Your SlideShare is downloading. ×
Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais de ti o caso gesiti esud
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais de ti o caso gesiti esud

933
views

Published on

Artigo de Laís Ribeiro apresentado no ESUD 2010 em Cuiabá

Artigo de Laís Ribeiro apresentado no ESUD 2010 em Cuiabá

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
933
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais de TI: o caso GESITI Laís Ribeiro Silveira¹, Ruy Ferreira2 1 Licencianda em Informática - UFMT 2. Prof. Dr. da Licenciatura em Informática - UFMT Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) - Rodovia Rondonópolis - Guiratinga (MT 270) Km 06 - Bairro Sagrada Família – Rondonópolis - MT- Brasil {Laís_ribeiro03@hotmail.com, prof_ruy@terra.com.br} Abstract. This work will study the process of meaningful learning through virtual learning communities. But specifically, in an asynchronous thread known as the technological center GESITI Renato Acher. Where the participants are professionals in the computing and technology. And the issues discussed on this list is related to systems management and information technology in organizations... Resumo. Neste trabalho estudar-se-á o processo de aprendizagem significativa através de comunidades virtuais de aprendizagem. Mas especificadamente, em uma lista de discussão assíncrona conhecida como GESITI do centro tecnológico Renato Acher. Onde seus participantes são profissionais da área da computação e tecnologia. E os assuntos discutidos nesta lista são relacionados a gestão de sistemas e tecnologias de informação em organizações.1. IntroduçãoAo construir o conhecimento e enquanto o sujeito o constrói, o mesmo está mudando aforma de ver o mundo, ver a si mesmo e se relacionar com ambos [Coll et al 2006]. Paraque isso aconteça o sujeito deve estar atento ao que lhe é repassado, selecionando,estabelecendo relações, conscientizando-se das mesmas e as avaliando de forma aaproveitar os resultados dessa experimentação para a construção do seu conhecimentosignificativo, podendo assim atribuir sentido para tudo isso. Ainda seguindo os mesmosautores, para se chegar a aprendizagem significativa deve-se estar atento a algunsaspectos como: os conteúdos, os conceitos, os fatos, os procedimentos, as normas, asexplicações, as atitudes e as experiências pessoais. De acordo com Nitzké e Franco [2002] um indivíduo em suas interaçõessociais, por meio de cooperações entre elas, aprimora a construção do seuconhecimento, favorecendo assim o aprendizado complexo, ou a pedagogia daAprendizagem Cooperativa. Existe uma semelhança entre os termos “aprendizagemcooperativa” e “aprendizagem colaborativa”. A definição de aprendizagem colaborativae/ou cooperativa é a situação na qual os indivíduos
  • 2. envolvidos cooperam organizadamente para atingir um objetivo comum [Nitzké eFranco 2002]. Segundo Primo [1997] a Internet apresenta um ambiente virtual propício paratrocas, interações e promoção da aprendizagem. O ambiente virtual proporcionado pelasdiversas tecnologias empregadas na edificação de sites de conteúdostambém podem ser utilizadas para a construção de comunidades virtuais. A abordagem de pesquisa deste trabalho será qualitativa, empregando-se atécnica de análise de discurso e conteúdo, que visa descrever alguma forma decomunicação objetiva e ordenada. Esta pesquisa se dará por meio dos conteúdosdas mensagens da lista de discussão do grupo GESITI e das compilações dessasdiscussões que são publicadas em formato de jornal, toda a vez que um assunto éfinalizado. Este trabalho objetiva estudar a aprendizagem significativa e colaborativa, apartir da colaboração e interação entre profissionais de Tecnologia da Informação (TI).2. Revisão de LiteraturaAprendizagem SignificativaNeste trabalho estudar-se-á o processo de aprendizagem seguindo o modeloconstrutivista e dentro dele a teoria da aprendizagem significativa. O processo de aprendizagem onde o individuo participa e divide suasexperiências e saberes com outros em diferentes meios sociais: como sua casa, escola eem vários objetos distintos, como por exemplo: Listas de discussão Assíncrona que é oobjeto de estudo deste trabalho. Fazendo com que o desenvolvimento na realidade sejamais complexo, já que esse pode mudar a estrutura do processo de aprendizagem[Baquero, 1998]. Segundo Pelizzari e colegas [2002] a aprendizagem significativa é aquela emque o aluno aprende com base nos seus conhecimentos prévios, se esta não faz relaçãocom esses dados já existentes de conhecimento e entendimento do aluno diz-se que elefez um aprendizado mecânico e logo o esquecerá. Diz-se que o aluno não é apenas ativo,mas sim interativo, pois interage com o meio e essa interação ajuda na construção daaprendizagem significativa, que esta relacionada com a realidade desse aluno [Ferreira2008]. A ligação organizada entre conceitos já existentes contidos no individuo,segundo a teoria ausubeliana, permite que ele assimile o conteúdo reorganizando seusconceitos antes existentes, com o que de novo foi absorvido [Ferreira 2008].Aprendizagem colaborativaAguçar, despertar a curiosidade do aluno, levando-o para a investigação, produção e anovas aprendizagens são conceitos da Aprendizagem Colaborativa. Ao escolher oevento ao se propor para o aluno, se deve levar em consideração alguns fatores: aintencionalidade, ou seja, os objetivos dessa tarefa; os recursos existentes ou quepossam ser providenciados, quais instrumentos disponíveis; e os fatores que possamdificultar a conclusão dessa tarefa [Valente et al 2003].
  • 3. A interatividade entre a “informação e a comunicação é uma característicapotencializadora” onde, o docente, ou quem realizar este papel, tem a possibilidade decriar situações para produção colaborativa de “conhecimentos, trocas intersubjetivas eaprendizagens individuais e grupais” [idem]. Volta a se falar no professor na visãoconstrutivista, com o papel de mediador, facilitador e criador de condições para essaaprendizagem cooperativa [Seito et al 2005].Comunidades Virtuais - Lista de DiscussãoDe acordo com Panis e Nogueira [2007] o termo Comunidade Virtual seria o conjuntode indivíduos utilizando a Internet promovendo discussões em um espaço de temporegular, demonstrando emoções em tempo suficiente para se formar relações pessoais.Já para Recuero [2001] Comunidades Virtuais seria conjunto de indivíduos reunidos naInternet provendo comunicação através de redes de computadores e/ou grupos desujeitos que mantém relações sociais através da Internet. Os computadores interligados facilitam a comunicação entre seus usuários, pormeio de listas de discussões, por exemplo, facilitando a troca de experiências entrepesquisadores, estudantes e curiosos. Nessas listas existe um endereço eletrônico,também conhecido como servidor, que manda cópias de emails dos usuários assinantesou membros interligados ao mesmo, ou seja, o que um escreve todos os outros recebem[Cox 2003]. Outro ponto que favorece a utilização dessas listas é o fato de quem as acessa opoder fazer em qualquer horário [Souza et al 2003]. Pode-se dizer também, que dentrodeste ambiente, quem o conduz são seus membros com base em seus objetivos einteresses. Podendo ser refletidos na metodologia desta lista de discussão [Souza et al2003].Da metodologiaTendo como exemplo o trabalho “Aprendizagem mediada por ferramentas de interação:análise do discurso de professores em um curso de formação continuada a distância”, deOliveira e colegas [2007], o corpus de nossa pesquisa é composto pelo tema:“Graduação em Sistema de Informação: Como será o futuro dos cursos?”, encontrada noJornal Rede GESITI, edição de setembro de 2008. A análise de conteúdo é um conjunto de técnicas de análise de mensagens deforma sistemática e objetiva do verdadeiro conteúdo da mensagem [Bardin, 1960]. Ospassos para o desenrolar da pesquisa seguindo Bardin são: uma leitura inicial dosdocumentos; a escolha dos documentos a serem estudados em detalhes; organização domaterial; referência e indicação dos documentos; pesquisa do material; tratamento dosresultados, inferência e interpretação. Em função do acima descrito anuncia-se a pergunta seguinte como problema dapesquisa: “Como se dá o processo de aprendizagem em lista de discussão formada porprofissionais de TI?”. E tentando responder provisoriamente o problema de pesquisaelaborou-se a seguinte hipótese de trabalho: “Os participantes de uma lista de discussãoformada por membros qualificados aprendem por colaboração”.Método
  • 4. O CTI Renato Archer, instituto de pesquisa do governo federal, ligado ao Ministério daCiência e Tecnologia, cuja finalidade é desenvolver estudos e pesquisas no campo da TI,situado em Campinas-SP, mantém uma linha de pesquisa denominada Gestão deSistemas e Tecnologias de Informações em Organizações (GESITI). Os pesquisadores envolvidos nessa linha criaram e mantém uma lista dediscussão ativa sobre o tema Tecnologia da Informação: sua gestão e sistemas. Ao fimde cada tema debatido a equipe de moderadores produz uma publicação eletrônicacompilando todo o debate ocorrido e os resultados alcançados pelo grupo, em formatode jornal. A presente investigação tem como fonte primária de dados os jornais da RedeGESITI, publicados pelo grupo. Para elaborar a descrição do processo, optou-se pelatécnica de pesquisa denominada “analise de conteúdo”, desenvolvida por Bardin [1960].O método adotado é o estudo de caso, conforme ensinado Yin [2001], com abordagemqualitativa.3.Conclusões e trabalhos futurosA pesquisa é parte do trabalho de conclusão de curso da pesquisadora. Entretanto, osdados iniciais coletados apontam que o trabalho colaborativo realizado entreprofissionais em uma lista de discussão é capaz de promover a aprendizagemsignificativa e colaborativa, tanto individualmente como coletivamente. O estudo daaprendizagem coletiva em rede social tende a tornar possível a aprendizagemsignificativa colaborativa, assim sugere-se maiores estudos a respeito.4.ReferênciasBAQUERO, Ricardo. Vygotsky e a aprendizagem escolar. 2ª reimpressão. PortoAlegre –RS, Editora Artmed, 1988.COLL, César et al. O construtivismo em sala de aula. 6º edição. São Paulo-SP:Editora Ática. 2006.COX, Kenia Kobel. Informática na Educação Escolar. Coleção Polêmicas do nossotempo, N. 87. Campinas –SP: Editora Autores Associados. 2003.FERREIRA, Ruy. Interatividade Educativa em meios Digitais: Uma visão pedagógica.Tese de Doutorado Universidade Estadual de Campinas. 2008. Disponível emhttp://www.scribd.com/doc/15957716/Interatividade-educativa-em-meios-digitais-uma-visao-pedagogica. Acesso em 12 de maio de 2010.NITZKÉ, Julio Alberto. FRANCO, Sergio Roberto Kleling. AprendizagemCooperativa: Utopia ou Possibilidade. Revista Informática na Educação: Teoria ePrática. V.05. Nº02. Porto Alegre- RS. Novembro de 2002. Disponível em:http://www6.ufrgs.br/seermigrando/ojs/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/viewFile/5269/3480 Acesso em 31 de agosto de 2009.OLIVEIRA, Eloiza da Silva Gomes. REGO, Marta Cardoso Lima C.. VILLARDI,Raquel Marques. Aprendizagem mediada por ferramentas de interação: análise dodiscurso de professores em um curso de formação continuada a distância. Educação eSociedade, Campinas-SP. V.28, n.101. set/dez 2007. Disponível em:
  • 5. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302007000400008&script=sci_arttextAcesso em: 23 de abril de 2010.PANIS, Catiane Mazocco; NOGUEIRA, Vanessa dos Santos. Comunidades Virtuaiscomo Tecnologia Educacional: O Exemplo dos Blogs. Província Marista do Rio Grandedo Sul. Escola Marista Santa Marta. Santa Maria, RS. Anais do V Simpósio deInformática da Região Centro de RS- SIRC/RS 2007. ISBN 978-85-88667-76-1. SantaMaria RS. Outubro de 2007. Disponível em:http://www.maristas.org.br/colegios/smarta/download/fixo/SIRC07-34029.pdf. Acessoem 25 de junho de 2009.PELIZZARI, Adriana. KRIEGL, Maria de Lurdes. BARON, Márcia Pirih. FINK, NelcyTeresinha Lubi. DOROCINSKI, Solange Inês. Teoria da Aprendizagem Significativasegundo Ausubel. Revista do Programa de Educação Corporativa (PEC). Curitiba,v.2, n.1, p.37-42, jul. 2001-jul. 2002. Disponível em:http://www.bomjesus.com.br/publicacoes/pdf/revista_PEC/teoria_da_aprendizagem.pdf.Acesso em 23/03/2010.PRIMO, Alex Fernando Teixeira. A emergência das comunidades virtuais. In: Intercom1997 - XX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 1997, Santos. AnaisSantos, 1997. Disponível em: http://www.pesquisando.atraves-da.net/comunidades_virtuais.pdf. Acesso em 12 de maio de 2010.RECUERO, Raquel da Cunha. Comunidades virtuais - Uma abordagem teórica. In: VSeminário Internacional de Comunicação, GT de Comunicação e Tecnologia dasMídias, Anais PUC/RS, 2001. Disponível em:http://pontomidia.com.br/raquel/teorica.htm. Acesso em 25 de junho de 2009.SEITO, Ana Paula. BECHARA, Fabiana. NUNES, Jaqueline. CARDOSO, Laura.MENEZES, Márcia Calçada Sylvia. Mediação Pedagógica em Comunidades Virtuais –Uma Estratégia de Disseminação do Conhecimento dentro de uma Organização. 4º TeleCongresso Internacional de Educação de Jovens e Adultos. Anais. 2005. Disponível em:http://telecongresso.sesi.org.br/4telecongresso/arquivos/expositor/112_Artigo_Praxis_200805.doc. Acesso em 29 de junho de 2009.SOUZA, Flávia Veloso de. GOMES, Alex Sandro. Análise da atividade assíncrona nainteração via lista de discussão: o estudo de caso em um curso de formação continuadade professores em regime semipresencial. In: XIV Simpósio Brasileiro de Informáticana Educação. Rio de Janeiro -RJ, Anais 2003. Disponível em www.br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/232/218. Acesso em 12 de maio de 2010.VALENTE, José Armando. PRADO, Maria Elisabete B. Britto. ALMEIDA, MariaElizabeth Bianconcini de. Educação a Distância Via Internet. 26ª edição. Campinas:Editora: Avercamp. 2003.YIN, Robert K. Estudo de Caso: Planejamento e métodos. 2ª Ed. Porto Alegre:Bookman, 2001.