Your SlideShare is downloading. ×
USABILIDADE DA WEB MÓVEL
USABILIDADE DA WEB MÓVEL
USABILIDADE DA WEB MÓVEL
USABILIDADE DA WEB MÓVEL
USABILIDADE DA WEB MÓVEL
USABILIDADE DA WEB MÓVEL
USABILIDADE DA WEB MÓVEL
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

USABILIDADE DA WEB MÓVEL

1,303

Published on

Published in: Technology
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
1,303
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
65
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Mestrado de Tecnologias e Metodologias de E-LearningUnidade Curricular Sistemas HipermédiaMESTRADO EM TECNOLOGIAS E METODOLOGIAS DE E-LEARNING 2011/2013 DISCIPLINA: SISTEMAS HIPERMÉDIA TEMA:USABILIDADE DA WEB MÓVELAluna: Sandra Margarida Moreira Novo, n.º 11177Introdução “Não é o que considera sobre o seu site que conta, mas sim o que os utilizadores pensam dele.” Jakob Nielsen por Seara (n.d.) Penso que esta frase define de forma completa e resumida, o que éusabilidade na web. Como nota introdutória, de referir a importância dedesenhar adequadamente projetos Web para os equipamentos móveis que seencontram em constante evolução, no mundo das novas tecnologias e dastelecomunicações. Apesar de existir para um projeto Web móvel outros conceitosassociados ao seu desenvolvimento, como o design gráfico, a acessibilidade, oconteúdo e ainda os custos do projeto, este trabalho cingir-se-á à usabilidade naWeb móvel. Em primeiro lugar, procuro definir um produto usável, depois quandoesse produto for um site quais as considerações adicionais a ter e por fim,demonstrar como é ou deve ser um site na web móvel em termos deusabilidade.Contextualização Nos dias de hoje, a Internet e todos os serviços em rede são fonte deinformação muitas das vezes imprescindíveis no nosso dia-a-dia, no trabalho, noentretenimento entre outras ocupações. Neste contexto, os equipamentos e os dispositivos móveis – ultraportáteis,tablets PC’s, smartphones, PDA’s (assistentes digitais pessoais), telemóveis –têm um lugar de destaque. A crescente utilização em massa destes dispositivose a proliferação de serviços móveis, através de múltiplos tipos de ligaçõeswireless locais (Bluetooth e 802.11 b/g/n) e rede (GPRS, EDGE, HSDPA) são umarealidade. Desde a visualização de vídeos de alta definição, ouvir música, ler anoticias do dia, jogar em rede são atividades que vão sendo cada vez maishabituais e que pressupões uma utilização distinta de num computador. Emambientes mobile, existem diferentes formatos multimédia e diferentesmétodos de interação com o utilizador proporcionado pelas múltiplasplataformas ou sistemas operativos existentes no mercado (Android, Symbian, 1
  • 2. Mestrado de Tecnologias e Metodologias de E-LearningUnidade Curricular Sistemas HipermédiaWindows Mobile. O fator hardware também influência: existem dispositivosmóveis com ecrã reduzidos (telemóveis) e outros com ecrãs até 10 polegadas(tablet PC’s e ultraportáteis) É necessário criar ambientes que facilitam a utilização dos dispositivosmóveis: fator usabilidade.O que é USABILIDADE? A conceção de um qualquer produto, seja ele, físico ou virtual, desde umacolher de pau a um software específico, pressupõe a sua utilidade. Mas saber oque fazer com ele não chega; se não for usável deixa de ter sentido a suaexistência. Por isso, o conceito de usabilidade gira à volta de outros termoscomo a simplicidade, a rentabilização, a otimização, o facilitismo, oaperfeiçoamento, a aceleração, a flexibilidade e de maior interação (Seara, n.d.). Segundo a norma ISO 92411, na extensão 11 existe uma orientação para aavaliação da usabilidade, na qual um produto ao ser utilizado por determinadosutilizadores deve alcançar objetivos específicos com eficácia, eficiência esatisfação num contexto particular de utilização (Bevan, 2006). O contexto, o conteúdo e o(s) público(s)-alvo de um projeto sãodeterminantes para uma experiência efetiva do utilizador. Segundo Peter Morville (2004), no seu modelo de User eXperience (UX), paraque um projeto tenha sucesso tem de interligar e cumprir as seguintes facetas,conforme figura abaixo. Figura 1 – adaptação do modelo de UX proposto por Peter Morville (2004) A construção do conteúdo deve refletir necessidades reais de seusutilizadores. Procura-se o equilíbrio entre a estratégia do site e a sua utilidadepara o público-alvo. O design gráfico cativa, reflete os valores e os requisitos doprojeto, e cria um ambiente de interação flexível e seguro. A acessibilidade é1 ISO 9241 é uma norma ou padrão da International Organization for Standardization (ISO), que abrangea ergonomia da interação humano-computador 2
  • 3. Mestrado de Tecnologias e Metodologias de E-LearningUnidade Curricular Sistemas Hipermédiauma exigência com legislação e referências específicas, sendo um elementoestratégico do projeto. Existem um conjunto de regras básicas para usabilidade em rede que seaplica também à Web (Seara, n.d.): • Clareza na arquitetura da informação – estrutura e organização dos dados; • Facilidade de navegação ; • Simplicidade da interface; • A importância do conteúdo; • Coerência da informação; • Rapidez de acesso e de carregamento das páginas; • Atenção nos utilizadores. Outra questão, é a avaliação da usabilidade que é definida por Nielsen (2003)de onde consta cinco elementos: • Learnability, ou seja, capacidade de aprender que diz respeito à facilidade que o utilizador tem na realização de tarefas básicas na primeira vez que utiliza o design do projeto; • Efficiency, ou seja, eficiência que se concerne à seguinte questão: uma vez que os utilizadores aprenderam o design, com que rapidez conseguem eles executar tarefas? • Memorability, ou seja, memorização, que indica a capacidade que os utilizadores, após período prolongado de não utilização, conseguem novamente utilizar facilmente o projeto; • Errors, ou seja, determina que erros o utilizador faz, quantos, de que tipo, quão graves são estes erros, e como podem eles facilmente ser recuperados; • Satisfaction, ou seja, satisfação que indica o grau de agradabilidade que o utilizador tem ao usar o design.Usabilidade na web A usabilidade na web preocupa-se sobretudo com as interfaces e comoestas devem ser desenvolvidas. Existem metodologias e padrões que devem serrespeitados e utilizados para garantir a eficiência e a eficácia na utilização dosite. Deve ainda facilitar o acesso à informação e às funcionalidades, tendocomo objetivo único a satisfação do utilizador. “Um site tem, numa perspectiva optimista, entre 10 a 15 segundos para convencer, por isso todos os elementos da página precisam de ser avaliados, pesados, medidos em termos de impacto.”(Seara, n.d.) 3
  • 4. Mestrado de Tecnologias e Metodologias de E-LearningUnidade Curricular Sistemas HipermédiaUsabilidade na web móvel Para além das recomendações de usabilidade tradicional, outros conceitosde usabilidade se aplicam especificamente à interface da web móvel, tendoprincipal a ver com a forma como os utilizadores interagem com os dispositivosmóveis (Pagani, 2011): • Reduzir cliques – reduzir o números de cliques em hiperligações e visualizar num só ecrã toda a informação necessária. Deverá deixar o conteúdo mais conciso, pois é importante para que a informação possa ser apresentada de modo objetivo e o menos fragmentada possível. • Reduzir funcionalidades - mantendo apenas as que são necessárias ao ambiente mobile, diminuindo a probabilidade dos utilizadores se confundirem diante de todas as possibilidades e opções oferecidas. • Reduzir conteúdo – atendendo ao reduzido tamanho dos ecrãs, o conteúdo deverá cingir-se ao essencial para o utilizador para que este não tenha de fazer muito scrool. • Proporcionar opções de escolhas ao utilizador – este poderá escolher entre aceder a um site em versão mobile ou versão integral do site (convencional) Segundo a W3C 2, existem dez regras básicas para fazer a Web móvelaceitável e usável para o utilizador. Estas são:1. Fazer um projeto para uma Web única - Deverá existir coerência entre a URL e o tema do site; este deverá mostrar as mesmas informações essenciais ao utilizador, independente do dispositivo usado; aproveitar as capacidades que os recursos dos dispositivos móveis podem proporcionar ao utilizador uma experiência de navegação mais rica, evitando problemas na implementação. Para evitá-los, teste o site em dispositivos móveis e emuladores.2. Confiar nos padrões Web - Crie documentos que sejam válidos conforme a sintaxe formal amplamente conhecida - marcadores; envie o conteúdo num formato que seja compatível com o dispositivo e sempre que possível, o desejado pelo utilizador. A codificação de caracteres tem de ser compatível com o dispositivo e devidamente identificado; utilizar folhas de estilo para controlar o layout sempre que o dispositivo não aceite; utilizar as facilidades da linguagem de marcação para definir a estrutura lógica do documento. Evite os erros, mas garanta que as mensagens de erro sejam informativas e permitam regressar ao conteúdo anterior.3. Evitar os riscos conhecidos - Um desenho de um site, que seja bem delineado e planeado auxilia na redução de problemas de usabilidade causados por ecrãs e teclados pequenos ou outras características dos dispositivos móveis, nomeadamente2 W3C - World Wide Web Consortium 4
  • 5. Mestrado de Tecnologias e Metodologias de E-LearningUnidade Curricular Sistemas Hipermédia a não ou reduzida e cuidada utilização dos seguintes elementos: frames, tabelas aninhadas, janelas pop-ups, layout com tabelas, imagens de espaço, imagens mapeadas.4. Seja prudente com as limitações dos dispositivos - Na escolha de uma tecnologia Web em particular (scripts, tabelas, cookies), tem de se ter em conta a variação das características e capacidades distintas dos dispositivos móveis de modo a suportá-la.5. Aperfeiçoe a navegação - A simplificação da navegação e do uso do teclado são fatores essenciais quando se utilizam ecrãs e teclados pequenos e se tem uma largura de banda limitada: centralizar a barra de navegação na parte superior da página e a reduza ao mínimo e utilize formas de navegação consistentes; deve-se identificar o destino de cada hiperligação com clareza, bem como o formato do ficheiro de destino; associar teclas de acesso rápido às hiperligações nos menus de navegação e nas funções mais utilizadas; manter as URIs curtas.6. Teste antes os gráficos e cores - Atenção aos problemas de compatibilidade com alguns formatos de imagens e ao baixo contraste das cores e do estilo (colocar referências nas imagens, redimensioná-las).7. Faça em tamanho reduzido - A redução do tamanho do site resultará em economia de tempo e redução de custos para os utilizadores: utilize folhas de estilo e tamanho reduzido de páginas web .8. Economize o uso da rede - Utilize as funções dos protocolos Web podem melhorar a experiência do utilizador ao reduzir os espaços e tempo de espera na rede, com utilização da cache e redução de hiperligações externas.9. Facilite a entrada dos dados - Nos dispositivos móveis, a utilização dos teclados e outras maneiras de entrar com dados devem ser reduzidos pois podem ser desconfortáveis para o utilizador, minimiza as suas dificuldades.10. Pense nos utilizadores da Web móvel - Os utilizadores necessitam de informação resumida porque dispõem de pouco tempo e ao mesmo tempo se ocupam de muitas outras coisas. Figura 2 – Bons exemplos de design de layout e usabilidade retirada de http://hectaredigital.com /blog/wp- content/uploads/2010/05 /3.png 5
  • 6. Mestrado de Tecnologias e Metodologias de E-LearningUnidade Curricular Sistemas Hipermédia No entanto, existem problemas de usabilidade na web móvel provenientesda utilização de aplicações/projetos web em dispositivos móveis, como oreduzido visor do dispositivo; os mecanismos de entrada de dados limitados(formulários de dados; login e palavras-passe); e contextos de uso elementosdinâmicos (flash, scripts). Não esquecer das características dos equipamentos móveis – processador ememória - que influenciam a performance e a usabilidade dos aplicativosmobile, bem como a utilização de ecrãs multitoque que podem ser umelemento vantajoso (ou não, no caso de utilizadores menos experientes), ossistemas operativos (Windows Mobile, Symbian, Android, iOS, etc.) em termosde compatibilidade com elementos dinâmicos que eventualmente possamexistir (como elemento obrigatório). Os browsers também devem ser capazes de interpretar a linguagem, asintaxe da programação para a web móvel. Os browsers mais conhecidos eutilizados nestes ambientes são: Opera, Chrome, Firefox para Android entreoutros.Avaliação da usabilidade da web móvel Em projetos web, existem várias metodologias para avaliar a usabilidade eonde se procura conhecer os comportamentos dos utilizadores e obterinformações demográficas e identificar boas práticas demonstradas.Questionários e entrevistas de grupo (focus group) são os principais elementospara a avaliação da usabilidade de um site, já um site convencional ou na webmóvel (Krug, 2006).Conclusão É notório a capacidade que os humanos têm em adaptarem-se a novassituações. A utilização da Internet nos PDA’s, smarphones é crescente, e não seaplicam apenas a contextos profissionais e de entretimento; o setor educação éuma área que já esta a apostar em ensino à distância com recurso a dispositivosmobile – m-learning. É mais uma razão para os investigadores de usabilidade naweb móvel, investirem na divulgação e promulgação de normas de usabilidadee acessibilidade da Web móvel.ReferênciasBevan, N. (2006). International standards for HCI. Encyclopedia of human computer interaction, (May), 1-15. Retirado de http://books.google.com/books?hl=en&lr=&id=h9iZh_I1YREC&oi=f nd&pg=PA362&dq=International+Standards+for+HCI&ots=k84e1D dt86&sig=lyHBAn4yoMEqOuCvFd2L25GSGZg 6
  • 7. Mestrado de Tecnologias e Metodologias de E-LearningUnidade Curricular Sistemas HipermédiaForgue, M.C. (2008). Boas praticas em web móvel. W3C. Retirado a 19 de dezembro de 2011 http://www.w3c.br/divulgacao/guia-boas-praticas2008/Krug, S. (2006). Don’t Make Me Think! A common sense approach to web usability (Second edition). Berkeley, California: New Riders. Retirado de http://scholar.google.com/scholar?hl=en&btnG=Search&q=intitle:Don’t+Make+M e+Think:+a+common+sense+approach+to+web+usability#6Morville, P. (2004). User Experience Design. Semantic Studios. Retirado a 20 de dezembro, 2011, de http://semanticstudios.com/publications/semantics/000029.phpNielsen, J. (2003). Usability 101: Introduction to usability. Jakob Nielsen’s Alertbox,. Retirado a 19 de dezembro de 2011 em http://www.useit.com/alertbox/20030825.html.Pagani, T. (2011). Usabilidade de interfaces para dispositivos móveis – parte I. Tableless. Retrieved from http://tableless.com.br/usabilidade-de-interfaces-para- dispositivos-moveis-parte1/Seara. (n.d.). Usabilidade e comunicação na internet. Retirado a 20 de dezembro, 2011, em http://www.seara.com/fotos/editor2/Usabilidade.pdf 7

×