0
Portal Inovação Instrumento de Apoio à Cooperação  Universidade-Empresa no Brasil Parte I:  Sistema Nacional de Inovação e...
<ul><li>Inovação </li></ul><ul><ul><li>Sistema Nacional de Inovação (SNI) </li></ul></ul><ul><ul><li>O Papel de cada ator ...
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC INOVAÇÃO Sistema Nacional de Inovação NIS – National Innovation Sy...
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC Quais são os  atores  e os  fatores  de Inovação em um País?
Hélice Tripla: Inovação = Governo+Empresa+Universidade ETZKOWITZ & LEYDESDORFF, 1995  Na abordagem da  Tríplice Hélice  a ...
Inovação = G+E+U+RH+Infra+Mercado+Leis... Segundo a  Visão Sistêmica  inovação é resultado da interação de um conjunto het...
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC Como está a preocupação com a Inovação no Brasil?
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC INOVAÇÃO Fórum Sul Público-Privado de Apoio à Inovação Tecnológica
Florianópolis, 27 e 28 de março de 2006 <ul><li>35  apresentadores e especialistas em inovação </li></ul><ul><li>70  repre...
<ul><li>Porque inovação é catalisadora para a  geração de melhores salários , de  maiores e melhores exportações  e para o...
Objetivos do Fórum Sul DIVULGAÇÃO  INSTRUMENTOS DE INOVAÇÃO NOVOS ATORES DA CADEIA DE INOVAÇÃO CULTURA PRÓ INOVAÇÃO
Divulgação dos Instrumentos pró Inovação <ul><li>Novo Marco Regulatório </li></ul><ul><ul><li>Lei de Inovação. Lei do Bem....
Os Novos Atores na Cadeia de Inovação <ul><li>Agências, observatórios ou Institutos de Inovação </li></ul><ul><ul><li>Como...
Necessidade de Cultura Pró-Inovação <ul><li>Inovação para o meio acadêmico </li></ul><ul><li>Inovação para o setor de gove...
Pesquisadores no Mundo: Onde estão eles? João Oliveira IFM É necessário acelerar a aproximação entre Pesquisa e Inovação.
Integração Universidade/Empresas: Aprendendo as demandas Pesquisa <ul><li>Exemplos de sucesso </li></ul><ul><li>Desejo de ...
Mundo Acadêmico Liberdade acadêmica reconhecimento Honorífico Longo prazo Cooperativo Publicações Dinheiro  Poder Curto Pr...
Como a Cooperação  Universidade - Empresa pode promover a competitividade  para a empresa nacional? Visão do Setor Empresa...
... criando um ambiente de confiança mútua que estimule a geração de conhecimento e que seja benéfico para todas as partes...
Convênios <ul><li>Efetividade das parcerias: </li></ul><ul><ul><li>Função do grau de acompanhamento e aproximação. </li></...
Quanto nos falta no Brasil? Fonte: Cruz, 2000 <ul><li>“ Common Knowledge” </li></ul><ul><ul><li>No Brasil 2/3 dos doutores...
Quanto nos falta no Brasil? <ul><li>“ Hidden Knowledge” </li></ul><ul><ul><li>Mesmo no ambiente universitário estamos abai...
Quanto nos falta no Brasil? <ul><li>Conclusões </li></ul><ul><ul><li>Não se pode esperar que os doutores “migrem” </li></u...
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC Instrumento de Apoio à Cooperação entre a Comunidade Técnico-Cient...
<ul><li>Lei e Decreto de Inovação (2004 e 2005) </li></ul><ul><ul><li>Estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesqu...
<ul><li>Plataforma Lattes – http://lattes.cnpq.br (CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) <...
Rede ScienTI Reference International standards Methodology eGov Architecture International Network ScienTI systems ScienTI...
Objetivos Desafio para o Instituto Stela <ul><li>Parceria Público-Privada </li></ul><ul><ul><li>O  Instituto Stela  é uma ...
<ul><li>Cooperação Institucional.  O processo de concepção e desenvolvimento contou com importantes colaborações instituci...
<ul><li>O Portal Inovação é um  serviço de   governo eletrônico para promoção de inovação. </li></ul>O que é o Portal Inov...
O que é o Portal Inovação? <ul><ul><li>Conteúdo </li></ul></ul><ul><li>Instrumentos à Inovação Diretrizes de propriedade i...
O que é o Portal Inovação? <ul><li>O Portal apóia diferentes processos da rede de inovação. </li></ul><ul><ul><li>Localiza...
O que é o Portal Inovação? <ul><li>O Portal apóia diferentes processos da rede de inovação. </li></ul><ul><ul><li>Contato ...
O que é o Portal Inovação? <ul><li>O Portal apóia diferentes processos da rede de inovação. </li></ul><ul><ul><li>Planejam...
infraestrutura Currículos Formando as Fontes e Sistemas de Informação... Empresas Ofertantes Experiências em cooperação Ca...
Utilizando e Ampliando as Fontes de Informação DIRETÓRIO DE COMPETÊNCIAS Ambiente Empresa OPORTUNIDADES Ambiente Especiali...
Ambiente Empresa <ul><li>Indicadores de Utilização (Fontes disponíveis, usuários) </li></ul><ul><li>Sistema Empresa (Ident...
Ambiente Empresa Ambiente Empresa
Buscas por Competências
Buscas por Competências
Buscas por Competências VERIFICANDO PERFIL DO ESPECIALISTA
Buscas por Competências
Buscas por Competências SALVANDO OS ESPECIALISTAS EM “FAVORITOS” PARA FUTURA COOPERAÇÃO.
Guardando os Favoritos e Fazendo Contato... Prezado Especialista, Estivemos consultando o Portal Inovação e verificamos su...
<ul><li>Sistemas de Conhecimento extraem informações sobre especialistas e grupos que mencionam a empresa. </li></ul>Infor...
Ambiente Empresa Sistema Empresa (Demandas)
Ambiente do Especialista Ambiente Especialista <ul><li>Indicadores de Utilização (Fontes disponíveis, usuários) </li></ul>...
Buscas por Oportunidades
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC PORTAL INOVAÇÃO O que está disponível para as Universidades e Inst...
O que farão Dirigentes de ICTIs no Portal ?? <ul><li>Encontram Oportunidades de Cooperação (Demandas) </li></ul><ul><li>In...
O Art. 16 da Lei de Inovação estabelece que “a ICT deverá dispor de núcleo de inovação tecnológica, próprio ou em associaç...
A transferência de tecnologia entre comunidade de C&T e empresas tem implicações quanto à propriedade intelectual de criaç...
As informações registradas pelas ICTIs serão publicadas no Portal Inovação Divulgação das Políticas da ICTI
Com base no Art. 17 da Lei de Inovação, criou-se módulo específico para que a ICTI possa declarar os contratos de licencia...
Informações Estratégicas <ul><li>Encontram  Oportunidades de Cooperação </li></ul><ul><li>Interagem  com Demais Usuários d...
Informações Estratégicas para os Especialistas <ul><li>Relacionamentos Sociais Redes de colaboração do especialista </li><...
Informações Estratégicas às ICTIs <ul><li>Perfil de especialistas e grupos de pesquisa da ICTI </li></ul><ul><ul><li>Inter...
Perspectivas 2006 – Mapas de Conhecimento
Perspectivas 2006 – Mapas de Conhecimento
Perspectivas 2006: Mapas de Conhecimento
<ul><li>Abril de 2006.  Primeira reunião do Comitê Gestor do Portal Inovação. </li></ul>Comitê Gestor do Portal Inovação C...
<ul><ul><li>Portal Inovação  apóia as iniciativas de aproximação entre o setor empresarial e a comunidade técnico-científi...
CONSOLIDAÇÃO Ações de P&D para produção de novos instrumentos para empresas, especialistas, grupos de P&D, ICTIs, Organiza...
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC CONCLUSÕES
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC CONCLUSÕES <ul><li>O Brasil tem hoje um cenário mais favorável à i...
Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFSC  INE/CTC/UFSC CONCLUSÕES <ul><li>A geração da inovação nacional pode ser ainda m...
Portal Inovação Instrumento de Apoio à Cooperação  Universidade-Empresa no Brasil Roberto Pacheco Instituto Stela  EGC/UFS...
30 de Agosto de 2006. Curitiba, PR. Sede FIEP
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Sistema Nacional de Inovacao e o papel da Gestao do Conhecimento

7,929

Published on

Apresentacao realizada no KMBrasil 2006. Portal Inovacao: Instrumento de Apoio a Cooperacao Universidade-Empresa no Brasil - Parte I: Sistema Nacional de Inovacao e o papel da Gestao do Conhecimento

Published in: Business
0 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,929
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
197
Comments
0
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Transcript of "Sistema Nacional de Inovacao e o papel da Gestao do Conhecimento"

    1. 1. Portal Inovação Instrumento de Apoio à Cooperação Universidade-Empresa no Brasil Parte I: Sistema Nacional de Inovação e o papel da Gestão do Conhecimento Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC 30 de Agosto de 2006. Curitiba, PR. Sede FIEP
    2. 2. <ul><li>Inovação </li></ul><ul><ul><li>Sistema Nacional de Inovação (SNI) </li></ul></ul><ul><ul><li>O Papel de cada ator na Rede de Inovação </li></ul></ul><ul><li>Portal Inovação </li></ul><ul><ul><li>Instrumento de Cooperação Comunidade C&T-Empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>O que está disponível para os atores do SNI? </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Para Empresas, ICTIs, Comunidade Técnico-científica e Organizações de Apoio </li></ul></ul></ul><ul><li>Conclusões </li></ul>AGENDA
    3. 3. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC INOVAÇÃO Sistema Nacional de Inovação NIS – National Innovation System Model Freeman, 1987. Lundvall, 1992 OECD, 1999.
    4. 4. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC Quais são os atores e os fatores de Inovação em um País?
    5. 5. Hélice Tripla: Inovação = Governo+Empresa+Universidade ETZKOWITZ & LEYDESDORFF, 1995 Na abordagem da Tríplice Hélice a inovação (e conseqüentemente, desenvolvimento econômico e social) de um País é resultado da sinergia entre três atores: GOVERNO, EMPRESAS e UNIVERSIDADES . LEYDESDORFF & MEYER, 2003 Governo atua como o ator que propicia condições favoráveis à inovação. Universidade atua na formação de recursos humanos qualificados e na geração de empresas spin-off e Empresa como locus da inovação e do desenvolvimento baseado em conhecimento. <ul><li>Universidade </li></ul><ul><ul><li>. </li></ul></ul><ul><ul><li>. 1 – visões da unidade instituição </li></ul></ul><ul><ul><li>. 2 – modelo geral e flexível da unidade instituição </li></ul></ul><ul><ul><li>. 3 – TI como apoio ao SNI (unidade institucional) </li></ul></ul>Governo Empresas Redes tri-laterais e organizações híbridas Economia baseada no conhecimento Conhecimento Economia Geografia Infra-estrutura de Conhecimento Política Econômica Inovação
    6. 6. Inovação = G+E+U+RH+Infra+Mercado+Leis... Segundo a Visão Sistêmica inovação é resultado da interação de um conjunto heterogêneo de instituições sob condições econômicas, legais, de infra-estrutura e comerciais. NIS – National Innovation System Model Freeman, 1987. Lundvall, 1992 OECD, 1999. Sistema Educacional e de Treinamento Clusters de Indústrias Rede de Inovação Global Sist. Reg. de Inovação Sistema Nacional de Inovação Infra-estruturas de comunicação Fatores condicionantes de mercado Produtos condicionantes de mercado DESEMPENHO DO PAÍS Crescimento, criação de emprego, competitividade Capacidade Nacional de Inovação Geração, difusão e uso do conhecimento Instituições de Apoio Sistema Científico Grupos de Pesquisa Contexto macro- econômico e regulatório Empresas (competências internas e redes externas)
    7. 7. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC Como está a preocupação com a Inovação no Brasil?
    8. 8. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC INOVAÇÃO Fórum Sul Público-Privado de Apoio à Inovação Tecnológica
    9. 9. Florianópolis, 27 e 28 de março de 2006 <ul><li>35 apresentadores e especialistas em inovação </li></ul><ul><li>70 representantes Setor empresarial </li></ul><ul><li>192 representantes Setor acadêmico e tecnológico </li></ul><ul><li>44 representantes do Governo federal, do RS, SC e PR </li></ul><ul><li>248 inscritos </li></ul><ul><li>553 internautas </li></ul>Fórum Público-Privado de Apoio à inovação Tecnológica – Região Sul
    10. 10. <ul><li>Porque inovação é catalisadora para a geração de melhores salários , de maiores e melhores exportações e para o crescimento sustentável das empresas </li></ul><ul><li>Porque inovação é promotora de empregos </li></ul><ul><li>Porque inovação melhora o nível de renda da sociedade </li></ul><ul><li>Para podermos alcançar efetivamente um lugar entre as nações desenvolvidas (especialmente nos tempos da sociedade do conhecimento) </li></ul>POR QUE PRECISAMOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ?
    11. 11. Objetivos do Fórum Sul DIVULGAÇÃO INSTRUMENTOS DE INOVAÇÃO NOVOS ATORES DA CADEIA DE INOVAÇÃO CULTURA PRÓ INOVAÇÃO
    12. 12. Divulgação dos Instrumentos pró Inovação <ul><li>Novo Marco Regulatório </li></ul><ul><ul><li>Lei de Inovação. Lei do Bem. Lei de Informática </li></ul></ul><ul><li>Política Industrial e de Comércio Exterior </li></ul><ul><li>Fomento, Incentivos e Subsídios </li></ul>MCT Ministério da Ciência e Tecnologia MDIC Ministério da Indústria e Comércio CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FINEP Financiadora de Estudos e Projetos BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ABDI Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial <ul><li>Houve avanços (nos dois últimos governos) </li></ul><ul><li>O novo marco regulatório é favorável </li></ul><ul><li>Há espaço para muito mais avanço </li></ul><ul><ul><li>Compras do governo </li></ul></ul><ul><ul><li>Incentivos fiscais (2º OCDE) </li></ul></ul><ul><ul><li>Juros mais favoráveis à P&D </li></ul></ul><ul><ul><li>Compra do governo (diminuição de risco) </li></ul></ul><ul><li>Preocupações </li></ul><ul><ul><li>Regulamentações da lei de inovação </li></ul></ul><ul><ul><li>Previsão orçamentária para subvenção econômica a P&D nas empresas </li></ul></ul>Principais Conclusões do Fórum Apresentações
    13. 13. Os Novos Atores na Cadeia de Inovação <ul><li>Agências, observatórios ou Institutos de Inovação </li></ul><ul><ul><li>Como conectar oferta de competências em C&T e as Oportunidades em Inovação </li></ul></ul>MCT Ministério da Ciência e Tecnologia FIEP Federação das Indústrias do Estado do Paraná UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul Sapiens Sapiens Parque IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi FOPROP Fórum de Pró-reitores de pesquisa e pós-graduação do Sul IFM Instituto Fábrica do Milênio Apresentações <ul><li>Agências de inovação exercem papel fundamental na aproximação de ofertas e demandas. </li></ul><ul><li>Exemplos de incentivo a redes e a observatórios dão prova da relevância desses atores </li></ul><ul><li>Para implantarem os NITs, conforme previsto na Lei de Inovação, as ICTs encontram como obstáculos: </li></ul><ul><ul><li>Falta de cultura à propriedade intelectual </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta de recursos humanos qualificados </li></ul></ul><ul><ul><li>Novos custos com descontinuidade financeira </li></ul></ul><ul><ul><li>Desconexão com as políticas de fomento </li></ul></ul>Principais Conclusões do Fórum
    14. 14. Necessidade de Cultura Pró-Inovação <ul><li>Inovação para o meio acadêmico </li></ul><ul><li>Inovação para o setor de governo ligado a C&T </li></ul><ul><li>Inovação para o pequeno e médio empresário </li></ul>Fernando Galembeck UNICAMP CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CAPES Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior ANPROTEC Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores ABDI Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Apresentações <ul><li>Deve-se extinguir o falso antagonismo entre pesquisa básica e pesquisa aplicada. </li></ul><ul><li>Planos institucional de carreira acadêmica e avaliação da pós-graduação devem incluir excelência tecnológica e incentivar cooperação com empresa </li></ul><ul><li>Há expectativas multi-setoriais </li></ul><ul><ul><li>GOVERNOS: definição de prioridades, investir com efetividade (e.g.: editais que promovam redes U-E) </li></ul></ul><ul><ul><li>EMPRESAS: ver inovação como fator de competitividade; inserção em estratégia nacional – Nas PMEs: inovação ocorre apenas quando inserida na estratégia operacional </li></ul></ul><ul><ul><li>UNIVERSIDADES: formar pessoas com compreensão da sociedade do conhecimento: reconheçam inovação como fator estratégico </li></ul></ul><ul><ul><li>INSTITUTOS DE TECNOLOGIA: aproximação entre conhecimento (ICTs) e riqueza (empresas+mercado) </li></ul></ul>Principais Conclusões do Fórum
    15. 15. Pesquisadores no Mundo: Onde estão eles? João Oliveira IFM É necessário acelerar a aproximação entre Pesquisa e Inovação.
    16. 16. Integração Universidade/Empresas: Aprendendo as demandas Pesquisa <ul><li>Exemplos de sucesso </li></ul><ul><li>Desejo de auxiliar a sociedade </li></ul><ul><li>Desejo de testar idéias de pesquisa na prática. </li></ul><ul><li>Necessidade de recursos </li></ul><ul><li>Desejo pessoal de aplicação </li></ul><ul><li>Verificação do Interesse industrial </li></ul>Pesquisa aplicada com alto potencial de sucesso <ul><li>Projetos, bolsas de empresas </li></ul><ul><li>Spin off’s. </li></ul><ul><li>Patentes. </li></ul><ul><li>Consórcios de pesquisa.. </li></ul><ul><li>Etc... </li></ul>Problemas para pesquisar João Oliveira IFM Intercâmbio Transf. Tecnlg Contribuição efetiva
    17. 17. Mundo Acadêmico Liberdade acadêmica reconhecimento Honorífico Longo prazo Cooperativo Publicações Dinheiro Poder Curto Prazo Secretor Competitivo Tenso Acrobacia? Mundo Comercial João Oliveira IFM
    18. 18. Como a Cooperação Universidade - Empresa pode promover a competitividade para a empresa nacional? Visão do Setor Empresarial (Líder Mundial) Guilherme Lima
    19. 19. ... criando um ambiente de confiança mútua que estimule a geração de conhecimento e que seja benéfico para todas as partes envolvidas. Fatores Críticos de Sucesso <ul><li>Valores comuns: Excelência, Inovação e Comprometimento. </li></ul><ul><li>Caracterização adequada do tipo de projeto : buscar geração de conhecimento e não com a execução de projetos de produto (Inovação na empresa); </li></ul><ul><li>Projetos de interesse da Empresa e desafiadores para a Universidade ; </li></ul>Visão do Setor Empresarial (Líder Mundial) Guilherme Lima
    20. 20. Convênios <ul><li>Efetividade das parcerias: </li></ul><ul><ul><li>Função do grau de acompanhamento e aproximação. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Definição clara das condições de contorno; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dosagem entre ciência pura e aplicada (engenharia); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Determinação do ritmo; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Direcionamento contínuo aos objetivos da empresa. </li></ul></ul></ul>Visão do Setor Empresarial (Líder Mundial) Guilherme Lima
    21. 21. Quanto nos falta no Brasil? Fonte: Cruz, 2000 <ul><li>“ Common Knowledge” </li></ul><ul><ul><li>No Brasil 2/3 dos doutores estão nas universidades e menos de 1/3 nas empresas. Nos países desenvolvidos a proporção é inversa. </li></ul></ul>
    22. 22. Quanto nos falta no Brasil? <ul><li>“ Hidden Knowledge” </li></ul><ul><ul><li>Mesmo no ambiente universitário estamos abaixo do que já se conseguiu nos países que priorizaram educação. Perdemos não somente em patentes, mas também na proporção de artigos indexados. </li></ul></ul>
    23. 23. Quanto nos falta no Brasil? <ul><li>Conclusões </li></ul><ul><ul><li>Não se pode esperar que os doutores “migrem” </li></ul></ul><ul><ul><li>Cooperação Universidade-Empresa para o Brasil cresce ainda mais de importância </li></ul></ul><ul><ul><li>Cenário é favorável e os desafios conhecidos para todos os atores da cadeia de inovação </li></ul></ul><ul><ul><li>Formar recursos humanos qualificados e participar de projetos de inovação não são atividades contraditórias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Incorporar conhecimento no ambiente empresarial pode ser mais fácil (e menos custoso) por meio da cooperação </li></ul></ul>
    24. 24. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC Instrumento de Apoio à Cooperação entre a Comunidade Técnico-Científica e o setor Empresarial www.portalinovacao.mct.gov.br
    25. 25. <ul><li>Lei e Decreto de Inovação (2004 e 2005) </li></ul><ul><ul><li>Estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Visa à capacitação e ao alcance da autonomia tecnológica e ao desenvolvimento industrial. </li></ul></ul><ul><ul><li>Decreto de regulamentação (11/10/2005) </li></ul></ul><ul><li>Demanda pelo Portal </li></ul><ul><ul><li>Gênese. Iniciativa do MCT: tornar nacional a experiência da Bahia com o projeto INVENTEC. </li></ul></ul><ul><ul><li>Demanda. O MCT solicitou ao CGEE a concepção de um instrumento de apoio à cooperação Universidade-Empresa, no âmbito da Lei de Inovação. </li></ul></ul>Antecedentes
    26. 26. <ul><li>Plataforma Lattes – http://lattes.cnpq.br (CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) </li></ul>Arquitetura de Sistemas de Informação em Ciência, Tecnologia e Inovação, composta por 140 componentes tecnológicos. <ul><li>Fontes de Competências para o Portal </li></ul><ul><ul><li>780 mil currículos </li></ul></ul><ul><ul><li>20 mil grupos de P&D </li></ul></ul><ul><ul><li>Atualização contínua: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 mil atualizações de CVs por dia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>30 mil acessos diários à Plataforma </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>14,2 milhões de acessos em 5 anos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilização organizacional em dezenas de instituições de Ensino e Pesquisa </li></ul></ul></ul>Padronização e interoperabilidade Arquitetura eGov Reconhecimento Acordo Antecedentes (eGov)
    27. 27. Rede ScienTI Reference International standards Methodology eGov Architecture International Network ScienTI systems ScienTI standards Web services models ScienTI Network – www.scienti.net International Network on Information Sources and Knowledge for the Management of Science, Technology and Innovation ONCYTs OICYTs GDIs
    28. 28. Objetivos Desafio para o Instituto Stela <ul><li>Parceria Público-Privada </li></ul><ul><ul><li>O Instituto Stela é uma instituição sem fins de lucro que tem como missão aplicar a engenharia do conhecimento em projetos que levem ao desenvolvimento social e organizacional no Brasil. </li></ul></ul><ul><ul><li>O Portal Inovação é um dos resultados desse trabalho. </li></ul></ul>© Arquitetura eGov do Portal Inovação Projetos Realizados com base na Arquitetura
    29. 29. <ul><li>Cooperação Institucional. O processo de concepção e desenvolvimento contou com importantes colaborações institucionais. </li></ul>CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FINEP Financiadora de Estudos e Projetos SEBRAE Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas CNI Confederação Nacional da Indústria IEL Instituto Euvaldo Lodi ANPEI Associação Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia das Empresas Inovadoras NAE Núcleo de Assuntos Estratégicos – Presidência da República FOPROP Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial ABDI Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Projeto compartilhado e cooperado
    30. 30. <ul><li>O Portal Inovação é um serviço de governo eletrônico para promoção de inovação. </li></ul>O que é o Portal Inovação? <ul><ul><li>Para tal, permite a cooperação via Web, com ambientes e sistemas personalizados para os usuários da cadeia de inovação. </li></ul></ul><ul><li>Números do Desenvolvimento </li></ul><ul><ul><li>7 meses de desenvolvimento </li></ul></ul><ul><ul><li>5 meses de manutenção </li></ul></ul><ul><ul><li>55 profissionais </li></ul></ul><ul><ul><li>176.918 linhas de código (385 MBytes) </li></ul></ul><ul><li>Arquitetura Tecnológica </li></ul><ul><ul><li>20 Projetos </li></ul></ul><ul><ul><li>49 Produtos </li></ul></ul><ul><ul><li>40 previsíveis nos projetos contratados </li></ul></ul><ul><ul><li>9 inovações e necessidades emergentes </li></ul></ul><ul><ul><li>45,5 GBytes de bases de dados </li></ul></ul>Projeto 2005 Instituto Stela Instrumentos e Arquitetura Tecnológica MCT - Ministério da Ciência e Tecnologia
    31. 31. O que é o Portal Inovação? <ul><ul><li>Conteúdo </li></ul></ul><ul><li>Instrumentos à Inovação Diretrizes de propriedade intelectual NITs, Modelos de contrato e programas Marco Regulatório Legislação e políticas nacionais e internacionais em inovação </li></ul><ul><li>Fomento e Apoio Fontes de financiamento e apoio a C&T e empresas </li></ul><ul><li>Biblioteca Links para artigos, teses, eventos e bibliotecas em inovação. </li></ul>
    32. 32. O que é o Portal Inovação? <ul><li>O Portal apóia diferentes processos da rede de inovação. </li></ul><ul><ul><li>Localização </li></ul></ul><ul><li>Busca por competências por especialistas, grupos ou empresas </li></ul><ul><li>Busca por oportunidades de cooperação por demandas em capacitação de pessoal, capacitação tecnológica, apoio à exportação ou à substituição de importados . </li></ul><ul><li>Favoritos Itens podem ser guardados em Diretórios privativos de empresas e especialistas. </li></ul>Diretório de Favoritos Busca por Competências Busca por Oportunidades
    33. 33. O que é o Portal Inovação? <ul><li>O Portal apóia diferentes processos da rede de inovação. </li></ul><ul><ul><li>Contato </li></ul></ul><ul><ul><li>Interação </li></ul></ul>Ambiente de Mensagens entre especialistas e empresas. O Portal Inovação permite que os usuários entrem em contato com facilidade com outros usuários. Empresas podem encaminhar propostas para especialistas (ou a empresas) em áreas em que desejam cooperação. Da mesma forma, especialistas podem enviar mensagens a empresas que declararam demandas em cujas áreas o especialista (ou outra empresa) pode contribuir.
    34. 34. O que é o Portal Inovação? <ul><li>O Portal apóia diferentes processos da rede de inovação. </li></ul><ul><ul><li>Planejamento </li></ul></ul>Indicadores estratégicos sobre especialistas que trabalham ou que trabalharam para a empresa Ferramentas de Redes Sociais para análise de relacionamentos na produção de conhecimento e inovação. Produção automática de textos analíticos sobre o processo de cooperação. O Portal oferece a especialistas, empresas, ICTIs e organizações de apoio à inovação sistemas de informação e de conhecimento para o apoio estratégico à decisão. Especialistas podem conhecer a dinâmica de seus relacionamentos na produção de conhecimento. Empresas podem conhecer indicadores estratégicos sobre funcionários e colaboradores. Organizações de apoio e ICTIs podem conhecer a dinâmica da cooperação envolvendo seus afiliados.
    35. 35. infraestrutura Currículos Formando as Fontes e Sistemas de Informação... Empresas Ofertantes Experiências em cooperação Capacitação de Pessoal Capacitação Tecnológica Importações substituíveis Apoio à Exportação OFERTAS DE COMPETÊNCIAS Especialistas s/ Cv Currículos Ofertas OPORTUNIDADES DE COOPERAÇÃO Demandas Ambiente Especialista Ambiente Empresa Grupos Espaço de Interação
    36. 36. Utilizando e Ampliando as Fontes de Informação DIRETÓRIO DE COMPETÊNCIAS Ambiente Empresa OPORTUNIDADES Ambiente Especialista PROPOSTAS DE COOPERAÇÃO RESPOSTAS FAVORITOS COMPETÊNCIAS OPORTUNIDADES COOPERAÇÃO Propostas Respostas Espaço de Interação Ambiente ICTI Ambiente Organizações Apoio Busca por Competências Busca por Oportunidades
    37. 37. Ambiente Empresa <ul><li>Indicadores de Utilização (Fontes disponíveis, usuários) </li></ul><ul><li>Sistema Empresa (Identificação e Demandas) </li></ul><ul><li>Buscas por Competências (Favoritos) (Especialistas, Grupos e Empresas) </li></ul><ul><li>Buscas por Oportunidades (Favoritos) (Demandas empresariais) </li></ul><ul><li>Interações (Propostas e Respostas) </li></ul><ul><li>Informações Estratégicas (Inteligência Competitiva) </li></ul>O que o Portal Oferece para Empresas?
    38. 38. Ambiente Empresa Ambiente Empresa
    39. 39. Buscas por Competências
    40. 40. Buscas por Competências
    41. 41. Buscas por Competências VERIFICANDO PERFIL DO ESPECIALISTA
    42. 42. Buscas por Competências
    43. 43. Buscas por Competências SALVANDO OS ESPECIALISTAS EM “FAVORITOS” PARA FUTURA COOPERAÇÃO.
    44. 44. Guardando os Favoritos e Fazendo Contato... Prezado Especialista, Estivemos consultando o Portal Inovação e verificamos sua experiência em temas de nosso interesse para uma possível cooperação visando capacitação. Assim, gostaríamos de verificar a possibilidade de realizarmos uma reunião
    45. 45. <ul><li>Sistemas de Conhecimento extraem informações sobre especialistas e grupos que mencionam a empresa. </li></ul>Informações Estratégicas às Empresas
    46. 46. Ambiente Empresa Sistema Empresa (Demandas)
    47. 47. Ambiente do Especialista Ambiente Especialista <ul><li>Indicadores de Utilização (Fontes disponíveis, usuários) </li></ul><ul><li>Currículo e Grupos (Informações da Plataforma Lattes) </li></ul><ul><li>Buscas por Competências (Favoritos) (Especialistas, Grupos e Empresas) </li></ul><ul><li>Buscas por Oportunidades (Favoritos) (Demandas empresariais) </li></ul><ul><li>Interações (Propostas e Respostas) </li></ul><ul><li>Informações Estratégicas (Redes Sociais) </li></ul>
    48. 48. Buscas por Oportunidades
    49. 49. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC PORTAL INOVAÇÃO O que está disponível para as Universidades e Instituições de Pesquisa?
    50. 50. O que farão Dirigentes de ICTIs no Portal ?? <ul><li>Encontram Oportunidades de Cooperação (Demandas) </li></ul><ul><li>Interagem com Demais Usuários do Portal </li></ul><ul><li>Atualizam Informações da ICTI </li></ul><ul><li>Divulgam Diretrizes Institucionais em Inovação </li></ul><ul><li>Acessam Informações Estratégicas </li></ul>
    51. 51. O Art. 16 da Lei de Inovação estabelece que “a ICT deverá dispor de núcleo de inovação tecnológica, próprio ou em associação com outras ICT, com a finalidade de gerir sua política de inovação”. NIT – Núcleo de Inovação Tecnológica Competências de um NIT:
    52. 52. A transferência de tecnologia entre comunidade de C&T e empresas tem implicações quanto à propriedade intelectual de criações, invenções e inovações. Quando a ICTI mantém escritório que auxilia no estabelecimento de convênios e na aproximação de especialistas e empresários para o desenvolvimento de projetos conjuntos, poderá informar no Portal Inovação por meio de módulo do Ambiente ICTI Competências do NIT
    53. 53. As informações registradas pelas ICTIs serão publicadas no Portal Inovação Divulgação das Políticas da ICTI
    54. 54. Com base no Art. 17 da Lei de Inovação, criou-se módulo específico para que a ICTI possa declarar os contratos de licenciamento ou de transferência de tecnologia firmados. Acordos e Convênios <ul><li>Art. 17. A ICT (..) manterá o MCT informado quanto: </li></ul><ul><li>À política de propriedade intelectual da instituição. </li></ul><ul><li>Às criações desenvolvidas no âmbito da instituição. </li></ul><ul><li>Às proteções requeridas e concedidas; e </li></ul><ul><li>Aos contratos de licenciamento ou de transferência de tecnologia firmados. </li></ul>
    55. 55. Informações Estratégicas <ul><li>Encontram Oportunidades de Cooperação </li></ul><ul><li>Interagem com Demais Usuários do Portal </li></ul><ul><li>Atualizam Informações da ICTI </li></ul><ul><li>Divulgam diretrizes institucionais em Inovação </li></ul><ul><li>Acessam Informações Estratégicas </li></ul>
    56. 56. Informações Estratégicas para os Especialistas <ul><li>Relacionamentos Sociais Redes de colaboração do especialista </li></ul>
    57. 57. Informações Estratégicas às ICTIs <ul><li>Perfil de especialistas e grupos de pesquisa da ICTI </li></ul><ul><ul><li>Interesse das empresas </li></ul></ul><ul><li>Perfil das demandas empresariais </li></ul><ul><li>Perfil da cooperação existente e potencial à ICTI </li></ul>
    58. 58. Perspectivas 2006 – Mapas de Conhecimento
    59. 59. Perspectivas 2006 – Mapas de Conhecimento
    60. 60. Perspectivas 2006: Mapas de Conhecimento
    61. 61. <ul><li>Abril de 2006. Primeira reunião do Comitê Gestor do Portal Inovação. </li></ul>Comitê Gestor do Portal Inovação Comitê responsável pela gestão estratégica do Portal Inovação, com papéis complementares das agências envolvidas. <ul><li>Missão do Comitê </li></ul><ul><li>Responsabilidades dos Membros </li></ul><ul><li>Dinâmica de Funcionamento </li></ul><ul><li>1ª reunião em 4 de abril de 2006 </li></ul><ul><li>ABDI </li></ul><ul><li>CGEE </li></ul><ul><li>CNPq </li></ul><ul><li>FINEP </li></ul><ul><li>CNI </li></ul><ul><li>MCT </li></ul><ul><li>RNP </li></ul>
    62. 62. <ul><ul><li>Portal Inovação apóia as iniciativas de aproximação entre o setor empresarial e a comunidade técnico-científica no âmbito das ações da Lei de Inovação </li></ul></ul>Princípios da Articulação de Módulos da ARTInova Como rede de redes, a ARTInova estabelece regiões de sinergia e articulação entre redes de informação em CT&I. Para os módulos iniciais, prevêem-se três eixos de cooperação: <ul><ul><li>RedeComp apóia as ações de desenvolvimento industrial previstas na PITCE por meio da articulação das competências ligadas à competitividade industrial </li></ul></ul><ul><ul><li>DPP apóia a definição e implementação de políticas públicas de desenvolvimento científico, tecnológico e inovativo por meio de estudos setorizados. </li></ul></ul>Projeto ARTInova Lei de Inovação RedeComp PITCE
    63. 63. CONSOLIDAÇÃO Ações de P&D para produção de novos instrumentos para empresas, especialistas, grupos de P&D, ICTIs, Organizações de apoio à inovação e à gestão do Portal. Fase 2006-2007 INTEROPERABILIDADE COM FONTES DE INFORMAÇÃO Ações de P&D para a produção de instrumentos de interoperabilidade com fontes de informação em inovação e desenvolvimento de projetos específicos de interoperabilidade (e.g., RedeComp /CNI e DPP/FINEP): RECORTES TEMÁTICOS EM INOVAÇÃO Ações de P&D que permitam criar recortes temáticos ou setoriais sobre o Portal Inovação, de forma a estabelecer espaços específicos de cooperação e promoção da inovação e desenvolvimento de recortes específicos (Portal Inovação Amazônia)
    64. 64. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC CONCLUSÕES
    65. 65. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC CONCLUSÕES <ul><li>O Brasil tem hoje um cenário mais favorável à inovação do que há alguns anos. </li></ul><ul><ul><li>Lei de Inovação </li></ul></ul><ul><ul><li>PITCE </li></ul></ul><ul><ul><li>Incentivos </li></ul></ul><ul><li>Há espaços para melhorias </li></ul><ul><ul><li>cenário macroeconômico </li></ul></ul><ul><ul><li>Compras de governo (redução de risco) </li></ul></ul>
    66. 66. Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC CONCLUSÕES <ul><li>A geração da inovação nacional pode ser ainda mais catalisada com o apoio que as Tecnologias da Informação e Comunicação </li></ul><ul><ul><li>Portal Inovação: espaço de cooperação para a inovação. </li></ul></ul>
    67. 67. Portal Inovação Instrumento de Apoio à Cooperação Universidade-Empresa no Brasil Roberto Pacheco Instituto Stela EGC/UFSC INE/CTC/UFSC [email_address] [email_address] MUITO OBRIGADO! 30 de Agosto de 2006. Curitiba, PR. Sede FIEP
    68. 68. 30 de Agosto de 2006. Curitiba, PR. Sede FIEP
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×