8. Educação Inclusiva 22.11.2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

8. Educação Inclusiva 22.11.2010

on

  • 2,083 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,083
Views on SlideShare
2,081
Embed Views
2

Actions

Likes
2
Downloads
56
Comments
0

1 Embed 2

http://cmearaucaria.blogspot.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

8. Educação Inclusiva 22.11.2010 8. Educação Inclusiva 22.11.2010 Presentation Transcript

  • "Talvez não tenhamos conseguidofazer o melhor, mas lutamos para queo melhor fosse feito.Não somos o que queremos ser, não somos o que iremos ser, mas, graças a Deus, não somos o que éramos!" Martin Luther King
  • FORTALECIMENTO DA RELAÇÃO ENTRECONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E SEGMENTOS QUE O COMPOEM 22/11/2010 16ª Reunião
  • PAUTA1. Encaminhamentos sobre os apontamentos da Reunião de Segmentos do dia 18/10/2010;2. Educação Inclusiva, com a Assessora Pedagógica Maria Isabel Buccio;3. Repasses Gerais.
  • Comissão de Educação Inclusiva No dia 09/06/2010, as Comissões de Ens.Fundamental Ed. Infantil e Ed. Especial reuniram-separa iniciar os estudos da Ed. Inclusiva. Nesta datacontamos com a presença da Diretora doDepartamento de Ed. Especial Lilian Machado eintegrantes de sua equipe: Maria Isabel Bucio, CarlaRazini, Rosicléia Siqueira Castro e também JucimaraLima. A Pedagoga Maria Isabel fez umaapresentação sobre o contexto histórico da Ed.Especial e sua fundamentação legal. Neste encontroos Conselheiros puderam esclarecer as dúvidas e foidado o início dos estudos para a reformulação daResolução CME/Araucária 03/2008, referente àsnormas para Ed. Especial.
  • No dia 16/06/2010 as comissões reuniram-se e contamos com a presença dos membros da Equipe de Ensino: Lilian Machado, Angela Maria Busquete, Maria Isabel Buccio, Carla Razini e Jucimara Lima. Neste encontro foram exploradas a Resolução CNE 04/2009 e as Notas Técnicas 092010 e 112010. Nos meses de julho e agosto de 2010, ascomissões reuniram-se para a leitura da ResoluçãoCME/Araucária 03/2008, fazendo os apontamentos iniciais.
  • No mês de setembro de 2010, foi instituída aComissão de Educação Inclusiva, que teve seu 1ºEncontro em 28/09. Contamos com a presença daPedagoga Maria Izabel Buccio, ainda nesse mês osConselheiros participaram do I Seminário Municipalde Educação Inclusiva, realizado pela SecretariaMunicipal de Educação, A Comissão de Ed.Inclusiva reuniu-se mais 03 vezes, onde iniciou areescrita da Resolução e no dia 11/11 acoordenadora da área de TGD. Marília de Fátima C.Ribeiro fez uma palestra sobre o Transtorno Globalde Desenvolvimento. A Comissão continua a escrita da Resolução,visando garantir as adaptações necessárias a nossarealidade.
  • Educação Inclusiva Palestra com aAssessora Pedagógica Maria Isabel Buccio
  • Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva A criança cujo desenvolvimento se complicou por uma deficiência não é sensivelmente menos desenvolvida que as normais , é uma criança com outro desenvolvimento. Vigotski - 1924
  •  Princípios todos os alunos com ou sem A escolarização de necessidades educacionais especiais, realiza-se em classes comuns do ensino regular; Reconhece que cada criança aprende e se desenvolve de modo diferente; Prevê a formação docente ; Garante a acessibilidade dos espaços educacionais Direitos dos alunos quanto as suas necessidades educacionais especiais sejam respeitadas – Equidade;
  • Política de Inclusão Educacional Objetivo Tornar a escola um espaço democrático que acolha e garanta o acesso ,a permanência e o desenvolvimento de todos os alunos sem distinção social, cultural, étnica , de gênero ou em razão de deficiência e características pessoais Cabe ao poder publico assegurar as pessoas com deficiência o acesso a um sistema educacional inclusivo em todos os níveis
  • Níveis e etapas
  • Política proposta pelo MEC -SEESP Implantação de salas multifuncionais e centros de atendimento especializados Adequação de prédios escolares para acessibilidade Formação continuada – Educação Inclusiva Direito a diversidade
  • Bases legais (Previsão Legal que propõe e determina a inclusãodas pessoas com necessidades educativas especiais)  Constituição Federal de 1988 (não tem capitulo próprio)  Art. 208 (atendimento educacional especializado preferencialmente na rede regular de ensino)  Art. 227 (programa de prevenção,acessibilidade)  Lei n.º 7.853 / 89 (define como crime recusar sem motivo justo)  A Educação Especial na escola pública  Oferta obrigatória e gratuita da Educação Especial em estabelecimento públicos de ensino  Pena de reclusão de um a 4 anos para recusa de alunos especiais nas escolas públicas e particulares  Decreto n.º 3.298 / 99 (regulamenta a lei, define atendimento especializado)
  •  LDB 9394/96 – capitulo próprio (responsabilidade do poder publico/ apoio especializado e matricula preferencial na rede regular de ensino). Política nacional de educação especial – 2005 Inicio da escrita Edital de salas Multifuncional – 2007 Edital de formação dos professores do AEE Decreto 6571/08 Vai dar as novas regras sobre o que é o atendimento educacional especializado Resolução 04 /09 (regulamenta o decreto ) Nota Técnica – SEESP – 09 de abril – orienta a organização do Centro do AEE) Nota técnica – SEESP – 10 de maio – orienta a organização das salas Multifuncionais Marco teórico
  •  Qual o papel da educação especial ? Qual é o educando atendido? Qual a estrutura das salas do AEE? Salas multifuncionais Centros de Atendimento
  • Resolução – 04/2009 Sistemas de ensino devem matricular os alunos com deficiência , TGD, e altas habilidades / superdotação nas classes comuns do ensino regular e no atendimento educacional especializado, ofertado em salas multifuncionais ou em Centros de Atendimento Educacional Especializado na rede pública
  • AEE – Atendimento Educacional Especializado Caráter complementar ou suplementarPúblico Alvo Alunos com deficiência: impedimentos de longo prazo: física, intelectual/mental ou sensorial; Alunos com TGD – autismo clássico, síndrome de Asperger, Rett, psicoses,e transtorno invasivo sem outra especificação (características autisticas) Alunos com altas habilidades e superdotação
  • Decreto 6571/2008 Vai definir o que é atendimento educacional especializado , com caráter complementar ou suplementar Estabelece novas regras de financiamento do FUNDEB (11.494/07) os alunos serão contabilizados duplamente Define o alunado atendido nas salas multifuncionais – alunos com deficiência,transtornos globais de desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação . Proposta pedagógica
  • FUNDEB 11.494/2007 Alunos contabilizados duplamente Condicionado a matricula no ensino regular da rede publica, conforme registro no censo Escolar do ano anterior
  •  Projeto pedagógico Sala multifuncional :Espaço físico, mobiliário , materiais didáticos, recursos pedagógicos e de acessibilidade e equipamentos específicos Cronograma de atendimento Plano do AEE- identificação das necessidades educacionais especificas dos alunos, definição dos recursos necessários e das atividades a serem desenvolvidas Professores para o exercício Outros profissionais da educação : tradutor interprete ,guia interprete e outros que atuam no apoio ,alimentação , higiene e locomoção
  • EDUCAÇAO ESPECIAL SERVIÇOS APOIOS APOIO Á ESPECIALIZADOS ESPECIALIZADOS INCLUSÃOESCOLAS SALA DE E.IESPECIAIS CENTROS SEAIT E.F RECURSOS Classe E.M especial JOELMA TGD CAE-S AGRÍCOLA CAE-AV APAE
  • Educação Inclusiva – MEC ( 6571/08) Salas Multifuncionais Sala tipo I •Sala tipo IIDeficiência física Deficiência sensoria- visuall PC, mielo... Deficiência mental/ Intelectual Alunos de classe especial Deficiência sensorial -auditiva Alunos de escola especial em Idade escolar TGD ( Autismo,Rett, Aspeger...) Altas habilidades/ Superdotação
  • 03 Monitor de 32” LCD Fones de ouvido e Microfones Salas multifuncionaisMicrocomputador com gravador de CD, leitor de DVD e terminal0204 Scanner05 Impressora laser06 Teclado com colméia07 Mouse com entrada para acionador08 Acionador de pressão09 Bandinha Rítmica10 Dominó11 Material Dourado12 Esquema Corporal13 Memória de Numerais14 Tapete quebra-cabeça15 Software para comunicação alternativa16 Sacolão Criativo17 Quebra cabeças sobrepostos (seqüência lógica)18 Dominó de animais em Língua de Sinais19 Memória de antônimos em Língua de Sinais20 Conjunto de lupas manuais (aumento 3x, 4x e 6x)21 Dominó com Textura22 Plano Inclinado – Estante para Leitura23 Mesa redonda24 Cadeiras para computador25 Cadeiras para mesa redonda26 Armário de aço27 Mesa para computador28 Mesa para impressora
  •  Quais as Políticas Publicas que deveríamos propor frente ao que a educação inclusiva aponta?
  • FATORES FUNDAMENTAIS PARA O SUCESSO DA PROPOSTA Ampliação do número de Salas de Recursos Multifuncionais – Professores de apoio no ensino regular Oferta de transporte Contratação de instrutores e intérpretes de LIBRAS Curso de LIBRAS e braille para professores Formação para toda a comunidade escolar que tem sala multifuncional Curso de LIBRAS para familiares Formação continuada de professores da rede publica de ensino – 710 (2010) Seminário de Políticas Publicas Prevenção ( Olhar Araucária) Critérios para os professores assumirem o AEE no ano de 2011
  • Política de educação Inclusiva no Município de Araucária Grupo de estudo – interno na SMED Proposta de encerramento da avaliação para as Classes Especiais Criação de um centro de referencia de apoio para as pessoas com necessidades especiais Centro de TGD (autismo) Sala multifuncional para DF Centros de Atendimento DA/DV Promoção e permanência do aluno com necessidade especial para a educação básica – Professor de apoio (TGD) Preenchimento do censo escolar de 2010
  •  Investimento de recursos em Tecnologias Assistivas Fortalecimento das Classes Hospitalares Encaminhamento para a EJA diurno Encontro com responsáveis Política transversal e intersetorial (saúde,ação social...) APAE – Escola de Educação Básica (PISMUT)
  •  Formação dos professores da Educação Básica Formação dos professores que atendem no Atendimento Educacional Especializado Município Pólo Rede de apoio á inclusão de alunos com deficiência e TGD do município de Araucária Programa escola acessível Professor de apoio Redução de numero de alunos – CME Implantação das salas multifuncionais Cessação das salas multifuncionais
  • III - OBJETIVOS: Tratar a educação inclusiva sob a ótica dos direitos das pessoas com deficiência, garantindo o acesso à educação como direito inalienável; Assegurar as pessoas com deficiência o acesso a um sistema educacional inclusivo em todos os níveis; Apoiar propostas desenvolvidas nas escolas da rede regular de ensino para a superação de práticas excludentes; Fomentar o desenvolvimento e a aquisição de recursos didáticos e pedagógicos que favoreçam o processo ensino – aprendizagem; Estabelecer diretrizes e linhas de ações para a eliminação de barreiras físicas pedagógicas e de comunicação; Propor a transversalidade da educação inclusiva, estimulando o desenvolvimento das ações nos mais diversos setores (educação, transporte, saúde, comunicação, cultura, segurança e justiça,esporte e lazer dentre outros);
  • OBJETIVOS ESPECIFICOS: Propor formação de professores para a educação básica sobre a inclusão das pessoas com necessidades especiais no ensino fundamental, curso de AEE; Propor formação de professores que atuarão nos atendimentos educacionais especializados; Solicitar junto ao MEC o estabelecimento de um município pólo em Araucária para a formação dos professores que atendem em salas multifuncionais ou em centros de atendimento especializado. Instituir uma rede de apoio ao processo de inclusão (mediação e acompanhamento nas escolas na rede regular) especializado para dar suporte ao processo inclusivo na rede regular de ensino. Ingressar o município no programa Escola Acessível 2011- FNDE, garantindo verbas diretas para as escolas tornando os espaços escolares mais acessíveis; Garantir um professor de apoio nas turmas onde estarão os alunos com deficiência que necessitem; Garantir a redução de alunos matriculados nas series onde terão alunos inclusos conforme prevê conselho municipal de educação; Implantar 15 salas multifuncionais no município de Araucária 10. Cessação de classes especiais. 11. Permanência de 8 (oito) classes especiais em caráter transitório , afim de atender alunos com deficiência intelectual .
  • CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Sede:Rua São Vicente de Paulo, 670 – Centro – Araucária/PR Telefone: (41) 3901-5079 E-mail: cme@araucaria.pr.gov.br cme.araucaria@gmail.com