CENTRO ANTIGO SALVADOR - Políticas Públicas

1,734 views

Published on

Impacto das Políticas Públicas e dos Investimentos Estruturantes sobre o CENTRO ANTIGO SALVADOR

Published in: Investor Relations
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,734
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
323
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

CENTRO ANTIGO SALVADOR - Políticas Públicas

  1. 1. José Sergio Gabrielli de Azevedo Secretário do Planejamento
  2. 2. Bahia de Todos os Santos no século XVII Salvador no século XVII Salvador 1624-25 in Novais Sampaio, 2005 Subúrbio Ferroviário em 1860 Novais Sampaio, 2005
  3. 3. Fonte: Novais Sampaio, 2005 Aterro de Água de Meninos em 1890 Escritório da Bahia San Francisco Railway em 1890
  4. 4. Décadas de 50 a 70, concentram investimentos na RMS e Recôncavo Norte Logística nos Portos Aratu Salvador e Temadre Concentração de Investimentos nos Polos Petroquímico e Industriais RLAN 63% PIB TEMADRE Expansão Urbana para o Litoral Norte Aratu
  5. 5. Condições de navegabilidade do canal de Cotegipe - Bahia Localização Salvador Baia de Todos os SantosCanal de Cotegipe
  6. 6. Plano regional de recuperação,ordenamento e manutenção das condições de navegabilidade do canal de Cotegipe - Bahia
  7. 7. 66 Esses acontecimentos "iluminaram" o litoral norte e Recôncavo Norte, deixando a Ilha de Itaparica e o Baixo Sul no "escuro" FONTE: Imagem de Salvador, Análise da equipe BR-116 BR-101 Projeto Sto. Antônio de Jesus Feira de Santana Alagoinhas Cruz das Almas
  8. 8. 7 Porto de Aratu Hoje: 6 Berços Públicos TGS 1 TGS 2 TGL TGG TUP Ford Terminais de Granéis Sólidos Terminal de Granéis Líquidos Terminal de Granéis Gasosos
  9. 9. 8 Conexão Ferroviárias da BT
  10. 10. 9 Mapele Araújo Lima Feira de Santana Ipojuca (PE)Feira de Santana – Juazeiro Petrolina (PE) Parnamirim (PE) Camaçar i Aratu MALHA EXISTENTE E PROPOSTA PIL FCA Belo Horizonte - Feira de Santana - Mapele Alternativa Proposta (Ligação Feira de Santana-Alagoinhas) Porto de Aratu Juazeiro Programa de Investimentos em Logística - PIL
  11. 11. 10 Distribuição Espacial do PIB na RMA e Reconcavo
  12. 12. | 11 Mesmo os municípios com menor proporção de famílias nas classes D e E têm mais famílias nestas classes do que a média do país FONTE: IPC Maps, análise da equipe 38373736 3535353535353534343434343333333333333333333333 3231303029 2828272727272625 24 22 20 1817 Brasil 15 Saubara Cabac.doParaguaçu Varzedo CastroAlves Teolândia MunizFerreira Sapeaçu SalinasdaMargarida Valença VeraCruz Nazaré SantoAmaro Itaparica Gandu Gov.Mangabeira Itubera DomMacedoCosta Cairu SaoFélix Cachoeira S.SebastiãodoPasse CruzDasAlmas SimõesFilho Muritiba S.FranciscodoConde Sto.AntôniodeJesus DiasD’Ávila Camaçari Candeias MadredeDeus Salvador Igrapiúna SãoFelipe Jaguaripe NiloPeçanha Taperoá Camamu Maragogipe Ibirapitanga WenceslauGuimarães ConceiçãodoAlmeida Pres.TancredoNeves Aratuípe PiraídoNorte Total das famílias classes D e E Percentual do total de famílias, 2012 Os 6 municípios com menos pobreza estão na RMS 10 dos 13 municípios com mais pobreza estão localizados no Baixo Sul LaurodeFreitas
  13. 13. | 12 Os municípios da macroárea com crescimento populacional negativo estão concentrados no Baixo Sul e no Recôncavo Sul FONTE: IBGE/CENSO 2000, 2010 -1,1 -0,8 -0,6 -0,6 -0,6 -0,1 -0,1 00,10,20,3 0,3 0,30,30,4 0,5 0,5 0,5 0,50,6 0,8 0,9 0,90,91,0 1,0 1,1 1,1 1,1 1,41,4 1,6 1,61,7 2,12,1 2,3 2,4 2,4 2,6 3,0 3,73,73,9 4,2 SimõesFilho SãoFranciscodoConde Taperoá Ituberá SantoAntôniodeJesus DomMacedoCosta MadredeDeus LaurodeFreitas CruzdasAlmas CabaceirasdoParaguaçu Varzedo Cachoeira Valença Cairu SalinasdaMargarida Gandu NiloPeçanha Saubara GovernadorMangabeira Jaguaripe Teolândia Candeias Nazaré MunizFerreira SãoSebastiãodoPassé Salvador Maragogipe Itaparica VeraCruz Camaçari Diasd’Ávila ConceiçãodoAlmeida Muritiba PresidenteTancredoNeves WenceslauGuimarães Igrapiúna Bahia 0,7 Sapeaçu Aratuípe PiraídoNorte SãoFelipe CastroAlves SantoAmaro Ibirapitanga Camamu SãoFélix Crescimento populacional médio anual entre 2000 e 2010 Percentual Dos 8 municípios com maior crescimento, 7 estão na RMS 6 dos 7 municípios que perderam população estão no Baixo Sul ou no Recôncavo Sul
  14. 14. Projeções de crescimento populacional na região, impacta a rede de cidades existentes Projeção para 2030 com ponte Recôncavo Valença Taperoá Nilo Peçanha Wenceslau Guimarães Gandu Piraído Norte Ituberá Igrapiúna Camamu Presidente Tancredo Neves Castro Alves Varzedo Sto Antonio de Jesus Muniz Ferreira Nazaré Cabaceiras do Paraguaçu Governador Mangabeira Cachoeira Muritiba São Félix Cruz das Almas Sapeaçu Dom Macêdo Costa São Felipe Maragogipe Jaguaripe Salinas da Margarida Itaparica Aratuípe Vera Cruz Baixo sul Ilha de Itaparica Cairu Ilha da Aranha Salvador Ibirapitanga População Rodovias principais 30.000-50.000 <15.000 50.000-70.000 70.000-120.000 120.000-250.000 15.000-30.000 Recôncavo Valença Taperoá Nilo Peçanha Wenceslau Guimarães Gandu Piraído Norte Ituberá Igrapiúna Camamu Presidente Tancredo Neves Castro Alves Varzedo Sto Antonio de Jesus Muniz Ferreira Nazaré Cabaceiras do Paraguaçu Governador Mangabeira Cachoeira Muritiba São Félix Cruz das Almas Sapeaçu Dom Macêdo Costa São Felipe Maragogipe Jaguaripe Salinas da Margarida Itaparica Aratuípe Vera Cruz Baixo sul Ilha de Itaparica Cairu Ilha da Aranha Ibirapitanga Salvador Hipóteses 1 3 Salvador continuará a exercer seu papel metrópole, reforçando sua influência sobre municípios da sua região Valença fortalecerá sua rede de influência e continuará a ser o município mais importante do Baixo Sul Cruz das Almas será polo para uma parte do Recôncavo Sul 2 Santo Antônio de Jesus será um centro ainda mais importante para a sua região de influência 4 12 4 3 FONTE: SEI IMPACTOS DEMOGRÁFICOS População Rodovias principais 30.000-50.000 <15.000 50.000-70.000 70.000-120.000 120.000-250.000 15.000-30.000 Rod. a ser construida
  15. 15. | 14 Empregos formais na RMS Percentual, 2011 10% 6% 22% 10% 9% 9% 18% 16% Outros Transporte e comunicações Adm. Pública Construção Saúde e Educação Turismo1 Serviços Técnicos Comércio Economia da RMS se diversificou, com destaque para serviços técnicos, sociais e construção civil FONTE: RAIS 2011, Ministério do Trabalho Variação do share de empregos por setor na RMS Pontos percentuais, 2000 a 2011 0 0,4 0,1 3,4 1,4 5,6 1,8 Adm. Pública2 Outros Transporte e comunicações Construção3 Comércio Serviços Técnicos Saúde e Educação Turismo -12,7 1 Número de empregos relacionados ao turismo é estimado com base em empregos em hotelaria e restaurantes 2 Tendência de formalização dos empregos do setor privado gera viés negativo maior para setor de Administração Pública 3 Grande parte do crescimento do setor de construção civil se deveu ao boom imobiliário Total = 1.072.847 Milhares de novos empregos 72,8 108,7 35,0 43,3 61,2 28,2 43,5 -3,0 389,7Total de novos empregos
  16. 16. | 15 Empregos formais no Recôncavo Norte Percentual, 2011 5,5% 9,0% Comércio 11,0% Outros 25,9% Petroquímico Construção Saúde e Educação 3,3% Turismo1 4,0% Adm. Pública 41,3% No Recôncavo Norte, há hipertrofia da administração pública, com perda de importância relativa dos demais setores, exceto o petroquímico FONTE: RAIS 2011, Ministério do Trabalho Variação do share de empregos por setor no Recôncavo Norte, Pontos percentuais, 2000 a 2011 1 Número de empregos relacionados ao turismo é estimado com base em empregos em hotelaria e restaurantes Total = 31.122 Apesar da grande importância econômica, setor petroquímico emprega relativamente pouco Petroquímico 5,4 Construção -1,5 Saúde e Educação -1,7 Turismo -3,4 Adm. Pública 8,9 Comércio -3,2 Outros -4,5 1,9 9,3 0,4 0,5 1,7 1,7 4,8 20,3Total de novos empregos Milhares de novos empregos
  17. 17. | 16 Empregos formais no Recôncavo Sul Percentual, 2011 Setor de comércio no Recôncavo Sul tem grande relevância, e indústria de calçados foi destaque na última década FONTE: RAIS 2011, Ministério do Trabalho 5% 22% 4% 4% 27% 8% 27% Adm. Pública Turismo1 Comércio Calçados Educação e Saúde Outros Agricultura Construção 3% Variação do share de empregos por setor no Recôncavo Sul, Pontos percentuais, 2000 a 2011 Total = 53.217 1 Número de empregos relacionados ao turismo é estimado com base em empregos em hotelaria e restaurantes -4,2 -5,3 4,5 1,4 0,4 3,8 0,4 -1,0 Outros Agricultura Construção Saúde e Educação Calçados Adm. Pública Turismo Comércio 8,1 1,5 7,4 2,4 7,7 2,4 1,4 -0,1 30,8Total de novos empregos Milhares de novos empregos
  18. 18. | 17 Empregos formais no Baixo Sul Percentual, 2011 13% 39% 14% 7% 21% Outros Adm. Pública Agricultura 4% Saúde e Educação Turismo1 2% Textil Comércio Estagnação da economia do Baixo Sul é revelada principalmente pelo declínio da agricultura e aumento do peso da administração pública FONTE: RAIS 2011, Ministério do Trabalho Variação do share de empregos por setor no Baixo Sul, Pontos percentuais, 2000 a 2011 -0,5 -1,9 3,0 1,5 -0,9 5,5 -6,7 Outros Adm. Pública Agricultura Saúde e Educação Turismo Textil Comércio 1 Número de empregos relacionados ao turismo é estimado com base em empregos em hotelaria e restaurantes Total = 30.479 4,0 0,2 1,3 0,5 1,1 6,3 Milhares de novos empregos 1,7 15,0Total de novos empregos
  19. 19. | 18 Empregos formais na Ilha de Itaparica Percentual, 2011 Falta diversidade à economia da Ilha de Itaparica, onde os setores mais relevantes são também administração pública e comércio FONTE: RAIS 2011, Ministério do Trabalho 15% 48% 13% 24% Outros Adm. Pública Turismo1 Comércio Variação do share de empregos por setor na Ilha de Itaparica, Pontos percentuais, 2000 a 2011 6,4 Outros -9,2 Adm. Pública 11,0 Turismo -8,2 Comércio 1 Número de empregos relacionados ao turismo é estimado com base em empregos em hotelaria e restaurantes Total = 5.864 0,9 0,1 1,7 0,1 Milhares de novos empregos 2,8Total de novos empregos
  20. 20. | 19 Razão entre populações com mais de 65 anos versus menos de 15 anos 2000 2010 - 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 35,0 40,0 17,9 8,2 11,4 13,1 17,4 24,7 20,4 11,7 25,9 28,3 14,2 20,6 19,5 29,9 31,6 31,8 16,4 35,1 2000 2010
  21. 21. | 20 Indice de GINI RMS 2000 a 2010
  22. 22. | 21 Proporção da população com nivel superior completo 2001 2011 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% Bahia Camaçari Candeias MadredeDeus Salvador Maragogipe SantoAmaro SãoFranciscodoConde Saubara 9,8% 17,8% 5,0% 6,7% 16,4% 1,3% 3,6% 6,5% 0,7% 12,8% 17,3% 14,5% 14,2% 19,2% 9,9% 5,4% 10,5% 2,4% 2001 2011
  23. 23. | 22 Proporção da população extremamente pobre (abaixo de R$70,00 per capita em 2010)
  24. 24. Municípios mais desenvolvidos são adjacentes a Salvador FONTE: SEPLAN; FIRJAN Maior que 0,720 Menor que 0,525 Entre 0,525 e 0,590 Entre 0,590 e 0,655 Entre 0,655 e 0,720 IFDM 2010 RMS Baixo Sul Recôncavo Valença Cairu TaperoáNilo PeçanhaVenceslau Guimarães Gandu Piraído Norte Ituberá Igrapiúna Camamu Ibirapitanga Presidente Tancredo Neves Castro Alves Varzedo Sto Antonio de Jesus Muniz Ferreira Nazaré Cabaceiras do Paraguaçu Governador Mangabeira Cachoeira Muritiba São Félix Cruz das Almas Sapeaçu Dom Macêdo Costa São Felipe Maragogipe Saubara São Francisco do Conde Santo Amaro São Sebastião do Passé Candeias Dias D'Ávila Camaçari Simões Filho Ilha de Itaparica RMS Recôncavo Baixo sul Jaguaripe Salinas da Margarida Vera Cruz Itaparica Madre de Deus Lauro de Freitas Salvador Aratuípe
  25. 25. Redes de cidades na área de influência da ponte FONTE: SEI Ibirapitanga1 População Rodovias principais 30.000-50.000 <15.000 50.000-70.000 70.000-120.000 120.000-250.000 15.000-30.000 Salvador, com 2,7 milhões de habitantes, é uma metrópole que concentra os serviços de maior complexidade (p.ex. educação superior) ou especializados (p.ex. serviços financeiros) da macro área 1 Recôncavo Valença Taperoá Nilo Peçanha Wenceslau Guimarães Gandu Piraído Norte Ituberá Igrapiúna Camamu Presidente Tancredo Neves Castro Alves1 Varzedo Sto Antonio de Jesus Muniz Ferreira Nazaré Cabaceiras do Paraguaçu Governador Mangabeira Cachoeira1 Muritiba São Félix Cruz das Almas Sapeaçu Dom Macêdo Costa São Felipe Maragogipe Jaguaripe Salinas da Margarida Itaparica Aratuípe Vera Cruz Baixo sul Ilha de Itaparica Cairu Ilha da Aranha Salvador 1 Castro Alves e Cachoeira atualmente estão classificadas na região influência de Feira de Santana e Ibirapitanga está na região de influência de Ilhéus-Itabuna 2 1 3 1 Santo Antônio de Jesus, com 91 mil habitantes, tem logística privilegiada (BR-242 e BR-101) e é o principal centro de comércio e serviços da região do Recôncavo e Baixo Sul 2 Valença, com 90 mil habitantes, tem potencial turístico, com destaque às praias da sua região de influência, como Morro de São Paulo e Guaibim, próximo a rodovias como a BR-101 e cortada pela BA-001 3
  26. 26. BR-324 Concentração agrava o estrangulamento logístico Velocidade Km/h Fluxo diário Mil veículos Tráfego atual já representa cerca de 90% da capacidade viária da BR-324 BR-324 na chegada em Salvador: 40 mil por dia 10 mil veículos por dia 28 mil veículos por dia 11 mil veículos por dia  Acesso à RMS concentrado em uma única rodovia, a BR-324 240 mil veículos por dia BR 116 BR 101 BR 324 Paralela Sem os picos de trânsito, a velocidade média na via poderia ser o dobro da atual
  27. 27. 2626 A ponte está inserida em uma grande intervenção rodoviária que aumentará a integração regional FONTE: Análise da equipe O projeto contempla a construção de uma ponte de 12km integrando a cidade de Salvador à Ilha de Itaparica... ...e a reformulação de 150km de rodovias que criarão um anel rodoviário integrando o Recôncavo e Baixo Sul à RMS Construção Duplicação/Reforma BR-242 BR-116 BR-101 BR-101 BR-324 Nazaré Lauro de Freitas Camaçari Feira de Santana S.A. de Jesus Castro Alves Salvador 1 2 3 Praça de pedágio Trocar com foto da OAS
  28. 28. 27FONTE: Google, SEPLAN, SEDUR/CONDER, análise da equipe VLT Calçada Subúrbio Porto Via Expressa Comércio Ampliação do porto  Feira de São Joaquim Estação Calçada  A chegada em Salvador está em discussão - Hipótese de chegada em “Y” 1 2
  29. 29. 28 Plano de Desenvolvimento para a Soledade. Conselho de Administração, 17.Julho.2013
  30. 30. 29 Pesquisa de O & D mostra artérias congestionadas em Salvador Como a taxa de motorização em Salvador cresce a 6,4% a.a., há risco de piora significativa da situação de mobilidade Projetos apoiados pelo Governo Federal se articulam com a ponte para melhorar a mobilidade na RMS ▪ Via expressa ▪ Metro ▪ Trem para os subúrbios ▪ Corredores transversais alimentadores − Av. Gal Costa, O. Gomes, 29 de março, Ligação Lobato - Pirajá − Av. Jorge Amado e ligações Aeroporto - L. de Freitas, Pinto de Aguiar - O. Gomes − Canaletas BRT ▪ Contorno de Lauro de Freitas ▪ Corredores progressivos (Aeroporto - Lapa, Paripe - França, Pituba - França, Aeroporto - Pituba) ▪ Viaduto (R. Nilo Peçanha) e Trincheira (Largo do Tanque)
  31. 31. O projeto se articula com soluções de tráfego Brasilgás Águas Claras Cajazeiras Pirajá Juá Retiro Acesso Norte Campo da Pólvora Lapa Brotas Detran Bonocô Rodoviária Pernambués Imbuí CAB PItuaçu Flamboyant Bairro da Paz Tamburugi Mussurunga Aeroporto Lauro de Freitas Linha 1, Trecho Lapa Acesso Norte (implantado) 6,6 Km Linha 1, Trecho A. Norte – Pirajá 5,6 Km Linha 1, Trecho Pirajá Águas Claras Cajazeiras 5,0 Km Linha 2, Bonocô – Lauro de Freitas 24,2 Km Estações da Linha 1, Trecho Lapa Acesso Norte 4 estações Estações da Linha 1, Trecho Ac. Norte – Pirajá 3 estações Estações da Linha 1, Trecho Pirajá Águas Claras Cajazeiras 2 estações Estações da Linha 2 13 estações Terminais de integração ônibus-metrô (a implantar) Terminais de integração ônibus-metrô (existentes) Investimentos em transporte de massa para melhoria da mobilidade urbana de Salvador Tráfego pesado conectado à BR-324 através da Via Expressa
  32. 32. Investimentos na BTS Sistema Viário Oeste (SVO) | R$ 7,5 bilhões Ponte Salvador Itaparica | R$ 6,0 bilhões Polo Industrial do Recôncavo | R$ 2 bilhões Investimentos Públicos | R$ 600,00 milhões Terminal de Regaseificação | R$ 1,1 bilhões Via Expressa Portuária Baía de Todos os Santos | R$ 380 milhões Codeba: Investimentos Portos BTS (PAC) | R$ 900 milhões Investimento Total | R$ 14 bilhões Projetos de Infraestrutura
  33. 33. 7ª ETAPA – MONUMENTA /PHIS I, II R$ 7.922.199 V. NOVA ESPERANÇA R$ 5.573.646 TERMINAL DE PASSAGEIROS R$ 36.000.000,00) HABITAÇÃO, MONUMENTOS, EQUIPAMENTOS CULTURAIS E INFRAESTRUTURA IGREJA E CEMITÉRIO DO PILAR R$ 1.500.000 FEIRA DE SÃO JOAQUIM R$ 33.184.236 CAIS DA BAIANA INVESTIMENTO: R$ 2.673.000,00
  34. 34. LAR FRANCISCANO INVESTIMENTO: R$ 2.800.000,00 PLANOS E ELEVADORES INVESTIMENTO: R$ 32.500.000,00 CORPO DE BOMBEIROS - 1º GBM INVESTIMENTO: R$ 5.900.000,00 VIA HISTÓRICA E MERCADO SÃO MIGUEL INVESTIMENTO: R$ 27.500.000,00 7ª ETAPA – MONUMENTA /PHIS I, II R$ 7.922.199
  35. 35. - INFRAESTRUTURA E RECUPERAÇÃO DE MONUMENTOS - 2.283 HABITAÇÕES POPULARES - PAVIMENTAÇÃO E REQUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS - RECUPERAÇÃO DE IMÓVEIS / ESPAÇOS DE USO PÚBLICO - POTENCIAL PARA PRODUÇÃO DE 12 MIL U.H - INFRAESTRUTURA TURÍSTICA* - ASCENSORES, VLT, BONDE E ESTACIONAMENTOS - PALCO MÓVEL, TERMINAL DE PASSAGEIROS, FEIRA DE SÃO JOAQUIM, OUTROS

×