• Save
Qualidade no e-Learning @ Congresso Nacional de Formação Profissional 2014
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Qualidade no e-Learning @ Congresso Nacional de Formação Profissional 2014

  • 565 views
Uploaded on

Apresentação sobre qualidade no e-learning no congresso nacional de formação profissional na qualifica 2014 @ exponor, 14 de Março de 2014

Apresentação sobre qualidade no e-learning no congresso nacional de formação profissional na qualifica 2014 @ exponor, 14 de Março de 2014

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
565
On Slideshare
565
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Qualidade no e-Learning Rosário Cação Copyright Rosário Cação. Não pode ser reproduzido sem autorização expressa escrita.
  • 2. 1. Qualidade no e-Learning 2. Modelo de Estimação da Qualidade no e-Learning 3. Dimensões de Qualidade no e-Learning Agenda 4. As Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning 5. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning 6. A Maturidade da Empresa e a Qualidade no e-Learning
  • 3. 1. Qualidade no e-Learning 2. Modelo de Estimação da Qualidade no e-Learning 3. Dimensões de Qualidade no e-Learning Agenda 4. As Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning 5. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning 6. A Maturidade da Empresa e a Qualidade no e-Learning
  • 4. Qualidade no e-Learning • Estudo sobre a qualidade no e-learning • Antecedido por estudo qualitativo • Inquérito single-item online com escalas de Likert para 15 variáveis • Procedimentos habituais de pré-teste, gestão Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7 • Procedimentos habituais de pré-teste, gestão de duplicados e de missing values • Consistência interna (alpha de Cronbach) de 0.963 • Estudo de caso: atenção à generalização das conclusões
  • 5. Qualidade no e-Learning A qualidade tem: • Assimetria negativa • Curtose positiva É fundamental perceber os motivos: • Da cauda longa • Do pico Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 6. Qualidade no e-Learning • As mulheres têm percepções de qualidade superiores* • A percepção de qualidade está fortemente correlacionada com a satisfação do formando • As percepções de qualidade são diferentes conforme é o formando a pagar a inscrição ou a empresa para quem trabalha* * Com base em testes não paramétricos de Mann-Whitney para amostras independentes Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 7. Qualidade no e-Learning Explicar a qualidade recorrendo a outras variáveis mais fáceis de quantificar: Satisfação global Relação qualidade-preço Conteúdos Plataforma e suas funcionalidades O contributo do fórum para o processo de aprendizagem Utilidade imediata aprendizagem Motivação inicial Motivação final Competência do formador Competência, simpatia e prontidão da equipa de apoio A dinâmica e apoio dado pelo formador no fórum Cumprimento de expectativas Cumprimento de objectivos pedagógicos Utilidade futura Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 8. Qualidade no e-Learning • A utilidade é superior nos cursos que dão acesso a certificação* • As mulheres têm uma percepção de utilidade – imediata e futura – superior à dos homens* • A utilidade futura é maior do que a imediata** * Com base em testes não paramétricos de Mann-Whitney para amostras independentes ** Com base em testes não paramétricos de Wilcoxon para amostras emparelhadas Cação, R. and Figueiredo, A. D. (2010). Future utility as a key dimension in e-learning quality, International Journal Information and Operations Management Education, Vol. 3, # 4, pp. 322-336, September 2010 Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 9. 1. Qualidade no e-Learning 2. Modelo de Estimação da Qualidade no e-Learning 3. Dimensões de Qualidade no e-Learning Agenda 4. As Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning 5. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning 6. A Maturidade da Empresa e a Qualidade no e-Learning
  • 10. Modelo de Estimação da Qualidade Y = .3 + .125 X1 + .169 X2 + .152 X3 + .133 X4 + .83 X5 + .122 X6 + .7 X7 + .057 X8 - .045 X9 + .069 X10 + .044 X11 Y = Qualidade X1 = Satisfação global X = Utilidade futuraX2 = Utilidade futura X3 = Conteúdos X4 = Relação qualidade-preço X5 = Competência, simpatia e prontidão da equipa de apoio X6 = Cumprimento de expectativas X7 = Competência do formador X8 = Plataforma e suas funcionalidades X9 = Motivação inicial X10 = Motivação final X11 = Utilidade imediata Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 11. Modelo de Estimação da Qualidade • A satisfação, sozinha, explica quase 72% da qualidade • A utilidade imediata é a dimensão menos expressiva da qualidade (embora importante) • A qualidade é uma atitude de longo prazo relacionada com a utilidade de longo prazo Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 12. 1. Qualidade no e-Learning 2. Modelo de Estimação da Qualidade no e-Learning 3. Dimensões de Qualidade no e-Learning Agenda 4. As Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning 5. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning 6. A Maturidade da Empresa e a Qualidade no e-Learning
  • 13. Dimensões de Qualidade no e-Learning http://tinyurl.com/rosariosem Fonte: Adaptado de Coughlin, M. A. (1999). Applications of Intermediate/Advanced Statistics in Institutional Research (2005 ed.). Tallahassee: Association for Institutional Research. pp. 182-183 Número de factores: Eigenvalues superiores a 1 (regra de Kaiser-Guttman) Método de extracção: Principais componentes Método de rotação: Varimax (rotação ortogonal) http://tinyurl.com/rosariosem Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 14. Dimensões de Qualidade no e-Learning Utilidade imediata Utilidade futura Satisfação Motivação final Cumprimento de expectativas Cumprimento de objectivos pedagógicos Competência do formador Contributo do fórum para a aprendizagem Dinamismo e ajuda do formador Competência, simpatia e prontidão da equipa de apoio pedagógicos Motivação inicial prontidão da equipa de apoio A plataforma e as suas funcionalidades Conteúdos UtilidadeAtitudesProcesso Cação, R. (2012). Quality in e-learning: Theory and practice. Saarbrücken, Germany: Lambert. 344 pages. ISBN 978-3-8465-5633-7
  • 15. 1. Qualidade no e-Learning 2. Modelo de Estimação da Qualidade no e-Learning 3. Dimensões de Qualidade no e-Learning Agenda 4. As Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning 5. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning 6. A Maturidade da Empresa e a Qualidade no e-Learning
  • 16. Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning Expectativas de Utilidade Percepções de Utilidade • Questionários emparelhados. 71% de mulheres. 9 países. Início da formação Fim da formação Cação (2013), Disconfirmation of Expectations of Utility in e-Learning, International Journal on E-Learning (2013) 12(3), 229-247, disponível em http://tinyurl.com/rosarioutility
  • 17. Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning • 3 tipos de utilidade: para a função, imediata e futura • A antecipação de consequências: • End-in-view (Dewey, 1939) • Fitness for use (Juran, 1951) • A baixa relação com a utilidade para a função e o predomínio das expectativas de utilidade futura Dewey, J. (1939). Theory of valuation. Chicago: The University of Chicago Press. Juran, J. M. (1951). Basic concepts. In J. M. Juran, D. F. M. Gryna Jr. & R. S. Bingham Jr. (Eds.), Quality control handbook (1974 ed.). New York: McGraw-Hill. Cação (2013), Disconfirmation of Expectations of Utility in e-Learning, International Journal on E-Learning (2013) 12(3), 229-247, disponível em http://tinyurl.com/rosarioutility
  • 18. Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning Que impacto tem na percepção da qualidade organizar-se a formação supondo que ela é uma solução de aprendizagem just in time? O que altera nos procedimentos da empresa saber que o e-learning não é uma solução de aprendizagem just in time mas sim just in case? Cação (2013), Disconfirmation of Expectations of Utility in e-Learning, International Journal on E-Learning (2013) 12(3), 229-247, disponível em http://tinyurl.com/rosarioutility
  • 19. Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning • O desconforto motivado pela não disponibilização de formação • Uma violação do contrato psicológico • Motivo do desconforto: perda da utilidade futura A ausência de formação é um factor de desconforto devido à perda percebida de utilidade futura e à percepção de quebra de uma promessa Cação (2013), Disconfirmation of Expectations of Utility in e-Learning, International Journal on E-Learning (2013) 12(3), 229-247, disponível em http://tinyurl.com/rosarioutility
  • 20. 1. Qualidade no e-Learning 2. Modelo de Estimação da Qualidade no e-Learning 3. Dimensões de Qualidade no e-Learning Agenda 4. As Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning 5. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning 6. A Maturidade da Empresa e a Qualidade no e-Learning
  • 21. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning Dois indicadores de qualidade extra: • O desvio motivacional percebido • O desvio motivacional real O estudo da motivação permite determinar a duração da formação que maximiza a percepção de qualidade • Há um desvio de percepção sobre a motivação inicial para a formação Motivação Inicial Motivação final Percepção sobre a motivação inicial
  • 22. 1. Qualidade no e-Learning 2. Modelo de Estimação da Qualidade no e-Learning 3. Dimensões de Qualidade no e-Learning Agenda 4. As Expectativas de Utilidade e a Qualidade no e-Learning 5. Desvios Motivacionais e a Qualidade no e-Learning 6. A Maturidade da Empresa e a Qualidade no e-Learning
  • 23. A Maturidade da Empresa e A Qualidade no e-Learning A maturidade da empresa influencia a qualidade do serviço Várias influências na maturidade: • A evolução, o trauma e as implicações das más experiências • As maturidades em social media e as literacias digitais dos formandos• As maturidades em social media e as literacias digitais dos formandos • A adopção de tecnologia e de pedagogias emergentes 7 dimensões de maturidade e 38 indicadores de maturidade no e-learning Cação (2014), Maturity in Large Scale Corporate e-Learning, a apresentar no ICELW, Nova Iorque, 11-13 Junho
  • 24. rosario@evolui.com Rosário Cação Copyright Rosário Cação. Não pode ser reproduzido sem autorização expressa escrita. Cedido ao Mário Martins para colocação no congresso