Conceitos e técnicas de programação aula 5

  • 357 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
357
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
31
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Gestão de Tecnologia da Informação Conceitos e Técnicas de Programação Profº Ms. Tarcísio Júnior1
  • 2. Conceitos e Técnicas de Programação Representação de Algoritmos Estrutura de Repetição2
  • 3. Estruturas de Repetição • Permitem que uma sequência de comandos seja executada repetidamente, até que determinada condição de interrupção seja satisfeita. • São também conhecidas como laços ou malhas. • Cada repetição do conjunto de comandos é chamada iteração. • Cria-se para isso um looping para efetuar o processamento tantas vezes quantas forem necessárias.3
  • 4. Estrutura de Repetição  Existem comandos apropriados para efetuar a repetição:  enquanto;  repita; e  para.  A principal vantagem é que o algoritmo passa a ter um tamanho menor, podendo ampliar o processamento, sem alterar o tamanho do código;4
  • 5. Estrutura de Repetição  Estrutura enquanto  Efetua um teste lógico no início do looping;  Um determinado conjunto de instruções será executado enquanto a condição verificada for verdadeira;  No momento em que a condição se torna falsa, o processamento é desviado para fora do looping;  Se a condição for falsa logo de início, as instruções do looping são ignoradas.5
  • 6. Estrutura de Repetição • Estrutura enquanto – fluxograma6
  • 7. Estrutura de Repetição • Permite que comandos sejam repetidos enquanto uma condição não é atendida. enquanto (<condição>) faça <ações> fim_enquanto7
  • 8. Estrutura de Repetição por Condição :: Verificação no início N Condição S Ações enquanto (<condição>) faça <ações> fim_enquanto8
  • 9. Estrutura de Repetição por Condição :: Verificação no início• Exemplo: – Dado o valor de N, calcular a soma dos números inteiros de 1 a N. Algoritmo “Soma” Var N, i, soma: inteiro Inicio soma <- 0 i <- 1 Escreva(“Informe um valor:”) Leia(N) enquanto (i <= N) faca soma <- soma + i i <- i + 1 fimenquanto escreva(“o valor somado foi: ”, soma) ...9
  • 10. Estrutura de Repetição • Exemplo 2: Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes.10
  • 11. Estrutura de Repetição  Estrutura enquanto Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes. 1. Criar uma variável para servir como contador com valor inicial 1; 2. Enquanto o contador for menor ou igual a 5, processar os passos 3, 4, 5; 3. Ler um valor para a variável NUM; 4. Multiplicar o valor de NUM por 3, guardando o resultado em RESP; 5. Apresentar o valor contido na variável RESP; 6. Acrescentar +1 ao contador (incremento); 7. Quando o contador for maior que 5, encerrar o processamento do looping.11
  • 12. Estrutura de Repetição  Estrutura enquanto  Português estruturado algoritmo "Exemplo_Enquanto" var num, resp, cont : inteiro inicio cont <- 1 enquanto (cont <= 5) faca escreval("Informe um número") leia (num) resp <- num * 3 escreval ("O valor multiplicado por 3 é", resp) cont <- cont + 1 fimenquanto fimalgoritmo12
  • 13. Estrutura de Repetição Estrutura repita  Efetua um teste lógico no fim do looping;  Um conjunto de instruções é executado enquanto a condição se mantém falsa, quando ela for verdadeira o processamento sai do looping;  Processa a execução de um conjunto de instruções pelo menos uma vez antes de verificar a validade da condição;  Processará um conjunto de instruções pelo menos uma vez até que a condição se torne verdadeira;13
  • 14. Estrutura de Repetição • Estrutura repita – fluxograma14
  • 15. Estrutura de Repetição • Permite que comandos sejam repetidos até que uma condição seja atendida. repita <ações ou lista de comandos> ate <condição>15
  • 16. Estrutura de Repetição • Exemplo: Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes.16
  • 17. Estrutura de Repetição  Estrutura repita Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta seqüência por 5 vezes. 1. Criar uma variável contador com valor inicial 1; 2. Ler um valor para a variável NUM; 3. Multiplicar o valor de NUM por 3, guardando o resultado em RESP; 4. Apresentar o valor contido na variável RESP; 5. Acrescentar +1 ao contador; 6. Repetir os passos 2,3,4 e 5 até que o contador seja maior que 5.17
  • 18. Estrutura de Repetição  Estrutura repita  Português estruturado algoritmo "Exemplo_Repita" var num, resp, cont : inteiro inicio cont <- 1 repita escreval("Informe um número") leia (num) resp <- num * 3 escreval ("O valor multiplicado por 3 é", resp) cont <- cont + 1 ate (cont > 5) fimalgoritmo18
  • 19. Estrutura de Repetição • Estrutura para – Tem o seu funcionamento controlado por uma variável denominada contador; – Executa um conjunto de instruções um determinado número de vezes; – Utilizado quando se sabe previamente o número de vezes que uma sequência de instruções deverá ser executada.19
  • 20. Estrutura de Repetição por Contagem • início: define qual a variável de controle da malha (contador) e seu valor inicial. • fim: define o valor final da variável de controle. • incremento: define como a variável de controle se altera a cada repetição.20
  • 21. Estrutura de Repetição por Contagem início condição N S ações incremento21
  • 22. Estrutura de Repetição por Contagem • Exemplo: – Dado o valor de N, calcular a soma dos números inteiros de 1 a N. ... soma <- 0 para i de 1 ate N faca soma <- soma + i fimpara ...22
  • 23. Estrutura de Repetição • Estrutura para Processamento – fluxograma predefinido ou Preparação23
  • 24. Estrutura de Repetição • Estrutura para – Português estruturadopara <variável> de <início> ate <fim> passo <incremento> faca <lista de comandos>fimpara24
  • 25. Estrutura de Repetição • Exemplo: Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes.25
  • 26. Estrutura de Repetição  Estrutura para Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta seqüência por 5 vezes. 1. Definir um contador variando de 1 a 5; 2. Ler um valor para a variável NUM; 3. Multiplicar o valor de NUM por 3, guardando o resultado em RESP; 4. Apresentar o valor contido na variável RESP; 5. Acrescentar +1 ao contador; 6. Repetir os passos 2,3,4 e 5 até que o contador seja encerrado.26
  • 27. Estrutura de Repetição  Estrutura repita  Português estruturado algoritmo "Exemplo_Para" var num, resp, cont : inteiro inicio para cont de 1 ate 5 passo 1 faca escreval("Informe um número") leia (num) resp <- num * 3 escreval ("O valor multiplicado por 3 é", resp) fimpara fimalgoritmo27
  • 28. Estrutura de Repetição por Condição :: Verificação no fim × Verificação no início Verificação no início Verificação no fim Condição é O conjunto de verificada antes do instruções será conjunto de executado pelo instruções menos uma vez Condição é verificada depois do conjunto de instruções28
  • 29. só para descontrair...29