Animais peçonhentos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Animais peçonhentos

on

  • 1,674 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,674
Views on SlideShare
1,674
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
99
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Animais peçonhentos Presentation Transcript

  • 1. ANIMAIS VENENOSOS X PEÇONHENTOS Animais Venenosos – são aqueles que possuem veneno, mas são desprovidos de aparelho inoculador. Ex: sapos, algumas borboletas. • Animais Peçonhentos – são aqueles que inoculam na vítima o veneno (peçonha produzida por glândulas especiais) por meio de dentes ocos, ferrões ou aguilhões. •
  • 2. ANIMAIS PEÇONHENTOS Dentre os invertebrados peçonhentos, temos as aranhas, escorpiões. lacraias, e alguns outros de interesse por serem perigosos, como por exemplo: • Celenterados (águas-vivas e medusas) • Hymenopteras (vespas, abelhas e formigas) • Lepidopteras (borboletas e mariposas) • Coleopteras (besouros)
  • 3. ANIMAIS PEÇONHENTOS ARANHAS Existem aproximadamente cerca de 35.000 espécies, habitam praticamente todas as regiões, sendo somente uma aquática (Argyroneta). Todas são predadoras, alimentando-se de insetos, mas algumas podem alimentar-se de animais maiores como lagartixas, rãs, peixes e até filhotes de aves.
  • 4. ANIMAIS PEÇONHENTOS Phoneutria - Aranha armadeira - Rápidas e agressivas - Não formam teias - Hábitos noturnos Veneno de ação neurotóxica e cardiotóxica
  • 5. ANIMAIS PEÇONHENTOS Loxoceles - Aranha marrom - Agressivas - Teias irregulares em locais escuros - Hábitos noturnos - Veneno de necrosante hemolítico ação e
  • 6. ANIMAIS PEÇONHENTOS Latrodectus - Viúva-Negra - Teias irregulares no meio da vegetação - Hábitos noturnos - Veneno de ação neurotóxica
  • 7. ANIMAIS PEÇONHENTOS Lycosa - Aranha de grama ou de jardim - Não forma teias - Hábitos diurnos noturnos - Veneno necrosante e
  • 8. ANIMAIS PEÇONHENTOS ESCORPIÕES - São animais carnívoros de hábitos noturnos. - Vivem sob pedras, troncos podres, em solo úmido das matas, em areia de regiões secas, podendo entrar em residências humanas, onde se escondem em fendas, entulhos, madeiras empilhadas e dentro de sapatos. É crença popular que os escorpiões se suicidam quando cercados pelo fogo. Na realidade, por ficarem assustados, elevam a cauda em posição de ataque, dando a falsa impressão de injetar seu próprio veneno na cabeça; geralmente são imunes ao próprio veneno.
  • 9. ANIMAIS PEÇONHENTOS ESCORPIÕES Atualmente são conhecidas cerca de 1.400 espécies de escorpiões distribuídas pelo mundo, com exceção da Antártida, sendo que no Brasil há cerca de 75 espécies amplamente distribuídas pelo país. Esses animais podem ser encontrados tanto em áreas urbanas quanto rurais.No Brasil as espécies mais importantes em Saúde Pública pertencem ao gênero Tityus, destacando-se as espécies Tityus serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahyensis (escorpião negro).
  • 10. ANIMAIS PEÇONHENTOS Os acidentes por Tityus serrulatos são os mais graves, principalmente em crianças e idosos. A dor local, uma constante no escorpionismo, pode ser acompanhada por parestesias. Nos acidentes por Tytus serrulatus, após intervalo de minutos até duas horas, podem surgir as seguintes manifestações: - náuseas, vômitos e diarréia. - arritmias cardíacas, hipertensão ou hipotensão arterial. - arritmias respiratórias e edema pulmonar agudo. -agitação, sonolência, confusão mental, tremores e variação de temperatura.
  • 11. ANIMAIS PEÇONHENTOS A gravidade depende de fatores como a espécie e o tamanho do escorpião, a quantidade de veneno inoculada, a massa corporal do acidentado e a sensibilidade ao veneno. Tityus bahiensis
  • 12. ANIMAIS PEÇONHENTOS SERPENTES CARACTERÍSTICAS • Corpo alongado coberto por escamas. • Ausência de membros locomotores. • Ausência de ouvido. • Língua bífida que capta substâncias suspensas no ar • Olhos sem pálpebras.
  • 13. ANIMAIS PEÇONHENTOS Diferenças entre serpentes peçonhentas e não peçonhentas: - Serpentes peçonhentas apresentam corpo coberto por escamas em forma de quilha
  • 14. ANIMAIS PEÇONHENTOS Diferenças entre serpentes peçonhentas e não peçonhentas: - As Serpentes peçonhentas apresentam cabeça com escamas pequenas. - As serpentes não peçonhentas apresentam, em geral, escamas maiores na cabeça
  • 15. ANIMAIS PEÇONHENTOS Diferenças entre serpentes peçonhentas e não peçonhentas: - As Serpentes peçonhentas apresentam, em geral, pupila em fenda. - As serpentes não peçonhentas apresentam pupila circular.
  • 16. ANIMAIS PEÇONHENTOS No Brasil são conhecidas aproximadamente 300 espécies e subespécies de serpentes, das quais 70 variedades são peçonhentas e se distribuem em 4 gêneros: 1) Gênero Bothrops: 32 variedades encontradas em todo o território nacional. Responsável por mais de 90% dos acidentes. Veneno de efeito coagulante e necrosante (jararaca, jararacuçu, urutu, caiçara e outros).
  • 17. ANIMAIS PEÇONHENTOS 2) Gênero Crotalus: 6 variedades, comuns em regiões secas e campos. Veneno de efeito neurotóxico (cascavel).
  • 18. ANIMAIS PEÇONHENTOS 3) Gênero Lachesis: 2 variedades, existentes na Mata Atlântica e na Floresta Amazônica (surucucu). São causa pouco freqüente de acidente peçonhento.
  • 19. ANIMAIS PEÇONHENTOS 4) Gênero Micrurus: 31 variedades em todo o país. Provocam os acidentes mais graves, embora raros. Veneno de efeito curarizante (cobra coral). Micrurus frontalis Micrurus corallinus
  • 20. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Botrópico – Jararacas ( 90% dos acidentes) Manifestações locais: • precoce (até 3 horas após o acidente) : - dor imediata, inchaço (edema), calor no local da picada e hemorragia no local da picada ou distante dele. • Complicações : - bolhas, gangrena abcesso e insuficiência renal aguda.
  • 21. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Botrópico – Jararacas Veneno de ação necrosante e hemorrágica
  • 22. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Crotálico – Cascavéis ( 8,2% dos acidentes) Sinais e sintomas do envenenamento: • Precoce (até 3 horas após o acidente) - dificuldade de abrir os olhos, “visão dupla”, “cara de bêbado”, visão turva, dor muscular e urina avermelhada. • Após 6 a 12 horas: - escurecimento da urina. • Complicações - insuficiência respiratória e renal aguda
  • 23. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Crotálico – Cascavéis ( 8,2% dos acidentes) Veneno de ação neurotóxica e coagulante.
  • 24. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Laquético – Surucucus ( 2,9% dos acidentes) Envenenamento com reações semelhantes ao de Bothrops. - inchaço no local da picada, diarréia e hemorragia. -Veneno de ação necorsante, neurotóxica e hemorrágica.
  • 25. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Elapídico – Corais ( 0,7% dos acidentes) Principais sintomas : -dificuldade de abrir os olhos, cara de bêbado, falta de ar, dificuldade em engolir e insuficiência respiratória aguda. Veneno de ação neurotóxica. * Ação rápida, grande potência e mortal se não houver tratamento a tempo.
  • 26. ANIMAIS PEÇONHENTOS Cuidados de Enfermagem Imediatos nos Acidentes Ofídicos: 1) Sempre que houver certeza de picada de serpentes venenosas há necessidade de hospitalização e soroterapia. 2) Toda vez que houver evolução clínica sugestiva, identificado o agressor, a vítima deve ser hospitalizada e receber soroterapia. 3) Na dúvida se houve ou não a picada, a vítima deve permanecer em observação, pelo menos 24 horas. 4) Paciente deve ser mantido em repouso. 5) Não usar garrote, nem torniquete.
  • 27. ANIMAIS PEÇONHENTOS Cuidados Imediatos nos Acidentes Ofídicos: 6) Não cortar, não furar, não queimar. 7) Membro afetado posicionado para cima. 8) Analgésicos, limpar cuidadosamente o local da picada. 9) Controlar sinais vitais e volume urinário.
  • 28. ANIMAIS PEÇONHENTOS COMO PREVINIR ACIDENTES COM OFÍDIOS • Nunca andar descalço, principalmente em mata. (Dependendo da altura do calçado, os acidentes podem ser evitados na ordem de 50 a 72 %); • Usar luvas de couro em atividades rurais e de jardinagem; • Nunca colocar as mãos em tocas (para pegar pelo rabo do tatu que é visto ao entrar) ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, montes de pedras ou sob pedras grandes;
  • 29. ANIMAIS PEÇONHENTOS OUTROS ANIMAIS PEÇONHENTOS
  • 30. Centros de Informação e Assistência Toxicológica (CIATs) Existem 37 Centros de Informação e Assistência Toxicológica em todo o território brasileiro. • • • • Centro de Informação Anti-Veneno de Cuiabá Coordenador: Enfermeira Márcia Regina Pereira Diretor clínico: José Antonio Figueiredo Endereço: Hospital Municipal e Pronto Socorro de Cuiabá Telefone: (65) 3051-9454 / 3051-9450 / 36171374 / 0800- 722-6001
  • 31. Bibliografia • AZEVEDO-MARQUES M.M.; CUPO, P. & HERING,S.E. Acidentes por animais peçonhentos: Serpentes peçonhentas. Medicina, Ribeirão Preto, 36: 480489, 2003. • CARDOSO, J.C.L. & BRANDO, R.B. Acidentes por animais peçonhentos. São Paulo, Santos, 1982, p. 165-176. • CUPO, P. et al. Acidentes ofídicos: análise de 102 casos. In: XXI Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; 21., 1985, São Paulo, Resumo p.23-24. • ROSENFIELD, G. Moléstias por venenos animais. Pinheiro Ter., 17:3-15, 1965.