Cartilha seguranca trabalho final
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cartilha seguranca trabalho final

on

  • 13,350 views

 

Statistics

Views

Total Views
13,350
Views on SlideShare
13,350
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
296
Comments
4

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Muito bom mesmo. explicou adequadamente os riscos e deu exemplos maravilhosos. parabéns
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • este trabalho e muito bom parabéns
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • puta
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • sanitas...vai mas e enfiar a sanita pelo cu a baixo
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cartilha seguranca trabalho final Cartilha seguranca trabalho final Document Transcript

  • CARTILHA DE SEGURANÇA ESAÚDE DO TRABALHOna Construção Civil/ES NR-18
  • CARTILHA DE SEGURANÇA ESAÚDE DO TRABna Construção ALHO Civil/ES NR-18
  • 4 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Comissão Organizadora:Serviço de Apoio às Micro e PequenasEmpresas do Espírito Santo – SEBRAE/ESJoão Felício Scárdua – Diretor SuperintendenteEvandro Barreira Milet – Diretor TécnicoLuciano Lírio Rocha – Gerente da Unidade de Tecnologia e EducaçãoAline Borges Nunes – Analista e Gestora do Programa deSaúde e Segurança no Trabalho em MPEMário Roberto Barradas da Silva – Gerente da Unidadede Projetos IndustriaisAna Carolina Apolinário Ferreira – Gestora do Projeto APL daConstrução Civil da Região Metropolitana de VitóriaSindicato da Indústria da Construção Civil do Estadodo Espírito Santo – SINDICONAristóteles Passos Costa Neto – PresidenteJosé Pedro Zamborlini – Vice-presidenteAdenildes Temóteo de Vasco – Coordenadora da CRHClaudia Côco P. Melotti – Construtora e Incorporadora M SantosErly Vieira – NBS Consulting GroupJoão Luis Moura Santos – Diretor de Recursos HumanosNemézio Vieira de Andrade Filho – SuperintendenteNilson da Silva – Lorenge Construtora e IncorporadoraServiço Social da Indústria da Construção Civil – SECONCIFrancisco Xavier Mill – PresidenteLuiz Cony Dantas – SuperintendenteOsvaldo Favarato – Coordenador de Segurança do TrabalhoElaboração – Equipe Avaliadora do TOP-SFabricio Siqueira de Almeida – Coordenador TécnicoAndré Monteiro FirmeArianne Dettman AlvesDilma Zinger dos SantosDaniely Nascimento dos SantosHamanda Lima BrandãoKelly Jastro MontovaniMarciano Caliman NetoDiagramação e Produção Gráfica – Artcom Comunicação Total
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 5IntroduçãoA Constituição Federal determina que o trabalhador tem direito a proteçãode sua saúde, integridade física e moral e segurança na execução de suasatividades. O trabalho deve ser executado em condições que contribuampara a melhoria da qualidade de vida e a realização pessoal e social.A segurança e a saúde do trabalhador são de responsabilidade do em-pregador e dos profissionais envolvidos no ambiente de trabalho.ObjetivoEsta cartilha tem como objetivo esclarecer, de forma simples e objeti-va, as normas de segurança para que empregadores e empregados, apartir da educação e conscientização, desfrutem dos benefícios alcan-çados pela realização de um trabalho seguro nos canteiros de obras.A cartilha ilustra situações reais e corretas na prática das atividadesexercidas, ressaltando os conceitos básicos de segurança e os riscosambientais gerados pela Indústria da Construção Civil.Legislação de segurança e saúde do trabalhoA segurança e a saúde do trabalho baseiam-se em normas regulamen-tadoras descritas na Portaria 3214/78 do MTE (Ministério do Trabalho eEmprego). Entre essas normas, a NR-18 (Condições e Meio Ambientede Trabalho na Indústria da Construção) estabelece diretrizes de ordemadministrativa, de planejamento e de organização, que objetivam a imple-mentação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurançanos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na indús-tria da construção, e ainda determina a elaboração do PCMAT (Programade Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção).A elaboração e o cumprimento do PCMAT são obrigatórios nos esta-belecimentos com 20 ou mais trabalhadores, devendo ser mantido no
  • 6 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18canteiro de obras a que se refere à disposição dos órgãos de fiscali-zação. As empresas que possuem menos de 20 trabalhadores ficamobrigadas a elaborar o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Am-bientais). Estes documentos devem contemplar os aspectos desta NR,recomendações e práticas de segurança e as exigências contidas emoutras normas da Portaria, tendo como as principais: NR-4 (SESMT – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho):De acordo com essa norma, a construção civil, antes classificada como ati-vidade econômica de grau de risco 3 (três), passa a ser classificada comograu de risco 4 (quatro) a partir da Portaria nº 1, de 12 de maio de 1995.A Portaria nº 169, de 14 de julho de 2006, suspende o prazo de entra-da em vigor da Portaria de 1995, permanecendo, então, grau de risco3 (três) para a construção civil.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 7A NR-4 teve sua redação alterada pela Portaria nº 17/2007 de01/08/07, com relação ao SESMT, possibilitando a formação deSESMT COMUM para empregados contratados desde que previstoem Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho. Veja na integra aportaria citada. NR-5 (CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes):A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) visaa segurança e saúde do trabalhador no seu ambiente de ser-viço. Todas as empresas que possuam empregados com ativi-dades em um canteiro de obras devem possuir CIPA, sendo estaorganizada quanto ao tipo (por canteiro, centralizada ou provi-sória) e dimensionada de acordo com as determinações do item18.33 da NR-18.Tipos de CIPA: CIPA centralizada: quando a empresa possui num mesmo mu- nicípio 1 (um) ou mais canteiros de obras ou frentes de trabalho com menos de 70 (setenta) empregados (18.33.1). CIPA por canteiro: quando a empresa possui 1 (um) ou mais canteiros ou frentes de trabalho com 70 (setenta) ou mais em- pregados (18.33.3). CIPA provisória: para o caso de canteiro cuja duração de ativi- dades não exceda a 180 dias (18.33.4). Observação: Em virtude da dificuldade de interpretação da NR-18 (dimen- sionamento da CIPA – subitem 18.33.2 para a Indústria da Construção Civil) recomendamos, para situações de inter- pretações dúbias, consultar a DRT (Delegacia Regional do Trabalho).
  • 8 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 NR-6 (EPI – Equipamentos de Proteção Individual)O EPI é um dispositivo de uso individual destinado a neutralizar ouatenuar um possível agente agressivo contra o corpo do trabalhador;evitam lesões ou minimizam sua gravidade e protegem o corpo contraos efeitos de substâncias tóxicas, alérgicas ou agressivas, que cau-sam as doenças ocupacionais.Quanto ao EPI, cabe ao empregador: Distribuir gratuitamente o EPI adequado à função e ao risco em que o empregado esteja exposto; Fornecer o treinamento adequado ao uso; Fazer controle do preenchimento da ficha de EPI, onde deve cons- tar a descrição do mesmo, juntamente com a certificação (CA) pelo órgão nacional competente (MTE), a data de recebimento e devolu- ção e a assinatura do termo de compromisso.Quanto ao empregado: Cabe fazer uso do EPI apenas para as finalidades a que se destina; Responsabilizando-se pelo bom uso e conservação; Comunicando qualquer alteração. NR-7 (PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocu- pacional):Estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação de PCM-SO por parte de todos os empregadores e instituições que admitamtrabalhadores como empregados, com o objetivo de promoção e preser-vação da saúde dos seus trabalhadores.O PCMSO deverá ter caráter de prevenção, rastreamento e diagnósti-co, feitos através dos Atestados de Saúde Ocupacionais (ASO), emiti-dos por médicos do trabalho, realizados na admissão do trabalhador,periodicamente e no momento da demissão.Compete ao empregador: Garantir a elaboração e efetiva implementação do PCMSO, bem como zelar pela sua eficácia; Custear todos os procedimentos relacionados ao PCMSO sem qualquer tipo de repasse ao trabalhador.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 9 NR-9 (PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais)Tem como objetivo principal a preservação da saúde e da integridadedos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliaçãoe conseqüentemente controle dos riscos ambientais (agentes físicos,químicos e biológicos) inerentes ao ambiente de trabalho.Na Construção Civil enquadram-se os riscos físicos, químicos e bioló-gicos, abrangendo ainda os riscos ergonômicos e os de acidentes. Riscos Físicos Consideram-se agentes de risco físico as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como:ruído, calor, frio, pressão, umidade, radiações ionizantes e não-ioni-zantes, vibração e etc. Riscos Químicos Consideram-se agentes de risco químico os compostos, as subs- tâncias ou produtos que possam penetrar no organismo do traba-lhador pelas vias respiratórias, pele ou ingestão nas formas de poeiras,fumos, gases, neblinas, névoas ou vapores. Riscos Biológicos Consideram-se como agentes de risco biológico as bactérias, vírus, fungos, parasitos, entre outros. Riscos Ergonômicos Qualquer fator que possa interferir nas características físicas e mentais do trabalhador, causando desconforto ou afetando suasaúde. São exemplos de risco ergonômico: levantamento de peso, rit-mo excessivo de trabalho, monotonia, repetitividade, postura inade-quada de trabalho, etc. Riscos de Acidentes Qualquer fator que coloque o trabalhador em situação de risco e possa afetar sua integridade e seu bem-estar físico e mental. Sãoexemplos de risco de acidente: as máquinas e equipamentos semproteção, possibilidade de incêndio e explosão, falta de organizaçãono ambiente, armazenamento inadequado, etc.
  • 10 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Condições e Meio Ambiente de TrabalhoEsta cartilha destaca alguns subitens da NR-18 que são de sumaimportância para um canteiro de obras, oferecendo conforto e segu-rança para todos.18.4 ÁREAS DE VIVÊNCIAInstalação Sanitária Os mictórios devem ser individuais ou coletivos, Boxes tipo calha. devidamente separados / individuais. Lavatórios individuais ou coletivos tipo calha. Descarga É obrigatório com ligação à rede o fornecimento de de esgoto. papel higiênico. Lixeira com tampa. Do tipo: Deve estar Bacia turca ou na proporção de 1/20 Sifonada. trabalhadores.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 11Chuveiros Deve possuir chuveiro dispondo de água quente. Caso elétrico, aterrado adequadamente. Suporte para sabonete. Proporção de 1/10 trabalhadores. Deve ter caimento juntamente com o estrado de madeira ou PVC.Vestiário Área de ventilação. Armários Ter bancos individuais com suficientes fechaduras e/ou para atender o número cadeados para de trabalhadores. que permaneçam trancados. O dimensio- namento dos armários deve obedecer o Piso de estabelecido pela concreto cimentado, norma. madeira ou material equivalente.
  • 12 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Sugestões e Boas Práticas É importante que haja local adequado para secagem de toalhas, evitando que sejam guardadas molhadas nos armários. O uso da sapateira torna o ambiente organizado, além de evitar que os calçados sujos fiquem em contato com os objetos pessoais que estejam dentro dos armários dos trabalhadores.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 13Local para refeições Copos individuais ou Iluminação descartáveis. natural e/ou artificial. Estufaelétrica devidamente aterrada ou a gás para aquecimento Bebedouro das refeições. com aterramento elétrico. Lavatório instalado em suas Lixeiras, proximidades. com tampa, para detritos. Assentosem número suficiente Mesas para atender aos com tampos lisos usuários. e laváveis. O refeitório Piso de não pode ser concreto, cimentado localizado no ou outro material subsolo. lavável. A segurança e a saúde no trabalho começam pela organização e limpeza.
  • 14 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-1818.6 ESCAVAÇÃO, FUNDAÇÃO E DESMONTE DE ROCHAS Os taludes instáveis das escavações com As escava- profundidade superior a ções realizadas em 1,25m (um metro e vinte canteiros de obras e cinco centímetros)devem ter sinalização de devem ter sua advertência e barreira estabilidade garantida de isolamento em todo por meio de estruturas seu perímetro. dimensionadas para este fim. Os acessos É proibido de trabalhadores, o acesso de pessoas veículos e equipamentos não-autorizadas às às áreas de escavação áreas de escavação e devem ter sinalização cravação de estacas. de advertência permanente. As escavações com mais de 1,25m (um metro e vinte e cinco centímetros) de profundidade devem dispor de escadas ou rampas, colocadas próximas aos postos de trabalho, a fim de permitir, em caso de emergência, a saída rápida dos trabalhadores. São obrigatórios o uso de cinto de segurança, É proibido tipo pára-quedista, nos fazer reparo ou trabalhos executados manutenção em bate- em escadas da torre estacas enquanto o de bate-estacas e equipamento estiver proteção auditiva para em operação. todos que estiverem próximo ao local. É proibido o acesso de pessoas não-autorizadas às áreas de escavação e cravação de estacas. O operador de bate-estacas deve Quando o ser qualificado e ter bate-estacas não sua equipe treinada. estiver em operação, o pilão deve permanecer em repouso sobre o solo ou no fim do seu curso.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 15Martelete pneumático É importanteque haja o revezamento na operação, devido à vibração excessiva Protetor respiratório gerada pelo descartável filtro equipamento. P1 contra poeiras e névoas. É preciso verificar se todas as Contaminação conexões e junções por poeira mineral dos tubos do martelo em suspensão. pneumático estãocorretamente montadas e conectadas. Equipamento em bom estado de Somente utilização, com pressão operador treinado e O mangote Umedecimento interna adequada.capacitado pode operar não pode ter prévio do material a ser o equipamento. adaptações ou operado, sendo obrigatório emendas que possam o operador usar a máscara oferecer riscos. respiratória facial para poeiras em suspensão. Riscos inerentes à função: Ruído, vibração, calor e radiação solar. Poeira. Postura Inadequada, esforço físico intenso, levantamento e transporte manual de peso. Cortes de membros inferiores, quedas em mesmo nível ou com diferença de nível e choque elétrico. EPI: Uso contínuo P1RISCO – capacidade de uma grandeza com potencial para causar lesões ou danos à saúde das pessoas.
  • 16 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-1818.7 CARPINTARIASerra circular de bancada Cobertura Extintor para proteção contra do tipo H2O e queda de materiais e PQS ou CO2. intempéries (chuva, sol...) e luminárias Protetor facial protegidas contra contra projeção de impactos. partículas. Coifa protetora do disco e cutelo divisor. Operador qualificado nos termos da NR-18. Guia de alinhamento. Dispositivo empurrador. Coletor de serragem. Dispositivo Aterramento de bloqueio. elétrico. Riscos inerentes à função: Ruído. Poeira. Postura inadequada, levantamento e transporte manual de peso. Corte de membros superiores, queda em mesmo nível e choque elétrico e incêndio. EPI: Uso contínuo
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 17Serra circular manual Óculos de segurança Proteção do para proteção dos disco contra projeção olhos contra impacto de partículas. de partículas volantes, luminosidade intensa, radiação ultravioleta e infravermelha e contra respingos de produtos químicos. O carpinteiro deve ter um ajudante para trabalhos maiores. Para operação de equipamentos elétricos manuais é necessário Deve ser que a empresa tenha Deve realizada manutenção trabalhadores treinados. possuir duplo periódica. isolamento: tomada com três pinos (fase, neutro e terra). Riscos inerentes à função: Ruído, calor e radiação solar. Poeira. Postura inadequada e levantamento e transporte manual de peso. Corte de membros superiores, queda em mesmo nível ou com diferença de nível e choque elétrico. EPI:Uso contínuo Quando necessárioACIDENTE DO TRABALHO – é aquele que ocorre pelo exercício do trabalho, a serviço da empresa,provocando lesão corporal ou perturbação funcional, que cause a morte, perda ou redução permanente outemporária, da capacidade para o trabalho.
  • 18 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Carpinteiro Capacete de segurança para proteção contra impactos sobre a cabeça. Riscos inerentes à função: Ruído, calor e radiação solar. Postura Inadequada, levantamento e transporte manual de peso. Corte ou prensamento de membros superiores, queda em mesmo nível ou com diferença de nível. EPI: Uso contínuo Quando necessário
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 1918.8 ARMAÇÃO DE AÇO DiscoPolicorte sempre em bom estado e com Iluminação proteção. natural e/ou artificial. Avental de raspa Extintor para proteção do de incêndio tipo tronco contra projeção PQS ou CO2. de partículas. Operador qualificado nos termos da NR-18. Aterramento elétrico. Armazenamento de ferragens sem Dispositivo contato com o chão e de de bloqueio. forma que não impeça a circulação. Riscos inerentes à função: Ruído. Fumos metálicos. Postura Inadequada, levantamento e transporte manual de peso. Corte de membros superiores e queda em mesmo nível. EPI: Uso contínuo P2ACIDENTE PESSOAL SEM PERDA DE TEMPO (SPT) – o acidentado sofre lesão e não fica impossibilitadode retornar ao trabalho até o dia seguinte ao da ocorrência do acidente.
  • 20 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Dobragem de vergalhões Luva de raspa para proteção Cobertura das mãos contra resistente para agentes cortantes e proteção dos perfurantes. trabalhadores contra a queda de materiais e intempéries. As bancadas de armação devem ser de material resistente e apoiadas de forma segura. Protetor solar ajuda a proteger a pele da radiação ultravioleta do sol, o que reduz as queimaduras solares e outros danos à pele. É obrigatória a colocação de pranchas de madeira sobre as armações das fôrmas, para circulação de operários.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 21 As pontas de vergalhões devem ser protegidas. Riscos inerentes à função: Ruído, calor e radiação solar. Postura inadequada, levantamento e transporte de peso. Corte e/ou perfurações de membros, queda em mesmo nível ou com diferença de nível. EPI: Uso contínuo Quando necessárioACIDENTE PESSOAL COM PERDA DE TEMPO (CPT) – o acidentado sofre lesão que o impossibilita deretornar ao trabalho, a partir do dia seguinte ao da ocorrência do acidente.
  • 22 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-1818.9 ESTRUTURAS DE CONCRETO Durante a desforma devem ser viabilizados meios que impeçam a queda livre As fôrmas de seções de fôrmas devem ser projetadas e escoramentos, e construídas de modo sendo obrigatórios que resistam as cargas a amarração das máximas de serviço. peças e o isolamento e sinalização ao nível do terreno. Os suportes e escoras de fôrmas devem ser inspecionados antes e durante a concretagem por trabalhador qualificado. As conexões dos transportadores de concreto devem possuir dispositivo Proteção de segurança para das periferias impedir a separação feitas por guarda- das partes, quando corpo durante a o sistema estiver concretagem. sob pressão. Os vibradores de imersão devem ter dupla isolação e os No local cabos de ligação ser onde se executa a protegidos contra Protetor auditivo tipo concretagem somente choques mecânicos e plug para proteção do deve permanecer a corte pela ferragem, sistema auditivo para equipe indispensável devendo ainda serníveis de ruído acima do para a execução dotados de dispositivo permitido (NR-15). da tarefa. “fuga à terra”.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 2318.12 ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS É obrigatória a instalação de rampa ou escada provisória de uso coletivo para Guarda- transposição de corpo com rodapé. níveis como meio de circulação de trabalhadores. Devem ser dimensionadas em função do número de trabalhadores de acordo com o item 18.12.5. A madeira deve ser resistente e de boa qualidade. Escadas, rampas e passarelas devem ser providas de guarda-corpo com altura de 1,20m para travessão superior, 0,70m para travessão intermediário Devem ser e rodapé de 0,20m de altura. dotadas de sistema Manter antiderrapante, tipo semprefriso, réguas ou outros desobstruída. meios que evitem escorregamentos de trabalhadores. Apoio das Rampas extremidades, com corrimão por cobrindo-a toda sua extensão. totalmente . Construídas e mantidas em perfeitas condições de uso e segurança.ACIDENTE IMPESSOAL – aquele no qual não há existência de vítima, embora haja danos materiais e/ouambientais.
  • 24 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Escada manual As escadas É proibido de mão poderão ter colocar a escada de até 7m de extensãomão: nas proximidades e espaçamento entre de portas ou áreas os degraus variando de circulação e onde entre 25 e 30cm. houver risco de queda de objetos e materiais e redes eequipamentos elétricos desprotegidos. Deve ter sobra de 1 m quando apoiadas em extremidades. Devem ter uso restrito para acesso provisório Ser apoiada e serviços de em piso resistente. pequeno porte.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 2518.13 PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS A plataforma secundária deve ser instalada acima da principal, de 3 em 3 andares. Plataforma principal em todo perímetro da construção de edifícios com mais A plataforma de 4 pavimentos ou secundária pode altura equivalente. ser retirada somente quando a vedação da periferia estiver concluída. Proteção das periferias com guarda-corpo e A plataformarodapé e os vãos entre principal deve sertravessas preenchidos instalada logo após com tela ou outro a concretagem da 1ª dispositivo que laje e retirada somente garanta o fechamento quando terminado o seguro da abertura, revestimento externo e rodapé. da estrutura.QUASE ACIDENTE – acontecimento indesejável, que por questão de espaço e tempo, poderia ter resultadoem danos à pessoa (lesões), danos materiais, perda no processo ou ao meio ambiente.
  • 26 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 Perímetro da construção de edifício com tela a partir da plataforma principal de proteção. A tela deve constituir de uma barreira protetora contra materiais e ferramentas. As aberturas no piso devem ter fechamento provisório resistente. Proteção do poço do elevador para risco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais com a altura mínima de 1,20m, constituído de material resistente e fixado à estrutura até a colocação definitiva das portas.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 2718.14 MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE MATERIAIS E PESSOASTorre de elevadores Deve A distância possuir sistema entre a cabine e o de segurança topo da torre deve eletromecânico situado ser de 4m. a 2m abaixo da viga superior da torre, ou outro sistema que impeça o choque da cabina com a torre. O estaiamento ou fixação das torres à estrutura da edificação deve ser a cada laje ou pavimento. O elevador de passageiros deve ser instalado, ainda, a partir da execução da 7ª laje dos edifícios em construção com 8 ou mais pavimentos, ou altura equivalente. As torres de elevadores de materiais devem ser revestidas de tela gavalnizada quando a cabine não possuir fechamento completo. Os elementos A estrutura estruturais, da torre deve componentes da estar aterrada torre, devem estar em eletricamente. perfeito estado.DOENÇA DO TRABALHO – doença adquirida em função do exercício de atividades profissionais nocivasà saúde.
  • 28 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 Os elevadores com abertura lateral devem possuir guarda-corpo. O estaiamento ou fixação das torres à estrutura da edificação deve ser a cada laje ou pavimento. Deve haver proteção das partes perigosas como motores, cabos de aço e roldanas.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 29Posto do operador Sistema comum para acionamento (quadro O operador de lâmpadas). deve ser qualificado de acordo com Deve os requisitos da ser dotado de NR-18. chave de partida e bloqueio que impeça o seu acionamento por pessoa não- autorizada. Quando houver irregularidades no elevador de materiais quanto ao seu funcionamento e manutenção do O posto mesmo, estas serão do operador deve anotadas pelo operador ser isolado, dispor em livro próprio e de proteção contra comunicadas, por queda de materiais e escrito, ao responsável os assentos devem da obra. atender a NR-17.Dispositivos de segurança para elevador de carga e passageiros Freio manual situado Quando dentro da cabina, houver transporte interligado ao de carga o comando interruptor de corrente, deve ser externo. que quando acionado desligue o motor. Deve ser fixada uma placa no Dispositivo interior do elevador de segurança que contendo a indicação impeça a abertura de carga máxima e a da barreira (cancela)proibição de transporte quando o elevador simultâneo. não estiver no nível do pavimento. Em todos os acessos à torre Os do elevador deve ser dispositivos deinstalada uma barreira acionamento devem (cancela) de, no Rampas estar presentes em mínimo, 1,80m. de acesso. todos os andares.CONDIÇÃO ABAIXO DO PADRÃO – situações presentes no ambiente de trabalho que favorecem a concreti-zação do risco à integridade física e/ou mental do trabalhador. São deficiências técnicas e/ou gerenciais.
  • 30 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-1818.15 ANDAIMESAndaime fachadeiro Deve possuir acesso Dispor de seguro por meio de proteção com tela de escadas ou pelos material resistente. próprios pavimentos. Fixada Encaixes a estrutura da travados com construção por meio parafusos, de amarração e contrapinos, entroncamento. braçadeiras ou similar. O dimensio- Dispor namento, a estrutura de piso com de sustentação e forração completa, a fixação devem antiderrapante, ser realizados por nivelado e de sistema profissional legalmente guarda-corpo com habilitado. rodapé em todo o perímetro. O cabo desegurança adicional deve ser ancorado à estrutura. Cinto de segurança tipo pára-quedista contra risco de quedas, Em hipótese sendo obrigatória sua alguma o cabo utilização em trabalhos guia deve ser fixado realizados a partir de ao andaime. 2m de altura do piso.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 31Andaime suspenso Sair do andaime sempre que ventar fortemente ou ao menor sinal Dispor de O andaime de chuva. sistema guarda- deve ser fixado à corpo com rodapé, construção na posição exceto o lado da de trabalho, para que face do trabalho. este não se afaste durante as atividades. Não pendurar materiais (baldes, galões de tinta, etc.) no lado externo do guarda-corpo. Manter Retirar o andaime o mais diariamente a massa nivelado possível, que cair nos tambores inclusive durante dos guinchos antes A largura que endureça. seu deslocamento mínima da plataforma vertical. de trabalho é de 0,65m. O trabalhador Cabo guia deve utilizar cinto fixado em estrutura de segurança tipo independente a pára-quedista com de fixação e trava-quedas, e este sustentação do ligado a cabo-guia. andaime suspenso. Trava-quedas de segurança para proteção do trabalhador O engate contra quedas do mosquetão no em operações ou trava-quedas deve movimentação vertical ser feito antes da ou horizontal. entrada no andaime suspenso e só desengatado quando o trabalhador estiver fora do andaime.ATO ABAIXO DO PADRÃO – ocorrência onde existiu o desrespeito às normas, padrões e procedimentosde segurança ou operacional.
  • 32 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Cadeira suspensa Os cabos para sustentação O sistema podem ser de aço ou de fixação da cadeira de fibra sintética e suspensa deve ser devem ser fixados por independente do cabo- meio de dispositivos guia do trava-quedas. que impeçam seu deslizamento e desgaste. O trabalhador deve utilizar cinto de Os cabos segurança tipo pára- de fibras sintéticas quedista, ligado ao utilizados paratrava-quedas em cabo- sustentação de cadeiras guia independente. suspensas ou como cabo-guia para fixação do trava-quedas do cinto de segurança tipo pára- quedista deverão ser dotados de alerta visual amarelo e marcação com fita, inserida no O trabalhador interior do trançado deve fixar o trava- interno gravado NR quedas ao cabo-guia 18.16.5 ISO 11401990 e antes de assentar-se fabricante com CNPJ. à cadeira. A cadeira suspensa deve apresentar, na sua estrutura, em caracteres indeléveis e bem visíveis, a razão social do fabricante e o número de registro respectivo no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 3318.17 ALVENARIA, REVESTIMENTO E ACABAMENTOBetoneira Proteção das partes móveis. Extintor do Dispositivo tipo PQS ou CO2. de bloqueio. Deve Bota de borracha possuir aterramento para proteção dos elétrico. pés e pernas para Operadorevitar o contato direto qualificado nos com o cimento. termos da NR-18. Riscos inerentes à função: Ruído. Poeira, cimento e argamassa. Postura inadequada, levantamento e transporte manual de peso. Queda em mesmo nível ou com diferença de nível e choque elétrico. EPI: Uso contínuoFATOR PESSOAL DE INSEGURANÇA – ocorrência onde preexiste uma limitação ou alteração da con-dição psicofisiológica do empregado.
  • 34 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Pedreiro Luva de PVC/Látex para proteção das mãos contra agentes químicos. Riscos inerentes à função: Ruído. Poeira, cimento e argamassa. Postura inadequada e levantamento e transporte manual de peso. Queda em mesmo nível ou com diferença de nível. EPI: Uso contínuo Quando necessário
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 35Acabamento com cerâmica Para a operação de equipamentos Luva química para elétricos manuais trabalhos em que seja é necessário que se inviável a utilização da tenha trabalhador luva convencional. treinado pela empresa. Proteção contra projeção de partículas. Em serviços de acabamento com cerâmica e gesso, deve ser utilizada luva química. Deve Deve ser realizada possuir duplo manutenção isolamento: tomada periódica. com 3 pinos (fase, neutro e terra). Riscos inerentes à função: Ruído. Poeira. Postura inadequada e levantamento e transporte manual de peso. Corte de membros superiores, choque elétrico e queda de mesmo nível ou com diferença de nível. EPI: Uso contínuo Quando necessárioRESPONSABILIDADE CIVIL – Art. 186. “Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ouimprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito”.Art. 927. “Aquele que, por ato ilícito, causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.”
  • 36 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-1818.21 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Para os casos em que haja possibilidade de contato acidental com qualquer parte viva energizada deve ser adotado isolamento adequado. O quadro de tomadas provisório deve possuir isolamento em todas as partes vivas energizadas e estar devidamente aterrado junto ao quadro de distribuição de energia.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 37Eletricista É proibida Os circuitos a existência de elétricos devem ser partes vivas expostas protegidos contra em circuitos e impactos mecânicos, equipamentos umidade e agentes elétricos. corrosivos. Garantir que todas instalações e carcaças dos equipamentos elétricos O calçado estejam devidamente de segurança do aterradas conforme eletricista não pode norma técnica. possuir componente metálico. A execução e manutenção de instalações elétricas devem ser realizadas por Somente trabalhador qualificado podem ser realizados e capacitado com o serviços em curso de 40 horas instalações quando o de acordo com a circuito elétrico não revisão da NR-10, estiver energizado. e a supervisão por profissional legalmente habilitado. Riscos inerentes à função: Ruído de fundo. Postura Inadequada. Choque elétrico e corte e perfuração de membros superiores. EPI: Uso contínuo Quando necessárioRESPONSABILIDADE PENAL – CP, artigo 29 – “Será responsabilizado penalmente o autor do delito,ou, havendo concurso de pessoas, aqueles que concorreram para o resultado, na medida das respectivasculpabilidades”.
  • 38 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Trabalhos com furadeira manual Para operação de Luva de segurança equipamentos pigmentada com elétricos manuais a finalidade de é necessário que proteger a mão do a empresa tenha trabalhador contra trabalhadores cortes acidentais. treinados. Deve Deve ser realizada possuir duplo manutenção isolamento: tomada periódica. com três pinos (fase, neutro e terra). Riscos inerentes à função: Ruído. Postura inadequada e levantamento e transporte manual de peso. Corte de membros superiores, choque elétrico e queda de mesmo nível ou com diferença de nível. EPI: Uso contínuo Quando necessário
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 3918.24 ARMAZENAMENTO E ESTOCAGEM DE MATERIAISCanteiro O armaze- namento deve As pilhas de ser feito de modo materiais, a granel a não atrapalhar ou embalados, devem a circulação, ter forma e altura principalmente que garantam a sua de saídas de estabilidade e facilitem emergências e o seu manuseio. acessos a extintores. Os materiais não podem ser empilhados diretamente sobre o piso instável, úmido ou desnivelado. Os materiais tóxicos, corrosivos, inflamáveis ou explosivos devem ser armazenados em locais isolados, apropriados, sinalizados e de acesso permitido somente a pessoas devidamente autorizadas.
  • 40 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Almoxarifado É necessá- rio que se tenha extintor de incêndio dentro ou próximo à área do almoxarifado. Deve ser mantido limpo e organizado.
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 4118.26 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOExtintores de incêndio  Água  Pó químico seco  CO2 FOGO CLASSE A: FOGO CLASSE B: FOGO CLASSE B: Materiais sólidos Líquidos inflamáveis Líquidos inflamáveis Ex.: madeira, borracha, Ex.: álcool, gasolina, óleo Ex.: álcool, gasolina, óleo papel, plástico, etc. diesel, tintas e vernizes, etc. diesel, tintas e vernizes, etc. FOGO CLASSE C: FOGO CLASSE C: Equipamentos elétricos Equipamentos elétricos energizados energizados Ex.: serra circular, policorte, Ex.: serra circular, policorte, betoneira, painéis elétricos, etc. betoneira, painéis elétricos, etc.
  • 42 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-1818.27 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 43
  • 44 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18
  • Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18 45 A prevenção há muito deixou de ser um custo e se transformou em um investimento altamente lucrativo, pois a correta implantação das Normas de Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil possibilita a redução de acidentes e doenças ocupacionais e aumenta a produtividade, a satisfação e a qualidade de vida do trabalhador. Quando se investe e se pratica a segurança nos canteiros de obra, todos os envolvidos saem ganhando. Até a próxima!
  • 46 Segurança e Saúde do Trabalho na Construção Civil/ES – NR-18Referências bibliográficasPortaria 3214/78 MTE – Normas RegulamentadorasRTP’s – FUNDACENTRONBR 9061 – Segurança de escavação a céu abertoNBR 12693 – Sistema de proteção por extintor de incêndioNBR 14280 – Cadastro de acidente do trabalho procedimento e clas-sificação