Aula científica sobre seios paranasais, cavum e vias aéreas superiores 2013 - Revisada

40,050 views
39,848 views

Published on

Aula que trata sobre as incidências para rotinas de Seios Paranasais e Cavum, bem como a anatomia e fisiologia das Vias Aéreas Superiores. Aula com imagens, fotos, e algumas dicas.

3 Comments
15 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
40,050
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,032
Actions
Shares
0
Downloads
530
Comments
3
Likes
15
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula científica sobre seios paranasais, cavum e vias aéreas superiores 2013 - Revisada

  1. 1. Aula Científica Sobre:SeiosParanasais eCavumhttp://radiologiaraiosx.blogspot.com
  2. 2. Seios Paranasais• Os seios paranasais são cavidades vazias dentro dosossos faciais.• Os seios paranasais não são completamentedesenvolvidos até os 12 anos. Quando as pessoasfalam sobre infecções nos seio, normalmente elas estãose referindo aos seios maxilares e frontal.• Os seios paranasais variam muito em tamanho e formade um indivíduo para outro, mas todos comunicam-secom a cavidade nasal através de pequenas aberturasem sua parede. A maioria dos seios da face sãorudimentares ao nascimento; eles aumentamapreciavelmente durante a erupção dos dentespermanentes e após a puberdade, alterandonotadamente o tamanho e a forma da face.
  3. 3. Seios Paranasais
  4. 4. Seios Paranasais
  5. 5. Seios Paranasais
  6. 6. Seios FrontaisO par de seios frontais situa-se posteriormente aosarcos superciliares, entre as duas tábuas do ossofrontal.Cada seio ocupa, no interior daquele osso, umaárea triangular cujos ângulos são formados pelo Násio.Os dois seios raramente são simétricos, sendo osepto normalmente desviado do plano mediano.Algumas vezes, um ou ambos os seios estãoausentes.Essas cavidades pneumáticas do osso frontal sãomais proeminentes nos indivíduos do sexo masculino.
  7. 7. Seios Frontais
  8. 8. Seios MaxilaresO par de seus maxilares ocupa grande parte da maxila. Elessão os maiores seios aéreos acessórios do nariz. Com formapiramidal, sua base é formada pela parede lateral da cavidadenasal e seu ápice encontra-se lateralmente, no processozigomático da maxila.O teto destes seios é formado pelo assoalho das órbitas. Oassoalho é formado pelos processos alveolares da maxila. Váriaselevações cônicas, correspondendo às raízes do primeiro esegundo molar, projetam-se no assoalho.Os seios maxilares abrem-se na parte inferior do hiatosemilunar, comunicando-se com a cavidade nasal por umaabertura na parte ântero-superior da base do seio.
  9. 9. Seios Maxilares
  10. 10. Seios Maxilares
  11. 11. As células etmoidais relacionam-se com aparede medial da órbita. Em especial, ascélulas etmoidais posteriores estão emíntima relação com o nervo óptico. As célulasetmoidais anteriores e médias abrem-se nomeato médio, enquanto as células etmoidaisposteriores abrem-se no meato superior.Seios Etmoidais
  12. 12. Seios Etmoidais
  13. 13. Seios EsfenoidaisOs seios esfenoidais situam-se no corpo doosso esfenóide.Relacionam-se com a hipófise, os nervosópticos e o quiasma óptico, que se situamposteriormente a ele. Relacionam-se tambémcom a parede superior da cavidade nasal, quese situa à frente dele.Os seios esfenoidais abrem-se diretamenteno meato médio.
  14. 14. Seios Esfenoidais
  15. 15. Seios Esfenoidais
  16. 16. Sinusite
  17. 17. Linhas de Referência do CrânioLAMLOMLMM
  18. 18. Incidências para SeiosParanasais e Cavum:• Waters – Mento Násio (PA)• Caldwell – Fronto Násio (PA)• Hirtz – Submento Vértice• Perfil para Seios Paranasais• Perfil para Cavum – Boca Aberta• Perfil para Cavum – Boca Fechada
  19. 19. Fatores Técnicos• Proteção Plumbifera
  20. 20. • Estender o pescoço do paciente, comqueixo apoiado na estativa ou na mesa.• O nariz não deverá estar encostado namesa ou estativa.• Ajustar o crânio até que a LMM estejaperpendicular ao filme.• Usar cilindro de extensão• Raio Central deve incidir entre os ossosparietais e sair no Acântion.Posicionamento de Waters
  21. 21. • Parieto Acantial• Mento Naso• Waldron (Estudo da Face)• Blondeau (Estudo da Face)• OccipitomentalMétodo de WatersSinônimos
  22. 22. Posicionamento de Waters(Parietoacantial)LMMRaio CentralRaio Central incideentre os ossosParietais, saindono Acântion, sendodirecionado parao meio do filme,ou para o centrodo receptor deImagem.
  23. 23. Critério de Avaliação• Deverão ser visualizados as paredesinferiores dos seios maxilares sem sobreda crista petrosa.• O crânio não poderá estar rodado,evidenciando a mesma medida damargem lateral da órbita com a bordalateral do crânio.• Não deve haver sobreposição da cristapetrosa como os seios maxilares.
  24. 24. Radiografia Método de Waters
  25. 25. Radiografia Método de WatersBoca Aberta
  26. 26. Radiografia Método de WatersCriança (AP)
  27. 27. Exames para crítica
  28. 28. Exame para crítica
  29. 29. Posicionamento de Caldwell• Posicionar a testa e o nariz encostados namesa ou estativa. manter a LOMperpendicular ao filme, angular o RaioCentral 15º caudais. Raio Central deverásair no Násio.• Ou, Raio Central perpendicular ao filme,saindo no Násio, e LOM com 15 craniaisde angulação.
  30. 30. • Fronto Naso• Seios da Face PAMétodo de CaldwellSinônimos
  31. 31. Posicionamento de CaldwellRaio Central com15º de angulaçãoCaudal.LOM perpendicularao receptorde imagem.
  32. 32. Posicionamento de CaldwellRaio central Perpendicular passando pelo topo da orelhaE saindo no Násio, incidindo no meio do receptor.LOM – 15º cranialRaio CentralPerpendicular
  33. 33. Critério de Avaliação• Seios frontais projetados na suturafrontonasal.• Células aéreas etmoidais anterioresvisualizadas lateralmente a cada ossofrontal, diretamente abaixo de cada seiofrontal.• Alinhamento correto da LOM com RaioCentral mostrará a crista petrosa no terçoinferior da orbita.
  34. 34. Radiografia Método de Caldwell
  35. 35. Radiografia Método de Caldwell
  36. 36. Exame para crítica
  37. 37. Posicionamento em Perfil• Paciente deitado em posição de nadador,ou paciente em ortostático.• Posicionar o crânio em perfil absoluto.• Raio central direcionado no a um pontomédio entre o ângulo do olho e a MAE.
  38. 38. Posicionamento em PerfilPosição de NadadorSentado ou em ortostáticoRaio Central
  39. 39. Posicionamento em Perfil
  40. 40. Critério de Avaliação• Deve ser visualizado o seio frontal, o seioesfenoidal, os seios maxilares, as célulasaéreas etmoidais, a sela túrcica em perfil,o teto da órbita.• Sela túrcica, ramos mandibulares e seiosmaxilares em perfil absoluto.
  41. 41. Radiografia em Perfil
  42. 42. Exame para crítica
  43. 43. Posicionamento Hirtz• Paciente sentado ou em decúbito dorsal.• Elevar o queixo, super estendendo opescoço até que a LIOM esteja paralela amesa ou estativa.• A cabeça deve estar apoiado no vértice docrânio. Cuidar para não haver rotação.• Raio Central perpendicular àLIOM, centrado a um ponto médio entreos ângulos mandibulares.
  44. 44. • Sub mento Vértice• Axial de HirtzMétodo de HirtzSinônimos
  45. 45. Posicionamento HirtzSe possível for de realizar assim; esta é amelhor posição para realizar esta incidência.
  46. 46. Critério de Avaliação• Demonstrar os seio maxilares,esfenoidais, células etmoidais, e fossasnasais.• Côndilos mandibulares deverão estaranteriormente à crista petrosa, sínfisemandibular superposta anteriormente aoosso frontal.• Pirâmides petrosas visualizadassimetricamente.
  47. 47. Radiografia Método de Hirtz
  48. 48. Exame para crítica
  49. 49. Exame para crítica
  50. 50. Cavum (Adenóide)Cavum tem o significado geral de cavidade.Tratando-se em diagnóstico por imagens porraios-X, vamos referir nesta aula à cavidadenasofaringe e orofaringe.Para uma ótima obtenção de imagens; seguir asorientações que serão observadas a frente quantoo posicionamento, e também orientar ao pacienteque durante a exposição com a boca fechada arespiração deverá se realizada apenas pelo nariz,não podendo respirar pela boca. E Vice-versapara a incidência com a boca aberta.
  51. 51. Cavum (Adenóide)
  52. 52. • Raios X da Adenóide• Raios X Nasofaringe• Raios X RinofaringeMétodo Para RX CavumSinônimos
  53. 53. Posicionamento Cavum• Paciente deitado em posição de nadador, oupaciente em ortostático ou até mesmo sentado.• Posicionar o crânio em perfil absoluto.• Serão obtidas em geral as incidências com bocaaberta e boca fechada. Sendo que algunsmédicos solicitam apenas a exposição comboca fechada. Neste caso seguir o protocolo dainstituição local.• Raio central direcionado para a adenóide,incidindo no ramo da mandíbula.
  54. 54. Posicionamento Cavum BocaAberta
  55. 55. Posicionamento Cavum BocaFechadaSentado ou ortostático
  56. 56. Critério de Avaliação• Ramos mandibulares em perfil absoluto.• Boca Fechada: visualizar a passagem dear na nasofaringe.• Boca aberta: visualizar a passagem de arna orofaringe.
  57. 57. Radiografia Cavum Boca Aberta
  58. 58. Radiografia Cavum Boca Fechada
  59. 59. Radiografia Cavum Boca FechadaNormal
  60. 60. Exame para crítica
  61. 61. Vias Aéreas Superiores
  62. 62. Vias Aéreas Inferiores
  63. 63. Referências Bibliográficashttp://kcbelmont.blogspot.com.br/2011/06/projecao-anterior-pa-de-waters.htmlhttp://medicinanet2.tempsite.ws/imagens/20120115223650.jpghttp://www.unifesp.br/dmorfo/histologia/ensino/seios/anatomia.htmhttp://www.clinicalen.com.br/detalhes-pediatria-saude.php?cod_pediatria_saude=21&cod_pediatria_saude_categoria=http://www.capeotorrino.com.br/doencas/adenoides.htmlhttp://www.mdsaude.com/2012/09/adenoide.htmlhttp://www.respirasaude.com/index.aspx?Area=infeccoes&ID=HVl535Q3lJlv9CWsKbvWCw==http://medworks1.tripod.com/Anatomia/seios_paranasais.htmhttp://mysinusinfectionsymptoms.com/paranasal-sinuses/maxillary-sinuses/http://oralmaxillo-facialsurgery.blogspot.com.br/2010/05/nasoorbitoethmoid-fractures.htmlKenneth L. Bontrager, MA, RT(R)Tratado de Técnica Radiológica e Base Anatômica
  64. 64. Robson RochaTécnico em Radiologia MédicaDeus é Fiel!!!http://radiologiaraiosx.blogspot.com

×