Projecto “Curte Bué, SEM Álcool”Acção de sensibilização sobre o consumo de álcool<br />Margarida Soliz – Psicóloga da Unid...
Como apareceu o álcool?<br />Uma das mais antigas referências diz respeito a um baixo-relevo feito, muito provavelmente, 3...
10 %da população Portuguesa tem PLA<br />
A substância álcool – a sua constituição e propriedades<br />
Que propriedades é que tem o álcool que faz as pessoas ultrapassar os limites?<br />Bebidas alcoólicas são bebidas que, co...
6<br />Alcoolémia  - corresponde à taxa de álcool no sangue, que traduz a impregnação alcoólica do indivíduo num dado mome...
As alcoolémias<br />do que bebem<br />
Cerveja 6º - garrafa 250ml<br />Wisky 40º – dose de 50ml<br />Vodka frutos 25º – dose de 80ml<br />
Twist – Pops de wisky – 1 garrafa<br />Martini Metz – Pops de vermute – 1 garrafa<br />Smirnoff mule – Pops de vodka – 1 g...
licores<br />Bayley´s – licor de nata 17º – dose de 80ml<br />Bols Blue – licor de curacau 24º – dose de 80ml<br />Sherida...
Cuba libre - 80ml (50ml rum 40º+30ml de cola)<br />Vodka limão/laranja - 80ml (50ml vodka+30ml de sumo)<br />Wisky com col...
Safari- 80ml (50ml licor de futos 20º+30ml de cola)<br />shots<br />TGV - 60ml (20ml tequilla 38º+20ml gin 38º +20ml vodka...
Para se <br />sentir bem<br />Para ter novos:<br />sentimentos<br />sensações<br />experiências<br />E<br />Para as partil...
As consequências/efeitos do consumo de álcool de álcool<br />
15<br />Efeitos do álcool<br />O álcool é a droga mais conhecida e aceite socialmente. É muito procurada devido à crença d...
 diminuição da capacidade de reacção, diminuição da capacidade de atenção e 	compreensão,
 deterioração da capacidade de raciocínio e da actividade social,
 fala premente, descoordenação, mudanças no estado de ânimo,
 irritabilidade, fenómenos de amnésia, fadiga muscular, etc.</li></li></ul><li><ul><li>As consequências do consumo de álco...
Consequências gerais no sistema digestivo:<br />O percurso do álcool pelo tubo digestivo provoca diversos tipos de danos n...
Consequências gerais no sistema digestivo:<br />ESÓFAGO<br />esofagite difusa<br />refluxo gastro-esofágico<br />úlceras e...
Consequências gerais no sistema digestivo:<br />INTESTINO DELGADO<br />duodenite (inflamação do duodeno)<br />bolbite (inf...
Consequências gerais no sistema digestivo:<br />FÍGADO<br />Esteatose Hepática, ou infiltração gorda. Este é o primeiro pa...
Consequências gerais no sistema cardio-circulatório:<br />1 - O álcool provoca lesão directa da fibra muscular cardíaca  (...
Consequências gerais no sistema hemato-poiético:<br />Por si só o álcool atinge a medula óssea provocando:<br />Perda de m...
 facilidade de embolias, obstrução arterial e outras complicações, quer a nível cerebral, quer a nível cardíaco.</li></ul>...
Consequências gerais no sistema reprodutivo masculino:<br />HIPOANDROGENISMO<br />Diminuição da fertilidade (interfere na ...
Consequências gerais no sistema reprodutivo feminino:<br />Amenorreia<br />Anovulação (infertilidade)<br />Hiperprolactiné...
Consequências ao nível do sistema nervoso central:<br />Atrofia cerebral<br />Diminuição da globalidade das células cortic...
27<br />Áreas cerebrais mais atingidas no consumo juvenil:<br />Efeitos do consumo a curto prazo:<br />  . Alterações da v...
Consumo juvenil<br />Risco de dependência por ano de consumo antes do tempo:<br />14 anos			45 a 50%<br />18 anos			15 a 2...
29<br />Falsos Conceitos<br />
O álcool tem um efeito vaso-dilatador que é responsável pelo rubor e pela sensação de calor à superfície da pele. <br />Na...
O álcool tem uma acção euforizante e anestésica que encobre a fadiga muscular.<br />A ingestão de bebidas alcoólicas, em v...
Ter sede é sinal de que se precisa de água.<br />O álcool das bebidas alcoólicas provoca um aumento de perda de água pela ...
Comer a ponto de ficar “cheio”, dificulta a digestão e é muitas vezes motivo para que se utilizem bebidas alcoólicas - dig...
Apesar do álcool fornecer 7 kilocalorias por grama, são consideradas vazias. Esta energia é pouco rentável quando comparad...
Devido ao já falado efeito anestésico do etanol, alguns dos sintomas apresentados pelos indivíduos doentes são atenuados s...
Mitos relativos ao álcool     <br />
Alimentos e álcool     <br />“Ao acompanhar a refeição, o álcool não embriaga”<br />O álcool, ao contrário dos alimentos, ...
Suar até ficar sóbrio    <br />“Se transpirar e depois tomar um duche frio, fico sóbrio”<br />Do total de álcool absorvido...
Cocktails    <br />“Estou bem, só bebi cocktails”<br />O álcool, mesmo quando misturado com sumos de fruta ou outras bebid...
Capacidade e resistência ao álcool    <br />“Já bebo há muitos anos, logo suporto melhor o álcool”<br />Após exposições re...
Conhecer o limite    <br />“Conheço perfeitamente o meu limite ...”<br />Com o hábito de consumo, o indivíduo consegue dis...
Álcool e dimensão física    <br />“Sou pesado, logo aguento melhor o álcool”<br />O nível de intoxicação é influenciado pe...
Tempo de espera para conduzir    <br />“ Já posso conduzir, não bebo nada há 1 hora”<br />Os níveis de alcoolémia no sangu...
Café para diminuir a embriaguez<br />“Para ficar sóbrio bebo muito café...”<br />Café, longas caminhadas ou ar fresco não ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Accao alcool

2,852

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,852
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Accao alcool

  1. 1. Projecto “Curte Bué, SEM Álcool”Acção de sensibilização sobre o consumo de álcool<br />Margarida Soliz – Psicóloga da Unidade de Alcoologia do Norte, IDT,IP.<br />
  2. 2. Como apareceu o álcool?<br />Uma das mais antigas referências diz respeito a um baixo-relevo feito, muito provavelmente, 30 000 AC. <br />Admite-se que, no período paleolítico, o Homem tomou conhecimento, de forma acidental, dos efeitos da ingestão do produto fermentado a que o mel, recolhido e armazenado em recipientes artesanais, dera origem. <br />No período neolítico, a cerveja e o seu fabrico eram já do conhecimento do Homem. <br />Egípcios, gregos e romanos são exemplo de povos que conheceram e desenvolveram as artes do fabrico de bebidas alcoólicas, assim como os efeitos do seu uso pelo Homem. <br />A destilação do vinho, dando origem a bebidas mais alcoolizadas, parece ter-se generalizado na Europa a partir do século XI, tomando em França, por exemplo, extraordinário vulto com as facilidades concedidas pelo Estado aos “destiladores”. <br />
  3. 3. 10 %da população Portuguesa tem PLA<br />
  4. 4. A substância álcool – a sua constituição e propriedades<br />
  5. 5. Que propriedades é que tem o álcool que faz as pessoas ultrapassar os limites?<br />Bebidas alcoólicas são bebidas que, como o seu nome indica, contêm álcool. <br />O álcool etílico ou etanol, molécula de fórmula química CH3 CH2 OH é o principal álcool destas bebidas, que o contêm em diferentes concentrações. <br />O etanol é um líquido incolor, volátil, de cheiro característico, de sabor queimoso e densidade 0,8. É miscível com a água, ferve a 78,5oe pode sepa- rar-se da água, por destilação. <br />
  6. 6. 6<br />Alcoolémia - corresponde à taxa de álcool no sangue, que traduz a impregnação alcoólica do indivíduo num dado momento.<br />Corresponde, por isso, aos gramas de álcool puro existentes por litro de sangue, em determinado momento.<br />Avalia-se efectuando uma análise ao sangue e, de uma forma mais indirecta, utilizando um alcoolímetro (balão) que, com algum rigor, indica-nos a alcoolémia através do ar expirado.<br />
  7. 7. As alcoolémias<br />do que bebem<br />
  8. 8. Cerveja 6º - garrafa 250ml<br />Wisky 40º – dose de 50ml<br />Vodka frutos 25º – dose de 80ml<br />
  9. 9. Twist – Pops de wisky – 1 garrafa<br />Martini Metz – Pops de vermute – 1 garrafa<br />Smirnoff mule – Pops de vodka – 1 garrafa<br />
  10. 10. licores<br />Bayley´s – licor de nata 17º – dose de 80ml<br />Bols Blue – licor de curacau 24º – dose de 80ml<br />Sheridan´s – licor de chocolate 19º – dose de 80ml<br />Gold Strike – licor de flocos de ouro 50º – dose de 20ml<br />
  11. 11. Cuba libre - 80ml (50ml rum 40º+30ml de cola)<br />Vodka limão/laranja - 80ml (50ml vodka+30ml de sumo)<br />Wisky com cola - 80ml (50ml wisky 40º+30ml de cola)<br />Gin tónico - 80ml (50ml gin 38º+30ml de água tónica)<br />
  12. 12. Safari- 80ml (50ml licor de futos 20º+30ml de cola)<br />shots<br />TGV - 60ml (20ml tequilla 38º+20ml gin 38º +20ml vodka 37º)<br />B52 - 60ml (20ml licor café 26º +20ml licor nata 17º + 20ml de absinto 57º)<br />Kalashnicov - 40ml (20ml vodka 37º+20ml de absinto 57º)<br />Tequilla sunrise - 80ml (50ml tequilla 38º+30ml sumo laranja e groselha)<br />
  13. 13. Para se <br />sentir bem<br />Para ter novos:<br />sentimentos<br />sensações<br />experiências<br />E<br />Para as partilhar<br />Para sesentir melhor<br />Com menos:<br />ansiedade<br />preocupações<br />medos<br />depressão<br />desespero<br />
  14. 14. As consequências/efeitos do consumo de álcool de álcool<br />
  15. 15. 15<br />Efeitos do álcool<br />O álcool é a droga mais conhecida e aceite socialmente. É muito procurada devido à crença de que os seus efeitos são estimulantes.<br />De facto, as bebidas alcoólicas podem induzir um estado inicial de desinibição, loquacidade, euforia, falsa segurança em si próprio e, por vezes, impulsos sexuais desinibidos ou agressivos. <br />Progressivamente, as características depressoras do álcoolcomeçam a tornar-se mais notórias, podendo surgir efeitos como:<br /><ul><li> relaxamento, sonolência, turvação da visão, descoordenação muscular,
  16. 16. diminuição da capacidade de reacção, diminuição da capacidade de atenção e compreensão,
  17. 17. deterioração da capacidade de raciocínio e da actividade social,
  18. 18. fala premente, descoordenação, mudanças no estado de ânimo,
  19. 19. irritabilidade, fenómenos de amnésia, fadiga muscular, etc.</li></li></ul><li><ul><li>As consequências do consumo de álcool reflectem-se nas elevadas taxas de mortalidade por cirrose hepática, sinistralidade rodoviária e laboral, bem como na morte prematura, no insucesso escolar, no síndrome fetal alcoólico e nas taxas de homicídio e suicídio.</li></li></ul><li>Que tipos de lesões pode o álcool provocar no organismo?<br />
  20. 20. Consequências gerais no sistema digestivo:<br />O percurso do álcool pelo tubo digestivo provoca diversos tipos de danos nos vários órgãos constituintes, diminuindo não só o apetite mas também a capacidade de absorção dos nutrientes.<br />A BOCA<br />A boca do consumidor abusivo, apresenta um mau estado geral e higiene deficiente.<br />A LÍNGUA<br />As papilas gustativas são destruídas, as gengivas dentais por vezes com hipertrofia, devido à proliferação inflamatória e bacteriana, dando origem à piorreia. <br />18<br />
  21. 21. Consequências gerais no sistema digestivo:<br />ESÓFAGO<br />esofagite difusa<br />refluxo gastro-esofágico<br />úlceras esofágicas <br />hemorragias digestivas <br />cancro do esófago.<br />ESTÔMAGO<br />Gastrite (inflamação estômago)<br />Estas condições facilitam a necessidade de cirurgia e aumentam o risco de neoplasias .<br />PÂNCREAS<br />Pancreatite difusa<br />19<br />
  22. 22. Consequências gerais no sistema digestivo:<br />INTESTINO DELGADO<br />duodenite (inflamação do duodeno)<br />bolbite (inflamação do bolbo duodenal) <br />úlceras de difícil diagnóstico, são muito frequentes, dizendo-se o mesmo do perigo das hemorragias digestivas de origem duodenal.<br />20<br />
  23. 23. Consequências gerais no sistema digestivo:<br />FÍGADO<br />Esteatose Hepática, ou infiltração gorda. Este é o primeiro passo para fazer o fígado funcionar deficientemente.<br />Hepatite alcoólica<br /> Inflamação aguda, ou mais frequentemente crónica.<br /> Inicia-se com anorexia, náuseas e vómitos; surge dor abdominal ao fim de poucos dias, icterícia e febre.<br />Cirrose hepática<br /> A inflamação crónica cria nódulos que desestruturam a rede celular do fígado, tornando-o insuficiente.<br />Carcinoma Hepatocelular (Entre 5 a 15% dos pacientes com cirrose hepática)<br />21<br />
  24. 24. Consequências gerais no sistema cardio-circulatório:<br />1 - O álcool provoca lesão directa da fibra muscular cardíaca (cardiomiopatia alcoólica aguda ou crónica).<br />2 - O álcool mais o défice de vitaminas, em especial vitamina B1, provocam uma insuficiência cardíaca grave.<br />3 - Certas cervejas contêm metais pesados (cobalto) e provocando também insuficiência cardíaca.<br />22<br />
  25. 25. Consequências gerais no sistema hemato-poiético:<br />Por si só o álcool atinge a medula óssea provocando:<br />Perda de masssa óssea  + fracturas<br /><ul><li> alterações celulares sanguíneas
  26. 26. facilidade de embolias, obstrução arterial e outras complicações, quer a nível cerebral, quer a nível cardíaco.</li></ul>23<br />
  27. 27. Consequências gerais no sistema reprodutivo masculino:<br />HIPOANDROGENISMO<br />Diminuição da fertilidade (interfere na produção de espermatozóides e altera a sua forma)<br />Hipogonadismo: atrofia dos testículos (↓ do peso) e do pénis (↓ do tamanho, volume e peso).<br />Disfunção sexual (diminuição da libido, impotência, alterações da ejaculação).<br />FEMINIZAÇÃO<br />Ginecomastia<br />Atrofia prostática<br />24<br />
  28. 28. Consequências gerais no sistema reprodutivo feminino:<br />Amenorreia<br />Anovulação (infertilidade)<br />Hiperprolactinémia (infertilidade)<br />Patologia do ovario<br />Menopausa precoce<br />Abortamento espontâneo de repetição<br />Disfunção sexual<br />25<br />
  29. 29. Consequências ao nível do sistema nervoso central:<br />Atrofia cerebral<br />Diminuição da globalidade das células corticais com maior atingimento do córtex. A atrofia atinge 50 a 70% dos alcoólicos.<br />As zonas da afectividade - conduz a desagregação da realidade e a pseudo<br />demência, que pode ser diminuída com a abstinência a longo prazo e<br />longo tratamento vitamínico.<br />26<br />
  30. 30. 27<br />Áreas cerebrais mais atingidas no consumo juvenil:<br />Efeitos do consumo a curto prazo:<br /> . Alterações da visão, da audição, da coordenação<br /> motora, e dos reflexos em geral<br /> . Alterações emocionais<br /> . Diminuição da capacidade de avaliação das situações<br /> . Enjoos, má disposição<br />Efeitos a longo prazo: <br /> . Interferência nos processos de crescimento cerebral, com hipóteses de dificuldades irreversíveis<br /> . Perda de apetite e sérias deficiências vitamínicas; alterações hepáticas<br /> . Alterações da memória; limitações das funções cognitivas <br />
  31. 31. Consumo juvenil<br />Risco de dependência por ano de consumo antes do tempo:<br />14 anos 45 a 50%<br />18 anos 15 a 20%<br />21 anos 5%<br />Associação Portuguesa de estudo do fígado<br />
  32. 32. 29<br />Falsos Conceitos<br />
  33. 33. O álcool tem um efeito vaso-dilatador que é responsável pelo rubor e pela sensação de calor à superfície da pele. <br />Na verdade, o que se verifica é um aumento da temperatura cutânea (por passar a haver uma maior circulação periférica de sangue) uma vez que a ingestão de álcool provoca uma vasodilatação cutânea.<br />
  34. 34. O álcool tem uma acção euforizante e anestésica que encobre a fadiga muscular.<br />A ingestão de bebidas alcoólicas, em vez de relaxamento, provoca euforia, adormece a sensação de fadiga e dá a ilusão de uma nova energia.<br />
  35. 35. Ter sede é sinal de que se precisa de água.<br />O álcool das bebidas alcoólicas provoca um aumento de perda de água pela urina.<br />
  36. 36. Comer a ponto de ficar “cheio”, dificulta a digestão e é muitas vezes motivo para que se utilizem bebidas alcoólicas - digestivos (aguardente, whisky, etc.) com o intuito de ajudar a digerir os alimentos.<br />O que acontece é que o álcool provoca um esvaziamento gástrico mais rápido, facilitando a passagem dos alimentos para o intestino, sem que estejam completamente digeridos.<br />
  37. 37. Apesar do álcool fornecer 7 kilocalorias por grama, são consideradas vazias. Esta energia é pouco rentável quando comparada com a que é fornecida pelos nutrientes energéticos existentes nos alimentos.<br />
  38. 38. Devido ao já falado efeito anestésico do etanol, alguns dos sintomas apresentados pelos indivíduos doentes são atenuados sob o efeito do álcool.<br />No entanto, a verdade é que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, diminui drasticamente as defesas do organismo.<br />Por outro lado, o tal efeito anestésico tem um efeito perverso, pois se aumenta a sensação de “bem-estar” do indivíduo, por outro, vai camuflar sintomas que são a forma de o organismo sinalizar alguns disfunções.<br />
  39. 39. Mitos relativos ao álcool <br />
  40. 40. Alimentos e álcool <br />“Ao acompanhar a refeição, o álcool não embriaga”<br />O álcool, ao contrário dos alimentos, não precisa de ser digerido para ser absorvido e passar à circulação sanguínea.<br />Cerca de 30% do álcool ingerido é absorvido pela mucosa gástrica, e os 70% restantes são absorvidos no intestino delgado.<br />Após uma refeição, a passagem do álcool para o intestino é retardada e a sua concentração diminuída, e consequentemente a taxa de absorção para a corrente sanguínea é lentificada.<br />No entanto, o álcool ingerido será na mesma absorvido!<br />
  41. 41. Suar até ficar sóbrio <br />“Se transpirar e depois tomar um duche frio, fico sóbrio”<br />Do total de álcool absorvido, 95% é metabolizado a nível hepático.<br />Os restantes 5% são eliminados pela urina (2%), respiração (2%) e transpiração (1%).<br />Estas vias de eliminação contribuem apenas com 5%, independentemente da quantidade de álcool ingerida, logo é impossível ficar sóbrio só pela transpiração.<br />
  42. 42. Cocktails <br />“Estou bem, só bebi cocktails”<br />O álcool, mesmo quando misturado com sumos de fruta ou outras bebidas não alcoólicas, continua a ser absorvido para a corrente sanguínea. Pode haver é uma redução da intensidade dos efeitos provocados pelo álcool, como resultado da diluição do álcool nas misturas.<br />Algumas bebidas carbonatadas misturadas com o álcool provocam um esvaziamento gástrico mais rápido, o que levam a uma absorção mais rápida do álcool para a corrente sanguínea, sentindo-se o efeito ainda mais rapidamente. A mistura com outras bebidas não alcoólicas é comum, porque torna a bebida mais saborosa e reduz o efeito irritante sobre a mucosa digestiva, tornando-se mais tolerado.<br />
  43. 43. Capacidade e resistência ao álcool <br />“Já bebo há muitos anos, logo suporto melhor o álcool”<br />Após exposições repetidas ao álcool, o indivíduo aprende a comportar-se normalmente, mesmo com níveis moderados de álcool no sangue, mas as capacidades motora, visual e auditiva estão alteradas.<br />Com o consumo regular de álcool consegue-se aumentar a capacidade de metabolização hepática. <br />Nestas condições, o bebedor pode aumentar a ingestão de álcool para conseguir sentir novamente os efeitos da embriaguez.<br />No entanto, com o passar do tempo o álcool provoca danos orgânicos cada vez mais graves, o que vai reduzir a capacidade para o eliminar.<br />
  44. 44. Conhecer o limite <br />“Conheço perfeitamente o meu limite ...”<br />Com o hábito de consumo, o indivíduo consegue disfarçar os efeitos que o álcool exerce.<br />É difícil admitir que se está sobre o efeito do álcool, tendo em conta que é o cérebro que nos alerta para os sinais de intoxicação, e é este o primeiro a ser afectado!<br />
  45. 45. Álcool e dimensão física <br />“Sou pesado, logo aguento melhor o álcool”<br />O nível de intoxicação é influenciado pela percentagem de álcool no sangue, logo as pessoas mais leves ficam mais intoxicadas que as de maior peso com a mesma quantidade de álcool.<br />O fígado metaboliza até 1g de álcool / kg / dia.<br />Mas o peso corporal não se refere a gordura, mas sim a massa muscular!<br />
  46. 46. Tempo de espera para conduzir <br />“ Já posso conduzir, não bebo nada há 1 hora”<br />Os níveis de alcoolémia no sangue são resultantes de 3 factores: velocidade de esvaziamento gástrico; volume de repartição corporal; a metabolização do álcool pelo fígado (0,5-1g/Kg/dia) e a eliminação pela urina, transpiração e respiração (do álcool não transformado).<br />Em jejum 15’ a 20’ após a ingestão de álcool, a concentração no sangue é de 75% do valor que foi ingerido, sendo máxima ao fim de 45’.<br />Exemplo: 1 l de vinho a 10º num homem de 70 Kg, provoca ao fim de 45’ uma taxa de alcoolémia de 1,63 g/l. A anulação desta alcoolémia faz-se lentamente e são necessárias 11 a 16 horas para eliminar completamente o álcool do sangue.<br />
  47. 47. Café para diminuir a embriaguez<br />“Para ficar sóbrio bebo muito café...”<br />Café, longas caminhadas ou ar fresco não alteram a taxa de metabolização do álcool ou o nível de intoxicação.<br />Estimulantes como o café, tem um efeito contrário ao álcool que actua como depressor, a nível cerebral.<br />O considerar-se sóbrio pode ser perigoso se o indivíduo está muito alcoolizado, pois os seus reflexos continuam a ser lentos.<br />
  48. 48. Álcool disfarçado <br />“Não sinto o sabor a álcool nesta bebida, não me pode embriagar”<br />O impacto do álcool no organismo não é afectado pela sua mistura com outras bebidas não alcoólicas, como por exemplo sumos de fruta, apenas se verifica uma diminuição da sua concentração.<br />O consumo destas bebidas deve ser consciente do seu real teor alcoólico.<br />
  49. 49. Só Cerveja <br />“Vou só beber uma cerveja ... Vou conduzir”<br />Uma cerveja a 6º (250 ml) tem 12g de álcool o que é equivalente a 150ml de vinho a 10º e a 40ml de aguardente a 40º.<br />Uma mulher de 45 Kg, bebendo uma cerveja fica com uma taxa de alcoolémia de 0,44 g/l !<br />
  50. 50. 47<br />www.idt.pt<br />idt@idt.min-saude.pt<br />INSTITUTO DA DROGA E DA TOXICODEPENDÊNCIA, I.P.<br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×