Aula de ecologia 2010 ronnie

7,584 views

Published on

Published in: Travel, Technology
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
  • Muito bom, eu tinha trabalhado estes slides com os meus alunos, e foi possível ajuda-los no ENEM 2012. Obrigado pela ajuda!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
7,584
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
34
Actions
Shares
0
Downloads
182
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula de ecologia 2010 ronnie

  1. 1. ECOLOGIA Prof° Ronnie
  2. 2. <ul><li>Espécie </li></ul><ul><li>Grupo de todos os indivíduos que, cruzando entre si, </li></ul><ul><li>deixam descendentes férteis. </li></ul><ul><li>População </li></ul><ul><li>Grupo de organismos de uma mesma espécie que habitam uma determinada área, numa determinada época/ período. </li></ul><ul><li>Comunidade </li></ul><ul><li>Agrupamento de populações de determinada área e </li></ul><ul><li>período. </li></ul><ul><li>Ecossistema </li></ul><ul><li>Comunidade + meio ambiente. </li></ul><ul><li>Seres vivos + coisas não vivas. </li></ul><ul><li>Parte biótica + parte abiótica. </li></ul><ul><li>Biosfera </li></ul><ul><li>Camada da Terra que compreende o lugar de vida </li></ul><ul><li>( bio = vida + sfera = camada). </li></ul>
  3. 3. ECOSSISTEMA <ul><li>Componentes bióticos </li></ul><ul><ul><li>Seres vivos </li></ul></ul><ul><li>Componentes abióticos </li></ul><ul><ul><li>“ Meio ambiente” </li></ul></ul><ul><ul><li>Fatores físico-químicos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Luminosidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Umidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Nutrientes – solo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Temperatura </li></ul></ul></ul>
  4. 4. HABITAT - é o lugar específico onde uma espécie pode ser encontrada, isto é, o seu &quot;ENDEREÇO&quot; dentro do ecossistema. Exemplo: Uma planta pode ser o habitat de um inseto, o leão pode ser encontrado nas savanas africanas, etc. NICHO ECOLÓGICO - é o papel que o organismo desempenha no ecossistema, isto é, a &quot;PROFISSÃO&quot; do organismo no ecossistema. 0 nicho informa às custas de que se alimenta, a quem serve de alimento, como se reproduz, etc.
  5. 5. Estudo do ecossistema <ul><ul><li>Por meio das relações alimentares </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo do fluxo de energia </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo do ciclo de matéria </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo da posição relativa dos organismos </li></ul></ul>
  6. 6. CADEIA ALIMENTAR Sequência de organismos que se relacionam pela alimentação. Ex.: PLANTA  >  HERBÍVORO  >  CARNÍVORO NÍVEL TRÓFICO Posição do organismo numa cadeia alimentar. PLANTA          >          HERBÍVORO          >          CARNÍVORO 1º Nível Trófico               2º Nível Trófico               3º Nível Trófico Uma cadeia alimentar é uma sequência linear de seres vivos, uns servindo de alimento a outros, e também é uma simplificação do que acontece nos ecossistemas e, portanto, artificial. FLUXO DE MATÉRIA E ENERGIA NA CADEIA ALIMENTAR Ela é unidirecional , pois se dispersa dos seres para o ambiente, sob a forma de calor, não mais sendo recuperável pelos organismos.
  7. 9. Pirâmides <ul><li>Formas de representar quantitativamente as relações alimentares. </li></ul><ul><li>Esquema gráfico da transferência de matéria e energia nos ecossistemas. </li></ul><ul><li>Perda de matéria e energia em cada nível trófico, na forma de CALOR . </li></ul><ul><li>Tipos: Números, Biomassa e Energia. </li></ul>
  8. 10. Pirâmide de energia <ul><li>Cada barra representa a energia retida no nível trófico durante um certo período de tempo. </li></ul><ul><li>Nunca é invertida </li></ul>
  9. 11. Pirâmide de biomassa <ul><li>Cada barra expressa a quantidade de biomassa presente naquele nível. </li></ul><ul><li>Inverte nos ecossistemas aquáticos devido à alta produtividade do fitoplâncton. </li></ul>
  10. 12. Pirâmide de número <ul><li>Cada barra representa o número de indivíduos. </li></ul><ul><li>Invertida nos casos de parasitismo ou pragas. </li></ul>
  11. 13. CICLO DA ÁGUA
  12. 15. CICLO DO OXIGÊNIO
  13. 16. CICLO DO NITROGÊNIO Azolla
  14. 18. <ul><li>RELAÇÕES ECOLÓGICAS </li></ul><ul><li>As relações ecológicas são aquelas que se manifestam em diferentes populações de um ecossistema que pode ocorrer em indivíduos de uma mesma espécie ou não. </li></ul><ul><li>Relações entre indivíduos da mesma espécie – HOMOTÍPICAS </li></ul><ul><li>Relações entre seres de espécies diferentes – HETEROTÍPICAS </li></ul>
  15. 19. <ul><li>Colônia – Indivíduos unidos fisicamente . </li></ul>Relações Harmônicas (Não há prejuízo)- Homotípicas (Seres da mesma espécie)
  16. 20. <ul><li>Sociedade – Indivíduos separados fisicamente. </li></ul><ul><li>Interação entre indivíduos de uma mesma espécie, em que </li></ul><ul><li>há divisão de trabalho. </li></ul>
  17. 21. <ul><li>Mutualismo </li></ul><ul><li>Protocooperação </li></ul><ul><li>Inquilinismo </li></ul><ul><li>Comensalismo </li></ul>Relações Harmônicas Heterotípicas (entre espécies diferentes)
  18. 22. RELAÇÕES ECOLÓGICAS HARMÔNICAS - Heterotípicas MUTUALISMO Associação na qual duas espécies envolvidas são beneficiadas, porém, cada espécie só consegue viver na presença da outra, associação permanente e obrigatória entre dois seres vivos de espécies diferentes. Ex: Líquens, micorrizas, tubo digestivo de ruminantes, bactérias e raízes de leguminosas, protozoários e Cupins.                                                                          
  19. 23. PROTOCOOPERAÇÃO Trata-se de uma associação bilateral, entre espécies diferentes, na qual ambas se beneficiam; contudo, tal associação não é obrigatória, podendo cada espécie viver isoladamente. Ex: Caranguejo-eremita, pássaro-palito e crocodilo, anu e gado, insetos polinizadores.
  20. 24. Inquilinismo Associação em que apenas uma espécie (inquilino) se beneficia, procurando abrigo ou suporte no corpo de outra espécie (hospedeiro), sem prejudicá-lo. Ex: Pepino-do-mar As epífitas são plantas que crescem sobre outras plantas sem parasitá-las, usando-as apenas como suporte. Ex.: as orquídeas e as bromélias.
  21. 25. É uma associação em que uma das espécies — a comensal — é beneficiada, sem causar benefício ou prejuízo ao outro (não-comensal). Ex:Tubarão e rêmora Comensalismo
  22. 26. RELAÇÕES DESARMÔNICAS - Heterotípicas Parasitismo O parasitismo é caracterizado pela espécie que se instala no corpo de outra, dela retirando matéria para a sua nutrição e causando-lhe, em conseqüência, danos cuja gravidade pode ser muito variável, desde pequenos distúrbios até a própria morte do indivíduo parasitado. Relação Hospedeiro/Parasita.
  23. 27. PREDATISMO O predatismo é o ato de um animal capturar outro para alimentar-se. O predador e a presa pertencem a espécies diferentes. Os predadores são geralmente maiores e menos numerosos que suas presas, sendo exemplificados pelos animais carnívoros. Relação Presa/Predador.
  24. 28. AMENSALISMO (antibiose) Relação na qual uma espécie bloqueia o crescimento ou a reprodução de outra espécie, denominada amensal, através da liberação de substâncias tóxicas. É a relação em que um dos seres é prejudicado sem que disso resulte benefícios para o outro. Ex: maré vermelha, antibióticos, etc. Prejuízo para a espécie inibida, com ou sem benefício para a espécie inibidora.
  25. 29. Herbivorismo Relação entre animais herbívoros e plantas que eles comem.
  26. 30. Dinâmica de Populações População: qualquer grupo de organismos de mesma espécie (ou outros grupos denro dos quais os indivíduos podem intercambiar a informação genética). Atributos básicos (características) de uma população Densidade Natalidade/Mortalidade Dispersão Distribuição etária
  27. 33. PAULINO, 1989
  28. 34. Crescimento das Populações DAJOZ, 1983
  29. 35. Sucessão e climax
  30. 37. TUNDRA
  31. 38. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Solo Localização umidade e chuva moderadas frio perpétuo verão muito curto herbáceas liquens musgos solo congelado na maior parte do ano Norte do Alasca e do Canadá , Groenlândia , Noruega , Suécia , Finlândia e Sibéria .
  32. 40. LOBO ÁRTICO
  33. 41. RAPOSA DO ÁRTICO
  34. 44. CARIBUS
  35. 45. RENAS
  36. 46. BOI ALMISCARADO
  37. 47. TAIGA
  38. 48. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Solo Localização umidade e chuva moderadas inverno muito frio e verão frio árvores perenifólias, arbustos solo raso, pedregoso norte do Alasca , Canadá , sul da Groelândia , parte da Noruega , Suécia , Finlândia , Sibéria e Japão
  39. 52. VISON
  40. 53. ESQUILO
  41. 54. FLORESTA TEMPERADA DESCÍDUA
  42. 55. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Solo Localização chuva homogênea e moderada estações quente e fria árvores caducifólias fértil leste dos Estados Unidos , oeste da Europa , pedaço da China , sudeste da Sibéria , leste da Ásia , Japão e Coréia e parte da Nova Zelândia.
  43. 56. BORDOS
  44. 58. CARVALHO
  45. 59. CARVALHO
  46. 62. FLORESTA TROPICAL
  47. 63. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Solo Localização muita chuva, umidade alta, pouca sazonalidade quente o ano todo árvores perenes, arbustos, cipós, epífitas pobre a moderadamente fértil Américas Central e do sul, algumas áreas da África, Austrália e Ásia
  48. 73. SAVANA
  49. 74. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Solo Localização estações seca e úmida bem marcadas alta a moderada gramíneas, árvores baixas e arbustos pobre a moderadamente fértil África, América do Sul e do Norte, Ásia e Austrália
  50. 75. BAOBÁ
  51. 76. BAOBÁS
  52. 83. PRADARIA
  53. 84. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Solo Localização estação seca longa inverno frio e verão moderado principalmente gramíneas moderado a fértil EUA, América do Sul, África, Ásia e Austrália
  54. 85. RATAZANA DA PRADARIA
  55. 86. CÃO DA PRADARIA
  56. 87. DESERTO
  57. 88. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Solo Localização pouca umidade e chuva grande variação diária arbustos, cactos pobre a fértil África
  58. 91. RATO CANGURU
  59. 92. FENECO OU RAPOSA DO DESERTO
  60. 94. BIOMAS BRASILEIROS
  61. 95. MATA ATLÂNTICA FLORESTA PLUVIAL COSTEIRA
  62. 96. Precipit. e umidade Temp. Vegetação Fauna Localização Chuvas durante todo o ano. Quente e úmido, Muitas epífitas (bromélias e orquídeas). Plantas latifoliadas e perenifólias Bicho preguiça, mico-leão, onça pintada, do litoral brasileiro do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte
  63. 97. Bicho-preguiça
  64. 98. Mono-carvoeiro
  65. 99. Mico-leão-dourado Mico-leão-da-cara-dourada Mico-leão-preto Mico-leão-da-cara-preta
  66. 100. Onça pintada
  67. 101. Beija flor
  68. 102. Araponga
  69. 103. Pau-brasil
  70. 104. FLORESTA AMAZÔNICA
  71. 105. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Fauna Localização Chuvas durante todo o ano. Quente e úmido, Árvores de grande porte, situadas bem próximas umas das outras (floresta fechada). e folhas grandes e largas. macacos, cobras, marsupiais, tucanos, pica-paus, roedores, morcegos entre outros região norte (Amazonas, Roraima, Acre, Rondônia, Amapá, Maranhão e Tocantins)
  72. 107. ARARAJUBA
  73. 108. UACARI-BRANCO
  74. 110. Boto-cor-de-rosa
  75. 112. Lontra
  76. 113. Jacaré
  77. 115. Seringueira
  78. 116. Guaraná
  79. 117. Açai
  80. 118. FLORESTA DE ARAUCÁRIA
  81. 119. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Fauna Localização Chuvas bem distribuidas As temperaturas variam de 30°C, no verão, até alguns graus negativos, no inverno rigoroso. Araucária angustifolia ( pinheiro-do-paraná) Gralha-azul Santa Catarina e Paraná principalmente
  82. 121. PAMPAS
  83. 122. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Fauna Localização Chuvas com pouca variação ao longo do ano. Temperaturas amenas Gramíneas Rio Grande do Sul
  84. 123. GATO DO PAMPA
  85. 124. GAMBÁ
  86. 125. Guaxinin
  87. 126. Tatu
  88. 127. CAATINGA
  89. 128. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Fauna Localização Poucas chuvas Quente o ano todo Vegetação típica de regiões semi-áridas com perda de folhagem pela vegetação durante a estação seca (xerófila). Lagartos, ararinha-azul, caititu Estados do Maranhão , Piauí , Ceará , Rio Grande do Norte , Paraíba , Pernambuco , Alagoas , Sergipe , Bahia e parte do Norte de Minas Gerais (Sudeste do Brasil ).
  90. 129. MANDACARU
  91. 130. XIQUEXIQUE
  92. 131. UMBUZEIRO
  93. 132. Juazeiro
  94. 133. MANCABIRA
  95. 134. ARARINHA AZUL
  96. 135. POMPA ASA BRANCA
  97. 136. VEADO CATINGUEIRO
  98. 137. SAGUI DO NORDESTE
  99. 138. CAITITU
  100. 139. Calango
  101. 140. BABAÇUAL
  102. 141. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Fauna Localização Elevado índice de chuvas Média Palmeiras com folhas grandes e finas. As árvores mais comuns são: carnaúba, babaçu e buriti. Aves Região norte dos estados do Maranhão, Tocantins e Piauí
  103. 142. CARNAÚBA
  104. 143. BURITI
  105. 144. SABIÁ
  106. 145. Maracanã do Buriti, Ararinha
  107. 146. PANTANAL
  108. 147. Precipitação e umidade Temperatura Vegetação Fauna Localização Caracteriza-se pelas cheias nos meses de outubro a abril. Quente e úmido A vegetação é um mosaico de vários outros biomas. Jacarés, ariranhas, muitas aves, cervo-do-pantanal Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
  109. 149. AGUAPÉ
  110. 153. CERVO DO PANTANAL
  111. 154. JACARÉ DO PANTANAL
  112. 155. JABURU
  113. 156. ARIRANHA
  114. 157. MANGUEZAL
  115. 158. Precipitação e umidade Tempe-ratura Vegetação Fauna Localização Variada Variada Rhizophora mangle (mangue vermelho) Laguncularia racemosa (mangue branco) Avicennia sp (mangue preto, canoé) Conocarpus erectus (mangue de botão) Aves, crustáceos Amapá até Santa Catarina
  116. 159. RHIZOPHORA
  117. 160. AVICENNIA
  118. 161. AVICENNIA
  119. 162. GARÇA
  120. 163. CARNAGUEJO-UÇÁ
  121. 164. Chama-maré

×