Seminário de manejo clínico da tuberculose
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Seminário de manejo clínico da tuberculose

on

  • 37,054 views

Apresentação de caso clínico com as novas diretrizes para manejo da tuberculose pulmonar

Apresentação de caso clínico com as novas diretrizes para manejo da tuberculose pulmonar

Statistics

Views

Total Views
37,054
Views on SlideShare
6,403
Embed Views
30,651

Actions

Likes
1
Downloads
150
Comments
0

23 Embeds 30,651

http://professorrobsoncosta.blogspot.com 29258
http://professorrobsoncosta.blogspot.com.br 507
http://www.enfermagem-online.com 326
http://www.enfermagemvirtual.net 310
http://www.professorrobsoncosta.blogspot.com 141
http://professorrobsoncosta.blogspot.pt 33
url_unknown 31
http://webcache.googleusercontent.com 16
http://www.professorrobsoncosta.blogspot.com.br 7
http://farmaceuticoclinico.com.br 5
http://www.google.com.br 4
http://www.slideshare.net 2
http://professorrobsoncosta.blogspot.mx 1
http://professorrobsoncosta.blogspot.ca 1
http://search.babylon.com 1
http://uploaded.to 1
http://uploaded.to 1
http://www.google.com 1
http://learning.einstein.br 1
http://www.tvsaudebrasil.com.br 1
http://anatomy.med.umich.edu 1
http://4.bp.blogspot.com 1
http://professorrobsoncosta.blogspot.it 1
More...

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • Jorge
  • Jorge
  • Jorge - Anete
  • Jorge - Anete
  • Jorge
  • Jorge
  • Mônica
  • Mônica
  • Mônica
  • Mônica
  • Mônica
  • Denise - Ninarosa
  • Denise - Ninarosa
  • Denise
  • Rossana
  • Rossana

Seminário de manejo clínico da tuberculose Seminário de manejo clínico da tuberculose Presentation Transcript

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1- Em relação a JGS houve falha de abordagem em relação aos sintomas:
  • 1- Em relação a JGS houve falha de abordagem em relação aos sintomas:
  • Define-se como sintomático respiratório o indivíduo que apresenta tosse por tempo igual ou superior a: 2- Define-se como SINTOMÁTICO RESPIRATÓRIO ( SR ) a pessoa que apresenta tosse por tempo igual ou superior a:
  • Define-se como sintomático respiratório o indivíduo que apresenta tosse por tempo igual ou superior a: 2- Define-se como SINTOMÁTICO RESPIRATÓRIO ( SR ) a pessoa que apresenta tosse por tempo igual ou superior a:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 3- Em relação ao atendimento inicial a JGS na UBS, é recomendada a solicitação de:
  • 3- Em relação ao atendimento inicial a JGS na UBS, é recomendada a solicitação de:
  • 4- Em relação à coleta de escarro, recomenda-se, preferencialmente:
  • 4- Em relação à coleta de escarro, recomenda-se, preferencialmente:
  • 5- Para a adequada coleta de escarro, o mais importante é:
  • 5- Para a adequada coleta de escarro, o mais importante é:
  •  
  • 6- A baciloscopia de escarro está indicada para:
  • 6- A baciloscopia de escarro está indicada para:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 7- Não é definido o diagnóstico de TB indivíduo com:
  • 7- Não é definido o diagnóstico de TB indivíduo com:
  •  
  • 8- A solicitação de cultura para JGS estaria indicada:
  • 8- A solicitação de cultura para JGS estaria indicada:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 9- Para todo caso de TB está indicada a investigação de:
  • 9- Para todo caso de TB está indicada a investigação de:
  • 10- Sobre a coinfecção TB/HIV é correto afirmar que:
  • 10- Sobre a coinfecção TB/HIV é correto afirmar que:
  •  
  •  
  •  
  • 11- Além de solicitar o anti-HIV, a outra ação necessária após o diagnóstico de TB é a notificação do caso. A responsabilidade do preenchimento da ficha de notificação é do profissional:
  • 11- Além de solicitar o anti-HIV, a outra ação necessária após o diagnóstico de TB é a notificação do caso. A responsabilidade do preenchimento da ficha de notificação é do profissional:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 12- Como profissional de uma UBS, você é responsável por:
  • 12- Como profissional de uma UBS, você é responsável por:
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 13- Assinale a afirmativa correta em relação ao tabagismo e ao tratamento da TB
  • 13- Assinale a afirmativa correta em relação ao tabagismo e ao tratamento da TB
  • Em relação ao tratamento adotado, a modalidade mais adequada é: 14- Em relação ao tratamento adotado, a modalidade mais adequada é:
  • Em relação ao tratamento adotado, a modalidade mais adequada é: 14- Em relação ao tratamento adotado, a modalidade mais adequada é:
  •  
  •  
  •  
  • Regime Fármacos Faixa de peso Unidades/dose Meses 2RHZE Fase intensiva RHZE 150/75/400/275 mg comprimido em dose fixa combinada 20 a 35 kg 2 comprimidos 2 36 a 50 kg 3 comprimidos > 50 kg 4 comprimidos 4RH Fase de manutenção RH 300/200 ou 150/100 mg comprimido ou cápsula 20 a 35 kg 1 comp. ou cáps. 300/200 mg 4 36 a 50 kg 1 comp. ou cáps. 300/200 mg + 1 comp. ou cáps. 150/100 mg > 50 kg 2 comp. ou cáps. 300/200 mg
  • Período Medicamentos (resistência primária) H R R+H 1º Inquérito (1995-97) 4,4 1,3 1,1 2º Inquérito (2007-08) 6 1,5 1,4
  •  
  •  
  •  
  • 15- Sobre o controle de contatos, a afirmativa correta é:
  • 15- Sobre o controle de contatos, a afirmativa correta é:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 16- Diante da reação adversa descrita, a conduta preferencial é:
  • 16- Diante da reação adversa descrita, a conduta preferencial é:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 17- A conduta da médica assistente foi:
  • 17- A conduta da médica assistente foi:
  • 18- São fatores de risco para o desenvolvimento de reações adversas maiores:
  • 18- São fatores de risco para o desenvolvimento de reações adversas maiores:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 19- No caso de JGS, que tinha icterícia, até que valores o aumento das enzimas hepáticas são esperados na fase inicial do tratamento da TB, sem a necessidade de interrupção do mesmo?
  • 19- No caso de JGS, que tinha icterícia, até que valores o aumento das enzimas hepáticas são esperados na fase inicial do tratamento da TB, sem a necessidade de interrupção do mesmo?
  •  
  • 20- Após o retorno do valor das enzimas hepáticas para níveis seguros, a reintrodução dos medicamentos separadamente deve seguir qual sequência?
  • 20- Após o retorno do valor das enzimas hepáticas para níveis seguros, a reintrodução dos medicamentos separadamente deve seguir qual sequência?
  •  
  •  
  •  
  •  
    • Com doença hepática prévia
    • Hepatite viral aguda
    • Hepatopatia crônica:
    • Viral, Auto-imune e Criptogênica
    • Hepatopatia alcoólica:
    • Esteatose hepática
    • Hepatite alcoólica
    Sem cirrose TGO / TGP > 3 x LSN 2SRE / 7RE 2SHE / 10HE 3SEO / 9EO TGO / TGP < 3 x LSN Esquema Básico Com cirrose 3SEO / 9EO Sem doença hepática prévia (hepatotoxicidade após o início do tratamento) TGO / TGP 5 x LSN (ou 3 x LSN com sintomas) Reintrodução RE H Z Reintrodução do Esquema Básico ou substituto Icterícia Persistência de TGO / TGP 5 x LSN por quatro semanas ou casos graves de TB 3SEO / 9EO
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 21- Nesse caso, em relação à reintrodução dos medicamentos, podemos afirmar que:
  • 21- Nesse caso, em relação à reintrodução dos medicamentos, podemos afirmar que:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 22- Frente ao resultado positivo da baciloscopia de 2◦ mês, o que você faria ?
  • 22- Frente ao resultado positivo da baciloscopia de 2◦ mês, o que você faria ?
  •  
  •  
  • 23- Em relação aos eventos adversos descritos por JGS nessa fase do tratamento, a conduta mais adequada seria:
  • 23- Em relação aos eventos adversos descritos por JGS nessa fase do tratamento, a conduta mais adequada seria:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 24- Em relação à positividade da baciloscopia no 4º mês, é correto afirmar:
  • 24- Em relação à positividade da baciloscopia no 4º mês, é correto afirmar:
  •  
  •  
  • 25- É considerado um indício de má adesão ao tratamento:
  • 25- É considerado um indício de má adesão ao tratamento:
  •  
  •  
  •  
  • 26- Em relação ao tratamento de JGS, nesse momento:
  • 26- Em relação ao tratamento de JGS, nesse momento:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 27 – Além dos familiares, que outros contatos você considera importantes para avaliação?
  • 27 – Além dos familiares, que outros contatos você considera importantes para avaliação?
  • 28- A avaliação dos contatos tem como objetivo principal :
  • 28- A avaliação dos contatos tem como objetivo principal :
  • 29- O risco dos contatos de casos bacilíferos adoecerem por TB quando comparados com a população geral é:
  • 29- O risco dos contatos de casos bacilíferos adoecerem por TB quando comparados com a população geral é:
  •  
  • 30- Para os contatos, a conduta recomendada é:
  • 30- Para os contatos, a conduta recomendada é:
  •  
  •  
  •  
  • Clínica PT (mm) RX Tórax Cicatriz BCG ESPOSA assintomática 13 normal presente 16 anos assintomático 4 normal presente 10 anos assintomático 8 normal presente 9 anos assintomático 16 normal presente 5 anos t osse, febre, anorexia 12 a largamento do mediastino presente
  • 31- A conduta recomendada para a esposa é:
  • 31- A conduta recomendada para a esposa é:
  •  
  • Clínica PT (mm) RX Tórax Cicatriz BCG ESPOSA assintomática 13 normal presente 16 anos assintomático 4 normal presente 10 anos assintomático 8 normal presente 9 anos assintomático 16 normal presente 5 anos t osse, febre, anorexia 12 a largamento do mediastino presente
  • 32- A conduta recomendada para os filhos de 16 e 10 anos é:
  • 32- A conduta recomendada para os filhos de 16 e 10 anos é:
  •  
  •  
  • Adolescentes >10 anos e adultos Consulta Assintomático Sintomático Investigar TB TB Tratar TB Excluída TB, prosseguir investigação PT Com PT >5 mm Rx tórax PT< 5 mm Repetir PT 8 semanas Suspeito Prosseguir investigação Normal Tratar ILTB PT < 5 mm Conversão da PT Alta e orientação Tratar ILTB
  • Clínica PT (mm) RX Tórax Cicatriz BCG ESPOSA assintomática 13 normal presente 16 anos assintomático 4 normal presente 10 anos assintomático 8 normal presente 9 anos assintomático 16 normal presente 5 anos to sse, febre, anorexia 12 a largamento do mediastino presente
  • 33- A conduta recomendada para os filhos de 9 e 5 anos é:
  • 33- A conduta recomendada para os filhos de 9 e 5 anos é:
  •  
  •  
  • Radiografia de Tórax – filho de 5 anos
  • 34- Mediante a evolução clínica do filho de 5 anos e a radiografia de tórax atual, a melhor conduta é:
  • 34- Mediante a evolução clínica do filho de 5 anos e a radiografia de tórax atual, a melhor conduta é:
  • Diagnóstico de TB na criança
  •  
  • Criança < 10 anos Consulta Assintomático Sintomático Investigar TB (*) TB Tratar TB Excluída TB, prosseguir investigação RX tórax e PT Rx tórax normal PT com critério de ILTB Rx tórax suspeito Prosseguir investigação TB PT sem critério de ILTB Tratar ILTB Repetir PT em 8 semanas Conversão: tratar ILTB Sem conversão: alta com orientação Critério de ILTB em crianças PT ≥ 5 mm: sem BCG, vacinadas há > 2 anos ou portadora de imunossupressão PT ≥ 10 mm: vacinadas com BCG há menos de 2 anos
  •  
  • * Conversão da PT - 2ª PT com incremento de 10 mm em relação à 1ª PT RISCO PT ≥ 5mm PT ≥ 10mm CONVERSÃO* ALTO Indicado tratamento em qualquer idade HIV/aids Silicose Contatos de TB bacilífera Transplantados em terapia imunossupressora Insuficiência renal em diálise Profissional de saúde Uso de inibidores do TNF-  Neoplasia de cabeça e pescoço Profissional de laboratório de micobactéria Alterações radiológicas fibróticas sugestivas de sequela de TB Contato com menos de 10 anos vacinados com BCG há menos de 2 anos Trabalhador de sistema prisional Contatos adultos e contatos menores de 10 anos não vacinados com BCG ou vacinados há mais de 2 anos Trabalhadores de instituições de longa permanência
  • RISCO PT ≥ 5mm PT ≥ 10mm MODERADO Indicado tratamento em <65 anos Uso de corticosteróides (>15 mg de prednisona por >1 mês) Diabetes mellitus BAIXO I ndicado tratamento em <50 anos Baixo peso (<85% do peso ideal) Tabagistas (1 maço/dia) Calcificação isolada (sem fibrose) na radiografia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 35- A conduta mais adequada para a esposa de JGS é:
  • 35- A conduta mais adequada para a esposa de JGS é:
  •  
  •  
  • 36- Em relação ao uso de EB na gestação é correto afirmar:
  • 36- Em relação ao uso de EB na gestação é correto afirmar:
  •  
  •  
  •  
  • Recém nascido cohabitante de caso índice bacilífero Iniciar QP primária 3 meses depois – fazer PT PT > 5 mm PT < 5 mm Manter QP por mais 3 a 6 meses Suspender QP e vacinar com BCG
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 37- A conduta correta para JLCC na UBS é:
  • 37- A conduta correta para JLCC na UBS é:
  •  
  •  
  • 38- Sobre o TDO é correto afirmar:
  • 38- Sobre o TDO é correto afirmar:
  •  
  • 39- Diante dessa situação, qual conduta a Equipe da UBS deverá tomar?
  • 39- Diante dessa situação, qual conduta a Equipe da UBS deverá tomar?
  •  
  • 40- Na emergência, a conduta correta para JLCC relacionada à biossegurança é:
  • 40- Na emergência, a conduta correta para JLCC relacionada à biossegurança é:
  •  
  • 41- Sobre a internação de pacientes com TB é errado afirmar:
  • 41- Sobre a internação de pacientes com TB é errado afirmar:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 42- O que você acha que pode estar acontecendo com JLCC?
  • 42- O que você acha que pode estar acontecendo com JLCC?
  • 43- Consideramos falência ao tratamento da TB, exceto:
  • 43- Consideramos falência ao tratamento da TB, exceto:
  • 44- Qual o fator de risco para resistência apresentado por JLCC?
  • 44- Qual o fator de risco para resistência apresentado por JLCC?
  •  
  •  
  •  
  • 45- A conduta apropriada a ser tomada para JLCC é:
  • 45- A conduta apropriada a ser tomada para JLCC é:
  • 46- Podemos assegurar que o paciente usa a medicação de forma correta quando:
  • 46- Podemos assegurar que o paciente usa a medicação de forma correta quando:
  •  
  •  
  • 47- Sobre o TDO de JLCC:
  • 47- Sobre o TDO de JLCC:
  •  
  • Referência Terciária Esquema de Multirresistência, Esquemas individualizados para qualquer tipo de resistência Unidades Ambulatoriais de Referência Terciária H O S P I T A I S Referência Secundária Esquemas Especiais Efeitos adversos “maiores” Comorbidades (HIV e outras) Policlínica Policlínica Atenção Básica Esquema Básico Efeitos adversos “menores” UBS UBS UBS ESF ESF ESF ESF ESF ESF ESF
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 48- As orientações gerais à população para diminuir o risco de transmissão da TB, incluem, exceto:
  • 48- As orientações gerais à população para diminuir o risco de transmissão da TB, incluem, exceto:
  • 49- A medida mais indicada para evitar que as pessoas se infectem com o M. tubercul osis na comunidade é:
  • 49- A medida mais indicada para evitar que as pessoas se infectem com o M. tubercul osis na comunidade é:
  • 50- A medida mais indicada para evitar que as pessoas se infectem com o M. tubercul osis na unidade de saúde é:
  • 50- A medida mais indicada para evitar que as pessoas se infectem com o M. tubercul osis na unidade de saúde é:
  •  
  • 51- Em que categoria de transmissão está inserida a TB?
  • 51- Em que categoria de transmissão está inserida a TB?
  •  
  •  
  •  
  • 52- Podemos nos contaminar com o bacilo da tuberculose:
  • 52- Podemos nos contaminar com o bacilo da tuberculose:
  • 53- Profissionais de saúde têm maior risco de se infectarem com tuberculose?
  • 53- Profissionais de saúde têm maior risco de se infectarem com tuberculose?
  • tosse fala espirro
  •  
  • 54- A maior ou menor possibilidade de transmissão depende de:
  • 54- A maior ou menor possibilidade de transmissão depende de:
  • 55- Não é transmissível a TB:
  • 55- Não é transmissível a TB:
  •  
  •  
  • 56- O atendimento ao paciente com suspeita de TB ou com o diagnóstico de TB deve ser feito:
  • 56- O atendimento ao paciente com suspeita de TB ou com o diagnóstico de TB deve ser feito:
  •  
  • 57- Há três grupos de medidas para controle da TB em unidades de saúde. A ordem de prioridade dessas medidas é:
  • 57- Há três grupos de medidas para controle da TB em unidades de saúde. A ordem de prioridade dessas medidas é:
  •  
  • Medidas Administrativas Controle Ambiental Proteção Respiratória
  • 58- São considerados exemplos de medidas administrativas:
  • 58- São considerados exemplos de medidas administrativas:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 59- O uso da máscara N95 ou PFF2 não está indicado em:
  • 59- O uso da máscara N95 ou PFF2 não está indicado em:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •