Your SlideShare is downloading. ×
Relatorio   a importancia da geomoforlogia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Relatorio a importancia da geomoforlogia

227

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
227
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO – COLUN CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE DISCIPLINA: USO E COBERTURA DO SOLO PROF. ROGERIO MAFRA ROOSEVELT FERREIRA ABRANTES SÃO LUÍS 2013
  • 2. ROOSEVELT FERREIRA ABRANTESA Importância da Geomorfologia para Uso e Cobertura do Solo Trabalho apresentado à disciplina Uso e Cobertura de Solo, do Segundo modulo, ministrada pelo Prof. Rogério Mafra para obtenção de nota. SÃO LUÍS 2013
  • 3. Relatório – A Importância da Geomorfologia para Uso e Cobertura do Solo O Estado do Maranhão que fica localizada a noroeste da região nordeste possuirdivisas ao norte com o oceano atlântico, ao sul e sudoeste com estado do Tocantins, e aleste e sudeste com o Piauí, e a oeste com o Pará. A sua área territorial é deaproximadamente 331.935,507 km², seu relevo possui costa recortada, planície litorâneacom dunas e planaltos no interior, seu relevo apresenta duas regiões distintas, queincluem a planície litorânea e o planalto tabular. Geopoliticamente a sua capital é a cidade de São Luís que possui uma população,conforme contagem populacional realizada em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografiae Estatística (IBGE), de 1.014.837 habitantes. Nessa região estão presentes 217municípios que somados possuem 6.574.789 habitantes. Os habitantes desse estado sãochamados de maranhenses. A planície litorânea é formada por baixadas alagadiças, tabuleiros e extensaspraias. Destacam-se as grandes extensões de dunas e o litoral recortado em algunstrechos da costa, especialmente onde se formam as baías de São Marcos e São José. As demais regiões compõem-se de planaltos, que formam chapadas comescarpas, denominadas serras, os rios principais que recortam esta região são: os riostocantins, gurupi, grajaú, pindaré, mearim, parnaíba, turiaçu, itapecuru que banham emgrande parte todo o Estado do Maranhão e pertencem em sua maioria, à bacia do norte enordeste, que ocupa uma área de 981.661,6 km2, a vegetação de mata dos cocais a leste,mangues no litoral, floresta amazônica a oeste, cerrado ao sul na parte noroeste doestado, onde também situa-se a chamada amazônia maranhense, que se caracteriza pelavegetação de floresta e clima equatorial. Esta breve descrição geomorfológica e geopolítica do território do Estado doMaranhão nos possibilitar ter uma dimensão do caráter fisiológico desta região e de comoesta se divide, este caráter preliminar nos permitir principalmente ter o entendimentomorfogenético do seu relevo e de como este estar formado e quais características possuir,esta observação é importante para que seja ressaltado o quanto este sistema natural érico em diversidade e qualidade, e por isso deve ser protegido e preservado, garantindopara as presentes e futuras gerações o seu uso e manejo de forma planejada esustentável, e nos faça perceber também como os conhecimento da geomorfologia sãoimportantes para o uso e a ocupação de território, respeitando os caracteres morfológicosde cada região, sem comprometer e impactar o espaço natural atual. Os estudos de geomorfologia aplicada possuem endereçamento certo dentro dasciências que estudam a gênese e a evolução das formas de relevo sobre a superfície daTerra, onde estas formas são resultantes dos processos atuais e pretéritos ocorridos noslitotipos existentes, tais conhecimentos podem nos oferecer enormes ferramentas para usocorreto do relevo. Os processos ou fatores que definem esta evolução podem ser exógenos oumodeladores, tais como os observados nos climas antigos e atuais, na vegetação, nossolos, e nos fenômenos endógenos ou formadores de relevo, na formação tectônica e naprópria geologia. Neste tocante os estudos de geomorfologia são extremamenteimportantes para que entendamos a dinâmica destes sistemas naturais, bem como saberutilizar melhor o uso e a cobertura destes solos. Os processos geomorfológicos assim como as formas de relevo são muitoimportantes para o planejamento ambiental. Nas últimas décadas, a geomorfologia vemsendo utilizada em estudos que visam a idealização de projetos ambientais sociais esustentáveis, com característica diversificadas nestas áreas, permitindo o conhecimentosobre os diversos tipos e formas de relevo, assim como suas potencialidades efragilidades, principalmente no que se refere a maneira de como se usa e ocupa-se estessolos. 3
  • 4. Diante desta problemática ambiental, visa-se destacar a importância dageomorfologia no planejamento ambiental no processo de uso e ocupação do solo a partirdas formas de relevo existentes em cada área, propondo medidas mitigadorasprincipalmente no processo de instalação das cidades, áreas rurais, zonas agroindustriais,industriais e polos de captação de energia e combustíveis. O Estado do Maranhão acima citado e geomorfologicamente descrito, passa porum processo de degradação e impacto ambiental extremamente intensivo e modelador emseu relevo, principalmente os ocorridos nos últimos dez anos, com o advento daconstrução civil, agroindústria, polos industriais e zona energéticas sendo instaladas econstruídas sobre seu território, causando muitos efeitos impactantes na fisiologia daregião, tendo também como fundamentais atenuantes as formas de uso e ocupação dosolo relacionadas as atividades pós-industriais, pós-energetica e pós-agroindustrial, quedeixam marcas irreversíveis ao meio ambiente. Todas estas aplicações de capital financeiro não levaram em conta asustentabilidade e a proteção do ambiente natural, que até hoje são inseridos nesta regiãosem qualquer planejamento, controle ou mesmo estudos preliminares, ocorrendo de formadesordenada e sem cuidados preservacionistas, o homem ainda faz uso habitual depraticas rudimentar, como derrubada da floresta, aterramento de áreas fluviais,queimadas, dentre muitas outras atividades negativas que impactam o ambiente natural,além da expansão das cidades e pequenos centros urbanos, que tende a ocupar muitasáreas, a maioria de forma irregular. No que diz respeito ao uso e ocupação do solo, principalmente o urbano, umaabordagem metodológica e técnica tem sido utilizada considerando-se o conceito de riscogeomorfológico. Os processos geomorfológicos são vistos a partir de um conceito queconsidera a estabilidade da superfície terrestre. O risco se refere à probabilidade deocorrência de eventos naturais e sua intensidade em uma determinada área. As áreas quese apresentam maior possibilidade de processos naturais que podem afetar a populaçãosão os chamados morros ou encostas, ocupadas por grande parte da população brasileiranas grandes metrópoles como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Salvador e dentre muitasoutras áreas. Estas apresentam clima, condições naturais e ocupação desordenada queaumentam a probabilidade de riscos geomorfológicos. Grande parte dessas cidades nãofoi ocupada de forma organizada e que atendesse a um zoneamento integrado em que seleve em conta as características naturais e possibilidades de uso da terra. Muito embora opoder público faça documentos como o plano diretor do município, a aplicação da lei ficamesmo somente no papel. Os riscos geomorfológicos acontecem principalmente por dinâmicas de encostasrelacionadas aos processos erosivos, principalmente devido a retirada da coberturavegetal e por ocupação indevida dessas localidades. As chuvas e a força de gravidadeimpulsionam os processos erosivos, como deslizamentos, movimentos de massas, entreoutros. O que ocorre nas encostas acaba por produzir problemas em outras áreas quandohá o fluxo de águas correntes e sedimentos que inundam riachos e canais construídospara dar vazão ao fluxo de água. Isso gera entulhos de lixo e de sedimentos, como areia,argila e silte, provocando perdas e danos consideráveis aos cofres públicos e muitas vezescausando perdas de vidas humanas. A redução destes problemas poderia ser evitada se houvesse um planejamentoque considerasse os elementos físicos para o uso e ocupação do solo levando emconsideração as características do relevo local, sendo o planejamento ambiental o veiculode integração e previsão ambiental que visa a reordenação do uso do solo de maneira quea intervenção do homem tenha menor impacto sobre o ambiente, respeitando os limitesnaturais existentes. Neste enfoque, a Geomorfologia tem sido empregada nos mais diversos tipos deestudos. Hoje dada a importância dos estudos ambientais e da necessidade de serem 4
  • 5. feitos os EIAs/RIMAs (Estudos e Relatórios de Impactos Ambientais), ela como disciplinada superfície da Terra se torna das mais importantes no planejamento ambiental. Nagestão do território seu arcabouço teórico-metodológico se torna referência para oplanejamento das atividades humanas, ditas econômicas, e de uso e ocupação do solo. 5
  • 6. feitos os EIAs/RIMAs (Estudos e Relatórios de Impactos Ambientais), ela como disciplinada superfície da Terra se torna das mais importantes no planejamento ambiental. Nagestão do território seu arcabouço teórico-metodológico se torna referência para oplanejamento das atividades humanas, ditas econômicas, e de uso e ocupação do solo. 5

×