ABORDAGEM SINDRÔMICA DST/AIDSPROF. FRANCISCO ROBSON DA COSTA LIMA
SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS                AGENTES ETIOLÓGICOS• HERPES GENITAL – Herpesvirus hominis tipo 2• SÍFILIS PRIM...
SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS              ANAMNESE E EXAME FÍSICO• PACIENTE SE QUEIXA DE ÚLCERA GENITAL• OBSERVAR TODA A G...
This is a penis with a late stage herpes infection.
This is a vagina with a new herpes infection.
Herpes genitalis female
TRATAMENTO DE           HERPES GENITAL (1)• No primeiro episódio de herpes genital o  tratamento deve ser iniciado o mais ...
TRATAMENTO         DE HERPES GENITAL (1)• Nas recorrências de herpes genital, o tratamento  deve ser iniciado de preferênc...
TRATAMENTO DE           HERPES GENITAL (1)• No caso de manifestações severas com lesões  mais extensas, o tratamento deve ...
TRATAR SÍFILIS PRIMÁRIA e          CANCRO MOLE (2)• 1ª Opção: Penicilina Benzatina 1.200.000UI – 2  FA IM (uma em cada glú...
Donovanosis
Lymphogranuloma venereum
TRATAR DONOVANOSE,           SÍFILIS PRIMÁRIA e           CANCRO MOLE (2,3)• Tratar donovanose associando ao esquema  ante...
TRATAR DONOVANOSE,          SÍFILIS PRIMÁRIA e          CANCRO MOLE (2,3)• 3ª Opção: Estearato de Eritromicina 500 mg – 1 ...
SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS         ATENTAR PARA AS COMPLICAÇÕES• SÍFILIS SECUNDÁRIA E TERCIÁRIA• SÍFILIS CONGÊNITA• PROC...
Secondary syphilis – papulo-pustular rash.
Secondary syphilis – papulo-pustular rash.
SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS                 OUTRAS CONDUTAS•   ACONSELHAMENTO•   PREVENÇÃO•   CONVOCAR PARCEIROS•   ADESÃ...
SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS                  CONSIDERAÇÕES• SÍFILIS É A CAUSA MAIS IMPORTANTE, FREQUENTE E TRATÁVEL  DE Ú...
U.S.propagandaat WorldWar II
SÍNDROME DE        CORRIMENTO URETRAL               AGENTES ETIOLÓGICOS• URETRITE GONOCÓCICA:                 Neisseria go...
SÍNDROME DE        CORRIMENTO URETRAL            ANAMNESE E EXAME FÍSICO• PACIENTE SE QUEIXA DE CORRIMENTO URETRAL• RETRAI...
Urethritis, a thick, profuse penile discharge            caused by gonorrhea.
Nongonococcal urethritis infection
TRATAR GONORRÉIA e             CLAMÍDIA (1)• 1ª Opção: Ciprofloxacina 500 mg/cp – 1 cp VO –  dose única (contra-indicado e...
TRATAR GONORRÉIA e             CLAMÍDIA (1)• Gestantes, nutrizes e menores de 12 anos:       Ceftriaxona 250mg – IM – dose...
SÍNDROME DE        CORRIMENTO URETRAL        ATENTAR PARA AS COMPLICAÇÕES• BALANOPOSTITE• PROSTATITE• ESTENOSE URETRAL• CO...
Conjunctivitis due to the spread of gonorrhea.
Gonococcal ophthalmia neonatorum.
Necrotic lesions on the back froma disseminated gonococcal infection.
A disseminated gonococcal infection (DGI),can cause acute arthritis, tenosynovitis and dermatitis.
Reiter’s syndrome caused by chlamydia.
Conjunctivitis due to chlamydia.
SÍNDROME DE          CORRIMENTO URETRAL                 OUTRAS CONDUTAS•   ACONSELHAMENTO•   PREVENÇÃO•   CONVOCAR PARCEIR...
SÍNDROME DE          CORRIMENTO URETRAL                       RETORNO• MARCAR RETORNO PARA CONHECIMENTO DE RESULTADOS E  C...
SÍNDROME DE         CORRIMENTO URETRAL                  CONSIDERAÇÕES• DIETA (ÁLCOOL, CONDIMENTOS)• ABSTINÊNCIA SEXUAL• NÃ...
SÍNDROME DE          CORRIMENTO URETRAL                    CONSIDERAÇÕES• VDRL REATIVO – TRATAR SÍFILIS LATENTE• VDRL INIC...
Obrigado! Professor Francisco Robson da Costa LimaWeb site: professorrobsoncosta.blogspot.com         E-mail: frdcl@hotmai...
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Abordagem sindrômica dst aids
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Abordagem sindrômica dst aids

7,168

Published on

Palestra do Professor Robson sobre abordagem sindrômica dst/aids

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,168
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
150
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Abordagem sindrômica dst aids

  1. 1. ABORDAGEM SINDRÔMICA DST/AIDSPROF. FRANCISCO ROBSON DA COSTA LIMA
  2. 2. SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS AGENTES ETIOLÓGICOS• HERPES GENITAL – Herpesvirus hominis tipo 2• SÍFILIS PRIMÁRIA – Treponema pallidum• CANCRO MOLE – Haemophilus ducreye• DONOVANOSE – Calymmatobacterium granulomatis• LINFOGRANULOMA VENÉREO – Chlamydia trachomatis (sorotipos L1, L2, L3)
  3. 3. SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS ANAMNESE E EXAME FÍSICO• PACIENTE SE QUEIXA DE ÚLCERA GENITAL• OBSERVAR TODA A GENITÁLIA E REGIÃO INGUINAL• PRIMEIRA PERGUNTA: HISTÓRIA OU EVIDÊNCIA DE LESÕES VESICULARES?• SIM – TRATAMENTO DE HERPES GENITAL• NÃO – SEGUNDA PERGUNTA: LESÕES COM MAIS DE 4 SEMANAS?• NÃO – TRATAMENTO PARA SÍFILIS e CANCRO MOLE• SIM – FAZER BIÓPSIA E INICIAR TRATAMENTO PARA DONOVANOSE, SÍFILIS e CANCRO MOLE
  4. 4. This is a penis with a late stage herpes infection.
  5. 5. This is a vagina with a new herpes infection.
  6. 6. Herpes genitalis female
  7. 7. TRATAMENTO DE HERPES GENITAL (1)• No primeiro episódio de herpes genital o tratamento deve ser iniciado o mais precocemente possível com:ACICLOVIR – 400mg (2cp), VO, 8/8h por 7 a 10 dias + ACICLOVIR CREME 4x ao dia.
  8. 8. TRATAMENTO DE HERPES GENITAL (1)• Nas recorrências de herpes genital, o tratamento deve ser iniciado de preferência ao aparecimento dos primeiros prôdomos (dores articulares, aumento da sensibilidade, pruridos, etc.) com: ACICLOVIR – 400mg (2cp), VO, 8/8h por 5 dias + ACICLOVIR CREME 4x ao dia.
  9. 9. TRATAMENTO DE HERPES GENITAL (1)• No caso de manifestações severas com lesões mais extensas, o tratamento deve ser injetável com:ACICLOVIR – 5 a 10 mg/Kg de peso, EV, de 8/8h por 5 a 7 dias ou até a resolução clínica• Na gravidez, tratar apenas o primeiro episódio com: ACICLOVIR – 400mg (2cp) VO, 8/8h por 7 a 10 dias
  10. 10. TRATAR SÍFILIS PRIMÁRIA e CANCRO MOLE (2)• 1ª Opção: Penicilina Benzatina 1.200.000UI – 2 FA IM (uma em cada glúteo) + Azitromicina 500 mg/cp – 2cp VO – dose única.• 2ª Opção: Penicilina Benzatina 1.200.000UI – 2 FA IM (uma em cada glúteo) + Ciprofloxacina 500 mg/cp – 1 cp VO – 12/12h – por 3 dias (contra- indicado em gestantes, nutrizes e menores de 12 anos) ou Ceftriaxona 250 mg IM, dose única.• Em caso de alergia às penicilinas: Estearato de Eritromicina 500 mg/cp – 1 cp VO – 6/6h – por 15 dias.
  11. 11. Donovanosis
  12. 12. Lymphogranuloma venereum
  13. 13. TRATAR DONOVANOSE, SÍFILIS PRIMÁRIA e CANCRO MOLE (2,3)• Tratar donovanose associando ao esquema anterior:• 1ª Opção: Doxiciclina 100 mg – 1 cp VO – 12/12h, no mínimo por 3 semanas ou até a cura clínica;• 2ª Opção: Sulfametoxazol/Trimetoprim (400 + 80 mg), VO, de 12/12h, no mínimo por 3 semanas ou até a cura clínica.
  14. 14. TRATAR DONOVANOSE, SÍFILIS PRIMÁRIA e CANCRO MOLE (2,3)• 3ª Opção: Estearato de Eritromicina 500 mg – 1 cp VO – 6/6h, no mínimo por 3 semanas ou até a cura clínica (indicado em gestantes, nutrizes e menores de 12 anos).• Encaminhar para Biópsia → excluir diagnóstico de CA.
  15. 15. SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS ATENTAR PARA AS COMPLICAÇÕES• SÍFILIS SECUNDÁRIA E TERCIÁRIA• SÍFILIS CONGÊNITA• PROCESSOS FISTULOSOS RETAIS, VAGINAIS OU VESICAIS• ESTENOSE RETAL• FISTULIZAÇÃO DE LINFONODOS
  16. 16. Secondary syphilis – papulo-pustular rash.
  17. 17. Secondary syphilis – papulo-pustular rash.
  18. 18. SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS OUTRAS CONDUTAS• ACONSELHAMENTO• PREVENÇÃO• CONVOCAR PARCEIROS• ADESÃO AO TRATAMENTO• SOLICITAR VDRL• OFERECER ANTI-HIV• NOTIFICAÇÃO• AGUARDAR RETORNO (10 DIAS)
  19. 19. SÍNDROME DE ÚLCERAS GENITAIS CONSIDERAÇÕES• SÍFILIS É A CAUSA MAIS IMPORTANTE, FREQUENTE E TRATÁVEL DE ÚLCERAL GENITAL• A JANELA IMUNOLÓGICA DA SÍFILIS COMPREENDE 50 DIAS
  20. 20. U.S.propagandaat WorldWar II
  21. 21. SÍNDROME DE CORRIMENTO URETRAL AGENTES ETIOLÓGICOS• URETRITE GONOCÓCICA: Neisseria gonorrhoeae• URETRITE NÃO-GONOCÓCICA: Chlamydia trachomatis, Ureaplasma urealyticum, Mycoplasma hominis, outros.
  22. 22. SÍNDROME DE CORRIMENTO URETRAL ANAMNESE E EXAME FÍSICO• PACIENTE SE QUEIXA DE CORRIMENTO URETRAL• RETRAIR O PREPÚCIO• SE NECESSÁRIO, COMPRIMIR A URETRA• PESQUISAR ASSOCIAÇÃO COM ÚLCERAS
  23. 23. Urethritis, a thick, profuse penile discharge caused by gonorrhea.
  24. 24. Nongonococcal urethritis infection
  25. 25. TRATAR GONORRÉIA e CLAMÍDIA (1)• 1ª Opção: Ciprofloxacina 500 mg/cp – 1 cp VO – dose única (contra-indicado em gestantes, nutrizes e menores de 12 anos) + Azitromicina 500 mg/cp – 2 cp VO – dose única.• 2ª Opção: Ciprofloxacina 500 mg/cp – 1 cp VO – dose única (contra-indicado em gestantes, nutrizes e menores de 12 anos) + Doxiciclina 100 mg – 1 cp VO 12/12h – 7 dias.
  26. 26. TRATAR GONORRÉIA e CLAMÍDIA (1)• Gestantes, nutrizes e menores de 12 anos: Ceftriaxona 250mg – IM – dose única + Estearato de Eritromicina 500 mg/cp – 1 cp VO 6/6h – 7dias
  27. 27. SÍNDROME DE CORRIMENTO URETRAL ATENTAR PARA AS COMPLICAÇÕES• BALANOPOSTITE• PROSTATITE• ESTENOSE URETRAL• CONJUNTIVITE POR AUTO-INOCULAÇÃO• SÍNDROME DE REITER (NA URETRITE NÃO-GONOCÓCICA)
  28. 28. Conjunctivitis due to the spread of gonorrhea.
  29. 29. Gonococcal ophthalmia neonatorum.
  30. 30. Necrotic lesions on the back froma disseminated gonococcal infection.
  31. 31. A disseminated gonococcal infection (DGI),can cause acute arthritis, tenosynovitis and dermatitis.
  32. 32. Reiter’s syndrome caused by chlamydia.
  33. 33. Conjunctivitis due to chlamydia.
  34. 34. SÍNDROME DE CORRIMENTO URETRAL OUTRAS CONDUTAS• ACONSELHAMENTO• PREVENÇÃO• CONVOCAR PARCEIROS• ADESÃO AO TRATAMENTO• SOLICITAR VDRL• OFERECER ANTI-HIV• NOTIFICAÇÃO• AGUARDAR RETORNO (10 DIAS)
  35. 35. SÍNDROME DE CORRIMENTO URETRAL RETORNO• MARCAR RETORNO PARA CONHECIMENTO DE RESULTADOS E CONTROLE DE CURA• EM CASO DE PERSISTÊNCIA DO CORRIMENTO OU RECIDIVA, REPETIR O TRATAMENTO COM: Azitromicina 1g, VO, em dose única + Ciprofloxacina 500 mg, VO, em dose única + Metronidazol 2g, VO, em dose única
  36. 36. SÍNDROME DE CORRIMENTO URETRAL CONSIDERAÇÕES• DIETA (ÁLCOOL, CONDIMENTOS)• ABSTINÊNCIA SEXUAL• NÃO ORDENHAR A URETRA• NOS CASOS DE GONO OU UNG COMPLICADA EVITAR DOSE ÚNICA
  37. 37. SÍNDROME DE CORRIMENTO URETRAL CONSIDERAÇÕES• VDRL REATIVO – TRATAR SÍFILIS LATENTE• VDRL INICIAL NÃO REATIVO – REPETIR VDRL COM 1 MÊS (NOS CASOS DE GONO)• NOS CASOS ESPECÍFICOS DE INFECÇÃO POR MICOPLASMAS UROGENITAIS – OBSERVAR O TESTE DE SENSIBILIDADE AOS AGENTES ANTIMICROBIANOS
  38. 38. Obrigado! Professor Francisco Robson da Costa LimaWeb site: professorrobsoncosta.blogspot.com E-mail: frdcl@hotmail.com
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×