Aula revisão       ok
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Aula revisão ok

on

  • 1,659 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,659
Views on SlideShare
1,659
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Aula revisão       ok Aula revisão ok Presentation Transcript

    • UFRPE/EADLicenciatura em Computação-6P 2011.1 Tutor: Rodrigo Lins Rodrigues
    •  Volume I  Capítulo 1 – Fundamentos de Sistemas Operacionais;  Capítulo 2 – Componentes dos Sistemas Operacionais;  Capítulo 3 – Comunicação Inter-processo; Volume II  Capítulo 1 – Escalonamento de Processos;  Capítulo 2 – Gerenciamento de Memória;  Capítulo 3 – Memória Virtual;
    •  Possui um núcleo comum e serviços do próprio S.O distribuídos em diversos computadores interligados objetivando a conclusão de tarefas em comum; Componentes são fortemente acoplados, o não funcionamento de uma das partes pode comprometer o S.O .
    •  Executa sobre uma coleção de computadores; Cada um executa seu próprio sistema operacional; Trabalham juntos para tornar seus próprios serviços e recursos disponíveis; Os componentes são fracamente acoplados.
    •  O que é um Sistema Operacional? O que é o núcleo do sistema ou o kernel ? Por que dizemos que existe uma subutilização de recursos em sistemas monoprogramáveis? Qual a grande diferença entre sistemas monoprogramáveis e multiprogramáveis? O que determina que um sistema operacional é Preemptivo?
    • UFRPE/EADLicenciatura em Computação-6P 2011.1 Tutor: Rodrigo Lins Rodrigues
    •  O que é um processo? Quais os estados de um processo? Explique
    •  O conceito de processo foi criado devido à multiprogramação  Em SOs monoprogramados a memória é dividida entre SO e único programa em execução  Com multiprogramação a memória é dividida entre SO e  diversos processos
    •  Sistemas Monolíticos; Sistemas em Camadas; Máquinas Virtuais; Modelo Cliente-Servidor; Modelo MicroKernel.
    • UFRPE/EADLicenciatura em Computação-6P 2011.1 Tutor: Rodrigo Lins Rodrigues
    •  Escalonamento não-preemptivo: um processo que entra no processador roda até terminar, sem jamais ser interrompido. Escalonamento preemptivo: esta estratégia é baseada na atividade de preempção, permite a suspensão temporária da execução de um processo. 13
    •  É não preemptivo e baseia-se na estratégia de que o primeiro processo a entrar na fila deverá ser o primeiro a ser atendido. Esse algoritmo é empregado normalmente em sistemas do tpo lote e, em geral, possui um tempo médio de espera alto. 14
    •  Para superar o problema dos altos tempos de espera que o algoritmo FIFO apresenta, foi desenvolvida a política STCF, cuja tradução determina que o job que possui menor tempo, dentre os que estão na fila, será aquele selecionado primeiro. 15
    •  É a mais comum entre os preemptivos; A cada processo atribui-se um intervalo de tempo, chamado de fatia de tempo (time-slice), durante o qual ele poderá usar o processador; 16
    • UFRPE/EADLicenciatura em Computação-6P 2011.1 Tutor: Rodrigo Lins Rodrigues
    •  Gerenciador de Memória:  Componente do sistema responsável por gerenciar a memória. Tarefas do Gerenciador de Memória:  Controlar as partes livres e em uso memória;  Alocar e desalocar memória para processos;  Gerenciar a troca de processos entre a memória e o disco;. 18
    •  Foi implementada nos primeiros sistemas operacionais; Está presente em sistemas monoprogramaveis; A memória é subdividida em duas áreas: uma para o S.O e outra para o programa de usuário; 19
    •  Permite que diversos programas estejam na memória principal ao mesmo tempo 20
    •  O programas normalmente não preenchem totalmente as partições onde são carregados; Causa fragmentação interna; 21
    •  Tentativa de evitar o desperdício de memória; O tamanho das partições de memória não são fixos; 22
    •  Um tipo de fragmentação diferente começará a ocorrer; Quando os programas forem terminando e deixando espaços cada vez menores de memoria livre; 23
    •  Realocação de todas as partições ocupadas; Realocação dinâmica; Exige uma complexidade de algoritmo e consumo de recursos; 24
    •  Muitas vezes um programa não pode ser executado por falta de memória principal; O sistema escolhe um processo residente, que é transferido para a memória principal para a memória secundária; Posteriormente, o processo é carregado de volta para a memória principal; 25
    •  Quais as funções básicas da gerência de memória ? Qual a diferença entre fragmentação interna e externa da memória principal? Qual a limitação da alocação particionada estatística absoluta em relação à alocação estática relocável ? O que é swapping e para que é utilizada essa técnica? 26