Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this document? Why not share!

Ficha Informativa Ecossistemas E Factores Abioticos

on

  • 3,862 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,862
Views on SlideShare
3,430
Embed Views
432

Actions

Likes
0
Downloads
128
Comments
0

8 Embeds 432

http://netciencias.blogspot.pt 386
http://netciencias.blogspot.com.br 30
http://netciencias.blogspot.com 6
http://avalfredosilva-m.ccems.pt 3
http://www.netciencias.blogspot.com.br 3
http://avalfredosilva.malha.eu 2
http://netciencias.blogspot.fr 1
http://beadswomen10.corisu.com 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Ficha Informativa   Ecossistemas E Factores Abioticos Ficha Informativa Ecossistemas E Factores Abioticos Document Transcript

    • Factores Abióticos I Além dos factores bióticos, os organismos também dependem de factores abióticos (factores físico-químicos do meio). Factores Abióticos Composição do substrato (solo) Luz o comportamento e a actividade dos seres vivos são influenciados pela luz. O número de horas de exposição à luz por dia designa-se fotoperíodo. Alguns seres comportam-se da mesma forma de dia ou de noite, mas a maioria tem comportamentos diferentes. Assim, por exemplo, os animais noctívagos ou noc- turnos mostram-se activos durante a noite, ao contrário dos animais diurnos. O crescimento e a floração das plantas está também dependente do fotope- ríodo. É por este motivo que as plantas florescem em épocas do ano diferentes. CLASSIFICAÇÃO DAS PLANTAS QUANTO AO DESCRiÇÃO EXEMPLO FOTOPERíODO Florescem com períodos de Plantas de dia longo iluminação, em média, superiores a 12 horas. Florescem com grande Plantas indiferentes tolerância relativamente à duração do dia. Morangueiro Florescem com períodos de Plantas de dia curto iluminação, em média, inferiores a 8 horas. Malmequer 11
    • o fotoperíodo também sofre variações ao longo do ano, aumentando de Janeiro a Junho e diminuindo de Junho até Dezembro. Estas variações influen- ciam a cor da pelagem de certos mamíferos. Por exemplo, a lebre-americana tem pelagem castanha no Verão e branca no Inverno. A luz influencia também, por exemplo, as aves, quer na coloração das penas, quer nas migrações (fig. 1). 1 I A luz influencia a coloração das penas das aves. A reprodução de alguns animais é influenciada pelo fotoperíodo, como, por exemplo, as trutas, que apenas desovam no mês de Novembro. As baratas não suportam a luz, sendo, por isso, designadas animais lucífugos. As borboletas preferem locais iluminados, sendo, por isso, designadas animais lucífilos. Há plantas que se desenvolvem melhor na luz directa e intensa - plantas heliófilas - e outras preferem locais com menor luminosidade - plantas umbrófilas. Temperatura Só existe Vida dentro de determinados limites de temperatura. No entanto, esses limites variam de espécie para espécie. Existem animais que possuem uma temperatura corporal variável, em função da temperatura ambiente. É o que acontece, por exemplo, com os répteis. Mas, existem também animais cuja temperatura corporal é constante, pois pos- suem mecanismos internos que lhes permitem regular a temperatura interna. É o caso das aves e dos mamíferos. Os animais de regiões frias possuem características diferentes dos que vivem em regiões quentes. Estes têm, normalmente, pêlo mais curto, orelhas e focinho mais desenvolvidos, uma vez que o aumento das superfícies aumenta a perda de calor; pelo contrário, os seres vivos que habitam regiões frias possuem pêlo mais comprido e os apêndices corporais mais curtos (fig. 2). 12
    • ~!"11::t~lm:lll!l·h1·]I~'~ A I Raposa de climas frios. B I Raposa de climas temperados. c I Raposa de climas desérticos. 21 A temperatura influencia as características dos seres vivos. (Repara no tamanho das orelhas das dife- rentes raposas.) ADAPTAÇÕES DOS ANIMAIS À TEMPERATURA Hibernação Estivação Migração Estado em que a actividade Estado em que a actividade Deslocações periódicas de vital de um ser vivo é vital de um ser vivo é alguns animais, motivadas reduzida ao mínimo, quando reduzida ao mínimo, quando geralmente pela mudança da a temperatura atinge valores a temperatura atinge valores temperatura. muito baixos. muito elevados. Arganaz durante o sono hibernal. Caracóis em sono estival. Diversas aves efectuam migrações periódicas. No que diz respeito às plantas, a temperatura tem influência na germinação das sementes, na floração e também na frutificação. Quando a temperatura baixa, muitos bolbos, tubérculos, rizomas e certas raízes deixam de ter parte aérea e resistem ao frio, originando-a outra vez, quando as condições ambientais começam a ser favoráveis. As variações térmicas muito acentuadas prejudicam as plantas agrícolas - é o caso das vagas de calor ou das geadas, que causam prejuízos vários aos agricul- tores, principalmente se ocorrerem fora de época. 13
    • Humidade A humidade também influencia as características dos seres vivos. CLASSIFICAÇÃO DOS SERES DESCRiÇÃO EXEMPLOS VIVOS QUANTO À HUMIDADE . Vivem dentro de água e só aí Seres hidrófilos sobrevivem. r- ~~ .•. .' ~ • I -,.' •.~._~' .~r/ " -Il .•....•..'" . ~I!;.:··,.. - Nenúfar e anémona .~.~ '.> .~ Vivem em locais muito Seres higrófilos ; "i •• ~! "_.i' - •...:.~~ " húmidos. :" •••.• '.,6 ~ --lO " Al'~ •.•.•.. Caracol e musgo Vivem em locais com Seres mesófilos humidade média. ;~ I .....:.. .1 .:: :~~'.~ -: Pinheiro e esquilo I , :~., .•.. ". . I Vivem em locais com pouca . ...• .. < ~~ r- "~."''''j{' ~- " ~. _' .• .. > " '. ~;;~~; • , , Seres xerófilos humidade. Cacto e camelo 14
    • L11""@~IG1:IIYI.m·'lmfímli1i. Composição do substrato (solo) Este factor faz parte dos chamados factores edáficos, isto é, das características do solo. Em termos de composição do solo, os sais minerais, o dióxido de carbono e o oxigénio são os componentes mais importantes. São estas substâncias, sobre- tudo os sais minerais, que determinam a fertilidade dos solos e que condicio- nam o tipo de plantas que ocorrem nos diferentes locais. É analisando a composição química dos diferentes solos, que a Agricultura, hoje em dia, faz a selecção das plantas adequadas a cada terreno. Para além da composição, o solo apresenta outras características. As mais importantes a referir são a textura, a estrutura, a capacidade de reter água, a porosidade, a acidez (fiq. 3) e a permeabilidade. 31 As hortênsias são azuis quando o solo é ácido e são brancas quando o solo é alcalino. A textura e a estrutura do solo, na medida em que estão relacionadas, respecti- vamente, com o tamanho e a disposição das partículas do solo, estão directa- mente ligadas à vida dos seres vivos do solo - primeiro às plantas, às quais o solo serve de suporte, e depois aos animais que o habitam. 15