• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
França 2012.
 

França 2012.

on

  • 1,999 views

Aula do encontro dos dias 15 e 16 de março de 2012. França

Aula do encontro dos dias 15 e 16 de março de 2012. França

Statistics

Views

Total Views
1,999
Views on SlideShare
1,943
Embed Views
56

Actions

Likes
1
Downloads
33
Comments
0

3 Embeds 56

http://umgoldeeducacao-cilguara.blogspot.com.br 54
http://umgoldeeducacao-cilguara.blogspot.com 1
http://www.umgoldeeducacao-cilguara.blogspot.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    França 2012. França 2012. Presentation Transcript

    • FRANÇA
    • SÍMBOLOS PÁTRIOS A Bandeira Nacional da FrançaBandeira (também conhecida como a tricolor ou bleu, blanc, rouge), tricolor em três faixas verticais (azul, branca e vermelha), simboliza a Revolução Francesa (1789), sendo que o azul representa o poder legislativo, Branco o poder executivo e o Vermelho povo, os três “dividindo” igualmente o poder. Lembrando do lema francês, as cores representam também Liberdade (Liberté), Igualdade, (Égalité) e Fraternidade (Fraternité), na ordem da bandeira, "método“ também usado na moeda francesa.
    • Brasão de armas da França O atual Brasão de armas da França virou símbolo nacional em 1953, porém, ele não tem nenhum estatuto como brasão de armas. Ele aparece na capa dos passaportes franceses e foi originalmente adotado pelo Ministério das Relações Exteriores como símbolo para uso nas missões diplomáticas e consulares em 1912 usando um design desenhado pelo escultor Jules-Clément Chaplain. Tecnicamente, ele é mais considerado um emblema do que para brasão de armas por não se basear nas regras heráldicas.Foto do emblema
    • Marianne Busto de Marianne em bronzeEm Setembro de 1999, o governo francês adotou um novo símboloincorporando o lema nacional, as cores da bandeira, e a personificação daRepública: MarianneSob a aparência de uma mulher usando um barrete frígio, Marianne encarnaa República Francesa e representa a permanência dos valores da república edos cidadãos franceses: Liberté, Égalité, Fraternité (Liberdade, Igualdade eFraternidade).
    • Galo Gaulês Em latim, gallus significa gaulês (povo francês que morava aqui antes serem colonizados pelos romanos), mas também significa galo. Este pequeno animal era o símbolo dos gauleses os romanos os ridicularizavam, pois o emblema do maior império da época era a águia. Mais tarde, os franceses ao invés de terem vergonha deste animal, ele passou a ser motivo de orgulho. Inclusive existe uma expressão que diz: "fière comme un coq" (orgulhoso como um galo). O galo ainda continua sendo um símbolo dos franceses, presente nas medalhas, gravuras, moedas, carimbos da República e até mesmo nos botões da Guarda Nacional. Hoje, podemos ver o galo principalmente nos esportes, pois tornou-se o mascote preferido dos franceses. Símbolo não-oficial, o Grande Selo da França usado durante a Segunda República Francesa, ainda é usado como símbolo nacional.
    • Hino NacionalLa Marseillaise (A Marselhesa) é o hino nacional da França. Foicomposto pelo oficial Claude Joseph Rouget de Lisle em 1792, da divisão deEstrasburgo, como canção revolucionária. Adquiriu grande popularidadedurante a Revolução Francesa, especialmente entre as unidades do exércitode Marselha, ficando conhecida como A Marselhesa. Seu título eraoriginalmente Canto de Guerra para o Exército do Reno. Em 1795, foiinstituída pela Convenção como hino nacional.Napoleão Bonaparte baniu A Marselhesa durante o império, assim comoLuís XVIII na segunda restauração, devido ao seu caráter revolucionário.Contundo, na instauração da III República, a canção foi definitivamenteconfirmada como o hino nacional francês. Em geral, somente a primeira ea sexta estrofes e o refrão são cantados atualmente na França.
    • La Marseillaise A Marselhesa Allons enfants de la Patrie Avante, filhos da Pátria,Le jour de gloire est arrivé ! O dia da Glória chegou.Contre nous de la tyrannie Contra nós, da tiraniaLétendard sanglant est levé O estandarte ensanguentado seLétendard sanglant est levé ergueu.Entendez-vous dans nos O estandarte ensanguentado secampagnes ergueu.Mugir ces féroces soldats? Ouvis nos camposIls viennent jusque dans vos Rugirem esses ferozes soldados?bras. Vêm eles até aos nossos braçosÉgorger vos fils, vos Degolar nossos filhos, nossascompagnes! mulheres.-Aux armes citoyens Às armas cidadãos!Formez vos bataillons Formai vossos batalhões!Marchons, marchons Marchemos, marchemos!Quun sang impur abreuve nos Que um sangue impuro agüe osillons nosso arado
    • A Flor de LisA flor de lis (flor-de-lis) é uma figuraheráldica (a arte ou ciência dos brasões)muito associada à monarquia francesa,particularmente ligada com o rei daFrança. É também o símbolo doescotismo. É quase impossível precisar a exata origem do símbolo. Sabe-se que a imagem da flor-de-lis foi usada nas armas da França em 496. No ano de 1125, a bandeira da França apresentava o seu campo semeado de flores-de-lis, o mesmo acontecendo com o seu brasão de armas até o reinado de Carlos V (1364), quando passaram a figurar apenas três. Representando com as três pétalas, a fé, a sabedoria e o valor. Há uma grande semelhança entre a íris e a flor-de-lis, quando analisada de perfil. Outras referências sugerem que a flor-de-lis é uma espécie de lírio.
    • Monumentos Palácio de Luxemburgo Arco do Triunfo Catedral de Notre-Dame de Paris Torre Eiffel
    • FATOS HISTÓRICOS 1337 – 1453 : Os 100 anos de guerraIniciada em 1337, a Guerra dos Cem Anos foi deflagrada quando o tronofrancês esteve carente de um herdeiro direto. Aproveitando da situação, o reibritânico Eduardo III, neto do monarca francês Felipe, O Belo (1285 –1314),reivindicou o direito de unificar as coroas inglesa e francesa. Dessa forma, aInglaterra incrementaria seus domínios e colocaria um conjunto de prósperascidades comerciais sob o seu domínio político, principalmente da região deFlandres. Em 1453, após várias pausas e retomadas, um tratado de paz queencerrava a Guerra dos Cem Anos (que na realidade durou 116 anos) foiassinado. 1431 - No dia 30 de maio, Joana d’Arc é acusada de bruxaria écondenada a fogueira. Executada em praça pública, após queimada, suascinzas são jogadas no Rio Sena.
    •  1789 - Revolução FrancesaA Revolução Francesa é considerada o mais importante acontecimento dahistória contemporânea. Inspirada pelos idéias iluministas, a sublevação delema "Liberdade, Igualdade, Fraternidade" ecoou em todo mundo, pondoabaixo regimes absolutistas e ascendendo os valores burgueses. A Fase do TerrorEm 1792, os radicais liderados por Robespierre, Danton e Marat assumem opoder e organização as guardas nacionais. Estas recebem ordens dos líderespara matar qualquer oposicionista do novo governo. Muitos integrantes danobreza e outros franceses de oposição foram condenados a morte nesteperíodo. A violência e a radicalização política são as marcas desta época. A burguesia no poderEm 1795, os girondinos (alta burguesia) assumem o poder e começam a instalarum governo burguês na França. Uma nova Constituição é aprovada, garantindoo poder da burguesia e ampliando seus direitos políticos e econômico. O generalfrancês Napoleão Bonaparte é colocado no poder, após o Golpe de 18 deBrumário (9 de novembro de 1799) com o objetivo de controlar a instabilidadesocial e implantar um governo burguês. Napoleão assume o cargo de primeiro-cônsul da França, instaurando uma ditadura.
    •  Guerras Napoleônicas 1802 - 1815Napoleão aproveitou as oportunidades oferecidas pela Revolução Francesa eas guerras revolucionárias para subir ao topo, tomar o poder em um golpe,antes de declarar-se imperador da França em 1804. A Belle Époque 1871-1914Um período de desenvolvimento comercial, social e cultural rápida com(relativa) paz e do desenvolvimento industrial ainda operou mudanças aindamaiores sobre a sociedade, trazendo o consumismo em massa. 1905 – Lei separa o poder do Estado e da IgrejaEm dezembro de 2005 completaram-se 100 anos de uma lei francesa quedeterminou a separação entre Igreja e Estado e deu origem a virulentaperseguição à Religião católica naquele país. Em nome da laicidade doEstado, as orações foram abolidas nas escolas, os crucifixos retirados dostribunais e outros edifícios públicos, as festas religiosas eliminadas doscalendários. Organizou-se então uma ofensiva contra toda e qualquermanifestação pública de religiosidade não só na França, mas em váriospaíses, inclusive o Brasil.
    •  1944 – A Mulher e o direito a votoO decreto de 21 de abril de 1944 do governo provisório do general De Gaulleem Argel estipulava que «as mulheres são eleitoras e elegíveis nas mesmascondições que os homens». Dois anos e meio depois, o preâmbulo daConstituição de 27 de outubro de 1946 inscreveu esse princípio entre osprincípios fundamentais da República: «a lei garante à mulher, em todos oscampos, direitos iguais aos do homem».Segunda Guerra Mundial e França de Vichy 1939-1945 / 1940-1944A Alemanha ataca a Europa Ocidental – França e os Países Baixos neutros.Luxemburgo é ocupado no dia 10 de maio; a Holanda se rende em 14 demaio, e a Bélgica em 28 do mesmo mês. Em 22 de junho, a França assina umacordo de armistício pelo qual os alemães ocupam a parte norte do país etoda a linha costeira do Atlântico; e no sul da França é estabelecido umregime colaborador dos nazistas com capital em Vichy. Em 1944, após odesembarque dos Aliados no Dia D, a França foi libertada e a Alemanhafinalmente derrotado em 1945. A Quarta República foi então declarada.
    • 1946 – A Quarta RepúblicaDe Gaulle renunciou e aprovou-se uma nova constituição, o que deu início aoperíodo conhecido como quarta república. A situação era dificílima: o paísestava destruído após a guerra e as colônias exigiam a independência. Oproblema mais sério enfrentado pela quarta república, contudo, foi à guerrada Argélia. 1959 - Declaração da Quinta RepúblicaEm 08 de janeiro de 1959 a V República veio a existir. Charles de Gaulle,herói da 2 ª Guerra Mundial e crítico pesado da Quarta República, foi a forçamotriz principal atrás da nova Constituição, que deu à presidência maispoderes em relação à Assembléia Nacional; de Gaulle se tornou o primeiropresidente da nova era. França mantém-se sob o governo da QuintaRepública.1968 – Protestos estudantisEm maio de 1968, protestos de estudantes e trabalhadores em grevesurpreenderam o país (e o mundo todo) culminando em uma grandeparalisação. Assim que a anarquia foi suspensa, De Gaulle foi ao ar em TVnacional e pediu ao país que se acalmasse, e deixasse que ele governasse opaís. E assim foi feito. O governo então reformou o sistema educacional, eDe Gaulle se manteve como presidente no ano seguinte.
    •  1981 - Após a vitória socialista nas urnas, François Mitterrand substituiuGiscard como presidente da República. O governo nacionalizou a maioria dosbancos e das firmas industriais, elevou os impostos e ampliou os benefíciossociais. Em 1982 e 1983, uma recessão econômica fez com que o governoimpusesse medidas de austeridade. Como conseqüência, em 1986 Mitterrandteve que conviver com Jacques Chirac como primeiro ministro. Esta foi aprimeira vez desde 1958 em que partidos opostos governaram juntos, nodenominado governo de coabitação. Depois de várias mudanças de governo, aseleições presidenciais de 1995 levaram Jacques Chirac à presidência daRepública, ao mesmo tempo em que o socialista Alain Juppé assumia a chefiado governo. 1998 - A França venceu a Copa do Mundo de Futebol, por 3x0 contra ofavorito Brasil.
    •  2001 – Mudança na Constituição altera a duração do mandatopresidencial que era de sete anos e por referendo, o presidente passou a terum mandato de cinco anos. . 2007 – Nicolas Zarkozy foi eleito o sexto presidente da QuintaRepública. 2011 / 2012 – Crise na zona do euro faz França anunciar novas medidasde austeridade contra crise e enfrentar greves e protestos contra cortesorçamentários.
    • MODELO DE EDUCAÇÃOEm 1802, Napoleão Bonaparte criou o Lycée. No entanto, é Jules Ferry que éconsiderado o pai da moderna escola francesa, que é gratuita, laica e obrigatóriaaté aos 13 anos de idade desde 1882 (escola comparecimento na França agora éobrigatório até a idade de 16 anos).Atualmente, o sistema de ensino na França é centralizado e é composto de trêsfases, o ensino primário, secundário e ensino superior. O ProgramaInternacional de Avaliação de Alunos, coordenado pela Organização para aCooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), classifica a educação daFrança como a 25ª melhor do mundo, não sendo nem significativamentesuperior nem inferior à média da OCDE. A educação primária e secundária sãopredominantemente públicas, administradas pelo Ministério da EducaçãoNacional.
    • O sistema educacional francês é subdividido em cincodiferentes níveis:1. École Maternelle (pré-escola, de 2 a 5 anos);2. École Primaire ou Élementaire (5 primeiros anosdo ensino fundamental , de 6 a 10 anos);3. Collège (4 últimos anos do ensino fundamental, entre 11 e 15 anos);4. Lycée (Ensino médio, entre 16 e 18 anos)5. Université (Universidade).
    • Lycée - Na França, o liceu é o tipo de estabelecimento de ensinoonde são ministrados os três últimos anos do ensino secundário,aos adolescentes com idades compreendidas entre os 15 e os 18anos. A conclusão dos estudos num liceu pode conferir três tiposde diploma, de acordo com o curso seguido:O bacharelato, o certificado de aptidão profissional (CAP) eo brevê de estudos profissionais (BEP).Conforme o tipo de ensino ministrado, existem quatro tipos deliceus:liceus de ensino geral e tecnológico (ou simplesmente "liceus"), liceus profissionais, liceus agrícolas e liceus da defesa.
    • Capela de Sorbonne, Universidade de Paris.
    • A educação na FrançaA educação, como um todo, é entendida como uma responsabilidadecoletiva, exercida pelo Estado em nome da coletividade. Há lugar paraa iniciativa privada, ou particular. Predominam, no entanto no país asinstituições públicas de ensino, desde a escola maternal até auniversidade e é importante desde já salientar que o ensino superiorparticular é praticamente inexistente na França.Todo o sistema educacional francês depende do Ministério daEducação Nacional cuja parte no orçamento do Estado é superior a25%; resulta daí também o seu caráter popular - ou democrático - jáque todas as crianças sejam elas francesas ou estrangeiras residentesno país, têm acesso à escola (obrigatória) que, sendo pública, é gratuita.Observe-se ainda que o uso do uniforme não é obrigatório e que aescolarização dos filhos não representa nenhum ônus para as famílias:o material escolar básico é distribuído e não há nenhum sistema depagamento, mesmo uma eventual taxa de matrícula é inexistente; aescola garante por outro lado um atendimento médico regular (decontrole. em acordo com as autoridades sanitárias municipais).
    • Na França, as unidades de ensino são raramente grandes ou muito grandes; predomina -sobretudo na maternal e no primário - o sistema de pequenas unidades de bairro("lécole du quartier"). Este sistema tem pelo menos duas grandes vantagens para ousuário (famílias e alunos): há sempre uma escola (muito) perto da casa do aluno e hátambém uma descentralização notável.As classes têm em média 25 alunos e, como já foi dito, todo o material básicoindispensável é fornecido pela instituição, isto é, pelo Estado).É importante lembrar que em termos de formação "profissionalizante", há toda umasérie importante de outras possibilidades para o aluno que termina o seu cursosecundário; este poderá já concluir os seus estudos (secundários) num "Lycée technique"ou ainda num Liceu de ensino profissional (LEP) e obter, por exemplo, um "brevet" detécnico mecânico, eletricista, etc.Com exceção daqueles que tiverem anteriormente estudado em escolas experimentais eem maternais bilíngües, por exemplo (e que são raras), todos os demais alunoscomeçarão a estudar uma língua estrangeira na "sixiême" (com 10/11 anos de idade,,normalmente). Dois anos mais tarde, na "quatrieme", será introduzida uma segundalíngua estrangeira; a terceira língua será introduzida quando o aluno estiver na"seconde" -o que significa que, em etapas sucessivas e com intervalos de dois anos entreo momento em que se introduz cada uma delas, o aluno francês estuda até três línguasestrangeiras durante o seu curso secundário.
    • O sistema escolar francês em debate O Ministério da Educação argumenta que a quebra da "cartescolaire" vai possibilitar o acesso dos estudantes das periferiasnos liceus públicos de referência - localizados no centroburguês de Paris -, mas a oposição afirma que esse processovisa provocar ainda mais a competição entre estudantes ecolégios. Esse processo vai ser retomado e desdobrado a partirde setembro, quando vai começar o novo ano letivo francês.A outra questão é a reforma universitária, cujo projetoapresentado pelo governo Sarkozy, está sendo debatido com ossindicatos dos professores e com as associações estudantis. Aatual proposta de reestruturação do ensino superior francêstem três pontos centrais: a introdução da seleção dosestudantes para os cursos de mestrado, a nova formação dosconselhos universitários (com menor número de membros) e,especialmente, a autonomia universitária.
    • Fontes:França:http://educaterra.terra.com.br/voltaire/especial/home_rev_francesa.htmhttp://www.france.fr/pt/estudar/coletar-informacoes/sistema-educacional/article/o-sistema-escolar-frances-do-maternal-ao-liceuhttp://frances.forumdeidiomas.com.br/2010/09/o-sistema-educacional-frances/http://pt.wikipedia.org/wiki/Fran%C3%A7ahttp://opiniaoenoticia.com.br/internacional/mundo/sistema-educacional-frances-e-alvo-de-criticas/