desvantagens Não protege contra as infecções sexualmente transmissíveis.
  • 23. • O implante sub-cutâneo é um método a base de hormonas artificiais, que não permite que a ovulação e desta forma não há gravidez. • É introduzido por um médico(a) sob a pele e vai libertando doses de hormonas diárias no organismo por vários anos.
  • 24. Vantagens Elevada taxa de sucesso, dura cerca de 3 anos e evita a toma diária de um comprimido. A menstruação voltará quando forem retirados os implantes Desvantagens Não protege contra as infecções sexualmente transmissíveis. EFICÁCIA (Gravidezes em 100 mulheres/ano): 0 a 0.07
  • 25. MASCULINO PRESERVATIVO NATURAIS HORMONAIS FEMININO MÉTODOS DIU CONTRACEPTIVOS TECNOLÓGICOS BARREIRA (NÃO NATURAIS) DIAFRAGMA CIRÚRGICOS ESPERMICIDA
  • 26. É um invólucro de borracha (geralmente látex), que envolve o pénis durante a relação sexual, com um acumulador que armazena o sémen. O preservativo deve ficar colocado no pénis de forma a que a ponta não fique com ar no seu interior.
  • 27. É constituído por um tubo de plástico (poliuterano) fino, com um anel em cada extremidade. Na sua correcta utilização, um dos anéis deve ser colocado no fundo da vagina, enquanto o outro deve ficar do lado de fora.
  • 28. Vantagens Impedem a fecundação e evitam o contágio das infecções sexualmente transmissíveis. Desvantagens Tem de ser colocados antes de existir contacto genital. EFICÁCIA (Gravidezes em 100 mulheres/ano): 5 a 10
  • 29. O DIU é uma pequena peça de plástico ou metal, normalmente em forma de T, coberta com cobre que é colocado na cavidade uterina, de forma a impedir a implantação do embrião no endométrio. Os DIU mais modernos duram de 5 a 10 anos no organismo da mulher, são colocados dentro do útero pelo médico e é necessário que a mulher faça controlo periódico.
  • 30. Vantagens É muito eficaz e pode durar entre 3 e 5 anos. Desvantagens Não protege contra as infecções sexualmente transmissíveis. Necessita de ser verificado por um médico pelo menos duas vezes por ano. Pode aumentar o fluxo e as dores durante o período menstrual. EFICÁCIA (Gravidezes em 100 mulheres/ano): 0.1 a 2 (a eficácia aumenta com os anos de utilização)
  • 31. O diafragma consiste numa cúpula de látex ou silicone, com bordas flexíveis, que recobre o colo do útero. O diafragma deve ser colocado, com as mãos, no fundo da vagina. Pode-lhe ser aplicado espermicida, de modo a aumentar a sua eficácia.
  • 32. Vantagens Diminui o risco de infecções Desvantagens Dificuldades na utilização. O latéx ou o espermicida utilizado como adjuvantes podem provocar reacções alérgicas. EFICÁCIA (Gravidezes em 100 mulheres/ano): 15
  • 33. Produto com Monoxinol-9 a 5%, que impede que os espermatozóides fecundem o ovócito, ao neutralizá-los. Deve ser aplicado na vagina um pouco antes da relação sexual. É um método pouco eficaz, pelo que não é recomendável quando usado isoladamente.
  • 34. Vantagens Pode aumentar a lubrificação vaginal (cremes e cones). Fácil utilização. Não requer supervisão clínica. Desvantagens Pode provocar reacções alérgicas ou irritativas, na mulher ou no homem. Baixa taxa de protecção. EFICÁCIA (Gravidezes em 100 mulheres/ano): 10 a 30 (quando utilizados isoladamente)
  • 35. NATURAIS HORMONAIS MÉTODOS CONTRACEPTIVOS TECNOLÓGICOS BARREIRA (NÃO NATURAIS) VASECTOMIA CIRÚRGICOS LAQUAÇÃO DE TROMPAS
  • 36. A Contracepção Cirúrgica ou Esterilização é o método de planeamento familiar escolhido pelos casais em que as mulheres têm mais de 30 anos. Quando se efectua a esterilização numa mulher, cerca de 2% engravidam nos 10 primeiros anos seguintes. O risco de gravidez é inferior a 1% se a esterilização for feita no homem.
  • 37. Trata-se de uma pequena cirurgia feita no homem, que corta e amarra os canais deferentes. Os espermatozóides continuam a produzidos porém são reabsorvidos pelo organismo. O homem não perde a erecção, nem a ejaculação e nem a capacidade sexual é afectada
  • 38. A esterilização feminina também se faz com a técnica cirúrgica da laparoscopia (introduz-se um tubo fino, chamado laparoscópio, por uma pequena incisão, até dentro do abdómen da mulher). A menstruação continua a ocorrer normalmente após a cirurgia.
  • 39. Vantagens Tem uma taxa de 100% de sucesso. Desvantagens Requer um procedimento cirúrgico por profissional treinado. Não protege contra as DST Podem surgir complicações pós-operatórias. Reverter o método é difícil e oneroso. EFICÁCIA (Gravidezes em 100 mulheres/ano): - Laqueação de trompas: 0.5 a 1.8 (depende do método utilizado). - Vasectomia: 0.15 gravidezes por 100 homens/ano.