Your SlideShare is downloading. ×
Bahai Faith  Anna's Presentation Portuguese
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Bahai Faith Anna's Presentation Portuguese

1,296
views

Published on

Apresentação da Ana.

Apresentação da Ana.


1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
1,296
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
70
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CONHECER A FÉ BAHÁ’Í
  • 2. “Aquilo que Deus ordenou como o remédio soberano e o mais poderoso instrumento para a cura do mundo, é a união de todos os seus povos numa Causa universal, numa Fé Comum.” Bahá’u’lláh
  • 3. Introdução A Fé Bahá’í é uma religião mundial. O seu propósito é unir todas as raças e povos numa Causa universal e numa Fé comum. Bahá’u’lláh significa “A Glória de Deus”. Os Seus seguidores são chamados bahá’ís. Nós acreditamos que Ele é o Prometido de todas as épocas. Bahá’u’lláh trouxe os ensinamentos de Deus e a guia para cumprir a promessa de um futuro quando a paz e a harmonia serão estabelecidas na Terra e a humanidade viverá em prosperidade. Nos Seus Escritos, Bahá’u’lláh diz: “Aquilo que Deus ordenou como o remédio soberano e o mais poderoso instrumento para a cura do mundo, é a união de todos os seus povos numa Causa universal, numa Fé Comum.”
  • 4. “Ó Filho do Homem! Amei a tua criação por isso te criei. Ama-Me, pois, para que Eu possa mencionar o teu nome, e inundar-te a alma com o espírito da vida.” Bahá’u’lláh
  • 5. Deus Deus não pode ser conhecido na Sua Essência. Isto significa que não importa quão inteligentes ou sábios sejamos, não podemos compreender a natureza de Deus. Uma mesa não pode entender a natureza do marceneiro que a criou. Da mesma forma, nós humanos que fomos criados por Deus, não podemos entender o nosso Criador. Deus é o Criador de todas as coisas. Ele criou os céus e também a terra com as suas montanhas e vales, os seus desertos e mares, os seus rios, prados e árvores. Deus criou os animais e Deus criou o ser humano. A razão da nossa criação, diz-nos Bahá’u’lláh, é o amor. Ele diz: “Ó Filho do Homem! Amei a tua criação por isso te criei. Ama-Me, pois, para que Eu possa mencionar o teu nome, e inundar-te a alma com o espírito da vida.”
  • 6. De acordo com o Convénio Eterno, Deus nunca nos deixa só, sem uma guia. Então, sempre que a humanidade se distancia de Deus, se esquece dos Seus ensinamentos e necessita da Sua ajuda, Ele provê-nos com uma das Suas Manifestações, Aquele que nos revelará a Vontade e o Propósito de Deus.
  • 7. Convénio Apesar da existência de Deus estar distante da nossa compreensão, o Seu amor toca incessantemente as nossas vidas e o nosso ser. O meio através do qual esse amor flúi até nós é através do Seu Convénio Eterno. Convénio significa um pacto ou promessa entre duas ou mais pessoas. De acordo com o Convénio Eterno, Deus nunca nos deixa só, sem uma guia. Então, sempre que a humanidade se distancia de Deus, se esquece dos Seus ensinamentos e necessita da Sua ajuda, Ele provê-nos com uma das Suas Manifestações, Aquele que revelará a nós a Vontade e o Propósito de Deus.
  • 8. Manifestação A palavra “manifestar” significa revelar, mostrar algo que não era conhecido anteriormente. As Manifestações de Deus são aqueles Seres especiais que revelam ao homem a Palavra e a Vontade de Deus. Quando o homem Os ouve (aos Manifestantes), está a ouvir a voz de Deus. Para compreender o conceito de “Manifestação”, vamos usar um exemplo. Neste mundo, o Sol é a fonte de todo o calor e luz, e sem o Sol não haveria vida na Terra. Porém o próprio Sol não vem até à Terra e nós não podemos chegar perto do Sol sem nos queimarmos e perecermos. No entanto, se pegarmos num espelho polido e o direccionarmos para o Sol, nós podemos ver uma imagem perfeita do Sol, sem que ele tenha que descer até nós. Da mesma maneira, Deus é o sol e o espelho as Suas Manifestações. Então, embora Deus esteja além do nosso alcance, os Manifestantes vêm até nós de tempos em tempos, vivem entre nós, dão-nos guia e enchem-nos com a energia que necessitamos para progredir material e espiritualmente.
  • 9. “Este é o Dia em que os mais excelentes favores de Deus manaram sobre os homens, o Dia em que a Sua graça suprema se infundiu em todas as coisas criadas. Todos os povos do mundo devem reconciliar as suas diferenças e, em paz e união perfeitas, abrigar-se à sombra da Árvore do Seu cuidado e da Sua benevolência.” Bahá’u’lláh
  • 10. Bahá’u’lláh - a Manifestação para hoje Todos os espelhos podem parecer diferentes, porém todos têm a mesma habilidade de reflectir a imagem do sol. De igual modo, todos os Manifestantes podem vir em diferentes formas. A Manifestação para a nossa época é Bahá’u’lláh. Os Ensinamentos de Bahá’u’lláh estão em perfeita harmonia com os Ensinamentos de todas as outras Manifestações, mas eles dirigem-se à condição actual da humanidade. Se por um momento pensar na condição corrente da humanidade, certamente irá concordar que o momento é próprio para outra Manifestação de Deus surgir. Bahá’u’lláh fala sobre o Dia em que vivemos: “Este é o Dia em que os mais excelentes favores de Deus manaram sobre os homens, o Dia em que a Sua graça suprema se infundiu em todas as coisas criadas. Todos os povos do mundo devem reconciliar as suas diferenças e, em paz e união perfeitas, abrigar-se à sombra da Árvore do Seu cuidado e da Sua benevolência.”
  • 11. “Quando surgir um pensamento de guerra, fazei-lhe oposição com um pensamento mais forte de paz. Um pensamento de ódio deve ser destruído por um mais poderoso pensamento de amor.” ‘Abdu’l-Bahá
  • 12. Unidade da Humanidade O objectivo da Fé Bahá’í é unir a humanidade. Nos ensinamentos bahá’ís é-nos dito que somos frutos de uma mesma árvore e folhas do mesmo ramo. Apesar de diferirmos uns dos outros física e emocionalmente, apesar de termos diferentes talentos e capacidades, nós todos viemos da mesma raiz; nós todos pertencemos à mesma árvore da família humana. A humanidade pode ser comparada a um vasto jardim, no qual crescem lado a lado flores de diferentes formatos, cores e perfumes. O charme e a beleza do jardim está na sua diversidade. Infelizmente, muitas guerras foram feitas e conflitos surgiram entre as nações e povos resultantes do ódio, ignorância, preconceitos e interesses egoístas. Na comunidade bahá’í, esforçamo-nos por alinhar os nossos pensamentos e acções com a nossa crença na unidade da humanidade. Nós devemos fazer todo o possível para superar os nossos preconceitos. ‘Abdu’l- Bahá disse: “Quando surgir um pensamento de guerra, fazei-lhe oposição com um pensamento mais forte de paz. Um pensamento de ódio deve ser destruído por um mais poderoso pensamento de amor.”
  • 13. Desde cedo na Sua infância, Bahá’u’lláh mostrou sinais de grandeza. Ele não precisou de ir à escola, pois era dotado por Deus de um conhecimento inato. Bahá’u’lláh era de família nobre e quando jovem foi-Lhe oferecida uma alta posição na corte do Rei, mas Ele recusou.
  • 14. A Vida de Bahá’u’lláh Bahá’u’lláh nasceu em 1817 em Teerão, a capital do Irão. Desde cedo na Sua infância, Bahá’u’lláh mostrou sinais de grandeza. Ele não precisou ir à escola, pois era dotado por Deus de um conhecimento inato. Bahá’u’lláh era de família nobre e quando jovem foi-Lhe oferecida uma alta posição na corte do Rei, mas Ele recusou. Ele queria dedicar o Seu tempo a ajudar os oprimidos, os doentes e os pobres, e ser defensor da causa da justiça. Tal era o amor de Bahá’u’lláh pela humanidade.
  • 15. A Maior Prisão - ‘Akká “Lembra-te dos Meus dias durante os teus dias, e da Minha angústia e Meu exílio nesta remota prisão. E sê tão constante em Meu amor que jamais o teu coração vacile, ainda que as espadas inimigas chovam sobre ti os seus golpes e todos nos céus e na terra se levantem contra ti.” Bahá’u’lláh
  • 16. Os Sofrimentos de Bahá’u’lláh Existem dois aspectos da vida de Bahá’u’lláh, que eu gostaria de mencionar em particular: 1) O sofrimento que Bahá’u’lláh suportou às mãos dos Seus opressores; 2) A tremenda influência que Ele teve nos corações e mentes das pessoas. Os sofrimentos de Bahá’u’lláh começaram no momento em que Ele Se levantou para proclamar a Causa de Deus. Ele foi perseguido, aprisionado e exilado. Ele foi confinado e acorrentado num calabouço sombrio e escuro por quatro meses. Ele foi exilado quatro vezes de um país para outro, finalmente sendo aprisionado na cidade- prisão de ‘Akká. A prisão de ‘Akká era a mais terrível prisão da época. Foram tão intensos os sofrimentos de Bahá’u’lláh que Ele mesmo a chamou de “A Maior Prisão”. Numa das Suas Epístolas lemos: “Lembra-te dos Meus dias durante os teus dias, e da Minha angústia e Meu exílio nesta remota prisão. E sê tão constante em Meu amor que jamais o teu coração vacile, ainda que as espadas inimigas chovam sobre ti os seus golpes e todos nos céus e na terra se levantem contra ti.”
  • 17. Apesar da constante perseguição, Bahá’u’lláh continuou a revelar a Palavra de Deus por mais de quarenta anos, trazendo tanto amor e energia espiritual ao mundo que a vitória final da Sua Causa era evidente.
  • 18. Os Triunfos de Bahá’u’lláh Todos os esforços foram feitos por dois corpos imperiais do rei do Irão e do imperador otomano em oposição a Bahá’u’lláh e aos Seus Ensinamentos. Eles queriam destruir esta nova religião. No entanto, a Luz da Verdade não pode ser extinta, ao contrário, aquela mesma água que é jogada sobre o fogo para o apagar, transforma-se em óleo e o fogo torna-se mais intenso. Nada poderia ser feito para parar a crescente influência de Bahá’u’lláh. Para quanto mais longe as autoridades O baniam, maior o número de pessoas que eram atraídas para os Seus Ensinamentos e que reconheciam o Seu Poder e Majestade. Apesar da constante perseguição, Bahá’u’lláh continuou a revelar a Palavra de Deus por mais de quarenta anos, trazendo tanto amor e energia espiritual ao mundo que a vitória final da Sua Causa era evidente.
  • 19. O Santuário de Bahá’u’lláh – Bahjí “A Beleza Antiga consentiu em ser confinada por grilhões, para que a humanidade fosse livrada da sua escravidão; aceitou o encarceramento nesta irredutível Cidadela, a fim de que o mundo inteiro atingisse a verdadeira liberdade. Até à última gota, sorveu Ele da taça da tristeza, para que todos os povos da Terra alcançassem a perene felicidade e se tornassem plenos de alegria.”
  • 20. A Ascensão de Bahá’u’lláh Bahá’u’lláh faleceu em 1892. O Seu Santuário (onde Ele foi sepultado) está situado perto da cidade de ‘Akká, e é considerado pelos bahá’ís como o Lugar Mais Sagrado da Terra. Bahá’u’lláh escreveu sobre os Seus sofrimentos: “A Beleza Antiga consentiu em ser confinada por grilhões, para que a humanidade fosse livrada da sua escravidão; aceitou o encarceramento nesta irredutível Cidadela, a fim de que o mundo inteiro atingisse a verdadeira liberdade. Até à última gota, sorveu Ele da taça da tristeza, para que todos os povos da Terra alcançassem a perene felicidade e se tornassem plenos de alegria.”
  • 21. O Báb foi a porta para o conhecimento de Deus e uma nova era na existência humana. Durante seis anos, Ele ensinou incessantemente que o aparecimento do novo Manifestante de Deus estava próximo e preparou o caminho para a Sua vinda. Ele ensinou as pessoas a purificarem os seus corações para que pudessem reconhecer O Prometido quando Ele viesse.
  • 22. A Posição do Báb O Báb é outra Figura Central da Fé Bahá’í. Antes do aparecimento da Manifestação de Deus, existe sempre alguém que vem antes para anunciar a Sua chegada. Alguns anos antes de Bahá’u’lláh proclamar a Sua Missão, Deus enviou um Mensageiro especial para anunciar a Sua chegada. Este grande Mensageiro foi intitulado “O Báb” que significa “a Porta”. Ele foi a porta para o conhecimento de Deus e para uma nova era na existência humana. Durante seis anos, Ele ensinou incessantemente que o aparecimento do novo Manifestante de Deus estava próximo e preparou o caminho para a Sua vinda. Ele ensinou as pessoas a purificarem os seus corações para que pudessem reconhecer O Prometido quando Ele viesse.
  • 23. “ Há quem remova as dificuldades a não ser Deus? Dize: Louvado seja Deus! Ele é Deus! Todos são Seus servos e todos aquiescem aos Seus Mandamentos!” “Dize: Deus é suficiente para todas as coisas, acima de todas as coisas, e nada nos céus e na terra, a não ser Deus, é suficiente. Em verdade, Ele é em si próprio o Conhecedor, o Sustentáculo, o Todo-Poderoso.” O Báb
  • 24. A Vida do Báb Milhares e milhares de pessoas aceitaram a Mensagem do Báb e começaram a seguir os Seus Ensinamentos. Mas o governo do Irão e o poderoso clero que governava as massas levantaram-se contra Ele. Os Seus seguidores foram perseguidos e uma grande quantidade foi morta. O próprio Báb, aos 31 anos foi martirizado por 750 soldados. Por ordem do governo, eles suspenderam-No numa praça e, com as suas espingardas, atiraram contra Ele. Para mostrar o quão penetrantes as palavras do Báb são, vamos lembrar duas das Suas orações: “ Há quem remova as dificuldades a não ser Deus? Dize: Louvado seja Deus! Ele é Deus! Todos são Seus servos e todos aquiescem aos Seus Mandamentos!” “Dize: Deus é suficiente para todas as coisas, acima de todas as coisas, e nada nos céus e na terra, a não ser Deus, é suficiente. Em verdade, Ele é em si próprio o Conhecedor, o Sustentáculo, o Todo-Poderoso.”
  • 25. O Santuário do Báb No Monte Carmelo, Haifa, Israel
  • 26. O Santuário do Báb Após o Seu martírio, o corpo do Báb foi atirado fora dos portões da cidade. Os Seus seguidores recuperaram os restos mortais e levaram-No de um lugar para o outro, escondendo-O sempre dos inimigos da Fé. Finalmente, eles transferiram-No para o Monte Carmelo, na Terra Santa.
  • 27. O Convénio de Bahá’u’lláh Em muitas religiões, após o falecimento do Manifestante de Deus, os Seus seguidores não conseguiram entrar em acordo e, como resultado, a religião foi dividida em muitas seitas. Bahá’u’lláh protegeu a Sua Fé contra tais divisões, adornando-a com um poder único, o poder do Convénio. Antes da Sua ascensão, Bahá’u’lláh declarou claramente por escrito que, após Ele, todos os bahá’ís deveriam volver-se para ‘Abdu’l-Bahá e seguir a Sua guia. ‘Abdu’l-Bahá, filho mais velho de Bahá’u’lláh, foi também nomeado o único Intérprete das Suas Palavras e o Centro do Seu Convénio. Ele foi criado pelo próprio Bahá’u’lláh, tendo reconhecido a Sua Posição ainda quando criança, e partilhado os sofrimentos do Seu Pai.
  • 28. O Centro do Convénio O Intérprete das escrituras de Bahá’u’lláh ‘Abdu’l-Bahá
  • 29. A vida de ‘Abdu’l-Bahá ‘Abdu’l-Bahá nasceu na mesma noite em que o Báb declarou a Sua Missão em 1844, e morreu em Novembro de 1921, aos 77 anos. O próprio Bahá’u’lláh educou ‘Abdu’l-Bahá para desenvolver todas as qualidades de um verdadeiro bahá’í. Ele foi o presente mais precioso jamais dado à humanidade, pois Ele é para todos os bahá’ís o exemplo perfeito, através de Quem nós aprendemos as qualidades espirituais como amor, bondade, paciência que Bahá’u’lláh quer que toda a humanidade tenha. Depois da ascensão de Bahá’u’lláh, a responsabilidade para com a comunidade bahá’í caiu sobre os Seus ombros, e Ele trabalhou dia e noite para espalhar a Fé através do oriente e ocidente. Ele escreveu milhares de Epístolas a indivíduos e grupos em todos os lugares e esclareceu os Ensinamentos do Seu Pai. As Suas interpretações são agora uma parte essencial dos Textos da Fé Bahá’í. Focando em ‘Abdu’l-Bahá como o Centro do Convénio de Bahá’u’lláh, os bahá’ís do mundo permanecem unidos nos seus esforços para viver a vida bahá’í e para criar uma nova civilização.
  • 30. Bahá’u’lláh diz que as Suas leis são “as lâmpadas da Minha amorosa providência entre os Meus servos, e as chaves da Minha clemência para as Minhas criaturas. ...Observai os Meus Mandamentos por amor à Minha beleza.”
  • 31. Leis Bahá’ís Cada Manifestação de Deus traz para a humanidade leis e mandamentos a fim de nos guiar ao caminho recto. Algumas destas leis e mandamentos são eternos, outros modificam-se à medida que a humanidade progride e evolui. Na Fé Bahá’í, nós não deveríamos pensar que as leis bahá’ís são um conjunto de “faça” ou “não faça”. Bahá’u’lláh diz-nos que as Suas leis são “as lâmpadas da Minha amorosa providência entre os Meus servos, e as chaves da Minha clemência para as Minhas criaturas”. Não devemos obedecer a estas leis por medo de uma punição pois, Ele, claramente declarou no Seu Livro Mais Sagrado: “Observai os Meus Mandamentos por amor à Minha beleza.” Para entender melhor estas ideias, nós vamos dar alguns exemplos de leis bahá’ís.
  • 32. Orar é conversar com Deus. Se uma pessoa ama outra, o seu desejo mais ardente é conversar com a pessoa amada e estar na presença dessa pessoa.
  • 33. Oração No mundo físico, o ser humano tem que se alimentar diariamente. Este é um requisito do corpo humano; se não o fizermos, ficaremos doentes e, eventualmente, morreremos. Podemos dizer então que comer é uma lei física da existência que deve ser obedecida. Da mesma forma, um dos mandamentos de Bahá’u’lláh é que devemos orar todos os dias. Tal como o nosso corpo, a nossa alma precisa de constante nutrição, e a oração provê a nutrição para o nosso crescimento espiritual. Através da oração, Deus abençoa o trabalho do homem e auxilia-o em todas as coisas. Existem muitas belas orações reveladas pelo Báb, por Bahá’u’lláh e por ‘Abdu’l-Bahá, que podemos dizer quando estamos sozinhos, ou recitar em reuniões. Algumas destas orações são especiais, e outras obrigatórias. Orar é conversar com Deus. Se uma pessoa ama outra, o seu desejo mais ardente é conversar com a pessoa amada e estar na presença dessa pessoa. Portanto, como um sinal do seu amor por Deus, o bahá’í anseia conversar com Ele, por outras palavras, orar diariamente.
  • 34. Oração Obrigatória “Dou testemunho, ó meu Deus, de que Tu me criaste para Te conhecer e adorar. Confesso, neste momento, a minha incapacidade e o Teu poder, a minha pobreza e a Tua riqueza. Não há outro Deus além de Ti, o Amparo no Perigo, O que subsiste por Si próprio.” Bahá’u’lláh
  • 35. Oração obrigatória Uma oração obrigatória é recitada pelos bahá’ís entre o meio-dia e o pôr-do-sol. Ela diz: “Dou testemunho, ó meu Deus, de que Tu me criaste para Te conhecer e adorar. Confesso, neste momento, a minha incapacidade e o Teu poder, a minha pobreza e a Tua riqueza. Não há outro Deus além de Ti, o Amparo no Perigo, O que subsiste por Si próprio.”
  • 36. Se nós vemos dez qualidades boas e um defeito numa pessoa, devemo-nos concentrar nas qualidades, e mesmo que uma pessoa tenha dez defeitos e apenas uma qualidade boa, deveríamo-nos concentrar naquela qualidade.
  • 37. Murmuração e Calúnia Bahá’u’lláh proibiu a murmuração e a calúnia. Isto é importante pois, se pensarmos bem, um dos maiores inimigos da unidade é a murmuração. Quando todos estão apenas preocupados com os erros dos outros, os erros tornam-se cada vez maiores à medida que são constantemente mencionados. ‘Abdu’l-Bahá diz-nos para fazermos exactamente o contrário. Se nós vemos dez qualidades boas e um defeito numa pessoa, devemo-nos concentrar nas qualidades, e mesmo que uma pessoa tenha dez defeitos e apenas uma qualidade boa, deveríamos concentrar-nos naquela qualidade.
  • 38. “Ó Companheiro do Meu Trono! Nenhum mal deves tu ouvir, nem ver; não te rebaixes, nem suspires, nem chores. Nenhum mal deves falar, para que não o ouças falado de ti; nem aumentes as faltas alheias, a fim de que as tuas próprias não se afigurem grandes. Não desejes a humilhação de ninguém, para que não se torne evidente a tua própria humilhação. Vive, pois, os dias da tua vida, os quais são menos que um momento fugaz, mantendo sem mancha a tua mente, imaculado o teu coração, puros os teus pensamentos e santificada a tua natureza, de modo que, livre e contente, possas abandonar essa forma mortal, recolher-te ao paraíso místico e habitar, para todo o sempre, no reino eterno.” Bahá’u’lláh
  • 39. Não escute nem veja o Mal Bahá’u’lláh diz: “Ó Companheiro do Meu Trono! Nenhum mal deves tu ouvir, nem ver; não te rebaixes, nem suspires, nem chores. Nenhum mal deves falar, para que não o ouças falado de ti; nem aumentes as faltas alheias, a fim de que as tuas próprias não se afigurem grandes. Não desejes a humilhação de ninguém, para que não se torne evidente a tua própria humilhação. Vive, pois, os dias da tua vida, os quais são menos que um momento fugaz, mantendo sem mancha a tua mente, imaculado o teu coração, puros os teus pensamentos e santificada a tua natureza, de modo que, livre e contente, possas abandonar essa forma mortal, recolher-te ao paraíso místico e habitar, para todo o sempre, no reino eterno.” ~
  • 40. “Ó Filho do Espírito! Eu te criei rico; por que te empobreces? Nobre te fiz; com o que te rebaixas? Da essência da sabedoria, Eu te concedi a existência; por que buscas iluminação de outro, senão de Mim? Da argila do amor, te moldei; como é que te ocupas com outro? Volta os teus olhos para ti mesmo, a fim de que, dentro de ti, Me possas encontrar, forte, poderoso, O que subsiste por Si próprio.” Bahá’u’lláh
  • 41. Proibição de Álcool e Uso de Drogas A ingestão de bebidas alcoólicas é realmente uma das grandes doenças sociais existentes actualmente no mundo. É uma das causas mais comuns de violência e ruína de uma vida familiar saudável. Deus deu-nos um dom, um dom especial que nos diferencia dos animais; este é o dom do intelecto. Quando consumimos bebidas alcoólicas perdemos este dom, tornamo-nos como os animais e, até mesmo, algumas vezes, somos capazes de matar um amigo. A bebida alcoólica torna as pessoas capazes de agir de forma vergonhosa, enquanto que nós fomos criados nobres. Bahá’u’lláh diz: “Ó Filho do Espírito! Eu te criei rico; por que te empobreces? Nobre te fiz; com o que te rebaixas? Da essência da sabedoria, Eu te concedi a existência; por que buscas iluminação de outro, senão de Mim? Da argila do amor, te moldei; como é que te ocupas com outro? Volta os teus olhos para ti mesmo, a fim de que, dentro de ti, Me possas encontrar, forte, poderoso, O que subsiste por Si próprio.”
  • 42. “... os bem-amados de Deus e as servas do Misericordioso devem educar os seus filhos de corpo e alma, e ensiná-los na escola da virtude e da perfeição. Não devem descuidar deste dever, não podem ser ineficientes. Na verdade, se um bebé por qualquer razão não sobrevivesse, isso seria melhor do que deixá-lo crescer ignorante, pois aquele bebé inocente, mais tarde, nesta vida, tornar-se-ia vítima de inumeráveis defeitos, responsável perante Deus e por Ele questionado sobre a sua vida, como também recriminado e rejeitado pelo povo. Que pecado seria e que omissão!” ‘Abdu’l-Bahá
  • 43. Educação das Crianças Outro dos Ensinamentos de Bahá’u’lláh, é a educação das crianças. Nós acreditamos que é obrigação dos pais e da sociedade educar as crianças. As crianças devem receber educação espiritual, bem como uma educação material. É dever dos pais, diz Bahá’u’lláh, assegurar que os seus filhos adquirem qualidades espirituais, bem como conhecimentos úteis e uma profissão que lhes irá possibilitar uma vida produtiva. ‘Abdu’l-Bahá diz: “... os bem-amados de Deus e as servas do Misericordioso devem educar os seus filhos de corpo e alma, e ensiná-los na escola da virtude e da perfeição. Não devem descuidar deste dever, não podem ser ineficientes. Na verdade, se um bebé por qualquer razão não sobrevivesse, isso seria melhor do que deixá-lo crescer ignorante, pois aquele bebé inocente, mais tarde, nesta vida, tornar-se-ia vítima de inumeráveis defeitos, responsável perante Deus e por Ele questionado sobre a sua vida, como também recriminado e rejeitado pelo povo. Que pecado seria e que omissão!”
  • 44. O trabalho dos bahá’ís é a construção de uma civilização mundial.
  • 45. O Trabalho de um Bahá’í A Fé Bahá’í é uma religião e não simplesmente uma compilação de boas ideias. De facto, é uma religião muito bem organizada, cujo objectivo é nada menos que a unificação da inteira raça humana. Portanto, o trabalho dos bahá’ís é a construção de uma civilização mundial. A Casa Universal de Justiça diz-nos que existem três participantes neste trabalho, cada um desempenha um papel muito importante: 1) O Indivíduo; 2) A Comunidade; 3) As Instituições da Fé.
  • 46. O Indivíduo É dever do crente individual manter-se firme no Convénio, procurar diariamente manter o seu dia a dia de acordo com os ensinamentos de Bahá’u’lláh e servir a humanidade, sempre consciente do facto que a vida não termina com a morte e que a nossa relação com Deus é eterna. Após a morte, as nossas almas tornam-se livres e continuam a progredir em direcção a Deus por toda a eternidade. As nossas vidas aqui são como a vida de uma criança no ventre da sua mãe. Durante nove meses, o bebé desenvolve faculdades: olhos, ouvidos, mãos e assim por diante, para serem usadas mais tarde neste mundo. Da mesma forma, nós devemos desenvolver aqui as faculdades espirituais que necessitamos para progredir nos outros mundos de Deus. Para alcançar isto, não podemos esperar sentados e ficar a pensar nisto, nós temos que trabalhar, servir o nosso semelhante e partilhar o nosso conhecimento com os outros.
  • 47. “A Pena do Altíssimo decretou e impôs a cada um a obrigação de ensinar esta Causa... Deus inspirará, sem nenhuma dúvida, qualquer um que de tudo se desprenda, salvo d’Ele, e fará com que as águas puras da sabedoria e das palavras expressas, jorrem e fluam copiosamente do seu coração. Verdadeiramente, o teu Senhor, o Todo-Misericordioso, é potente para fazer o que Lhe apraz e ordena qualquer coisa que Ele queira.” Bahá’u’lláh
  • 48. Ensino Outro privilégio que os bahá’ís têm em relação à sua Fé é contar aos outros sobre Bahá’u’lláh e a Sua Mensagem. Eles não precisam estudar numa escola especial. Cada um, de acordo com a sua capacidade, partilha com a família e os amigos o que sabem sobre Bahá’u’lláh e os Seus Ensinamentos. Bahá’u’lláh disse: “A Pena do Altíssimo decretou e impôs a cada um a obrigação de ensinar esta Causa... Deus inspirará, sem nenhuma dúvida, qualquer um que de tudo se desprenda, salvo d’Ele, e fará com que as águas puras da sabedoria e das palavras expressas, jorrem e fluam copiosamente do seu coração. Verdadeiramente, o teu Senhor, o Todo-Misericordioso, é potente para fazer o que Lhe apraz e ordena qualquer coisa que Ele queira. Fosses tu considerar este mundo e compreender como são efémeras as coisas que lhe pertencem, outra senda não te dignarias trilhar, senão a senda do serviço à Causa do teu Senhor. Ninguém teria o poder de te impedir de celebrar o Seu louvor, embora todos os homens contra ti se levantassem.”
  • 49. A comunidade mundial bahá’í está constantemente aexpandir-se e a atrair pessoas de todas as religiões, raças e nacionalidades.
  • 50. A Comunidade Os seres humanos não foram criados para viverem sozinhos. Nós vivemos em comunidade e devemos trabalhar juntos para construir uma nova civilização. A comunidade mais próxima de nós é a local, que compreende os bahá’ís do nosso bairro ou cidade. É na comunidade local que aprendemos a cooperar uns com os outros, a crescer juntos e a tornarmo-nos unidos. Além de sermos membros da comunidade local, somos também, membros da comunidade nacional e da comunidade mundial bahá’í que está constantemente a expandir-se e a atrair pessoas de todas as religiões, raças e nacionalidades.
  • 51. A instituição suprema e mundial para os bahá’ís é a Casa Universal de Justiça. E em cada país, os bahá’ís elegem uma vez por ano, a Assembleia Espiritual Nacional; já em cada localidade, temos uma Assembleia Espiritual Local. É a Assembleia Espiritual Local que guia os afazeres da comunidade e cuida do bem-estar individual dos crentes.
  • 52. As Instituições da Fé Na Fé Bahá’í, Bahá’u’lláh trouxe a Sua própria Ordem Administrativa, a qual, ao contrário de outras religiões onde os seguidores da Manifestação tinham muito pouca indicação de como se organizarem, Bahá’u’lláh disse que instituições devemos criar, como elas devem funcionar e como a humanidade deve ser governada. A instituição suprema e mundial para os bahá’ís é a Casa Universal de Justiça. E em cada país, os bahá’ís elegem uma vez por ano, a Assembleia Espiritual Nacional; já em cada localidade, temos uma Assembleia Espiritual Local. É a Assembleia Espiritual Local que guia os afazeres da comunidade e cuida do bem-estar individual dos crentes. Uma Assembleia Espiritual Local consiste em nove membros eleitos numa atmosfera de orações, por voto secreto por todos os crentes adultos da comunidade. As Assembleias Espirituais são extremamente importantes para os bahá’ís. Através delas aprendemos como os afazeres humanos devem ser administrados e como uma nova ordem mundial pode ser estabelecida na sociedade, uma ordem a qual será conhecida como a Ordem Mundial de Bahá’u’lláh.
  • 53. “Eles devem comprovar a sua vontade de ser bahá’ís através de acções e não pelo nome. O verdadeiro bahá’í é aquele que luta dia e noite para progredir e avançar no caminho que transcende o humano, cujo desejo mais ardente é viver e agir de tal forma que enriqueça e ilumine o mundo, cujo propósito de vida é comportar-se de tal forma que venha a ser causa de infinito progresso. Apenas quando obtiver tais qualidades perfeitas poderá dizer-se que ele é um verdadeiro bahá’í.” ‘Abdu’l-Bahá
  • 54. Epílogo Esta foi uma breve explicação sobre a Fé Bahá’í. Para ser um bahá’í, não é necessário passar por nenhum ritual especial. O que é essencial é aceitar no seu coração que Bahá’u’lláh é a Manifestação de Deus para esta época, e que Ele revelou a Palavra e a Guia de Deus. É importante compreender que um bahá’í, depois de aceitar Bahá’u’lláh, começa conscientemente a aplicar os Seus ensinamentos na sua vida e luta, dia e noite, para aumentar a sua compreensão da Fé Bahá’í. ‘Abdu’l-Bahá disse: “Eles devem comprovar a sua vontade de ser bahá’ís através de acções e não pelo nome. O verdadeiro bahá’í é aquele que luta dia e noite para progredir e avançar no caminho que transcende o humano, cujo desejo mais ardente é viver e agir de tal forma que enriqueça e ilumine o mundo, cujo propósito de vida é comportar-se de tal forma que venha a ser causa de infinito progresso. Apenas quando obtiver tais qualidades perfeitas poderá dizer-se que ele é um verdadeiro bahá’í.”
  • 55. Prece para o Crescimento Espiritual “Ó Deus! Refresca e alegra o meu espírito. Purifica o meu coração. Ilumina os meus poderes. Nas Tuas mãos confio todos os meus interesses. És o meu guia e o meu refúgio. Não mais se apossarão de mim a tristeza e a ansiedade, e sim, o contentamento e a alegria. Ó Deus, jamais me entregarei à aflição, nem permitirei que os desgostos me atormentem ou que as coisas desagradáveis da vida me inquietem. Ó Deus! És mais meu amigo do que eu o sou de mim mesmo. Dedico-me a Ti, ó Senhor.” ‘Abdu’l-Bahá
  • 56. Prece para o Crescimento Espiritual “Ó Deus! Refresca e alegra meu espírito. Purifica o meu coração. Ilumina os meus poderes. Nas Tuas mãos confio todos os meus interesses. És o meu guia e o meu refúgio. Não mais se apossarão de mim a tristeza e a ansiedade, e sim, o contentamento e a alegria. Ó Deus, jamais me entregarei à aflição, nem permitirei que os desgostos me atormentem ou que as coisas desagradáveis da vida me inquietem. Ó Deus! És mais meu amigo do que eu o sou de mim mesmo. Dedico-me a Ti, ó Senhor.” ‘Abdu’l-Bahá
  • 57. TEXTOS SAGRADOS PARA INSPIRAR OS INSTRUTORES ANTES DE INICIAREM SUAS APRESENTAÇÕES De Bahá’u’lláh: Ensinai a Causa de Deus, ó povo de Bahá, pois Deus prescreveu a cada um o dever de proclamar Sua Mensagem. Considerai-a como o mais meritório de todos os actos. Pela justiça de Deus! Se qualquer um abrir os lábios neste Dia e fizer menção do nome de seu Senhor, as hostes da inspiração Divina sobre ele descerão do céu de Meu Nome, o Omnisciente, a Suma Sabedoria. Sobre ele haverá de baixar também a Assembleia do alto, cada um erguendo um cálice de pura luz. Assim foi preordenado no domínio da Revelação de Deus, a mando dAquele que é o Todo-Glorioso, o Potentíssimo. Por Deus, além do qual não há outro Deus! Se alguém se levantar para o triunfo de Nossa Causa, Deus o fará vitorioso, embora dezenas de milhares de inimigos se aliem contra ele. E se seu amor por Mim se tornar mais forte, Deus estabelecerá ascendência sobre todos os poderes da Terra e do céu. Desta forma insuflamos o espírito do poder em todas as regiões. O que Ele reservou para Si próprio são as cidadelas dos corações dos homens, das quais os bem-amados dAquele que é a Verdade Soberana são, neste Dia, como as chaves. Queira Deus que a eles, cada um e todos, seja possibilitado descerrar, através do poder do Maior Nome, os portais dessas cidades. Incumbe-lhes escolher a confiança em Deus como a melhor provisão para sua jornada e vestir-se do amor de seu Senhor, o Excelso, o Todo- Glorioso. Se assim fizerem, suas palavras haverão de influenciar os seus ouvintes. Se alguém, neste Dia, se levantar para promover Nossa Causa, convocando em seu auxílio as hostes de um carácter louvável e conduta íntegra, a influência que emana de tal acção será difundida, com absoluta certeza, pelo mundo inteiro.
  • 58. Do Báb: É melhor guiar uma só alma do que possuir tudo o que está na terra, pois enquanto essa alma guiada estiver à sombra da árvore da Unidade Divina, ambas, tanto ela como a pessoa que a guiou, serão recipientes da terna misericórdia de Deus, ao passo que a possessão das coisas terrenas cessará na ocasião da morte. De ‘Abdu’l-Bahá: Volve a face ao Reino de Deus, roga pelas dádivas do Espírito Santo, e fala: as confirmações do Espírito hão de vir. Fala, pois; fala com grande coragem em cada reunião. Quando estás a ponto de começar teu discurso, volve-te primeiro a Bahá’u’lláh, pedindo a confirmação do Espírito Santo, então abre os lábios e dize o que for sugerido a teu coração - isto, porém com a maior coragem, dignidade e convicção.
  • 59. Aos Instrutores O livro 6, Ensinar a Causa, do Instituto Ruhí, potencializa a capacidade de ensinar dos participantes. Ensinar é um dever sagrado de todos os bahá’ís; faz conectar o coração humano à Revelação de Bahá’u’lláh e coloca em movimento um processo de transformação espiritual. Este instrumento de ensino foi preparado baseado nas secções de 6 a 20 de “O Acto de Ensinar” do livro 6 (Ensinar a Causa) com o objectivo de aperfeiçoar as nossas capacidades e habilidades como instrutores da Causa nos nossos esforços de ensino directo. - Focaliza-se nos conceitos e informações que deveriam ser apresentados quando explicamos a Fé Bahá’í no decurso de ensinar um amigo. - Inclui Textos Sagrados seleccionados a fim de que possamos atrair o poder da Palavra de Deus para os nossos esforços de ensino dando, deste modo, a Mensagem de Bahá’u’lláh na forma mais pura possível. - Foi preparado para nos permitir mostrar um visual ao amigo a quem estamos a ensinar, enquanto nós seguimos os conceitos principais e a informação na outra página. - Enquanto estiver a ensinar, sugere-se que convide o amigo a participar, lendo em voz alta os textos/orações na página com o visual. - Se não for possível apresentar todo o conteúdo numa visita, uma anotação poderá ser feita para que possamos continuar na próxima visita. - Este instrumento de ensino baseia-se na versão mais recente do Instituto Ruhí e em reflexões sobre experiências de ensino.
  • 60. Informações sobre os Cursos de Capacitação: Conselho Coordenador do Instituto E-mail: cci@bahai.pt Para mais Informações sobre a Fé Bahá’í: E-mail: gae@bahai.pt Comunidade Bahá’í de Portugal Avenida Ventura Terra, 1 1600 Lisboa www.bahai.pt Para adquirir livros bahá’ís: www.editorabahai.com Título original em inglês: Getting to Know the Bahá’í Faith (preparado pela Assembleia Espiritual Nacional dos Bahá’ís da Malásia) © 2008 Todos os direitos em português reservados para: EDITORA Bahá’í DO BRASIL Caixa Postal 1085; 13800-973 Mogi Mirim SP; www.editorabahaibrasil.com.br ISBN: 978-85-320-0174-0 2a Edição: 2008. Revisão: Conselho Coordenador do Instituto