• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
 

Palestra simulação3

on

  • 247 views

Podemos estar vivendo uma simulação. Físicos alemães suspeitam disso devido aos raios cósmicos.

Podemos estar vivendo uma simulação. Físicos alemães suspeitam disso devido aos raios cósmicos.

Statistics

Views

Total Views
247
Views on SlideShare
247
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Palestra simulação3 Palestra simulação3 Presentation Transcript

    • UFMT Universidade Federal do Mato Grosso Departamento de Matem´tica-CUR a Estamos vivendo uma Simula¸˜o? ca Singularidade Tecnol´gica o Prof. Dr. Rosevaldo de OliveiraProfessor: Rosevaldo de Oliveira 1
    • Conte´ do u1 Artigo publicado em outubro de 2012 62 Teorias F´ ısicas 7 ısica Cl´ssica → F´3 Transi¸˜o: F´ ca a ısica Quˆntica a 104 QCD: Quantum Chromodynamics 115 Simula¸˜o da QCD ca 126 Extrapola¸˜o para o futuro ca 137 Onde isso pode chegar? 14 2
    • 8 Ind´ ıcios de uma Simula¸˜o no nosso pr´prio “mundo”: ca o CMB e GKZ 169 Singularidade Tecnol´gica: o 1810 Simula¸˜o do C´rebro Humano ca e 2511 Redes Neurais 2612 2011-IBM anuncia primeiros chips que funcionam como o c´rebro humano e 2813 Spaun: C´rebro virtual dez/2012-Science e 3014 Singularidade ou Transi¸˜o de Fase ca 32 3
    • 15 Projeto G2045 3516 Mem´ria em DNA: 700 terabytes em apenas um grama 37 o17 Computa¸˜o Quˆntica ca a 3918 Considera¸˜es Finais co 43 18.1 Ciˆncia e Experˆncia Subjetiva . . . . . . . . . . . . . 43 e e19 Robˆ confunde humanos e passa no teste de Turing o pela 1o vez 4420 Somos seres Racionais e Emocionais 4621 Futuro: Robˆs Emocionais e Inteligentes o 46 4
    • 22 Games do Futuro 47 22.1 V´ ınculos necess´rios em uma Simula¸˜o . . . . . . . . 49 a ca 5
    • 1 Artigo publicado em outubro de 2012 6
    • 2 Teorias F´ ısicasToda teoria f´ ısica fundamental ´ descrita por uma Lagrangiana e euma A¸˜o: ca L = Energia Cin´tica − Energia Potencial e (1) ∫ t2 S = Ldt (2) t1A dinˆmica da teoria ´ obtida por meio do princ´ a e ıpio da m´ ınimaa¸˜o ca 7
    • 8
    • Exemplo-1) Mecˆnica Newtoniana a 1 L= mv 2 − V (x) (3) 2A dinˆmica da teoria ´ dada por a e d2 x ∂V m 2 = − (4) dt ∂x ma = F (5) 9
    • 3 ca ısica Cl´ssica → F´ Transi¸˜o: F´ a ısica Quˆntica a 10
    • 4 QCD: Quantum Chromodynamics 11
    • 5 Simula¸˜o da QCD ca 12
    • 6 Extrapola¸˜o para o futuro ca 13
    • 7 Onde isso pode chegar?Poderemos simular mundosinteiros, parecidos ou muitodiferentes do nosso. Inclusive comvida inteligente! 14
    • 15
    • 8 Ind´ıcios de uma Simula¸˜o no nosso ca pr´prio “mundo”: CMB e GKZ o 16
    • A pr´pria rede nos fornece um Cut off natural para os raios oc´smicos o E M AX ≈ 1/b (6) • GKZ nos fornece b ≈ 10−12 f m 17
    • 9 Singularidade Tecnol´gica: oA Fus˜o Homem e M´quina: estamos a aindo na dire¸˜o de Matrix? caMatrix se passa em um mundo cem anos no futuro, um mundo queoferece uma ordem aparentemente miraculosa de maravilhastecnol´gicas. Programas sencientes (ainda que mal´ficos), a o ehabilidade de baixar capacidades diretamente para o c´rebro ehumano, e a cria¸˜o de realidades virtuais indistingu´ ca ıveis do mundoreal.Isso ´ apenas fic¸˜o cient´ e ca ıfica? 18
    • Para Ray Kurzweil esse futuro n˜o est´ longe, acontecer´ daqui a a a a30 ou 40 anos! “Muitas dessas tendˆncias derivam de reflex˜es sobre as e o implica¸˜es da Lei de Moore. A Lei de Moore se refere a co circuitos integrados e declara notavelmente que o poder computacional dispon´ por um determinado pre¸o dobra a cada ıvel c 20 a 24 meses. A Lei de Moore tornou-se um sinˆnimo do o crescimento exponencial em computa¸˜o”. ca 19
    • A Lei de Moore n˜o foi o primeiro, mas o quinto paradigma a a 20
    • fornecer crescimento exponencial de poder computacional: 1. eletro-mecˆnico, a 2. baseado em transmiss˜o, a 3. tubos de v´cuo, a 4. trans´ ıstores, 5. circuitos integrados.Cada vez que um paradigma perdia sua for¸a, outro paradigma centrava em a¸˜o e continuava de onde aquele havia parado. ca Qual ser´ o pr´ximo a o paradigma? 21
    • 22
    • computa¸˜oO que o sexto paradigma ser´ ´ ´bvio: aeo caem trˆs dimens˜es. Afinal, vivemos num e omundo tridimensional e nosso c´rebro ´ e eorganizado em trˆs dimens˜es . e o 23
    • O c´rebro utiliza um tipo muito ineficiente de circuito. Os eneurˆnios s˜o “dispositivos” muito grandes, e eles s˜o o a aextremamente vagarosos. Eles usam sinaliza¸˜o eletro-qu´ ca ımica, queproduz apenas aproximadamente 200 c´lculos por segundo, mas o ac´rebro consegue seu prodigioso poder de computa¸˜o paralela e cacomo resultado de sua organiza¸˜o em trˆs dimens˜es. ca e oNanotubos, s˜o arranjos hexagonais de ´tomos de a acarbono que podem ser organizados para formar qualquer tipo o ´de circuito eletrˆnico. E poss´ criar o equivalente de ıveltrans´ ıstores e outros dispositivos el´tricos. e 24
    • 10 Simula¸˜o do C´rebro Humano ca eO c´rebro humano tem aproximadamente 100 bilh˜es de neurˆnios, e o ocom cerca de 1,000 conex˜es de um neurˆnio para o outro. Essas o oconex˜es operam muito devagar, na ordem de 200 c´lculos por o asegundo, mas 100 bilh˜es de neurˆnios vezes 1,000 conex˜es cria o o oum paralelismo de 100 trilh˜es de dobras. Multiplicando isso por o200 c´lculos por segundo tem-se 20 milh˜es bilh˜es de c´lculos por a o o asegundo ou, em terminologia computacional, 20 bilh˜es de MIPS. oParab´ns, vocˆ possui uma CPU de e e 16,8 mil GHz! 25
    • 11 Redes Neurais“They enable us to respond to changes in the real worldappropriately, learn new things, recall old memories, and to think,dream and play. Understanding how these neural computationshappen helps us to understand how the brain works.” 26
    • 27
    • 12 2011-IBM anuncia primeiros chips que funcionam como o c´rebro e humano ´Entrevistado por CNET, Modha menciona: “E nosso primeiroprocessador cognitivo que combina computa¸˜o na forma de caneurˆnios, mem´ria em forma de sinapses e comunica¸˜es em o o coforma de axˆnios, trabalhando com sil´ o ıcio, n˜o em PowerPoint.” a 28
    • Entre as caracter´ ısticas de tais chips, temos: • baix´ ıssimo consumo de energia • 256 conex˜es tipo neurˆnios o o • 262.144 m´dulos de mem´ria tipo sin´ptica para um chip o o a 29
    • 13 Spaun: C´rebro virtual e dez/2012-Science 30
    • 31
    • 14 Singularidade ou Transi¸˜o de Fase caKurzweil prevˆ que uma vez que um computador seja criado com o epoder de processamento do c´rebro humano (o hardware do ec´rebro), ´ poss´ programar o computador para pensar como e e ıvelfazemos, replicando a rede neural em nossos pr´prios c´rebros para o eo circuito do computador (o software do c´rebro). Temos, ent˜o, e aum computador que, para todos os intentos e prop´sitos, ´ igual a o enossos pr´prios c´rebros. o e 32
    • 33
    • 34
    • 35
    • 15 Projeto G2045 36
    • 16 Mem´ria em DNA: 700 terabytes em o apenas um grama 37
    • Pense nisso: um grama de DNA pode armazenar 700 terabytes dedados. Isso ´ 14.000 discos Blu-ray de 50 gigabytes em uma gota de eDNA que cabe na ponta de seu dedo mindinho. Para armazenar omesmo tipo de dados em discos r´ ıgidos - o meio mais denso dearmazenamento em uso hoje - vocˆ precisaria de 233 unidades de e3TB, com um peso total de 151 quilos. 38
    • 17 Computa¸˜o Quˆntica ca a 39
    • 40
    • A IBM criou recentemente um qubit tridimensional a partir de 41
    • circuitos feitos de materiais dotados de uma supracondutividade,que conduzem a eletricidade sem resistˆncia. Quando s˜o resfriados e aa uma temperatura pr´xima do zero absoluto, esses circuitos se ocomportam como qubits est´veis por at´ 100 microssegundos, um a eavan¸o multiplicado por de duas a quatro vezes em compara¸˜o c cacom os recordes anteriores.Velocidade nos testes de 10mil Giga-Hertz! 42
    • 18 Considera¸˜es Finais co18.1 Ciˆncia e Experˆncia Subjetiva e e 43
    • A ciˆncia opera na terceira pessoa, como um observador externo. A eciˆncia n˜o pode possuir uma experiˆncia subjetiva, pois a ciˆncia e a e en˜o ´ uma pessoa. A unica ferramenta para testarmos se uma a e ´m´quina possui inteligˆncia ´ atrav´s de testes objetivos, como o a e e eteste de Turing. 44
    • 19 Robˆ confunde humanos e passa no o teste de Turing pela 1o vezUm jogador virtual provido de inteligˆncia artificial criado por ecientistas da computa¸˜o venceu o BotPrize 2012, cujo tema - em cacomemora¸˜o ao 100 anos de nascimento do vision´rio - era ca a“podem os computadores jogar como humanos?”. O robˆ oconvenceu os ju´ızes de que era mais humano do que metade daspessoas com quem competiu. A disputa ocorreu no mundo virtualde Unreal Tournament 2004, um jogo de tiro em primeira pessoa 45
    • 20 Somos seres Racionais e Emocionais 46
    • 21 Futuro: Robˆs Emocionais e o Inteligentes 47
    • 22 Games do FuturoOutros Universos e mundos.Com seu EU ou sua ALMA,ou ainda seu SOFTWAREinserido dentro do GAME Tornaremos Deuses! Criadores de mundos 48
    • 22.1 V´ ınculos necess´rios em uma Simula¸˜o a ca • Uma simula¸˜o deve considerar o universo FINITO. O ca SIMULADOR deve ter poder de processamento FINITO. Em princ´ıpio sempre haver´ a possibilidade do SER simulado a descobrir seu SIMULADOR(DEUS). 49
    • 50
    • 51