Planos de Formação

9,997 views
9,550 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
9,997
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
197
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Planos de Formação

  1. 1. Check-listPlanos deformação Rosário Cação
  2. 2. Fundamentação Inclui uma fundamentação sobre a pertinência do curso• Fundamenta o curso com base em critérios de mercado, de procura ou em estudos de diagnóstico de necessidades formativas• No caso da formação interna ou de formação à medida contratada, especifica os meta- -objectivos esperados
  3. 3. Denominação do curso Define de forma clara e informativa o nome do curso• Define um nome comercialmente apelativo mas também consistente com os objectivos do curso• Opcionalmente, identifica o número interno do curso
  4. 4. Objectivo geral Identifica o objectivo geral do curso• O objectivo geral (ao contrário dos específicos) não precisa de levar a frase "No final da formação, os formandos devem ser capazes de:"• Está colocado na voz do formando, com um verbo operacional no infinitivo• Evita dizer que o objectivo é "dotar os formandos de competências para..."• Não tem preocupações em incluir as condições de realização e critérios de êxito• É simples, directo e esclarecedor
  5. 5. Objectivos específicos Enuncia de forma completa os objectivos pedagógicos• Inclui a expressão "No final da formação, os formandos deverão ser capazes de:"• Lista os objectivos com travessões ou bullets• Inclui em cada objectivo um comportamento esperado, condições de realização e critérios de êxito• Pontua todos os objectivos com ponto e vírgula excepto o último no qual coloca ponto final• Organiza os objectivos por domínios do saber• Garante a consistência dos objectivos pedagógicos com os objectivos gerais Por exemplo, se um dos objectivos pedagógicos é "imobilizar uma vítima...", o objectivo geral não pode ser apenas "conhecer os procedimentos de primeiros socorros" pois, está a considerar que não só tem de conhecer esses procedimentos mas também tem de os saber aplicar. Desta forma, o objectivo geral tem de ser "aplicar procedimentos de primeiros socorros" e não apenas conhecê-los.
  6. 6. Destinatários Identifica os destinatários ou o mercado-alvo do curso• Define os destinatários de forma consistente com os objectivos pedagógicos do curso• Define os destinatários em termos sociais (adultos, jovens, mães solteiras, etc.), profissionais (desempregados, enfermeiros, etc.), de qualificações (licenciados, mestres, etc.) ou em termos de determinadas condições específicas (funcionários da empresa XPTO, técnicos de turismo especializados em golf, etc.)• Opcionalmente, define os destinatários em termos de perfil de entrada
  7. 7. Aplicações práticas Explicita a utilidade do curso• Formula as aplicações práticas em termos de comportamentos e atitudes (e não de conhecimentos adquiridos)• Responde à questão: "o que será o formando capaz de fazer na prática?”• Evita muletas verbais como dizer que as aplicações práticas são "dotar os formandos de competências para...". Por exemplo, num curso de primeiros socorros a aplicação prática não é "conhecer os procedimentos de primeiros socorros" mas sim "prestar os primeiros socorros às vítimas". Ou seja, exacerbando a questão, a aplicação prática não é saber "como se salvam vidas" mas sim "salvar vidas"
  8. 8. Pré-requisitos Identifica as condições de acesso ao curso• Define pré-requisitos ser sociais, etários, de qualificação, de função ou outros• Garante que os pré-requisitos estão consistentes com os objectivos do curso. Por exemplo, se o curso é sobre "práticas de escrita" ou "primeiros socorros" existe pelo menos o pré-requisito do formando saber ler e escrever fluentemente no primeiro caso e, no segundo, ser adulto e não ser sensível, por exemplo, a ver sangue• Caso o curso não tenham pré-requisitos, menciona que não existem pré-requisitos para frequentar o curso• Indica equipamentos ou materiais que os formandos deverão garantir ter para frequentar a formação (por exemplo: "devem possuir um computador Mac com o software XPTO instalado" ou "devem ter o seu próprio kit de ferramentas automóvel"
  9. 9. Número de participantes Identifica o número mínimo e máximo de formandos• Define estes números para o curso, e eventualmente para as sessões• O curso pode ter um número mínimo e máximo geral e depois determinada sessão prática poder ter um número máximo inferior, obrigando assim à calendarização de várias sessões (presenciais ou síncronas) paralelas dessa sessão por forma a que todos os formandos frequentem essa sessão
  10. 10. Critérios de selecção Identifica os critérios para admitir os formandos à formação• Identifica os critérios de selecção dos formandos e que podem ser sociais, geográficos, de experiência profissional etc.• Deve ser fácil responder à seguinte questão: se só houver uma vaga e houver 2 candidatos, qual deles fica com a vaga?• Indica a ordem de aplicação dos critérios de selecção. Por exemplo, se os critérios forem "anos de experiência profissional e ordem de inscrição", se existir apenas uma vaga e dois candidatos, sendo que um tem mais anos de experiência mas inscreveu-se depois do outro, quem fica com a vaga? No entanto, se disser que os anos de experiência profissional será o primeiro critério, e a ordem de inscrição for o segundo, então fica claro que o candidato com mais anos de experiência é que fica com a vaga e só no caso de dois candidatos terem os mesmos anos de experiência é que se aplica o segundo critério• Utiliza o critério "ordem de inscrição" com ponderação pois geralmente o que se quer considerar é a "ordem de pagamento” ou de autorização da chefia• Evita confusões entre os critérios de selecção e os pré-requisitos. Por exemplo, a "licenciatura em enfermagem" num curso de "desobstrução das vias aéreas" é um pré-requisito ou um critério de selecção?
  11. 11. Duração Identifica a duração pedagógica e o prazo de acesso ao curso• Define a duração pedagógica do curso em termos do total de horas de formação• No caso dos cursos online ou b-learning, define a carga online e a carga presencial e o número de horas em sessões síncronas e sessões assíncronas• Nos cursos presenciais ou com componente presencial, não identifica o número de horas de cada sessão pelo simples facto de um curso de 20 horas poder ter o mesmo plano de formação numa edição em que são feitas 4 sessões de 5 horas e noutra edição em que são feitas 5 sessões de 4 horas. Esta informação do número de sessões deve, por isso, constar apenas do plano de edição sendo o plano de formação um instrumento que é aplicado a várias edições• No caso dos cursos online, identifica a duração de acesso ao curso (exemplo: 30 dias)
  12. 12. Certificação e homologações Enquadra legalmente o curso • Menciona se a entidade formadora está acreditada/certificada pela DGERT e se o curso está homologado, creditado ou autorizado por outra entidade • Não confunde as atribuições da DGERT: A DGERT apenas certifica entidades formadoras (e não cursos de formação). Os cursos (e não as entidades) é que podem ser homologados • Caso o curso fosse elegível para uma determinada homologação mas não está homologado, faz essa referência
  13. 13. Modalidade e forma de formação Classifica a modalidade e a forma de acordo com o enquadramento legal • Identifica a modalidade, de acordo com a legislação em vigor • Especifica a forma de formação (exemplo: a distância ou presencial) • Quanto prevê a utilização a forma de formação a distância identifica a plataforma, o regime de tutoria e, caso haja sessões online, se elas serão síncronas ou assíncronas
  14. 14. Área de formação Identifica a área de educação e formação do curso• Identifica o código e o nome da área de formação de acordo com a Classificação Nacional de Áreas de Educação e Formação• Opcionalmente, menciona se a entidade tem certificação da DGERT para essa área específica
  15. 15. Metodologia Descreve os métodos e técnicas pedagógicas• Identifica os métodos pedagógicos utilizados• Detalha em que contexto é que cada técnica pedagógica vai ser aplicada• Opcionalmente, define as actividades a desenvolver• No caso dos cursos online, define o regime e os suportes de tutoria
  16. 16. Metodologia de avaliação Explicita de que forma a avaliação das aprendizagens será feita• Explícita a fórmula de cálculo da classificação final e se avaliação é feita apenas pelo formador ou inclui uma componente de avaliação pelos pares• Menciona os momentos, as técnicas e os instrumentos de avaliação• Refere a escala (exemplo: numa escala de "muito insuficiente" a "muito bom" ou numa escala de 1 a 10)• Menciona a partir de que item da escala é que os formandos têm aproveitamento (exemplo, são aprovados os formandos com classificação final igual ou superior 5 valores)• Não inclui critérios como a assiduidade e a pontualidade pois eles não avaliam as aprendizagens, apenas a presença mas que podem ser critérios necessários (embora não suficientes) para aprovação• Se recorrer à avaliação qualitativa, indica quais os indicadores ou rúbricas que vão ser usados para avaliar as aprendizagens• Menciona a forma como as avaliações são comunicadas aos formandos e respectivo prazo (ao contrário do plano de edição, aqui, este prazo é indicado em número de dias após o fim do curso, ao passo que no plano de edição é indicada a data concreta)
  17. 17. Regras de assiduidade Define o limite máximo de faltas• Indica a assiduidade mínima necessária para avaliação final positiva em percentagem da carga total do curso e em número de horas• Evita as tolerâncias de entrada
  18. 18. Certificação Explicita o tipo de certificação que será feita no final do curso• Indica se é emitido um certificado de formação profissional e qual o diploma legal ao abrigo do qual o certificado é emitido• Evita expressões vagas do género "em caso de sucesso, é emitido um certificado", já que o conceito de "sucesso" deve ser clarificado como sendo "no caso de ter avaliação final positiva"• Se for o caso, identifica o "perfil de saída" e a qualificação atribuída (por exemplo, a qualificação escolar nos curso de dupla certificação)• Mesmo que a entidade não seja certificada/acreditada, desde que proceda à avaliação das aprendizagens, deve emitir certificado de formação profissional em vez de apenas emitir certificado de frequência• Os certificados de frequência devem apenas ser emitidos caso o formando não tenha tido aproveitamento mas tenha cumprido assiduidade mínima e, por motivos éticos, devem mencionar que o formando não teve aproveitamento. Estes certificados são mais adequados em seminários, workshops, palestras e eventos que, apesar de terem preocupações pedagógicas, não avaliam as aprendizagens
  19. 19. EquipamentosInventaria os equipamentos da responsabilidade de entidade e do formando • Inclui equipamentos como computador, videoprojector, tela de projecção, televisão, câmara, tripé, etc. • Inclui ainda equipamentos específicos como, por exemplo, 15 candeeiros individuais com lâmpadas de 40 W e 15 computadores com a versão x do software XPTO instalada • Especifica condições físicas específicas exigidas. Por exemplo, "sala com ar condicionado com luz natural e 2,5 metros quadrados por formando e disposição em U" • Opcionalmente, pode incluir extras a serem fornecidos como "águas, blocos de formação e drops" • Inclui nos equipamentos apenas recursos de formação e não menciona recursos didácticos (apresentações Power Point, enunciados, maquetes, etc.) • Se for o caso, especifica os equipamentos da responsabilidade do formando trazer. Neste caso, estes equipamentos devem constar igualmente dos pré-requisitos do curso
  20. 20. Coordenação pedagógicaIdentifica claramente de quem é a responsabilidade da coordenação • Indica o nome do coordenador do curso • Fornece uma breve nota biográfica do coordenador • Indica o tipo de vínculo do coordenador à entidade, caso se justifique
  21. 21. Programa Detalha os temas que serão abordados• Numera os temas• Caso o curso esteja organizado em módulos, faz essa menção e define a carga horária por módulo• Não estrutura em módulos cursos de duração reduzida ou cujas temáticas não sejam suficientemente estanques• Opta por organizar o programa em módulos caso estes sejam autónomos, sejam avaliados individualmente e tenham uma carga horária elevada• Não inclui no programa items como a apresentação, a "avaliação" ou o "esclarecimento de dúvidas" limitando-se a listar os temas que serão abordados (e não as etapas da formação);• Evita chamar ao programa "conteúdos programáticos" que é uma expressão redundante, optando por "conteúdos”, “temas” ou simplesmente "programa"
  22. 22. Referências bibliográficas e recursos Identifica as fontes e os recursos usados • Identifica as referências bibliográficas do curso, dividindo- as entre essenciais e leituras recomendadas • Identifica os recursos didácticos que serão disponibilizados aos formandos
  23. 23. Medidas de remediação Define as “segundas oportunidades” previstas• Define as medidas de remediação, ou seja, as segundas oportunidades que podem ser dadas aos formandos caso eles reprovem• Indica em que circunstâncias é que os formandos são elegíveis para aproveitarem as medidas de remediação• Indica o prazo de aplicação das medidas de remediação, os custos envolvidos e a metodologia segundo a qual o formando vai ser avaliado novamente
  24. 24. Preço e condições de pagamento Especifica o preço e condições de pagamento • Indica o preço, que será indicativo pois pode variar de edição para edição • Menciona se o preço inclui IVA ou está isento (art.º 9º CIVA) • Especifica condições de pagamento (exemplo: a pronto, com a inscrição, em x prestações) e datas limite de pagamento e os meios de pagamento aceites • Menciona a elegibilidade de promoções ou condições especiais (como, por exemplo, se o formando pode aplicar o desconto de cartão jovem) • Se o curso for financiado, indica o programa de apoio respectivos logótipos e as bolsas atribuídas
  25. 25. Posicionamento Define o posicionamento em termos de produto educativo• Indica a forma como o curso deve ser posicionado no mercado, em termos de marketing de produtos educativos e formativos e face aos destinatários definidos
  26. 26. Outras preocupaçõesEscreve o plano em português correcto:• Escreve sem erros ortográficos ou gralhas e garante que passa o corrector ortográfico no ficheiro• Escreve em português de Portugal segundo as regras do novo acordo ortográfico ou com base no anterior, mas garantindo que não mistura regras dos dois acordos• Escreve frases curtas e claras, sem "muletas" verbais, adjectivos e advérbios desnecessários• Escreve textos claros e gramaticalmente bem escritos• Coloca os estrangeirismos em itálico• Utiliza o negrito para destacar, e não o sublinhado (interpretado, nos dias actuais, como um link e não como um destaque)
  27. 27. Outras preocupaçõesFormata o documento adequadamente:• Garante a identificação da entidade formadora caso não utilize papel timbrado da entidade• Destaca o título dos campos dos plano de formação• Garante que não tem campos a quebrar de página (por exemplo, com o título no final de uma página e o detalhe no início da página seguinte, optando por passar o título para a página seguinte)• Ajusta a orientação da folha à necessidade de espaço e dimensão dos campos• Utiliza fontes, cores e demais formatações clássicas• Faz uma boa gestão da mancha do plano• Numera as páginas
  28. 28. Check-listPlanos deformação Rosário Cação

×