WebShoppers 24ª Edição
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

WebShoppers 24ª Edição

on

  • 255 views

24ª edição do relatório WebShoppers gerado pela E-bit.

24ª edição do relatório WebShoppers gerado pela E-bit.
Dados do mercado online

Statistics

Views

Total Views
255
Views on SlideShare
255
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

WebShoppers 24ª Edição WebShoppers 24ª Edição Presentation Transcript

  • 24ª edição
  • 24ª edição 2 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Índice O que é WebShoppers......................................................................................... ................... ............................................... 03 A e-bit..................................................................................................................................................................................... 04 Dados WebShoppers: Metodologia............................................................................................................... ......................... 06 Sumário Executivo............................................................................................... ................................................................. 08 Estrutura do Relatório........................................................................................ .................................................................. 09 Parte I – Balanço do 1º semestre de 2011............................................................. ............................................................... 10 Seis meses com números expressivos E-Commerce: Satisfação para quem compra! As datas sazonais As categorias mais vendidas Parte II – Os profissionais de e-commerce .......................................................... ................................................................ 15 Quem está por trás desse crescimento? Quanto ganha um profissional de e-commerce? Ainda há muito por vir Parte III – A segurança virtual ....................................................................................... ...................................................... 20 A segurança no comércio eletrônico A escolha pelo e-commerce Por que é seguro? Parte IV – Expectativas para 2º semestre de 2011 ......................................................... ...................................................... 25 Começa o segundo tempo! Muitos pedidos em vista Sobre a e-bit............................................................................................................................. ............................................. 30 Sobre a camara-e.net................................................................................................................. ........................................... 31 Sobre a Ecommerce School......................................................................................................... ........................................... 32 Contatos...................................................................................................................................... ........................................... 33
  • 24ª edição 3 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: O que é o WebShoppers Uma iniciativa da e-bit, o WebShoppers tem como objetivo difundir informações essenciais para o entendimento do comportamento de compras dos internautas brasileiros e sua relação com o e-commerce. O WebShoppers analisa a evolução do comércio eletrônico, as mudanças de comportamento e preferências dos e- consumidores e também procura encontrar pontos a serem melhorados no desenvolvimento do e-commerce brasileiro.
  • 24ª edição 4 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: A e-bit Presente no mercado brasileiro desde janeiro de 2000, a e-bit conquistou destaque no desenvolvimento do comércio eletrônico no País tornando-se referência em informações de e-commerce. Por meio de um sofisticado sistema de coleta de dados, a e-bit gera diariamente informações detalhadas sobre o comércio eletrônico, a partir de dados do próprio consumidor online após a efetivação de compras em mais de 4.000 lojas virtuais brasileiras. A e-bit já coletou mais de 11,5 milhões de questionários de avaliações de e-consumidores. A e-bit oferece serviços tanto para empresas como para o consumidor online. Para os consumidores, a e-bit atua como um consultor de compras pela internet, publicando em seu site (www.ebit.com.br) as avaliações das pessoas que realmente compraram nas lojas virtuais fizeram das mesmas. Já, as informações sobre os serviços direcionados às empresas podem ser encontradas no site institucional da e-bit (www.ebitempresa.com.br). Certificação e-bit – O bitConsumidor é um serviço de avaliação de lojas virtuais, pioneiro na América Latina e referência para o comércio eletrônico no Brasil. A e-bit possui convênio com mais de 4.000 lojas virtuais e o consumidor dessas lojas é convidado a responder uma pesquisa logo após fechar sua compra na internet. São duas etapas: uma imediatamente após a compra efetiva e outra, alguns dias depois, para avaliar a entrega do produto. O processo é automático e simples, feito pela internet. Informações de Comércio Eletrônico – Os questionários respondidos diariamente por consumidores sobre a qualidade dos serviços prestados pelas lojas virtuais abastecem o banco de dados da e-bit. Cruzando os dados, a e-bit emite relatórios que traçam o perfil do consumidor online - sexo, idade, renda, escolaridade, hábitos - e também avaliam comparativamente os serviços prestados pelas lojas virtuais, meios de pagamento, faturamento, etc.
  • 24ª edição 5 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: A e-bit e-Dashboard - O e-Dashboard é uma moderna ferramenta online que disponibiliza informações atualizadas diariamente, que permitem acompanhar dia-a-dia o crescimento do e-commerce para ajudá-lo a monitorar o desempenho de sua loja no mercado. Dessa forma, o produto ajuda na tomada de decisões, baseadas em informações precisas, visando aumentar o volume de vendas, conversões e lucros. Os dados apresentados são provenientes da pesquisa bitConsumidor, presente no checkout de mais de 4.000 lojas virtuais brasileiras. Retail Monitor - Além dos relatórios de acompanhamento das vendas realizadas no comércio eletrônico brasileiro, a e-bit também desenvolve relatórios para monitoramento das intenções de compras dos consumidores virtuais. Com esse produto, denominado “Retail Monitor”, é possível avaliar as categorias, produtos e marcas mais procuradas pelos consumidores no momento em que utilizam a internet para efetuar uma compra. Saiba mais sobre essa novidade da e-bit enviando um e- mail para negocios@ebit.com.br. Painel de Pesquisa - A e-bit possui um painel de respondentes de pesquisas altamente qualificado formado, basicamente, por mais de 1,3 milhão de consumidores virtuais. Este painel pode ser convidado a participar de pesquisas quantitativas e qualitativas através de acesso online com incentivo próprio: “bits”. É possível realizar pré-segmentação da amostra por meio das informações – sexo, idade, renda, escolaridade, região geográfica e assuntos de interesse. E-mail Marketing - O bitMail permite a comunicação com um público altamente qualificado: a base de associados da e-bit. Composta fundamentalmente por e-consumidores, um público adulto de alto poder aquisitivo e inúmeras possibilidades de segmentação. O bitMail utiliza recursos tecnológicos que permitem um excelente retorno ao cliente apoiados em marketing de permissão (opt-in, controle de unicidade de cadastro). Publicidade no site e-bit - O site www.ebit.com.br é utilizado pelos consumidores virtuais como um site de referência para suas compras online sendo visualizado mensalmente por mais de 1 milhão de usuários. Em suas páginas, anunciantes e lojas virtuais podem divulgar seus produtos e serviços para um público adulto e de alto poder aquisitivo com um excelente retorno em vendas e divulgação de marcas.
  • 24ª edição 6 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Dados WebShoppers: Metodologia Gestão de Retenção de e-consumidores - Receber reclamações de clientes deve ser visto como uma dádiva no varejo eletrônico. O pior cliente é aquele que fica insatisfeito com a compra, não reclama, mas também não volta a comprar na loja. Pensando nisso, a e-bit desenvolveu um produto especial para as lojas que participam da Pesquisa de Satisfação e- bit, que agora podem optar em receber em real time, comentários de clientes insatisfeitos, juntamente com o número do pedido. Dessa forma é possível detectar imediatamente o eventual problema e tomar ações para resolução e retenção do cliente, e revertê-lo de cliente insatisfeito em um cliente fiel. Saiba mais sobre essa novidade da e-bit enviando um e-mail para negocios@ebit.com.br. Com essa 24ª edição do WebShoppers, a e-bit espera contribuir para o desenvolvimento da internet e do comércio eletrônico no Brasil. Boa Leitura! Equipe e-bit
  • 24ª edição 7 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Dados WebShoppers: Metodologia O WebShoppers, em sua 24ª edição, utiliza informações provenientes das pesquisas realizadas pela e-bit junto de mais de 4.000 lojas virtuais e ao seu painel de e-consumidores. Pesquisa bitConsumidor Desde Janeiro de 2.000 a e-bit já coletou mais de 11,5 milhões de questionários respondidos após o processo de compras online pelo sistema bitConsumidor. Mensalmente, agrega a este volume mais de 200.000 novos questionários. Os dados da e-bit são coletados junto aos compradores online, imediatamente após sua experiência de compra. O bitConsumidor permite que, além de avaliar a loja e a experiência de compra, os compradores avaliem também o pós- venda, o serviço de atendimento e a probabilidade de retorno à loja virtual. Essas informações, compiladas, geram mensalmente relatórios de Inteligência de Mercado que indicam o perfil sócio demográfico do e-consumidor, bem como os produtos mais vendidos, meios de pagamento mais utilizados, entre outras informações.
  • 24ª edição 8 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Sumário Executivo Nos primeiros seis meses do ano foram faturados R$ 8,4 bilhões em bens de consumo via web. No primeiro semestre de 2010, o faturamento foi de R$ 6,8 bilhões, um acréscimo de 24% de um ano para o outro.  Os números de faturamento do primeiro semestre deste ano são superiores aos R$ 8,2 bilhões registrados durante todo o ano de 2008.  Dos novos entrantes do comércio eletrônico brasileiro, 61% possuíam renda familiar de até R$ 3 mil. O tíquete médio desse público foi de R$ 320,00. No primeiro semestre de 2011, 4 milhões de consumidores compraram pela primeira vez pelo e-commerce. Com esse número, chegamos a 27,4 milhões de e-consumidores que fizeram, ao menos, uma aquisição pela internet até hoje.  Foram realizados 25 milhões de pedidos em seis meses. A previsão é que , ao final de 2011 tenha-se, ao todo, 54 milhões de pedidos.  O Dia dos Namorados e o Dia das Mães contribuíram, juntos, com R$ 1,4 bilhão dos R$ 8,4 bilhões faturados no primeiro semestre de 2011.  Há grande dificuldade em encontrar mão-de-obra para o varejo eletrônico. Entre as empresas, 63% contrataram profissionais nos últimos seis meses, sendo que 79% dessas acharam que os candidatos não atendiam a todas as habilidades necessárias.  A pesquisa revelou que 34% dos profissionais de e-commerce recebem salários acima de R$ 5.000,00. Dos entrevistados, 40% ocupam os cargos de chefia - de coordenador (10%), gerente (24%) ou diretor (4%).  Dos usuários, 81% acessam a internet com a finalidade de fazer uma compra online, seja em uma loja virtual, em um clube de compras ou em um site de compras coletivas.  A utilização de internet banking ainda é um obstáculo entre os e-consumidores: 26% afirmaram não utilizar este serviço. Dentro desse universo, 58% dos usuários disseram não se sentir seguros com as operações bancárias online.  O perfil destes “não utilizadores de internet banking” é em sua maioria masculino, com maior graduação e renda mensal. Em contrapartida, as mulheres, apesar de darem mais credibilidade à essas operações, tem menos conhecimento sobre o funcionamento do internet banking.  Entre os usuários, 70% se sentem mais seguros atualmente com as compras pela internet, em relação ao ano de 2009.  Espera-se que o comércio eletrônico apresente um faturamento de R$ 18,7 bilhões ao final de 2011, o que representaria um acréscimo nominal em torno de 26% em relação a 2010, quando o setor faturou R$14,8 bilhões.  Aproximadamente 4,7 milhões de pessoas farão sua primeira compra virtual ao longo do segundo semestre do ano. Dessa forma, ao final do ano, chegaremos a 32 milhões de pessoas que fizeram, ao menos, uma compra online até hoje.  Com aproximadamente 29 milhões de pedidos previstos para o 2º semestre e a preferência dos e-consumidores em consumirem eletrodomésticos, eletrônicos, informática e moda e acessórios que lideram o ranking de categorias mais vendidas, a expectativa é que o tíquete médio no período gire em torno de R$ 350.
  • 24ª edição 9 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Estrutura do relatório PARTE I Os profissionais de e-commercePARTE II PARTE III PARTE IV A segurança virtual Expectativas para o 2º semestre de 2011 Balanço do 1º semestre de 2011
  • 24ª edição 10 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: PARTE I Balanço do 1º sem. de 2011
  • 24ª edição 11 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: O primeiro semestre de 2011 se encerrou e com ele a certeza de que o comércio eletrônico continua num caminho de ascendência. Somente nos primeiros seis meses do ano foram faturados R$ 8,4 bilhões em bens de consumo via web. Esse número comprova mais uma vez o crescimento que o setor vem apresentando nos últimos anos. No primeiro semestre de 2010, o faturamento foi de R$ 6,8 bilhões, um acréscimo de 24% de um ano para o outro. Para se ter uma idéia do volume de vendas eletrônicas no Brasil, os números de faturamento do primeiro semestre desse ano são superiores aos R$ 8,2 bilhões registrados durante todo o ano de 2008. Balanço do 1º semestre de 2011 Seis meses com números expressivos Faturamento R$ 8,4 bilhões Tíquete Médio R$ 355 Crescimento nominal em relação a 2010 24% Número de pedidos 25 milhões Balanço do 1º semestre de 2011 Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br) Existem motivos para entendermos o desenvolvimento do setor. Apesar de sofrer uma pequena retração no crescimento em comparação ao ano anterior, quando alguns fatores contribuíram de forma efetiva nos resultados, como a Copa do Mundo e a crescente aderência às vendas de produtos de maior valor agregado, o varejo virtual em 2011 traz fatores importantes no seu percurso. A entrada da baixa renda no canal é um deles - 61% dos novos entrantes no comércio eletrônico brasileiro possuíam renda familiar de até R$ 3 mil. O tíquete médio desse público foi de R$ 320,00.
  • 24ª edição 12 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Evolução do faturamento – 1os semestres (em bilhões) Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br) Balanço do 1º semestre de 2011 Um dos principais acontecimentos nesse primeiro semestre foi, inclusive, o número de e-consumidores. No período, 4 milhões de consumidores compraram pela primeira vez pelo e-commerce. Com esse número, chegamos a 27,4 milhões de e-consumidores que fizeram, ao menos, uma aquisição pela internet até hoje. O número de pedidos também chamou atenção: 25 milhões em seis meses! R$ 8,4 bi E-Commerce: Satisfação para quem compra! No que depender do e-consumidores, o comércio eletrônico não deve parar de evoluir. Muito embora questões logísticas tenham afetado o setor no primeiro semestre, os consumidores virtuais continuam seguros e confiantes em realizar compras via web. De acordo com dados levantados pela e-bit, em parceria com o Movimento Internet Segura (MIS), comitê da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), em média, 86,54% dos consumidores brasileiros ficaram satisfeitos com o comércio virtual no primeiro semestre. No mesmo período do ano passado, esse mesmo índice foi de 86,0%.
  • 24ª edição 13 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Balanço do 1º semestre de 2011 Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br) 85% - Patamar de excelência definido pela câmara.e-net As datas sazonais Uma das principais características do e-commerce são as datas sazonais, agregando números relevantes para o setor e representando grande fatia do faturamento. Para se ter uma idéia, o Dia dos Namorados e o Dia das Mães contribuíram com R$ 1,4 bilhão dos R$ 8,4 bilhões faturados no primeiro semestre de 2011. Em ambas as datas, houve uma forte movimentação na venda de „Moda e Acessórios‟. No Dia dos Namorados, por exemplo, a categoria figurou pela primeira vez na história do comércio eletrônico entre as 5 mais vendidas. Isso não só denota uma maior aceitação dos consumidores em adquirir roupas e vestuários pela internet, como também uma forte tendência em escolher esse tipo de produto para presentear pessoas próximas. 85% 86% 87% 88% 89% jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 Evolução Índice e-bit / Internet Segura de Confiança
  • 24ª edição 14 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: 1º Eletrodomésticos 13% 2º Informática 12% 3º Saúde, Beleza e Medicamentos 11% 4º Livros e Assinaturas de Jornais e Revistas 8% 5º Eletrônicos 6% Categoria de produtos mais vendidas – 1º semestre 2011 (em volume de pedidos) Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br) Balanço do 1º semestre de 2011 As categorias mais vendidas Os seis primeiros meses no varejo eletrônico promoveram uma disputa acirrada entre as categorias do setor. Estabilizando-se cada vez mais como a preferida entre os e-consumidores nos últimos anos, „Eletrodomésticos‟ ficou na primeira colocação, com 13% do volume total de pedidos, seguida de perto por „Informática‟ com 12% e „Saúde, beleza e medicamentos‟ com 11%. A categoria „Livros e Assinaturas de Revistas e Jornais‟, conhecida historicamente por liderar o setor, caiu para a 4ª colocação do ranking, com 8%. O Top 5 foi completado por „Eletrônicos‟, com 6%.
  • 24ª edição 15 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: PARTE II Os profissionais de e-commerce
  • 24ª edição 16 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Os profissionais de e-commerce Quem está por trás desse crescimento? O crescimento do comércio eletrônico brasileiro é feito com tecnologia e pessoas. Por trás desse crescimento há uma força de trabalho cada vez mais preocupada em melhorar suas habilidades para se diferenciar nesse mercado. Além disso, um grande contingente de vagas e oportunidades são abertas diariamente e as escolas tradicionais ainda não conseguem formar profissionais para atender essa demanda. Tendo isso em vista, a e-bit preparou para essa edição do relatório WebShoppers, em parceria com a Ecommerce School, uma pesquisa especial sobre o mercado de trabalho no e-commerce. Os números apresentados são baseados numa desk research feita pela Ecommerce School em sites de busca, comparação de preços, shoppings virtuais e plataformas de e-commerce. Também foram usados dados do Banco Central, IBGE, Sebrae e Ministério do Trabalho. Além disso foi feita pesquisa quantitativa com 282 lojas virtuais brasileiras. Do ponto de vista das lojas virtuais ativas, há grande dificuldade em encontrar mão-de-obra. Entre as lojas entrevistadas, 63% contrataram profissionais nos últimos seis meses, sendo que 79% dessas acharam que os candidatos não atendiam a todas as habilidades necessárias.
  • 24ª edição 17 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Ainda com relação aos que contrataram nos últimos seis meses, 64% chegaram até os candidatos através de indicação de amigos, parentes ou de alguém da empresa. É interessante ressaltar que 11% chegaram até os candidatos através de redes sociais. Depois de contratados, esses profissionais precisaram ser treinados para atuarem no e-commerce. Desses, 73% foram treinados pelo seu próprio gestor e apenas 3% não precisaram de treinamento. Quando perguntados sobre onde procuram se atualizar, 54% desses profissionais usam redes sociais tais como blogs, Twitter e Facebook, para buscar informações profissionais. Fonte: www.ecommerceschool.com.br e e-bit Informação www.ebitempresa.com.br Base: 282 Os profissionais de e-commerce
  • 24ª edição 18 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Os profissionais de e-commerce Quanto ganha um profissional de e-commerce? Com o aumento da demanda por profissionais, o mercado já começa a enfrentar uma rotatividade nos cargos de gerenciamento. Para manter esses profissionais, as empresas de médio e grande portes passaram a oferecer bônus mais agressivos na obtenção das metas. A pesquisa revelou que 34% dos profissionais de e-commerce recebem salários acima de R$ 5.000,00. Dos entrevistados, 40% ocupam os cargos de coordenador (10%), gerente (24%) ou diretor (4%). Nesses valores não foram considerados benefícios e bonificações. Fonte: www.ecommerceschool.com.br e e-bit Informação. www.ebitempresa.com.br Base: 282 Faixa salarial mensal
  • 24ª edição 19 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Os profissionais de e-commerce Ainda há muito por vir A respeito das habilidades necessárias para os futuros profissionais, a pesquisa identificou alguns pontos cujo conhecimento médio predomina. Esses pontos são os que abrirão mais oportunidades de trabalho, uma vez que demandarão cada vez mais profissionais especializados nesses assuntos. No caso de logística e expedição, apenas 42% dos profissionais declararam ter conhecimento ou muito conhecimento sobre o assunto. Grau de conhecimento que os profissionais de e-commerce possuem sobre as atividades abaixo hoje em dia Fonte: www.ecommerceschool.com.br e e-bit Informação www.ebitempresa.com.br Base: 282
  • 24ª edição 20 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: PARTE III Segurança virtual
  • 24ª edição 21 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Segurança virtual A segurança no comércio eletrônico O comércio eletrônico oferece diversas facilidades aos consumidores virtuais. No entanto, aspectos como segurança e falta de confiança ainda são obstáculos enfrentados por alguns. Atenta a esse fato, a e-bit realizou uma pesquisa específica para essa edição do WebShoppers, para tentar entender melhor a percepção dos usuários quando o assunto é segurança no e-commerce. O estudo foi realizado durante os dias 27/7/2011 e 29/7/2011 e contou com a resposta de 2.043 e-consumidores de todo o Brasil. A escolha pelo e-commerce Entre os respondentes, 69% relataram terem feito mais de quatro compras online nós últimos 6 meses. Ao mesmo tempo, apenas 3% disseram não ter efetuado nenhuma compra nesse mesmo período, sendo que, 56% desse total, afirmaram gostar de ver ou experimentar os produtos e serviços antes de efetuarem uma compra, enquanto que 19% não se sentem seguros em informarem os dados pessoais e do cartão de crédito. Não fiz compras 3% 1 vez 5% 2 a 3 vezes 24% 4 a 5 vezes 22% 6 a 10 vezes 20% Mais de 10 vezes 27% Base: 2.000 Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br) Compras virtuais realizadas nos últimos 6 meses
  • 24ª edição 22 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Segurança virtual Se analisarmos os motivos para se comprar online apontados no levantamento, a comodidade em comprar (93%) e a percepção de que os preços são mais baixos na internet (74%) aparecem como principais incentivadores. Já 15% afirmaram que compram online pois não existem lojas físicas da rede escolhida para a compra em sua cidade. Apesar de ainda sofrer com a desconfiança de uma fatia da população, a pesquisa comprovou que a internet é um canal de vendas importante e bastante procurado hoje em dia. O estudo apontou que 81% dos usuários acessam a internet com a finalidade de fazer uma compra online, seja em uma loja virtual, em um clube de compras ou em um site de compras coletivas. 95% 81% 79% 79% 74% 54% 34% 21% 19% 10% Verificar os e-mails Compras (lojas, shoppings virtuais, compras… Portais de notícias e entretenimento (Uol, Terra,… Sites de busca (Google, Bing, Cadê...) Internet banking Redes Sociais (Orkut, Facebook, Twitter,… Baixar músicas e assistir videos Jogos Chats (salas de bate-papo) e ferramentas de… Outros 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% Base: 2.043 Você costuma acessar a internet com qual(is) finalidade(s) ? Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br)
  • 24ª edição 23 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: O relatório também revelou que os e-consumidores estão cada vez mais maduros e precavidos em relação à segurança ao consumirem: 69% fazem suas compras de um computador pessoal, enquanto que 27% utilizam a máquina do trabalho para o mesmo fim. Já quando o assunto é a utilização de internet banking, 59% usufruem do serviço de um computador pessoal, ao mesmo tempo em que 34% realizam suas operações bancárias em um computador do trabalho. A utilização do internet banking, aliás, ainda é um obstáculo entre os e-consumidores: 26% não utilizam esse serviço. Dentro desse universo, 58% dos usuários afirmaram não se sentirem seguros com as operações bancárias online. O perfil destes “não utilizadores de internet banking” é em sua maioria masculino, com maior graduação e renda mensal. Em contrapartida as mulheres, apesar de darem mais credibilidade à essas operações, tem menos conhecimento sobre o funcionamento do internet banking. 58% 18% 5% 4% 3% 11% Acha inseguro realizar operações financeiras on-line Prefere ser atendido na agência, em vez de utilizar os serviços do site Problemas com suporte técnico Não possui conhecimento sobre o funcionamento do Internet banking Não conhece o potencial de serviços que podem ser realizados no site Outro motivo 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% Base: 533 Por qual motivo você não utiliza os serviços de internet banking ? Segurança virtual Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br)
  • 24ª edição 24 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Por que é seguro? A reputação das lojas virtuais e a segurança que ela transmite para seus clientes é algo relevante a ser levado em conta. De acordo com a pesquisa, 70% dos respondentes disseram que selos de certificações dados aos varejistas pela qualidade dos serviços prestados e produtos oferecidos durante a venda são os itens de segurança mais importantes a serem observados. Ainda de acordo com números revelados pela pesquisa, também 70% dos respondentes se sentem mais seguros com as compras na internet atualmente do que há dois anos, comprovando que o consumidor confia cada vez mais no e-commerce e nos serviços prestados pelas lojas virtuais. Muito mais seguro 21% Mais seguro 49% Igualmente seguro 23% Menos seguro 4% Muito menos seguro 1% Prefere não avaliar 3% Base: 2.000 Como você avalia a segurança em relação a realizar compras pela internet se compararmos com 1 ou 2 anos atrás ? Segurança virtual Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br)
  • 24ª edição 25 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: PARTE IV Expectativas para o 2º semestre de 2011
  • 24ª edição 26 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Expectativas para o 2º semestre de 2011 Evolução do faturamento – e-commerce (em bilhões) Começa o segundo tempo! No segundo semestre de 2011, as vendas online no Brasil devem continuar crescendo e, se a primeira parte do ano foi boa, a tendência é de continuidade daqui para frente, apesar da instabilidade econômica que vem afetando os mercados mundiais. Historicamente, 55% das vendas anuais pertencem ao período entre 1º de Julho e 31 de Dezembro, o que deve significar um faturamento total de R$ 10,3 bilhões em vendas durante a segunda parte do ano (excluindo compras coletivas, venda de automóveis, passagens aéreas e sites de leilão virtual). Sendo assim, espera-se que o comércio eletrônico apresente um faturamento de R$ 18,7 bilhões ao final de 2011, o que representaria um acréscimo nominal em torno de 26% em relação a 2010, quando o setor faturou R$14,8 bilhões. R$ 6,3 R$ 8,2 R$ 10,6 R$ 14,8 *R$ 18,7 2007 2008 2009 2010 *2011 Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br) * previsão
  • 24ª edição 27 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Expectativas para o 2º semestre de 2011 Um dos principais fatores para a maior fatia do faturamento do setor pertencer ao 2º semestre é o maior número de datas sazonais nesse período. Além de contar com o Dia dos Pais (01/08 a 14/08) e o Dia das Crianças (27/09 a 11/10), que já possuem grande participação financeira na fatia do e-commerce, no final do ano, o Natal chega como a data sazonal mais relevante e que contribui com maior volume de vendas para o setor. Em 2010, por exemplo, foram R$ 2,2 bilhões faturados em vendas de bens de consumo. O comércio eletrônico deve fechar 2011 com um alto número de e-consumidores em sua base. Espera-se que aproximadamente 4,7 milhões de pessoas façam sua primeira compra virtual ao longo do segundo semestre do ano. Dessa forma, ao final do ano, chegaremos a 32 milhões de pessoas que fizeram, ao menos, uma compra online até hoje. O dado se torna ainda mais relevante se pensarmos que, em apenas dois anos, esse número praticamente dobrou de tamanho (eram 17,6 milhões de e-consumidores em 2009). Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br) * previsão Evolução do número de e-consumidores (em Milhões)
  • 24ª edição 28 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Expectativas para o 2º semestre de 2011 Muitos pedidos em vista Com aproximadamente 29 milhões de pedidos previstos para o 2º semestre e a preferência dos e-consumidores em consumirem eletrodomésticos, eletrônicos, informática e moda e acessórios que lideram o ranking de categorias mais vendidas, a expectativa é que o tíquete médio no período gire em torno de R$ 350. *previsão Previsão de tíquete médio (evolução) Fonte: e-bit Informação (www.ebitempresa.com.br)
  • 24ª edição 29 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Créditos
  • 24ª edição 30 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Sobre a e-bit Presente no mercado brasileiro desde janeiro de 2000, a e-bit conquistou destaque no desenvolvimento do comércio eletrônico no país sendo referência no fornecimento de informações de e-commerce. A e-bit oferece serviços tanto para empresas como para o consumidor online. Para os consumidores, a e-bit para o aumento da confiança nas compras pela internet, publicando em seu site (www.ebit.com.br) o resultado das avaliações das pessoas que realmente compraram nas lojas virtuais conveniadas. Já, as informações sobre os serviços direcionados às empresas podem ser encontradas no site institucional da e-bit (www.ebitempresa.com.br) Principais Clientes
  • 24ª edição 31 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Sobre a camara-e.net A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), fundada em 07 de maio de 2001, é a principal entidade multi-setorial da Economia Digital no Brasil e América Latina, voltada ao negócio eletrônico como fator estratégico de desenvolvimento econômico sustentável no século XXI. Sua missão é a de capacitar indivíduos e organizações para a prática segura dos negócios eletrônicos, através da geração e difusão de conhecimento de vanguarda, bem como defendendo posições de consenso frente aos principais agentes públicos e privados, nacionais e internacionais, relacionados ao fomento das tecnologias da informação e comunicação. Entre as principais prioridades da camara-e.net está a formulação e proposição de políticas públicas, regulatórias e de mercado, que incentivem a produção e a universalização dos benefícios das tecnologias de informação e comunicação. Os 100 sócios da entidade representam empresas líderes dos principais setores da economia brasileira e mundial. Acesse www.camara-e.net.
  • 24ª edição 32 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Sobre a Ecommerce School A Ecommerce School (www.ecommerceschool.com.br) foi fundada em junho de 2007, sendo a primeira escola brasileira especializada em comércio eletrônico e mídias sociais. Entre os cursos oferecidos, destacam-se os de formação de Gerentes de Ecommerce, formação de Gerentes de Mídias Sociais e Curso de Ecommerce para Pequenas Empresas. Em 2011 ganhou como sócio o grupo GS&MD Gouvêa de Souza (www.gsmd.com.br), maior consultoria de varejo da América Latina e membro do Ebeltoft, (www.ebeltoftgroup.com) formado por consultores de mais de 15 países, especializados em varejo, business services e cross channel strategies. Atualmente a Ecommerce School tem dois livros publicados e forma mais de três mil profissionais em ecommerce e mídias sociais por ano, com um quadro docente de 50 professores entre os quais, donos de agências, autores de livros, diretores de empresas e experientes consultores. Acesse www.ecommerceschool.com.br
  • 24ª edição 33 Copyright e-bit – Todos os Direitos Reservados Apoio: Contatos www.ebitempresa.com.br Pedro Guasti Diretor Geral Alexandre Umberti Diretor de Marketing e Produtos negocios@ebit.com.br 55 11 3047-4999 www.camara-e.net Ludovino Lopes Presidente ludovinolopes@ludovinolopes.com.br 55 11 3231-0445 www.ecommerceschool.com.br Mauricio Salvador mauricio@ecommerceschool.com.br Sócio Diretor Alexandre Miranda alexandre@gsecommerce.com.br Diretor de pesquisas 55 11 3405-4223