Consumo das famílias dá sinais de             desaceleração em 2011 Dos sete componentes avaliados apenas um não sofreu ba...
Para a CNC, o efeito sazonal de fim de ano explica as oscilações entre um mês e outrona intenção de consumo dos brasileiro...
Por outro lado, a perspectiva profissional para os próximos seis meses não é uma dasmelhores. De acordo com a pesquisa, ao...
consideram igual ao ano passado. Há um ano, quando questionados sobre esse item,62,4% achavam sua renda melhor, 14,1% cons...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Consumo Familiar - Tocantins

512 views

Published on

Consumo das famílias no Tocantins dá sinais de desaceleração em 2011. Estudo da Fecomércio - Tocantins.

Published in: Economy & Finance
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
512
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Consumo Familiar - Tocantins

  1. 1. Consumo das famílias dá sinais de desaceleração em 2011 Dos sete componentes avaliados apenas um não sofreu baixa. O item Momento para Duráveis subiu 11,5 pontos em comparação ao mês anterior.O entusiasmo das famílias em consumir diminuiu e os sinais de desaceleração jápodem ser visto no início deste ano. De acordo com a pesquisa ICF (Intenção deConsumo das Famílias) realizada pela Fecomércio Tocantins e CNC (ConfederaçãoNacional do Comércio) a intenção de consumo dos palmenses caiu 5,3% em relação adezembro.Este mês o índice alcançou 132,7 pontos, uma queda de 10,5 pontos percentuais emrelação ao mesmo período do ano passado. A queda foi mais acentuada entre asfamílias com renda acima 10 salários mínimos.A maior parte dos itens avaliados apresentou recuo de dezembro para janeiro. É o casode Perspectiva Profissional (instabilidade) e Acesso ao Crédito (maior queda). Os doistiveram pontuação menor que 100. O índice, calculado a partir de entrevistas commais de 500 famílias palmenses, vai de zero a 200 pontos. Resultados abaixo de 100pontos são considerados pessimistas e desempenhos acima deste nível são otimistas.Os outros cinco componentes do índice também tiveram queda neste período:Emprego Atual (-0,4%), Perspectiva Profissional (-13,3%), Renda Atual (-4,3%),Consumo Atual (-9,5%) e Perspectiva de Consumo (- 6,0%).
  2. 2. Para a CNC, o efeito sazonal de fim de ano explica as oscilações entre um mês e outrona intenção de consumo dos brasileiros. Em relação ao Acesso ao Crédito, o Tocantinsnão é o único estado a sofrer baixa. De acordo com informações do Portal doConsumidor, o Banco do Brasil anunciou que diminuiu de 25% pra 22% sua previsãopara crescimento do crédito do consumidor, ao longo de 2011.O presidente em exercício da Fecomércio Tocantins, Anselmo da Silva Moraes, explicaque uma das razões para a baixa na intenção de consumo é o reflexo do ambiente deaumento das taxas de juros e a possível elevação do preço do crédito. De acordo comele, o crédito irá continuar, mas de maneira atenuada. "No início do ano há muitasdívidas e a intenção de consumir é naturalmente menor. Mas o tocantinense ainda écapaz de absorver crédito”, lembrou.Sobre empregoA pesquisa indicou ainda que, em relação a segurança do emprego, comparando com omesmo período do ano passado, as famílias palmenses estão mais tranquilas nesteinício de ano. Para 2011, 68,8% das famílias entrevistadas disseram se sentir maisseguras no emprego, enquanto em janeiro de 2010 era 54,4%.
  3. 3. Por outro lado, a perspectiva profissional para os próximos seis meses não é uma dasmelhores. De acordo com a pesquisa, ao ser questionado se acha que terá algumamelhoria nos próximos meses, o responsável pelo domicílio está menos otimista queno ano passado. Enquanto em 2010 o ponto positivo foi de 69% para 22,7% negativo,este início de ano, a perspectiva profissional negativa superou.Moraes explica que o Tocantins sofre neste momento a inconstância natural dequalquer estado que passa por mudanças. “2011 começou com nova fase no governofederal e também estadual, o que leva muitos se sentirem inseguros, mas não vejoesta situação como preocupante, até porque estamos apenas iniciando um ano e énatural a ansiedade”, ressalta.Prova disso é a situação da renda, que cresceu em comparação ao mesmo período doano passado. Este mês 68,8% dos palmenses entrevistados disseram que a renda estámelhor que em janeiro de 2010, enquanto apenas 4,6% acham pior e 26,4%
  4. 4. consideram igual ao ano passado. Há um ano, quando questionados sobre esse item,62,4% achavam sua renda melhor, 14,1% consideravam pior que ano anterior e 22,5%diziam que a renda se mantinha estável.Para Moraes, apesar da expectativa instável que novos governos trazem para asfamílias, é possível afirmar concretamente que a renda do tocantinense temmelhorado. “A insegurança pode existir, é natural, mas o fato é que não estamosvivendo momentos preocupantes, e sim otimistas, os dados mostram isso”, avalia opresidente em exercício. Ele lembra ainda que o comércio do Tocantins tem sedestacado no cenário otimista e certamente se manterá firme. “Aos poucos as coisasvão se adequando e as pessoas vão percebendo que as mudanças não devem interferirno desempenho do comércio e na intenção de consumo das famílias”, ressalta.Informações: Valéria Campelo – Fecomércio Tocantins – 63 3219-9128 / 84033720

×