Leitura famalicão21
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Leitura famalicão21

on

  • 351 views

 

Statistics

Views

Total Views
351
Views on SlideShare
351
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Leitura famalicão21 Leitura famalicão21 Presentation Transcript

  • me lhor a i s, ler Le r m à s Bibl iote cas de Apoio os de Serviç IV En c o n t ro es E scolarRosa Martins
  • Ler mais, Ler melhor
  • O PISA define literacia de leitura como a capacidade do indivíduo para compreender, usar, refletir sobre e apropriar-se de textos escritos, de forma a alcançar os seus objetivos, desenvolver o próprio conhecimento e potencial e participar na sociedade (OCDE, 2010). Através desta definição é possível perceber que o enfoque da avaliaçãoLiteracia da PISA está muito mais no uso de textos escritos no dia-a-dia dos leitura alunos, do que no conhecimento explícito da língua, das suas características gramaticais, figuras de estilo, vocabulário,ou no domínio das referências culturais incorporadas nos textos. Neste sentido, o principal objetivo do PISA é mostrar em que medida os alunos, no final da escolaridade obrigatória, estarão preparados para fazer face às novas exigências da sociedade. GAVE (2010) PISA 2009 COMPETÊNCIAS DOS ALUNOS PORTUGUESES. Síntese de resultados http://www.gave.min-edu.pt/np3content/?newsId=368&fileName=PISA2009_
  • Motivar para a leitura.Formar leitores A apetência pela leitura e escrita decorrem da competência. A leitura não pode configurar um esforço com défices acentuados de velocidade, de compreensão, de relacionamento, inviabilizando-se a passagem para um nível de combinação se sentidos e de desenvolvimento do pensamento crítico e da metacognição. Fazer leitores não se compadece com atividades pontuais. Requer trabalho e prática continuada. Requer treino dos mecanismos cognitivos subjacentes: compreensão, interpretação, seleção da informação pertinente, obrigando a um caráter regular e sistemático.
  • Importância da• A leitura é uma competência estruturante da aprendizagem e do crescimento pessoal e é Leitura também uma ferramenta de fruição intelectual.• O grau de desempenho de um aluno na leitura e compreensão de textos em diferentes formatos (imagem, video, impresso) e contextos é um indicador chave do seu sucesso no contexto escolar e a nível pessoal.• Enquanto competência essencial à aprendizagem ao longo da vida, a leitura transcende a simples descodificaçãoo e compreensão, para se transformar em interpretação e desenvolvimento de visões acerca do mundo.STANDARDS PARA O ALUNO DO SECULO XXI. American Association of School Librarians (AASL, 2007) http://www.ala.org/aasl/standards
  • Novas Literacias Múltiplas competências associadas à expansão transmediática atual: a capacidade de navegar entre conteúdos de natureza muito diversa e de encontrar sentido; Ser capaz de legitimar a autoridade e validade das fontes quando não se encontra frente a fontes/ media tradicionais; Saber interagir e cooperar com outros, partilhando interesses e afinidades de forma ética e socialmente responsável; Deter competências de pesquisa e saber integrar a informação.
  • O Instituto da Educação para a Tecnologia identificada as seguintes competências críticas à aprendizagem e à cidadania: Comunicar e colaborar; Leitura e aprendizagem (Perspectivar a mudança) Saber pesquisar e usar a informação; Pensar de forma crítica, INSTITUTO DA EDUCAÇÃO (2007), NETS para resolver problemas e tomar Estudantes decisões;http://www.iste.org/standard s/nets-for-students.aspx Usar a tecnologia de forma ética e efetiva.
  • Fatores
  • Ecologia da leitura
  • Estratégias, dispositivos, mediação Leitura. AnatomiaEcologias de um desafio
  • Papel da Biblioteca Escolar
  • Promover a continuidade prevendo e encetando a mudança: Não pode haver alfabetização digital e da informação sem o conhecimento e domínio das literacias básicas da leitura e da escrita.Biblioteca e Transição do texto para o leitura hipermédia e da leitura linear à leitura fragmentada em diferentesResposta à mudança media, para além do escrito. A metamorfose dos meios e a proliferação de novos media obriga a pensar a reconfiguração do espaço e da ação do professor bibliotecário.
  • Bibliotecas Escolares/ PNLSegundo os professores, o PNL está acriar uma política de leitura na escola emque convergem as várias iniciativasindividuais e que engloba os váriosagentes, procurando-se assim unir Segundo os resultados do Inquéritoesforços para em conjunto se PNL às Escolas, há um aumentoalcançarem os objectivos pretendidos. progressivo do envolvimento das bibliotecas escolares nas atividadesComo impactos da implementação dos do PNL.programas e projetos do PNL na BE, oupor eles potenciados, são referidos, emprimeiro lugar, a requisição domiciliáriacrescente de documentos e o maiornúmero de utilizadores da BE, tantoalunos como professores.O trabalho de articulação curricular daBE com as estruturas pedagógicas temtambém vindo a ser incrementado. Fonte: CIES-IUL, Inquérito PNL às Escolas, 2008 e 2010.
  • Bibliotecas Escolares/ PNL Figura 3.10 Aumento do interesse/gosto dos alunos pela leitura de livros: percepções dos professores, 2006/07-2009/10 (% de muito significativo + bastante significativo ) 120 94,9 95,3 97,4 98,8 100 93,8 97,2 93,0 95,6 86,6 2006/07 80,1 75,8 2007/08 80 2009/10 60 40 20 0 Pré-escolar 1º Ciclo 2º Ciclo 3º Ciclo Fonte: CIES-IUL, Inquérito PNL às Escolas, 2007, 2008 e 2010. Também o interesse e o gosto dos alunos pela leitura foram reforçados com aimplementação do PNL. O aumento do interesse e gosto pela leitura de livros foireferido, na aplicação do inquérito de 2010, como bastante ou muito significativo
  • resultados escolares. São percepcionados, a este respeito, impactos mais positivosno 1º ciclo (Figura 3.12). Bibliotecas Escolares/ PNL Figura 3.12 Desenvolvimento das competências de leitura/literacia dos alunos: percepções dos professores, 2006/07-2009/10 (% de muito significativo + bastante significativo ) 100 93,494,0 90 85,483,485,5 84,1 85,785,8 80 74,2 75,7 72,2 2006/07 70 2007/08 60 2009/10 50 40 30 20 10 0 Pré-escolar 1º Ciclo 2º Ciclo 3º Ciclo Fonte: CIES-IUL, Inquérito PNL às Escolas, 2007, 2008 e 2010. Alguns alunos entrevistados referiram também, espontaneamente, umaevolução positiva nos seus resultados escolares associada à leitura. Mostraramassim estar conscientes da importância da leitura para a melhoria das suas
  • das escolas, principalmente nos 2º e 3º ciclos, onde era à partida relativamente Bibliotecas Escolares/menos acentuada. PNL Figura 3.9 Aumento da frequência de utilização da biblioteca escolar pelos alunos: percepções dos professores, 2006/07-2009/10 (% de muito significativo + bastante significativo ) 100 92,8 85,1 87,7 90 77,9 77,9 74,6 75,8 80 71,5 71,0 70,2 2006/07 66,2 70 2007/08 60 2009/10 50 40 30 20 10 0 Pré-escolar 1º Ciclo 2º Ciclo 3º Ciclo Fonte: CIES-IUL, Inquérito PNL às Escolas, 2007, 2008 e 2010. Ainda segundo a percepção dos professores expressa nos resultados doInquérito PNL às Escolas, o Plano contribuiu para o aumento da frequência de
  • Obrigada 