Os estrangeiros na grecia antiga

  • 4,502 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
4,502
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
8
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Os estrangeiros na Grécia Antiga
  • 2. Como eram tratados os estrangeiros?
    *Os estrangeiros eram proibidos de exercer direitos políticos podendo realizar qualquer outra atividade que não fosse vinculada ao status de "cidadão".
  • 3. Esparta & AtenasSeus estrangeiros
    -Esparta
    *Periecos
    -Atenas
    *Egípcios
    *Fenícios
    *Metecos
  • 4. Perguntas
    A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo) entre 3200 a.C (unificação do norte e sul) a 32 a.c (domínio romano).
    Como a região é formada por um deserto (Saara), o rio Nilo ganhou uma extrema importância para os egípcios. O rio era utilizado como via de transporte (através de barcos) de mercadorias e pessoas. As águas do rio Nilo também eram utilizadas para beber, pescar e fertilizar as margens, nas épocas de cheias, favorecendo a agricultura.
  • 5. Povos que foram estrangeiros na Grécia Antiga
  • 6. Egípcios
    *A civilização egípcia destacou-se muito nas áreas de ciências. Desenvolveram conhecimentos importantes na área da matemática, usados na construção de pirâmides e templos. Na medicina os procedimentos de mumificação, proporcionaram importantes conhecimentos sobre o funcionamento do corpo humano.
    *No campo da arquitetura podemos destacar a construção de templos, palácios e pirâmides. Estas construções eram financiadas e administradas pelo governo dos faraós. Grande parte delas eram erguidas com grandes blocos de pedra, utilizando mão-de-obra escrava. As pirâmides e a esfinge de Gizé são as construções mais conhecidas do Egito Antigo.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. Periecos
    *Ao contrário dos esparciatas, os periecos podiam dedicar-se ao comércio e à indústria artesanal. A segunda camada social era composta por populações livres, porém sem direitos políticos, embora lhes coubesse administrar as comunidades, fora da cidade de Esparta; onde viviam.
    *Por muito tempo foram considerados prováveis descendentes dos arqueus que se haviam submetido, sem oporem grande resistência aos conquistadores; hoje, admite-se que também famílias dóricas, juntamente com famílias arqueanas, integrassem a camada dos periecos. Eram camponeses, comerciantes e artesãos, podendo possuir terras e bens móveis; gozavam de certa autonomia, vigiada ; por funcionários espartanos, os Harmostes, e eram obrigados a pagar tributos. O casamento entre espartanos e periecos era estritamente proibido. Serviam ao exército em unidades à parte, pois o serviço militar lhes era obrigatório. Porém, não precisavam estar sempre à disposição do exército e não recebiam toda a preparação para as guerras.
    *Os periecos eram homens livres, mas sem direitos políticos, muitas vezes estrangeiros.Trabalhavam na terra e no comércio e contribuiam com o pagamento de impostos. Eram também impedidos de casar com mulheres espartanas.
  • 12.
  • 13. Fenícios
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18. Metecos
    *Os Metecos, conforme eram conhecidos os estrangeiros, atingiram no século V a. C. o número de 20 000 em Atenas e não possuíam os mesmos direitos que eram inerentes aos cidadãos. Contudo ocupavam um lugar privilegiado, sendo-lhes permitido ingressar no exército e desenvolver atividades económicas, comerciais e industriais importantes. Segundo a tradição do culto a Dionísio, era essencial que os estrangeiros à cidade fossem tratados com justiça e recebessem aquilo que lhes era devido. Esta posição é tanto mais relevante quanto em Atenas todos os cidadãos se consideravam filhos diretos de Atena com o seu meio-irmão Hefesto, mito primordial em que radicava a força da cidadania e unia todos os cidadãos num anel fechado e protetor.