• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Escalas para Medição de Atitudes - Com Exemplos Práticos Aplicados à Educação e Formação
 

Escalas para Medição de Atitudes - Com Exemplos Práticos Aplicados à Educação e Formação

on

  • 21,674 views

Descreve as várias escalas que podem ser usadas em instrumentos, questionários ou inquéritos que pretendam medir atitudes. São fornecidos exemplos práticos aplicados à educação e formação.

Descreve as várias escalas que podem ser usadas em instrumentos, questionários ou inquéritos que pretendam medir atitudes. São fornecidos exemplos práticos aplicados à educação e formação.

Statistics

Views

Total Views
21,674
Views on SlideShare
21,674
Embed Views
0

Actions

Likes
17
Downloads
0
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Muito bom pela abragência dos modelos de escalas com suas vantagens, desvantagens e onde são normalmente aplicadas.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Escalas para Medição de Atitudes - Com Exemplos Práticos Aplicados à Educação e Formação Escalas para Medição de Atitudes - Com Exemplos Práticos Aplicados à Educação e Formação Presentation Transcript

    • Escalas   p ara   m edição   d e   a 0tudes   com  exemplos  aplicados  à  educação  e  formação   Rosário  Cação   ©  Rosário  Cação/EVOLUI.COM  2011  
    • Tipos  de  Escalas  •  Escalas de classificação ou rating numéricas •  Escala de Likert •  Escala diferenciais semânticas •  Escala de Stapel •  Escala de rating horizontal •  Escala de rating vertical •  Escala numérica comparativa de soma constante•  Escalas numérica ou de scores •  Escalas numéricas •  Escalas termómetro•  Escala de ordem ou ranks•  Escala pictural•  Escala de escolha múltipla •  Escala de escolha múltipla simples •  Escala check-list•  Escalas binária ou dicotómica •  Escala dicotómica simples •  Escala de pares comparativos•  Outras escalas •  Selecção comparativa de cartões •  Q Sort •  Escalas de não compromisso
    • Escala  de  Likert  (1932)  •  É apresentado um conjunto de dimensões de atitudes paraos quais os inquiridos têm de indicar o que grau deconcordância com a afirmação, assinalando uma das posiçõesnuma escala de cinco pontos.•  Os questionários que utilizam escalas de Likert tambémpodem ter pontuações de 1 a 5 ou de negativo a positivo, ou de-2 a 2, transformando assim as respostas em escalas deintervalo, o que permite o cálculo de médias, medianas edesvios padrões.•  As escalas de Likert podem ser usadas em questõesisoladas ou como um conjunto de questões organizadas numatabela ou grelha.  
    • Escala  de  Likert  (1932)  
    • Escala  de  Likert  (1932)  Existem quatro efeitos a ter em conta (Brace, 2005, pp. 74-76):•  Efeito de ordem: há uma tendência para a esquerda nasescalas preenchidas pelos inquiridos.•  Acquiescence: é a tendência para dizer sim a questões comque nem se concorda nem discorda.Por causa destes dois efeitos, o ideal é colocar os níveis dediscordância à esquerda e os de concordância à direita, paraque estes dois efeitos se compensem.
    • Escala  de  Likert  (1932)  Existem quatro efeitos a ter em conta (Brace, 2005, pp. 74-76):•  Tendência central: é a relutância dos inquiridos de usarposições extremas. Para combater este efeito, pode-se dividircada item em duas questões (uma que meça o grau deconcordância ou extremidade e outra que meça a intensidade.Pode ainda evitar-se níveis como "extremamente insatisfeito eoptar por versões menos radicais como "muito insatisfeito".•  Resposta padrão: ocorre quando o inquirido entra na rotinade seleccionar as opções num determinado padrão (porexemplo, escolhendo sempre a segunda opção). Geralmente,isto é um sintoma de fadiga ou enfadamento. Este efeito éfacilmente identificado com perguntas de resposta conflituante,ou seja, perguntando uma coisa de uma forma e, mais à frente,colocando a mesma pergunta mas pela negativa.
    • Escala  Diferencial  SemânKca    •  É uma escala bipolar de 7 pontos (Osgood, Suci, &Tannenbaum, 1957).•  Diferencia-se da escala de Likert por as afirmaçõesopostas de uma dimensão estarem colocadas numa dasduas pontas da escala e os inquiridos terem de indicar oseu grau de concordância colocando uma marca ao longoda escala.•  As opções de resposta consistem num par de adjectivosopostos.
    • Escala  Diferencial  SemânKca    Como classfica o seminário em termos de organização?
    • Escala  Diferencial  SemânKca    
    • Escala  de  Stapel  •  Os items são colocados no centro da escala que oscilaentre -5 e +5. Aos inquiridos é solicitado que indiquem seconcordam positiva ou negativamente e quão fortemente,seleccionando um dos pontos da escala.•  Diferencia-se da escala diferencial semântica: •  Os pontos da escala são sempre identificados por números; •  Só é utilizada uma afirmação e se o inquirido discorda dela, assinala a sua posição nos pontos negativos; •  Assegura maior discriminação: há 10 posições em vez de 7; •  Não têm ponto central; •  Não requer adjectivos bipolares.•  É geralmente considerada confusa pelos inquiridos.
    • Escala  de  Stapel  
    • Escala  de  Ra#ng  Horizontal  •  As escalas de rating horizontais fornecem posições deatitudes opostas e pedem ao inquirido para indicar onúmero, entre as posições, com que eles se identificam.•  Ao contrário das escalas diferenciais semânticas queutilizam um adjectivo e o seu oposto, as escalas de ratinghorizontal fazem uso de atitudes contrárias.
    • Escala  de  Ra#ng  VerKcal  •  É solicitado ao inquirido que classifiquem, numa escadaou ordem, as suas preferências.•  Por exemplo, solicita-se aos inquiridos que ordenem osoradores de uma conferência por ordem de reputação.
    • Escala  Numérica  ComparaKva  de  Soma  Constante  •  Uma variante comparativa da escala numérica ésolicitar ao inquirido que distribua 100 pontos por umconjunto de atributos que ele considera importantes.•  Esta escala tem alguns problemas: •  Nem todos os inquiridos podem ter agilidade mental para fazer contas. •  Se existirem muitos atributos pelos quais têm de distribuir os 100 pontos, os inquiridos podem não ser capazes sequer de apurar quantos pontos dariam a cada atributo se eles fossem equitativamente importantes; •  Os inquiridos podem confundir-se nas contas e não garantir a soma de 100; •  Os inquiridos podem dar pontuações muito detalhadas (exemplo: 23 pontos num, 19 noutro, 47 no seguinte), o que lhes dificulta a soma.
    • Escala  Numérica  ComparaKva  de  Soma  Constante  
    • Escala  Numérica  •  É a escala mais comum e simples e é muito apropriadapara questionários preenchidos pelo inquirido.•  Solicita-se ao inquirido que atribua uma classificaçãoentre 1 e 10 (ou entre 0 e 10 caso seja necessário umponto central) ou entre 1 e 100.•  Os pontos extremos são descritos verbalmente, ouseja, indica-se, por exemplo, que 10 é o valor maiselevado e 1 o valor mais baixo.
    • Escala  Numérica  •  É uma escala de intervalo e não uma escala de rácio.Ou seja, se o inquirido atribuiu um 8 numa escala de 1 a10, isso não significa que dá o dobro da importânciaatribuída por um inquirido que atribuiu 4.•  A escala numérica é adequada para medidas como aimportância mas não para escolhas entre dois pontosigualmente positivos.•  Esta escala é aplicada em dois formatos: •  No primeiro, é dado um quadradinho para o inquirido assinalar a resposta. Uma variante deste formato é a escala numérica comparativa de soma constante. •  No segundo, são dados tantos quadradinhos quanto os níveis da escala, para o inquirido assinalar o nível da sua resposta.
    • Escala  Numérica  •  Esta escala é aplicada em dois formatos: •  No primeiro, é dado um quadradinho para o inquirido assinalar a resposta. Uma variante deste formato é a escala numérica comparativa de soma constante. •  No segundo, são dados tantos quadradinhos quanto os níveis da escala, para o inquirido assinalar o nível da sua resposta.
    • Escala  Numérica  •  Esta escala é aplicada em dois formatos: •  No segundo, são dados tantos quadradinhos quanto os níveis da escala, para o inquirido assinalar o nível da sua resposta.
    • Escala  Numérica  •  As escalas numéricas também têm versões gráficas,muito usadas nos questionários online, onde é usada umabarra que o inquirido vai puxando para um ou para outrolado para aumentar a classificação que atribui.
    • Escala  de  Termómetro  •  As escalas de termómetro também são escalas descores em que se fornece uma imagem de umtermómetro, com, por exemplo, 9 níveis e uma descriçãopara cada nível, e depois se solicita a classificação devários items.
    • Escala  de  Termómetro  
    • Escala  de  Ordem  ou  Rank  •  Muito semelhante à escala de rating vertical, estaescala solicita aos inquiridos que classifiquem aimportância ou força do grau de concordância com umdeterminado item, em comparação com a forma com queos outros items são classificados.•  Assim, as respostas indicam a importância relativa, enão absoluta, dos items.•  Esta escala torna-se difícil se existem muitos items paraclassificar. Neste caso, pode pedir-se para o inquiridoclassificar apenas as duas ou três do topo superior e doextremo inferior.
    • Escala  de  Ordem  ou  Rank  
    • Escala  Pictural  •  Utiliza desenhos, geralmente sorrisos, para osinquiridos assinalarem as respostas.•  É preferível à escala semântica em váriascircunstâncias (Brace, 2005, pp. 83-84): •  Quando os inquiridos são crianças, incapazes de relacionar as suas respostas com descrições verbais; •  Quando as diferenças culturais entre os inquiridos podem trazer diferentes interpretações das descrições verbais; •  Em estudos entre países onde as traduções podem alterar os significados; •  Quando a população alvo tem um baixo nível de literacia; •  Quando os inquiridos não conseguem quantificar ou descrever verbalmente a sua atitude (por exemplo, a dor que sentem).
    • Escala  Pictural  Fonte: Hockenberry MJ, Wilson D, Winkelstein ML: Wongs Essentials of Pediatric Nursing, ed. 7,St. Louis, 2005, p. 1259.
    • Escala  de  Escolha  MúlKpla  Simples  •  Requer que o inquirido escolha apenas a uma dasalternativas de uma lista de três ou mais hipóteses.•  Nesta escala, existem quatro formatos: 1.  Escolha múltipla simples nominal, onde a ordem pela qual são apresentados os items é irrelevante. 2.  Escolha múltipla simples ordinal, onde os items devem ser ordenados do mais baixo para o mais alto. 3.  Escolha múltipla simples de afirmações de atitudes ordenadas, que são semelhantes às escalas de Likert e onde é pedido ao inquirido que assinale a posição ou atitude que mais se aproxima da sua visão. 4.  Escolha múltipla simples onde as alternativas podem ser um número exacto ou um intervalo.
    • Escala  de  Escolha  MúlKpla  Simples  1. Escolha múltipla simples nominal
    • Escala  de  Escolha  MúlKpla  Simples  2. Escolha múltipla simples ordinal
    • Escala  de  Escolha  MúlKpla  Simples  3. Escolha múltipla simples de afirmações de atitudes ordenadas
    • Escala  de  Escolha  MúlKpla  Simples  4. Escolha múltipla simples numéricas
    • Escala  Check-­‐List  •  Esta escala envolve listar um conjunto de items esolicitar aos inquiridos que seleccionem todos que seaplicam.•  É uma variante da escala de escolha múltipla simplesem que o inquirido pode seleccionar mais do que umaalternativa.
    • Escala  Check-­‐List  
    • Escala  Check-­‐List  
    • Escala  Dicotómica  Simples  •  Também chamada escala binária ou de pares.•  Solicita-se aos inquiridos que seleccionem uma de duasalternativas fixas.
    • Escala  de  Pares  ComparaKvos  •  Nesta escala, os inquiridos têm de escolher entre doisobjectos usando um determinado critério como aimportância, a satisfação ou a preferência.•  Os pares podem ser combinados por forma a seremcomparados todos entre si.•  A desvantagem desta escala é que está limitada a umnúmero pequeno de objectos. Por exemplo, com seisobjectos, são necessários 15 pares para garantir quetodos são comparados entre si.
    • Escala  de  Pares  ComparaKvos  
    • Selecção  ComparaKva  de  Cartões  •  Este formato é adequado quando existe um elevadonúmero de items (mais de 30) para avaliar e é necessárioordená-los por importância.•  É aplicado com ajuda de um técnico que vai passandocartões ao inquirido que tem de os colocar em 5montinhos: muito importante, importante, nem importantenem sem importância, pouco importante, sem importância.
    • Q  Sort  •  Semelhante à selecção comparativa de cartões, éaplicado quando o número de objectos é elevado (mais de100).•  É pedido ao inquirido que construa uma distribuição defrequências colocando um conjunto de cartas num de 11ou 12 montes, de acordo com o grau de desejabilidadeque atribui às características escritas nos cartões.•  Pode ser solicitado que coloquemum determinadonúmero de objectos em cada ponto da escala por forma acriar uma distribuição normal.•  Uma versão mais recente é a escala numéricacomparativa de soma constante.
    • Escalas  de  Não  Compromisso  •  Em termos gerais, devem ser fornecidas alternativaspara "não sabe" ou "não tem opinião" para questões emque os inquiridos ainda não pensaram no assunto e aindanão têm uma opinião formada. Força-los a expressar umaopinião quando eles não a têm, cria respostas falas e nãoconfiáveis.•  O perigo de usar as alternativas do "não sabe" ou "nãotem opinião" é que os inquiridos podem escolhê-las porpreguiça. Uma das formas de combater esse perigo étorná-las menos visíveis (por exemplo, serem as últimasopções ou, nos questionários escritos, estarem separadasdas outras).
    • Escalas  de  Não  Compromisso  •  Outro tipo de escala de não compromisso é a inclusãode alternativas neutras, chamadas de "sitting on thefence”. •  Há autores que consideram que as sitting on the fence não devem ser dadas porque ao serem omitidas vão forçar as pessoas a indicar a direcção da sua opinião (i.e. se caem para um lado e concordam, ou caem para outro lado e discordam). •  Outros autores consideram que, ao serem omitidas vai forçar uma direccionalidade de opinião (Converse & Presser, 1986). Nos questionários auto-administrados, é preferível fornecer esta alternativa neutra. •  Uma alternativa para lidar com este problema é fazer com que a resposta não seja obrigatória (por exemplo, nos questionários online, o inquirido não ser obrigado a responder antes de poder passar para a pergunta seguinte).
    • Escalas   p ara   m edição   d e   a 0tudes   com  exemplos  aplicados  à  educação  e  formação   Rosário  Cação   ©  Rosário  Cação/EVOLUI.COM  2011