RODRIGO BOTELHO DOS SANTOSTWITTER E JORNALISMO IMPRESSO      DO PAPEL AO PIXEL UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO         SÃO PAUL...
RODRIGO BOTELHO DOS SANTOSTWITTER E JORNALISMO IMPRESSO      DO PAPEL AO PIXEL           Trabalho de Conclusão de Curso, a...
iiiDEDICATÓRIAÀ minha noiva Cristiane, pela pessoa especial querepresenta em minha vida, e por estar sempre aomeu lado nos...
iv                                AGRADECIMENTOS       A Deus, pelo dom da vida e pela força que se faz guia nos momentos ...
v     Imprensa é um exército de 26 soldados de chumbo com o qual se podeconquistar o mundo.                               ...
vi                                        RESUMO       Este trabalho tem por objetivo apresentar o microblog e rede social...
7                                       LISTA DE FIGURASFIGURA 1. RASCUNHO DO TWITTER .......................................
8                                                           SUMÁRIOINTRODUÇÃO ...............................................
9INTRODUÇÃO       A convergência digital nunca foi tão bem observada quanto nestes últimos anos.Novas formas de se fazer j...
10impressa e jornalismo social e colaborativo, onde o receptor sai de seu papel de leitor linear ereceptor passivo, para n...
11principais vantagens e desvantagens do meio digital, mais especificamente do Twitter, emrelação ao impresso.       No te...
12CAPÍTULO 1.           WEBJORNALISMO E TWITTER       O jornalismo possui novas formas de chegar até seu público. A intern...
13       Os microblogs entram nesse contexto, por ser um estilo de publicação semelhante aoblog, porém caracterizado por f...
14disseminar conteúdos digitais relevantes. O profissional de edição de mídia social cumpre estepapel de intermediar quais...
15        A intenção inicial seria usar o formato de áudio, mas Jack Dorsey foi o primeiro apensar em criar um serviço que...
16evento, o número de mensagens publicadas no site saltou de 20 mil para 60 mil por dia(ORRICO, 2011).           No início...
17transmissão de informação entre um emissor e um receptor, enquanto o Twitter permite arealização de trocas assíncronas, ...
18       No serviço, não é necessária a criação de uma conta para acompanhar um perfil ouuma conversação acerca de um assu...
19        Várias funções foram implementadas ao longo do tempo. Os Trending Topics são osassuntos mais comentados na rede,...
20já que a internet estava sendo censurada pelo governo iraniano. As últimas eleiçõespresidenciais norte-americanas, em es...
21              FIGURA 3. TWEETS SOBRE O TERREMOTO NO JAPÃO                    Fonte: http://migre.me/terremoto-japao (2 d...
22          FIGURA 4. TWEETS DOS PERFIS DOS JORNAIS ESTADÃO E FOLHA             Fonte: http://twitter.com/estadao e http:/...
23                FIGURA 5. COBERTURA DE EVENTO NO TWITTER                        Fonte: http://twitter.com/gabizago (2 de...
24CAPÍTULO 2.            TWITTER FRENTE AO JORNALISMO IMPRESSO       Após a popularização da internet, o jornalismo tem so...
25       Apesar de oferecer algumas vantagens, em relação ao tradicional jornalismo impresso,atualmente o Twitter tem sido...
26        2.1.1. Instantaneidade        Em comparação ao tradicional jornalismo impresso, em específico ao jornal diário, ...
27       2.1.3. Interatividade       Outra característica positiva do Twitter, em relação ao jornal diário impresso, é apa...
28       2.2.2. Excesso de informação       As informações transmitidas nem sempre são recebidas pelos internautas, pela e...
29Diário de S. Paulo é um exemplo. Recentemente, em uma ousada mudança gráfica e editorial,transformou seu formato standar...
30CAPÍTULO 3.           PESQUISA DE CAMPO       Para compreender as diferenças de absorção de conteúdo jornalístico entre ...
31       Questão 1       Assinale quais cidades o presidente norte-americano Barack Obama visitou, emrecente viagem ao Bra...
32       a. Deixando todas as ações na Bolsa, com acionistas minoritários, e recebendo R$ 650milhões como empréstimo do FM...
33       Questão 5       Qual o valor do salário mínimo para 2011, aprovado na Câmara?       a. R$ 560       b. R$ 545    ...
34       Questão 1       Assinale quais cidades o presidente norte-americano Barack Obama visitou, emrecente viagem ao Bra...
35       a. Deixando todas as ações na Bolsa, com acionistas minoritários, e recebendo R$ 650milhões como empréstimo do FM...
36       Qual o valor do salário mínimo para 2011, aprovado na Câmara?       a. R$ 560       b. R$ 545       c. R$ 600    ...
37                         GRÁFICO 1. COMPARAÇÃO DE ACERTOS       Ao comparar os resultados das pesquisas dos dois grupos,...
38       Referente a questão 5, 80% das pessoas que acompanham notícias em jornal impressoobtiveram acerto, enquanto que, ...
39        CONSIDERAÇÕES FINAIS        Em meio à revolução que a tecnologia proporciona na produção jornalística, em umafas...
40           Pontos positivos como instantaneidade e jornalismo colaborativo contam nestesresultados. A maioria dos intern...
41REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASBOYD, D. M.; ELLISON, N. B. Social network sites: Definition, history, and scholarship.Journal...
42PALACIOS, Marcos Silva. Hipertexto, Fechamento e o uso do conceito de não-linearidadediscursiva. Lugar Comum, Rio de Jan...
43ANEXO A - QUESTIONÁRIO       Este questionário tem por objetivo analisar a absorção de notícias do período entre osmeses...
44       c. Tokyo       d. Pequim       3. O Banco PanAmericano foi protagonista do mais recente escândalo financeiro dopa...
45       6. “O ex-senador de Minas Gerais morreu nesta terça aos 79 anos, depois de lutar pormais de 13 anos contra um cân...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Twitter e Jornalismo Impresso: Do Papel ao Pixel

807 views

Published on

Trabalho de conclusão de curso da Uninove, sobre o papel do Twitter como ferramenta de conteúdo jornalístico.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
807
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Twitter e Jornalismo Impresso: Do Papel ao Pixel

  1. 1. RODRIGO BOTELHO DOS SANTOSTWITTER E JORNALISMO IMPRESSO DO PAPEL AO PIXEL UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO SÃO PAULO 2011
  2. 2. RODRIGO BOTELHO DOS SANTOSTWITTER E JORNALISMO IMPRESSO DO PAPEL AO PIXEL Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado ao curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, Turma 8A, Período da Manhã, Campus Memorial, da Universidade Nove de Julho (UNINOVE) Orientador: Profª Alexandre Barbosa UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO SÃO PAULO 2011
  3. 3. iiiDEDICATÓRIAÀ minha noiva Cristiane, pela pessoa especial querepresenta em minha vida, e por estar sempre aomeu lado nos momentos mais importantes.
  4. 4. iv AGRADECIMENTOS A Deus, pelo dom da vida e pela força que se faz guia nos momentos mais necessários. À minha família e amigos, sempre importantes na minha caminhada, entendendominha ausência durante estes anos de estudo. À minha noiva, que sempre me deu todo o apoio e encorajamento necessário a seguir agraduação, e aceitou se privar de minha companhia pelos estudos. A todos os que contribuíram direta ou indiretamente para o resultado final destetrabalho: os professores e colegas de classe que deram valorosas dicas de leitura; oscolaboradores que responderam à pesquisa de campo. Aos professores que, ao longo destes anos, cumpriram o papel de verdadeiros mestres.Mais do que transmitir conhecimento, contribuíram para o enriquecimento pessoal eprofissional.
  5. 5. v Imprensa é um exército de 26 soldados de chumbo com o qual se podeconquistar o mundo. Johannes Gutenberg
  6. 6. vi RESUMO Este trabalho tem por objetivo apresentar o microblog e rede social Twitter comoferramenta de trabalho para o jornalismo, e seu papel no cenário da comunicação atual,identificando o grau de importância no acompanhamento de informação. São apresentadassuas características em relação ao tradicional jornalismo impresso, e seus efeitos comparadosna transmissão, recepção e percepção de notícias. É fundamental conhecer a ferramenta, comoela surgiu e suas formas de utilização na mídia para entender sua importância para ojornalismo digital. Enquanto alguns consideram o Twitter apenas um diário virtual oupassatempo, muitos leitores e empresas do setor de comunicação descobriram o potencial dosite como meio de comunicação ágil, dinâmico, simples e participativo. Em meio aos novosdesafios do jornalismo no século 21, os meio digitais, incluindo a ferramenta Twitter,ascendem como novos transmissores de conteúdo.PALAVRAS-CHAVE: twitter; microblog; webjornalismo; convergência digital.
  7. 7. 7 LISTA DE FIGURASFIGURA 1. RASCUNHO DO TWITTER ............................................................................... 15FIGURA 2. PÁGINA PRINCIPAL DO TWITTER ................................................................ 17FIGURA 3. TWEETS SOBRE O TERREMOTO NO JAPÃO ............................................... 21FIGURA 4. TWEETS DOS PERFIS DOS JORNAIS ESTADÃO E FOLHA ....................... 22FIGURA 5. COBERTURA DE EVENTO NO TWITTER ..................................................... 23
  8. 8. 8 SUMÁRIOINTRODUÇÃO .......................................................................................................................... 9CAPÍTULO 1. WEBJORNALISMO E TWITTER ............................................................. 121.1. Webjornalismo .............................................................................................................. 131.2. Origem do Twitter ......................................................................................................... 141.3. Definição do Twitter ...................................................................................................... 161.4. Twitter como meio de comunicação jornalística ........................................................... 19CAPÍTULO 2. TWITTER FRENTE AO JORNALISMO IMPRESSO.............................. 242.1. Vantagens do meio ........................................................................................................ 252.1.1. Instantaneidade .......................................................................................................... 262.1.2. Acesso à informação .................................................................................................. 262.1.3. Interatividade ............................................................................................................. 272.2. Desvantagens do meio ................................................................................................... 272.2.1. Automatização da notícia ........................................................................................... 272.2.2. Excesso de informação .............................................................................................. 282.3. Convergência: do papel ao digital ................................................................................. 28CAPÍTULO 3. PESQUISA DE CAMPO ............................................................................ 303.1. Leitores de jornal impresso ........................................................................................... 303.2. Leitores de Twitter......................................................................................................... 333.3. Análise dos dados .......................................................................................................... 36CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................................... 39REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ..................................................................................... 41ANEXO A - QUESTIONÁRIO ............................................................................................... 43
  9. 9. 9INTRODUÇÃO A convergência digital nunca foi tão bem observada quanto nestes últimos anos.Novas formas de se fazer jornalismo surgem na mesma velocidade que se criam novasferramentas para comunicação através da web. A internet, inclusive, é o celeiro destastransformações. De início, apenas embarcando uma simples reprodução do conteúdo impresso padrão.Mais tarde, devido às características do meio digital, a linearidade imposta pelo jornalimpresso se rompe na web através do hipertexto, dando à notícia um caráter mais seletivo einstantâneo. Seletivo pela capacidade formidável de permitir ao receptor da mensagemexpandir seu potencial de escolha, tornando-o um ser mais ativo, capaz de decidir quaisnotícias prefere ler, se aprofundar em determinada matéria. Instantâneo pela capacidade dedar a notícia, em alguns casos, minutos depois do acontecido, e fazer com que o jornalimpresso dê a mesma notícia 24 horas depois. Apesar de tudo, o meio digital não é perfeito, eexistem suas deficiências, como a automatização da notícia e a ainda desconfiança sobre acredibilidade, em relação aos tradicionais meios de comunicação. Em meio a este conturbado e recente cenário, o presente trabalho tem por objetivoapresentar o Twitter como ferramenta de conteúdo jornalístico, devido às suas apropriações, eensaiar uma pequena comparação em relação ao jornal impresso. Não se trata de umacomparação de valores, afinal um meio não exclui o outro, mas sim complementa. O Twitter éum serviço de microblog e rede social, criado em 2006, que permite enviar e receberatualizações de pessoas e empresas, em até 140 caracteres – o chamado tweet. Hoje o Twitterse torna importante por permitir que empresas de comunicação portais de notícias cheguem aopúblico-alvo de forma ágil, e monitore e acompanhe resultados e impactos de campanhas enotícias, além de ser um notório meio de comunicação digital. Ao passo que a internet tende a tomar rumos cada vez mais sociais e colaborativos, osinternautas buscam serviços e sites onde façam parte do conteúdo, aproximando-os etornando-os mais pessoais. Por ser uma rede social mais colaborativa e dinâmica, muitasempresas jornalísticas e midiáticas abrem contas no Twitter para estar mais próximas dopúblico-alvo. O Twitter permite acompanhar tendências e feedback de notícias isoladamente,e cada vez mais o conteúdo jornalístico se torna presente dentro da rede social. O Twitter éum tema atual, que merece ser estudado, pois combina elementos como a queda da mídia
  10. 10. 10impressa e jornalismo social e colaborativo, onde o receptor sai de seu papel de leitor linear ereceptor passivo, para não linear e ativamente ligado ao conteúdo. Este trabalho se justificapelas contribuições que pode trazer ao tema. Como metodologia, para formas de relacionar e caracterizar a mídia impressatradicional e o Twitter, foi feita uma pesquisa quantitativa de campo, com base em duasamostras de pessoas, com 15 indivíduos cada. A primeira amostra, aqui denominada grupo A,é composta por pessoas que têm o hábito principal de ler notícias a partir do Twitter,acompanhando perfis de empresas jornalísticas, como Folha, Estado e Veja, entre outros.Permite-se acompanhar notícias em outras mídias, seja online ou impressa, mas de formasecundária ao Twitter. A segunda amostra, aqui denominada grupo B, é composta por pessoasque têm o hábito principal de ler notícias a partir de mídia impressa caracterizada jornal.Permite-se acompanhar notícias em outras mídias, seja online ou impressa, mas de formasecundária ao jornal impresso. Para compreender e caracterizar o meio digital, buscou-se o apoio teórico de autorescomo Wolton (2003), Zago (2008), Palacios (1999) e O‟Reilly (2005). Já nas característicasdo webjornalismo e mídia social, foram consultados Mielniczuk (2003), Boyd & Ellison(2007) e Lima Jr. (2009). Sobre as especificidades do Twitter, Sagolla (2009), Orrico (2011),Consoni e Oikawa (2009), Recuero e Zago (2010). Na prática jornalística do meio digital,buscou-se as teorias de Ferrari (2010) e pesquisas de Zago (2009). A parte das característicasde convergência digital foi baseada em José Afonso Furtado (2006). Neste trabalho, o conceito de microblog usado deriva-se da definição demicropostagens de Consoni e Oikawa (2009), que caracteriza a transmissão de mensagens nomeio digital num formato próximo a um blog. O termo hipertexto é o método de transmissãode informações baseada em computadores, de acordo com a definição de Ferrari (2010). Oconceito de webjornalismo usado vem de Mielniczuk (2003), que caracteriza-o comopublicações veiculadas na World Wide Web. Este trabalho se divide em três capítulos. De início, são introduzidas definições dowebjornalismo e características do meio, para apresentar o Twitter e seu histórico, definições,características e usos jornalísticos como apropriação do meio. No segundo capítulo, serão discutidas as relações, diferenças e especificidades entre ojornalismo impresso tradicional e o jornalismo no Twitter. São apresentadas algumas das
  11. 11. 11principais vantagens e desvantagens do meio digital, mais especificamente do Twitter, emrelação ao impresso. No terceiro capítulo, de forma a analisar o impacto e a absorção de notícias entre osdois meios comparados, são apresentados os resultados de uma pesquisa de campo. Umquestionário de múltipla escolha, contendo seis perguntas sobre o noticiário recente, foiapresentado a dois grupos: um grupo que acompanha notícias primariamente em jornalimpresso, e outro que acompanha através do Twitter. Ao fim, insinua-se uma possível semelhança na absorção de notícias através doTwitter como meio primário, em leitores que não acompanham jornal impresso, semdesvantagem em relação a leitores do tradicional meio.
  12. 12. 12CAPÍTULO 1. WEBJORNALISMO E TWITTER O jornalismo possui novas formas de chegar até seu público. A internet permite umuniverso de possibilidades para a comunicação, assim como o rádio e a televisãorevolucionaram a forma de nos relacionarmos com as informações. Por ser um meio emcrescente transformação, onde a todo tempo surgem novas ferramentas, a prática dowebjornalismo necessita se adaptar às mudanças. A forma tradicional de comunicação, onde o sentido da mensagem é linear entre oemissor e o receptor, se perde na internet, onde as possibilidades de diálogo entre estesindivíduos tornam-se mais complexa, com múltiplas ligações e fluxos. Neste estudo, abordaremos a ferramenta Twitter como um pioneiro do formatomicroblogging. Este formato foi criado em 2006, com o surgimento deste e de outros sites,mas começou a ganhar popularidade em 2007. O jornalismo, assim como outras áreas, logopercebeu o potencial da ferramenta Twitter como um novo meio de comunicação. Ascaracterísticas deste novo meio fizeram com que ele se destacasse. Segundo Wolton (2003, p.85) autonomia, domínio e velocidade são características das novas tecnologias decomunicação, e na Internet, “cada um pode agir, sem intermediário, quando bem quiser, semfiltro nem hierarquia e, ainda mais, em tempo real”. Na década de 1990, os sites eram construídos como páginas estáticas, com poucarenovação de conteúdo, e editados por uma ou poucas pessoas. A partir do ano 2000 os sitescomeçam a ser dinâmicos e constantemente atualizados. As páginas da web passaram a setornar plataformas de interação, onde qualquer um pode consumir e produzir conteúdo(ZAGO, 2008). São tantas as modificações ocorridas, que foi criado o termo Web 2.0(O‟REILLY, 2005) descrevendo a mudança da internet como uma plataforma, e odesenvolvimento de aplicativos que aproveitam esta mudança. Portanto, a Web 2.0 seria uma arquitetura de construção de sites que privilegia aparticipação do usuário (ZAGO, 2008). Sites criados do ano 2000 em diante eram muitodiferentes dos anteriores. A transformação dos sites pessoais – mais estáticos e atualizadospor uma pessoa – para os blogs – mais dinâmicos e participativos através de comentários –além do uso de outros elementos classificativos como tags são exemplos das transformaçõesprovocadas pela Web 2.0 (O‟REILLY, 2005).
  13. 13. 13 Os microblogs entram nesse contexto, por ser um estilo de publicação semelhante aoblog, porém caracterizado por funcionalidades reduzidas, em especial o tamanho do texto dasatualizações. As primeiras ferramentas de microblogging surgiram no início de 2006, como o Jaiku,em fevereiro, e o Twitter, em março. Neste trabalho, como forma de conhecer e usufruir da ferramenta Twitter, estudaremossua origem, suas características e sua função no jornalismo informativo atual. 1.1. Webjornalismo Para compreendermos melhor a abordagem do Twitter e das novas ferramentas atuais,é necessário definir o que é webjornalismo e apresentar outras terminologias que transitam naprática de jornalismo relacionado à web. Mielniczuk (2003) em seu estudo conclui que jornalismo digital é um termo muitoamplo, caracterizado como o jornalismo que emprega qualquer tecnologia de dados em formade bits, ou seja, digital. Já o webjornalismo é usado para designar publicações veiculadas naWorld Wide Web. “Na rotina de um jornalista contemporâneo estão presentes atividades que se enquadram em todas as nomenclaturas definidas. Vejamos pois, ao consultar o arquivo da empresa na qual trabalha, o profissional poderá assistir a uma reportagem gravada em fita VHS (jornalismo eletrônico); usar o recurso do e-mail para comunicar-se com uma fonte ou mesmo com seu editor (jornalismo online); consultar a edição anual condensada – editada em CD-ROM – de um jornal (jornalismo digital); verificar dados armazenados no seu computador pessoal (ciberjornalismo); ler em sites noticiosos disponibilizados na web material que outros veículos já produziram sobre o assunto (webjornalismo).” (MIELNICZUK, 2003) Ou seja, a prática jornalística adotada por editores de mídia social é chamada dewebjornalismo. Esta rotina envolve, basicamente, tarefas como buscar na home pageconteúdo noticioso relevante, condensá-lo em 140 caracteres e publicá-lo no Twitter com linkpara a matéria, ou mesmo automatizar este trabalho com ferramentas próprias. Segundo LimaJr. (2009), mídia social é o formato que permite, entre outras coisas, criar, compartilhar e
  14. 14. 14disseminar conteúdos digitais relevantes. O profissional de edição de mídia social cumpre estepapel de intermediar quais conteúdos devem ser publicados no Twitter, por exemplo. Outro termo a ser definido é o conceito de rede social, um dos usos do Twitter atravésde apropriação de seus usuários. Conforme Boyd & Ellison (2007) “Nós definimos redes sociais (social network sites) como serviços baseados na Web que permitem aos indivíduos (1) construírem um perfil público ou semipúblico dentro de um sistema interligado, (2) articular uma lista de outros usuários com quem eles compartilham uma conexão e (3) ver e cruzar a sua lista de conexões e aquelas feitas por outros dentro do sistema. A natureza e nomenclatura dessas conexões podem variar de site para site.” (Boyd & Ellison, 2007:on-line). Assim sendo, adotaremos o conceito de webjornalismo para a prática jornalística douso do Twitter como mídia social de disseminação de conteúdo noticioso. 1.2. Origem do Twitter O Twitter foi idealizado no início de 2006 como um serviço de comunicação internoda empresa Odeo Podcast, em San Francisco (SAGOLLA, 2009). Pensavam em criar umserviço que permitisse a continuação das discussões acerca dos trabalhos na empresa, usandoo celular. Segundo Sagolla (2009): “@Jack descreveu uma idéia que ele tinha desde 2001, chamado "Stat.us" (ver www.flickr.com/photos/jackdorsey/182613360). Seu conceito foi baseado na experiência inicial com recurso de status do LiveJournal durante o tempo em que ele estava escrevendo um software para envio de mensagens. "Eu quero ter um serviço de envio que nos conecte em nossos telefones usando o texto", disse ele1.” (SAGOLLA, 2009, p. 18)1 Tradução para: “@Jack described an idea he‟d had since 2001 called “Stat.us” (seewww.flickr.com/photos/jackdorsey/182613360). His concept was based on early experience with LiveJournal‟sstatus feature during a time when he was writing software for dispatch couriers. “I want to have a dispatchservice that connects us on our phones using text,” he said.
  15. 15. 15 A intenção inicial seria usar o formato de áudio, mas Jack Dorsey foi o primeiro apensar em criar um serviço que usasse SMS para informar a pequenos grupos o que você estáfazendo. Dom Sagolla e Jack Dorsey foram dois dos cofundadores do Twitter. FIGURA 1. RASCUNHO DO TWITTER Fonte: www.flickr.com/photos/jackdorsey/182613360 (2 de abril de 2011) Jack Dorsey postou a primeira mensagem no Twitter no dia 21 de março de 2006. Nosprimeiros anos, o serviço ainda era obscuro e pouco usado. A ascensão ocorreu em 2007,graças ao festival South by Southwest (SXSW), um evento que reúne startups2. Após o2 Startups são novas empresas, negócios ou projetos relacionados à inovação em tecnologia da informação. Umastartup possui características que as diferem das tradicionais pequenas e micro empresas, num contexto bastantedinâmico e sensível.
  16. 16. 16evento, o número de mensagens publicadas no site saltou de 20 mil para 60 mil por dia(ORRICO, 2011). No início ninguém sabia ao certo para que servia uma ferramenta onde você poderiadizer o que quisesse em 140 caracteres. O Twitter era visto como um fórum sem sentido, comfrases como “estou tomando café da manhã” ou “assistindo tal programa na tevê”. Aos poucosdescobriram outras formas de uso do serviço – muito mais úteis. Após suspeita de fraudes navitória de Mahmoud Ahmadinejad nas eleições presidenciais do Irã em julho de 2009,manifestantes saíram às ruas, e o governo proibiu a presença de jornalistas estrangeiros. OTwitter desempenhou um papel de extrema importância para a divulgação de notícias dolocal, chegando a sair do ar devido ao alto tráfego de usuários. Este fato acabou afirmando opapel da rede como um meio informativo (e também noticioso), e trouxe à ferramentavisibilidade internacional, inclusive ganhando atenção no Brasil (ORRICO, 2011). De acordocom a ComScore, o tráfego do Twitter disparou nos 12 meses após os distúrbios iranianos e onúmero de usuários cresceu 109%. Atualmente, o serviço ganha importância também para acobertura das manifestações do Oriente Médio, em países como a Líbia e Egito. Em lugaresonde o jornalismo tradicional não consegue acesso, o Twitter é a ferramenta capaz de divulgarao mundo estes eventos. Conforme Orrico (2011) hoje o Twitter vale cerca de R$ 12,6 bilhões, segundo aSharepost, bolsa de valores para negociação de ações de companhias privadas. São mais de140 milhões de mensagens por dia e cerca de 200 milhões de usuários cadastrados. Dados daeMarketer apontam que o Twitter arrecadou US$ 45 milhões em publicidade em 2010, comprevisão de US$ 150 milhões em 2011 e US$ 250 milhões em 2012. São mais de 200 milhõesde usuários. No Brasil, o segundo maior usuário de Twitter, um em cada cinco internautasestão lá. 1.3. Definição do Twitter O Twitter se define como uma rede de informações em tempo real, com base nosassuntos que o usuário considera interessante3. Mas outras definições mais específicas sãoatribuídas a ele. Consoni e Oikawa (2009) caracterizam o Twitter como um serviço demicropostagens. Segundo os autores, um serviço mensageiro, como Gtalk e MSN, prevê a3 Disponível em: http://twitter.com/about
  17. 17. 17transmissão de informação entre um emissor e um receptor, enquanto o Twitter permite arealização de trocas assíncronas, e também funciona como um repositório de informaçõespara o próprio usuário, emissor e receptor da mensagem. Outra corrente de pensamento sobrea definição do que é o Twitter vem de Recuero e Zago (2010), denominando-o como ummicromensageiro, por intermédio das apropriações conferidas pelos usuários à ferramenta.Também são atribuídas características de rede social ao serviço, por permitir interaçõessociais entre seus participantes. Será usada aqui a definição de micropostagens (CONSONI E OIKAWA, 2009), poisse enquadra mais à perspectiva deste trabalho. O intuito é entender o Twitter como ferramentade comunicação relacionada à informação, no caso jornalística. A variação microblog tambémserá utilizada. FIGURA 2. PÁGINA PRINCIPAL DO TWITTER Fonte: http://twitter.com (2 de abril de 2011)
  18. 18. 18 No serviço, não é necessária a criação de uma conta para acompanhar um perfil ouuma conversação acerca de um assunto qualquer, mas para que se possa interagir e postarconteúdo, é necessário o cadastro. Cada usuário/perfil é caracterizado por um sinal de arroba(@) que precede sua identificação na rede. Por exemplo, a conta do Twitter do presidentenorte americano, @barackobama. Cada atualização no serviço recebe o nome de tweet, onde são permitidos até 140caracteres. As atualizações podem ser enviadas através de short message service (SMS), pelaweb, por internet móvel (mobile web) ou por inúmeros aplicativos construídos a partir da APIdo sistema. Permite-se o uso de links para conteúdos como sites, imagens, vídeos dentro dolimite de 140 caracteres, amplificando assim o potencial de comunicação de cada tweet. Os usuários são convidados a responder à pergunta “What‟s happening?” (O que estáacontecendo?) ao atualizar seu Twitter. Porém a pergunta original era “What are you doing?”(O que você está fazendo?). Isto sugere a mutação sofrida ao longo destes cinco anos, atravésda apropriação de seus usuários em utilizar o serviço não apenas para dizer se estava tomandocafé ou assistindo tevê, mas principalmente transmitir conhecimento acerca dos fatos queestão ocorrendo ao seu redor, inclusive o compartilhamento de notícias. O termo “seguir” no Twitter, refere-se a acompanhar as atualizações (tweets) dedeterminado usuário, aparecendo assim em sua timeline – linha do tempo, reunião de todos ostweets de quem você segue, inclusive os seus. Usa-se o termo retweet para designar tweets que contêm citação de outro usuário. Paraidentificar que aquela frase é um retweet, por convenção usa-se a abreviação RT antes dotexto parafraseado. Por exemplo: “RT @jack just setting up my twitter”. É comum tambémincluir comentário do próprio “retuitador” antes do RT. Pode-se enviar uma mensagem direta privada a outro usuário, em forma de tweet.Desta forma, apenas o destinatário da mensagem lê e pode responder através do mesmo meio.Esta prática é chamada de Direct Message, ou sua sigla DM. O uso de hashtags permite o etiquetamento do tweet. Hashtags são palavras precedidasdo símbolo “#”. Primo (2008b) afirma que “o hashtag, como foi batizado, é um fenômenoemergente, um „protocolo social‟ compartilhado pelas pessoas que conhecem o processo.” Ouso deste recurso foi criado pelos usuários, e tomou conhecimento mundial após asmanifestações do Irã. Twitteiros e jornalistas passavam a etiquetar e categorizar seus tweetsrelacionados ao evento, identificando-os com o hashtag #IranElection.
  19. 19. 19 Várias funções foram implementadas ao longo do tempo. Os Trending Topics são osassuntos mais comentados na rede, que podem ser filtrados por país ou cidade. Na novaversão do Twitter, o nome deste recurso passou a se chamar Trends. O Who to Follow,sugestões automáticas de perfis para serem seguidos, de acordo com quem você segue.Recentemente o Twitter foi reformulado visualmente, e ganhou alguns recursos automáticosde retweets e DMs, uma barra lateral com funções integradas de vídeo e foto, além de outrasimplementações. 1.4. Twitter como meio de comunicação jornalística O intuito deste estudo é entender o Twitter como ferramenta de comunicaçãorelacionada à informação, aqui no caso jornalística. São significantes as formas como gruposde usuários interagem e se apropriam do Twitter, transferindo valores de informação para ele,complementando ou mesmo substituindo o acompanhamento de meios tradicionais (comojornais e revistas). Conforme conclui Consoni e Oikawa (2009) em seus estudos sobre as apropriaçõesdadas ao twitter como meio de comunicação, e baseando-se nos estudos de Recuero e Zago(2009) a maioria dos internautas não utiliza a ferramenta para responder à pergunta O quevocê está fazendo, mas sim para acesso a informação e conversação. O Twitter mudou suapergunta para O que está acontecendo, devido a apropriação da ferramenta pelos usuáriospara divulgar e acompanhar informação. Este é um claro exemplo da transformação doTwitter num novo meio de comunicação. O Twitter é um exemplo claro dos conceitos de lide e pacote de notícias, praticados nowebjornalismo moderno. Ferrari (2010) salienta a importância do lide no webjornalismo, paranão só resumir a notícia, mas também dar razões para que o internauta continue lendo. Umtweet de um perfil jornalístico nada mais é do que um pequeno lide da notícia acompanhado –em geral – de um link para ela. Cada link de tweet encaminha o internauta a um determinadopacote da mesma notícia. A apropriação do Twitter como meio de comunicação jornalística ocorreunaturalmente, e foi impulsionada por fatos como as eleições presidenciais do Irã. Apóssuspeita de fraudes na vitória de Mahmoud Ahmadinejad em julho de 2009, o Twitter foi umdos únicos meios onde os jornalistas encontravam espaço para divulgação de notícias locais,
  20. 20. 20já que a internet estava sendo censurada pelo governo iraniano. As últimas eleiçõespresidenciais norte-americanas, em especial a campanha de Barack Obama, também foramdecisivas para impulsionar o uso jornalístico do Twitter. No Brasil, casos como as forteschuvas que atingiram a região serrana do Rio de Janeiro foram amplamente discutidos dentrodo Twitter por seus usuários, chegando a permanecer vários dias nos trendings topicsbrasileiros, inclusive mundiais. As notícias eram transmitidas, muitas vezes, antes de outrosmeios de comunicação. No Oriente Médio, devido às ondas de manifestações, o Twitterreafirma seu papel de difusor de conteúdo jornalístico. Gabriela Zago (2009) ressalta que o conteúdo jornalístico no Twitter não é oferecidoapenas pelas organizações, ao abordar a utilização da ferramenta para finalidades voltadas aojornalismo. “Essas utilizações costumam ser feitas não só pelas organizações jornalísticas presentes na ferramenta, como também por usuários que utilizam da ferramenta para reportar acontecimentos, em uma prática de jornalismo colaborativo. Os usuários podem tanto usar a ferramenta para reportar acontecimentos que estejam presenciando, como para repassar ou comentar informações recebidas de outras fontes. Ao repassar informações recebidas de outras fontes, eles estariam atuando como filtro de informações.” (ZAGO, 2009, p. 9) Os usuários recebem a notícia e a repassam entre seus seguidores. Em muitos casos anotícia é lida dentro do Twitter, em um perfil como o do jornal O Estado de S. Paulo, eretransmitida para seus amigos através do retweet (RT), filtrando a informação e selecionandoa que considera mais relevante. Na figura abaixo, podemos perceber essa interação. O serviço de encurtamento de links Migre.me publicou uma reunião de linksencurtados e utilizados no Twitter sobre o terremoto seguido de tsunami no Japão, ocorridoem 11 de março de 2011. Na Figura 3, podemos observar que as notícias veiculadas em perfisjornalísticos são retweetadas, ou mesmo “linkadas” para a rede de contatos dos internautas.Muitas vezes são adicionados comentários sobre aquela notícia.
  21. 21. 21 FIGURA 3. TWEETS SOBRE O TERREMOTO NO JAPÃO Fonte: http://migre.me/terremoto-japao (2 de abril de 2011) Gabriela Zago (2008), a partir de um estudo do Twitter, apresenta várias formas de usojornalístico da ferramenta. O formato predominante de tweets de contas jornalísticas é ochamado feed, o qual será objeto deste nosso estudo. Sobre o formato feed, segundo a autora “...essa classificação foi usada para contas predominantemente usadas como um “feed” de notícias – ou porque o conteúdo é proveniente de um RSS de outro site, ou porque adotam um estilo parecido com o de um feed – de se apresentar as notícias em ordem cronológica inversa, com manchete e link.” (ZAGO, 2008, p. 83) Feeds são arquivos que “alimentam” leitores de RSS. Por sua vez, RSS é um sistemade agrupamento de conteúdo de um site, de acordo com Gabriela Zago (2008). Analisando ascontas de Twitter dos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo, podemos percebereste formato principal de comunicação jornalística empregado atualmente na ferramenta.
  22. 22. 22 FIGURA 4. TWEETS DOS PERFIS DOS JORNAIS ESTADÃO E FOLHA Fonte: http://twitter.com/estadao e http://twitter.com/folha_com (2 de abril de 2011) O Twitter do jornal Estado de S. Paulo (http://twitter.com/estadao) possui 104.545seguidores, enquanto o perfil do jornal Folha de S. Paulo tem atualmente 84.328 seguidores(http://twitter.com/folha_com)4. Percebe-se o uso de feed nestas contas, pois seu formato épraticamente igual ao de um RSS, com a inclusão de um link para a matéria relacionada, nofim do tweet. O link pode encaminhar o internauta ao site da própria instituição que tuitou, oupara conteúdos multimídias como vídeos, imagens e sons. Por ser uma forma automática detransmissão de conteúdo jornalístico, este formato não possui interação com seus seguidores,um ponto negativo. Porém, seguir contas de perfis jornalísticos é uma das principais formasque o usuário encontra para se manter informado, e repassar conteúdo para sua rede, comovisto anteriormente. Outra forma de divulgação de conteúdo jornalístico é através de perfis de profissionaisdo ramo. No exemplo abaixo, observa-se uma cobertura do I Encontro Regional deJornalismo Digital, comentado ao vivo pela jornalista e pesquisadora de cibercultura GabrielaZago. O encontro aconteceu no dia 02 de abril de 2011, pela Unisinos, em Porto Alegre (RS).4 Dados obtidos no dia 02 de abril de 2011.
  23. 23. 23 FIGURA 5. COBERTURA DE EVENTO NO TWITTER Fonte: http://twitter.com/gabizago (2 de abril de 2011) Este formato é utilizado quando transmite-se via Twitter a cobertura regular de fatos,ou acompanhamento de eventos ou acontecimentos (ZAGO, 2008, p. 84). O ponto forte destetipo de tweet jornalístico reside no fato de o profissional poder interagir com o internauta queacompanha suas postagens. Outra característica interessante é o caráter instantâneo dainformação através da cobertura.
  24. 24. 24CAPÍTULO 2. TWITTER FRENTE AO JORNALISMO IMPRESSO Após a popularização da internet, o jornalismo tem sofrido diversas mudanças quelevam à convergência digital. O webjornalista atual deve lidar com as mídias sociais einteragir com o receptor da mensagem. Como afirmam Salaverría, García Avilés e Massip(2008) o profissional desejado pelo mercado é o multimídia, capaz de trabalhar com as váriasferramentas digitais e novas plataformas de produção e publicação, além de interagir com opúblico. Este profissional deve ser capaz de produzir conteúdo para várias mídias, adaptando àslinguagens próprias de cada. É o caso do editor de mídias sociais, profissional responsável pelogerenciamento de comunidades do veículo na web e mediador do público, entre outras funções. O profissional atual também deve ser capaz de lidar com o hipertexto, linguagemutilizada na era da internet. Lembrando que a definição de hipertexto, por Ferrari (2010) é ométodo de transmissão de informações baseada em computadores, Palácios (2003) discute aideia de não-linearidade discursiva do hipertexto. “Nossa experiência de leitura dos Hipertextos deixa claro que é perfeitamente válido afirmar-se que cada leitor, ao estabelecer sua leitura, estabelece também uma determinada "linearidade" específica, provisória, provavelmente única. Uma segunda ou terceira leituras do mesmo texto podem levar a "linearidades" totalmente diversas, a depender dos links que sejam seguidos e das opções de leitura que sejam escolhidas, em momentos em que a história se bifurca ou oferece múltiplas possibilidades de continuidade.” (PALACIOS, 1999, p.4) Tais ideias sugerem a multilinearidade do hipertexto, em contraposição àunilinearidade do texto tradicional (PALACIOS, 1999, p.7). A multiplicidade de construçãode leituras no texto da internet, em específico no Twitter, permite que o usuário escolha osassuntos de sua preferência, suas editorias favoritas, crie listas com perfis sobre determinadoassunto. Enfim, mesmo o mito de que a informação na internet, e no Twitter, é muito rasa enão reflexiva, cai por terra se o internauta decidir pesquisar mais sobre o assunto. Partindo deum tweet até uma explanação mais profunda da informação dentro de um portal especializado,a ideia do pacote de notícias permite levar o assunto a níveis mais profundos, de acordo comos interesses do tuiteiro.
  25. 25. 25 Apesar de oferecer algumas vantagens, em relação ao tradicional jornalismo impresso,atualmente o Twitter tem sido pouco explorado de forma criativa pelas empresas midiáticas.O webjornalismo no Twitter se apresenta, em sua maioria, apenas como uma meratransposição do formato feed dos portais jornalísticos para o microblog. Como abordadoanteriormente, conforme Gabriela Zago (2008), feed é o formato de conteúdo jornalístico nomicroblog proveniente de um RSS de outro site, ou um estilo parecido. Desta forma, o usuário que segue um perfil como o do jornal O Estado de S. Paulo(@estadao) acompanha as últimas notícias do portal, o http://www.estadao.com.br/,transportadas para o Twitter em formato feed. Do Twitter, lê-se a notícia, e caso ela seja deinteresse do usuário, este clica no link que a acompanha, e lê a notícia completa no portal. Conforme conclui Zago (2008), esta forma de utilização não explora plenamente aspotencialidades do Twitter, como mobilidade e atualizações rápidas. Não há uma produçãoespecífica para a ferramenta, mas sim a reprodução do conteúdo de feeds RSS dos portaisjornalísticos. Em comparação com outras formas de produção, o Twitter se torna apenas umareprodução do conteúdo encontrado em outros locais. Mesmo que, dentro da ferramenta, oformato feed contribua para uma atualização dos fatos noticiosos, este tipo de utilização aindaé limitado frente às vastas apropriações de uso do microblog. “RSS vem de Really Simple Syndication, que quer dizer: realmente simples. Ele te permite fazer uma assinatura para ter acesso a um feed de informação que é transmitido diretamente a seu leitor RSS ou navegador Web. Assim, ao invés de visitar diferentes páginas Web ou executar os mesmos mecanismos de busca várias vezes, você pode acessar um leitor de RSS que fará toda a coleta dos feeds para você, automaticamente.” (BRIGGS, 2007, p.20) Atualmente, e na maior parte, o Twitter funciona como uma espécie de leitor RSS deconteúdo jornalístico, onde o usuário acompanha vários veículos de comunicação em um sólugar, de forma automática e quase instantânea. 2.1. Vantagens do meio A seguir citaremos algumas das vantagens do Twitter como meio comunicacional, emrelação ao jornal impresso.
  26. 26. 26 2.1.1. Instantaneidade Em comparação ao tradicional jornalismo impresso, em específico ao jornal diário, avantagem principal do Twitter é a instantaneidade. Briggs (2007) ressalta que, nareestruturação do jornal estadunidense Los Angeles Times, foi enfatizada primeiramente apublicação da versão digitalizada e secundariamente a versão impressa do jornal, em 2007. Afilosofia da versão online do jornal era “descubra na Web e veja os detalhes na versãoimpressa”. Não há como negar a velocidade da informação na internet, em especial no Twitter,onde em muitos casos em que a reportagem não foi ainda concluída, é antecipada nomicroblog. Enquanto a notícia chega um dia depois através do jornal impresso, na internet elachega quase que instantaneamente. Ao longo do dia, a notícia vai recebendo um tratamento deacordo com sua importância, recebendo mais conteúdo, infográficos, matérias especiais,ilustrações, fotos, etc. Outros exemplos de instantaneidade são coberturas ao vivo de eventos, entrevistas eacontecimentos. Em geral, o Twitter tem cumprido muitas vezes o papel de meio paratransmissão de coberturas ao vivo. 2.1.2. Acesso à informação O Twitter se beneficia das vantagens de seu meio. A internet revolucionou a formacomo nos comunicamos e o acesso à informação (FERRARI, 2010, pg. 79). Através dosconceitos da leitura multilinear, abordados anteriormente segundo Palácios (2003), ointernauta pode escolher se quer ou não se aprofundar em determinada informação, partindode um link obtido em um tweet, até chegar a uma matéria mais completa e reflexiva numportal de notícias. Enquanto no jornal impresso a informação vem pré-estabelecida, podendo estarpresente ou não na edição atual, na internet o leitor procura a informação específica, e seaprofunda nela. O internauta escolhe a notícia de acordo com seu interesse, e cria uma ediçãoprópria, filtrando as informações, e definindo o grau de aprofundamento de cada notícia. Oacesso à informação se torna menos restrito do que no jornal impresso, pré-editado, pré-estabelecido.
  27. 27. 27 2.1.3. Interatividade Outra característica positiva do Twitter, em relação ao jornal diário impresso, é aparticipação ativa do receptor da mensagem. Segundo Pierre Lévy (1999), o termo"interatividade" em geral ressalta a participação ativa do beneficiário de uma transação deinformação. Conforme o autor, o grau de interatividade de uma mídia pode ser medido combase em algumas características como as possibilidades de apropriação e de personalização damensagem. Uma outra característica é a reciprocidade da comunicação – um dispositivocomunicacional “um-um” ou “todos-todos”. Em comparação ao jornal impresso, estascaracterísticas acima se tornam mais latentes no Twitter. A interatividade é observada também com comentários sobre cada notícia. Além doTwitter, em portais de notícia, o internauta tem um espaço para publicar comentários arespeito da matéria. Em alguns sites, ele pode dar nota e enviar a notícia para um amigo – noTwitter pode-se retuitar a notícia. 2.2. Desvantagens do meio Abordaremos a seguir algumas das principais desvantagens do Twitter, em relação aojornalismo impresso. 2.2.1. Automatização da notícia Devido às características do meio digital, a produção de notícias no Twitter,acompanhando o webjornalismo como um todo, se torna cada vez mais automatizado. Novastecnologias da informação e suas subdivisões com softwares cada vez mais modernos estãotransformando o “fazer jornalístico” num processo automatizado e muito particular(FERRARI, 2010, pg. 78). A notícia se torna apenas um produto, e as empresas cuidam deentregar as informações 24 horas por dia. Não se preocupa em saber se o leitor/internauta estásendo informado, mas apenas em repassar a informação.
  28. 28. 28 2.2.2. Excesso de informação As informações transmitidas nem sempre são recebidas pelos internautas, pela enormequantidade de dados transmitidos. Com tanta carga de notícias, o internauta tende a absorvermenos conteúdo se não focar em determinadas informações. O Twitter é a extensão de sitesjornalísticos, e guarda muitas das características destes. “Os sites de conteúdo jornalístico e de entretenimento produzem, trafegam e armazenam informação. O internauta é bombardeado 24 horas por dia e sete dias por semana com informação e dados, que podem ser arquivos de texto, áudio, vídeo ou imagens.” (FERRARI, 2010, pg. 79) No caso do Twitter, um usuário que segue vários perfis jornalísticos, como os dosjornais O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e da revista Veja, na maioria das vezes nãoconsegue acompanhar todo o noticiário, apenas fragmentos dele. Além de receber uma grandequantia de informações destes e de outros veículos, acompanha invariavelmente outros perfis,informativos ou não, de amigos, parentes, celebridades e empresas terceiras, por exemplo. 2.3. Convergência: do papel ao digital Como afirma José Afonso Furtado (2006), a internet permite o surgimento de novasformas de escrita, edição, distribuição e leitura. É bem verdade que a internet transformou omodo com que acompanhamos o noticiário e consumimos informação. O autor tambémafirma que a passagem da cultura do papel para o digital não significa a morte de uma para osurgimento de outra, mas sim uma transição. Uma nova tecnologia não acaba com a outra. Ouseja, a tendência é que o jornal impresso não deixe de existir, mas sua existência mude. Anotícia no papel será consumida de outra forma, com matérias mais frias e analíticas,enquanto a notícia online tende a assumir um papel de informar de forma mais imediata einstantânea. O jornalismo impresso vem sofrendo mudanças com o passar dos anos. Atualmente,alguns jornais mudaram sua postura para incluir matérias mais pós-noticiosas, e alteraram oformato do impresso para tablóide, seguindo as transformações dos jornais europeus. O jornal
  29. 29. 29Diário de S. Paulo é um exemplo. Recentemente, em uma ousada mudança gráfica e editorial,transformou seu formato standard para tablóide, e adotou uma postura editorial com matériasmais pós-noticiosas, com características de revista. De fato, o jornal impresso vem sofrendo alterações, muitas relacionadas ás novasmídias. Enquanto a internet assume um caráter mais imediato de informação, com notíciasquentes e atualizações constantes, o jornal impresso tende a ser uma mídia de consultaposterior, mais centrada em explicar os fatos que já ocorreram, de forma mais analítica. José Afonso Furtado (2006) também afirma que as novas mídias trabalham emconjunto com as mídias tradicionais. Como dito, enquanto a notícia online cumpre a funçãode informar de forma instantânea e imediata, o jornal impresso tende a ser uma consultaposterior mais reflexiva. Outras influencias marcantes que impulsionam o uso do jornalismo digital e owebjornalismo são fatores como o custo da impressão e distribuição em papel e asustentabilidade.
  30. 30. 30CAPÍTULO 3. PESQUISA DE CAMPO Para compreender as diferenças de absorção de conteúdo jornalístico entre os meiosimpresso e digital (Twitter), optou-se por trabalhar com uma abordagem quantitativa. Assim,pode-se estudar melhor a percepção do noticiário recente entre os leitores de jornal impresso,e internautas que acompanham notícias através do Twitter. Para isto, foi elaborado um questionário como técnica de pesquisa para coleta dedados. Este questionário contém seis perguntas de múltipla escolha, cada questão contendoquatro opções, sendo apenas uma correta. O questionário contém perguntas relativas a notícias dos meses de fevereiro e marçode 2011. Foi aplicado no mês de abril de 2011, de duas formas: uma versão impressa paraleitores de jornal, e uma versão online para leitores do Twitter acessada através do endereçohttp://bit.ly/questionariotcc. Ambas as pesquisas estão anexadas a este trabalho. A pesquisa foi realizada com 15 pessoas que acompanham notícias em jornalimpresso, e 15 pessoas que acompanham notícias através do Twitter. Pessoas queacompanham notícias em jornal impresso podem acompanhar também em outros meios,menos Twitter. Assim como as que acompanham notícias pelo Twitter podem acompanharoutros meios, excluindo jornal impresso. Esta pesquisa não é conclusiva, pois não são analisadas as formas de acompanhamentode cada meio, mas sim é analisado o conhecimento do noticiário recente. Por exemplo, háusuários diferentes em cada meio. Enquanto um leitor de notícias no Twitter pode seguirapenas perfis jornalísticos, outro segue apenas um perfil. Além disso, um assinante de jornalimpresso pode ler o jornal todo, enquanto outro assinante lê apenas seus cadernos preferidos.Os resultados são válidos apenas para entender de forma geral como se dá a compreensão efixação das notícias recentes, de modo geral, comparadas lado a lado. 3.1. Leitores de jornal impresso A seguir serão analisadas as respostas do questionário aplicado às pessoas queacompanham o noticiário pelo jornal impresso.
  31. 31. 31 Questão 1 Assinale quais cidades o presidente norte-americano Barack Obama visitou, emrecente viagem ao Brasil: a. Brasília e São Paulo b. São Paulo e Salvador c. Brasília e Rio de Janeiro d. Rio de Janeiro e São Paulo A resposta correta é a alternativa C, Brasília e Rio de Janeiro. Foi identificado que 14 pessoas, representando 93,33% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto apenas 1 pessoa, representando 6,67%, optou pelaalternativa A. Questão 2 Qual o local mais atingido pelo terremoto seguido de tsunami ocorrido dia 11 demarço no Japão? a. Miyagi b. Iwate c. Tokyo d. Pequim A resposta correta para esta questão é a alternativa A, “Miyagi”. Foi identificado que 11 pessoas, representando 73,33% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 3 pessoas, representando 20%, optou pela alternativa B e 1pessoa optou pela alternativa C, representando 6,77%. Questão 3 O Banco PanAmericano foi protagonista do mais recente escândalo financeiro do país.Como o BTG Pactual e o Grupo Silvio Santos acertaram a venda do banco?
  32. 32. 32 a. Deixando todas as ações na Bolsa, com acionistas minoritários, e recebendo R$ 650milhões como empréstimo do FMI. b. Recebendo R$ 650 milhões como empréstimo do FMI e vendendo 36,56% docapital total do banco por R$ 739,27 milhões à CEF. c. O Banco PanAmericano foi vendido por R$ 450 bilhões para o Banco Itaú. d. Vendendo 36,56% do capital total do banco por R$ 739,27 milhões à CEF,deixando o restante de ações na Bolsa, e recebendo empréstimo do Fundo Garantidor deCréditos. A resposta correta para esta questão é a alternativa D, “Vendendo 36,56% do capitaltotal do banco por R$ 739,27 milhões à CEF, deixando o restante de ações na Bolsa, erecebendo empréstimo do Fundo Garantidor de Créditos.” Foi identificado que 8 pessoas, representando 53,33% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 5 pessoas, representando 33,33%, optou pela alternativa B e2 pessoas optaram pela alternativa C, representando 13,33%. Questão 4 “Menos de 20 horas após ir à TV dizer que ficaria no poder e não aceitaria pressãoexterna, renunciou ao posto que ocupava desde 1981. O vice Omar Suleiman anunciou queum conselho das Forças Armadas governará o país.” De quem a notícia fala, e de qual país? a. Hosni Mubarak, Egito b. Hugo Chavez, Venezuela c. Mahmoud Ahmadinejah, Irã d. Fidel Castro, Cuba A resposta correta para esta questão é a alternativa A, “Hosni Mubarak, Egito”. Foi identificado que 11 pessoas, representando 73,33% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 2 pessoas, representando 13,33%, optou pela alternativa D e1 pessoa optou pela alternativa B, representando 6,67%. Por fim, 1 pessoa, representando6,67% optou pela alternativa C.
  33. 33. 33 Questão 5 Qual o valor do salário mínimo para 2011, aprovado na Câmara? a. R$ 560 b. R$ 545 c. R$ 600 d. R$ 610 A resposta correta para esta questão é a alternativa B, “R$ 545”. Foi identificado que 12 pessoas, representando 80% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 2 pessoas, representando 13,33%, optou pela alternativa A e1 pessoa optou pela alternativa C, representando 6,67%. Questão 6 “O ex-senador de Minas Gerais morreu nesta terça aos 79 anos, depois de lutar pormais de 13 anos contra um câncer na região abdominal.” A quem se refere esta notícia,veiculada logo após o fato, em 29/03/11? a. Jader Barbalho, senador. b. José Alencar, vice-presidente. c. José Sarney, presidente do senado. d. José Alencar, ex vice-presidente. A resposta correta para esta questão é a alternativa D, “José Alencar, ex vice-presidente”. Foi identificado que 13 pessoas, representando 86,67% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 1 pessoa, representando 6,67%, optou pela alternativa A e 1pessoa optou pela alternativa B, representando 6,67%. 3.2. Leitores de Twitter A seguir serão analisadas as respostas do questionário aplicado às pessoas queacompanham o noticiário pelo Twitter.
  34. 34. 34 Questão 1 Assinale quais cidades o presidente norte-americano Barack Obama visitou, emrecente viagem ao Brasil: a. Brasília e São Paulo b. São Paulo e Salvador c. Brasília e Rio de Janeiro d. Rio de Janeiro e São Paulo A resposta correta é a alternativa C, Brasília e Rio de Janeiro. Foi identificado que 11 pessoas, representando 73,33% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 2 pessoas, representando 13,33%, optaram pela alternativaA e 2 pessoas, representando 13,33% optaram pela alternativa D. Questão 2 Qual o local mais atingido pelo terremoto seguido de tsunami ocorrido dia 11 demarço no Japão? a. Miyagi b. Iwate c. Tokyo d. Pequim A resposta correta para esta questão é a alternativa A, “Miyagi”. Foi identificado que todas as 15 pessoas, representando 100% do total dosentrevistados, acertaram esta questão. Questão 3 O Banco PanAmericano foi protagonista do mais recente escândalo financeiro do país.Como o BTG Pactual e o Grupo Silvio Santos acertaram a venda do banco?
  35. 35. 35 a. Deixando todas as ações na Bolsa, com acionistas minoritários, e recebendo R$ 650milhões como empréstimo do FMI. b. Recebendo R$ 650 milhões como empréstimo do FMI e vendendo 36,56% docapital total do banco por R$ 739,27 milhões à CEF. c. O Banco PanAmericano foi vendido por R$ 450 bilhões para o Banco Itaú. d. Vendendo 36,56% do capital total do banco por R$ 739,27 milhões à CEF,deixando o restante de ações na Bolsa, e recebendo empréstimo do Fundo Garantidor deCréditos. A resposta correta para esta questão é a alternativa D, “Vendendo 36,56% do capitaltotal do banco por R$ 739,27 milhões à CEF, deixando o restante de ações na Bolsa, erecebendo empréstimo do Fundo Garantidor de Créditos.” Foi identificado que 10 pessoas, representando 66,67% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 4 pessoas, representando 26,67%, optou pela alternativa B e1 pessoa optou pela alternativa C, representando 6,67%. Questão 4 “Menos de 20 horas após ir à TV dizer que ficaria no poder e não aceitaria pressãoexterna, renunciou ao posto que ocupava desde 1981. O vice Omar Suleiman anunciou queum conselho das Forças Armadas governará o país.” De quem a notícia fala, e de qual país? a. Hosni Mubarak, Egito b. Hugo Chavez, Venezuela c. Mahmoud Ahmadinejah, Irã d. Fidel Castro, Cuba A resposta correta para esta questão é a alternativa A, “Hosni Mubarak, Egito”. Foi identificado que 12 pessoas, representando 80% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 2 pessoas, representando 13,33%, optou pela alternativa B e1 pessoa optou pela alternativa C, representando 6,67%. Questão 5
  36. 36. 36 Qual o valor do salário mínimo para 2011, aprovado na Câmara? a. R$ 560 b. R$ 545 c. R$ 600 d. R$ 610 A resposta correta para esta questão é a alternativa B, “R$ 545”. Foi identificado que 12 pessoas, representando 80% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 1 pessoa, representando 6,67%, optou pela alternativa A, 1pessoa, representando 6,67%, optou pela alternativa C e 1 pessoa, representando 6,67%, optoupela alternativa D. Questão 6 “O ex-senador de Minas Gerais morreu nesta terça aos 79 anos, depois de lutar pormais de 13 anos contra um câncer na região abdominal.” A quem se refere esta notícia,veiculada logo após o fato, em 29/03/11? a. Jader Barbalho, senador. b. José Alencar, vice-presidente. c. José Sarney, presidente do senado. d. José Alencar, ex vice-presidente. A resposta correta para esta questão é a alternativa D, “José Alencar, ex vice-presidente”. Foi identificado que 13 pessoas, representando 86,67% do total dos entrevistados,acertaram esta questão, enquanto 2 pessoa, representando 13,33%, optou pela alternativa B. 3.3. Análise dos dados De acordo com a pesquisa realizada e os dados analisados, foram obtidos resultadosque permitem apresentar os seguintes entendimentos.
  37. 37. 37 GRÁFICO 1. COMPARAÇÃO DE ACERTOS Ao comparar os resultados das pesquisas dos dois grupos, podemos perceber que, demodo geral, em ambos os meios de comunicação, mais de 50% das pessoas responderam àsquestões corretas. Não houve diferenças significativas. Em relação a questão 1, 93,33% das pessoas que acompanham notícias em jornalimpresso obtiveram acerto, enquanto que, do número de pessoas que acompanham notíciasatravés do Twitter, 73,33% acertaram a mesma questão. Referente a questão 2, 73,33% das pessoas que acompanham notícias em jornalimpresso obtiveram acerto, frente a 100% de pessoas que acompanham notícias através doTwitter que acertaram a mesma questão. Na questão 3, 53,33% das pessoas que acompanham notícias em jornal impressoobtiveram acerto, enquanto que, do número de pessoas que acompanham notícias através doTwitter, 66,67% acertaram a mesma questão. Em relação a questão 4, 73,33% das pessoas que acompanham notícias em jornalimpresso obtiveram acerto, frente a 80% de pessoas que acompanham notícias através doTwitter que acertaram a mesma questão.
  38. 38. 38 Referente a questão 5, 80% das pessoas que acompanham notícias em jornal impressoobtiveram acerto, enquanto que, do número de pessoas que acompanham notícias através doTwitter, 80% acertaram a mesma questão. Por fim, em relação a questão 6, 86,67% das pessoas que acompanham notícias emjornal impresso obtiveram acerto, frente a 86,67% de pessoas que acompanham notíciasatravés do Twitter que acertaram a mesma questão. Verifica-se, portanto que utilizando o Twitter como meio de comunicação, obtém-seresultados semelhantes em comparação aos leitores de jornal impresso. Gabriela Zago (2009)explica as utilizações do Twitter como ferramenta de conteúdo jornalístico. “Essas utilizações costumam ser feitas não só pelas organizações jornalísticas presentes na ferramenta, como também por usuários que utilizam da ferramenta para reportar acontecimentos, em uma prática de jornalismo colaborativo. Os usuários podem tanto usar a ferramenta para reportar acontecimentos que estejam presenciando, como para repassar ou comentar informações recebidas de outras fontes. Ao repassar informações recebidas de outras fontes, eles estariam atuando como filtro de informações.” (ZAGO, 2009, p. 9) O que os resultados da pesquisa de campo acenam, em conjunto à pesquisabibliográfica, é que, em alguns níveis de aprofundamento, a absorção de notícias no Twitter,em relação ao jornal impresso, não sofre grande ou nenhuma desvantagem.
  39. 39. 39 CONSIDERAÇÕES FINAIS Em meio à revolução que a tecnologia proporciona na produção jornalística, em umafase de transição do impresso ao digital, o jornalismo acentua seu caráter de transformação.Somado a isto e a mudanças também da web, cada vez mais social, diversas ferramentassurgem como novos meios à transmissão de notícias. O Twitter é uma delas, pelo uso eapropriação de suas funções. O jornalismo necessita da adaptação e adoção destas mudanças. Este trabalho procurou fornecer uma visão mais próxima do leitor em relação aoacompanhamento de notícias em dois distintos meios de comunicação: o jornal impresso e oTwitter, produto da web. Por ser característica da pesquisa qualitativa, não é possívelmensurar com extrema exatidão os graus de informação e obtenção de notícias, pois váriosfatores influem neste produto. Por exemplo, o significado e apropriação individual que cadainternauta dá ao Twitter, assim como um leitor de jornal impresso não lê da mesma forma queoutro. Ainda assim, o trabalho é um estudo inicial de uma ferramenta recente, pelo fato de iralém do senso comum ao comparar o impresso ao digital, e possibilitar novas respostasatravés de um acompanhamento mais incisivo da recepção da informação. Procurou-se comparar a recepção de notícias entre indivíduos que se mantéminformados usando o Twitter como principal meio, e outros que utilizam jornal impresso. Oque os resultados do trabalho insinuam é que não há grande ou nenhuma desvantagem naabsorção de notícias no Twitter, em relação ao jornal impresso. Normalmente, quem usa apenas o Twitter como meio de recepção de notícias absorvemais informações, porém de forma mais superficial, se comparado a um leitor assíduo dejornal impresso. Um leitor de mídia impressa tende a analisar melhor as principais notícias,mas da forma tradicional – linear e pouco colaborativa. O “tuiteiro” tem ferramentas para obter informações complementares e adicionais,multimídia e multimeios, muitas vezes mais próximas da visão da realidade única, veiculadana grande mídia e nos meios de comunicação de massa. Pode aprofundar seu conhecimentoem notícias de seu interesse, a partir de tweets de perfis jornalísticos, clicando em links quelevam a portais com variados níveis da notícia. Tem acesso ao jornalismo alternativo eversões diferentes da mesma matéria, onde pode, inclusive, ser ouvido e criar sua próprialeitura de notícias.
  40. 40. 40 Pontos positivos como instantaneidade e jornalismo colaborativo contam nestesresultados. A maioria dos internautas do Twitter que segue perfis de conteúdo noticioso tendea se manter informada em tempo quase real. Lendo os tweets destes perfis e, principalmente,acompanhando e/ou participando de discussões acerca dessas notícias, além de repassar asinformações, o internauta absorve conteúdo e o mantém circulando. Ainda assim, o Twitter tem muito a oferecer ainda, e pouco foi explorado. Comoobservado, a principal forma de utilização jornalística dos meios de comunicação é a simplesreprodução do conteúdo de portais para a plataforma. Outras formas de apropriação poderãoser melhor exploradas, em uma ferramenta de inúmeras aplicações. Freqüentes discussões acerca da queda do jornal impresso e novas tecnologias para ojornalismo digital contribuem para dar maior importância a este tema. Estudos referentes aoimpresso definem que sua existência mudará ao longo dos anos, pela interferência do meiodigital. Vários fatores contribuíram para que o Twitter se tornasse um meio importante natransmissão de conteúdo noticioso ao longo de seus curtos cinco anos de vida. Em uma era deconstante transição e mutação do fazer jornalístico, devido às contribuições da tecnologia, oTwitter tem ganhado cada vez mais espaço como meio de comunicação de notícias. Asempresas de comunicação estão cada vez mais reconhecendo o potencial desta plataforma.Conhecer e estudar suas características torna-se importante para o webjornalismo.
  41. 41. 41REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASBOYD, D. M.; ELLISON, N. B. Social network sites: Definition, history, and scholarship.Journal of Computer-Mediated Communication, v. 13 n.1, 2007. Disponível em<http://jcmc.indiana.edu/vol13/issue1/boyd.ellison.html>. Acesso em 02 mar 2011.BRIGGS, Mark. Jornalismo 2.0: Como sobreviver e prosperar. Knight Center for Journalismin the Americas, 2007. Tradução: Carlos Castilho. Disponível em<http://knightcenter.utexas.edu/Jornalismo_20.pdf>. Acesso em: 23 abr. 2011.CONSONI, Gilberto B. ; OIKAWA, Erika. A representação dos profissionais de comunicaçãono Twitter: Análise dos perfis de Marcelo Tas e Edney Souza. In: XXXII CongressoBrasileiro de Ciências da Comunicação, 2009, Curitiba. Anais do XXXII CongressoBrasileiro de Ciências da Comunicação. São Paulo : Intercom - Sociedade Brasileira deEstudos Interdisciplinares da Comunicação, 2009.FERRARI, Pollyana. Jornalismo digital. São Paulo: Contexto, 2010.FURTADO, José Afonso. O Papel e o Pixel. Do impresso ao digital: continuidades etransformações. Florianópolis: Escritório do Livro, 2006.GARCÍA AVILÉS, José Alberto; SALAVERRÍA, Ramón; MASIP, Pere. Convergenciaperiodística em los médios de comunicación. Propuesta de definición conceptual y operativa.In: SÁBADA, Charo et al. Métodos de investigación sobre convergencia periodística. In:NOCI, Javier Díaz; PALACIOS, Marcos (Org). Metodologia para o estudo dos cibermeios:estado da arte & perspectivas. Salvador: EDUFBA, 2008.LAGE, Nilson. Estrutura da notícia. São Paulo: Ática, 1999.LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.L. JUNIOR, Walter T. Mídia social conectada: produção colaborativa de informação derelevância social em ambiente tecnológico digital. Líbero, São Paulo, v. 12, n. 24, p. 95-106,dez. de 2009. Disponível em < http://www.casperlibero.edu.br/rep_arquivos/2010/03/16/1268761006.pdf>. Acesso em 02 abr 2011.MIELNICZUK, Luciana. "Sistematizando alguns conhecimentos sobre jornalismo na Web".In: MACHADO, Elias, PALACIOS, Marcos. Modelos de jornalismo digital. Salvador:Calandra, 2003. Disponível em: http://www.ufrgs.br/gtjornalismocompos/estudos2003.htm. Acesso em 02 abr 2011.O‟REILLY, Tim. What is Web 2.0? O‟Reilly Media, 2005. Disponível em<http://www.oreillynet.com/pub/a/oreilly/tim/news/2005/09/30/what-is-web-20.html>. Acesso em 27 mar 2011.ORRICO, Alexandre. Festa Imodesta: Twitter completa cinco anos com quase 200 milhões deusuários e valor de mercado estimado em mais de US$ 12 bi. Folha de S. Paulo, São Paulo,p.F1, 23 mar 2011.
  42. 42. 42PALACIOS, Marcos Silva. Hipertexto, Fechamento e o uso do conceito de não-linearidadediscursiva. Lugar Comum, Rio de Janeiro, n. 08, p. 111-121, 1999.PRIMO, Alex. A cobertura e o debate público sobre os casos Madeleine e Isabella:encadeamento midiático de blogs, Twitter e mídia massiva. Galáxia, v. 16, 2008b. No prelo.PRIMO, Alex ; TRÄSEL, Marcelo Ruschel. Webjornalismo participativo e a produção abertade notícias.Contracampo (UFF), v. 14, p. 37-56, 2006.RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009. Disponível em<http://www.redessociais.net/cubocc_redessociais.pdf>. Acesso em 02 abr 2011.RECUERO, R.; ZAGO, G. “RT, por favor”: considerações sobre a difusão de informações noTwitter." Revista Fronteiras, vol 12, n. 2, maio-agosto de 2010.SAGOLLA, Dom. 140 characters: A style guide for the short form. San Fracisco: John Wileyand Sons, 2009.WOLTON, Dominique. Internet, e depois? Porto Alegre: Sulina, 2003.ZAGO, G.S. Informações jornalísticas no Twitter: redes sociais e filtros de informações. In:III Simpósio da ABCiber, São Paulo, SP, 2009.ZAGO, G. S. Jornalismo em Microblogs: Um Estudo das Apropriações Jornalísticas doTwitter. Monografia (Graduação em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo -Universidade Católica de Pelotas), Pelotas, RS, julho de 2008.ZAGO, Gabriela da Silva. O Twitter como Suporte para Produção e Difusão de ConteúdosJornalísticos. Pelotas, 2008. Disponível em: <www.scribd.com/doc/5887184/O-Twitter-comosuporte-para-producao-e-difusao-de-conteudos-jornalisticos>. Acesso em: 23 abr 2011.
  43. 43. 43ANEXO A - QUESTIONÁRIO Este questionário tem por objetivo analisar a absorção de notícias do período entre osmeses de fevereiro e março, para fins acadêmicos. Não serão colhidos quaisquer dadospessoais. Qual os meios de comunicação utilizados por você para acompanhar o noticiário?Responda a uma ou várias opções: ras? _____________________________________________ 1. Assinale quais cidades o presidente norte-americano Barack Obama visitou, emrecente viagem ao Brasil: a. Brasília e São Paulo b. São Paulo e Salvador c. Brasília e Rio de Janeiro d. Rio de Janeiro e São Paulo 2. Qual o local mais atingido pelo terremoto seguido de tsunami ocorrido dia 11 demarço no Japão? a. Miyagi b. Iwate
  44. 44. 44 c. Tokyo d. Pequim 3. O Banco PanAmericano foi protagonista do mais recente escândalo financeiro dopaís. Como o BTG Pactual e o Grupo Silvio Santos acertaram a venda do banco? a. Deixando todas as ações na Bolsa, com acionistas minoritários, e recebendo R$ 650milhões como empréstimo do FMI. b. Recebendo R$ 650 milhões como empréstimo do FMI e vendendo 36,56% docapital total do banco por R$ 739,27 milhões à CEF. c. O Banco PanAmericano foi vendido por R$ 450 bilhões para o Banco Itaú. d. Vendendo 36,56% do capital total do banco por R$ 739,27 milhões à CEF,deixando o restante de ações na Bolsa, e recebendo empréstimo do Fundo Garantidor deCréditos. 4. “Menos de 20 horas após ir à TV dizer que ficaria no poder e não aceitaria pressãoexterna, renunciou ao posto que ocupava desde 1981. O vice Omar Suleiman anunciou queum conselho das Forças Armadas governará o país.” De quem a notícia fala, e de qual país? a. Hosni Mubarak, Egito b. Hugo Chavez, Venezuela c. Mahmoud Ahmadinejah, Irã d. Fidel Castro, Cuba 5. Qual o valor do salário mínimo para 2011, aprovado na Câmara? a. R$ 560 b. R$ 545 c. R$ 600 d. R$ 610
  45. 45. 45 6. “O ex-senador de Minas Gerais morreu nesta terça aos 79 anos, depois de lutar pormais de 13 anos contra um câncer na região abdominal.” A quem se refere esta notícia,veiculada logo após o fato, em 29/03/11? a. Jader Barbalho, senador. b. José Alencar, vice-presidente. c. José Sarney, presidente do senado. d. José Alencar, ex vice-presidente.

×