Your SlideShare is downloading. ×
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Documentação do projeto
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Documentação do projeto

261

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
261
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEUFACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS EXATAS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FERRAMENTA DE SUPORTE À GESTÃO DE TESTES DE SOFTWARE SÃO PAULO 2009 1
  • 2. FERRAMENTA DE SUPORTE ÀGESTÃO DE TESTES DE SOFTWARE ORIENTAÇÃO: PROFESSORA ANA PAULA GONÇALVES SERRA COORIENTAÇÃO: PROFESSOR JOSÉ RICARDO FIGUEIREDO VAZ ARTUR OISHI RA: 200605360 JULIANA FERREIRA RA: 200604766 ROSA MOURA RA: 200609046 RODRIGO MONTEIRO RA: 200609118 THIAGO SOUZA RA: 200607629 2
  • 3. SUMÁRIOINTRODUÇÃO......................................................................................................6REQUISITOS DO SISTEMA................................................................................91.Breve Descrição.............................................................................................132.Fluxo Básico..................................................................................................133.Fluxos Alternativos.......................................................................................154.Requisitos Especiais.....................................................................................175.Pré-condições................................................................................................176.Pós-condições...............................................................................................177.Pontos de Extensão......................................................................................171.Breve Descrição.............................................................................................182.Fluxo Básico..................................................................................................183.Fluxos alternativos........................................................................................204.Requisitos Especiais.....................................................................................235.Pré-condições................................................................................................236.Pós-condições...............................................................................................237.Pontos de Extensão......................................................................................231.Breve Descrição.............................................................................................242.Fluxo Básico..................................................................................................243.Fluxos alternativos........................................................................................264.Requisitos Especiais.....................................................................................275.Pré-condições................................................................................................276.Pós-condições...............................................................................................277.Pontos de Extensão......................................................................................271.Breve Descrição.............................................................................................282.Fluxo Básico..................................................................................................283.Fluxos Alternativos.......................................................................................304.Requisitos Especiais.....................................................................................335.Pré-condições................................................................................................336.Pós-condições...............................................................................................33 3
  • 4. 7.Pontos de Extensão......................................................................................331.Breve Descrição.............................................................................................342.Fluxo Básico..................................................................................................343.Fluxos Alternativos.......................................................................................364.Requisitos Especiais.....................................................................................415.Pré-condições................................................................................................416.Pós-condições...............................................................................................417.Pontos de Extensão......................................................................................411.Breve Descrição.............................................................................................422.Fluxo Básico..................................................................................................423.Fluxos Alternativos.......................................................................................454.Requisitos Especiais.....................................................................................505.Pré-condições................................................................................................506.Pós-condições...............................................................................................507.Pontos de Extensão......................................................................................501.Breve Descrição.............................................................................................512.Fluxo Básico..................................................................................................513.Fluxos Alternativos.......................................................................................544.Requisitos Especiais.....................................................................................625.Pré-condições................................................................................................626.Pós-condições...............................................................................................627.Pontos de Extensão......................................................................................621.Breve Descrição.............................................................................................632.Fluxo Básico..................................................................................................633.Fluxos Alternativos.......................................................................................684.Requisitos Especiais.....................................................................................745.Pré-condições................................................................................................746.Pós-condições...............................................................................................747.Pontos de Extensão......................................................................................741.Breve Descrição.............................................................................................752.Fluxo Básico..................................................................................................753.Fluxos alternativos........................................................................................774.Requisitos Especiais.....................................................................................81 4
  • 5. 5.Pré-condições................................................................................................816.Pós-condições...............................................................................................817.Pontos de Extensão......................................................................................811.Breve Descrição.............................................................................................822.Fluxo Básico..................................................................................................823.Fluxos alternativos........................................................................................844.Requisitos Especiais.....................................................................................855.Pré-condições................................................................................................856.Pós-condições...............................................................................................857.Pontos de Extensão......................................................................................851.Breve Descrição.............................................................................................862.Fluxo Básico..................................................................................................863.Fluxos alternativos........................................................................................874.Requisitos Especiais.....................................................................................925.Pré-condições................................................................................................926.Pós-condições...............................................................................................927.Pontos de Extensão......................................................................................921.Breve Descrição.............................................................................................932.Fluxo Básico..................................................................................................933.Fluxos alternativos........................................................................................954.Requisitos Especiais.....................................................................................965.Pré-condições................................................................................................966.Pós-condições...............................................................................................967.Pontos de Extensão......................................................................................96ANÁLISE..........................................................................................................111PROJETO.........................................................................................................112TESTES............................................................................................................126IMPLANTAÇÃO...............................................................................................128MANUAL DO USUÁRIO..................................................................................129CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS...............................................150BIBLIOGRAFIA................................................................................................151 5
  • 6. INTRODUÇÃO1.1 Sobre o tema As mais utilizadas ferramentas de gestão de testes atualmente atendemas funcionalidades necessárias pelos envolvidos no processo de testes. Porém,por serem complexas, se faz necessário para sua utilização o treinamento eespecialização de usuários, o que demanda tempo e dinheiro às organizações,não levando em consideração também a indisponibilidade de alguns dessesenvolvidos. Tempo e dinheiro, o que convencionalmente mais se procuraracionar nos projetos quando enfrentam esta etapa em seu desenrolar. Por outro lado, a adoção de ferramentas mais simples e intuitivas traznovos problemas. Apresentando funções mais específicas (um workflow dedefeitos, um repositório de documentos, etc.) requerem a utilização de mais deuma destas ferramentas, de difícil integração e relacionamento de métricas emfunção da obtenção de indicadores. Uma boa solução seria a utilização de uma ferramenta única,apresentando as principais funcionalidades necessárias aos envolvidos noprocesso de testes, de utilização intuitiva e capaz de apresentar indicadores,cujo desenvolvimento é tema deste trabalho. 6
  • 7. 1.2 Objetivo do projeto O desenvolvimento de uma ferramenta de gestão de testes, única,apresentando as principais funcionalidades necessárias pelos envolvidos noprocesso de testes, integradas, modeladas a partir de uma metodologia detestes, de operação fácil e intuitiva, que conduza o usuário pelo processodurante sua utilização, que capture métricas e confeccione indicadoresvoltados à focalização da origem das ocorrências de não conformidadeencontradas, organizando os artefatos produzidos assim como as soluçõesadotadas aos “problemas” encontrados. A ferramenta deve oferecer apoio à garantia de qualidade de um projetode desenvolvimento, garantia de qualidade esta realizada através de uma visãodiferenciada com foco nos requisitos esperados para o software testado, umaabordagem totalmente voltada a suprir as necessidades do usuário final. A automatização de testes e a criação de massas de dados não fazemparte do escopo deste projeto, uma vez que, através de estudos realizadosconstatou-se que para serem alcançados com satisfação, devem serabordados com maior atenção, demandando um esforço de tempo adicionalincompatível com o disponível para realização deste trabalho. 7
  • 8. 1.3 Justificativa da escolha do tema A escolha do tema se justifica por sua relevância dentro do contexto dedesenvolvimento de software. Além da problemática envolvida em se desenvolver um produto desoftware, o tema possibilitará trabalhos referentes à pesquisa edesenvolvimento de modelos de desenvolvimento, planejamento e execuçãode testes, qualidade de software, gestão de projetos, confecção de indicadores,mineração de dados, técnicas de estimativas, dentre outros.1.4 Método de trabalho Será utilizado como método de trabalho o modelo de desenvolvimento emespiral, aonde serão gerados novos incrementos executáveis do sistema nofinal de cada iteração, estas com duração aproximada de um mês cada. Omodelo foi escolhido em função da imaturidade apresentada inicialmente pelosrequisitos e pela arquitetura do projeto, sendo flexível a mudanças e alteraçõesde escopo. 8
  • 9. REQUISITOS DO SISTEMA1.5 Requisitos funcionais Os requisitos funcionais especificam ações que um sistema deve ser capazde executar, sem levar em consideração restrições físicas. Os requisitosfuncionais especificam, portanto, o comportamento de entrada e saída de umsistema.1.5.1 Diagrama de casos de uso <<CRUD>> Manter Usuário <<CRUD>> <<CRUD>> Administrador do Analista de Manter Requisito Manter Caso de Teste Sistema Sistemas <<CRUD>> Manter Aplicação Gerenciar Papel Gerente de Administrar Defeito Analista de Programador Projetos Testes Definir Ciclo de Teste Consultar Defeito <<CRUD>> Manter Roteiro de Teste Líder de Testes Testador Finalizar Processo de Teste Reportar Defeito Executar Roteiro de Teste 9
  • 10. 1.5.2 Especificação dos atoresAdministrador do SistemaPermite o acesso à ferramenta de testes pelos usuários, assim como asaplicações cadastradas as quais a ferramenta fornecerá suporte.Gerente de ProjetosPessoa responsável pelo gerenciamento do projeto testado. Dentro do contextoda ferramenta, deverá atribuir os papéis a serem realizados aos integrantes doprojeto, poderá acompanhar as atividades executadas e extrair relatórios.Líder de TestesPessoa que desempenha atividades voltadas à liderança da equipe de testesno projeto testado. Dentro do contexto da ferramenta deverá definir o escopodos testes, poderá acompanhar as atividades executadas, extrair relatórios,finalizar o processo de testes e gerar o relatório final de testes.Analista de SistemasDesempenha as funções de análise e modelagem no projeto testado. Dentrodo contexto da ferramenta, deverá manter o cadastro dos requisitos dosoftware a ser testado dentro da ferramenta, analisar e administrar os defeitosencontrados.ProgramadorDesenvolve o especificado pelo analista de sistemas para o projeto testado.Dentro do contexto da ferramenta deverá analisar e administrar os defeitosencontrados. 10
  • 11. Analista de TestesÉ o técnico responsável pela operacionalização e elaboração do processo deteste. No contexto da ferramenta, deverá manter o cadastro de casos de teste,roteiros de teste, executar testes, reportar e administrar defeitos.TestadorÉ o técnico responsável pela elaboração e execução dos testes. No contextoda ferramenta, deverá manter o cadastro de roteiros de teste, executar testes,reportar e administrar defeitos. 11
  • 12. 1.5.3 Especificação dos casos de usoManter Usuário <<CRUD>>Manter Aplicação <<CRUD>>Gerenciar PapelManter Requisito <<CRUD>>Manter Caso de Teste <<CRUD>>Manter Roteiro de Teste <<CRUD>>Definir Ciclo de TestesExecutar Roteiro de TesteReportar Defeito de TesteConsultar Defeito de TesteAdministrar Defeito de TesteFinalizar Processo de Teste 12
  • 13. Manter Usuário <<CRUD>>1. Breve Descrição Este caso de uso é iniciado quando o ator Administrador do Sistema acessa a opção “Usuários” em sua tela inicial e através deste poderá Cadastrar, Consultar, Alterar e Remover usuários.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela inicial do sistema, o ator seleciona a opção “Usuários”. 2.2. Apresentando os últimos usuários cadastrados ou alterados 1. O sistema apresenta uma lista com os últimos usuários cadastrados ou alterados. (FA 3.1) (FA 3.2) (FA 3.3) 2.3. Apresentando os detalhes de um dos usuários 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos usuários da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o usuário: • Nome • Usuário • Telefone • E-mail • Cargo • Setor • Unidade • Data do último acesso (FA 3.3) 13
  • 14. 2.4. Alterando os detalhes de um dos usuários 1. O ator seleciona a opção “Editar”. 2. O sistema torna os seguintes campos editáveis: • Nome • Telefone • E-mail • Cargo • Setor • Unidade 3. O ator altera os campos conforme sua necessidade e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.4) 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema volta a apresentar os detalhes do registro, conforme descrito no subfluxo 2.3.2.5. Finalização do Caso de Uso 1. O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à sua tela inicial. 14
  • 15. 3. Fluxos Alternativos 3.1. Consultando Usuários Cadastrados 1. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Usuário • Telefone • E-mail • Cargo • Setor • Unidade 2. O Ator seleciona a opção “Buscar”. 3. O sistema apresenta uma lista com os usuários encontrados. (FA 3.3) 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico. 3.2. Incluindo um novo usuário 1. O ator opta por incluir um novo usuário, selecionando a opção “Cadastrar Novo Usuário”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Usuário • Telefone • E-mail • Cargo • Setor • Unidade 3. Após o preenchimento completo de todos os campos, o ator seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.4) 5. O sistema envia para o e-mail cadastrado as instruções de login. 15
  • 16. 6. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 7. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico.3.3. Excluindo um usuário 1. O ator seleciona a opção “Excluir”. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico.3.4. Encontrando erros durante a verificação das informações 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada. 16
  • 17. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 17
  • 18. Manter Aplicação <<CRUD>>1. Breve Descrição Este caso de uso é iniciado quando o ator Administrador do Sistema acessa a opção “Aplicações” em sua tela inicial e através deste poderá Cadastrar, Consultar, Alterar e Remover aplicações.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela inicial do sistema, o ator seleciona a opção “Aplicações”. 2.2. Apresentando as últimas aplicações cadastradas ou alteradas 1. O sistema apresenta uma lista com as últimas aplicações cadastradas ou alteradas. (FA 3.1) (FA 3.2) (FA 3.3) 2.3. Apresentando os detalhes de uma das aplicações 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de uma das aplicações da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre a aplicação: • Nome • Status • Setor • Unidade • Gerente do projeto (FA 3.3) 18
  • 19. 2.4. Alterando os detalhes de uma das aplicações 1. O ator seleciona a opção “Editar”. 2. O sistema torna os seguintes campos editáveis: • Nome • Setor • Unidade • Gerente do projeto 3. O ator altera os campos conforme sua necessidade e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.4) 5. O sistema verifica se o gerente de projetos foi alterado. (FA 3.5) 6. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 7. O sistema volta a apresentar os detalhes do registro, conforme descrito no subfluxo 2.3.2.5. Finalização do Caso de Uso 1. O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à sua tela inicial. 19
  • 20. 3. Fluxos alternativos 3.1. Consultando Aplicações Cadastradas 1. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Setor • Unidade 2. O Ator seleciona a opção “Buscar”. 3. O sistema apresenta uma lista com as aplicações encontradas. (FA 3.3) 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico. 3.2. Incluindo uma nova aplicação 1. O ator opta por incluir uma nova aplicação, selecionando a opção “Cadastrar Nova Aplicação”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Setor • Unidade • Gerente do projeto 3. Após o preenchimento completo de todos os campos, o ator seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.4) 5. O sistema atribui o papel ao Gerente do projeto cadastrado. 6. O sistema envia por e-mail ao gerente do projeto a comunicação sobre a sua atribuição como gerente do projeto da aplicação. 7. O sistema cria a tarefa “Alocar Equipe” informando ao Gerente do projeto sobre a possibilidade de atribuição de papéis aos usuários para aplicação. 20
  • 21. 8. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso.9. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 21
  • 22. 3.3. Excluindo uma aplicação 1. O ator seleciona a opção “Excluir”. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema envia por e-mail ao gerente do projeto cadastrado a comunicação da exclusão da aplicação. 4. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 5. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico.3.4. Encontrando erros durante a verificação das informações 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada.3.5. Alterando o Gerente do projeto da aplicação 1. O sistema verifica que o Gerente do projeto foi alterado. 2. O sistema envia por e-mail ao novo gerente cadastrado a comunicação sobre a sua atribuição como gerente do projeto da aplicação. 3. O sistema transfere ao novo gerente todas as tarefas do projeto de responsabilidade do gerente anterior. 22
  • 23. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 23
  • 24. Gerenciar Papel1. Breve Descrição Este caso de uso é iniciado quando o ator Gerente de Projetos acessa a opção “Papéis” na tela do projeto ou através de uma tarefa de sua tela inicial (“Gerenciar Papéis”) e através deste poderá Atribuir, Alterar ou Remover os papéis desempenhados pelos usuários durante o processo de testes de determinada aplicação.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela do projeto, o ator seleciona a opção “Papéis”. (FA 3.1) 2.2. Apresentando os usuários com papéis atribuídos 1. O sistema apresenta uma lista com os usuários com papéis atribuídos para o projeto, agrupados pelo tipo de papel. Os usuários com mais de um papel aparecem mais de uma vez na lista, uma para cada papel desempenhado no projeto. (FA 3.2) (FA 3.3) 2.3. Apresentando os detalhes de um dos registros 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos registros da lista apresentada. 2. O sistema em seguida apresenta as seguintes informações sobre o registro: • Nome • Usuário • Telefone • E-mail • Cargo • Setor • Unidade 24
  • 25. • Papéis (FA 3.3)2.4. Incluindo um novo papel a um usuário 1. O ator seleciona a opção “Incluir Novo Papel”. 2. O sistema apresenta um combo box com os papéis ainda não desempenhados pelo usuário. 3. O ator seleciona o novo papel a ser incluído para o usuário. 4. O ator seleciona a opção “Incluir”. 5. O sistema informa por e-mail ao usuário o novo papel recebido, instruindo-o sobre o mesmo. 6. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso.2.5. Finalização do Caso de Uso O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à tela do projeto ou à sua tela inicial. 25
  • 26. 3. Fluxos alternativos 3.1. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Gerenciar Papéis” 1. O ator seleciona a tarefa “Gerenciar Papéis” em sua tela inicial. 2. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.2. Incluindo um papel a um usuário 1. O ator seleciona a opção “Incluir papel”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Usuário • E-mail 3. O ator seleciona a opção “Buscar”. 4. O sistema apresenta uma lista com os usuários encontrados. 5. O ator seleciona um dos registros. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico. 3.3. Excluindo um papel de um usuário 1. O ator seleciona a opção “Excluir” referente ao papel que deseja excluir. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema apresenta mensagem de sucesso. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico. 26
  • 27. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 27
  • 28. Manter Requisito <<CRUD>>1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator Analista de Sistemas acessa aopção “Requisitos” na tela do projeto ou através de uma tarefa de sua telainicial (“Cadastrar Requisitos”) e através deste poderá Cadastrar, Consultar,Alterar e Remover Requisitos.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela do projeto, o ator seleciona a opção “Requisitos”. (FA 3.1) 2.2. Apresentando os requisitos cadastrados 1. O sistema apresenta as uma árvore com os requisitos cadastrados para a aplicação, diferenciando os requisitos funcionais e os não funcionais. (FA 3.2) 2.3. Apresentando os detalhes de um dos requisitos 1. O ator seleciona um dos requisitos da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o requisito: • Versão • Data • Autor • Nome • Categoria • Implementado por • Descrição • Prioridade • Dificuldade • Estabilidade • Anexos (FA 3.5) 28
  • 29. 2.4. Alterando os detalhes de um dos requisitos 1. O ator seleciona a opção “Editar”. 2. O sistema torna os seguintes campos editáveis: • Nome • Categoria (apenas para requisitos não funcionais) • Descrição • Prioridade (urgente, alta, média, baixa) • Dificuldade (alta, média, baixa) • Anexos • Criar nova versão ao salvar (verdadeiro ou falso) 3. O ator altera os campos conforme sua necessidade e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.4) 5. O sistema verifica se existem casos de teste vinculados. (FA 3.6) 6. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 7. O sistema volta a apresentar os detalhes do registro, conforme descrito no subfluxo 2.3.2.5. Finalização do Caso de Uso O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à tela do projeto ou à sua tela inicial. 29
  • 30. 3. Fluxos Alternativos 3.1. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Cadastrar Requisitos” 1. O ator seleciona a tarefa “Cadastrar Requisitos” em sua tela inicial. 2. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.2. Incluindo um novo requisito 1. O ator opta por incluir um novo requisito, selecionando a opção “Cadastrar Novo Requisito”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Categoria (Funcionalidade, disponibilidade, manutenibilidade, performance, segurança, testabilidade, usabilidade, escalabilidade) • Descrição • Implementado por • Prioridade (urgente, alta, média, baixa) • Dificuldade (alta, média, baixa) • Estabilidade (alta, média, baixa) • Anexos (FA 3.3) 3. Após o preenchimento completo de todos os campos, o ator seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.4) 5. O sistema define como concluída a tarefa “Cadastrar Requisitos”. 6. O sistema cria a tarefa “Cadastrar Casos de Teste” informando aos Analistas de Testes sobre a possibilidade de inclusão de Casos de Teste para o Requisito. 7. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 8. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 30
  • 31. 3.3. Reutilizando requisitos 1. O ator seleciona a opção “Reutilizar”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome da aplicação • Nome do requisito • Categoria do requisito (Funcionalidade, disponibilidade, manutenibilidade, performance, segurança, testabilidade, usabilidade, escalabilidade) • Incluir versões anteriores (verdadeiro ou falso) 3. O Ator seleciona a opção “Buscar”. 4. O sistema apresenta uma lista com os requisitos encontrados. 5. O Ator seleciona um dos requisitos. 6. O sistema apresenta os detalhes do requisito. 7. O Ator seleciona quais informações quer reutilizar, seguindo da opção “Reutilizar”. 8. O sistema retorna ao subfluxo 3.2 do fluxo alternativo, com os campos do caso de testes preenchidos com as informações do caso de teste escolhido.3.4. Encontrando erros durante a verificação das informações pelo sistema 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada. 31
  • 32. 3.5. Excluindo um requisito 1. O ator seleciona a opção “Excluir”. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema verifica se existem Casos de Teste vinculados ao Requisito. (FA 3.7) 4. O sistema remove a tarefa “Cadastrar Casos de Teste” dos Analistas de Sistemas. 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico.3.6. Encontrando casos de teste vinculados ao requisito a ser alterado 1. O sistema encontra um ou mais Casos de Teste vinculados ao Requisito a ser alterado. 2. O sistema cria a tarefa “Revisar Caso de Teste” para cada Caso de Teste vinculado ao Requisito alterado.3.7. Encontrando casos de teste vinculados ao requisito a ser excluído 1. O sistema encontra um ou mais Casos de Teste vinculados ao Requisito a ser excluído. 2. O sistema informa mensagem de erro, solicitando a exclusão dos Casos de Teste vinculados para que o Requisito possa ser excluído. 32
  • 33. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 33
  • 34. Manter Caso de Teste <<CRUD>>1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator Analista de Testes acessa a opção“Casos de Teste” na tela do projeto ou através de uma tarefa de sua tela inicial(“Cadastrar Casos de Teste”, “Revisar Caso de Teste”) e através deste poderáCadastrar, Consultar, Alterar e Remover Casos de Teste.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela do projeto, o ator seleciona a opção “Casos de Teste”. (FA 3.1) (FA 3.2) 2.2. Apresentando os casos de teste cadastrados 1. O sistema apresenta as uma árvore com os requisitos cadastrados para a aplicação, diferenciando os requisitos funcionais e os não funcionais. (FA 3.3) 2. O ator expande um dos requisitos, apresentando os casos de teste cadastrados para aquele requisito. (FA 3.3) (FA 3.7) 2.3. Apresentando os detalhes de um dos Casos de Teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos casos de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o caso de teste: • Versão • Data • Autor • Requisito • Nome • Objetivo do teste • Escopo do teste • Precondições do teste 34
  • 35. • Condições de execução (FA 3.7)2.4. Alterando os detalhes de um dos Casos de Teste 1. O ator seleciona a opção “Editar”. 2. O sistema torna os seguintes campos editáveis: • Nome • Objetivo do teste • Escopo do teste • Precondições do teste • Condições de execução 3. O ator altera os campos conforme sua necessidade e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.6) 5. O sistema verifica se existem roteiros de teste vinculados. (FA 3.8) 6. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 7. O sistema volta a apresentar os detalhes do registro, conforme descrito no subfluxo 2.3.2.5. Finalização do Caso de Uso O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à tela do projeto ou à sua tela inicial. 35
  • 36. 3. Fluxos Alternativos 3.1. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Cadastrar Casos de Teste” 1. O ator seleciona a tarefa “Cadastrar Casos de Teste” em sua tela inicial. 2. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.2. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Revisar Caso de Teste” 1. O ator seleciona a tarefa “Revisar Caso de Teste” em sua tela inicial. 2. O sistema apresenta os detalhes do requisito, ressaltando os campos alterados. 3. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o caso de teste, editáveis: • Nome • Objetivo do teste • Escopo do teste • Precondições do teste • Condições de execução 4. O ator altera os campos se necessário e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 5. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.6) 6. O sistema verifica se existem roteiros de teste vinculados. (FA 3.8) 7. O sistema define como concluída a tarefa “Revisar Caso de Teste” selecionada. 8. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 9. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico. 36
  • 37. 3.3. Incluindo um novo caso de teste 1. O ator opta por incluir um novo caso de teste para o requisito, selecionando a opção “Cadastrar Novo Caso de Teste” referente ao requisito para o qual o ator deseja incluir um caso de teste. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Objetivo do teste • Escopo do teste • Precondições do teste • Condições de execução 3. O sistema verifica se existem Casos de Teste compatíveis. (FA 3.5) (FA 3.4) 4. O ator inclui condições de execução preenchendo os seguintes campos para cada condição de execução: • Nome • Pré-condições • Inputs de teste • Pontos de observação • Pontos de controle • Resultados esperados • Pós-condições 5. Após o preenchimento completo de todos os campos, o ator seleciona a opção “Incluir nova Condição de Execução” para que sejam apresentados os mesmos campos para a inclusão de mais uma condição de execução. 6. Após incluir todas as condições de execução necessárias, o ator seleciona a opção “Salvar”. 7. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.6) 8. O sistema define como concluída a tarefa “Cadastrar Casos de Teste”. 9. O sistema cria a tarefa “Cadastrar Roteiros de Teste” informando aos Testadores sobre a possibilidade de inclusão de roteiros de teste para o Caso de Teste. 37
  • 38. 10. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 11. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico.3.4. Reutilizando casos de teste 1. O ator seleciona a opção “Reutilizar”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome da aplicação • Nome do requisito • Categoria do requisito • Nome do caso de teste 3. O Ator seleciona a opção “Buscar”. 4. O sistema apresenta uma lista com os casos de teste encontrados. 5. O Ator seleciona um dos casos de teste. 6. O sistema apresenta os detalhes do caso de teste. 7. O Ator seleciona a opção “Reutilizar”. 8. O sistema retorna ao subfluxo 3.3 do fluxo alternativo, com os campos do caso de testes preenchidos com as informações do caso de teste escolhido. 38
  • 39. 3.5. Sugerindo Casos de Teste compatíveis 1. O sistema indica que existem Casos de Teste compatíveis com o requisito. 2. O Ator seleciona a opção “Casos Compatíveis”. 3. O sistema apresenta uma lista com os Casos de Teste relacionados ao Requisito. 4. O Ator seleciona um dos Casos de Teste. 5. O sistema apresenta os detalhes do Caso de Teste. 6. O Ator seleciona a opção “Reutilizar”. 7. O sistema retorna ao subfluxo 3.3 do fluxo alternativo, com os campos do caso de testes preenchidos com as informações do caso de teste escolhido.3.6. Encontrando erros durante a verificação das informações pelo sistema 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada.3.7. Excluindo um caso de teste 1. O ator seleciona a opção “Excluir”. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema verifica se existem roteiros de teste vinculados ao caso de teste. (FA 3.9) 4. O sistema remove a tarefa “Cadastrar Roteiros de Teste” dos testadores. 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 39
  • 40. 3.8. Encontrando roteiros de teste vinculados ao caso de teste a ser alterado 1. O sistema encontra um ou mais roteiros de teste vinculados ao caso de teste a ser alterado. 2. O sistema cria a tarefa “Revisar Roteiro de Teste” para cada Roteiro de teste vinculado ao Caso de Teste alterado.3.9. Encontrando roteiros de teste vinculados ao caso de teste a ser excluído 1. O sistema encontra um ou mais roteiros de teste vinculados ao caso de teste a ser excluído. 2. O sistema informa mensagem de erro, solicitando a exclusão dos roteiros de teste vinculados para que o caso de teste possa ser excluído. 40
  • 41. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 41
  • 42. Manter Roteiro de Teste <<CRUD>>1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator Analista de Testes ou Testadoracessa a opção “Roteiros de Teste” na tela do projeto ou através de uma tarefade sua tela inicial (“Cadastrar Roteiros de Teste”, “Revisar Roteiro de Teste”) eatravés deste poderá Cadastrar, Consultar, Alterar e Remover Roteiros deTeste.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela do projeto, o ator seleciona a opção “Roteiros de Teste”. (FA 3.1) (FA 3.2) 2.2. Apresentando os roteiros de teste cadastrados 1. O sistema apresenta as uma árvore com os requisitos cadastrados para a aplicação, diferenciando os requisitos funcionais e os não funcionais. 2. O ator expande um dos requisitos, apresentando os casos de teste cadastrados para aquele requisito. 3. O ator expande um dos casos de teste, apresentando os roteiros de teste cadastrados para aquele caso de teste. (FA 3.3) (FA 3.7) 42
  • 43. 2.3. Apresentando os detalhes de um dos roteiros de teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos roteiros de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o roteiro de teste: • Versão • Data • Autor • Requisito • Caso de Teste • Nome • Descrição • Pré-condições • Instruções • Pós-condições (FA 3.7) 43
  • 44. 2.4. Alterando os detalhes de um dos roteiros de teste 1. O ator seleciona a opção “Editar”. 2. O sistema torna os seguintes campos editáveis: • Nome • Descrição • Pré-condições • Instruções • Pós-condições 3. O ator altera os campos conforme sua necessidade e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.6) 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema volta a apresentar os detalhes do registro, conforme descrito no subfluxo 2.3.2.5. Finalização do Caso de Uso O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à tela do projeto ou à sua tela inicial. 44
  • 45. 3. Fluxos Alternativos 3.1. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Cadastrar Roteiros de Teste” 1. O ator seleciona a tarefa “Cadastrar Roteiros de Teste” em sua tela inicial. 2. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.2. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Revisar Roteiro de Teste” 1. O ator seleciona a tarefa “Revisar Roteiro de Teste” em sua tela inicial. 2. O sistema apresenta os detalhes do Caso de Teste, ressaltando os campos alterados. 3. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o roteiro de teste, editáveis: • Nome • Descrição • Pré-condições • Instruções • Pós-condições 4. O ator altera os campos se necessário e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 5. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.6) 6. O sistema define como concluída a tarefa “Revisar Roteiro de Teste” selecionada. 7. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 8. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico. 45
  • 46. 3.3. Incluindo um novo roteiro de teste 1. O ator opta por incluir um novo roteiro de teste para o caso de teste, selecionando a opção “Cadastrar Novo Roteiro de Teste” referente ao caso de teste para o qual o ator deseja incluir um roteiro de teste. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Descrição • Pré-condições • Instruções • Pós-condições 3. O sistema verifica se existem Roteiros de Teste compatíveis. (FA 3.5) (FA 3.4) 4. O ator inclui instruções preenchendo os seguintes campos para cada instrução: • Instruções • Pontos de observação • Pontos de controle • Pontos de registro 5. Após o preenchimento completo de todos os campos, o ator seleciona a opção “Incluir nova Instrução” para que sejam apresentados os mesmos campos para a inclusão de mais uma instrução. 6. Após incluir todas as instruções necessárias, o ator seleciona a opção “Salvar”. 7. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.6) 8. O sistema define como concluída a tarefa “Cadastrar Roteiros de Teste”. 9. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 10. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 46
  • 47. 47
  • 48. 3.4. Reutilizando roteiros de teste 1. O ator seleciona a opção “Reutilizar”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome da aplicação • Nome do requisito • Nome do caso de teste • Categoria do requisito • Nome do roteiro de teste 3. O Ator seleciona a opção “Buscar”. 4. O sistema apresenta uma lista com os roteiros de teste encontrados. 5. O Ator seleciona um dos roteiros de teste. 6. O sistema apresenta os detalhes do roteiro de teste. 7. O Ator seleciona a opção “Reutilizar”. 8. O sistema retorna ao subfluxo 3.3 do fluxo alternativo, com os campos do roteiro de testes preenchidos com as informações do roteiro de teste escolhido.3.5. Sugerindo roteiros de teste compatíveis 1. O sistema indica que existem roteiros de teste compatíveis com o caso de teste. 2. O Ator seleciona a opção “Roteiros Compatíveis”. 3. O sistema apresenta uma lista com os roteiros de teste relacionados ao caso de teste. 4. O Ator seleciona um dos roteiros de teste. 5. O sistema apresenta os detalhes do roteiro de teste. 6. O Ator seleciona a opção “Reutilizar”. 7. O sistema retorna ao subfluxo 3.3 do fluxo alternativo, com os campos do roteiro de testes preenchidos com as informações do roteiro de teste escolhido. 48
  • 49. 3.6. Encontrando erros durante a verificação das informações pelo sistema 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada.3.7. Excluindo um roteiro de teste 1. O ator seleciona a opção “Excluir”. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 49
  • 50. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 50
  • 51. Definir Ciclo de Testes1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator Líder de Testes acessa a opção“Ciclos de Teste” em sua tela inicial e através deste poderá definir, alterar eacompanhar a execução de um ciclo de testes.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela inicial do sistema, o ator seleciona a opção “Ciclos de Teste”. (FA 3.1) 2.2. Apresentando os ciclos cadastrados 1. O sistema apresenta os ciclos de teste cadastrados para a aplicação, assim como seus status (planejado, em execução, executado, interrompido, suspenso). (FA 3.2) (FA 3.5) 51
  • 52. 2.3. Apresentando os detalhes de um dos ciclos 1. O ator seleciona um dos ciclos apresentados. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o ciclo: • Nome • Descrição • Ambiente (desenvolvimento, teste, homologação) • Build • Comentários • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.16) (FA 3.4) 52
  • 53. 2.4. Apresentando o escopo de um dos ciclos 1. O ator seleciona a opção “Escopo”. 2. O sistema apresenta as uma árvore com os requisitos cadastrados para a aplicação, diferenciando os requisitos funcionais e os não funcionais, evidenciando os requisitos que pertencem ao ciclo e os que não pertencem, informando também o status e o progresso dos que pertencem. (FA 3.7) (FA 3.8) (FA 3.9) 3. O ator expande um dos requisitos, apresentando os casos de teste cadastrados para aquele requisito, evidenciando os casos que pertencem ao ciclo e os que não pertencem, informando também o status e o progresso dos que pertencem. (FA 3.10) (FA 3.11) (FA 3.12) 4. O ator expande um dos casos de teste, apresentando os roteiros de teste cadastrados para aquele caso de teste, evidenciando os roteiros que pertencem ao ciclo e os que não pertencem, informando também o status e o progresso dos que pertencem. (FA 3.13) (FA 3.14) (FA 3.15)2.5. Finalização do Caso de Uso 1. O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à sua tela inicial. 53
  • 54. 3. Fluxos Alternativos 3.1. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Definir Ciclo de Testes” 1. O ator seleciona a tarefa “Definir Ciclo de Testes” em sua tela inicial. 2. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.2. Incluindo um novo ciclo de testes 1. O ator opta por incluir um novo ciclo de testes, selecionando a opção “Novo Ciclo”. 2. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Nome • Descrição • Ambiente (desenvolvimento, teste, homologação) • Build • Comentários (FA 3.3) 3. Após o preenchimento completo de todos os campos, o ator seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.17) 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.3. Reutilizando ciclos de testes 1. O ator seleciona a opção “Reutilizar”. 2. O sistema apresenta uma lista com os ciclos de testes cadastrados para aquela aplicação. 3. O Ator seleciona um dos ciclos. 54
  • 55. 4. O sistema apresenta os detalhes do ciclo. 5. O Ator seleciona a opção “Reutilizar”. 6. O sistema retorna ao subfluxo 3.2 do fluxo alternativo, com os campos do ciclo de testes preenchidos com as informações do ciclo escolhido, assim como com os mesmos Requisitos, Casos e Roteiros selecionados em seu escopo, todos definidos com status “planejado”.3.4. Alterando os detalhes de um dos ciclos de testes 1. O ator seleciona a opção “Editar”. 2. O sistema torna os seguintes campos editáveis: • Nome • Descrição • Ambiente (desenvolvimento, teste, homologação) • Build • Comentários 3. O ator altera os campos conforme sua necessidade e em seguida seleciona a opção “Salvar”. 4. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.17) 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema volta a apresentar os detalhes do ciclo, conforme descrito no subfluxo 2.3. 55
  • 56. 3.5. Excluindo um ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Excluir”. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema verifica o status de execução do ciclo. (FA 3.18) 4. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 5. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico.3.6. Suspendendo a execução de um ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Suspender execução”. 2. O sistema solicita a confirmação da operação. 3. O sistema verifica o status de execução do ciclo. (FA 3.18) 4. O sistema altera o status de execução do ciclo para “Suspenso”. 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico.3.7. Apresentando os detalhes de um dos requisitos 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos requisitos da lista apresentada. 2. O sistema apresenta, além dos detalhes do requisito, as seguintes informações: • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.16) 56
  • 57. 3.8. Incluindo um requisito ao escopo do ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Incluir” de um dos requisitos da lista apresentada. 2. O sistema inclui o requisito ao escopo do ciclo de testes, assim como todos seus casos e roteiros. 3. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico.3.9. Removendo um requisito do escopo do ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Remover” de um dos requisitos da lista apresentada. 2. O sistema verifica o status de execução do requisito. (FA 3.18) 3. O sistema remove o requisito do escopo do ciclo de testes, assim como todos seus casos e roteiros. 4. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 5. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico.3.10. Apresentando os detalhes de um dos casos de teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos casos de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta, além dos detalhes do caso, as seguintes informações: • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.16) 57
  • 58. 3.11. Incluindo um caso de teste ao escopo do ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Incluir” de um dos casos de teste da lista apresentada. 2. O sistema inclui o caso de teste ao escopo do ciclo de testes, assim como seu requisito e todos seus roteiros. 3. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico.3.12. Removendo um caso de teste do escopo do ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Remover” de um dos casos de teste da lista apresentada. 2. O sistema verifica o status de execução do caso de teste. (FA 3.18) 3. O sistema verifica se existem mais casos de teste para o mesmo requisito no escopo do ciclo de testes. (FA 3.19) 4. O sistema remove o caso de teste do escopo do ciclo de testes, assim como todos seus roteiros. 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico. 58
  • 59. 3.13. Apresentando os detalhes de um dos roteiros de teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos roteiros de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta, além dos detalhes do roteiro, as seguintes informações: • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.16)3.14. Incluindo um roteiro de teste ao escopo do ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Incluir” de um dos roteiros de teste da lista apresentada. 2. O sistema inclui o roteiro de teste ao escopo do ciclo de testes, assim como seu caso de teste e seu requisito. 3. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico. 59
  • 60. 3.15. Removendo um roteiro de teste do escopo do ciclo de testes 1. O ator seleciona a opção “Remover” de um dos roteiros de teste da lista apresentada. 2. O sistema verifica o status de execução do roteiro de teste. (FA 3.18) 3. O sistema verifica se existem mais roteiros de teste para o mesmo caso no escopo do ciclo de testes. (FA 3.20) 4. O sistema remove o roteiro de teste do escopo do ciclo de testes. 5. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico.3.16. Listando os defeitos apresentados 1. O ator seleciona a opção “Detalhes”. 2. O sistema apresenta a relação de defeitos para aquele registro.3.17. Encontrando erros durante a verificação das informações pelo sistema 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada.3.18. Status de execução diferente de “Planejado” e “Suspenso” 1. O sistema verifica que o status de execução é diferente de “Planejado” e “Suspenso”. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema não efetua a ação desejada. 60
  • 61. 3.19. Removendo o único caso de teste de um requisito 1. O sistema verifica que não existem mais casos de teste para o mesmo requisito no escopo do ciclo de testes. 2. O sistema remove o caso de teste do escopo do ciclo de testes, assim como todos seus roteiros e seu requisito. 3. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico.3.20. Removendo o único roteiro de teste de um caso de teste 1. O sistema verifica que não existem mais roteiros de teste para o mesmo caso de teste no escopo do ciclo de testes. 2. O sistema verifica se existem mais casos de teste para o mesmo requisito no escopo do ciclo de testes. (FA 3.19) 3. O sistema remove o roteiro de teste do escopo do ciclo de testes, assim como seu caso. 4. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 5. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico. 61
  • 62. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 62
  • 63. Executar Roteiro de Teste1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator Testador acessa a opção“Execução” em sua tela inicial e através deste poderá executar roteiros deteste.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela inicial do sistema, o ator seleciona a opção “Execução”. (FA 3.1) 2.2. Apresentando os ciclos cadastrados 1. O sistema apresenta os ciclos de teste com status “planejado”, “em execução”, “interrompido” ou “executado”, cadastrados para aplicação. 2.3. Apresentando os detalhes de um dos ciclos 1. O ator seleciona um dos ciclos apresentados. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o ciclo: • Nome • Descrição • Ambiente (desenvolvimento, teste, homologação) • Build • Comentários • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.10) 63
  • 64. 2.4. Apresentando o escopo de um dos ciclos 1. O ator seleciona a opção “Escopo”. 2. O sistema apresenta as uma árvore com os requisitos cadastrados para a aplicação que pertencem ao ciclo, diferenciando os requisitos funcionais e os não funcionais, informando também o status e o progresso de cada requisito. (FA 3.2) 3. O ator expande um dos requisitos, apresentando os casos de teste cadastrados para aquele requisito que pertencem ao ciclo, informando também o status e o progresso de cada caso. (FA 3.3) 4. O ator expande um dos casos de teste, apresentando os roteiros de teste cadastrados para aquele caso de teste que pertencem ao ciclo, informando também o status e o progresso de cada roteiro. (FA 3.4) 64
  • 65. 2.5. Executando um roteiro de testes 1. O ator seleciona a opção “Executar” de um dos roteiros com status “planejado” ou “interrompido” da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o roteiro de teste: • Versão • Data • Autor • Requisito • Caso de Teste • Nome • Descrição • Pré-condições • Pós-condições 3. O ator seleciona a opção “Iniciar Execução”. (FA 3.5) (FA 3.6) 4. O sistema armazena a data e hora de início da execução. 5. O sistema altera o status do roteiro para “em execução”. 6. O sistema inicia a contagem do tempo de duração da execução, apresentando-o. 7. O sistema apresenta os seguintes campos para a primeira instrução cadastrada para o roteiro: • Instruções • Pontos de observação • Pontos de controle • Pontos de registro 8. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Comentários • Evidências de Teste 9. Após o preenchimento dos campos, o ator seleciona a opção “Passo OK”. (FA 3.7) (FA 3.8) 65
  • 66. 10. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.11)11. O sistema paralisa a contagem do tempo de duração da execução.12. O sistema verifica se existe próxima instrução. (FA 3.9)13. O sistema altera o status do roteiro para “executado”. 66
  • 67. 2.6. Concluindo a execução do roteiro 1. O sistema armazena a data e hora de término da execução. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre a execução: • Executado por • Status da Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.10) 3. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Comentários finais 4. Após o preenchimento dos campos, o ator seleciona a opção “Finalizar Execução”. 5. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.11) 6. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 7. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico.2.7. Finalização do Caso de Uso 1. O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à sua tela inicial. 67
  • 68. 3. Fluxos Alternativos 3.1. Iniciando o Caso de Uso a partir da tarefa “Executar Roteiros de Teste” 1. O ator seleciona a tarefa “Executar Roteiros de Teste” em sua tela inicial. 2. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.2. Apresentando os detalhes de um dos requisitos 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos requisitos da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o requisito: • Versão • Data • Autor • Nome • Categoria • Implementado por • Descrição • Prioridade • Dificuldade • Estabilidade • Anexos • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.10) 68
  • 69. 3.3. Apresentando os detalhes de um dos casos de teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos casos de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o caso: • Versão • Data • Autor • Requisito • Nome • Objetivo do teste • Escopo do teste • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.10)3.4. Apresentando os detalhes de um dos roteiros de teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos roteiros de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o roteiro: • Versão • Data • Autor • Requisito • Caso de Teste • Nome • Descrição • Pré-condições • Pós-condições • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução 69
  • 70. • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.10)3.5. Reiniciando a execução de um roteiro de teste 1. O ator seleciona a opção “Reiniciar execução”. 2. O sistema solicita confirmação da operação. 3. O sistema substitui a data e hora de início da execução pela data e hora atual. 4. O sistema remove a data e hora final da execução. 5. O sistema remove o tempo de duração da execução. 6. O sistema remove os comentários finais da execução. 7. O sistema remove a porcentagem de execução. 8. O sistema retorna ao subfluxo 2.5 do fluxo básico.3.6. Retomando a execução de um roteiro de teste 1. O ator seleciona a opção “Continuar execução”. 2. O sistema altera o status do roteiro para “em execução”. 3. O sistema retorna ao subfluxo 3.9 do fluxo alternativo. 70
  • 71. 3.7. Interrompendo a execução de um roteiro de teste 1. O ator seleciona a opção “Interromper execução”. 2. O sistema solicita confirmação da operação. 3. O sistema descarta as informações de execução da instrução atual. 4. O sistema paralisa a contagem do tempo de duração da execução. 5. O sistema altera o status do roteiro para “interrompido”. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.6 do fluxo básico.3.8. Opção Passo NOK 1. O ator seleciona a opção “Passo NOK”. 2. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.11) 3. O sistema paralisa a contagem do tempo de duração da execução. (PE 7.1) 4. O sistema verifica se existe próxima instrução. (FA 3.9) 5. O sistema altera o status do roteiro para “executado”. 6. O sistema retorna ao subfluxo 2.6 do fluxo básico. 71
  • 72. 3.9. Apresentando a próxima instrução do roteiro 1. O sistema verifica que existe próxima instrução. 2. O sistema continua a contagem do tempo de duração da execução, apresentando-o. 3. O sistema apresenta os seguintes campos para a próxima instrução cadastrada para o roteiro: • Instruções • Pontos de observação • Pontos de controle • Pontos de registro 4. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Comentários • Evidências de Teste 5. Após o preenchimento dos campos, o ator seleciona a opção “Passo OK”. (FA 3.7) (FA 3.8) 6. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.11) 7. O sistema paralisa a contagem do tempo de duração da execução. 8. O sistema verifica se existe próxima instrução. (FA 3.9) 9. O sistema altera o status do roteiro para “executado”. 10. O sistema retorna ao subfluxo 2.6 do fluxo básico.3.10. Listando os defeitos apresentados 1. O ator seleciona a opção “Detalhes”. 2. O sistema apresenta a relação de defeitos para aquele registro. 72
  • 73. 3.11. Encontrando erros durante a verificação das informações pelo sistema 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada. 73
  • 74. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de Extensão 7.1. Reportar Defeito de Teste (ocorre no FA 2.2.8 – Passo 3) 74
  • 75. Reportar Defeito de Teste1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator Testador acessa a opção “ReportarDefeito” na tela inicial de defeitos e através deste poderá reportar defeitos.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela inicial de defeitos, o ator seleciona a opção “Reportar Defeito”. (FA 3.1) 2.2. Apresentando os roteiros de teste cadastrados 1. O sistema apresenta as uma árvore com os requisitos cadastrados para a aplicação, diferenciando os requisitos funcionais e os não funcionais. (FA 3.2) 2. O ator expande um dos requisitos, apresentando os casos de teste cadastrados para aquele requisito. (FA 3.3) 3. O ator expande um dos casos de teste, apresentando os roteiros de teste cadastrados para aquele caso de teste. (FA 3.4) 2.3. Selecionando um roteiro de teste 1. O ator seleciona a opção “Reportar Defeito” de um dos roteiros de teste da lista apresentada. 75
  • 76. 2.4. Reportando um defeito 1. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Prioridade (Baixa, Média, Alta, Urgente) • Severidade (Baixa, Média, Alta, Urgente) • Descrição • Anexos • Comentários 2. Após o preenchimento completo de todos os campos, o ator seleciona a opção “Salvar”. 3. O sistema verifica as informações prestadas. (FA 3.5) 4. O sistema comunica por e-mail o registro do defeito aos Analistas de Sistemas, Programadores, Analistas de Testes, Testadores, Líderes de Testes e Gerentes de Projeto alocados na aplicação. 5. O sistema cria a tarefa “Consultar Defeitos Reportados” informando a todos sobre a existência de defeitos para a aplicação. 6. O sistema apresenta mensagem de operação efetuada com sucesso. 7. O caso de uso é encerrado. 76
  • 77. 3. Fluxos alternativos 3.1. Estendendo o caso de uso “Executar Roteiro de Teste” 1. O ator opta por reportar um defeito, selecionando a opção “Reportar Defeito”. 2. O sistema retorna ao subfluxo 2.4 do fluxo básico. 3.2. Apresentando os detalhes de um dos requisitos 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos requisitos da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o requisito: • Versão • Data • Autor • Nome • Categoria • Implementado por • Descrição • Prioridade • Dificuldade • Estabilidade • Anexos • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.6) 77
  • 78. 3.3. Apresentando os detalhes de um dos casos de teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos casos de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o caso: • Versão • Data • Autor • Requisito • Nome • Objetivo do teste • Escopo do teste • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.6) 78
  • 79. 3.4. Apresentando os detalhes de um dos roteiros de teste 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos roteiros de teste da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o roteiro: • Versão • Data • Autor • Requisito • Caso de Teste • Nome • Descrição • Pré-condições • Pós-condições • Executado por • Status de Execução • Porcentagem de Execução • Tempo previsto para Execução • Tempo realizado para Execução • Data de Início da Execução • Data de Término da Execução • Quantidade de Defeitos encontrados (FA 3.6) 79
  • 80. 3.5. Encontrando erros durante a verificação das informações pelo sistema 1. O sistema verifica que as informações prestadas não correspondem ao esperado. 2. O sistema informa mensagem de erro. 3. O sistema destaca os campos de preenchimento inesperado, apresentando a forma de preenchimento esperada.3.6. Listando os defeitos apresentados 1. O ator seleciona a opção “Detalhes”. 2. O sistema apresenta a relação de defeitos para aquele registro. 80
  • 81. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 81
  • 82. Consultar Defeito de Teste1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator acessa a opção “Defeitos” em suatela inicial e através deste poderá consultar defeitos.2. Fluxo Básico 2.1. Início do Caso de Uso 1. Na tela inicial do sistema, o ator seleciona a opção “Defeitos”. 2.2. Apresentando os últimos defeitos cadastrados ou alterados 1. O sistema apresenta uma lista com os últimos defeitos cadastrados ou alterados. (FA 3.1) 82
  • 83. 2.3. Apresentando os detalhes de um dos defeitos 1. O ator seleciona a opção “Detalhes” de um dos defeitos da lista apresentada. 2. O sistema apresenta as seguintes informações sobre o defeito: • Requisito • Caso de Teste • Roteiro de Teste • Implementador • Autor • Data de Abertura • Ciclo • Incidência • Status • Responsável • Prioridade (Baixa, Média, Alta, Urgente) • Severidade (Baixa, Média, Alta, Urgente) • Descrição • Anexos • Comentários • Descrição do Problema • Solucionador • Descrição da Solução • Data da Solução • Comentários2.4. Finalização do Caso de Uso 1. O caso de uso é finalizado quando o ator retorna à sua tela inicial. 83
  • 84. 3. Fluxos alternativos 3.1. Consultando Defeitos 1. O sistema apresenta os seguintes campos para preenchimento: • Requisito • Caso de Teste • Roteiro de Teste • Prioridade (Baixa, Média, Alta, Urgente) • Severidade (Baixa, Média, Alta, Urgente) • Descrição • Anexos • Comentários • Responsável • Status 2. O Ator seleciona a opção “Buscar”. 3. O sistema apresenta uma lista com os defeitos encontrados. 4. O sistema retorna ao subfluxo 2.3 do fluxo básico. 84
  • 85. 4. Requisitos EspeciaisN/A5. Pré-condiçõesO ator deve estar logado e possuir acesso às funções a serem realizadas.6. Pós-condiçõesN/A7. Pontos de ExtensãoN/A 85
  • 86. Administrar Defeito de Teste1. Breve DescriçãoEste caso de uso é iniciado quando o ator acessa a opção “Defeitos” em suatela inicial e através deste poderá administrar defeitos.2. Fluxo Básico 2.1. Analisando um defeito 1. O ator seleciona a opção “Analisar” durante a apresentação dos detalhes do defeito. 2. O sistema altera o estado do defeito para “Em Análise”. 3. O sistema altera o responsável pelo defeito. 4. O sistema inclui o seguinte registro no histórico do defeito: “(<dd/mm/aaaa> às <hh:mm:ss>) <usuario> inicia a análise do defeito.” 2.2. Finalização do Caso de Uso 1. O sistema volta a apresentar os detalhes do defeito. 86
  • 87. 3. Fluxos alternativos 3.1. Finalizando a análise de um defeito 1. O ator seleciona a opção “Finalizar Análise” durante a apresentação dos detalhes do defeito. 2. O sistema altera o estado do defeito para “Analisado”. 3. O sistema altera o responsável pelo defeito. 4. O sistema inclui o seguinte registro no histórico do defeito: “(<dd/mm/aaaa> às <hh:mm:ss>) <usuario> finaliza a análise do defeito.” 5. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.2. Corrigindo um defeito 1. O ator seleciona a opção “Corrigir” durante a apresentação dos detalhes do defeito. 2. O sistema altera o estado do defeito para “Em Correção”. 3. O sistema altera o responsável pelo defeito. 4. O sistema inclui o seguinte registro no histórico do defeito: “(<dd/mm/aaaa> às <hh:mm:ss>) <usuario> inicia a correção do defeito.” 5. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 3.3. Finalizando a correção de um defeito 1. O ator seleciona a opção “Finalizar Correção” durante a apresentação dos detalhes do defeito. 2. O sistema altera o estado do defeito para “Corrigido”. 3. O sistema altera o responsável pelo defeito. 4. O sistema inclui o seguinte registro no histórico do defeito: “(<dd/mm/aaaa> às <hh:mm:ss>) <usuario> finaliza a correção do defeito.” 87
  • 88. 5. O sistema retorna ao subfluxo 2.2 do fluxo básico. 88

×