Artigo(gestao publica)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Artigo(gestao publica)

on

  • 2,268 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,268
Views on SlideShare
2,257
Embed Views
11

Actions

Likes
0
Downloads
12
Comments
0

1 Embed 11

http://rooseveltfabrantes01.blogspot.com.br 11

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Artigo(gestao publica) Artigo(gestao publica) Document Transcript

  • ESTUDO REALIZADO SOBRE OS DESAFIOS DOS GESTORES ORGANIZACIONAIS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. Universidade Anhanguera – Uniderp Centro de Educação a Distância Curso Superior Tecnologia em Gestão PúblicaATIVIDADE AVALIATIVA DESAFIO DE APRENDIZAGEM Disciplina: Tecnologia de Gestão Professor.Me. Jefferson Teruya de Sousa Aluno: Roosevelt Ferreira Abrantes E-mail: roosevelt_abrantes@hotmail.com Contatos: (098) 99079243 / (098) 81985679 SÃO LUIS - MA 2012
  • ESTUDO REALIZADO SOBRE OS DESAFIOS DOS GESTORESORGANIZACIONAIS NO MUNDO COMTEMPORANEO ABRANTES, Roosevelt F. / São Luis – Ma 2012INTRODUÇÃO A importância do gestor organizacional em uma gestão empresarialbem-sucedida deve focar, principalmente, no fator humano e, em particular,no perfil do gestor que sabe integrar objetivo, ação e resultado através depessoas. Um Gestor Baseado em Valor zela pelo princípio de colocar o serhumano em primeiro lugar, ou seja, ele cria condições para a expansão pessoale o crescimento dos membros do time, forma equipes coesas e comprometidascom os objetivos fixados, estimulando-os a encarar dificuldades comodesafios ou limites a serem superados. O Gestor Baseado em Valor agregavalor, priorizando o que realmente faz a diferença na condução do negócio:equipe capacitada e motivada, organização fluida, serviços e produtosdiferenciados, conhecimento compartilhado, investimento em benefício maiorque custo. No mundo de hoje, pouco adianta a técnica, se não houver nogestor a constante busca de excelência. A meu ver, existem três excelências-chave: excelências comportamentais, que busca formar uma equipe de talentose líderes; excelências gerenciais, que busca avançar na Gestão Empresarialcom suporte da tecnologia de informação e excelência operacional, alinhandopropósito, pessoas e processo. É através do equilíbrio destas excelências que oGestor Baseado em Valor supera seus limites e ajuda os outros no mesmopropósito. O Gestor Baseado em Valor sabe que sozinho não consegue chegar aosresultados esperados. Portanto ele busca o apoio da sua equipe. Fator desucesso é uma liderança que exige do gestor que ele pratique o que prega, quederrube barreiras entre ele e sua equipe, que busque o feedback sobre suaperformance sem medo de críticas. Ele deve ser visível quando as coisas vãomal, invisíveis quando as coisas vão bem, e, principalmente, precisa saberdelegar, na proporção de 20% direcionando e corrigindo e 80% do tempodando autonomia, espaço e responsabilidade aos membros da equipe. Assim, oGestor Baseado em Valor torna-se o facilitador para alcançar o sucesso. Noseu dia-a-dia, o Gestor Baseado em Valor dirige seu trabalho como seestivesse sentado num cockpit, numa cabine de comando, interagindo com ossubordinados, colegas e superiores, mantendo sempre a visão total do "painelde controle". É neste raio de ação que o gestor monitora os sete comandos-
  • chave da sua área de atuação, tais como, (1) objetivos ousados; (2) estratégiacom foco e responsabilidade; (3) prioridades que impacta no resultado – defato; (4) pessoal preparado e atuante; (5) produto ou serviço diferenciado; (6)processo racionalizado e (7) cliente satisfeito (externo ou interno). Todo líderé um gestor, mas nem todo gestor é um líder. O líder consegue que a equipeseja o espelho da sua gestão empresarial, conquista seguidores, faz com queseus liderados se expandam, ajuda o negócio a crescer e, por fim, faz aempresa vencer.A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA Todos necessitamos, vez ou outra, de uma consultoria, seja naexplicação de um simples extrato bancário, na localização de um endereço ouna elaboração do imposto de renda. Até mesmo os clientes, antes de adquirirum produto, consultam amigos ou outros clientes para opinar a respeito. Naempresa e na vida profissional não é diferente. Simplificando, consultoria éaconselhar, direcionar. É ajudar enxergar o que outrora era obscuro. Oconsultor é o psicanalista do seu negócio. Ele tem uma visão privilegiada emrelação a empresa e ao profissional, pois observa tudo de um ângulo diferente.Ele traça os caminhos, elaboram diagnósticos, faz com que se aprenda a traçarestratégia sem precisar ditar regras. Analisa os resultados levantados, nãodesprezando as qualidades do consultado, e sim as colocando à mostra, dentroda sua realidade. Antes de planejar algo, ele se preocupa com a realidade dasua empresa. Por meio do levantamento de informações, criar diagnósticospara auxiliar na mudança da situação atual. O consultor consegue apontar opotencial que a empresa tem (seus pontos fortes), e ajudar no planejamentofeito pelo próprio empresário, orientando-o a se organizar no tabuleiro e ajogar com segurança, sendo criterioso, inovador, inteligente, mas acima detudo, estrategista. Portanto, não se deve ter receio em consultar com umprofissional ou grupo de profissionais, já que a consulta fornecida podesignificar o sucesso da carreira ou a sobrevivência da empresa.MUDANÇA ORGANIZACIONAL E QUEBRA DE PARADIGMA Mudança organizacional é o conceito e a ação de mudança em toda umaorganização. Geralmente essa mudança consiste numa reorganizaçãofundamental e drástica na maneira de operar. Começando com uma avaliaçãoorganizacional, ela muda a maneira de perceber, pensar e desempenhar.
  • Mudanças na missão e visão, gerenciamento de processos, tecnologia eestratégia empresarial são áreas que determinarão algum tipo detransformação organizacional. A liderança pode fazer uma grande diferença esua importância está se intensificando, no que se refere ao sucessoorganizacional e na quebra de paradigmas. Entretanto, muitas organizaçõesainda conhecem pouco sobre as qualidades e a prática de uma liderançaorganizacional eficiente e do gerenciamento de mudanças. O paradigma, portanto, oferece uma visão acerca do mundo e tambémum conjunto de problemas para serem resolvidos, contudo quando muitasquestões surgem, já não são solucionadas pelo paradigma vigente, as teoriasentra em crise e da inicio a uma revolução e a um novo paradigma. Convémlembrar que uma mudança em geral implica reajustar crenças, incorporandonova perspectiva com base em um novo conhecimento adquirido, e nãonecessariamente, uma transformação radical.QUAL É O PAPEL DO GESTOR ORGANIZACIONAL A administração, também chamada gerenciamento ou gestão deempresas, supõe a existência de uma instituição a ser administrada ou gerida,ou seja, uma Entidade Social de pessoas e recursos que se relacionem numdeterminado ambiente, físico ou não, orientadas para, um objetivo comum,estabelecido pela a empresa. Empresa, aqui significa o empreendimento, osesforços humanos organizados, feitos em comum, com um fim específico, umobjetivo. As instituições (empresas) podem ser públicas, sociedades deeconomia mistas ou privadas, com ou sem fins lucrativos. Atualmente seutiliza esta palavra para designar os estabelecimentos comerciais, industriais,de serviços, etc., grandes ou pequenos, o que não revela seu sentido no títuloda profissão. A necessidade de organizar os estabelecimentos nascidos com arevolução industrial levou os profissionais de outras áreas mais antigas emaduras a buscar soluções específicas para problemas que não existiam antes.Assim a aplicação de métodos de ciências diversas para administrar estesempreendimentos deu origem aos rudimentos da ciência da administração.Não se deve confundir a gerência de uma casa ou de nossa vida pessoal, quetem sua arte própria, porém empírica, com a gerência de uma instituição. Agerência de instituições requer conhecimento e aplicação de diversos modelose técnicas administrativas, ao passo que a gerencia pessoal pode ser feita porpessoas sem qualificações adicionais.
  • MUDANÇA ORGANIZACIONAL Segundo Gustavo Torres Lamarte, todas as mudanças evidenciadasdentro das empresas atuais, são reflexos de uma época completamentecompensada a adequação vigente e dependente das tecnologias da informação,que pode ser observada na medida em que "a humanidade têm experimentadovarias turbulências de diferentes ordens; instabilidade de muitos processosambientais, sociais, econômicos, políticos, tecnológicos e institucionais", quepromovem uma perda dos "marcos de referência" que direcionavam modelosque vigoravam anteriormente, e têm como resultado uma "vulnerabilidadegeneralizada" e expostas a tendências efêmeras do cotidiano rápido dasconvivências sociais que a Internet e telefonia tem nos propiciado.UM BREVE RELATORIO SOBRE GESTÃO ORGANIZACIONAL A mudança tornou-se uma constante na vida moderna, como fator desobrevivência para as organizações que buscam, no redimensionamento, avisualização da adaptação à evolução do ambiente externo. Neste processo demudança que, em muitas oportunidades, torna-se doloroso, gerando ansiedade,perda da autoconfiança e resistências, o sucesso empresarial passa a dependernão somente de novos modelos organizacionais, mas também da satisfaçãointegral das pessoas, no atendimento às necessidades e aspirações humanas,calcado na idéia de humanização do trabalho, e na responsabilidade social daempresa. O Gestor Organizacional deve ainda ser capaz de planejarestrategicamente, alocar recursos humanos, materiais e naturais de tal formaque viabilize o alcance dos objetivos traçados pela organização ematerializados na visão. Gestor é em tese o velho conhecido “administrador”com uma nova roupagem, imbuído de novas responsabilidades que devemestar alinhadas as necessidades e exigência do mundo contemporâneo.Portanto a organização que planeja sobreviver, crescer e alcançar a perenidadeterá de mudar, tantas vezes quantas forem necessárias, para que possa semanter. Além disso, o mercado está altamente concorrido e o processo demudança também contribuem para melhoria continua da empresa e satisfaçãodo cliente interno e cliente final.
  • UM POUCO SOBRE AS TECNOLOGIAS DE GESTÃOORGANIZACIONALGESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL A gestão de uma organização seja de manufatura ou de serviços, comou sem fins lucrativos, do governo, social ou de família trata de duas coisas: astransações e os relacionamentos. A Gestão pela Qualidade Total (GQT)significa criar, intencionalmente, uma cultura organizacional em que todas astransações são perfeitamente entendidas e corretamente realizadas e onde osrelacionamentos entre funcionários, fornecedores e clientes são bem-sucedidos(Crosby, 1998). Sobre um ponto de vista mais amplo, a GQT não é apenasuma coleção de atividades, procedimentos e eventos. É baseada em umapolítica inabalável que requer o cumprimento de acordos com requisitos clarospara as transações, educação e treinamento contínuos, atenção aosrelacionamentos e envolvimento da gerência nas operações, seguindo afilosofia da melhoria contínua.FERRAMENTAS DE GESTÃO DE QUALIDADE Em plena revolução da qualidade e da organização das empresas, nãose verifica ainda uma política intensiva dos conceitos da Qualidade Total,principalmente nas empresas de pequeno e médio porte, normalmente pordesinformação e não entendimento da linguagem técnica a respeito daQualidade Total.FERRAMENTAS DE TERCEIRIZAÇÃO É um processo gerenciado de transferência a terceiros das atividades,acessórias e de apoio ao objetivo da empresa (atividade de meio), permitindoque esta concentre seus esforços na sua atividade principal (atividade fim). Aterceirização de determinados serviços dentro de uma empresa é, muitasvezes, a solução para grande parte dos problemas de agilidade, especialização,eficiência, custo. Mas muitos detalhes devem ser pensados antes dofechamento do contrato para que seja firmada realmente uma parceria desucesso. Checar a idoneidade da empresa especializada em terceirização,cumprir a legislação trabalhista e estar ciente das responsabilidades do
  • trabalhador terceirizado é alguns dos pontos fundamentais. A Terceirização éum conceito moderno de produção, que se firma na parceria consciente entreas empresas especializadas em determinados ramos. Terceirização é oconjunto de transferência de produção de partes que integram o todo de ummesmo produto. Para que a terceirização cumpra a sua verdadeira função será precisoque haja planejamento na empresa; ter um objetivo traçado a ser atingido euma noção real de modernidade e busca da qualidade do produto a serterceirizado. Com a necessidade de sobrevivência das empresas, devido a criseem que o Mundo se encontra, lembramos que a palavra CRISE significaoportunidade mais riscos no ideograma Chinês; ocorreu maior espaço para abusca do aperfeiçoamento de técnicas novas e modernas de administração,visando sempre resultados raiz nos processos de gestão das empresas. Éexatamente neste âmbito que se enfoca a terceirização; por se tratar de umprojeto moderno e arrojado de Administração, onde se busca claramente aqualidade, eficiência ligada a uma redução de custos aparentes e concentrandoseus esforços e energia na atividade principal da empresa, atingindo destaforma a eficácia, com a otimização da gestão. No entanto, deve-se observar que para a mudança dar resultados;precisa ser encarada como um enfoque estratégico e não como modismo, ouseja, é necessário uma mudança geral na mentalidade da empresa no sentidode seus processos e de seus funcionários, para que todos possam buscar osmesmos objetivos, que vertem ao crescimento da empresa. Para que se atinja oobjetivo é preciso conhecer a palavra CULTURA; que para muitos é apenas odesenvolvimento intelectual, mas é também a capacidade de poder criar,produzir, transformar a natureza e colocar os bens que ela oferece de formabruta em benefícios do ser Humano.QUAIS OS RISCOS OU PROBLEMAS QUE PODEM OCORRER NACONTRATAÇÃO DE TERCEIRIZADOS?Desconhecimento do Os maiores problemas E ainda, aque seja a verdadeira são demandas responsabilidade civilterceirização, ou de uma trabalhistas com riscos por danos a terceiros porfraude, e a busca de uma desde simples execução de serviço semsimples redução responsabilidade preparo técnico, porimediata de custos subsidiária até vínculo exemplo.financeiros sem se empregatício direto com
  • avaliar os riscos e a a tomadora, multas elegislação pertinente fiscalizações dos órgãos(muito cuidado com competentes,empresas que oferecem responsabilização porserviços com preços acidente do trabalho, atébaixos ou muitas responsabilizaçãovantagens). criminal por agenciamento de mão- de-obra.COMO AGIR PARA EVITAR ESSES PROBLEMAS?Verificar a idoneidade Contratar empresas em Verificar essa correção eda empresa exigindo as terceirizações regulares, fugir das "agências decertidões comuns em ou seja, contratar mão de obra" e falsascontratações - civis, empresas realmente cooperativas deprotestos, PROCON, especialistas no trabalho serviços.FGTS. a ser prestado.Só terceirizar serviços Ter-se em mente que o A terceirização legal épassíveis de que se terceiriza é aquela que segue osterceirização. serviço, não existe preceitos jurídicos e da terceirização de mão de legislação, respeitando obra, isso é crime. as normas regulamentares.PRINCIPAIS ÁREAS DA TERCEIRIZAÇÃO DENTRO DE UMAEMPRESA 1. Setores de Limpeza 2. Segurança PatrimonialObservação Importante: Essas são umas das principais áreas de atuações de muitas empresasprestadoras de serviços no Brasil. Já que a indústria e o comercio sãosegmentos que contratam esses serviços. Terceirização se tornou palavra
  • chave na economia moderna, não se tratando de um modismo, mas sim deuma opção de sobrevivência para as empresas.SÃO EXEMPLOS DE ÁREAS TERCEIRIZÁVEIS: 3. Advocacia 6. Portaria 4. Arquivo 7. Segurança 5. Engenharia 8. Transportes 6. Limpeza 9. Recrutamento e seleção 7. Mensageiros 10. Dentre outrosVANTAGENS EMPRESARIAIS COM A TERCEIRIZAÇÃO: A terceirização traz para as empresas várias vantagens: Proporciona aconcentração dos recursos liberados para área produtiva, melhorando aqualidade e competitividade do produto. Incrementa a produtividade, reduz oscontroles, libera a supervisão para outras atividades produtivas, reduz asperdas, evita o sucateamento dos equipamentos, libera recursos para aaplicação em outras tecnologias, concentra esforços na criação de novosprodutos, reduz os custos administrativos e de pessoal, transforma os custosfixos em variáveis, gera ganhos de competitividade, pulveriza á ação sindical,otimiza o uso de espaço colocados em disponibilidade, aumenta aespecialização, agiliza as decisões, simplifica a estrutura empresarial,proporciona o aumento do lucro,proporciona a somatória das qualidades naatividade-meio, gera melhoria na administração do tempo, gera efetividade eeficiência, diminui o nível hierárquico, proporciona melhor distribuição derenda, gera mais empregos para novas empresas e reduz o passivo trabalhista.DESVANTAGEM EMPRESARIA COM A TERCEIRIZAÇÃO:Risco de desemprego e Resistências e Risco de coordenaçãonão absorção da mão de conservadorismo; dos contratos;obra na mesmaproporção;Falta de parâmetros de Demissões na fase Custo de demissões;custos internos; inicial;Dificuldade de Falta de cuidado na Aumento do risco a ser
  • encontrar a parceria escolha dos administrado;ideal; fornecedores;Conflito com os Mudanças na estrutura Aumento dasindicatos; do poder; dependência de terceiros;Perca do vínculo para Desconhecimento da Dificuldade decom o empregado; legislação trabalhista; aproveitamento dos empregados já treinados;Perda da identidadecultural da empresa, emlongo prazo, por partedos funcionários.PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS, VANTAGENS E APLICAÇÕESDAS TECNOLOGIAS DE GESTÃO1. BENCHMARKING PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS VANTAGENS APLICAÇÕESE torna as organizações Faz uma importante A tecnologia domais competitivas, e por analise(investigação – benchmarking é bastanteconseqüências, qual o objeto, ou utilizada atualmente,promover o objetivo da organização, pois permite aosdesenvolvimento e o o que investigar e como administradores decrescimento vai investigar) da sucesso buscar parceriasorganizacional por meio competitividade em formais e odo aperfeiçoamento dos vários detalhes, de comprometimento comprocessos. Aponta forma que privilegie as a alta cúpula dessaspraticas erradas que melhores praticas empresas.comprometem o bom existentes no mercado,desempenho das minimizando os erros eempresas. potencializando com ações planejadas as
  • excelências dos resultados esperados.2. OPEN – BOOK MANAGEMENT PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS VANTAGENS APLICAÇÕESChamado também de Possui uma gestão No planejamento degestão do livro aberto, mais participativa, implantação do OBM,permite envolver as pessoas propõe um modelo na analise de fatorese fazer que assumam voltado para críticos, e nasconjuntamente a transparência nas especificidades deresponsabilidade pelo informações, de modo realidade da empresa.sucesso organizacional, por que todos reconheçam, Aplicando ações queintermédio do com clareza a situação favoreça um climaconhecimento de todos os estabelecida, contribui organizacional tanto nadados organizacionais. com os gestores a missão, na visão, nosPropõe a tão disseminada possibilitar de um valores, na política deaplicação de delegação de inter-relacionamento qualidade, nosresponsabilidades com de cultura mais aberta, objetivos, nas metas, erespectivas se aplicada de forma em seus resultados ,autoridades(empowerment) ética. inclusive o contábil e, levando e permitindo que financeiro.todos os integrantes daempresa provem da suacapacidade dedesenvolvimentoprofissional e pessoal,permitido se sentiremdesafiadas a darem o seumelhor resultado.3. REENGENHARIA PRINCIPAIS CARACTERISTICAS VANTAGENS APLICAÇÕESPropõe que a Possibilitar mudanças No melhoramento dosorganização seja que renovam e processos que passaramreinventada por meio da estruturam as por um novo desenhoanalise dos processos, organizações, institucional.buscando fases reconstroem não só
  • dispensáveis, pautada na parcialmente ouidéia de satisfazer as totalmente as diretrizesexpectativas dos clientes de uma instituição mase conseqüentemente, redefine os desenhosmelhorar o desempenho organizacionais, dando aorganizacional. empresa um caminho operacional totalmente novo e diferente. Ou seja substituir completamente os velhos processos.4. EMPOWERMENT PRINCIPAIS CARACTERISTICAS VANTAGENS APLICAÇÕESEssa ferramenta atribui Com essa tecnologia há Ela faz uma abordagemum compartilhamento um incremento na de projetos de trabalho,nas tomadas de decisão qualidade das decisões, que objetiva a delegaçãoda empresa, delegando pelo de seu de poder de decisão ,poderes, transfere compartilhamento e das autonomia edecisão a funcionários lideranças, com o participação dosindividuais e a equipes. aprendizado continuo funcionários naEsta ferramenta alem de que ela oferece e a administração dastransferir poderes aos possibilidade de se empresas. Ainda émembros de escalas de discutir as varias possível afirma que ahierarquias inferiores, opiniões relativas aos maior vantagem seria adentro de cada função objetivos pretendidos. aplicação de umque dirigem, autoriza o Há também a melhoria programa que seqüênciauso de autoridade e dos resultados pela envolver uma tolerânciaresponsabilidade as maior contribuição e a erros, desenvolvendopessoas, com o intuito comprometimento da confiança, visão, fixaçãode torná-las mais ativas equipe com eles e pela de metas e avaliação ee proativas dentro das maior motivação gerada motivação, buscando aorganizações. pelo sentimento de excelência em seus pertencimento originado resultados. pela maior autonomia e transparência.5. SISTEMAS DE INFORMACOES GERENCIAIS – SIG
  • PRINCIPAIS CARACTERISTICAS VANTAGENS APLICAÇÕESÉ um conjunto A base dos processos Aplicação é feita dentroestruturado de administrativos esta em dos métodosatividades que inclui a manter a informação,os desenvolvidos paramaneira como a dados e conhecimento tomadas de decisões.empresa obtém, interligados dentro dos Melhorando diretrizesdistribui e usa diversos setores de essenciais para um bominformações e hierarquias, quebrando a desenvolvimento dosconhecimento, a falta de comunicação processos,informação é muito entre as camadas da principalmente no focomais que dados; ela tem empresas. Converte as do atendimento e nasrelação com a ordem informações em ações, ações a serem tomadas.das coisas e registros, de agilizando os processos Contanto com maisforma sistêmica, e resultados. Propiciar velocidade no fluxo deajudando o sistema uma maior tomada de informações, o SIGadministrativo na decisões gerenciais, permite recuperar orapidez com que apoiadas por sistemas de espaço no mercado,controla as informações informações formais, reduz os custos dee os processos de reduzindo os riscos e manutenção de TI e detomadas de decisão. incertezas desta comunicação, podendo corporação, fazendo oferecer uma maior com que cada rentabilidade. funcionário seja responsável pelo sucesso ou fracasso da empresa em que trabalha.6. BALANCED SCORECARD – BSC PRINCIPAIS CARACTERISTICAS VANTAGENS APLICAÇÕESÉ uma ferramenta Usa uma metodologia No alinhamento dosempresarial que traduz a que liga atividades de objetivos estratégicos damissão(as razoes da curto e longo prazo de empresa implementadasempresa existir) e a uma organização, com a nas suas quatroestratégia da visão, a missão e a dimensões são elas: Naorganização em um estratégia desta, por arquitetura do programa
  • conjunto compreensível meio do de medição – buscarde medidas de estabelecimento de promover umadesempenho, metas mensuráveis. compreensão e umaproporcional a formação Alem disso ela cria uma analise do foco dode uma estrutura de estrutura, uma negocio e a visão demensuração estratégica linguagem, para futuro. Um segundoe de um sistema de comunicar a missão e a objetivo dessa etapa égestão eficiente. O BSC estratégia em objetivos e resgatar as diretrizescompreende um modelo utiliza indicadores para estratégicas, analisandode avaliação de informar os funcionários sua ocorrência comodesempenho baseado sobre os vetores do foco do negocio e aem diversas dimensões, sucesso atual e futuro, a visão da empresa. Noque amplia o aspecto da missão e a estratégia se inter-relacionamento deanalise fundamentada traduz quatro objetivos e objetivos estratégicos –apenas em indicadores medidas, estruturado em implica alocar ospuramente financeiros . expectativas diferentes, objetivos estratégicos. a financeira, a do Nesses processos cliente, a de processos poderão ou não surgir internos e do lacunas no inter- aprendizado e relacionamentos, que crescimento. deverão ser eliminados ou preenchidas com base em novas discussões e analise do planejamento estratégico da organização. Na escolha e na elaboração dos indicadores – busca identificar os indicadores que sejam coerentes com as estratégias da organização e por fim a elaboração do plano de implementação – na qual uma vez definidos e associados aos diferentes objetivos estratégicos, definem-se
  • metas, as ações, seus devidos planos e responsáveis, afim de direcionar a implementação da estrategia.7. SEIS SIGMAS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS VANTAGENS APLICAÇÕESÉ uma estratégia de Gera um sucesso No desenvolvimento denegócios que envolvem sustentado, com uma estrutura para ao uso de ferramentas características de melhoria continua deestatísticas, dentro de manter, ao longo do processos, por meio deuma metodologia tempo, os ganhos indicadores deestruturada para ganho obtidos. Determinar monitoramentos dodo conhecimento uma meta de programa.necessário, afim de se desempenho comum, Nos processoster produtos e serviços busca alinhar os escolhidos pelamelhores, mais rápidos esforços de todos os gerencia, e em pessoase de menor custo. funcionários para um com conhecimentosÉ ainda considerando objetivo comum (metas mais profundos docomo uma estratégia e alvos) buscando processo em todos osgerencial de mudanças e produtos e serviços níveis da organização.enfoca, principalmente, livres de defeitos para Nas avaliações dea variação do resultado atender as expectativas necessidades deperceptível pelo dos clientes. Intensifica treinamento.consumidor o valor para os No processo de sistemas clientes, eliminação de que estabelecem atividade e serviços que comunicação mais não agregam valor. próxima com os Acelera a taxa de clientes. melhoria, com a tecnologia da informação ditando um ritmo forte de atualização, a expectativa do cliente por melhorias
  • intensifica-se, o concorrente que melhora mais rápido o seu produto tem mais chances de ganhar a corrida. Utilizando ferramentas do sistemas de qualidade. Promover aprendizagem, o SS prepara o pessoal para o gerenciamento de times de trabalho e também para a melhoria de processos. Executa mudanças de estratégias, uma melhor compreensão dos processos e procedimentos ira trazer as empresas uma maior capacidade de realizar ajustes menores, como mudanças maiores.AS EMPRESAS QUE CRESCEM E INOVAM, INVESTEM NASMELHORES TECNOLOGIAS DE GESTÃO O SI – sistema de informação é uma das melhores tecnologias degestão mais bem elaborada e com um auto nível de aprovação entre empresasque provaram que os seus desempenhos estão intrinsecamente ligados a altaprodução de qualidade e nos processos de qualidade e de administraçãointerna, com ótimas obtenções de resultados, considerados satisfatórios, osucesso só pode ser atingido por que a divisão do trabalho foi bemdistribuída, esta ferramenta apóia a organização de maneiras diversas, ondeem cada nível da organização será apoiado de modos diferentes. A gestãoempresarial pode receber apoio em diversos suportes dos processosoperacionais, nas tomadas de decisões de seus funcionários e gerentes, alemdo suporte nas estratégias para ganho de vantagens competitivas. Enquadra-senesta mesma ramificação a gestão pela qualidade que no ponto de vista da
  • gestão operacional apenas equaciona, soma-se com o SI no gerenciamento dosprocessos, adequada ao padrão, uso, custo e necessidade emergente dasexpectativas dos clientes, a gestão moderna a qual não busca organização deforma isolada, mas sim, busca a satisfação dos stakeholderes.FERRAMENTAS DE GESTÃO ORGANIZACIONALCARACTERÍSTICAS E APLICAÇÕES DA TECNOLOGIA DEGESTÃO As empresas precisam utilizar certa tecnologia para executar suasoperações e realizar suas tarefas. A tecnologia pode ser rudimentar ousatisfatória. Todavia uma coisa e certa, todas as empresas dependem de um oumais tipos de tecnologias no desempenho eficiente de suas funções. Atecnologia é algo que se desenvolvem nas empresas por meios deconhecimentos acumulados e pelas suas manifestações físicas como maquinasou equipamentos. A realidade das tecnologias permeia toda a atividadeindustrial, tendo ampla participação em qualquer tipo de atividade humana emtodos os campos de atuação. o homem modelo utiliza em seu comportamentocotidiano, quase sem perceber a tecnologia. Como os veículos, relógio, celularetc.A tecnologia pode ser: 1) incorporada ou 2) não incorporada: 1. Tecnologia incorporada – esta contida em bens e capital, matérias primas básica ex. uma placa de metal que com a ajuda da tecnologia, foi transformada em portão inclinável de um condomínio. 2. Tecnologia não incorporada – encontra se na cabeça das pessoas. Ex: como técnicos, peritos, pesquisadores, etc.ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Cada empresa procura desenvolver seus negócios e operação de ummodo coerente por meio de operações distintas de estratégia. Estratégia e omovimento integrado e a capacidade de mudança, ação, reação para alvos aserem atingidos.
  • A estratégia pode constituir um padrão de comportamento uma posiçãodesejada ou futura. Ex: • Escola do planejamento • Escola do design • Escola do poder • Escola cultural • Etc.A estratégia representa uma integração e a compatibilização de trêscomponentes: 1. Ambiente 2. Empresa 3. Adequação entre ambos.O planejamento proporciona um conceito clássica sendo a determinação dafutura postura da empresa como sua lucratividade, seu tamanho e seusprodutos etc. o planejamento elaborado de três formas: • Análise ambiental • Organizacional • Formulação de estratégiasA estratégia empresarial constitui o conjunto de políticas capazes de guiar eorientar o seu ambiente externo. 1. Planejamento de Ação Empresarial:E elabora do por meios diferentes nos vários níveis organizacionais. 2. Planejamento Estratégico:Apresenta as seguintes características – e projetado a longo prazo quasesempre entre 2 e 5 anos, esta voltado para as relações entre a empresa e seuambiente de tarefa, envolve a empresa como um todo. 3. Planejamento Tático:E a função administrativa que determina o que se deve fazer e quais objetivosa serem traçados. O planejamento apresenta as principais características, oplanejamento é interativo, é um processo permanente, é uma técnica cíclica. 4. Planejamento Operacional:Se preocupar com o que fazer no nível em que as tarefas são executadas. Elespodem ser classificados em procedimentos, orçamentos, programas eregulamentos. 5. Desenho Organizacional:Constitui uma das prioridades da administração. Pois define como aorganização vai funcionar. O desenho organizacional contribui de quatromaneiras. Como estrutura básica, como mecanismo de operação, comomecanismo de decisão e mecanismo de coordenação entre as partes.
  • • Centralização • Vantagens e desvantagens As decisões são tomadas por administradores que tem uma visãoglobal da empresa, reduzem custos operacionais etc. pó outro lado as decisõessão tomadas por administradores que estão mais próximos dos fatos, osadministradores são frustrados por que estão fora do processo decisório daempresa. A melhor forma de escolher estes sistemas é consultando os cases domesmo, sabendo onde o mesmo foi implantado com sucesso e se a empresaresponsável é sólida e pode garantir por algum tempo o suporte e atualizaçãodo mesmo, pois você vai gastar uma nota na implantação e depois não vaiquerer correr o risco de não ter mais suporte ao mesmo e então ter que trocarde sistema e gastar mais uma vez na licença e implantação do mesmo. O idealé procurar uma empresa que tem um bom produto e que está começando agora(pois se a empresa for antiga e ainda for pequena, pode ser indício da mesmanão ter um bom produto). A importância do Sistema de Informação Gerencial (SIG) na gestãoempresarial para tomada de decisões. Em função do processo de mudançasaceleradas, principalmente no que diz respeito aos avanços da tecnologiaatrelada a era da informação, o bom sistema de informação será fatorpreponderante na tomada de decisão. Um desenvolvimento gerencial eficaz eeficiente pressupõe, em qualquer organização, a existência de infra-estruturainformacional para tomada de decisão, de forma ágil e segura. O sistema deinformação gerencial fortalece o plano de atuação das empresas, a geração deinformações rápidas, precisas e principalmente úteis, garante uma estruturaçãode gestão diferenciada. Além disso, melhora o processo de tomada de decisõespelos gestores. Os riscos que os gestores correm, é bem simples, tomar decisõesequivocadas com mais facilidade, pois não tem informações compiladas deforma a suportar suas decisões corretamente, ou seja, os sistemas suportam asdecisões. Avaliar as implicações dos sistemas de informação, seja nosaspectos fiscais, tributários e econômicos, analisando sua periodicidade,complexidade, seus objetivos específicos tipos de informação nas entradas esaídas, para que posamos ter uma visão holística destas obrigações e melhorplanejar as mesmas, contribuindo assim com a classe de profissionais quelidam diariamente com esse tipo de informação, sempre numa linguagem fácile a mais didática possível, esperando colaborar com a classe contábil. Outrofator de escolha esta no excesso de sistemas de informações Fiscaisobrigatórios e exigidos pelas esferas: Federal, Estadual e Municipal. A tomadade decisão é muito mais do que os momentos finais da escolha, sendo umprocesso complexo de reflexão, investigação e análise.
  • AS NOVAS DEMANDAS E AMBIENTES PARA O GESTORCONTEMPORÂNEOA QUESTÃO DO CIPA A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) é uminstrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção deacidentes do trabalho, das condições do ambiente do trabalho e de todos osaspectos que afetam sua saúde e segurança. A sua eficácia em prevençãocontra acidentes vem funcionando bem, seu objetivo é fazer com queempregadores e empregados trabalhem conjuntamente na tarefa de preveniracidentes e melhorar a qualidade do ambiente de trabalho, de modo a tornarcompatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e apromoção da saúde do trabalhador.Fonte: arquivo de pesquisa / as fiscalizações aumentaram nos últimosanos devido ao aumento de acidentes registrada nestes locais de trabalho.
  • ATIVIDADES DA CIPA: Proceder a investigação dos acidentes de trabalho, elabora mapas derisco com orientação do SESMT e agenda e organizar a SIPAT (SemanaInterna de Prevenção de Acidentes) em conjunto com o SESMT. A Atribuiçãoda CIPA é elaborar o mapa de risco da empresas, ajudando nas prevenções deacidentes de trabalho.RESPONSABILIDADE SÓCIO–AMBIENTAL A responsabilidade sócio-ambiental esta relacionada a um conjunto deatitudes, individuais, coletivas ou empresarias, voltado para odesenvolvimento sustentável do planeta. Ou seja, estas atitudes devem levarem conta o crescimento econômico ajustado à proteção do meio ambiente naatualidade e para as gerações futuras, garantindo a sustentabilidade. Asustentabilidade está vinculada e integrada aos aspectos econômicos, sociais,culturais e ambientais da sociedade, representa promover a exploração deáreas ou o uso de recursos planetários (naturais ou não) de forma a prejudicaro menos possível o equilíbrio entre o meio ambiente e as comunidadeshumanas e toda a biosfera que dele dependem para existir. É umacaracterística ou condição de um processo ou de um sistema que permite a suapermanência, em certo nível, por um determinado prazo. Em anos recentes, oconceito tornou-se um princípio, segundo o qual o uso dos recursos naturaispara a satisfação de necessidades presentes não pode comprometer a satisfaçãodas necessidades das gerações futuras, o que requereu a vinculação dasustentabilidade no longo prazo, um "longo prazo" de termo indefinido. A responsabilidade sócio-ambiental representa o conjunto de ações deempresas e instituições, que atendem à crescente conscientização dasociedade, comportando a importância e a necessidade de revisar os modelosde produção e os padrões de consumo, de tal modo, que o sucesso empresarialnão seja alcançado a qualquer preço, mas ponderando-se os impactos sociais eambientais. Simplificando, é uma forma de as empresas prestarem contas aosfuncionários, à mídia, ao governo, ao setor não-governamental e ambiental e,por fim, às comunidades com quem operam de sua forma produtiva, dos seuspadrões de consumo, da forma de gestão de bens e serviços, das relações detrabalho e de toda a cadeia produtiva e de distribuição dos produtos e serviços. O que se deve destacar é a formação do entendimento de que obenefício dos investimentos em responsabilidade sócio ambiental com a
  • inclusão de novos parceiros sociais em seus processos decisórios, garantindo oreconhecimento da maior legitimidade social das empresas, destacando quegestão responsável em relação ao ambiente e à sociedade, garantem a nãoescassez de recursos, como também amplia o seu conceito e o entendimentode que desenvolvimento sustentável não só se refere ao ambiente, mas por viado fortalecimento de parcerias duráveis, promove a imagem da empresa comoum todo e por fim leva ao crescimento orientado. Em relação à gestão ambiental, devem ser estabelecidos uma políticacom embasamento no ciclo de valor econômico dos resíduos sólidosindustriais, de forma a serem consideradas as formas de aproveitamento dosmesmos, com predominância de tecnologias limpas de geração, o que deveenvolver formação de novos valores e ações públicas e privadas, com aconsciência de que gerenciar resíduos sólidos não é um problema detecnologia e muito menos de recursos humanos ou financeiros, mas tãosomente de conscientização e de implantação de política de gestãoinstitucional dentro de cada empresa. A doutrina entende que o planejamento ambiental é o “planejamentode uma região, visando integrar informações, diagnosticar ambientes, preverações e normatizar seu uso através de uma linha ética de desenvolvimento”,segundo obra de R. F. Santos, Planejamento Ambiental: Teoria e Prática, peloque entendemos que o planejamento ambiental como política pública é muitomais que uma simples planificação de ações, mas envolveria estudos do meiofísico, biótico e sócio-econômico das regiões, caracterizados pelos Planos deZoneamento Ecológico – Econômico - ZEE. O ZEE contribui para tornar o planejamento mais eficaz uma vez queestabelecem quais os usos mais adequados para cada localidade de acordocom suas características e capacidade suporte. Ajudando inclusive, nadefinição de áreas prioritárias ao planejamento ambiental. Segundo a resolução Nº 237 , de 19 de dezembro de 1997 o CONAMA(conselho nacional do meio ambiente) no uso das atribuições e competênciasque lhe são conferidas pela Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981,regulamentadas pelo Decreto nº 99.274, de 06 de junho de 1990, e tendo emvista o disposto em seu Regimento Interno, e considerando a necessidade derevisão dos procedimentos e critérios utilizados no licenciamento ambiental,de forma a efetivar a utilização do sistema de licenciamento como instrumentode gestão ambiental, instituído pela Política Nacional do Meio Ambiente, noartigo primeiro nos mostra como um órgão ambiental competente licencia alocalização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos eatividades utilizadoras de recursos ambientais , consideradas efetiva oupotencialmente poluidoras ou daquelas que, sob qualquer forma, possam
  • causar degradação ambiental, considerando as disposições legais eregulamentares e as normas técnicas aplicáveis ao caso. Por fim, a Política Nacional do meio ambiente, norteia a construção deum plano ambiental consciente criando uma harmonia em determinada regiãocom o meio ambiente. Apesar dos avanços na área ambiental e da sustentabilidade, devemosconsiderar o fato de que a responsabilidade deve ser dividida entre os setoresenvolvidos; independente de quais sejam, o Setor Público, o Setor Privado e aSociedade Civil, em sistemas cruzados de atividades e metas conjuntas:• Sistemas de Atividades; os quais devem ser bem definidos e comprocedimentos corretos.• Responsabilidades e Autoridades: ainda existem muitos conflitos e poucaprecisão.• Sistemas de Informações: praticamente inexiste. Compreende-se que desta mesma forma como a sociedade se tornacúmplice do risco ambiental, também tem o direito de conhecer os interessespúblicos, o planejamento, o controle e a fiscalização em relação aos resíduosambientais. Além de ter acesso às estratégias de fomento e estímulos para oestabelecimento de pilares estratégicos que envolvam: Órgãos Ambientais,Cadeias Produtivas e Laboratórios de Excelência de Institutos de Pesquisa,para que a Resolução CONAMA 313/2002 que trata do Inventário Nacionalde Resíduos Industriais se torne um instrumento eficaz de gestão ambiental. Diante destes questionamentos, somente o Poder Público pode impor aexecução da solução com a rapidez necessária. Com o surgimento de novosinstrumentos para as políticas públicas e privadas, deve haver um fator queproporcione financiamento para as iniciativas voluntárias. A exploração e a extração de recursos com mais eficiência e com agarantia da possibilidade de recuperação das áreas degradadas é a chave paraque a sustentabilidade seja uma prática de êxitos, aplicada com muito maisfreqüência aos grandes empreendimentos. De uma forma simples, podemos afirmar que garantir asustentabilidade de um projeto ou de uma região determinada é dar garantiasde que mesmo explorada essa área continuará a prover recursos e bem estareconômico e social para as comunidades que nela vivem por muitas e muitasgerações.
  • O mais grave dos problemas: Ausência de uma Política Nacional deResíduos Sólidos Industriais, há uma necessidade urgente de uma PolíticaNacional de Resíduos Sólidos com apoio do Ministério das Cidades e deoutras entidades públicas e organizações, integrada com as políticas deSaneamento, de Meio ambiente, com as políticas sociais de inclusão e degeração de emprego e renda, entre outras; quanto ao aproveitamento deresíduos industriais, a Ciência, Tecnologia e a Inovação podem contribuirsubstancialmente para o desenvolvimento econômico, entendido como ocrescimento sustentável da renda per capta e do emprego, associado àmelhoria da distribuição da renda pessoal e regional e à conservação do meioambiente. No Brasil, a falta de diálogo entre o governo, as políticas deindustrialização e de desenvolvimento científico, dificulta os mecanismos paraincentivar as atividades de Pesquisa e Desenvolvimento.ALGUNS EXEMPLOS DE RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL São Exemplos de atitudes que envolvem a responsabilidadeambiental individual: Realizar a reciclagem de lixo (resíduos sólidos), nãojogar óleo de cozinha no sistema de esgoto, usar de forma racional,economizando sempre que possível, a água, buscar consumir produtos comcertificação ambiental e de empresas que respeitem o meio ambiente em seusprocessos produtivos, usar transporte individual (carros e motos) só quandonecessário, dando prioridades para o transporte coletivo ou bicicleta, comprare usar eletrodomésticos com baixo consumo de energia, economizar energiaelétrica nas tarefas domésticas cotidianas e evitar o uso de sacolas plásticasnos supermercados. São Exemplos de atitudes que envolvem a responsabilidadeambiental empresarial: Criação e implantação de um sistema de gestãoambiental na empresa, tratar e reutilizar a água dentro do processo produtivo,criação de produtos que provoquem o mínimo possível de impacto ambiental,dar prioridade para o uso de sistemas de transporte não poluentes ou combaixo índice de poluição. Exemplos: transporte ferroviário e marítimo, criarsistema de reciclagem de resíduos sólidos dentro da empresa, treinar einformar os funcionários sobre a importância da sustentabilidade, darpreferência para a compra de matéria-prima de empresas que também sigamos princípios da responsabilidade ambiental, dar preferência, sempre quepossível, para o uso de fontes de energia limpas e renováveis no processo
  • produtivo, nunca adotar ações que possam provocar danos ao meio ambientecomo, por exemplo, poluição de rios e desmatamento.A QUESTÃO DA SUSTENTABILIDADE A sustentabilidade é uma pratica, ou método sistêmico, relacionadocom a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientaisda sociedade humana. É ainda interpretada como a exploração de áreas ou ouso de recursos planetários (naturais ou não) de forma a prejudicar o menospossível o equilíbrio entre o meio ambiente, o meio artificial e a sociedades etoda a biosfera que dele dependem para existir. Define-se aindapor “Desenvolvimento Sustentável” um modelo econômico, político, social,cultural e ambiental equilibrado, que satisfaça as necessidades das geraçõesatuais, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazer suaspróprias necessidades. Esta concepção começa a se formar e difundir juntocom o questionamento do estilo de desenvolvimento adotado, quando seconstata que este é ecologicamente predatório na utilização dos recursosnaturais, socialmente perverso com geração de pobreza e extremadesigualdade social, politicamente injusto com concentração e abuso de poder,culturalmente alienado em relação aos seus próprios valores e eticamentecensurável no respeito aos direitos humanos e aos das demais espécies. Nesse entendimento, um empreendimento sustentável devolve ao meioambiente todo ou parte dos recursos que processou e garante uma boaqualidade de vida as populações que nele atuam ou que vivam nas imediaçõesou na área afetada pelo projeto, permitindo uma longa vitalidade e um baixoimpacto naquela região durante gerações. É necessário entender o que a adoção de práticas sustentáveis na vidade cada indivíduo é um fator decisivo para possibilitar a sobrevivência da raçahumana e a continuidade da disponibilidade dos recursos naturais. Mesmo nas atividades humanas altamente impactantes no meioambiente como a mineração; a extração vegetal, a agricultura em larga escala;a fabricação de papel e celulose e todas as outras; a aplicação de práticassustentáveis nesses empreendimentos revelou-se economicamente viável e emmuitos deles trouxe um fôlego financeiro extra. O desenvolvimento de projetos empresariais em conformidade com osparâmetros de sustentabilidade multiplicaram-se por vários lugares antesdegradados do planeta. Nesse sentido, muitas comunidades que antes viviamsofrendo com doenças de todo tipo provocadas por indústrias poluidorasinstaladas em suas vizinhanças viram sua qualidade de vida ser
  • gradativamente recuperada e melhorada ao longo do desenvolvimento dessesprojetos sustentáveis. O princípio da sustentabilidade aplica-se a um único empreendimento,a uma pequena comunidade (a exemplo das ecovilas), até o planeta inteiro.Para que um empreendimento humano seja considerado sustentável, é precisoque seja:• ecologicamente correto • socialmente justo• economicamente viável • culturalmente aceito“Precisamos produzir as análises dos impactos ambientais, para assimformular um planejamento ecológico, baseado no relacionamento saudávelentre o homem e o meio ambiente, e aliados à tecnologia contemporânea e oconhecimento científico, criar uma estratégia que favoreça a ambos”. MCHARG Cada espaço deve receber uma destinação e monitoramento com oobjetivo de manter o equilíbrio natural e urbano. Deve ser determinada aintensidade e as características sustentáveis de cada lugar, onde estes possamreceber um tratamento diferenciado, conforme suas necessidades urbanísticase ambientais. A cidade não deve ser apenas produzida por normas padronizadas,sendo essencial articular as dimensões econômicas e sociais das dimensõesterritoriais para que haja a gestão do solo. Um modelo espacial, as tipologias alternativas, as estratégias e aregulação são fatores que devem estar baseados na articulação dos espaçospúblicos e privados, na democratização e no relacionamento entre o homem ea natureza. Para isto é preciso que ocorra uma integração e organização entre asdiretrizes e os instrumentos de desenvolvimento urbano, de maneira que aspolíticas habitacionais se articulem com a política fundiária e ambiental,buscando a formação e a garantia de um ambiente socialmente justo eecologicamente equilibrado quanto à ocupação do território. Propõe-se a ser um meio de configurar a civilização e atividadehumanas, de tal forma que a sociedade, os seus membros e as suas economiaspossam preencher as suas necessidades e expressar o seu maior potencial nopresente, e ao mesmo tempo preservar a biodiversidade e os ecossistemas
  • naturais, planejando e agindo de forma a atingir pró-eficiência na manutençãoindefinida desses ideais. A sustentabilidade abrange vários níveis deorganização, desde a vizinhança local até o planeta inteiro.Exemplo: Utilização do sistema 3R = Reciclar, Reduzir e ReutilizarPLANEJAMENTO AMBIENTAL É a ciência fundamenta agendas ambientais para os diferentes espaçosatendendo às demandas temporais, de forma continuada às referências dagestão ambiental, do gerenciamento propriamente dito. PlanejamentoAmbiental (PA) avalia o espaço físico não só como um reflexo dos processosnaturais, mas também como expressão das contradições da sociedade nasformas de apropriação e exploração da terra e dos recursos naturais. O Planejamento Ambiental (PA) é inda um processo que diagnosticapaisagens através de uma abordagem multidisciplinar. Aponta para as diversasintervenções antrópicas no meio natural e interpreta as características culturaise sociais das comunidades podendo chegar a definir cenários que alteram osanseios das comunidades envolvidas - dados os objetivos da qualidade de vidadessas populações e seus habitats. O Brasil é um país de escala continental, possuindo zonas climáticasvariadas e com grande capital de biodiversidade, o maior em ordem mundial,o que viabiliza muitas possibilidades econômicas, mas também alavancagrandes dificuldades na gestão desse universo ambiental, pelo que foiimplantada a Política Nacional de Meio Ambiente – PNMA, com objetivo apreservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida,visando a assegurar condições ao desenvolvimento sócio-econômico, aosinteresses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana,atendidos princípios básicos como:• manutenção do equilíbrio ecológico;• racionalização do uso do solo, do subsolo, da água e do ar;• planejamento e fiscalização do uso dos recursos ambientais;• proteção dos ecossistemas, com a preservação de áreas representativas;• controle e zoneamento das atividades potenciais ou efetivamentepoluidoras;• incentivos ao estudo e à pesquisa de tecnologias orientadas para o uso
  • racional e a proteção dos recursos ambientais;• acompanhamento do estado da qualidade ambiental;• recuperação de áreas degradadas e proteção de áreas ameaçadas dedegradação;• educação ambiental em todos os níveis do ensino, inclusive a educaçãodas comunidades visando, objetivando capacitá-las para a participação ativana defesa do meio ambiente. Nesse enfoque, a PNMA que tem objetivo de garantir a preservação,melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, visandoassegurar, no País, condições ao desenvolvimento sócio-econômico, aosinteresses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana,portanto, a preservação e a sustentabilidade deve ser um processo contínuo,como anteriormente referido, juntamente com outros eventos e movimentosinstitucionais e civis, tornaram necessários a absorção de novos conceitos aospadrões de desempenho da atividade empresarial, em especial em relação àRESPONSABILIDADE SOCIO AMBIENTAL. Conforme já explanado anteriormente, planejamento ambiental seria aplanificação de ações com vistas a recuperar, preservar, controlar e conservaro meio ambiente natural de determinada região. Incluindo-se parques,unidades de conservação, cidades, regiões, etc. Definição esta, que podeenglobar também o planejamento ambiental empresarial, feito por empresas eoutras organizações como tentativa de buscar melhorias ambientais. Planejamento ambiental, portanto, é a organização do trabalho de umaequipe para consecução de objetivos comuns, de forma que os impactosresultantes, que afetam negativamente o ambiente em que vivemos, sejamminimizados e que, os impactos positivos, sejam maximizados. Planejamento Ambiental começou a ser utilizado com maior freqüêncianos últimos dez anos após a Conferência das Nações Unidas sobre MeioAmbiente e Desenvolvimento no Rio de Janeiro, a ECO-92, com a criação domaior programa de planejamento ambiental já existente: a AGENDA 21, peloqual foi previsto um planejamento em cascata do nível global, para o nacional,regional (estadual), até o nível local (ou municipal), com o objetivo demelhoria da qualidade de vida do ser humano e de conservação e preservaçãoambiental.
  • Em 2002, encerrada a RIO + 10 em Joanesburgo, África do Sul, umanova conferência promovida pela ONU com o objetivo de avaliar osresultados obtidos com a aplicação da AGENDA 21 e de criar um novoprograma para o futuro. Após a ECO-92, a Organização Internacional de Padronizaçãopublicou as normas sobre padrões ambientais internacionais ISO série 14000,que incluem o planejamento ambiental como um dos requisitos paradesenvolvimento de um sistema de gestão ambiental (1996). O planejamentoambiental como política pública envolveria integração de informações,diagnostico de ambientes e o estabelecimento de ações e normas de utilizaçãodos espaços e ambientes através de uma linha ética de desenvolvimento. O objeto de um planejamento ambiental é o seu propósito. É o temacentral do planejamento. Em geral, faz parte do título do plano. Exemplos depropósitos em planejamento ambiental: Bacia hidrográfica; Unidade deconservação; Paisagem; Educação ambiental; Sistema de gestão ambiental deempresa; Reciclagem de resíduos e embalagens; Tratamento de efluentes;Tratamento e disposição de resíduos; Redução do consumo de energia;Redução do consumo de água; Redução de impactos ambientais na fabricaçãode produtos e a Redução de impactos ambientais na prestação de serviços. O Estatuto da Cidade, Lei 10.257 de 10 de Julho de 2001, tem porobjetivo principal estabelecer diretrizes gerais de política urbana visandogarantir o direito a cidades sustentáveis, com uma conotação dedesenvolvimento econômico aliado à preservação do Meio Ambiente, atravésdo desenvolvimento de políticas de planejamento ambiental. Através do Planejamento Ambiental o município e a população têm aobtém conhecimento dos meios tecnológicos, a informática, os meios detelecomunicação e as preocupações ecológicas, visando criar uma estratégiaglobal baseada na sustentabilidade, através da qual, é necessária a substituiçãoda administração das estratégias vigentes, pela introdução e aceitação de umnovo planejamento baseado na gestão integrada dos assentamentos urbanos edestes com a natureza.
  • Fonte: arquivo de pesquisa / o planejamento do estatuto das cidades, vaicontra a maré do crescimento desordenado da cidade de São Luis – Ma. O planejamento ambiental apresenta-se como um processo flexível edinâmico, baseado na descrição detalhada de uma unidade de paisagem efundamentado em mapas recentes, essenciais à elaboração de uma infra-estrutura básica de dados para a interpretação, avaliação e decisão a respeitodo manejo da unidade em questão (PIRES, 1995). Metodologicamente, estaconcepção exige, a princípio, uma definição da unidade espacial de trabalho, apartir da compreensão da área que contenha as interações e pressões sobre ossistemas naturais ou criados pelo homem (SANTOS, 2004). A adoção dabacia hidrográfica como unidade de planejamento é de aceitação universal,constituindo um sistema natural bem delimitado no espaço, composto por umconjunto de terras topograficamente drenadas por um curso de água e seusafluentes, onde as interações, pelo menos físicas, são integradas e, assim, maisfacilmente interpretadas (ARGENTO & CRUZ, 1996; SANTOS, 2004). O acesso das pessoas a serviços de saneamento básico, ainda é restritoa sua classe econômica e sua distribuição geográfica, o que acaba gerando a
  • criação dos “bolsões” de pobreza em lugares onde não há saneamento básico,com falta de hospitais, escolas, postos policiais, ou seja, a população écompletamente desassistida. O saneamento básico é a medida mais elementarde controle de doenças, e deve ser pensado desde os primórdios da ocupaçãode um território, pois dessa medida dependerá grande parte do crescimento dacidade. O planejamento ambiental e o saneamento básico estão diretamentevinculados, pelo que é necessária que se proceda, antes mesmo do próprioplanejamento, uma integração entre Estado Federal, Estados membros,Municípios, sociedade e iniciativa privada. Em se falando em município, o primeiro passo é a definição dasdiretrizes a serem tomadas, passando, após, pelas propostas de coordenação edefinição das coordenações das diretrizes, para tanto se deve realinhar asmacroestratégias, diretrizes e planos de ação macro. Juntamente com o planodas diretrizes deve-se traçar um plano orçamentário para se definir a alocaçãode recursos, premissas orçamentárias, projeção de orçamento e as metas aserem atingidas, atentando-se para as inovações tecnológicas que possam vir aser úteis, devendo-se contar coma implantação de um programa ambientaldentro de toda a estrutura, incluindo o relacionamento com os órgãosambientais responsáveis pelas respectivas áreas e com o próprio MinistérioPúblico, bem como deve haver, também, o envolvimento dos Comitês deBacias. Além disso, essencial que haja a capacitação e Educação Ambientaldos diversos órgãos envolvidos. O planejamento deve ser integrado, quesignifica dizer que o planejamento fornece instrumentos tanto para aorganização constituir sua estrutura, quanto para a gestão obterem os seusresultados, e, por sua vez, com os resultados que recebe da gestão e a estruturacriada pela organização continua o seu processo de planejamento. Assimfunciona o processo que é contínuo e integrado entre três setores básicos quesão o planejamento, gestão e organização. No planejamento integrado deve-se sempre levar em conta ascaracterísticas locais conjuntamente com as regionais. Como, por exemplo, osplanos, locais e regionais, ambientais e de viabilidade econômica.Para a realização do Planejamento Integrado são necessárias as construções deuma proposta de planejamento integrado e de estratégias para a suaimplementação. É também de fundamental importância que se desenvolva afunção Planejamento com a disseminação da teoria, ferramentas e prática deplanejamento e gestão em conjunto com os projetos de saneamento ambiental,previstos e necessários.
  • O sistema de planejamento deve ser um ciclo que se inicia com odiagnóstico, passando pela elaboração de diretrizes e metas, criando-se entãoplanos de ação, que cedem lugar à gestão de resultados que por sua vez daorigem a novos diagnósticos, reiniciando o ciclo.Dentre as estratégias atuais, chamadas de eco-urbanístico, podemos analisardiversos princípios de organização que servem de referências positivas, tendocomo base a sustentabilidade e a qualidade de vida. Dentre os temasimportantes a serem analisados, podemos citar:- a mobilidade (tráfego de pessoas, animais, bicicletas, veículos e outros meiosde transporte, como transporte público)- os recursos (uso e manipulação dos materiais de construção, da energia, daágua e dos resíduos)- a participação (comunidade de seres vivos formando com integridade umaunidade ecológica)- a comunidade (a criação de um entorno, adequado para a interação social dacomunidade e desta com a natureza)- eco-resorts e eco-turismo (a introdução de um turismo mais saudável combase na ecologia, e também na introdução de projetos urbanísticos turísticoslevando em consideração os temas ecológicos, a re-educação e a introdução denovos critérios ecologicamente saudáveis)- a revitalização (renovação urbana, reurbanização, renovação física doscondicionantes sociais e econômicos, restituição do balanço entre osecossistemas sem danificá-los, isto é de uma maneira mais holística) O eco-urbanismo é o caminho para a qualidade de vida; suaimplantação em todas as regiões do mundo serve de instrumento para amelhora da qualidade de vida da população mundial. Medidas como:economia da água, racionalização da luz, saneamento com baixo custoenergético, transporte coletivo, aproveitamento da energia solar e eólica,proteção dos mananciais, coleta seletiva do lixo, agricultura orgânica,tratamento do esgoto, valorização do turismo ecológico (trilhas e esportesnáuticos), transporte coletivo (ônibus elétricos e bonde), são algumas medidasque podem ser implementadas. O máximo aproveitamento da iluminaçãonatural, e da circulação do ar; construções feitas com material que contém ocalor e a umidade são fatores considerados na construção das edificações. Para as áreas urbanizadas, existe uma preocupação em manter baixa aocupação do solo, garantindo uma arborização farta, conforto térmico, criaçãode parques urbanos e a criação de cinturões verdes. O projeto urbano,determina que próximo às áreas residenciais haverá áreas de serviço, bancos,
  • escolas, posto policial e de saúde, centros comunitários e culturais, parques epraças, entre outros equipamentos. As estratégias da ecologia e da tecnologia, servem para formar aintegridade sustentável e assim garantir um futuro promissor, com base numavisão audaz futura. A contribuição desta “ecotecnologia” permite o usobenéfico dos condicionantes naturais, através da racionalização das energiasrenováveis e não renováveis, isto é, da reciclagem dos resíduos sólidos elíquidos, dos recursos alternativos de obtenção de energia bem como dacriação de micro-climas. Exemplo: Licença para uso de uma determinadaárea para fins industriais e econômicos.SANEAMENTO AMBIENTAL Saneamento básico sempre foi, continua sendo e por muito tempocontinuará sendo uma preocupação das sociedades. O planejamento ambientale o saneamento básico possuem relação direta entre si. Para combater aspatologias urbanas, precisamos de um planejamento adequado às questõesambientais com enfoque na sustentabilidade, de maneira que tanto as cidades,como a paisagem e seus ecossistemas, tornam-se fatores a serem considerados,garantindo assim o equilíbrio e a sobrevivência de todos os ecossistemasexistentes.“O enfoque da temática ambiental só pode se dar, por pressuposto, de formaholística. Ao tratar desta questão na esfera da cidade e do município, ogrande desafio que se coloca é o do equacionamento do desenvolvimentourbano sustentado. Substituir o equilíbrio natural existente previamente àconstrução da malha urbana por um novo equilíbrio urbano é tarefa queimplica providências especiais, envolvendo desde o conhecimento completodas características e condições do sítio natural pré-existente, até aimplementação de uma política integrada de gestão ambiental”. UDO MOHR
  • Fonte: arquivo de pesquisa / o saneamento básico é uma realidadedistante em vários pontos da cidade de São Luis - Ma Muitos empreendimentos são estalados nestas regiões praieiras epróximas a mangues sem qualquer planejamento ambiental ou urbanística, oscustos ao estatuto das cidades, refletem na resolução de problemas futuros,como enchentes, erosões costeiras, trafego de transito, habitação civil, dentreinúmeras outras adversidades, grande parte desta sistemática cabe aos gestoresorganizacionais que não operacionalizam bem suas funções, decorrentes dedesconhecimento, despreparo profissional ou de conduta política inadequada.SANEAMENTO BÁSICO E SUSTENTABILIDADE De acordo com dados do governo federal, diversos Estados eMunicípios no país não possuem cobertura de rede de esgoto satisfatória.
  • Enquanto agentes públicos enchem a boca para falar de “sustentabilidade”,praias, riachos e córregos sofrem com a poluição. A defesa do meio ambiente,que deveria ser prioridade para qualquer governo, é tratada atualmente comofigura de linguagem em busca de votos e para confundir a opinião pública. O resultado do descaso é a contaminação por efluentes de rios, riachos,lagos e mares, solos, ar e outras formas diretas e indiretas de contaminação eno caso dos rios, riachos, lados e mares, o que se vê é que pela falta desaneamento, o esgoto doméstico e industrial in natura é levado a cada chuvamais forte. A realidade é crítica e nesse sentido, precisa-se entender quesustentabilidade é muito mais do que uma palavra bonita, de efeito, comgrande repercussão na mídia. Sustentabilidade é investir em ações concretasem defesa da preservação do meio ambiente e da saúde dos moradores,principalmente falando em escala de saneamento básico municipal, onde devehaver preocupação essencial em relação a qualidade do abastecimento de águae manejo dos resíduos sólidos, mas em relação aos resíduos sólidos, entenderque não basta a coleta seletiva, mas é preciso saber reutilizar o lixo,reprocessá-lo e destiná-lo corretamente. Entendendo-se que saneamento básico refere-se aos componentes deabastecimento de água, o manejo de águas pluviais e o de resíduos sólidos. Jáo saneamento ambiental é compreendido como o conjunto de ações que visammelhorar a salubridade ambiental contemplando o abastecimento de água emquantidade e qualidade, a coleta, tratamento e disposição final adequada dosresíduos líquidos, sólidos e gasosos, a prevenção e o controle do excesso deruídos, a drenagem das águas pluviais, promoção da disciplina sanitária do usoe ocupação do solo, o controle ambiental de vetores de doenças transmissíveise demais serviços e obras especializados, buscando contribuir para prevenirdoenças e promover a saúde, o bem-estar e a cidadania. Destaque-se que saneamento é um direito essencial para a cidadania.Sem saneamento básico, as pessoas ficam expostas à doenças graves, e o meioambiente pode ser duramente prejudicado (solo, vegetação, águas dos mares edos rios). O livro que "Experiências de Êxito em Serviços PúblicosMunicipais de Saneamento", uma publicação da Associação Nacional dosServiços Municipais de Saneamento (Assemae), elenca exemplos excelentesde municípios como o de Santo André (SP) que foi o primeiro município a teruma autarquia exclusiva voltada para o saneamento básico. Também destacoPorto Alegre, com seus departamentos municipais e indicadoressurpreendentes. Alagoinhas (BA), onde o Plano Municipal de SaneamentoAmbiental é lei. Penápolis (SP), que conta com nível de cobertura de 100%,enfim.
  • Exemplo fático de saneamento sustentável seria falar-se em utilizaçãoe manejo de águas pluviais. Essencial hoje, em se falando de saneamento esustentabilidade, que os gestores municipais entendam e efetuem aimplementação de estrutura de engenharia adequada não apenas de onde aágua cai para onde a água vai, mas de implantar a impermeabilização de locaispara viabilizar a retenção de águas pluviais. Grande problemática que temos no sistema de saneamento,principalmente em relação às redes de abastecimento de água, é a falta deaproveitamento de água coletada nos telhados dos imóveis, que poderiam serencaminhadas às cisternas para reaproveitamento. Estudos mostram que a urina humana é rica em substâncias como ofósforo. Uma vez tratada, ela poderia ajudar no plantio de alimentos. As fezeshumanas, por sua vez, podem servir nas compostagens (fertilizante orgânico).Tais práticas são muito comuns na Ásia e passam de geração para geração.Seguindo esse raciocínio, desperdiçamos cerca de 250 ml de urina cada vezque vamos ao banheiro. Ao puxarmos a descarga, lá se vão mais 10.000 ml deágua tratada... Nossa cultura também é um obstáculo. Não desligamos ochuveiro enquanto nos ensaboamos no banho ou fazemos a barba. Sem saber,estamos gerando esgoto de forma desnecessária. O problema gerado pela falta de saneamento básico é um dos maioresproblemas do Brasil quando vemos estudos oficiais que apontam que apenas35% dos esgotos recebem algum tipo de tratamento. O resto é lançado innatura nos rios, lagos e no litoral. Mais que isso, o custo estimado para levar saneamento básico paratodo o Brasil é alto. A utilização de método biodigestor ou o biossistemaintegrado representa mais que uma alternativa, mas uma verdadeira revoluçãoem nosso olhar sobre o esgoto. Além disso, o esgoto é fonte de biogás. Reduzindo a emissão de gasesde efeito estufa com a queima do metano e a reduzindo ainda a dependênciade projetos assistencialistas, efetuando-se o tratamento d o esgoto no localonde ele é gerado, reduzindo custos. A reciclagem dos nutrientes permite que o esgoto seja a base da cadeiaalimentar de bichos e plantas, que são consumidos pela própria comunidadesem risco de contaminação, desde que sejam tomados os devidos os cuidados. Os objetivos principais de um processo de sustentabilidade planejadana melhoria do nível de vida de todas e o que espera de um planejamentoambiental municipal, através de princípios estratégicos como:
  • - a estruturação urbana através de um - a mobilização urbana pelasistema de espaços públicos no papel implantação de um sistema dede articulação social (parques e corredores e serviços de transportepraças). que incentivem o uso de transporte público e a redução dos impactos dos veículos privados.- a qualificação do ambiente natural - a proteção do patrimônio natural e aatravés da conservação dos valorização da paisagem.ecossistemas e dos recursos naturais,garantindo uma paisagem saudável ecom qualidade de vida.- a promoção econômica, através da - o controle do uso do soloparticipação municipal na geração etutela dos empreendimentoseconômicos, gerando empregos ecritérios baseados na sustentabilidadeambiental.- a re-educação social onde haja a - a efetuação de medidas comoparticipação da sociedade no conforto térmico, acústico, espacial eprocesso, de maneira que a meta visual nas edificações.sustentável possa ser alcançada.- a qualificação da água. - a organização das funções urbanas através da auto-suficiência para que ocorra o equilíbrio de gestão;- o uso tecnológico, de - a criação de novas potencialidades.geoprocessamentos, recursos deinformática avançada ecomunicação, para acompanhar astransformações, analisar os impactos,simular alternativas e tomar decisões.- a recuperação das áreas degradadas. - a criar de soluções para a saúde pública e medidas de ações de saneamento básico.
  • - o controle dos recursos naturais e - a elaboração de um plano de gestãoartificiais e dos resíduos urbanos. ambiental.- a democratização, pela participação - a regionalização, como base dede toda sociedade. representação política e da descentralização do poder.- o acesso à informação, de todo o - a flexibilização das ações desistema de Informações de dados. planejamento, geradoras de soluções morfológicas e funcionais para cada caso.- as iniciativas públicas e privadas - coleta de dados por sensoriamentoque devem ser elaboradas e remoto.incentivadas pela AdministraçãoMunicipal e associadas a agentesprivados, para que haja a integraçãodas áreas funcionais às políticas dedesenvolvimento.CRIMES COMETIDOS NO AMBIENTE DE TRABALHOA QUESTÃO DO ASSÉDIO MORAL A exposição dos trabalhadores a situações humilhantes econstrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e noexercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicasautoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relaçõesdesumanas e não éticas de longa duração, de um ou mais chefes, dirigida a umou mais subordinados, desestabilizando a relação da vítima com o ambiente detrabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego. Quando a empresanão dá a devida importância ao assédio moral, julgando ser este um meiocomumente utilizado por outros dirigentes a se atingir seus objetivos ou porsimples falta de interesse em tentar estagnar essa situação, temos ademonstração do seu descaso com a integridade do trabalhador, o quefuturamente lhe dará muitas conseqüências negativas e desastrosas. Ao se
  • colocar um profissional em um papel humilhante no seu ambiente de trabalho,seja o assédio moral provocado pela empresa ou por um colega de trabalho,temos uma total falta de respeito ao princípio da Dignidade Humana que presapelo bem estar de todos, onde constitui um valor fundamental da ordemjurídica para a ordem constitucional que pretenda se apresentar como Estadodemocrático de direito. Todos nós temos o direito à integridade física eemocional e esta não pode ser violada.CARACTERISTICAS DE UM ASSÉDIO SEXUAL “Pedido de favores sexuais pelo superior hierárquico, com promessa detratamento diferenciado em caso de aceitação e/ou ameaças, ou atitudesconcretas de represálias no caso de recusa, como a perda de emprego, ou debenefícios". “O assédio sexual é um ato que, pela sua própria natureza, se praticasecretamente”. Portanto, a prova direta dificilmente existirá. Por conseguinte,os Tribunais têm levado em conta a conduta similar do agente, como forma deprova indireta. Comprovado que o agente agiu da mesma maneira em relaçãoa outras possíveis vítimas, demonstrando um comportamento desvirtuado danormalidade, o assédio sexual restará admitido. No caso dos autos, entretanto,a conduta reiterada do agente não restou comprovada. Não há qualquerelemento de prova, mesmo a indireta, que corrobore as assertivas dareclamante, razão pela qual não se pode atribuir ao empregador aresponsabilidade que a autora pretende lhe imputar”. O assédio sexual é uma forma de abuso de poder no ambiente detrabalho. Há dois tipos de assédio sexual:1. Chantagem: é o tipo criminal previsto pela Lei 10.224/01.2. Intimidação: intenção de restringir, sem motivo, a atuação de alguém oucriar uma circunstância ofensiva ou abusiva no trabalho.CRIME DE ASSÉDIO SEXUAL “Constranger alguém com o intuito de levar vantagem ou fornecimentosexual, prevalecendo-se o agente de sua forma de superior hierárquico, ouascendência inerente a exercício de emprego, cargo ou função”.Obs: O crime de assédio sexual foi introduzido pela Lei 10.224/01.
  • A QUESTÃO DO ASSÉDIO MORAL O assédio moral no trabalho é o "terror psicológico" impingido aotrabalhador,"ação estrategicamente desenvolvida para destruirpsicologicamente a vítima e com isso afastá-la do mundo do trabalho" "“Mobbing”, assédio moral ou terror psicológico no trabalho” sãosinônimos destinados a definir a violência pessoal, moral e psicológica, sejaela vertical, horizontal ou ascendente no ambiente laboral. O termo mobbing foi empregado pela primeira vez pelo etiologistaHeinz Lorenz, ao definir o comportamento de certos animais que circundandode forma ameaçadora outro membro do grupo, provocam sua fuga por medode um ataque.CRIME DE ASSÉDIO MORAL No mundo do trabalho, o assédio moral ou mobbing pode ser denatureza: vertical – a violência parte do chefe ou superior hierárquico;horizontal – a violência é praticada por um ou vários colegas de mesmo nívelhierárquico; ou ascendente – a violência é praticada pelo grupo deempregados contra um chefe. O crime de assedio moral é grave, é umaviolação de direitos humanos, com punições severas previsto em lei.CONCLUSÃO Os desafios dos gestores contemporâneos são muitos, a necessidadesde resolver problemas cada vez mais complexos e sistêmicos, exigem que esteprofissional recicle-se sempre, e que esteja atualizado e preparado paraenfrenta as adversidades de um nicho econômico sujeito a mudançasconstantes, com conflitos e causas inexoráveis. O conhecimento, aexperiência, iniciativa positivas e uma boa dose de perspicácia, fazem bastantediferença na hora de se destaca como um profissional de sucesso, o uso deferramentas e de tecnologias de gestão aplicadas de maneira coerente einteligente, logisticamente garantiram bons resultados, tecnologias como oSistemas de Informações (SI’s), a Reegenharia, o Benchmarking e oOpen-Book mostraram-se ótimas ferramentas que propiciam uma gestão dequalidade satisfatória, eficazes no direcionamento da correção da melhoria
  • continua de processos, valorizando as três principais lições que cadaferramenta induz: o recriar, o comparar e o compartilhar. Devemos ter em mente que fatores como bom gerenciamento,consultoria e mudanças organizacionais são condições mínimas para que umaempresa permaneça no mercado. O diferencial a ser oferecido é que vaicativar o cliente e agregar valor ao negócio, chegando a ponto do cliente estardisposto a pagar mais caro pelo serviço, em relação a outras opções domercado. Os diferenciais dependem da relação entre os negócios ou serviços,e podem estar fundamentados em ofertas de serviços distintos da maioriaoferecida pelos concorrentes, como por exemplo: flexibilidade nos pedidos, ouna forma de pagamento, capacidade para realiza serviços mais complexos, oude serviços especializados, variação dos produtos, entre muitas outras opções. Nas organizações de forma geral é preciso entre outras coisas orespeito pelos colaboradores, e o cumprimento das leis e normas vigentes porparte das organizações institucionais e empresarias, só assim o gestororganizacional obterá sucesso como administrador e líder, seja de sua equipede trabalho, ou como acionista, o como membro de um grande grupo oucorporação, sendo este individuo parte da engrenagem que a faz movimenta-se. Observamos também que as novas demandas organizacionais, além denos permitir releituras sobre o ambiente trabalho, também traz reflexõesimportantes sobre o ambiente natural que nos envolve. Através da aplicaçãoda sustentabilidade no ambiente urbano é que iremos combater os problemasurbanos e assim fomentar a criação de um planejamento urbanístico maissaudável e integrado ao meio natural onde poderemos obter a conservação detodos os ecossistemas, garantindo assim a proteção ambiental e a adequaçãodos espaços abertos ao crescimento da cidade. Partindo deste principio, épreciso melhorar a organização urbana ambiental, precisamos orientar osobjetivos específicos com base na sustentabilidade e na qualidade de vida denossas cidades, através da análise, organização e do bom funcionamento dosseguintes aspectos: mobilidade urbana, recursos, participação, comunidade,eco-turismo, revitalização povoamento ordenado e planejado de áreaspassiveis de urbanização. É preciso que se criem técnicas e procedimentos projetos mais atuais,em referencia ao urbanismo arquitetônicos e paisagísticos, que possam serproduzidos de maneira compatível à realidade brasileira, garantindo os níveiseconômicos e a uniformidade da execução das habitações. Também se faznecessária, a definição de conceitos de implantação urbana, de maneira que sepossa obter a integração: espacial, social, funcional, morfológica e ambiental.Pois quando há planejamento sustentável, quando conservamos e preservamos
  • elos naturais, quando desenhamos, quando gerenciamos e quando fazemosdecisões sábias para as paisagens, e especialmente para as regiões,manifestamos o pensamento sustentável e atuamos para a manutenção dehabitat saudável as novas gerações futuras. Enfim, precisamos re-organizar nossas cidades, para assim resgatar asbelezas naturais ainda presentes na sua paisagem, garantir o bem estar social eintegrar harmonicamente a sociedade e a natureza, obtendo uma qualidade devida e contribuindo para garantir uma sustentabilidade para nossas futurasgerações. Através de uma visão futura de nossas cidades, baseadas noambiente urbano e natural; poderemos então criar objetivos e metas quebusquem uma integração social, econômica e ambiental baseadas no seguinteprincípio: o de formar uma cidade mais sustentável.REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICASPLT-148, Tecnologias e Ferramentas de Gestão ( Décio Henrique Franco,Edna de Almeida Rodrigues, Moises Miguel Cazela ).www.sebrae.com.br / www.brasilsemfronteiras.org–acesso em 26/10/2011www.tecnlogiagerencial.com.br / www.fapema.com.br–acesso em 28/10/2011http://planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6938compilada.htmwww.mma.gov.br/port/conama/res/res97/res23797.htmlwww.sabesp.com.brwww.cetesb.sp.gov.brwww.cidades.gov.br/secretariasnacionais/saneamentoambiental/biblioteca/bibliotecawww.estre.com.br/br/index.htmlwww.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-8392001000100015&script=sci_arttexthttp://soniaa.arq.prof.ufsc.br/sonia/ENECS/guilherme2003.pdfhttp://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_474382.shtmlhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Sustentabilidadehttp://www.fbds.org.br/fbds/rubrique.php3?id_rubrique=282http://sustentabilidade.org.br/default.asphttp://www.ecoterrabrasil.com.br/home/index.php?pg=temas&tipo=temas&cd=1688http://www.dc.mre.gov.br/imagens-e-textos/revista3-mat10.pdfhttp://www.sinduscon-fpolis.org.br/index.asp?dep=9&pg=661http://www.ecodesenvolvimento.org.br/avina-leadership/especialista-destaca-importancia-do-saneamento
  • http://www.bvsde.paho.org/bvsacd/cd51/planejamento.pdfhttp://www.institutoaf.org.br/wp-content/uploads/2010/09/wsig2/dia1/Rozely_-_plan_ambiental_esalq_2010.pdfhttp://oficinadesustentabilidade.blogspot.com/search/label/sustentabilidadehttp://www.ecologiaurbana.com.br/sustentabilidade/o-que-e-sustentabilidadeCHIAVENATO, Idalberto. Administração: teoria, processo e pratica. 4 º ed.Rio de Janeiro: Elsevier, 2007, v.1. (PLT) Willian H. Newman. Açãoadministrativa: as técnicas de organização e gerencia. São Paulo: Atlas, p.394-396 Idalberto Chiaveneto. Recursos Humanos: O Capital Humano dasOrganizações. São Paulo: Atlas 2004.OLIVEIRA, D.P.Rde. Planejamento Estratégico: Conceitos, Metodologia ePraticas. São Paulo: Atlas, 1998. INSTITUTO ETHOS. Formulação eImplantação de Código de Ética em Empresas. Instituto Ethos de Empresas eResponsabilidade Social, São Paulo, 2000. Disponível em: . Acesso em: 22nov. 2001. • PASSOS, Elizabete. Éticas nas Organizações. São Paulo: Atlas2004.