Inclusão de alunos surdos

  • 565 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
565
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
28
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS: CULTURA E PEDAGOGIA SURDA. Nome: Rosana Cardoso de Souza Bastos Formação:Pedagogia; Especialista em: Neuropsicologia – concluído Libras - cursando
  • 2. EDUCAÇÃO DOS SURDOS  A educação das pessoas surdas durante anos, baseou-se na mera abordagem clínica, finalidade de restaurar a diferença – capacitar todas as pessoas surdas a ouvirem;  Democratização do ensino e desigualdade de oportunidade para todos – disseminam a ideia de que a escola precisa estar abertas pra atender a todos – o convívio social com as diferencias levara a formação de indivíduos mais toleráveis e atentos a diversidade cultural, social ou cognitiva;
  • 3. EDUCAÇÃO DOS SURDOS  Inclusão – Pensava –se que as escolas especiais educavam os surdos em um mundo à parte, segregado-os – existe uma super valorização de socialização- Não seria este contexto segregados?  A educação para os surdos valorizava muito mais “ a Convivência” ou “Socialização” com os colegas “NORMAIS” ouvintes – não importava a aquisição de uma língua natural – LIBRAS;  Buscam a individualização para a educação das pessoas surdas – perspectiva da relação entre igualdade e diferença – dentro da educação dos alunos surdos;
  • 4. EDUCAÇÃO DOS SURDOS  Para saber como o aluno surdo aprende é preciso entender que o espaço educativo das pessoas surdas é composto por “especificas identidades” – segundo Franco(pag.93,199) – são “capazes de construir representações sociais e culturais próprias e independentes do modelo visto como normal”;  É preciso reflexão de situar a surdez como diferença quando se trata de ambiente escolar e aprendizagem – diferença linguística e cultural;
  • 5. EDUCAÇÃO DOS SURDOS  Devemos repensar a imposição da cultura ouvinte sobre o surdo – tendo “o surdo” como um indivíduo que pertence a um mundo de experiências visuais e não auditivas – a comunicação se processa por meio de uma língua de sinais, pertencente a uma cultura diferente, de caráter eminentemente visual;  Os surdos estão “imersos” no ambiente em que a língua é “falada”. No entanto, a condição física das pessoas surdas não lhes permite o acesso à língua portuguesa de forma natural.
  • 6. EDUCAÇÃO DOS SURDOS  O aluno deve ter oportunidade de interagir com o português escrito de várias formas e em todos os momentos em que for propício. Os textos, as palavras, as estórias escritas em português devem ser oferecidas visualmente desde o princípio da escolarização
  • 7. EDUCAÇÃO DOS SURDOS  Lembre-se que a falta de audição no aluno proporciona alterações na linguagem oral e escrita às quais deverão ser consideradas. As estratégias ou alternativas utilizadas serão diferenciadas dos demais alunos; Averiguar quais os tipos de linguagem que o aluno surdo utiliza (oral, escrita, língua de sinais, gestos padronizados, leitura labial, entre outros), para facilitar a comunicação entre docente e aluno ;  Durante as aulas o professor deverá fazer suas explanações; Sempre de frente para o surdo, falando nem muito rápido, nem muito devagar com movimentos labiais adequados, articulando corretamente os fonemas. Nunca dar explicações de costas e escrevendo na lousa, bem como, não caminhar na sala enquanto realiza explicações;
  • 8. EDUCAÇÃO DOS SURDOS    O conteúdo e materiais referentes à disciplina deverão ser entregues ao aluno pelo professor no inicio de cada bimestre/ semestre, ou com antecedência para que possa se organizar antecipadamente e receber apoio; Realizar antecipadamente as anotações importantes na lousa, incluindo comunicação externa e interna (datas das provas, entrega de trabalhos, cursos, outros cronogramas, etc.) revendo se o aluno sua agenda diariamente; Explanar as aulas de forma expositiva utilizando recursos gráficos e visuais, como: cartazes, gravuras, fotos e outros. A visão é considerada a principal via de aprendizado e informação do aluno surdo e o uso de materiais concretos facilitaram o aprendizado, uma vez que conteúdos abstratos dificultam o processo;
  • 9. EDUCAÇÃO DOS SURDOS   Elaborar provas diferenciadas dos demais alunos utilizando perguntas sucintas e objetivas com vocabulário claro e com sinônimo de palavras (ou dicionário) que facilitem a compreensão, porem não alterando o conteúdo; O interprete ou tradutor (no caso de haver) atuará como mediador entre o docente e o aluno, tanto na comunicação oral quanto na escrita. O interprete é importante para o acompanhamento do aluno surdo, porém, a comunicação entre o docente e o aluno surdo sempre deverá ocorrer; TODO SURDO GOSTA QUANDO SE TENTA CONVERSAR COM ELE. EXPERIMENTE. 
  • 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS NOVAES, Edmarcius Carvalho – Surdos: educação, direito e cidadania; Rio de Janeiro: Wak Ed.,2010. Ronice Müller de Quadros[i] - Texto : O CONTEXTO ESCOLAR DO ALUNO SURDO E O PAPEL DAS LÍNGUAS. [i] -Doutoranda do Departamento de Pós-Graduação em Letras da PUCRS - área de concentração: Linguística Aplicada - com o suporte financeiro da CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. 12