Colaboração em CT&I: fomento a redes de pesquisa

615 views
445 views

Published on

Apresentação no Worshop de Redes de Pesquisa da Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás: como fomentar CT&I, que diferenças há para a gestão de redes de P&D.

Published in: Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
615
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Colaboração em CT&I: fomento a redes de pesquisa

  1. 1. Seminário de Redes de Pesquisa da FAPEG Goiânia, 29 de outubro de 2013 Colaboração em ciência: fomento, pesquisa e inovação Roberto C. S. Pacheco EGC/UFSC
  2. 2. Agenda SISTEMAS E REDES DE CT&I COPRODUÇÃO CONHECIMENTO INTERDISCIPLINAR FOMENTO A REDES TRÍPLICE HÉLICE DA COPRODUÇÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS
  3. 3. Sistemas de CT&I Jorge de Sábato Governo Governo Setor Produtivo Infra-estrutura científico-tecnológica Triângulo de Sábato Loe Leydesdorff Henry Etzkowitz Hélice Tríplice 2004 2007-2008 Fase Piloto – modelo baseado na aproximação ofertademanda Fase III – Na ampliação e na gestão reviram-se os papéis dos atores de oferta e demanda Modelo Sistêmico 2009 Fase IV em diante – Ampliaram-se o total de atores e a abrangência do Portal enquanto instrumento de apoio à inovação tecnológica
  4. 4. Sistemas de CT&I Pesquisar Publicar Formar Produzir Inovar Empreender Fomentar Avaliar Governo Planejar Comunidade C&T Empresas
  5. 5. Estudo de redes científicas Fonte: Balancieri et. al. 2005
  6. 6. Coprodução Produção conjunta de conhecimentos ou tecnologia entre diferentes grupos da sociedade http://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&frm=1&source=images&cd=&cad=rja&docid=Tog 6rnWgS5hLHM&tbnid=wJ_zSJgDwf1rKM:&ved=0CAUQjRw&url=http%3A%2F%2Fwww.govint.org%2Fnew s%2Fblog%2Fblog-category%2Fcoproduction%2F&ei=jTxvUqK6G5Kj4AOcxoGIBg&psig=AFQjCNHC_H2aP3AzyCbBXmKhROozsALOPg&ust=13 83107908722324
  7. 7. Cronologia da cooperação 1908 1965 2008
  8. 8. Exemplos de Coprodução CONHECIMENTO INTERDISCIPLINAR É conhecimento com novo significado, criado pela integração de conceitos e ideias de diferentes disciplinas. Un-chol Shin, 1986 INOVAÇÃO ABERTA Promoção de ideias, processos e pesquisas com fontes externas à organização empresarial. Ex. open source. Chesbrough (2003) GOVERNO ABERTO http://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&frm=1&source=images&cd=&cad=rja&docid=Tog 6rnWgS5hLHM&tbnid=wJ_zSJgDwf1rKM:&ved=0CAUQjRw&url=http%3A%2F%2Fwww.govint.org%2Fnew s%2Fblog%2Fblog-category%2Fcoproduction%2F&ei=jTxvUqK6G5Kj4AOcxoGIBg&psig=AFQjCNHC_H2aP3AzyCbBXmKhROozsALOPg&ust=13 83107908722324 Diretriz da gestão pública pela qual as organizações governamentais devem tornar seus dados disponíveis para promover transparência e permitir a prestação de contas à sociedade.
  9. 9. CONHECIMENTO INTERDISCIPLINAR Por que as redes devem combinar conhecimentos de múltiplos campos científicos?
  10. 10. Exemplo 1 DIREITOS HUMANOS DIREITO INTERNACIONAL Responsabilidade jurídica: que normas regulam as relações externas na sociedade internacional? SOCIOLOGIA Segurança: o que caracteriza violência e bem estar humano? SAÚDE Vida: o que garante respeito à vida? http://www.bhamcropwalk.org/Human%20Rts1.jpg Como preservar a dignidade da pessoa humana? CULTURA E ANTROPOLOGIA Visão de mundo: o que são padrões de dignidade humana? ... http://1.bp.blogspot.com/_D6kuEWRfaEE/THmqEF-VgPI/AAAAAAAAAnU/U7Ho2ojhkfE/s200/dip.jpg
  11. 11. Exemplo 2 MOBILIDADE URBANISMO Cidades: como devem ser projetadas as cidades? SOCIOLOGIA Como se desenvolvem as sociedades? ENGENHARIA Tecnologia: que tecnologias ajudarão a mobilidade contemporânea? ENERGIA Tecnologia: que fontes energéticas estarão disponíveis? LOGÍSTICA Fluxos de pessoas Fonte: Ken Larson, MIT Como promover mobilidade no século XXI ? DIREITO Trabalho: aceitar-se-á teletrabalho? GESTÃO PÚBLICA Futuro: há visão e respeito ao planejamento? ... http://1.bp.blogspot.com/_D6kuEWRfaEE/THmqEF-VgPI/AAAAAAAAAnU/U7Ho2ojhkfE/s200/dip.jpg
  12. 12. Exemplo 3 INOVAÇÃO PSICOLOGIA Cognição e criatividade: o que nos faz criativos e aprendizes? SOCIOLOGIA Inovação e impactos sociais DIREITO Propriedade intelectual: como preservar direitos? ADMINISTRAÇÃO Competitividade: o que diferencia a empresa? http://road.uww.edu/road/douganw/250738%20MANAGEMENT%20OF%20TECHNOLOGY/Lecture%201%20%20S06.PPT Como promover a cadeia de valor de conhecimento à tecnologia implantada? GESTÃO PÚBLICA Inovação e desenvolvimento GESTÃO DO CONHECIMENTO Criação: como criar novos conhecimentos? ÁREAS DE DOMÍNIO Onde inovar: saúde, tecnologia, sociologia, educação.... ... http://1.bp.blogspot.com/_D6kuEWRfaEE/THmqEF-VgPI/AAAAAAAAAnU/U7Ho2ojhkfE/s200/dip.jpg
  13. 13. Como as TICs podem ajudar governo e a sociedade a efetivarem a co-produção e uma melhor governança pública GOVERNO ABERTO Empresas Produção de aplicativo Disponibilização de dados Uso de serviços Universidades Produção de aplicativo CYBER-ESPAÇO CIDADÃO Uso de serviços Lojas de Aplicativos Comunidades Sociedade Uso de serviços http://1.bp.blogspot.com/_D6kuEWRfaEE/THmqEF-VgPI/AAAAAAAAAnU/U7Ho2ojhkfE/s200/dip.jpg
  14. 14. FOMENTO A CT&I Por que fomentar CT&I é complexo?
  15. 15. Processos e fomento a CT&T PROGRAMATIZAR Investir • Por que • Em que? • Quanto? Fomentar • FRH • Pesquisa • Inovação • Dif. CT&I CHAMADA PÚBLICA Em quem • Indivíduos • Grupos • ICTIs • Empresas • Incubadoras • PqT • Clusters • Redes AVALIAR PROPOSTAS Segundo quem • Avaliadores • Técnicos CONTRATAR E ACOMPANHAR Como • Parceiros • Técnicos • Controle DIVULGAR Por que • Resultados • Impacto
  16. 16. Tomada de decisão na gestão Macroprocessos do Sistema de Inovação Exemplos de tomada de decisão      Análise de necessidades do sistema de inovação Definição de áreas estratégicas no SNI Definição de metas para as áreas estratégicas no SNI Priorização e previsão de investimentos em CT&I Criação/reedição de programas de fomento a CT&I Análise de performance e eventual escolha entre atores de inovação.      Definição de avaliadores e critérios de seleção Avaliação de proponentes em editais de seleção Seleção e priorização de propostas em editais de fomento Avaliação de alcance de metas em programas de CT&I Análise de impacto de programas de investimentos em CT&I Aporte de recursos em projetos de inovação.     Definição de cronograma de investimentos em CT&I Enquadramento financeiro de propostas aprovadas Análise de portfólios candidatos à obtenção de investimentos Ajuste de financiamento à disponibilidade de recursos Programatização de ações do ator de inovação no SNI.
  17. 17. Fomentar EM Rede
  18. 18. Desafios do fomento em rede • Alinhamento de planos de governo • Governança do programa • Regras e atendimento a órgãos de controle • Gestão compartilhada • Sistemas de informação • Análise de impacto
  19. 19. Fomentar Redes
  20. 20. Como analisar redes de pesquisa no tempo? 27/10 - Entrega parecer consultores 1/12– snapshot 05/12 – Inicio contratação 2008 2009 20/10 – snapshot 2010 1/12– snapshot 17/11 – Divulgação do resultado 2011 1/12– snapshot 1/12– snapshot 2012 2013 1/12– snapshot
  21. 21. Análise de dados sobre redes de pesquisa Rede de Rede de construção de formação (cadeia conhecimento de conhecimento) Proposta Equi Co-autoria pe Total Equipe Proposta 1 25 122 6 Orientação Rede de cooperação via projeto Rede de Relacionamento Acadêmico Equipe de projeto Participação em banca Total Equipe Total Equipe Total Equipe 4 5 21 10 12 2 Proposta 2 ... Proposta 261 A proposta contém 25 pesquisadores participantes Dos 25 participantes, 5 têm 4 relações de orientadororientado (ex: 1 orientou 4) Dos 25 participantes, 6 são coautores em 122 itens de produção intelectual Dos 25 participantes, 2 estiveram presentes em 12 bancas de avaliação de trabalhos acadêmicos. Dos 25 participantes, 10 atuaram juntos em 21 projetos de pesquisa ou de tecnologia
  22. 22. Evolução Rede INCT (1) Snapshot 3 2011 Snapshot 1 2008
  23. 23. Evolução de rede INCT (2) Snapshot 3 2011 Snapshot 1 2008
  24. 24. Análise de Memória
  25. 25. Biomecânica brasileira Perspectivas 2007 – Exemplo BIOMECÂNICA Mapa das pesquisas realizadas no Comitê de Biomecânica Livre (sem poda) http://www.egc.ufsc.br/observatorio/docs_postados/abcm_engenharia.pdf
  26. 26. Desafio internacional Fonte: Lane, 2011
  27. 27. Desafios em fomentar redes • Concorrência de recursos entre públicos-alvo • Cultura institucional existente • Indução x redes artificiais • Temporalidade das redes • Compatibilização com modelos de parceiros fomentadores • Compreender a diferenciação do que se está fomentando (ex. contrapartidas)
  28. 28. Tríplice hélice da coprodução Governo • • • • • • Planejar Avaliar Prestar contas Inovar na gestão Promover inter/multi Análise de Impacto Comunidade C&T • • • • • • Empresas • Financiamento Obter recursos Formar • Inovação Multi/Inter • RH qualificados “Eng. Social” • Competitividade Ciência e Inovação • GC Comunicação
  29. 29. Considerações finais • Redes de pesquisa são a principal forma de articulação da ciência atualmente. • A internacionalização da ciência brasileira passa necessariamente pelo fomento a redes. • Redes são formas de promover a coprodução. • A gestão é complexa e sua governança deve ser parte do financiamento. • Ciclos de vida das redes devem ser gerenciados. • Análise de impacto é mais complexa, mas viável por novas ferramentas de análise de redes. • Governo eletrônico de 5ª geração pode ser decisivo.
  30. 30. Seminário de Redes de Pesquisa da FAPEG e o Roberto C. S. Pacheco EGC/UFSC Colaboração em ciência: fomento, pesquisa e inovação

×