Indicadores IBGEEstatística da Produção Agrícola             Abril de 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística...
Presidenta da República      Dilma RousseffMinistra do Planejamento, Orçamento e Gestão     Miriam BelchiorINSTITUTO BRASI...
SUMÁRIOPRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM ABRIL DE 20121 - Lavouras ...................................................................
Mandioca ...............................................................   64Milho (em grão) – Total ........................
1 – Lavouras1.1 – Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas – quarta estimativa da safra2012, em relação à produção o...
Entre as Grandes Regiões, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosasapresenta a seguinte distribuição: Reg...
Variação absoluta da produção - comparação abril / março 2012 - BRASIL                                                    ...
CAFÉ ARÁBICA (em grão) - Na comparação mensal, a safra de café arábica 2012, em nível deBrasil, que está estimada em 2.298...
400.000                        0                      0,            350.000            300.000                            ...
MILHO (em grão) 2ª safra – A previsão para a segunda safra nacional de milho é de32.941.913 toneladas. Apresentou acréscim...
No Mato Grosso do Sul, há uma expressiva redução na área plantada de 43,9%, emcomparação com o ano anterior. Esta redução ...
No Paraná, o plantio já se desenvolveu em cerca de 15% da área, com as lavourasapresentando uma boa germinação e um bom de...
laranja (0,4%), mamona em baga (52,5%), soja em grão (11,4%), sorgo em grão (10,7%) e trigo emgrão (15,9%).        Nas fig...
plantio do amendoim é importante e muitas vezes o cultivo da leguminosa fica na dependência dadisponibilidade de áreas, no...
como último recurso, muitas vezes para evitar que o teor de umidade no solo atinja níveis críticos.       Apesar dos probl...
MILHO (em grão) - É esperada uma produção de 67.256.210 de toneladas somadas as duassafras do produto, superior 1,9% em re...
SOJA (em grãos) - A produção esperada para a soja em 2012 é de 66,4 milhões de toneladas,menor 11,4% que a do ano passado....
18
1 - ÁREA, PRODUÇÃO E RENDIMENTO MÉDIO - CONFRONTO DAS ESTIMATIVAS MARÇO/ABRIL                                             ...
2 - ÁREA, PRODUÇÃO E RENDIMENTO MÉDIO - CONFRONTO DAS SAFRAS DE 2011 E DAS ESTIMATIVAS PARA 2012                          ...
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012

617

Published on

A previsão do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de abril projeta uma safra de 159,3 milhões de toneladas em 2012, com alta de 0,5% ante o levantamento de março http://agricultura.ruralbr.com.br/noticia/2012/05/ibge-safra-brasileira-de-graos-sera-de-159-3-milhoes-de-toneladas-em-2012-3754062.html

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
617
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "IBGE: safra brasileira de grãos será de 159,3 milhões de toneladas em 2012"

  1. 1. Indicadores IBGEEstatística da Produção Agrícola Abril de 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE
  2. 2. Presidenta da República Dilma RousseffMinistra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam BelchiorINSTITUTO BRASILEIRO DEGEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGEPresidenta Indicadores IBGE Wasmália BivarDiretor-Executivo Plano de divulgação: Nuno Duarte da Costa Bittencourt Trabalho e RendimentoÓRGÃOS ESPECÍFICOS SINGULARES Pesquisa mensal de empregoDiretoria de Pesquisas Marcia Maria Melo Quintslr AgropecuáriaDiretoria de Geociências Estatística da produção agrícola* Wadih João Scandar Neto Estatística da produção pecuária*Diretoria de Informática Indústria Paulo César Moraes Simões Pesquisa industrial mensal: produção física BrasilCentro de Documentação e Disseminação de Informações Pesquisa industrial mensal: produção física regional David Wu Tai Pesquisa industrial mensal: emprego e salárioEscola Nacional de Ciências Estatísticas Denise Britz do Nascimento Silva Comércio Pesquisa mensal de comércioUNIDADE RESPONSÁVEL Índices, preços e custosDiretoria de Pesquisas Índice de preços ao produtor – indústrias de transformaçãoCoordenação de Agropecuária Sistema nacional de índices de preços ao consumidor: IPCA-E Flavio Pinto Bolliger Sistema nacional de índices de preços ao consumidor: INPC - IPCAEQUIPE DE REDAÇÃO Sistema nacional de pesquisa de custos e índices da construçãoRedatores: civil Alexandre Pires Mata Contas nacionais trimestrais Carlos Alfredo Barreto Guedes Contas nacionais trimestrais: indicadores de volume e valores Carlos Antônio Almeida Barradas correntes Carlos Henrique Mesquita de Carvalho Cláudio R.G. de Almeida Mauro André Ratzsch de Andreazzi Roberto Verone Ferry *Continuação de: Estatística da produção agropecuária, a partir Vitor Longo da Silva Filho de janeiro de 2006. Iniciado em 1982, com a divulgação de indicadores sobre trabalho e rendimento, indústria e preços, o periódico Indicadores IBGE incorporou no decorrer da décadaEditoração: de 80 informações sobre agropecuária e produto interno bruto. A partir de 1991, foi subdividido em fascículos por assuntos Alexandre Pires Mata específicos, que incluem tabelas de resultados, comentários e Herberto da Costa Araújo notas metodológicas. As informações apresentadas estão Thereza Christina Villela Branco disponíveis em diferentes níveis geográficos: nacional, regional e metropolitano, variando por fascículo.
  3. 3. SUMÁRIOPRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM ABRIL DE 20121 - Lavouras .................................................................. 5TABELAS DE RESULTADOS – Safra 20121 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais abril / março – safra 2012 – Brasil ...................................... 192 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas para a safra 2012 com a safra de 2011 - Brasil ....................................... 203 – Área de cereais, leguminosas e oleaginosas - comparação entre as safras de 2011 e 2012 - Brasil e Grandes Regiões ................................ 214 – Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas - comparação entre as safras de 2011 e 2012 - Brasil e Grandes Regiões ................................ 225 – Participação de área e produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação .......................... 236 – Participação de área e produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, segundo os produtos agrícolas – Brasil ................................... 24 • Produtos Algodão herbáceo …...................................................... 25 Amendoim (em casca)total ….............................................. 27 Amendoim (em casca) 1ª safra ….......................................... 29 Amendoim (em casca) 2ª safra ….......................................... 30 Arroz (em casca) ....................................................... 31 Aveia (em grão) ........................................................ 34 Batata-inglesa – Total ................................................. 35 Batata-inglesa 1ª safra ................................................ 37 Batata-inglesa 2ª safra ................................................ 38 Batata-inglesa 3ª safra ................................................ 40 Cacau (em amêndoa) ..................................................... 41 Café (em grão) - Total ................................................. 42 Café (em grão) - Arábica................................................ 44 Café (em grão) - Canephora.............................................. 46 Cana-de-açúcar ......................................................... 47 Cebola ................................................................. 49 Cevada (em grão) ....................................................... 50 Feijão (em grão) – Total ............................................... 51 Feijão (em grão) 1ª safra .............................................. 54 Feijão (em grão) 2ª safra .............................................. 56 Feijão (em grão) 3ª safra .............................................. 59 Laranja ................................................................ 60 Mamona (em baga)........................................................ 63
  4. 4. Mandioca ............................................................... 64Milho (em grão) – Total ................................................ 67Milho (em grão) 1ª safra ............................................... 70Milho (em grão) 2ª safra ............................................... 73Soja (em grão) ......................................................... 75Sorgo (em grão) ........................................................ 77Trigo (em grão) ........................................................ 79Triticale (em grão) .................................................... 80
  5. 5. 1 – Lavouras1.1 – Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas – quarta estimativa da safra2012, em relação à produção obtida em 2011 A quarta avaliação da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas é estimada em159,3 milhões de toneladas1, inferior em 0,5% à obtida em 2011 (160,1 milhões de toneladas) e 0,5%maior que a estimativa de março. A área a ser colhida em 2012, de 50,2 milhões de hectares,apresenta acréscimo de 3,2% frente à área colhida em 2011 e aumento de 0,8% frente ao mêsanterior. O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que somadosrepresentam 91,2% da previsão da produção e respondem por 84,3% da área a ser colhida. Em relaçãoao ano anterior o arroz apresenta uma redução na área de 11,6%, o milho um acréscimo de 14,1% e asoja acréscimo de 3,1%. No que se refere à produção, o arroz apresenta uma redução de 13,8%, omilho um aumento de 19,5% e a soja uma redução de 11,4%. Vale destacar que, considerando apenas os produtos da safra de verão 2, a produção prevista,para esse grupo de grãos, de 117,2 milhões de toneladas é 8,4% inferior à registrada para esse mesmoconjunto em 2011 (127,9 milhões de toneladas), decréscimo que pode ser explicado pelos baixosíndices pluviométricos observados, principalmente na Região Sul. A área cultivada com soja cresceu3,1%, entretanto o regime de chuvas inadequado afetou o rendimento médio que decresceu 14,1%,resultando na redução de 11,4% na produção deste grão. O arroz, que apresentou queda de 11,6% naárea a ser colhida, também teve seu rendimento médio diminuído em 2,5% o que acarretou umadiminuição de 13,8% na estimativa de produção. 180.000.000 -0,5 % 160.000.000 Cereais, leguminosas e oleaginosas 140.000.000 Área e Produção - Brasil Produção (t) 1980 a 2012 120.000.000 100.000.000 80.000.000 3,2 % 60.000.000 Área (ha) 40.000.000 20.000.000 0 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 1987 1998 1 Em atenção a demandas dos usuários de informação de safra, os levantamentos para Cereais, leguminosas eoleaginosas, ora divulgados, foram realizados em estreita colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento - Conab,órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, continuando um processo de harmonização dasestimativas oficiais de safra, iniciado em outubro de 2007, para as principais lavouras brasileiras.2 Produtos de verão: Algodão herbáceo (caroço de algodão), amendoim 1ª safra (em casca), arroz (em casca), feijão 1ª safra,mamona (baga), milho 1ª safra (em grão) e soja (em grão) 5
  6. 6. Entre as Grandes Regiões, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosasapresenta a seguinte distribuição: Região Centro-Oeste, 64,5 milhões de toneladas; Sul, 56,9 milhõesde toneladas; Sudeste, 18,4 milhões de toneladas; Nordeste, 15,0 milhões de toneladas e Norte, 4,6milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, são constatados incrementos nas RegiõesNordeste, 2,6%, Sudeste, 6,9% Norte, 4,6%, Centro-Oeste, 15,0% e decréscimo na Região Sul de16,2%. Nesta quarta avaliação para 2012, o Mato Grosso lidera como maior produtor nacional de grãos,com uma participação de 23,0%, seguido pelo Paraná, com 19,3% e Rio Grande do Sul, com 12,6%,estados estes que somados representam 54,9% do total nacional. 23,0 Cereais, leguminosas e oleaginosas Participação na produção nacional 19,3 Segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação Sul 2012 35,7% 12,6 Participação % Sudeste 11,0 Centro- 11,5% Oeste 40,5% Nordeste 7,4 9,4% 6,2 Norte 2,9% 4,5 4,1 3,8 2,1 1,5 1,2 0,8 0,7 0,5 0,4 0,4 0,2 0,1 0,1 AC 0,1 AL 0,1 0,1 0,1 AM 0,0 RJ 0,0 AP 0,0 MA BA PA DF RS MS SP CE SE PE ES PR SC PB RR RN PI MG GO RO MT TO1.2 – Produção Agrícola 2012 – estimativa de abril em relação a março No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de abril destacamos as variações nasestimativas de produção, comparativamente ao mês de março, de sete produtos: sorgo em grão(+10,8%), milho em grão 2ª safra (+5,9%), café em grão arábica (+1,2%), amendoim em cascatotal (-1,0%), milho em grão1ª safra (-1,7%), trigo em grão (-6,7%) e o feijão em grão 1ª safra(-16,6%). Variação percentual da produção - comparação abril / março 2012 - BRASIL Sorgo M ilho 2ª s afra Café Arábica Am e ndoim - Total Milho 1ª safra Trigo Feijão 1ª safra -18,0 -16,0 -14,0 -12,0 -10,0 -8,0 -6,0 -4,0 -2,0 0,0 2,0 4,0 6,0 8,0 10,0 12,0 Variação % 6
  7. 7. Variação absoluta da produção - comparação abril / março 2012 - BRASIL Sorgo Milho 2ª s afra Café Arábica Am endoim - Total M ilho 1ª safra Trigo Fe ijão 1ª safra - 750.000 - 500.000 - 250.000 0 250.000 500.000 750.000 1.000.000 1.250.000 1.500.000 1.750.000 2.000.000 Variação absoluta (t) AMENDOIM (em casca) - Em abril a atenção se volta para a 2ª safra do produto, quando a Bahiaocupa o 1º lugar. Neste Estado o plantio do amendoim normalmente ocorre neste mês, estandoprevistos decréscimos em todas as variáveis, quando comparadas às estimativas de março. A área a serplantada, de 7.808 ha, decresceu 10,4%. A produção, estimada agora em 7.442 toneladas, jáapresenta decréscimo de 19,6% em relação a março, dada a grave seca que assola a Bahia. Ressalta-se que a produção do Estado representa 51,5% da 2ª safra brasileira. 220.000 Amendoim (em casca) 0 0, 200.000 Total 180.000 Produção (t) 160.000 Variação % 140.000 120.000 100.000 80.000 60.000 M ar Abr 40.000 6 ,7 9, 5 0 -0 0 -1 0, 2, 20.000 0 0 0, 0 0 -3 0, 0, 0, 0, 0 SP MG PR BA RS GO SE CE PB MT 7
  8. 8. CAFÉ ARÁBICA (em grão) - Na comparação mensal, a safra de café arábica 2012, em nível deBrasil, que está estimada em 2.298.995 toneladas (38,3 milhões de sacas de 60 kg), apresentaacréscimo de 1,3% em relação à estimativa de março. A área total ocupada com a cultura é de1.767.181 ha, apresentando um pequeno acréscimo em relação a março. A área a ser colhida, de1.590.186 ha, também apresenta expansão. O rendimento médio cresce 1,2%. O período de estiagem, de 15 de janeiro até fim de fevereiro, coincidindo com o final do“enchimento” dos frutos, é crítico, pois o peso do grão é fundamental para definir o “tamanho” dasafra. No entanto, 2012 é, de acordo com a série histórica, um ano de “alta”, razão pela qual aprevisão está mantida, apesar dos problemas citados. 1.600.000 Café Arábica (em grão) 8 1, 1.400.000 Produção (t) Variação % 1.200.000 1.000.000 800.000 600.000 Mar Abr 0 400.000 0, 0 0, 0 0, 0 0, 200.000 0 0, ,1 ,3 ,1 0 -0 0 0 0, 17 -0 7 0, 0, 5, 0 MG SP ES BA PR GO RJ CE MS AC PE DF MT CAFÉ CANEPHORA (em grão) - A produção nacional estimada em abril é de 12,2 milhões desacas de 60 kg. A retração em relação à estimativa de produção do mês anterior, de 0,3%, deve-seexclusivamente ao Estado de Rondônia, 2º maior produtor brasileiro, que apresenta, em relação amarço, um decréscimo de 2,5% na produção esperada para 2012, em virtude de ajustes na área a sercolhida (-6,6%) e na área total ocupada com robusta (-6,7%), uma vez que o rendimento esperado deveaumentar 4,4% na comparação com o mês de março. O Espírito Santo, 1º produtor, mantém em abril as mesmas estimativas de março e osproblemas observados no 1º trimestre, como temperaturas excessivas e estiagem, não interferiramnegativamente nos valores divulgados agora em abril. Desta forma, são positivas as perspectivas domês para a safra que já começou a ser colhida. FEIJÃO (em grão) 1ª safra - Esta safra já teve a maior parte da área colhida e registra umaprodução de 1.425.023 toneladas, que é 16,6% menor que o terceiro levantamento. Esta safra sofreuredução de área em quase todos os estados produtores. A Região Nordeste, que ainda não concluiu acolheita, prevê uma produção de 337.901 toneladas, que é 45,4% menor que a estimativa de março. Aárea plantada foi reduzida em alguns estados do Nordeste, devido ao atraso e irregularidade daprecipitação pluviométrica, sendo observada nesta estimativa de abril, em relação à de março, umadiminuição de 5,1% no PI, 2,2% na BA, 15,8% no CE e 25,4% no RN. 8
  9. 9. 400.000 0 0, 350.000 300.000 Feijão (em grão) - 1ª safra Produção (t) 250.000 2 Variação % 0, 200.000 0 8 0, Part. Prod.>1% 2, -5 150.000 0 0, 8 Mar Abr 0, 0 0, -3 1 100.000 0, 0 6 -3 0, 9, 3 ,5 0, -6 0 0 0 -7 0, 0, -2 0, 50.000 0 PR MG GO CE SP SC BA PE RS RO PI RN DF MA MT FEIJÃO (em grão) 2ª safra - Para o feijão 2ª safra, a produção esperada registra uma queda de0,6% frente à estimativa de março, alcançando 1.389.052 toneladas. No Paraná, maior produtornacional, participando com 24,3% da produção do grão, as investigações de campo indicam uma áreaplantada, nesta safra, de 209.025 ha, que é 1,9% maior que a anterior e uma produção esperada de336.865 toneladas do produto que é 7,0% menor. MILHO (em grão) 1ª safra – Para a primeira safra de milho, que já está em fase de fechamentoda colheita, a previsão de produção é de 34.314.297 toneladas, sendo que este valor é 1,7% inferiorao mês anterior em função, principalmente da menor área colhida (3,4%). A Região Nordeste, querepresenta 11,9% da safa nacional, foi a que mais influenciou reduzindo sua produção em 20,1%, aárea plantada em 7,5%, a área colhida em 12,3% e o rendimento em 8,9%, que pode ser explicadopela prolongada e intensa estiagem que vêm assolando alguns estados da Região. O Ceará, nestaavaliação de abril, foi o que mais diminuiu sua estimativa de produção (59,0%), seguido pelo Piauí(24,5%), Rio Grande do Norte (15,6%) e Bahia (8,2%). 8.000.000 ,3 Milho (em grão) 1ª safra -0 7.000.000 4 Produção (t) 1, 6.000.000 Variação % 5.000.000 Part. Prod.>1% 4 8, 4.000.000 0 0 0 0, 0, 0, Mar Abr 3.000.000 ,2 -8 2.000.000 5 4, 0 6 9, -2 1, 0 ,3 -5 0 0, ,1 21 0, 1.000.000 -4 0 MG PR GO SC RS SP BA PI MA PA MT RO MS CE 9
  10. 10. MILHO (em grão) 2ª safra – A previsão para a segunda safra nacional de milho é de32.941.913 toneladas. Apresentou acréscimos em produção de 5,9% quando comparado com o mêsanterior, 1,6% no rendimento médio e 4,2% em área plantada. A Região Centro Oeste, maior produtorado milho na 2ª safra, com 61% da produção nacional, apresentou variação média positiva de 7,7% naprevisão de produção, e de 5,3% em área a ser colhida. O principal estado responsável por esteaumento foi o Mato Grosso do Sul, que apresentou acréscimos de 39,6% na previsão da produção e19,9% em área a ser colhida. Goiás também apresentou aumento significativo de 4,5% na produção e5,4% na área a ser colhida. O Estado do Mato Grosso, maior produtor nacional não apresentouvariação em relação aos dados informados em março. O Paraná, segundo maior produtor, com 30,3%da produção nacional, estimou aumento da produção de 4,2% e de 3,7% em relação à área a sercolhida, quando comparadas ao mês anterior. As condições meteorológicas verificadas no decorrer domês de abril foram bastante variáveis, no início do mês observamos vários dias sem chuva, e nosúltimos dias verificou-se um excesso de chuvas. Atualmente, os principais estágios fenológicos daslavouras são os de desenvolvimento vegetativo (50%), floração (35%), frutificação (15%) e maturação(5%). 12.000.000 0 0, 11.000.000 2 Milho (em grão) 2ª safra 4, 10.000.000 9.000.000 Produção (t) Variação % 8.000.000 7.000.000 6.000.000 ,6 39 5.000.000 Mar Abr 5 4, 4.000.000 3.000.000 0 2.000.000 0, 0 0, 0 6 0, 2, 1.000.000 0 0, 0 MT PR MS GO SP SE BA MG DF SORGO (em grão) - Com a consolidação do plantio nos principais estados produtores, tem-seneste quarto levantamento uma estimativa mais apurada da produção nacional que é de 1.704.467toneladas, quantitativo 10,7% inferior a 2011, devido, principalmente, a menor área plantada. Porém,esta estimativa supera a do mês de março em 10,8%, este crescimento deve-se a reavaliação doEstado de Goiás, responsável por 39,8% da produção nacional, que prevê um aumento de 42,0% naprodução em relação ao mês anterior. Apesar deste aumento, a produção é 16,7% inferior ao ano de2011, devido a menor área plantada (16,3%). 10
  11. 11. No Mato Grosso do Sul, há uma expressiva redução na área plantada de 43,9%, emcomparação com o ano anterior. Esta redução acentuada está relacionada essencialmente a maior opçãode plantio do milho 2ª safra que está com ótimo preço de mercado, dando maior rentabilidade aoprodutores. 700.000 ,0 42 Sorgo (em grão) 600.000 Produção (t) Variação % 500.000 0 5, 400.000 0 0, 300.000 Mar Abr 200.000 9 3, 0 -4 0, 0 0 0, 100.000 0, 7 0 5 2, 0, 0, 0 -2 0, 0 GO MG MT BA MS SP RS DF RN CE PE CEREAIS DE INVERNO (em grão) - Para as lavouras de inverno, cujos cultivos concentram-se,predominantemente, nos estados do sul do país, verificam-se acréscimos de produção para os produtosaveia (16,8%), cevada (19,1%) e decréscimos para o trigo (6,7%) e triticale (0,2%), quandocomparados ao mês anterior. Destaca-se que essa avaliação é de caráter preliminar e deve ser analisadacom cautela tendo em vista que apenas os Estados de Minas Gerais, Paraná , Mato Grosso do Sul eGoiás forneceram os primeiros dados. 5.500.000 ,7 Culturas de inverno -6 5.000.000 4.500.000 Brasil Produção (t) 4.000.000 3.500.000 3.000.000 2.500.000 2.000.000 Março/2012 Abril/2012 1.500.000 1.000.000 ,8 ,1 16 19 ,2 500.000 -0 0 Trigo Aveia Cevada Triticale 11
  12. 12. No Paraná, o plantio já se desenvolveu em cerca de 15% da área, com as lavourasapresentando uma boa germinação e um bom desenvolvimento inicial. As atividades de plantio deverãoser incrementadas no decorrer dos próximos meses, devendo estar concluídas no início do mês de julho. Para a cultura do trigo no Paraná, as investigações de campo, realizadas no decorrer do mês deabril, com o objetivo de se conhecer a área que deverá ser plantada com a cultura no ano de 2012,aponta ainda na condição de “intenção de plantio” uma área da ordem de 785.445 ha. A previsão deredução de área de plantio com a cultura do trigo paranaense decorre dos baixos preços praticados como produto na safra passada, bem como da dificuldade dos produtores em vender a sua produção. Até ofinal do período, o plantio havia sido realizado em cerca de 20 % da área prevista, com as lavouras atéentão implantadas, se encontrando na sua totalidade nos estágios de germinação (50 %), edesenvolvimento vegetativo (50 %). A previsão de produção do trigo na safra de 2012, caso se confirme o plantio, é da ordem de2.258.626 toneladas, estimativa que mantém o Estado como o maior produtor, participando com47,1% da produção nacional. 3.000.000 Trigo (em grão) 1 2.500.000 2, -1 Produção (t) 0 0, Variação % 2.000.000 1.500.000 1.000.000 Mar Abr 500.000 0 6 0, 7 1, 0 0 5, 0, 0, -1 0 -4 0, 0 PR RS SC MG SP GO MS DF1.3 - Produção Agrícola 2012 – estimativa de abril de 2012, em nível nacional, emrelação à produção obtida em 2011 Dentre os vinte e seis produtos selecionados, doze apresentam variação positiva na estimativade produção em relação ao ano anterior: algodão herbáceo em caroço (1,6%), aveia em grão (2,9%),café em grão - arábica (16,9%), café em grão - canephora (5,6%), cana-de-açúcar (3,9%), cebola(2,8%), cevada em grão (2,6%), feijão em grão 2ª safra (24,9%), mandioca (2,2%), milho em grão 1ªsafra (0,4%), milho em grão 2ª safra (49,0%) e triticale em grão (4,4%). Com variação negativa sãocatorze produtos: amendoim em casca 1ª safra (3,2%), amendoim em casca 2ª safra (8,3%), arroz emcasca (13,8%), batata-inglesa 1ª safra (7,6%), batata-inglesa 2ª safra (3,0%), batata-inglesa 3ª safra(1,2%), cacau em amêndoa (2,2%), feijão em grão 1ª safra (27,0%), feijão em grão 3ª safra (9,1%), 12
  13. 13. laranja (0,4%), mamona em baga (52,5%), soja em grão (11,4%), sorgo em grão (10,7%) e trigo emgrão (15,9%). Nas figuras a seguir estão representadas as variações percentuais e absolutas das principaisculturas levantadas em comparação com a safra anterior: 50 Variação percentual da produção - comparação 2012 / 2011 - BRASIL Milho 2ª 40 Feijão 2ª Café Arábica Café Canephora 30 Cana de açúcar Batata - ing. 1ª Alg. herbáceo Batata-ing. 2ª Amendoim 1ª Batata-ing. 3ª Amendoim 2ª 20 Mandioca Triticale Mamona Feijão 3ª Cevada Feijão 1ª Cebola Laranja Milho 1ª Cacau Aveia Sorgo 10 Arroz Trigo Soja 0 -10 -20 -30 -40 -50 -60 Variação absoluta da produção - comparação 2012 / 2011 - BRASIL 12.000.000 Milho 2ª 10.000.000 8.000.000 6.000.000 Café Canephora Batata - ing. 1ª Alg. herbáceo Café Arábica Batata-ing. 2ª Amendoim 2ª Amendoim 1ª Batata-ing. 3ª 4.000.000 Mandioca Feijão 2ª Feijão 1ª Mamona Feijão 3ª Milho 1ª Triticale Laranja Soja Cevada Cebola Sorgo Arroz Trigo Cacau 2.000.000 Aveia 0 -2.000.000 -4.000.000 -6.000.000 -8.000.000 Cana-de-açúcar - dife rença absoluta +28.169.312 t -10.000.000 AMENDOIM (em casca) - A produção nacional, consideradas as duas safras em conjunto, estáestimada em 246.975 toneladas, contra 256.057 toneladas produzidas em 2011, um decréscimo de3,5%. O maior produtor é o Estado de São Paulo, com 69.700 ha de área colhida ou a ser colhida e210.277 toneladas previstas, 85,1% de todo o amendoim produzido anualmente no País. Na 1ª safra paulista, já colhida, a utilização de áreas de renovação de cana-de-açúcar para 13
  14. 14. plantio do amendoim é importante e muitas vezes o cultivo da leguminosa fica na dependência dadisponibilidade de áreas, normalmente erradicadas após 5 anos de colheitas sucessivas de cana,dependendo de condições de mercado e custos de produção, principalmente. Na 2ª safra, espera-se decréscimo de 8,3% em relação a igual período do ano anterior. A seca,que atinge parte do Nordeste, prejudica principalmente a Bahia, 1º estado produtor de amendoim destatemporada (-17,8%). Amendoim 1ª safra 94,2% 232.535 t Amendoim 2ª safra 5,8% 14.440 t CAFÉ(em grão) - A safra nacional de café arábica que começará a ser colhida em maio próximo,está estimada em 38,3 milhões de sacas de 60 kg, equivalentes a 2.298.995 t, 17,0% a mais que em2011. A área a ser colhida registra crescimento de 1,0% em relação à safra passada, totalizando1.590.966 ha. A área total ocupada com esta espécie é de 1.768.026 ha, sendo 0,9% maior que2011. O acréscimo estimado no rendimento médio (15,8%) pode ser creditado à particularidade queapresenta o arábica, de alternar anos de altos e baixos rendimentos médios. As precipitações pluviométricas foram regulares durante todo o período pós-florada, e não sóhouve frutificação normal, como bom desenvolvimento dos frutos até meados de janeiro, quando seinstalou a estiagem, que foi significativa na Zona da Mata e Sul de Minas Gerais, estado maiorprodutor , com 67,6% de participação na produção do País. Entretanto, até o mês corrente não háregistros de danos suficientes para alterar as boas perspectivas para a a safra a ser colhida em 2012. Para o café canephora, que já começou a ser colhido, a produção esperada de 731.778toneladas (12,2 milhões de sacas) em 2012, representa aumento de 5,6%, creditado às boasperspectivas da safra a ser colhida no Espírito Santo, 1º produtor nacional de grãos desta espécie(76,1% de participação), embora as áreas não irrigadas tenham limitado as possibilidades da safracapixaba. É grande a dificuldade que os produtores tem em irrigar seus cafezais, seja pelos entraves emconseguir “outorga” para uso da água, seja pelo alto custo inicial de máquinas e equipamentos. Muitosprodutores praticam a simples “molhação”, prática de suprimento de água sem critérios técnicos, usada 14
  15. 15. como último recurso, muitas vezes para evitar que o teor de umidade no solo atinja níveis críticos. Apesar dos problemas, o Espírito Santo, além de ser o maior produtor nacional da espécieconcentra também os maiores rendimentos do País (média de 31,4 sc/ha). Outros estados onde aespécie é cultivada, são, em ordem decrescente: Rondônia, Bahia, Minas Gerais, Pará, Mato Grosso eCeará, cujos números constam da tabela anexa à esta publicação. Arábica 75,8% 2.298.118 t 38,3 milhões sacas Canephora 24,2% 731.778 t 12,2 milhões sacas FEIJÃO (em grão) - A expectativa para a produção de feijão total é de 3.210.074 toneladas queé 8,3% menor que a de 2011. Essa variação não segue as variações individuais das duas primeirassafras, onde a 1ª safra (1.425.023 t) teve uma variação negativa de 27,0% e a 2ª safra (1.389.052 t)tem uma previsão de aumento de 24,9%. A redução de 17,1% na área plantada da 1ª safra se deveprincipalmente ao fato dos produtores terem recebido um preço considerado muito baixo, no segundosemestre de 2011. Com a recuperação dos preços, houve um aumento de 5,5% na área plantada(1.430.445 ha) para a segunda safra, que tem previsão de rendimento médio de 973 kg/ha que é5,1% maior que o de 2011. Feijão 1ª safra 44,4% 1.425.023 t Feijão 2ª safra 43,3% 1.389.052 t 395.999 t Feijão 3ª safra 12,3% 15
  16. 16. MILHO (em grão) - É esperada uma produção de 67.256.210 de toneladas somadas as duassafras do produto, superior 1,9% em relação à estimativa anterior e 19,5% maior que a safra passada,em uma área plantada 13,4% maior. Estes números refletem os bons preços que o produto vemencontrando no mercado, o que faz com que os produtores optem pela cultura. É prevista uma variação total positiva de 0,4% de produção para a primeira safra quandocomparada com a safra de 2011, isto representa um crescimento de 146.630 toneladas. A áreaplantada aumentou 4,3% e a área colhida 1,9%, porém o rendimento diminuiu 1,4%, este baixorendimento pode ser explicado pela estiagem prolongada que afetou o Sul do País diminuindo orendimento em 22,1%, e a produção em 14,5%, que representa uma perda de 2.255.040 toneladas emrelação ao produzido em 2011 nesta Região. O estado mais afetado pela seca foi o Rio Grande do Sul,diminuindo a produção em 42,2% e o rendimento em 37,3%, passando de 5.263 kg/ha em 2011 para3.300 kg/ha em 2012. O Paraná aumentou a área plantada em 23,9%, porém obteve uma rendimento15,5% menor que o da safra passada, aumentando a produção em apenas 4,7%. Outros estadostradicionalmente produtores, investiram nesta cultura, devido os bons preços praticados para o produto,como é o caso de Minas Gerais e Goiás, com aumento de áreas de 5,9% e 25,5% respectivamente. A previsão de aumento de 49,0% na produção nacional de milho segunda safra (32.941.913 t),corresponde a 10.837.140 toneladas a mais em 2012, em uma área de 7.421.307 ha. Esta safra será1.372.384 toneladas menor que a primeira safra (34.314.297 t.). Este aumento de safra, se deve,entre outros fatores, ao bom preço do milho no mercado e a antecipação da colheita da soja, o quepropiciou uma maior janela para o plantio do milho safrinha, notadamente no Mato Grosso. O Estado é omaior produtor deste segundo período de plantio da cultura, com 11.679.033 toneladas em uma área aser colhida de 2.613.660 hectares com um rendimento médio de 4.468 kg/ha, que corresponde a umaumento de 57,3%, 41,4% e 11,3% respectivamente, quando comparadas com o ano anterior. OEstado do Paraná, segundo produtor nacional, aumentou a produção em 57,5%, a área a ser colhida em21,3% e o rendimento em 29,9%. Vale também destacar os estados de Mato Grosso do Sul e Goiásque irão produzir 34,5% e 26,6% a mais que a safra 2011. Milho 1ª safra 51,0% Milho 2ª safra 49,0% 34.314.297 t 32.941.913 t 16
  17. 17. SOJA (em grãos) - A produção esperada para a soja em 2012 é de 66,4 milhões de toneladas,menor 11,4% que a do ano passado. Embora a área a ser colhida (24.803.079 ha) aponte um aumentode 3,1%, o rendimento médio esperado (2.677 kg/ha) registra uma queda de 14,1%. A diminuição naprodução é decorrente das condições climáticas desfavoráveis ocorridas principalmente na Região Sul.O Rio Grande do Sul foi o estado que mais sofreu com a estiagem, acusando uma diminuição norendimento médio de 44,8% e consequente queda de 43,8% na produção (6.526.600 t) frente à 2011.Esta redução pode ser ilustrada pela participação do Estado na produção nacional, que de 15,5% em2011 passou para 9,8%. No Paraná o efeito da seca resultou em queda da participação na produçãonacional de soja de 20,6% para 16,4%, ficando em 10.884.752 toneladas. A Região Centro-Oeste éresponsável por 52,5% da produção do grão neste ano. Esta região teve um aumento de 6,0% na áreaplantada e de 3,3% na produção (34.868.969 t), apesar da queda de 2,8% no rendimento médio. Aredução observada nesta avaliação foi influenciada, principalmente, pelo resultado do Mato Grosso doSul, estado que foi mais afetado pela seca, que teve o rendimento médio reduzido em 12,8%. TRIGO (em grão) - A primeira estimativa de plantio nacional é da ordem 1.897.361 hectares,13,5% menor que a área cultivada com o produto no ano anterior. Consequentemente com a reduçãoda área plantada a produção estimada também é menor 15,9%, influenciada também por umrendimento médio 4,4% inferior ao obtido em 2011. O Paraná registra em sua primeira estimativa umdecréscimo de 7,0%, quando comparada a safra anterior. Esse fato deve-se ao baixo preço do produtopraticado na safra anterior, bem como dificuldades de comercialização e a competitividade com o trigode outros países. 3.000.000 Trigo (em grão) ,0 -7 2.500.000 1 4, Produção (t) -2 Variação % 2.000.000 1.500.000 1.000.000 2011 2012 1 500.000 0, 0 -1 8 4, ,6 ,0 6 6, -2 9, -3 -8 -3 -3 0 PR RS SC MG SP GO MS DF Os próximos levantamentos da produção agrícola trarão informações sobre as culturaspermanentes e darão continuidade ao acompanhamento da colheita da safra de verão, aodesenvolvimento das segunda e terceira safras de alguns produtos, além das culturas anuais de invernoque, por força do calendário agrícola, têm suas estimativas baseadas em projeções. 17
  18. 18. 18
  19. 19. 1 - ÁREA, PRODUÇÃO E RENDIMENTO MÉDIO - CONFRONTO DAS ESTIMATIVAS MARÇO/ABRIL BRASIL Mês: Abril/2012________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | | | Á R E A | P R O D U Ç Ã O | RENDIMENTO MÉDIO P R O D U T O S | (ha) | (t) | (kg/ha) |____________________________________|____________________________________|_________________________________ A G R Í C O L A S | | | | | | | | | |MÊS ANTERIOR| MÊS ATUAL |VARIAÇÃO %|MÊS ANTERIOR| MÊS ATUAL |VARIAÇÃO %|MÊS ANTERIOR|MÊS ATUAL|VARIAÇÃO %____________________________|____________|____________|__________|____________|____________|__________|____________|_________|__________ T O T A L .......... 65 778 340 65 387 174 -0.6 .. .. .. .. .. ..ALGODÃO HERBÁCEO (em caroço) . 1 386 928 1 389 234 0.2 5 133 878 5 138 517 0.1 3 702 3 699 -0.1AMENDOIM (em casca) - TOTAL .. 93 244 91 885 -1.5 249 570 246 975 -1.0 2 677 2 688 0.4AMENDOIM (em casca) - 1ª safra 80 308 79 860 -0.6 233 321 232 535 -0.3 2 905 2 912 0.2AMENDOIM (em casca) - 2ª safra 12 936 12 025 -7.0 16 249 14 440 -11.1 1 256 1 201 -4.4ARROZ (em casca) ............. 2 460 677 2 428 557 -1.3 11 541 520 11 589 424 0.4 4 690 4 772 1.7AVEIA (em grão) .............. 146 055 154 404 5.7 308 210 359 901 16.8 2 110 2 331 10.5BATATA-INGLESA - TOTAL ....... 140 231 139 545 -0.5 3 741 788 3 713 977 -0.7 26 683 26 615 -0.3BATATA-INGLESA - 1ª safra .... 65 783 65 812 0.0 1 589 574 1 589 926 0.0 24 164 24 159 -0.0BATATA-INGLESA - 2ª safra .... 45 351 45 702 0.8 1 247 100 1 258 325 0.9 27 499 27 533 0.1BATATA-INGLESA - 3ª safra .... 29 097 28 031 -3.7 905 114 865 726 -4.4 31 107 30 885 -0.7CACAU (em amêndoa) ........... 670 679 670 679 - 239 928 239 935 0.0 358 358 -CAFÉ (em grão) - TOTAL ....... 2 118 412 2 108 844 -0.5 3 004 725 3 029 896 0.8 1 418 1 437 1.3CAFÉ (em grão) - ARÁBICA ..... 1 589 648 1 590 186 0.0 2 270 610 2 298 118 1.2 1 428 1 445 1.2CAFÉ (em grão) - CANEPHORA ... 528 764 518 658 -1.9 734 115 731 778 -0.3 1 388 1 411 1.7CANA-DE-AÇÚCAR ............... 9 685 470 9 697 196 0.1 742 923 303 743 312 874 0.1 76 705 76 652 -0.1CEBOLA ....................... 58 804 58 624 -0.3 1 399 940 1 393 692 -0.4 23 807 23 773 -0.1CEVADA (em grão) ............. 88 071 94 809 7.7 261 443 311 504 19.1 2 969 3 286 10.7FEIJÃO (em grão) - TOTAL ..... 3 592 773 3 344 880 -6.9 3 505 754 3 210 074 -8.4 976 960 -1.6FEIJÃO (em grão) - 1ª safra .. 2 035 899 1 757 697 -13.7 1 708 768 1 425 023 -16.6 839 811 -3.3FEIJÃO (em grão) - 2ª safra .. 1 395 140 1 427 472 2.3 1 397 398 1 389 052 -0.6 1 002 973 -2.9FEIJÃO (em grão) - 3ª safra .. 161 734 159 711 -1.3 399 588 395 999 -0.9 2 471 2 479 0.3LARANJA ...................... 770 433 777 833 1.0 19 476 428 19 744 574 1.4 25 280 25 384 0.4MAMONA (baga)................. 125 510 113 434 -9.6 66 498 54 769 -17.6 530 483 -8.9MANDIOCA ..................... 1 785 863 1 776 783 -0.5 26 034 981 25 882 940 -0.6 14 578 14 567 -0.1MILHO (em grão) - TOTAL ...... 15 086 622 15 118 857 0.2 66 014 465 67 256 210 1.9 4 376 4 448 1.6MILHO (em grão) - 1ª safra ... 7 966 616 7 697 550 -3.4 34 921 441 34 314 297 -1.7 4 383 4 458 1.7MILHO (em grão) - 2ª safra ... 7 120 006 7 421 307 4.2 31 093 024 32 941 913 5.9 4 367 4 439 1.6SOJA (em grão) ............... 24 741 470 24 803 079 0.2 66 597 687 66 410 069 -0.3 2 692 2 677 -0.6SORGO (em grão) .............. 632 149 683 697 8.2 1 537 925 1 704 467 10.8 2 433 2 493 2.5TRIGO (em grão) .............. 2 137 021 1 879 331 -12.1 5 134 522 4 790 717 -6.7 2 403 2 549 6.1TRITICALE (em grão) .......... 57 928 55 503 -4.2 143 941 143 703 -0.2 2 485 2 589 4.2________________________________________________________________________________________________________________________________________ FONTE: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, abr/2012 . NOTA: Para as Unidades da Federação, que por força do calendário agrícola, ainda não dispõem das estimativas iniciais, os dados correspondem a uma projeção obtida a partir das informações de anos anteriores. 19
  20. 20. 2 - ÁREA, PRODUÇÃO E RENDIMENTO MÉDIO - CONFRONTO DAS SAFRAS DE 2011 E DAS ESTIMATIVAS PARA 2012 BRASIL Mês: Abril/2012________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | | | Á R E A | P R O D U Ç Ã O | RENDIMENTO MÉDIO P R O D U T O S | (ha) | (t) | (kg/ha) |____________________________________|____________________________________|_________________________________ A G R Í C O L A S | | | | | | | | | | SAFRA 2011 | SAFRA 2012 |VARIAÇÃO %| SAFRA 2011 | SAFRA 2012 |VARIAÇÃO %|SAFRA 2011|SAFRA 2012|VARIAÇÃO %____________________________|____________|____________|__________|____________|____________|__________|__________|__________|___________ T O T A L .......... 63 640 545 65 387 174 2.7 .. .. .. .. .. ..ALGODÃO HERBÁCEO (em caroço) . 1 400 905 1 389 234 -0.8 5 058 763 5 138 517 1.6 3 611 3 699 2.4AMENDOIM (em casca) - TOTAL .. 92 339 91 885 -0.5 256 057 246 975 -3.5 2 773 2 688 -3.1AMENDOIM (em casca) - 1ª safra 79 661 79 860 0.2 240 302 232 535 -3.2 3 017 2 912 -3.5AMENDOIM (em casca) - 2ª safra 12 678 12 025 -5.2 15 755 14 440 -8.3 1 243 1 201 -3.4ARROZ (em casca) ............. 2 747 329 2 428 557 -11.6 13 444 425 11 589 424 -13.8 4 894 4 772 -2.5AVEIA (em grão) .............. 149 934 154 404 3.0 349 651 359 901 2.9 2 332 2 331 -0.0BATATA-INGLESA - TOTAL ....... 146 982 139 545 -5.1 3 894 750 3 713 977 -4.6 26 498 26 615 0.4BATATA-INGLESA - 1ª safra .... 69 548 65 812 -5.4 1 721 420 1 589 926 -7.6 24 752 24 159 -2.4BATATA-INGLESA - 2ª safra .... 48 117 45 702 -5.0 1 297 278 1 258 325 -3.0 26 961 27 533 2.1BATATA-INGLESA - 3ª safra .... 29 317 28 031 -4.4 876 052 865 726 -1.2 29 882 30 885 3.4CACAU (em amêndoa) ........... 671 482 670 679 -0.1 245 448 239 935 -2.2 366 358 -2.2CAFÉ (em grão) - TOTAL ....... 2 105 386 2 108 844 0.2 2 658 049 3 029 896 14.0 1 262 1 437 13.9CAFÉ (em grão) - ARÁBICA ..... 1 575 316 1 590 186 0.9 1 965 404 2 298 118 16.9 1 248 1 445 15.8CAFÉ (em grão) - CANEPHORA ... 530 070 518 658 -2.2 692 645 731 778 5.6 1 307 1 411 8.0CANA-DE-AÇÚCAR ............... 9 535 194 9 697 196 1.7 715 143 562 743 312 874 3.9 75 000 76 652 2.2CEBOLA ....................... 59 846 58 624 -2.0 1 355 981 1 393 692 2.8 22 658 23 773 4.9CEVADA (em grão) ............. 88 201 94 809 7.5 303 748 311 504 2.6 3 444 3 286 -4.6FEIJÃO (em grão) - TOTAL ..... 3 681 704 3 344 880 -9.1 3 500 373 3 210 074 -8.3 951 960 0.9FEIJÃO (em grão) - 1ª safra .. 2 307 725 1 757 697 -23.8 1 952 422 1 425 023 -27.0 846 811 -4.1FEIJÃO (em grão) - 2ª safra .. 1 201 613 1 427 472 18.8 1 112 435 1 389 052 24.9 926 973 5.1FEIJÃO (em grão) - 3ª safra .. 172 366 159 711 -7.3 435 516 395 999 -9.1 2 527 2 479 -1.9LARANJA ...................... 777 642 777 833 0.0 19 831 787 19 744 574 -0.4 25 502 25 384 -0.5MAMONA (baga)................. 203 513 113 434 -44.3 115 274 54 769 -52.5 566 483 -14.7MANDIOCA ..................... 1 744 446 1 776 783 1.9 25 329 667 25 882 940 2.2 14 520 14 567 0.3MILHO (em grão) - TOTAL ...... 13 250 880 15 118 857 14.1 56 272 440 67 256 210 19.5 4 247 4 448 4.7MILHO (em grão) - 1ª safra ... 7 557 249 7 697 550 1.9 34 167 667 34 314 297 0.4 4 521 4 458 -1.4MILHO (em grão) - 2ª safra ... 5 693 631 7 421 307 30.3 22 104 773 32 941 913 49.0 3 882 4 439 14.3SOJA (em grão) ............... 24 050 418 24 803 079 3.1 74 941 773 66 410 069 -11.4 3 116 2 677 -14.1SORGO (em grão) .............. 743 403 683 697 -8.0 1 909 187 1 704 467 -10.7 2 568 2 493 -2.9TRIGO (em grão) .............. 2 136 683 1 879 331 -12.0 5 695 468 4 790 717 -15.9 2 666 2 549 -4.4TRITICALE (em grão) .......... 54 258 55 503 2.3 137 612 143 703 4.4 2 536 2 589 2.1________________________________________________________________________________________________________________________________________ FONTE: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, abr/2012 . NOTA: Para as Unidades da Federação, que por força do calendário agrícola, ainda não dispõem das estimativas iniciais, os dados correspondem a uma projeção obtida a partir das informações de anos anteriores. 20

×