Conceitos e técnicas de programação aula 5

518 views
450 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
518
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Conceitos e técnicas de programação aula 5

  1. 1. Gestão de Tecnologia da Informação Conceitos e Técnicas de Programação Profº Ms. Tarcísio Júnior1
  2. 2. Conceitos e Técnicas de Programação Representação de Algoritmos Estrutura de Repetição2
  3. 3. Estruturas de Repetição • Permitem que uma sequência de comandos seja executada repetidamente, até que determinada condição de interrupção seja satisfeita. • São também conhecidas como laços ou malhas. • Cada repetição do conjunto de comandos é chamada iteração. • Cria-se para isso um looping para efetuar o processamento tantas vezes quantas forem necessárias.3
  4. 4. Estrutura de Repetição  Existem comandos apropriados para efetuar a repetição:  enquanto;  repita; e  para.  A principal vantagem é que o algoritmo passa a ter um tamanho menor, podendo ampliar o processamento, sem alterar o tamanho do código;4
  5. 5. Estrutura de Repetição  Estrutura enquanto  Efetua um teste lógico no início do looping;  Um determinado conjunto de instruções será executado enquanto a condição verificada for verdadeira;  No momento em que a condição se torna falsa, o processamento é desviado para fora do looping;  Se a condição for falsa logo de início, as instruções do looping são ignoradas.5
  6. 6. Estrutura de Repetição • Estrutura enquanto – fluxograma6
  7. 7. Estrutura de Repetição • Permite que comandos sejam repetidos enquanto uma condição não é atendida. enquanto (<condição>) faça <ações> fim_enquanto7
  8. 8. Estrutura de Repetição por Condição :: Verificação no início N Condição S Ações enquanto (<condição>) faça <ações> fim_enquanto8
  9. 9. Estrutura de Repetição por Condição :: Verificação no início• Exemplo: – Dado o valor de N, calcular a soma dos números inteiros de 1 a N. Algoritmo “Soma” Var N, i, soma: inteiro Inicio soma <- 0 i <- 1 Escreva(“Informe um valor:”) Leia(N) enquanto (i <= N) faca soma <- soma + i i <- i + 1 fimenquanto escreva(“o valor somado foi: ”, soma) ...9
  10. 10. Estrutura de Repetição • Exemplo 2: Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes.10
  11. 11. Estrutura de Repetição  Estrutura enquanto Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes. 1. Criar uma variável para servir como contador com valor inicial 1; 2. Enquanto o contador for menor ou igual a 5, processar os passos 3, 4, 5; 3. Ler um valor para a variável NUM; 4. Multiplicar o valor de NUM por 3, guardando o resultado em RESP; 5. Apresentar o valor contido na variável RESP; 6. Acrescentar +1 ao contador (incremento); 7. Quando o contador for maior que 5, encerrar o processamento do looping.11
  12. 12. Estrutura de Repetição  Estrutura enquanto  Português estruturado algoritmo "Exemplo_Enquanto" var num, resp, cont : inteiro inicio cont <- 1 enquanto (cont <= 5) faca escreval("Informe um número") leia (num) resp <- num * 3 escreval ("O valor multiplicado por 3 é", resp) cont <- cont + 1 fimenquanto fimalgoritmo12
  13. 13. Estrutura de Repetição Estrutura repita  Efetua um teste lógico no fim do looping;  Um conjunto de instruções é executado enquanto a condição se mantém falsa, quando ela for verdadeira o processamento sai do looping;  Processa a execução de um conjunto de instruções pelo menos uma vez antes de verificar a validade da condição;  Processará um conjunto de instruções pelo menos uma vez até que a condição se torne verdadeira;13
  14. 14. Estrutura de Repetição • Estrutura repita – fluxograma14
  15. 15. Estrutura de Repetição • Permite que comandos sejam repetidos até que uma condição seja atendida. repita <ações ou lista de comandos> ate <condição>15
  16. 16. Estrutura de Repetição • Exemplo: Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes.16
  17. 17. Estrutura de Repetição  Estrutura repita Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta seqüência por 5 vezes. 1. Criar uma variável contador com valor inicial 1; 2. Ler um valor para a variável NUM; 3. Multiplicar o valor de NUM por 3, guardando o resultado em RESP; 4. Apresentar o valor contido na variável RESP; 5. Acrescentar +1 ao contador; 6. Repetir os passos 2,3,4 e 5 até que o contador seja maior que 5.17
  18. 18. Estrutura de Repetição  Estrutura repita  Português estruturado algoritmo "Exemplo_Repita" var num, resp, cont : inteiro inicio cont <- 1 repita escreval("Informe um número") leia (num) resp <- num * 3 escreval ("O valor multiplicado por 3 é", resp) cont <- cont + 1 ate (cont > 5) fimalgoritmo18
  19. 19. Estrutura de Repetição • Estrutura para – Tem o seu funcionamento controlado por uma variável denominada contador; – Executa um conjunto de instruções um determinado número de vezes; – Utilizado quando se sabe previamente o número de vezes que uma sequência de instruções deverá ser executada.19
  20. 20. Estrutura de Repetição por Contagem • início: define qual a variável de controle da malha (contador) e seu valor inicial. • fim: define o valor final da variável de controle. • incremento: define como a variável de controle se altera a cada repetição.20
  21. 21. Estrutura de Repetição por Contagem início condição N S ações incremento21
  22. 22. Estrutura de Repetição por Contagem • Exemplo: – Dado o valor de N, calcular a soma dos números inteiros de 1 a N. ... soma <- 0 para i de 1 ate N faca soma <- soma + i fimpara ...22
  23. 23. Estrutura de Repetição • Estrutura para Processamento – fluxograma predefinido ou Preparação23
  24. 24. Estrutura de Repetição • Estrutura para – Português estruturadopara <variável> de <início> ate <fim> passo <incremento> faca <lista de comandos>fimpara24
  25. 25. Estrutura de Repetição • Exemplo: Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta sequência por 5 vezes.25
  26. 26. Estrutura de Repetição  Estrutura para Pedir a leitura de um valor para a variável NUM, multiplicar este valor por 3 atribuindo-o à variável de resposta RESP e apresentar o valor obtido, repetindo esta seqüência por 5 vezes. 1. Definir um contador variando de 1 a 5; 2. Ler um valor para a variável NUM; 3. Multiplicar o valor de NUM por 3, guardando o resultado em RESP; 4. Apresentar o valor contido na variável RESP; 5. Acrescentar +1 ao contador; 6. Repetir os passos 2,3,4 e 5 até que o contador seja encerrado.26
  27. 27. Estrutura de Repetição  Estrutura repita  Português estruturado algoritmo "Exemplo_Para" var num, resp, cont : inteiro inicio para cont de 1 ate 5 passo 1 faca escreval("Informe um número") leia (num) resp <- num * 3 escreval ("O valor multiplicado por 3 é", resp) fimpara fimalgoritmo27
  28. 28. Estrutura de Repetição por Condição :: Verificação no fim × Verificação no início Verificação no início Verificação no fim Condição é O conjunto de verificada antes do instruções será conjunto de executado pelo instruções menos uma vez Condição é verificada depois do conjunto de instruções28
  29. 29. só para descontrair...29

×