Your SlideShare is downloading. ×
Geologia aplicada
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Geologia aplicada

1,919
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,919
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Roosevelt Ferreira Abrantes GEOLOGIA APLICADA
  • 2. INTRODUÇÃO • Conceitos: • É a ciência da Terra, de seu arcabouço, de sua composição, de seus processos internos e externos e de sua evolução • Objetos: • O estudo dos agentes de formação e transformação das rochas, da composição e disposição das mesmas na crosta terrestre
  • 3. PRINCIPAIS ASPECTOS • Interface com outras ciências: • Geografia: Fisiografia, Geomorfologia e Paleogeografia • Biologia: Paleontologia • Química: Geoquímica orgânica e inorgânica • Física: Geofísica • Matemática: Geomatemática e Geoestatística • Engenharia: Geologia de Engenharia
  • 4. TRABALHO DE CAMPO • Trabalho de campo: • caderneta, martelo, bússola, lupa de bolso, canivete, ponteira, talhadeira, mapa topográfico, fotografias aéreas, estereoscópio, entre outros. • Trabalho de laboratório: • interpretação de dados, preparação de rochas (química, laminação) e fósseis, curadoria de coleções.
  • 5. Rastros das eras geológicas registradas nas rochas
  • 6. • Tales de Mileto (636-548 aC), observando os depósitos fluviais da foz dos rios, sugeriu ser a água o agente formador de toda a Terra. Anaxímenes (~480 aC), aproximadamente na mesma época, atribuía ao ar e Heráclito (576-480 aC) ao fogo, a formação de todas as coisas. • Os melhores conhecimentos daquela época eram os relativos aos fenômenos da dinâmica externa da Terra. Heródoto (484- 425 aC) observou que o rio Nilo depositava silte durante as cheias, acreditando que a maioria das feições era o resultado de processos súbitos e violentos. Considerava ele o Egito uma dádiva do rio Nilo.
  • 7. • Aristóteles (384-322 aC) reconheceu que conchas fósseis descobertas por Pitágoras (sec. IV aC) no alto das montanhas eram semelhantes àquelas encontradas na praia e que teriam um dia sido animais vivos. Deduziu que a posição da terra e do mar mudava em longos períodos de tempo. • São Thomas de Aquino (1274-1225 dC) tentou acomodar as teorias de Aristóteles com a Bíblia.
  • 8. • Conceitos Primitivos - até meados do século XVIII persistiu o obscurantismo (desinteresse decorrente da observância ao Livro Gênese), considerava que todo o tempo geológico não ultrapassava alguns milhares de anos. • “Considerava as rochas sedimentares como de origem diluviana e os fósseis como evidências de seres diabólicos afogados pelo dilúvio”. • - Na segunda metade do Sec. XVIII, Steno (Itália) e Hooke (Inglaterra) : “Produziram interpretações do significado cronológico da sucessão de rochas estratificadas”. A B C Mais Antigas
  • 9. • Hutton (1726-1797) - Recusou-se a imaginar a Terra criada a partir do dilúvio (um evento repentino e único). Examinando rochas sedimentares, encontrou evidências de repetidas perturbações nas rochas em alternância com longos períodos de colunas de sedimentos. • Princípio do Uniformitarismo: “O presente é a chave do Passado”
  • 10. Fig. 1 - Cobra de Matérias Primas. A ordem das trinta mais importantes matérias primas minerais.
  • 11. PLANETA TERRA • As esferas da Terra
  • 12. O INTERIOR DA TERRA
  • 13. ESTUDO DO INTERIOR DA TERRA • MÉTODOS INDIRETOS – GEOFÍSICA (SISMOLOGIA) • Ondas Primárias (P) = longitudinais (tipo onda sonora) • Ondas Secundárias (S) = transversais (tipo onda luminosa) • Ondas Superficiais Rayleigh e Love (destruição)
  • 14. DERIVA CONTINENTAL • EVIDÊNCIAS • Cadeias de montanhas semelhantes
  • 15. DERIVA CONTINENTAL • EVIDÊNCIAS • Formações rochosas semelhantes
  • 16. DERIVA CONTINENTAL • EVIDÊNCIAS • Ocorrência de geleiras em regiões equatoriais
  • 17. DERIVA CONTINENTAL • EVIDÊNCIAS • Fósseis
  • 18. TECTÔNICA DE PLACAS • Base da Teoria: a litosfera, constituída pela crosta (oceânica ou continental) e parte superior do manto se constitui uma camada superficial formada por um mosaico de placas rígidas, que se deslocam umas em relação às outras. Abaixo da litosfera se encontra a astenosfera, que se constitui uma zona plástica responsável pela movimentação das placas....
  • 19. TECTÔNICA DE PLACAS • Modelo esquemático da representação dos limites das placas
  • 20. TECTÔNICA DE PLACAS • EVIDÊNCIAS • Epicentro de terremotos
  • 21. TECTÔNICA DE PLACAS • EVIDÊNCIAS • Assoalho dos oceanos
  • 22. TECTÔNICA DE PLACAS • EVIDÊNCIAS • Datação das rochas do assoalho oceânico
  • 23. TECTÔNICA DE PLACAS • EVIDÊNCIAS • Datação das rochas do assoalho oceânico
  • 24. MINERAIS E ROCHAS • MINERAL: É um elemento ou composto químico, de composição geralmente definida, de ocorrência natural e estrutura interna ordenada. Em geral são sólidos (exceto água e mercúrio nas CNTP) e produzidos por processos inorgânicos. • Os minerais são sólidos, sob as condições normais de pressão e temperatura. Alguns geólogos consideram a água e o mercúrio como minerais, mas a rigor não o são. A água passa para o estado sólido a 0 oC e o mercúrio a -39 oC. • Assim, por exemplo, a substância química NaCl tanto pode ser encontrada na natureza como também pode ser produzida no laboratório. No primeiro caso é designada pelo nome mineralógico HALITA e no segundo caso não é designada como mineral, mas sim como produto químico Cloreto de Sódio (sal).
  • 25. • Os minerais são de caráter inorgânico e podem ser: elementos químicos (Cu, Au, Pt, Ag, S, Hg) e compostos químicos (Fe2O3, SiO2, CaCO3). Algumas composições minerais são na verdade muito complexas, consistindo de dez elementos ou mais. • MINERALÓIDE : Possui todas as características dos minerais, porém não têm estrutura interna ordenada (amorfo). • MINÉRIO - Denomina-se minério toda a massa monomineral, polimineral ou mineralóide de onde podemos extrair, economicamente, um elemento químico ou um composto químico. Por exemplo, o mineral hematita (Fe2O3) é considerado um minério de ferro.
  • 26. PROPRIEDADES DOS MINERAIS • FORMA • FACIES E HÁBITO • CLIVAGEM • DUREZA • TENACIDADE • PESO ESPECÍFICO / DENSIDADE RELATIVA • BRILHO • COR • TRAÇO
  • 27. PROPRIEDADES DOS MINERAIS Hábito: é a forma ou conjunto de formas que um mineral pode assumir. Hábito tabular Hábito prismático Hábito acicular Hábito granular Fonte: http://www.rc.unesp.br/igce/petrologia/nardy/mohabi.html
  • 28. Clivagem x Fratura Clivagem: tendência do mineral partir-se paralelamente a planos atômicos. Fratura: tendência de quebrar-se ao longo de superfícies irregulares, sem uma direção determinada. gipsitagipsita pirita crisoberilo ► excelente, bom, ruim (ou pobre)... ► conchoidal, fibrosa, serrilhada, irregular...
  • 29. Clivagem x Fratura fraturaclivagem
  • 30. Dureza: é a Resistência ao Risco. Escala de Mohs (Frederich Mohs, 1812):
  • 31. Teste Prático de Dureza... Fonte: http://e-geo.ineti.pt/geociencias/edicoes_online/diversos/guiao_litoteca/capitulo3.htm
  • 32. Tenacidade: é a Resistência à Percursão. ► friável (fragmentado), maleável (amassado), séctil (seccionado), dúctil (fio), plástico, elástico... Densidade relativa: indica quantas vezes um material é mais pesado do que um igual volume de água, a 4º C . Brilho: corresponde ao modo como a superfície de uma mineral reflete a luz, em intensidade e qualidade. ► metálico, submetálico, não-metálico (vítreo, resinoso, nacarado, sedoso, adamantino)...
  • 33. Cor Traço: cor do pó fino de um mineral em uma superfície de porcelana não-vidrada.
  • 34. MINERAIS DE IMPORTÂNCIA ECONÔMICA • Minerais metálicos • Metais Preciosos: Ouro, Prata, Platina, Paládio • Metais Ferrosos: Ferro, Manganês • Metais Não-Ferrosos (Básicos): Cobre, Chumbo, Zinco Estanho • Metais Leves: Alumínio, Magnésio, Titânio • Metais Menores: Bismuto, Mercúrio • Metais Radioativos: Urânio, Tório, Césio, Lítio • Minérios Não-Metálicos (Jazidas):Enxofre, Caulim, Calcário, Dolomito, Gipsita (Gesso), Sal-Gema, Apatita, Fosforita etc.
  • 35. MINERAIS E ROCHAS • ROCHA: É um agregado natural, formado de um ou mais minerais (ou mineralóides), que constitui parte essencial da Crosta Terrestre e é nitidamente individualizada (podendo ser representadas em mapas geológicos). Nelas os minerais se agregam obedecendo leis físicas, químicas ou físico-químicas, dependendo das condições em que se forma esta ou aquela rocha.
  • 36. Formadas a partir da consolidação do magma em profundidade (plutônica; ex.: granito, diabásio) ou em superfície (vulcânica; ex.: basalto). Rochas ígneas (ou magmáticas) ► Magma: fusão silicatada contendo gases e elementos voláteis, gerada em altas temperaturas no interior da Terra. ► Classificação das rochas ígneas: - rochas ácidas: SiO2 > 65%; ex: granito e riolilto - rochas neutras: 52% < SiO2 < 65%; ex: sienito e traquito - rochas básicas: 45% < SiO2 < 52%; ex: diabásio e basalto
  • 37. basalto diabásio Fontes: www.ulbra.br/mineralogia/conceito_rochas.htm www.infoescola.com/geografia/tipos-de-rochas-e-minerais/ granito
  • 38. Formada a partir de rochas ígneas, sedimentares ou metamórficas pré-existentes, submetidas a novas condições de temperatura (acima de 250 oC) e pressão (acima de 1 atm). Ex.: mármore; quartzito; xisto. Rochas Metamórficas
  • 39. gnaisse mármore Fonte: www.ulbra.br/mineralogia/conceito_rochas.htm quartzito
  • 40. Formadas por material originado da erosão de qualquer rocha pré- existente que sofreu diagênese. Ex.: arenito e folhelho. Rochas Sedimentares ► Diagênese: conjunto de processos físicos e químicos sofridos pelos sedimentos após sua deposição, e que resultam em litificação. Ex.: compactação, recristalização, dissolução, precipitação de minerais, etc.
  • 41. O Ciclo Sedimentar Inclui 5 fases: Intemperismo Enfraquecimento da rocha fonte. Erosão Desintegração da rocha fonte. Transporte Deslocamento dos Sedimentos. Deposição Acúmulo dos sedimentos. Litificação Endurecimento da Rocha Sedimentar.
  • 42. arenito folhelho/varvito Fonte: www.ulbra.br/mineralogia/conceito_rochas.htm www.dicionario.pro.br/dicionario/ calcário oolítico
  • 43. Obrigado!
  • 44. Roosevelt Ferreira Abrantes Graduado em Gestão Pública Técnico em Meio Ambiente E-mail: roosevelt_abrantes@hotmail.com Contatos: (098) 99079243 / (098) 81985679