Your SlideShare is downloading. ×
0
Evolução do Comércio
Eletrônico Brasileiro
2000 - 2003
Marketing online
Informações de comércio eletrônico
Pesquisa e Usab...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
2
Índice
O que é o Web Shoppers .................................................
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
3
O que é o Web Shoppers
Uma iniciativa da e-bit, o Web Shoppers tem como obje...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
4
§ Velobit – O Velobit permite à sua empresa enviar e administrar grandes qua...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
5
Dados Web Shoppers
O Web Shoppers em sua oitava edição utiliza informações p...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
6
Estrutura do Relatório
PARTE I
PARTE II
Um Resumo sobre a evolução...
- Aume...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
7
PARTE I
Um Resumo sobre a
evolução...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
8
Homens
66%
Uma preocupação na época de em que a e-bit surgiu foi o de conhec...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
9
Homens
66%
E se os clientes estão mais satisfeitos com suas compras, eles ta...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
10
Homens
66%
Outro fato que representa uma vitória para os varejistas virtuai...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
11
Homens
66%
Um dos principais motivos de insegurança de quem faz compras pel...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
12
PARTE II
Um Raio-X do mercado
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
13
Homens
66%
Pouca coisa mudou no perfil dos consumidores das lojas virtuais ...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
14
Homens
66%
Já em relação ao poder aquisitivo, a renda
média do público adep...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
15
Homens
66%
Apesar das mulheres serem consideradas mais consumistas do que o...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
16
Homens
66%
Os CD´s, DVD´s (títulos) e livros
se consagraram como os
“prefer...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
17
Homens
66%
Depois de entender quem são os e-consumidores e o que eles compr...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
18
Homens
66%
Comprando no Trabalho
Compras por horário – jun/03O que pode aco...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
19
Homens
66%
Sempre se comentou sobre a insegurança dos e-consumidores em col...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
20
PARTE III
Natal 2002
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
21
Homens
66%
O Natal para o varejo em geral é a data mais
esperada do ano. Is...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
22
PARTE IV
Conclusões
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
23
Homens
66%
Mais da metade de 2003 já se foi. E, mesmo com a retração das ve...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
24
Sobre a e-bit
A e-bit é uma empresa de pesquisa e marketing online fundada ...
Apoio:
e-bit - Todos os direitos reservados
25
Sobre a Camara-e.net
Sobre a Camara-e.net
A Camara Brasileira de Comércio E...
Contatos
www.ebitempresa.com.br
Pedro Guasti
negocios@ebit.com.br
55.11.3040-3737 - r. 40
www.camara-e.net
Gastão Mattos
i...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

WebShoppers 8ª Edição

68

Published on

8ª edição do relatório WebShoppers gerado pela E-bit.
Dados do mercado online

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
68
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "WebShoppers 8ª Edição"

  1. 1. Evolução do Comércio Eletrônico Brasileiro 2000 - 2003 Marketing online Informações de comércio eletrônico Pesquisa e Usabilidade Apoio: Agosto/2003
  2. 2. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 2 Índice O que é o Web Shoppers ............................................................................................. Dados dos Web Shoppers.............................................................................................. Estrutura do Relatório ................................................................................................. Parte I – Um Resumo sobre a evolução do comércio eletrônico nacional, nesses três anos de pesquisas coletadas pela e-bit. ....................................................................... O Aumento da satisfação do Consumidor; O Aumento do faturamento do setor e a elevação do Tíquete Médio – que, em tempos de crise e recessão, crescem na contramão do varejo tradicional; A melhora nos serviços oferecidos. Empresas mais eficientes, com sites mais rápidos, fáceis de usar e que cumprem o que prometem. Parte II – Um Raio-X do Mercado ............................................................................... Quem é o comprador virtual; Quais são os produtos mais vendidos; Os dias e horários preferidos para as compras; Os meios de pagamentos preferidos pelos e-consumidores. Parte III – Natal de 2002 ........................................................................................... Recorde de faturamento e Representatividade sobre o faturamento total do setor; Previsões para o Natal de 2003. Parte IV – Conclusões .............................................................................................. Sobre a e-bit .............................................................................................................. Sobre a Camara-e.net ................................................................................................. Contatos ..................................................................................................................... 3 5 6 7 12 20 22 24 25 26 Nessa oitava edição, você encontra no WebShoppers:
  3. 3. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 3 O que é o Web Shoppers Uma iniciativa da e-bit, o Web Shoppers tem como objetivo difundir informações essenciais para o entendimento do comportamento dos internautas e sua relação com o e-commerce. O Web Shoppers analisa as evoluções do comércio eletrônico, as mudanças de comportamento e preferências dos e-consumidores e também procura encontrar pontos a serem melhorados no desenvolvimento do e-commerce brasileiro. A e-bit Empresa de pesquisa, marketing e tecnologia online, a e-bit foi criada para auxiliar empresas a atrair, manter e rentabilizar clientes, aumentando a utilização da Internet como canal de relacionamento. Através de um sofisticado sistema de coleta de dados, a e-bit gera diariamente informações detalhadas sobre o comércio eletrônico, a partir de dados do próprio consumidor online após a efetivação de compras em cerca de 400 lojas virtuais. Desde janeiro de 2000, a e-bit já coletou mais de um milhão de avaliações de e-consumidores. Além de avaliações de lojas virtuais, a e-bit também presta serviços de pesquisa de mercado online e e-mail marketing por meio de uma série de produtos inovadores como: § Investigação de Usabilidade de Websites – A Investigação de Usabilidade é um instrumento que gera informações e orienta sua empresa na construção ou atualização de seu site. Tudo isso a partir da análise do comportamento das pessoas diante do site de sua empresa com o objetivo de proporcionar uma navegação mais simples, clara e objetiva, o que, consequentemente, proporciona o aumento da conversão de visitantes em clientes e incremento das vendas.
  4. 4. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 4 § Velobit – O Velobit permite à sua empresa enviar e administrar grandes quantidades de e-mails personalizados com rapidez e eficiência. Com o Velobit, você pode fidelizar seu cliente, convidando-os a visitar sua empresa, a comprar de você, a recomendá-lo para outros clientes e controlar as ações destes clientes. § bitMail – O bitMail permite que você se comunique com um público altamente qualificado, de alto poder aquisitivo e que está acostumado a comprar e utilizar a Internet como meio de comunicação, obtendo altas taxas de retorno em suas ações, como promoções, vendas e campanhas específicas. § bitSurvey – As pesquisas de Mercado são ferramentas de marketing valiosas na hora da tomada de decisão de sua empresa. Fazê-las pela Internet torna o processo mais rápido, barato e fácil de segmentar, atingindo respostas confiáveis de maneira mais ágil. § Inteligência de Mercado – Os relatórios de Inteligência de Mercado permitem que sua empresa esteja sempre à frente de novas oportunidades de negócios e tome decisões rápidas e certeiras. § bitConsumidor – Programa gratuito de avaliação de sites. O sistema da e-bit funciona 7 dias por semana, 24 horas por dia e permite que você conheça a opinião dos seus consumidores a respeito de seu site. A e-bit espera com esta oitava edição do Web Shoppers contribuir para as iniciativas das empresas que já tenham ou que virão a ter presença na Internet, e para o desenvolvimento do comércio eletrônico no Brasil. Boa Leitura, Equipe e-bit
  5. 5. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 5 Dados Web Shoppers O Web Shoppers em sua oitava edição utiliza informações provenientes das pesquisas realizadas pela e-bit junto a mais de 400 lojas online e ao seu painel de e-consumidores. Pesquisa bitConsumidor § A e-bit já coletou mais de um milhão de questionários respondidos após o processo de compras online pelo sistema bitConsumidor. § Mensalmente agrega a este volume cerca de 40.000 novos questionários. § Os dados da e-bit foram coletados junto aos compradores online, imediatamente após sua experiência de compra. Essas informações, compiladas, geram mensalmente relatórios de Inteligência de Mercado.
  6. 6. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 6 Estrutura do Relatório PARTE I PARTE II Um Resumo sobre a evolução... - Aumento da satisfação - Recorde do faturamento - Melhora nos serviços oferecidos Um Raio-X do Mercado - Quem é o comprador virtual - Quais são os produtos mais vendidos - Os Dias e Horários preferidos para comprar - Os meios de pagamentos preferidos PARTE III Natal de 2002 - Recorde de faturamento – Previsões para 2003 PARTE IV Conclusões
  7. 7. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 7 PARTE I Um Resumo sobre a evolução...
  8. 8. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 8 Homens 66% Uma preocupação na época de em que a e-bit surgiu foi o de conhecer e acompanhar a satisfação das pessoas que viessem a comprar produtos pela Internet. Além de acompanhar essas opiniões, a e-bit, em 2001, percebeu que era preciso criar um índice para balizar o mercado sobre essa satisfação. Criou-se então um índice mensal, o e-bit/PwC (PricewaterhouseCoopers) em parceria com a consultoria. Desde Janeiro de 2001, até Junho de 2003, o índice subiu quase oito pontos percentuais, passando de 78,8% para 86,5%. Isso significa dizer que, se em janeiro de 2001, havia uma parcela de 21,2% de e-consumidores insatisfeitos com suas compras virtuais, esse percentual caiu para 13,5% em Junho de 2003. Mesmo assim, percebe-se que ainda há em que evoluir. Ter 100% de clientes satisfeitos é um grande desafio, mas o objetivo deve estar sempre o mais próximo possível disso. Mais de 85% de e-consumidores satisfeitos Evolução do índice de satisfação e-bit/PwC 78,80% 83,50%84,60% 85,50% 85,90% 86,50% 01/01/01Jan/01 Jun/01 Jan/02 Jun/02 Jan/03 Jun/03 Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  9. 9. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 9 Homens 66% E se os clientes estão mais satisfeitos com suas compras, eles também gastam mais. O faturamento do comércio eletrônico brasileiro cresce na contramão do varejo tradicional que, ultimamente, tem registrado índices de retração. E as perspectivas para 2003 são expressivas: O varejo online B2C, em 2003, vai ultrapassar a marca de R$1 bilhão, podendo atingir entre R$1,2 e R$1,3 bi. Isso porque, após o término do primeiro semestre, já registramos um faturamento próxima a R$500 milhões. Em 2001, o varejo virtual registrou vendas na casa dos R$600 milhões. Já em 2002, esse número subiu cerca de 50%, ficando em R$900 milhões. Já em 2003, a expectativa e de crescimento na casa dos 40%. O primeiro bilhão Crescimento do faturamento – e-commerce B2C (excluindo-se venda de passagens aéreas, automóveis e sites de leilão) 600 900 1.200* 6002001 2002 2003 Valores em Milhões de Reais *Estimativa Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  10. 10. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 10 Homens 66% Outro fato que representa uma vitória para os varejistas virtuais é o valor do tíquete médio dos e- consumidores (compradores das lojas virtuais). Em cada compra realizada em Maio de 2003, cada pessoa gastou, em média, R$289,00. Valor de fazer inveja a qualquer varejista, pois, no comércio tradicional, esse valor não costuma passar da casa dos R$50,00. Se compararmos com o mesmo período do ano passado (Maio de 2002) o tíquete médio das lojas virtuais ficou em R$234,00. Isso representa um aumento de mais de 20% em um período de apenas 12 meses. Um tíquete médio de fazer inveja Evolução do Tíquete Médio do Varejo Eletrônico Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) 300,00*289,00 281,00 234,00 251,00 209,00 Maio 2001 Dez 2001 Maio 2002 Dez 2002 Maio 2003 Dez 2003 Valores em Reais * Estimativa
  11. 11. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 11 Homens 66% Um dos principais motivos de insegurança de quem faz compras pela Internet é se a compra vai chegar ou não. Por isso, as lojas investiram muito no quesito logística e atendimento a clientes, principalmente no ano de 2002. Isso fica evidente quando comparamos o índice de cumprimento de prazos. Em Junho de 2001, apenas 61% dos compradores recebeu sua mercadoria no prazo e, cerca de 22% estavam com a entrega atrasada. Em Junho de 2002, esse número melhorou e subiu para 69% das entregas dentro do prazo, contra 14% atrasadas. Em Junho de 2003, 70% receberam no tempo prometido e, apenas 9% registraram atraso. Se considerarmos que o volume de produtos negociados por meio do e-commerce brasileiro quase triplicou no período de 2 anos e que de 2001 para 2002 o número de e-consumidores cresceu na casa dos 69%, essa melhora é ainda mais significativa. *Os percentuais acima não completam 100%, pois existem outros “status” indicados para a entrega como, por exemplo, entrega parcial da compra, cancelamento do pedido, e até mesmo, pessoas que não responderam a essa pergunta na pesquisa. E que serviço!! Evolução no cumprimento de prazos pelas lojas virtuais 61% 22% 69% 14% 70% 9% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 2001 2002 2003 Entrega no Prazo Atraso Mês de Referência: Junho Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  12. 12. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 12 PARTE II Um Raio-X do mercado
  13. 13. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 13 Homens 66% Pouca coisa mudou no perfil dos consumidores das lojas virtuais desde 2000. Eles continuam sendo, em sua maioria, pessoas de alto nível de escolaridade, com uma boa renda familiar e poder aquisitivo, possuem entre 25 e 49 anos e são, principalmente, do sexo masculino. Quando analisadas a participação em relação ao nível de escolaridade, encontramos que cerca de 57% dos e-consumidores possui nível superior completo, sendo que 22% possui também uma pós- graduação. Um consumidor e tanto! Participação por Idade – jun/03 Mais de 64 2% Até 17 1% 35 a 49 42% 18 a 24 9% 25 a 34 27% 50 a 64 18% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  14. 14. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 14 Homens 66% Já em relação ao poder aquisitivo, a renda média do público adepto do e-commerce fica em torno de R$3.900,00 e sua idade média é de 36 anos. Em 2003, mais de dois milhões de pessoas já tiveram pelo menos uma experiência de compra pela Internet. Um crescimento de mais de 60% em relação ao início de 2002, quando apenas 1,2 milhões de pessoas haviam comprado em alguma loja virtual. Mesmo assim, uma grande parcela da população de internautas, que hoje somam mais de 20 milhões no Brasil (IBOPE eRatings – Junho de 2003), ainda não realizou nenhuma compra pela Internet. E é exatamente o desafio de trazer esses internautas para o universo de e- consumidores que deve ser o maior desafio das empresas envolvidas com o comércio eletrônico nesse segundo semestre de 2003 e em 2004. Um consumidor e tanto! Participação por Renda Familiar jun/03 mais 8.000 18% de 3.001 a 5.000 29% de 1.000 a 3.000 27% de 5.001 a 8.000 22% Menos de 1.000 5% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  15. 15. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 15 Homens 66% Apesar das mulheres serem consideradas mais consumistas do que os homens, quando o assunto é comércio eletrônico, os homens são os maiores adeptos dessa modalidade de compras. Ao longo de 2002, o público masculino foi responsável, em média, por cerca de 60% das compras realizadas nas lojas virtuais. A representatividade feminina aumentou um pouco desde 2000, quando elas eram responsáveis por apenas 37% das compras. Hoje, elas representam 40% desse total. Mesmo assim, ainda é pouco. No Brasil, sabemos que a população feminina é maior que a masculina, mas, elas ainda são minoria também entre os internautas. E além de comprar mais, os homens gastam mais pela Internet do que as mulheres. Por exemplo, pegando-se o mês de Maio desse ano como referência, o tíquete médio masculino foi de R$350,00, enquanto cada compra feita pelas mulheres foi, em média, no valor de R$253,00. Isso significa que, em cada compra feita em uma loja virtual, os homens gastam cerca de 40% a mais. Homens X Mulheres Participação por Sexo - 2000 Participação por Sexo – 2003 Feminino 40% Masculino 60% Feminino 37% Masculino 63% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  16. 16. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 16 Homens 66% Os CD´s, DVD´s (títulos) e livros se consagraram como os “preferidos” dos e-consumidores. Elas fazem parte da maioria das compras feitas pela Internet e estão incluídos sempre nas listas de compras para datas especiais como o Dia dos Pais, Natal, etc. Por exemplo, no Natal de 2002, os CD´s fizeram parte da cesta de compras de 68% que compraram seus presentes pela Internet. Já os livros e revistas figuraram em 39% das compras. Mesmo assim, no ano de 2002, percebeu-se um aumento na venda de produtos eletrônicos e eletrodomésticos. Também no Natal de 2002, cerca de 12% das pessoas compraram um aparelho de DVD player, 14% eletro- domésticos e 16% produtos eletroeletrônicos (excluindo-se os DVD´s players que foram contados separadamente). E o que compram os e-consumidores? Produtos mais vendidos – Junho de 2003 12,00% 1,50% 2,00% 2,50% 3,00% 3,00% 4,00% 4,00% 4,00% 5,00% 6,50% 8,50% 18,00% 26,00% 0,00% 5,00% 10,00% 15,00% 20,00% 25,00% 30,00% Outros Hand-helds Alimentos e Bebidas Brinquedo Flores Vestuário e Acessórios Telefonia Aparelho DVD Eletrodomésticos Perfumaria Computadores e Softwares Eletrônicos Livros e Revistas CD e DVD Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  17. 17. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 17 Homens 66% Depois de entender quem são os e-consumidores e o que eles compram, podemos tirar algumas conclusões sobre seus hábitos de consumo. A maioria das compras acontece ao longo da semana (77%), com uma concentração na segunda-feira que representa 18% das compras (Junho 2003). Além disso, constatou-se que o horário escolhido para a realização destas compras está dentro do horário comercial, com maior intensidade entre as 10 e 17 horas. Comprando no Trabalho Compras por dia da semana – jun/03 Domingo 13% Segunda 18% Terça 16% Quarta 15% Quinta 14% Sexta 14% Sábado 10% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  18. 18. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 18 Homens 66% Comprando no Trabalho Compras por horário – jun/03O que pode acontecer é que, muitas pessoas, aproveitam uma conexão mais rápida e um equipamento (computador) mais avançado que possuem no trabalho para realizarem suas compras quando conseguem um espaço de tempo durante o dia. A noite, após as 22 horas, percebe-se novamente um pico de compras. Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) 3,3% 1,0% 1,2% 0,7% 0,4% 0,3% 0,4% 1,3% 3,8% 5,4% 6,5% 6,9% 6,1% 6,1% 6,6% 6,4% 6,1% 6,0% 5,4% 5,1% 5,1% 5,5% 5,8% 4,8% 0% 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 0 - 1 1 - 2 2 - 3 3 - 4 4 - 5 5 - 6 6 - 7 7 - 8 8 - 9 9 - 10 10 - 11 11 - 12 12 - 13 13 - 14 14 - 15 15 - 16 16 - 17 17 - 18 18 - 19 19 - 20 20 - 21 21 - 22 22 - 23 23 - 24
  19. 19. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 19 Homens 66% Sempre se comentou sobre a insegurança dos e-consumidores em colocar o número do cartão de crédito devido ao risco de fraudes. Mas isso não é verdade. As lojas, bandeiras e administradoras de cartão de crédito investiram muito em segurança e isso fez com que melhorasse a confiança dos compradores das lojas virtuais. Hoje, o cartão de crédito é o meio de pagamento preferido para as compras via Internet, representando mais de 80% do volume financeiro das compras feitas pela rede. Mas, se o receio dos compradores diminuiu bastante, ainda falta conquistar a confiança de quem ainda não comprou. Mas isso não só em relação à utilização do cartão e sim da compra virtual como um todo. Dinheiro de plástico Share dos meios de pagamento – por volume financeiro (jun/03) Cheque 2% Cartão de Crédito 80% Outros 9% Boleto Bancário 9% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  20. 20. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 20 PARTE III Natal 2002
  21. 21. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 21 Homens 66% O Natal para o varejo em geral é a data mais esperada do ano. Isso para o comércio eletrônico também é uma verdade. Em 2001, a data bateu todos os recordes, atingindo o maior faturamento e tíquete médio até então. Em 2002 não foi diferente. O faturamento do mês de Dezembro é, até hoje, o mais alto registrado para as vendas virtuais, atingindo um volume financeiro de aproximadamente R$130 milhões. O tíquete médio de R$281,00 só fica abaixo do registrado em maio de 2003 (R$289,00). Levando-se em conta que o setor faturou durante o ano todo R$900 milhões, isso significa que só as vendas realizadas em dezembro para as datas festivas representou quase 15% das vendas feitas pelas lojas virtuais brasileiras. Se para 2003 a previsão é que o setor feche o ano com mais de R$1,2 bi vendido, o mês de Dezembro deve ultrapassar a casa dos R$160 milhões. Um marco para o e-commerce nacional Evolução do Faturamento Natal de 2001, 2002 e 2003 160* 122 95 0 20 40 60 80 100 120 140 160 180 2001 2002 2003 Mês de Referência: Dezembro Valores em Milhões de Reais *Estimativa Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br)
  22. 22. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 22 PARTE IV Conclusões
  23. 23. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 23 Homens 66% Mais da metade de 2003 já se foi. E, mesmo com a retração das vendas e a iminente situação de crise, para o comércio eletrônico o ano está sendo de superação, bons resultados e otimismo. O setor já faturou nos primeiros seis meses R$500 milhões. E, com certeza, vai bater e até superar a previsão de R$1,2 bi. Isso significa dizer que, em relação a 2002, houve um acréscimo na casa dos 40% no volume financeiro movimentado em apenas 12 meses. Como apontam os índices, tanto de satisfação dos clientes, quanto do faturamento, tíquete médio, cumprimento dos prazos de entrega, o varejo eletrônico brasileiro em 2003 atingiu seu mais alto grau de desenvolvimento até então. Já são mais de 5 anos de experiências, aperfeiçoamento e muito trabalho para que o setor pudesse chegar a esse patamar de hoje. Ainda há o que melhorar, pois os clientes vão se tornar mais exigentes e também mudar suas necessidades, mas, os varejistas do comércio eletrônico mostraram que estão atentos e prontos para se antecipar a essas necessidades. As preocupações para o final de 2003 e 2004 devem se concentrar na conquista de novos clientes, oferecendo facilidades, comodidade e segurança e na fidelização dos atuais, oferecendo novas oportunidades, programas de relacionamento (por ferramentas como e-mail marketing, por exemplo) e sites mais fáceis e rápidos de navegar. Em relação à economia brasileira, os números do comércio eletrônico ainda não são tão significativos, representando cerca de um a dois por cento de todo o faturamento do varejo nacional. Mas, enquanto os setores produtivos e também o varejo tradicional vêm apresentando baixos resultados e até retração, o comércio eletrônico mantém uma acelarada curva de crescimento. É claro que essa curva não deve se manter tão acentuada, mas, até 2005 é possível que as vendas das lojas virtuais brasileiras representem próximo dos 5% de tudo o que é comercializado no mercado B2C. Patamar esse já alcançado nos EUA. Mercado maduro e em crescimento
  24. 24. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 24 Sobre a e-bit A e-bit é uma empresa de pesquisa e marketing online fundada com a missão de auxiliar empresas a atrair, manter e rentabilizar seus clientes, alavancando a utilização da Internet como um poderoso canal de relacionamento. As informações sobre e-commerce da e-bit são coletadas junto a consumidores após realizarem compras em aproximadamente 400 lojas virtuais. De Abril de 2000 a Janeiro de 2003, a e-bit já coletou mais de um milhão de avaliações de e-consumidores. Além de avaliações de lojas virtuais, cuja classificação é divulgada em seu site (www.ebit.com.br), a e-bit também presta serviços de pesquisa quantitativas e qualitativas no segmento de mercado online e e- mail marketing, além de relatórios de Inteligência de Mercado e Investigação de Usabilidade. Para saber mais sobre os serviços da e-bit, consulte o site www.ebitempresa.com.br Principais Clientes VIVO Sul América Pfizer MaxBlue HSBC Credicard Braskem Banco do Brasil Unibanco TicketSudamerisSubmarino ShoptimePão de AçúcarNatura Merck Sharp & DohmeMasterCardLivraria Cultura Incentive HouseGeneral MotorsExtra Editora AbrilCitibankC&A Brasil TelecomBoticárioBanco Itaú BasfAmericanas.comAmerican Express
  25. 25. Apoio: e-bit - Todos os direitos reservados 25 Sobre a Camara-e.net Sobre a Camara-e.net A Camara Brasileira de Comércio Eletrônico foi fundada em 07 de Maio de 2001 por 100 das principais empresas do Brasil. Camara-e.net tem como missão discutir, posicionar, promover, representar e defender os interesses coletivos de empresas, entidades e usuários associados, envolvidos em atividades de comércio, relações e negócios por meios eletrônicos. Nesse sentido, comércio eletrônico significa investimentos em tecnologia da informação aplicada à modernização das relações econômicas e ao aumento de produtividade e competitividade em todos os níveis. A Camara-e.net já é a principal entidade multi-setorial da Economia Digital no Brasil e América Latina, voltada ao comércio eletrônico como fator estratégico de desenvolvimento econômico na era do conhecimento. Participe da Camara Brasileira de Comércio Eletrônico. Influencie o presente e o futuro do comércio eletrônico no Brasil. www.camara-e.net
  26. 26. Contatos www.ebitempresa.com.br Pedro Guasti negocios@ebit.com.br 55.11.3040-3737 - r. 40 www.camara-e.net Gastão Mattos info@camara-e.net 55.11.3026-9111
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×