Apostila de geografia

1,098 views

Published on

apostila com resumo dos assuntos da olimpíada de geografia

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,098
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
164
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apostila de geografia

  1. 1. APOSTILA DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA – EMEF ULYSSES GUIMARÃES Conflitos no mundo contemporâneoApesar de certa ilusão dos defensores do processo de globalização de que a queda de barreiras econômicasentre os países e a democratização da informação poderiam não apenas aproximar povos e culturas, comotambém diminuir as tensões históricas causadas por questões culturais e territoriais, criando uma sensaçãode cidadania mundializada, a prática nos mostra o contrário.Nunca os aspectos locais e territoriais dos povos tiveram tanta evidência e, de fato, o papel positivo daglobalização foi o de indiretamente nos mostrar que não é possível ser cidadão do mundo sem que se tenhacidadania local.Muitos dos problemas ligados aos conflitos originados por questões étnicas e religiosas em todo o mundotêm, historicamente, seu foco principal na disputa pelo espaço territorial e político.Enquanto muitos Estados juntaram etnias rivais, com línguas e tradições díspares, outrospovos foram divididos, formando parte de Estados diferentes.A contestação dos limites fronteiriços foi a origem de numerosos conflitos entre Estados (Índia e Paquistão,Eritréia e Etiópia, Chade e Líbia, Iraque e Irã etc.).Essas rivalidades provocaram também um aumento dos gastos militares e do poder dos exércitos, emdetrimento de gastos sociais e da democratização dos Estados, gerando sistemas políticos autoritários.A desestruturação das sociedades do Terceiro Mundo é caracterizada pela escassa condição social comoconseqüência da existência de particularidades raciais, étnicas, Lingüísticas e religiosas geralmentedesrespeitadas, além de uma distribuição de renda nitidamente desigual.etnias — grupos de indivíduos biológica e culturalmente homogêneos, com os mesmos costumes, a mesmalíngua e a mesma cultura.A imensa maioria da população vive na pobreza ou miséria, enquanto minorias privilegiadas (proprietáriosagrícolas, grandes comerciantes, altos funcionários etc.) vivem na opulência. A classe média, que émajoritária nas chamadas sociedades ocidentais do Primeiro Mundo é, aí, praticamente inexistente.Essas grandes desigualdades geram uma violência que parece ser permanente no Terceiro Mundo e que estápresente sobretudo nas cidades.Nelas existe um elevado índice de desemprego e desaparecem os vínculos de solidariedade familiartradicional, sem que tenham sido substituídos por garantias sociais modernas, como: seguro-desemprego,assistência médica, escolarização obrigatória etc.A miséria e a ausência de democracia conduzem, geralmente, à formação de grupos armados (guerrilhas)que lutam para derrubar regimes políticos autoritários e que pregam, geralmente, a transformaçãorevolucionária da sociedade, almejando uma distribuição eqüitativa das riquezas. Uma vez no poder, odiscurso anterior é, muitas vezes, substituído por práticas igualmente autoritárias.A multiplicação dos conflitos internos é uma característica marcante da última década do século XX.A desintegração dos Estados socialistas principalmente a União Soviética (URSS) e a Iugoslávia — fezrenascer rivalidades étnicas e religiosas que haviam sido congeladas por regimes totalitários.Confrontos herdados da Guerra Fria, como a guerra civil em Angola (ex-colônia portuguesa), tambémadentram o século XXI, mas essa é uma guerra política em que se opõem ideias marxistas e movimentosanticomunistas.
  2. 2. APOSTILA DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA – EMEF ULYSSES GUIMARÃESTIPOS DE CONFLITOS.De maneira geral, os conflitos são classificados em quatro categorias, de acordo com as forças em litígio.A primeira envolve dois ou mais Estados - guerra entre Estados — embate entre exércitos nacionaisregulares.Exemplo: • Disputa (desde a descolonização britânica) entre Índia — de maioria hindu — e Paquistão —muçulmano —, duas potências nucleares, pela posse da região da Caxemira, cuja população local é demaioria muçulmana.A segunda caracteriza a guerra civil ou guerrilha disputa interna em que movimentos armados ambicionamderrubar o governo de um determinado país, para mudança de regime.Exemplos: • Conflito com as Forças Armadas Revoluci¬onárias da Colômbia (Farc’s), que controlam umaárea desmilitarizada de 42 mil km2 no território colombiano. Essa guerrilha de esquerda associada ao poderparalelo criado pelo narcotráfico representam os maiores desafios a serem enfrentados pela populaçãocolombiana. Instalou-se uma guerra civil no país. A crise institucional que caracteriza a luta entre poderes, acorrupção do serviço público e a incapacidade de o governo solucionar essas questões misturam-se num dosconflitos mais duradouros e sangrentos da América Latina e que pode submeter o país à intervenção externa.• A reivindicação pela criação de um Estado teocrático na Argélia, pelas guerrilhas fundamentalistas FrenteIslâmica de Salvação (FIS) e Grupo Islâmico Armado (GIA).• A luta do Exército Zapatista de Libertação Nacional — EZLN — contra a política neoliberal do governomexicano, que exclui e marginaliza a população pobre, não considerando em seu planejamento econômicoas necessidades delas e as grandes desigualdades sociais do país. O EZLN controla o sul do país,particularmente o Departamento de Chiapas, a porção mais pobre do território do México.Ainda dentro desta categoria, há os con¬flitos com intensa conotação étnica ou religiosa.Exemplos: • A guerra civil no Afeganistão, que opõe fundamentalistas muçulmanos da milícia Taleban agrupos islâmicos de outras etnias (tadjique, uzbeque e hazará).• Tensão de origem religiosa no Sri Lanka, onde tâmeis (hinduístas) e cingaleses (budistas) estão em lutadesde a década de 1980 (século XX).• O terrorismo islâmico no Egito. Fundamentalistas muçulmanos que querem instituir uma teocraciaislâmica no país têm realizado vários atentados terroristas, a partir da décadade 1980 (século XX), com ataques a turistas e a monumentos históricos.• Os conflitos resultantes da antiga rivalidade entre as etnias tutsi e hutu, na região dos Grandes LagosAfricanos, que deixaram 1 milhão de mortos principalmente em Ruanda e Burundi.A terceira envolve o separatismo decorrente de ocupação estrangeira — confronto provocado por invasãomilitar externa.Exemplos: • A reivindicação dos palestinos pelo reconhecimento de um Estado independente nos territóriosocupados por Israel em 1967 — Faixa de Gaza e Cisjordânia (conflito árabe-israelense, em negociação depaz).• Conflito separatista em Timor Leste, ex-colônia portuguesa de maioria católica anexada pela Indonésia (demaioria islâmica) em 1975. (Em 1999, o Timor Leste conseguiu a in¬dependência, graças à mediação daONU, dos EUA e de Portugal junto ao governo da Indonésia.)A quarta caracteriza o separatismo no interior de um Estado — choque entre forças oficiais e movimentos
  3. 3. APOSTILA DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA – EMEF ULYSSES GUIMARÃESinternos, em geral ligados a minorias étnicas ou religiosas, que têm como objetivo a formação de Estadosindependentes.Exemplo: • caso do Exército Republicano Irlandês (IRA), partidário da autonomia dos católicos, grupominoritário na Irlanda do Norte, uma província do Reino Unido (de maioria protes¬tante). Acordo de pazassinado em 1998.• A questão dos bascos na Espanha, movimento nacionalistas pela independência do País Basco – encravadono norte da Espanha e a s sudoeste da França – que tem uma cultura diferenciada sobretudo pela língua oEuskara, não latina. O grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade) abala a nação espanhola comviolentos atentados terroristas.• As invasões das forças russas na República Separatista da Tchetchênia. Algumas das dezenas denacionalidades que compõem a Rússia começaram a se revoltar contra o governo central de Moscou, após adesintegração da URSS, em 1991, declarando-se independentes. Na Tchetchênia e depois no Daguestão –pequena República na região do Cáucaso - milicianos mulçumanos lutam pela autonomia, colocando emxeque a capa- cidade da Rússia, tanto do ponto de vista político como do ponto de vista militar, de resolverseus assuntos internos. A repressão do exército russo é intensa.• As guerras resultantes do processo de dissolução da Iugoslávia, país que já ocupou boa parte da penínsulabalcânica, estado multiétnico, marcado pela hegemonia sérvia contra os povos da região: estovenos, croatas,bósnio-muçulmanos, montenegninos, macedônios, albaneses e húngaros. O conflito mais violento foi naBósnia-Herzegóvina (1992 a 1995), opondo sérvios a uma aliança muçulmana-croata. Os sérvios praticarama chamada “limpeza étnica” como estratégia de guerra : expulsaram grupos rivais das áreas sob suaocupação, chacinaram civis e estabeleceram campos de concentração. Croatas e bósnio-mu¬çulmanos, emmenor escala, também pratica¬ram massacres. A prática criminosa da “Limpeza étnica” estendeu-se aKosovo — província do sul do país —, cuja população (basicamente albanesa) foi violentada, assassinada esiste¬maticamente expulsa pelo exército da Iugoslávia. Apesar de não ter tido a aprovação unânime dacomunidade internacional, a OTAN interferiu no conflito, realizando bombardeios con¬tra a Iugoslávia econtra as tropas sérvias em Kosovo, em defesa da integridade da popula¬ção Local. Essa ação militarpossibilitou aos albaneses o retorno à província. Os kosovares conseguiram, assim, autonomia política emrelação a Belgrado, mas mantêm vínculos econômicos com a Iugoslávia.Mais recentemente surgiu um tipo de con¬flito inédito no mundo, caracterizado pela luta contra o terrorismointernacional. Nasceu em virtude dos trágicos acontecimentos de 11 de setembro de 2001, em que os EUAforam 1 alvo de ação terrorista comandada por Osama bin Laden, milionário de origem saudita.Protegido pela milícia Taleban que até então controlava o Afeganistão, Osama Bin Laden apregoou a Lutacamuflada contra os EUA, considerado por ele o grande causador da miséria que assola os países quecompõem o mundo islâmico. Além de financiar o treinamento de terroristas, por meio da organização AIQaeda, procurou dar à luta, contra o que chamou de opressão americana, conotação de Guerra Santa - Jihad -conclamando todo o mundo islâmico a apoiá-lo.A resposta americana foi imediata. Organizou ataques às bases do Taleban, em território afegão,primeiramente com bombardeios aéreos e, depois, com tropas terrestres especiais. Essa guerra, por suascaracterísticas geopolíticas peculiares, tem sido chamada de “Guerra Sem Limites”, já que sua ação não estágeograficamente circunscrita a um espaço territorial delimitado.O corredor de transporte Europa —Cáucaso — Ásia Central é um complexo rodo-ferroviário destinado aligar a Euro¬pa mediterrânea até a China, passando necessariamente pelo norte do Afeganis¬tão, ÁsiaCentral e Turquia. A construção desse imenso complexo — com fundos da União Européia (UE) e do Banco
  4. 4. APOSTILA DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA – EMEF ULYSSES GUIMARÃESpara o Desenvolvimento da Ásia (BDA) * será combinada com a instalação de oleodutos que vão abastecero mercado ocidental.Alguns números ajudam a ilustrar o que está em jogo. Apenas os cinco países da bacia do Cáspio —Azerbaijão, Cazaquistão, Irã, Rússia e Turcomenistão — possuem reservas estimadas em 200 bilhões debarris de petróleo e um volume comparável de gás. Três deles — Azerbaijão, Caza¬quistão e Turcomenistão— contêm mais petróleo e gás do que o Golfo Pérsico. As cinco maiores empresas petrolíferas dos EstadosUnidos (Chevron, Conoco, Texaco, Mobil Oíl e Unocal) concluíram ou estão concluindo uma série deacordos bilionários com esses países (exceto o Irã) para explorar suas reservas. Urbanização no Brasil - resumoO que é – Urbanização é o aumento da proporção da população que vive nas cidades em relação à que viveno campo. Atualmente, ela é mais acelerada em países em desenvolvimento, como o Brasil, ou poucodesenvolvidos. Desde 2008, a população urbana mundial é maior que a rural, e essa proporção continuacrescendo.Brasil urbano – Desde a década de 1960, mais precisamente em 1965, a população brasileira passou a sermajoritariamente urbana. Hoje o país está entre ao mais urbanizados do mundo, com mais de 80% doshabitantes morando nas mais de 5,5 mil cidades brasileiras.Regiões metropolitanas – O Brasil possui 31 regiões metropolitanas, que abrigam um terço dos domicíliosurbanos e 30% da população do país. A maior delas, a Grande São Paulo, é uma megalópole com 18 milhõesde habitantes.Problemas ligados à urbanização – A urbanização desordenada acentua a desigualdade social. O déficithabitacional de milhões de moradias, por exemplo, contribui para o crescimento da população de rua ecrescente favelização ou mesmo a criação de movimentos sociais, como o Movimento dos TrabalhadoresSem-Teto (MTST)Urbanização no MundoA taxa de urbanização de um país indica a percentagem de população que vive um núcleos urbanos. Nos países em que o processo de industrialização ocorreu de forma gradual e sistematizada, a partir dodesenvolvimento de tecnologia nacional, o crescimento das cidades de deu de maneira mais estruturada. Países pioneiros na industrialização não vivenciaram as mesmas condições de crescimento urbano quepodem ser observadas nas grandes cidades de paises subdesenvolvidos. Os países pobres criam um progresso artificial ao oferecerem incentivos fiscais para as transnacionais seinstalarem em seus territórios. O conceito de urbanização esta modernamente ligado às benfeitorias que marcam a estrutura de umacidade.qualquer região rural que recebe as influencias dessas benfeitorias sofre um processo de urbanização,pois se apropria de equipamentos urbanos e da cultura de uso que os acompanha; mesmo que haja relativadistancia geográfica em relação os núcleos urbanos geradores de tais impactos. As atividades que se destacam pela geração de empregos são a agroindústria, o turismo ecológico e outrasatividades industriais e de serviços que se destacam nas zonas rururbanas para baratear custos; o que mostraque uma parcela de da população rural brasileira já não trabalha em atividades agrícolas.
  5. 5. APOSTILA DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA – EMEF ULYSSES GUIMARÃES Em muitas partes do mundo, mudanças desse tipo transformaram o campo em uma extensão do meiourbano. O que é sustentabilidade resumoSer sustentável é ter a consciência que somos responsáveis em promover o melhor, para nós, para os outros epara o meio ambiente. Muitas pessoas já ouviram falar, porém poucas sabem o que é sustentabilidade. Trata-se de um termomoderno que se alastrou rapidamente, inserindo-se na linguagem politicamente correta das empresas, dosmeios de comunicação e das organizações da sociedade civil. No contexto geral, significa o que se pode e oque se deve fazer para dar sustento às necessidades do homem, sem que para isso aconteça qualqueragressão que prejudique o futuro da população. Estas ações denominadas sustentáveis promoverão aoplaneta condições que podem levar ao desenvolvimento de todas as formas de vida existentes. Nestascondições, haverá o crescimento do poder da sustentabilidade natural do planeta.Desenvolvimento SustentávelAs ações sustentáveis são definidas como a capacidade do ser humano interagir com o mundo sem que issocomprometa o meio ambiente, preservando assim os recursos naturais para gerações futuras, por isso osdiversos setores da sociedade como o econômico, político, social, cultural ou do meio ambiente, carecem demedidas que viabilizem um correto planejamento para atender as suas necessidades de hoje, usando osrecursos naturais de forma eficiente, para que estes não se percam, comprometendo assim as próximasgerações.Sustentabilidade ações práticasAlgumas ações voltadas à sustentabilidade vêm sendo realizadas como, o controle a utilização e manutençãoadequada das matas com replante, estimular a produção de alimentos naturais, bem como o seu consumo,haja visto serem saudáveis ao homem. Não permitir o aproveitamento dos recursos minerais de formadesenfreada e sem programação. Procurar meios de energia alternativos limpos e restauráveis, preservando aqualidade da atmosfera. Investir e promover comportamentos individuais e de empresas noreaproveitamento de resíduos sólidos, garantindo retorno financeiro e menos lixo na natureza. Incrementarsoluções gerenciais nas empresas visando perdas desnecessárias, bem como, produção mais econômica.Fornecer elementos que visem o controle adequado na utilização da água, não contaminando leitos de rios edo mar, visando tratamento aos já atingidos pela poluição.Sustentabilidade benefíciosCom todas estas ações realizadas pelo homem, possibilitarão condições de desenvolvimento e até desobrevivência da vida no planeta. As gerações futuras terão ainda o meio ambiente preservado, dando a elestambém a oportunidade de manter tudo o que receberam relativo aos recursos naturais.Cada indivíduo por si só, fazendo a sua parte na preservação e utilização racional dos recursos naturais, seráum exemplo importante de cidadão consciente para a sua comunidade e entorno.
  6. 6. APOSTILA DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA – EMEF ULYSSES GUIMARÃES Florestas Tropicais ÚmidasAs florestas tropicais úmidas são florestas de árvores de grande e médio porte, com folhas largas e emgrandes quantidades, o que é exatamente o que dá a característica de serem úmidas, já que o sol raramentechega a tocar o chão da floresta, produzindo um clima mais frio do que normalmente seria caso a área nãofosse tão severamente coberta. Os tipos de árvores mais comuns nessas florestas são as bromélias, orquídeas(que vivem como hospedeiras em outras plantas de maior porte, em um sistema de benefício mútuo),begônias, cipós, e outras árvores maiores, como jacarandás e o quase extinto pau-brasil.Cachoeira de Floresta Tropical ÚmidaEste tipo de floresta é típico de três regiões do globo terrestre: América, principalmente América Central edo Sul, África e Ásia, sendo que as três têm os mesmos tipos de características, tanto em plantas como emvida animal, embora as florestas mais conhecidas sejam na América do Sul e África, sendo que nesta últimaestá a menor concentração de florestas desse tipo. Se somadas todas as áreas de florestas tropicais úmidas doplaneta, o resultado total é de aproximadamente 17 milhões de km², sendo que isso representaaproximadamente 20% do globo terrestre ainda coberto por matas fechadas.Grande parte delas está sob proteção de governos e reservas naturais, embora tais proteções nem sempresejam respeitadas ou cumpridas de maneira correta, ainda acontecendo exploração de madeira, caça deanimais e venda de animais silvestres, tanto como bichos de estimação, como para a venda ecomercialização da pele e carne.Entre os animais que habitam essas florestas, destacam-se o bicho preguiça, a capivara, a onça pintada e omico leão dourado, todos eles espécies em extinção, ou que estão se encaminhando rapidamente para isso, oque nos faz pensar que os governos precisam tomar atitudes mais ativas quanto à exploração e conservaçãodestas matas, antes que seja tarde demais. A ocupação humana nestas florestas é predominantemente paraexploração, o que não seria de todo ruim se tal exploração fosse feita de maneira sustentável, como algumasempresas já fazem.A extração descontrolada de materiais primários, como resinas, madeira, flores, frutos e outros meiosprimários de exploração, sem que sejam regulamentados e mantidos de maneira correta, coloca todo o biomae o ecossistema destas florestas em risco de extinção, o que dificilmente pode ser revertido, já que seus solostendem a ser do tipo arenoso: uma vez desmatado, é impossível fazer com que uma nova floresta cresça ali.Este tipo de floresta deve ser preservada, não apenas pela sua beleza natural, mas por tudo que ela pode nosoferecer se explorada de maneira correta e controlada. Resumo do Livro - A Geografia do TurismoO turismo é a única política social que consome elementarmente o espaço. Daí a importância deentendermos o interesse da geografia pelo turismo.Como entender esse fenômeno? Fazendo um estudo, uma abordagem sobre a introdução à geografia doturismo, uma abordagem socio-espacial.A prática social do turismo está diretamente ligada à geografia, não se pode falar em turismo e não lembrarda geografia. Pois a ciência geográfica está sempre atenta a toda e qualquer manifestação da sociedade, semesquecer os problemas gerados pela relação homem-natureza.
  7. 7. APOSTILA DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA – EMEF ULYSSES GUIMARÃESDaí a importância de se fazer um estudo, uma compreensão do turismo, do ponto de vista de sua dimensãosocio-espacial. Fazendo um estudo do turismo sob a ótica da geografia. Entendendo a prática do turismo esuas conseqüências.1.1 TurismoO turismo, que, antes de mais nada, é uma prática social, vem mudando de sentindo ao longo da história ecada nova definição consiste em nova tentativa de se conceituar algo que tem, reconhecidamente, umadinâmica inquestionável. É importante lembrar que, toda definição de conceito é sempre carregada deideologia e exprime, portanto, alguma forma particular de se ver o mundo, por parte daqueles que criamessas definições.Entre as inúmeras definições de turismo, há que se destacar aquela adotada pela Organização Mundial deTurismo (OMT). Segundo a OMT, o turismo é uma modalidade de deslocamento espacial, que envolve autilização de algum meio de transporte e ao menos um pernoite no destino; esse deslocamento pode sermotivado pelas mais diversas razões, como lazer, negócios, congressos, saúde e outros motivos, desde quenão correspondam a formas de remuneração direta.Todo tipo de viagem é considerado, hoje, turismo, independentemente da motivação do deslocamento. Oque a OMT sugere com sua definição de turismo é que viagem e turismo são hoje sinônimos. Não de podenegligenciar o fato, entretanto, de que abarcar todo tipo de viagem como turística, a definição oficial deturismo conduz, entre outras coisas, à exacerbação das estatísticas.Por ser uma pratica social, o turismo é fortemente determinado pela cultura.1.2 Turismo de massaA expressão "turismo de massa" tende a sugerir tratar-ser de uma modalidade do turismo que mobilizagrande contingente de viajantes.É preciso saber que turismo de massa não significa "turismo de massas", pelo simples fato de que as massasnão fazem turismo.Se considerarmos que parte da população mundial vive abaixo da linha de pobreza e que outra parte,igualmente significativa, vive muito próximo dessa linha, não é difícil concluir que quando falamos deturismo estamos nos referindo, em verdade, a uma pequena parcela da população mundial.Turismo de massa é uma forma de organização do turismo que envolve o agenciamento da atividade bemcomo a interligação entre agenciamento, transporte e hospedagem, de modo a proporcionar o barateamentodos custos da viagem e permitir, conseqüentemente, que um grande número de pessoas viaje.1.3 Turismo alternativoTurismo alternativo é uma expressão criada para categorizar modalidades de turismo que, do ponto de vistade seu objeto de consumo e da sua forma de consumo do espaço, se contrapõem ao chamado turismo demassa.

×