Percepção ambiental do parque da vale
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Percepção ambiental do parque da vale

on

  • 1,034 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,034
Views on SlideShare
1,010
Embed Views
24

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

3 Embeds 24

http://rooseveltfabrantes02.blogspot.com.br 22
http://rooseveltfabrantes02.blogspot.com 1
http://rooseveltfabrantes02.blogspot.pt 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Percepção ambiental do parque da vale Percepção ambiental do parque da vale Document Transcript

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO – COLUN CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE DISCIPLINA: GEOGRAFIA APLICADA PROF. ROGERIO MAFRA ROOSEVELT FERREIRA ABRANTES SÃO LUÍS 2013
  • ROOSEVELT FERREIRA ABRANTESPercepção Ambiental do Parque Botânico da Vale Trabalho apresentado à disciplina de Geografia Aplicada no terceiro modulo, ministrada pelo Prof. Rogério Mafra para obtenção de nota. SÃO LUÍS 2013
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL DO PARQUE BOTÃNICO DA VALE O Parque Botânico da Vale, localizado no bairro do Anjo da Guarda em São Luis doMaranhão, é uma área mista, entre o verde e o urbano, por ser um espaço onde há o predomíniode vegetação arbórea vasta e mata ciliar intacta e flora diversificada, mas com pouca fauna, o queo encarrega de diversas funções a zelar como a ecológica e a ambiental, além das sociais entreoutras, visando a melhoria do meio ambiente citadino, encontrado ao seu entorno, que éexcessivamente impactado. Utilizando-se de pesquisa bibliográfica, observações sistemáticas eentrevistas semi-estruturadas, fez-se um estudo de percepção ambiental, que objetivou apurar avisão de diversos agentes sociais envolvidos com este parque sobre a execução de suas distintasfunções no contexto do sistema urbano, da fauna e da flora deste lugar. Nesse sentido, constatou-se que a função ecológica está sendo cumprida e há no parque programas e/ou atividades deEducação Ambiental, sendo estas imprescindíveis à própria manutenção, conservação esegurança do parque. A Educação Ambiental, assim, emerge como um instrumento favorável nocumprimento dessas indispensáveis funções de uma área verde e semi urbana. Contatou-se por meio das observações sistemáticas que, o parque Botânico do Vale é umaárea verde importante na melhoria do meio ambiente urbano excessivamente impactado doentorno dos bairros do Anjo da Guarda, Gancharia e Gapara. A área de entorno do parque étotalmente urbanizada e possui um trânsito denso, o que proporciona estresse crônico e ruídosdiversos à sua população. Segundo os agentes sociais entrevistados, “este parque purifica o ar ereduz a poluição sonora”, entre outras funções ecológicas. Além disso, o estudo de percepção ambiental nos permitiu identificar o sentimento queestes agentes sociais possuem, por meio de respostas dos sentidos aos estímulos externos(TUAN, 1980). Assim sendo, seus usuários e funcionários se identificam com o parque, através deum elo afetivo. Estes reconhecem que tal área verde é importante para o seu lazer, conforto esociabilidade, como também de toda sociedade Ludovisense. Entretanto, faz-se justa as funções sociais, psicológicas e, sobretudo, as educacionaisexercidas dentro deste projeto, que estão sendo completamente atingidas. O projeto proposto pelaCampainha Vale - “Parque Botânico” - traz em seu bojo programas e/ou atividades de EducaçãoAmbiental, bastante coerentes e eficazes, sendo estas necessárias ao cumprimento de taisfunções ambientais e ecológicas, bem como imprescindíveis à própria manutenção, conservação esegurança do parque. O ideal para ampliação e a manutenção deste espaço tão importante para a comunidadeseria a proposição de um plano de manejo pelos órgãos públicos responsáveis, em parceria com acomunidade científica acadêmica, incrementando mais atividades de Educação Ambiental eecológica com caráter de pesquisas e estudo mais avançado dentro destes nichos, angariandomais valor e mais riqueza a este lugar rico em descobertas do conhecer ambiental, isto funcionariacomo instrumento de suporte favorável ao cumprimento das funções indispensáveis e relevantesde uma área verde urbana como o parque Botânico da Vale. O Parque Botânico da Vale em São Luis está aberto para visitação de terça a domingo, das8h à 16h, e está localizado na Avenida dos Portugueses, s/n, Anjo da Guarda. As visitas às trilhasecológicas podem ser agendadas pelo telefone 3218-6245. Para acessar as trilhas ecológicas énecessário ter o acompanhamento de orientadores ambientais. Os frequentadores do Parque Botânico da Vale passam a contar, com mais uma novaalternativa de contato direto com a natureza. Através de um passeio guiado por um caminho cheiode surpresas, quem for ao local terá a oportunidade de fazer um verdadeiro exercício de percepçãoe de estímulo ao desenvolvimento físico e mental. Trata-se da Trilha dos Sentidos, que foiadaptada especialmente com objetivo de estimular o contato sensorial com a natureza e, assim,proporcionar melhorias na qualidade de vida dos visitantes. A Trilha dos Sentidos foi pensada como forma de estimular a inclusão social de pessoascom deficiência, oferecendo uma estrutura adequada para esse público. O passeio é voltado aindapara aqueles que buscam simplesmente uma maneira diferente de interação com a natureza comoforma de relaxamento. A nova atividade passa a fazer parte da programação permanente doParque Botânico da Vale, aberto para visitação de terça-feira a domingo, das 8h às 16h. Na Trilha dos Sentidos, os visitantes são convidados a descobrir novas sensações aoentrar em contato com diferentes elementos do meio ambiente. Um passeio diferente, guiado por 3
  • sons, cheiros e cores que estimulam os cinco sentidos e despertam o prazer de estar mais próximoda natureza. O passeio dura em média 30 minutos, por um percurso de 125 metros, intercalado porestações que retratam os cinco sentidos, com espécies variadas de plantas que possuem cheiros,cores vibrantes e diferentes texturas, além de sons da natureza. Todas as informaçõesapresentadas na trilha são traduzidas para o Braille. O roteiro inclui, ainda, a interação comdiversos elementos presentes na floresta, como árvores dotadas de superfícies diferenciadas,características da mata, e frutos distribuídos ao longo do caminho.Fonte: www.clic.saoluis.com / Imagem: Parque Botânico da Vale O Parque Botânico Vale em São Luís já atendeu cerca de 360 mil visitantes desde a suainauguração em 2008. O Parque ocupa uma área de aproximadamente100 hectares e estálocalizado no Complexo Industrial Portuário de Ponta da Madeira, em São Luís. Sua implantaçãocontribui para a proteção ecossistêmica de um dos últimos fragmentos florestais da Ilha de SãoLuís. Além disso, é um espaço de lazer, educação ambiental e atividades físicas, sendofrequentado por pessoas de todas as idades. Além da Trilha dos Sentidos, o Parque disponibiliza outras três trilhas ecológicas queproporcionam o contato dos visitantes com a natureza: Trilha do Angelim, Trilha da Mata Ciliar aTrilha de Restauração Florestal. Para caminhar em uma das trilhas ecológicas existentes, ovisitante deve usar calça e sapatos fechados. Nas demais dependências, podem trajar bermudas esapatos baixos confortáveis para caminhada. As crianças com menos de cinco anos não podemfazer a caminhada nas trilhas, tendo como opção as atividades recreativas e Ecoteca. O local possui várias áreas ao ar livre, gramados e áreas com jardins, além de um auditórioe um anfiteatro, com a estrutura composta por quatro salas de aula e uma sala de leitura. Comooutra opção de lazer para a garotada, um parquinho infantil está disponível para crianças contendobrinquedos feitos a partir de madeira de reflorestamento como gangorras e escorregadores. 4