O POTENCIAL DO MERCADO DE RASTREAMENTO E GESTÃO DE FROTAS

8,669 views
8,327 views

Published on

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,669
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
526
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O POTENCIAL DO MERCADO DE RASTREAMENTO E GESTÃO DE FROTAS

  1. 1. O POTENCIAL DO MERCADO DE RASTREAMENTO E GESTÃO DE VEÍCULOS
  2. 2. RASTREAMENTO DE VEÍCULOS* (CANAIS DE COMUNICAÇÃO)  SATÉLITE: Tamanho, Preços Elevados, não opera em áreas cobertas.  RADIOFREQUENCIA: Triangulação/LBS/Radiolocalizador*: Área de Cobertura e Precisão Relativa.  CELULAR/GPRS + GPS: Área de Cobertura Rede GSM.  CELULAR/GPRS + GPS + SATÉLITE ALTA ÓRBITA (HÍBRIDO): Chaveamento Automático entre Canal Celular e Satelital. garante maior Segurança. * Inclui sistemas de Radiolocalização (RF), apesar de não se caracterizarem como AVL (Automatic Vehicle Location – Localizador Automático de Veículos) ....
  3. 3. OPERAÇÃO*Localização Via Satélite GPS (Global Positioning System) GSM / GPRS ( Dados Criptografados) Veículo Rastreado CENTRAL DE OPERAÇÕES + INTERNET RASTREADOR GPRS * Rastreador GPRS
  4. 4. O QUE É UM RASTREADOR ? (AVL - Automatic Vehicle Location – Localização Automática de Veículos) - Equipamento que permite a localização, comunicação de dados e controle (I/O – Sensores/Atuadores) -Composto, normalmente por: - Módulo de Comunicação - Módulo de Localização (GPS) - Módulo de Controle (CPU-I/O)
  5. 5. O QUE É RASTREAMENTO? - Processo Sistêmico: a) Tecnologia Embarcada. b) Canal de Dados (Contingência). c) Software + Web + Automação. d) Gerenciamento/Procedimentos. e) Ações Preventivas/Corretivas. “Uma Corrente é tão FORTE, quanto seu elo mais FRACO!”
  6. 6. AVALIANDO UM RASTREADOR  Certificação ANATEL (Obrigatório).  Homologação em Gerenciadoras de Risco (Obrigatório para Cargas Seguradas).  Cadastrado em Seguradoras.  Certificado pelo CESVI ou GRISTEC.  Quantidade de Equipamentos em Operação.  Principais Clientes.  Nível de Automação do Software e Equipamento.  Estrutura dos Servidores e Segurança dos Dados.  Quantidade de Mapas Geo-referenciados.  Informações/Controles e Segurança na Internet.  Acessórios/Opcionais/Periféricos: Terminal de Dados, Sensores e Atuadores.  Suporte Técnico: Disponibilidade e Locais de Atendimento.
  7. 7. CERTIFICAÇÃO CESVI BRASIL
  8. 8. Matérias Revista CESVI BRASIL - Rastreadores e Eletrônicos
  9. 9. SISTEMAS DE SEGURANÇA ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Avaliações SBR (Sistemas de Bloqueio e Rastreamento): Produto já consagrado pelo mercado desde 2000; Importante pré-requisito para a distinção de empresas de rastreamento com qualidade na prestação de seus serviço; Reconhecimento nacional do selo CESVI para o Rastreamento; Avaliação aplicada em operações onde estejam incluídos: Instalação e Assistência Técnica; Monitoramento; Recuperação de Veículos Roubados / Furtados; Análise de funcionalidades do equipamento e acessórios aplicados ao mesmo; Na avaliação para Caminhões, é realizado a análise de software fornecido ao cliente e as funções voltadas para logística.
  10. 10. RESULTADOS EMPRESA DE RASTREAMENTO Produtividade; Qualidade; Credibilidade; Procedimentos: Corretos; Formalizados; Rastreabilidade; Competitivos. Diferencial entre a concorrência; Auditoria externa para indicação de falhas em seu processo; Indicação de melhorias em várias áreas técnicas da empresa: Mapeamento de implementação de melhorias; Indicação de treinamentos para áreas técnicas.
  11. 11. SISTEMA DE RASTREAMENTO EVITA/MINIMIZA:  Perdas em Sinistros: Roubo/Furto e Acidentes.  Horas extras desnecessárias.  Falta de controle na chegada e saída dos veículos nos clientes.  Custo excessivo de consumo de combustível!  Baixa produtividade.  Custo elevado com comunicação através de celular.  Multas por excesso de velocidade.  Falta de informações para os clientes e para a empresa.  Paradas não programadas.  Desvios de itinerários do trabalho.  Custo elevado com manutenção do veículo.  Impossibilidade de localizar funcionários.
  12. 12. RASTREAMENTO CONSIDERAÇÕES - Mercado ainda em Expansão (GPRS). - E em Transição (Resolução 245/DENATRAN e SINIAV). - Foco na Segurança (Eqto e Svs). Rastreador sinônimo de Equipamento Anti-Furto! - Dificuldade de integração das Tecnologia (Usuário Final e Gerenciadoras de Risco / GRs). - Segmento de Cargas: Restrição estrutural de operação (GRs). - Tendências: - Telemetria / Acelerômetro: Prevenção de Acidentes e Maior Vida Útil. - Gestão / Controle: Redução de Custos e Aumento da Produtividade. - Administração Pública
  13. 13. MERCADO DE RASTREAMENTO CENÁRIO  Frota Nacional: 67.545.237 de Veículos.  Caminhões: 2.206.079  Frota Total Rastreada: 1 a 1,5 milhão.  500 Empresas de Rastreamento de Veículos (Serviços).  Certificadas CESVI: 34 (Veículos) e 17 (Caminhões).  Certificadas GRISTEC: 03 Empresas.  Marcas de Tecnologia de Rastreamento aprovadas pelas principais Gerenciadoras de Risco: AUTOCARGO, AUTOTRAC, OMINILINK, ONIXSAT e SASCAR. Fontes: DENATRAN Jun12, GRISTEC, CESVI em Mar/13.
  14. 14. TRANSPORTE DE CARGAS GERENCIAMENTO DE RISCO
  15. 15. SETOR RODOVIÁRIO DE CARGAS Número de transportadoras - 12 mil Profissionais autônomos - 402 mil Empresas com transporte próprio de cargas - 50 mil Empregos no setor - 3,5 milhões Faturamento anual - US$ 42 bilhões Participação na movimentação total de carga - 62% Fonte: NTC - IBGE - FENABRAVE
  16. 16. GERENCIAMENTO DE RISCOS EMPRESAS ENVOLVIDAS: - EMBARCADOR: Proprietário da carga segurada: Goodyear, Panasonic, Dell, etc. - SEGURADORA: Emite apólice e garante indenização em casos de roubo/furto ou acidentes. Para reduzir a sinistralidade, estabele critérios para que a carga seja transportada como Rastreador com/sem acessórios/periféricos, escolta, etc. Ex: Mapfre, Tokio Marine, SulAmérica… - CORRETORA DE SEGUROS: Representa os interesses da Seguradora junto ao Embarcador e vice-versa e verifica a aplicação do PGR (Plano de Gerenciamento de Risco). - GERENCIADORA DE RISCO: Verifica se a transportadora cumpre as exigências do PGR e é responsável pelo monitoramento da carga durante o transporte. Ex: Apisul/Multisat, GV, BrasilRisk, Opentech… - EMPRESA DE TECNOLOGIA DE RASTREAMENTO: Fornece os equipamentos de rastreamento e monitora o CASCO. Ex: AUTOCARGO, AUTOTRAC, SASCAR, ONIXSAT, OMNLINK… -TRANSPORTADORA DE CARGAS: Movimenta a carga da sua origem ao destino dentro das exigências do PGR. Ex: Braspress, Júlio Simões, Unidão, TSG, Binotto…
  17. 17. MERCADO DE SEGUROS  O Mercado de Seguros envolve não apenas as Seguradoras como um dos principais indutores do setor de rastreamento, mas também as Gerenciadoras de Risco.  Nos últimos 02 anos houve mais indenização de acidentes do que furto/roubo de veículos ou de cargas. Há uma tendência das Seguradoras exigirem na apólice mecanismos de prevenção de acidentes para a redução desta sinistralidade, nos sistemas de rastreamento para transportes de cargas. Estes mecanismos de "Prevenção de Acidentes" também são muito úteis para o controle da qualidade na condução (dirigibilidade) com BENEFÍCIOS para a redução de custos de manutenção e aumento da vida útil do veículo.
  18. 18. FATORES DE INFLUÊNCIA DO MERCADO:
  19. 19. NORMAS DE GOVERNO  PROJETO DE LEI 1759/07 (Dep. Fed. Michel Temer): Regulação do mercado de Segurança Eletrônica (Alarme e Rastreamento). Cria o Certificado de Regularidade emitido pelo MJ ou SSP (validade 02 anos), Responsável Técnico (CREA) e várias exigência de infraestrutura e segurança das instalações. ATUALIZADO 2012: O projeto continua em tramitação no Congresso Nacional. Último movimento: Mai/2009.  RESOLUÇÃO 245/DENATRAN: Carros/motos/caminhões sairão de Fábrica com rastreador inativo já instalado a partir de Julho deste ano, progressivamente. ATUALIZADO 2012: Há ENORMES forças contrárias atuando para que os rastreadores sejam opcionais e não obrigatórios. Mudanças contínuas de datas para o cumprimento da Resolução. Tramita no Congresso Nacional o PDC 331/07 do Dep. Fed. Raul Jungman para sustar os efeitos da Res. 245. Último movimento do PDC: Fev/2011.  SINIAV: Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos: Transponders (identificadores RF) nos veículos e várias antenas de leitura espalhadas nas ruas e rodovias para identificar furto/roubo, inadimplência IPVA,/Multas, pedágio urbano, etc. ATUALIZADO 2012: Face aos fortes interesses municipais e estaduais (cobrança de multas, IPVA, etc), associado a custos acessíveis, o SINIAV não está sofrendo muitas resistências e portanto poderá ser o projeto do governo que obterá sucesso. De certa forma, o SINIAV concorre com o SIMRAV na questão combate ao furto/roubo de veículos.
  20. 20. PL 1759/07 REGULAÇÃO DA SEGURANÇA ELETRÔNICA  Abrange Monitoramento de Alarme e Rastreamento.  Cria o Certificado de Regularidade emitido pelo MJ ou SSP (validade: 02 anos).  Responsável Técnico.  Várias exigências quanto a Infra-estrutura e Segurança das Instalações. OBS: Ministério da Justiça irá propor o Estatuto da Segurança Privada, com apoio da FENAVIST.
  21. 21. SIMRAV Sistema Integrado de Monitoramento e Registro Automático de Veículos Lei 121/06: Sistema Nacional de Prevenção, Fiscalização e Repressão ao Furto/Roubo de Veículos e Cargas. Resolução 245/07 DENATRAN: Instalação obrigatória de dispositivo antifurto em veículos novos a partir de Jul/10.
  22. 22. SIMRAV Participantes/Interessados:  Governo: DENATRAN, SERPRO, ANATEL.  Fabricantes de Veículos.  Fabricantes Antifurto (Rastreador).  Operadoras Celular.  Seguradoras e Agentes Financeiros .  Proprietário do Veículo.  Prestadores de Serviço (Port. 129/08):  TIV com Infraestrutura (IS0 9001 e ISO 27001).  TIV com Infraestrutura terceirizada (ISO 9001).  Provedor de Infraestrutura (IS0 9001 e ISO 27001).
  23. 23. SIMRAV PREMISSAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Protocolo ACP integrado no Software/Aplicativo. Credenciado como TIV (Tecnologia de Informação Veicular). TIV é o provedor de serviço que poderá contratar um provedor de infraestrutura credenciado pelo DENATRAN. A TIV poderá terceirizar com Provedor de Infraestrutura.
  24. 24. SINIAV SISTEMA NACIONAL DE IDENTIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE VEÍCULOS Transponders (identificadores RF) nos veículos e várias antenas de leitura espalhadas nas ruas e rodovias que identificaram situações de furto/roubo, inadimplência de IPVA, pedágio urbano, dentre outras aplicações.
  25. 25. REPORTAGEM ANÁLISE DO MERCADO
  26. 26. VENDENDO NOSSO PEIXE!
  27. 27. INTRODUÇÃO  CELTEC/AUTOCARGO há mais de 20 anos no Mercado.  RENARSAT: Estruturou a Rede Nacional para Atendimento Técnico e Operacional com 20 Centrais Regionais em vários estados brasileiros.  PRONTA RESPOSTA: 420 pontos de atendimento no Brasil para atendimento em casos de sinistros (furto/roubo veículo e carga).  AUTOCARGO:  Foco em negócios com Valor Agregado. Objetivo, além da Segurança: Redução de Custos/Perdas e Aumento da Produtividade.  Milhares de usuários no Brasil.  A maior linha de rastreadores do pais.  Certificação CESVI (05 Estrelas).  Homologado pelas principais Gerenciadoras de Risco.  Homologado pelas principais Seguradoras.
  28. 28. SOLUÇÕES AUTOCARGO AUTOCARGO PORTÁTIL, rastreador com GPS de alta sensibilidade. À prova de água (IP67) é compacto e leve para ser utilizado em situações de Segurança e Controle de pessoas, bens móveis e “vírus” de carga. AUTOCARGO MOBILE foi desenvolvido para rastreamento temporário em veículos agregados ou de terceiros, por exemplo. AUTOCARGO LITE, rastreador GPS de baixo custo, desenvolvido especialmente para localização, monitoramento de emergências e imobilização de veículos. AUTOCARGO GPRS, para aplicações de maior complexidade na utilização de periféricos especiais: Terminal de Dados, Trava de Baú, Desengate de Carretas, Telemetria, Controle de Motoristas, dentre outros. Homologado pelas principais Seguradoras e Gerenciadoras de Risco do país. AUTOCARGO HÍBRIDO é destinado a veículos que transitam em áreas sem cobertura de sinal da telefonia celular, exigindo total confiabilidade na localização com envio e recepção de comandos através de sinal de satélite de alta órbita. UP GRADE do modelo AUTOCARGO GPRS!
  29. 29. COMPARATIVO DOS RASTREADORES AUTOCARGO RECURSOS PORTÁTIL MOBILE LITE GPRS HÍBRIDO Localização GPS      Comunicação GPRS      Antenas GPS/GPRS e Bateria Internas   Comunicação de Dados Via Satélite Alta Órbita  Acionador de Pânico     Imobilização do Veículo    Terminal de Mensagens/Dados   Canal de Áudio GSM      Inteligência Embarcada   Sirene/Pisca Alerta    Sensor de Porta Cabine   Sensor de Porta de Baú   Desengate de Carreta   Trava de 5ª Roda   Trava de Porta de Baú  
  30. 30. AUTOCARGO SAFETY SPEED
  31. 31. SAFETY SPEED  O recurso de controle de velocidade inédito no AUTOCARGO, batizado de SAFETY SPEED (Velocidade Segura), alerta o motorista quando a velocidade esta acima do limite de segurança para o local.  Através de dados armazenados de viagens já realizadas, o Software AUTOCARGO realiza a programação de todas as velocidades seguras durante toda a rota do veículo.  A grande novidade deste novo recurso é embarcar no módulo rastreador do veículo o controle de velocidade através de um programa que gerencia a velocidade pelo satélite GPS a cada segundo, informando em tempo real qualquer situação de risco. Assim, o motorista é informado através de um terminal de dados a sua velocidade atual e a velocidade de segurança, alertando-o em casos de distração, além de permitir, ao mesmo tempo, o acompanhamento da viagem através de um Software de Controle e pela Internet, para ações educativas ou corretivas.
  32. 32. SOFTWARE AUTOCARGO ESTAÇÃO DE TRABALHO
  33. 33. SOFTWARE AUTOCARGO RELATÓRIOS
  34. 34. SOFTWARE AUTOCARGO C.A.P (Controle Automático de Parada)
  35. 35. O Controle Automático de Paradas ou CAP é uma ferramenta de controle para otimizar as paradas dos veículos, tanto em áreas urbanas, quanto em rodovias. A partir da definição de uma referência (LAT/LONG) e um raio (metros), programa-se um tempo em minutos de permanência no local e um tempo de tolerância, além do padrão. Caso o veículo ultrapasse o prazo limitado da tolerância, um aviso é apresentado na Central de Rastreamento para providências e emails de alerta são enviados simultaneamente. CONTROLE AUTOMÁTICO DE PARADAS
  36. 36. CONTROLE DINÂMICO DE PARADAS
  37. 37. CONTROLE DINÂMICO DE PARADA  O Controle Dinâmico de Paradas, permite identificar falhas no planejamento operacional das empresas por inatividade dos veículos, gerando alertas a partir de um limite de tempo programado, caso o mesmo permaneça em determinado local.  O recurso permite definir uma área de movimentação do veículo, mantendo o controle do limite do tempo permitido naquela área. Um exemplo é a permissão de manobras ou deslocamentos curtos dentro de um pátio industrial ou um posto de combustível, a partir de um raio em metros, mantendo-se o rigoroso controle do tempo, objetivando maximizar a utilização do veículo.
  38. 38. PRINCIPAIS TELAS DE CONTROLE
  39. 39. BOTÃO ID: IDENTIFICAÇÃO, ANTIFURTO E PÂNICO
  40. 40. Um recurso importante é a identificação dos motoristas para fins de controle de carga horária de trabalho, infratores no ato do recebimento das multas por excesso de velocidade e outras faltas na condução dos veículos. O Sistema Autocargo dispõe de recursos tecnológicos que permitem a identificação dos motoristas associando os mesmos aos horários de uso dos veículos facilitando o gerenciamento destas ocorrências. O Botão ID, operando sem fio a uma distância programável de até 50 metros do veículo, é um dispositivo portado pelo motorista, permitindo determinar não somente quais veículos o mesmo poderá dirigir, mas também qual é o motorista que esta dirigindo determinado carro em um determinado horário do dia. Opera, também, como um dispositivo Antifurto, desbloqueando automaticamente o veículo com dispositivo de bloqueio instalado, assim como gerador de sinal de Pânico, ao ser pressionado por mais de 04 segundos. BOTÃO ID
  41. 41. TELEMETRIA CONTROLE DE CONDUÇÃO ACELERÔMETRO
  42. 42. Os novos equipamentos de rastreamento (MXT 151) utilizam um dispositivo chamado acelerômetro. Este dispositivo permite determinar com que intensidade estão ocorrendo os movimentos de aceleração, freada e entrada em curvas. Desta maneira pode-se determinar o tipo de direção que esta sendo praticada pelo motorista, isto é, uma direção predominantemente defensiva ou agressiva. Isto, além de ter um impacto direto nas questões de manutenção e durabilidade do veículo, permite adotar políticas de prevenção de acidentes cujos resultados poderão ser medidos por indicadores de qualidade. ACELERÔMETRO
  43. 43. Gráfico representativo dos diferentes valores da aceleração a cada posição. Estabelecendo valores máximos pode-se facilmente observar quantas vezes este limite foi ultrapassado e desta maneira determinar o estilo de condução exercido pelo motorista.
  44. 44. Neste gráfico podemos observar os valores da força lateral que surge na hora de realizar uma curva. Definindo um valor máximo para este parâmetro pode-se determinar que curvas realizadas pelo motorista acima deste valor podem representar um alto risco de capotamento ou saída lateral (derrapagem) do veículo.
  45. 45. Este Gráfico mostra os valores do acelerômetro no eixo vertical. Representam os solavancos que um carro pode dar ao andar por uma rua esburacada ou a passagem por uma lombada. Ultrapassar os valores predefinidos como máximos podem significar displicência na condução do veículo podendo desta maneira encurtar a vida útil do mesmo acarretando altos custos de manutenção.
  46. 46. Controle de condução utilizando as informações do acelerômetro Relatório do acelerômetro:
  47. 47. Controle de condução utilizando as informações do Acelerômetro Gráfico do acelerômetro:
  48. 48. PORTAL AUTOCARGO WEB
  49. 49. VANTAGENS E BENEFÍCIOS AUTOCARGO/RENARSAT
  50. 50. PACOTE PUBLICITÁRIO
  51. 51. CASES INTERESSANTES
  52. 52. VEÍCULO DE INSPEÇÃO DE PISTA - VIANORTE Case: Veículos que percorrem em média 24.000 Km mensalmente. Utilizados por Concessionárias de Rodovias para inspeção de pista e atendimento a usuários. Após a implantação do AUTOCARGO a velocidade média superior a 130Km/h foi reduzida para cerca de 65 Km/h, refletindo em uma redução de R$1,5 mil reais , mensalmente, apenas no consumo de combustível.
  53. 53.  Análise do veículo n.º 2550 – Fiat Uno furgão ano 1998, lotado DVDI/SPMD * Instalamos o aparelho no dia 21/10 e constatamos um fato muito interessante, o fiscal tem residência no município de Araquari e trabalha em Joinville, distância aproximada de 35 kms. (...) Pelo fato de aparecer várias vezes o mesmo local, sempre na hora do almoço, (...), comprovando que o mesmo segue para sua residência em Araquari para almoçar, desviando a sua rota, conforme mapa em anexo. O agravante é que essas horas que ele está casa é apropriada como hora-extra, conforme a ficha de freqüência do funcionário, em anexo. Para referenciar o desembolso que a Empresa está tendo com essa atitude apurei alguns dados: N.º de vezes que houve o desvio de rota no período analisado: 14 vezes; Quantidade horas-extras no período analisado: 01 hora; Custo do quilômetro do veículo: R$ 0,31; Custo da hora-extra: R$ 41,62(com encargos) Logo: Custo deslocamento:R$ 303,80 Custo hora-extra: R$ 582,75 Resumindo durante o período de 22/10 a 16/11 tivemos um custo de R$ 886,55 com desvio de rota e apropriação indevida de hora-extra. *Teste realizado em 2004. A CELESC não trabalha conosco atualmente.
  54. 54. "UNIR-SE É UM BOM COMEÇO, MANTER A UNIÃO É UM PROGRESSO, TRABALHAR EM CONJUNTO É A VITÓRIA." (HENRY FORD)
  55. 55. www.autocargo.com.br www.renarsat.com.br rocha@autocargo.com.br DDG 0800.600.3800

×