Folksonomias - Apontamentos no Âmbito da Representação da Informação

  • 908 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
908
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
43
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. II Semana de Ciência da Informação 12, 13 e 14 de maio – ECI/UFMG Roger M. Guedes
  • 2. Organização da Informação
  • 3. Limitações do Mundo Físico Relação Associativa
  • 4. Limitações do Mundo Físico
      • Objetos físicos podem estar apenas em um lugar em um dado instante.
      • O espaço físico é compartilhado, então é possível ter apenas um layout, apesar das diferentes necessidades de cada um .
      • (WEINBERGER, 2007)
  • 5. Mundo Digital
    • DESORDEM
    • OU
    • NOVA ORDEM
    • ?
  • 6. Mundo Digital
    • (SHIRKY, 2005)
    Hierarquia
  • 7. Mundo Digital
    • (SHIRKY, 2005)
    Hierarquia com algumas ligações/remissivas
  • 8. Mundo Digital
    • (SHIRKY, 2005)
    Hierarquia com muitas ligações/remissivas
  • 9. Mundo Digital
    • (SHIRKY, 2005)
    Somente ligações [Links]
  • 10. Web 2.0
    • Termo criado por Tim O’Reilly (2005) para designar uma segunda geração de comunidades e serviços na plataforma Web , como aplicações baseadas em redes sociais e participativas.
    • (O’REILLY, 2005)
  • 11. Web 2.0
    • A sobrecarga de informação apresentada por bilhões de páginas da Internet forçou o desenvolvimento de novas ferramentas para administrar essa saturação, instrumentos que eliminam a necessidade de editores ou arquivistas centralizados, ferramentas que se apóiam em toda a comunidade de usuários.
    • Johnson (2003 )
    • Nesse contexto Classificação Social
  • 12. O que é Classificação Social? Características
    • Metadados adicionados por usuários;
    • Compartilhamento de recursos (fotos, música, url’s);
    • Software social, colaborativo;
    • Reatroalimentação social.
  • 13. O que é Classificação Social?
  • 14. Folksonomia
      • Neologismo criado por Thomas Vander Wal, pela junção de duas palavras:
      • FOLK (Povo, pessoas)
      • +
      • TAXONOMY (Taxonomia)
      • =
      • FOLKSONOMY
  • 15. Folksonomias
      • Folksonomia é o resultado da marcação pessoal e livre de informações e objetos para uma recuperação do mesmo. A marcação é feita em um ambiente social (geralmente partilhada e aberta aos outros).
      • (VANDER WAL, 2007)
  • 16. Representação da Informação Características Linguagem controlada Linguagem natural Linguagem livre Orientada por especialistas Orientada pelo autor Orientada pelo usuário Folksonomia Linguagens de indexação Orientação da indexação
  • 17. O que são tags ?
    • As tags ( etiquetas) são palavras-chave associadas a um determinado recurso de informação.
    • Através dessas tags , os recursos são classificados e compartilhados em ambientes sociais na Web.
  • 18. O que são tags ?
    • Etiquetagem significa atribuir etiquetas aos recursos Web.
    • Trata-se de uma indexação livre orientada pelos usuários.
  • 19. O que são tags ?
    • Etiquetagem ≠ Etiquetagem Social
  • 20. O que são tags ?
    • Etiquetagem ≠ Etiquetagem Social
    (SMITH, 2005)
  • 21. Tags, árvores, folhas...
    • As tags podem ser comparadas a folhas secas no chão de uma floresta em pleno o outono. (WEINBERGER, 2007)
  • 22. Folksonomias
    • Vantagens
    • Filosofia colaborativa/social;
    • Feedback imediato;
    • Inexistência de regras e padrões de vocabulários;
    • Formação de comunidades;
    • Navegabilidade/ Brownsing;
    • Baixo custo.
  • 23. Folksonomias
    • Desvantagens
    • Estrutura plana;
    • Inexistência de regras e padrões de vocabulários;
    • Sem controle de sinônimos, plurais, grafia, etc.;
    • Polissemia;
    • Baixa precisão.
  • 24. Folksonomias
    • “ Folksonomias não são a solução para todos os problemas de classificação e não são alternativas para os sistemas de classificação tradicionais que os bibliotecários têm projetado nos últimos anos.
    • Elas são simplesmente uma ferramenta poderosa e inovadora, que deve ser aplicada somente sob certas circunstâncias, e considerando suas próprias propriedades específicas e as diferenças em relação aos sistemas de classificação tradicionais. ”
    Emanuele Quintarelli, 2005
  • 25. Folksonomias
    • Quem se interessa?
  • 26. Folksonomias
    • Qual a importância que as folksonomias podem ter para os estudos em Ciência da Informação?
    • Atualização/melhoria dos instrumentos de representação (tesauros, ontologias, etc.);
    • Taxonomias/Folksonomias corporativas;
    • Tagging Literacy.
  • 27. Referências
    • JOHNSON, Steven. Emergência: a vida integrada de formigas, cérebros, cidades e softwares. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. 231 p.
    • O’REILLY, Tim. What Is Web 2.0? : design patterns and business models for the next generation of software. 2005. Disponível em: <http://www.oreillynet.com/go/web2> Acesso em: 06 nov. 2007
    • QUINTARELLI, E. Folksonomies: power to the people. In: INCONTRO ISKO ITALIA - UNIMIB, 2005, Milão. Papers... Milan: Universitá di Milano, 2005. Disponível em: <http://www.iskoi.org/doc/folksonomies.htm>. Acesso em: 02 jul 2008.
    • SHIRKY, Clay. Ontology is Overrated: categories, links, and tags. 2005. Disponível em: <http://www.shirky.com/writings/ontology_overrated.html>. Acesso em 03 abr. 2010.
    • SMITH, Gene. Sorting Out Social Classification . Presented at the 6th Information Architecture Summit. 2005. Disponível em: <http://atomiq.org/etc/folksonomies_smith_ia_summit_2005.pdf>. Acesso em 18 abr. 2010.
    • VANDER WAL, Thomas. Folksonomy Coinage and Definition . 2007. Disponível em: <http://www.vanderwal.net/folksonomy.html>. Acesso em: 02 nov. 2009.
    • WEINBERGER, David. A nova desordem digital . Tradução de Alessandra Mussi Araújo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 273 p.
  • 28.
      • OBRIGADO!
      • Meus contatos:
      • [email_address]
      • [email_address]