Your SlideShare is downloading. ×
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Press release 3 t09
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Press release 3 t09

264

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
264
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.   Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados 9M09 Pro Forma IFRS Pro-forma 28 de outubro de 2009  1 
  • 2. ÍNDICE    ÍNDICE   Resumo Dados do Período 3   Destaques do Período 4 Ratings 6 Ambiente Macroeconômico 7 Eventos Recentes 8 Resultados do Santander no Brasil 9 Sumário Executivo 9 Conta de Resultados 10 Balanço Patrimonial 15 Gestão de Riscos 19 Desenvolvimento Sustentável 21 Conciliação Lucro Líquido IFRS x BR GAAP 22 Anexos 23    2  
  • 3. RESUMO DADOS DO PERÍODO    NOTA PRELIMINAR  Os comentários a seguir são baseados nos resultados consolidados do Banco Santander (Brasil) S.A.,   preparados de acordo com o IFRS (International Financial Reporting Standards). Como consequência da consolidação do Banco Real a partir de agosto de 2008, os resultados operacionais do Banco Santander (Brasil) S.A. para os períodos de nove meses encerrados em 30 de setembro de 2008 e 2009, respectivamente “9M08” e “9M09”, não são diretamente comparáveis. Portanto, a fim de possibilitar uma análise mais adequada dos desenvolvimentos dos negócios do Banco, as tabelas desse comentário de desempenho contém informações pro forma para os primeiros nove meses de 2008, como se o Banco tivesse consolidado o Banco Real a partir de 1º de janeiro de 2008.RESUMO DADOS DO PERÍODO   Var. Var. 9M09 9M08 3T09 2T09 9M09x9M08 3T09x2T09RESULTADOS (R$ milhões)Margem de juros líquida 16.317 13.847 17,8% 5.656 5.489 3,0%Comissões Líquidas 4.572 4.552 0,4% 1.556 1.573 -1,1%Despesas de Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa (8.245) (5.043) 63,5% (3.101) (2.682) 15,6%Despesas Administrativas e de Pessoal (8.054) (8.359) -3,6% (2.674) (2.649) 0,9%Lucro líquido 3.917 3.007 30,3% 1.472 1.613 -8,7%BALANÇO PATRIMONIAL (R$ milhões)Ativo total 306.237 283.978 7,8% 306.237 288.878 6,0%Títulos e valores mobiliários 76.558 46.851 63,4% 76.558 46.871 63,3%Carteira de crédito¹ 132.949 128.186 3,7% 132.949 134.173 -0,9%Depósitos totais 173.866 178.551 -2,6% 173.866 177.949 -2,3%Patrimônio líquido 55.667 50.319 10,6% 55.667 51.805 7,5% 2Patrimônio líquido excluindo ágio 27.355 22.831 19,8% 27.355 24.542 11,5%INDICADORES DE DESEMPENHO (%)Retorno sobre o patrimônio líquido – anualizado 10,2% 14,0% -3,8 p.p. 10,2% 9,9% 0,3 p.p. 2Retorno sobre o patrimônio líquido excluindo ágio - anualizado 21,2% 17,9% 3,3 p.p. 21,2% 21,9% -0,8 p.p.Retorno sobre o ativo médio – anualizado 1,8% 1,6% 0,2 p.p. 1,8% 1,7% 0,1 p.p. 3Índice de Eficiência 34,4% 42,7% -8,3 p.p. 33,7% 32,9% 0,8 p.p. 4Índice de Recorrência 56,8% 54,5% 2,3 p.p. 58,2% 59,4% -1,2 p.p. 2Índice de Basiléia excluindo ágio 17,8% 14,0% 3,8 p.p. 17,8% 17,0% 0,8 p.p.INDICADORES DE QUALIDADE DA CARTEIRA (%) 5Índice de Inadimplência 7,7% 5,2% 2,5 p.p. 7,7% 7,0% 0,7 p.p. 6Índice de Cobertura 101,0% 111,0% -10,0 p.p. 101,0% 97,1% 3,9 p.p.OUTROS DADOSAtivos sob administração - AUM (R$ milhões) 93.114 85.559 8,8% 93.114 85.503 8,9%Nº de Cartões de Crédito e Débito (mil) 32.126 28.903 11,2% 32.126 31.306 2,6%Agências 2.090 2.041 2,4% 2.090 2.091 0,0%PABs 1.508 1.509 -0,1% 1.508 1.510 -0,1%Caixas eletrônicos 18.081 17.990 0,5% 18.081 18.101 -0,1%Total de Clientes 21.856 20.609 6,1% 21.856 21.639 1,0%Funcionários 52.114 54.415 -4,2% 52.114 52.252 -0,3%1. Carteira de Crédito de Clientes (Gerencial). Considera na série histórica, reclassificação contábil de operações da carteira de crédito para Títulos e Valores Mobiliários,realizada em Setembro de 2009. Não inclui avais e fianças.2. Ágio apurado na aquisição do Banco Real e da Real Seguros Vida e Previdência.3. O índice de eficiência excluindo o Hedge de Cayman para os períodos de 9M08, 9M09, 3T09 e 3T08 seriam respectivamente: 42,5%, 36,0%, 35,2% e 35,5%.4. Comissões líquidas / Despesas gerais.5. Operações vencidas há mais de 90 dias mais créditos normais com alto risco de inadimplência / carteira de crédito gerencial6. Provisões de Crédito de Liquidação Duvidosa / operações vencidas há mais de 90 dias mais créditos normais com alto risco de inadimplência.  3 
  • 4. DESTAQUES DO PERÍODO   DESTAQUES DO PERÍODO RESULTADOS O lucro líquido apurado pelo Banco Santander totalizou R$3.917 milhões no 9M09, um crescimento de 30% (ou R$910 milhões) em relação aos R$ 3.007 milhões registrados no 9M08. Aceleração do ritmo de crescimento do lucro líquido: Variação interanual 6M09/6M08: 13% e 9M09/9M08: 30%. Diferencial do crescimento interanual das receitas totais (excluindo o hedge de Cayman) e gastos no acumulado de nove meses, de 17,2 pontos percentuais: − Receita total (excluindo o hedge de Cayman) cresce 13,6% em doze meses − Gastos caem 3,6% em doze meses, com captura de sinergias INDICADORES Melhora nos indicadores de Gestão em doze meses (9M09/9M08): − Eficiência: 34,4% em Setembro, com queda de 8,3 p.p. − Recorrência: 56,8% em Setembro, com crescimento de 2,3 p.p. − ROE (excluindo ágio¹): 21,2% em Setembro, com aumento de 3,3 p.p. Bons indicadores de Solidez: − Índice de Basiléia: 17,8% em Setembro, com aumento de 3,8 p.p. em doze meses (9M09/9M08) − Cobertura: 101% em Setembro, com aumento de 3,9 p.p. no trimestre BALANÇO Ativos de R$ 306.237 milhões, com crescimento de 7,8% em doze meses Crédito a Clientes cresce 3,7% em doze meses e alcança R$ 132.949 milhões Depósito Poupança cresce 19,5% em doze meses, alcançando R$ 22.889 milhões Patrimônio Líquido de R$ 27.355 milhões (excluindo o ágio¹ de R$ 28.312 milhões) NOSSAS AÇÕES Ticker na BM&FBOVESPA: SANB11 (unit), SANB3 (ordinária), SANB4 (preferencial) Ticker na NYSE: BSBR − Preço SANB11 em 26/10/2009: R$ 22,88 − Preço BSBR em 26/10/2009: US$ 13,23 − Valor Mercado em 26/10/2009: R$ 88 bilhões − Lucro Líquido por lote de mil ações - ON (9M09): R$ 11,40 − Lucro Líquido por lote de mil ações - PN (9M09): R$ 12,54 1) Ágio da Aquisição do Banco Real e da Real Seguros Vida e Previdência.    4  
  • 5. DESTAQUES DO PERÍODO  Margem Líquida com Juros Comissões Líquidas R$ milhões R$ milhões 5.384 5.172 5.489 5.656 4.420 1.612 1.443 1.573 1.556 1.314 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 Despesas Administrativas e de Lucro Líquido Pessoal R$ milhões R$ milhões 1.613 3.173 1.472 2.824 2.731 2.649 2.674 837 906 832 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 Índice de Eficiência1 ROE1 % % 42,7 21,2 34,4 17,9 9M08 9M09 9M08 9M09 1) Excluindo o Hedge de Cayman, opara 9M08 e 9M09 seriam de: 42,5% e 36,0%. 1) Lucro líquido sobre o patrimônio líquido médio  ajustado pelo ágio. Distribuição da Carteira de Crédito (%) - Set/09 Pessoa Física 32% Pequenas e Médias Empresas 23% Grandes Empresas; 27% Financ. consumidor 18%  5 
  • 6. RATINGS    Ratings O Santander é classificado por agências internacionais de “rating” e as notas atribuídas refletem seu desempenho operacional e a qualidade de sua administração. RATINGS Agência de Rating Longo Prazo Curto Prazo Escala Nacional AAA (bra) F1+ (bra) Fitch Ratings Moeda Local BBB+ F2 Moeda Estrangeira BBB F2 Escala Nacional brAAA brA-1 Standard & Poor’s Moeda Local BBB- A-3 Moeda Estrangeira BBB- A-3 Escala Nacional Aaa.br BR-1 Moody’s Moeda Local A2 P-1 Moeda Estrangeira Baa3 P-3    6  
  • 7. AMBIENTE MACROECONÔMICO   Esse movimento tem sido um dos fatores que vem Ambiente Macroeconômico influenciando a valorização do Real, que ao final doOs indicadores econômicos recentes confirmaram a 3T09 registrou uma valorização de 8,9%, em relaçãohipótese de que a recuperação econômica no Brasil ao trimestre anterior, sendo cotado a R$ 1,78/US$.iria acontecer rapidamente. A melhora em relação às Quanto às reservas internacionais, a manutenção dosrestrições do crédito, a redução nas taxas de juros, volumes em patamares elevados, também temalém das medidas temporárias de desoneração fiscal, contribuído para uma melhor percepção em relação aolevaram a uma recuperação gradual dos indicadores Brasil. Até setembro de 2009 as reservas totalizaramde atividade. US$ 224 bilhões.O PIB do 2T09, divulgado em setembro, apresentou Em relação ao Sistema Financeiro, o volume doum aumento de 1,9% em relação ao trimestre anterior, crédito total segue em trajetória de recuperação,em linha com as expectativas de mercado. O explicada principalmente, pelo aumento dasdesempenho teve importante contruibução da operações com crédito direcionado, reflexo da maiorrecuperação da indústria, sustentada pelo consumo participação dos bancos públicos no sistema. Atéinterno. As vendas ao comércio e a produção agosto a relação crédito/ PIB alcançou 45%.industrial, que refletiram os estímulos do governo nos O crédito a pessoas físicas mantém trajetória desetores de eletrodomésticos, automobilísticos e recuperação, podendo ser explicada tanto pelasconstrução civil, seguiram registrando crescimentos menores taxas de juros e manutenção nos ganhos depositivos. No mercado de trabalho, a taxa de rendimento, como pela melhora nas expectativas. Odesemprego atingiu 7,7% até setembro, patamar crédito consignado, seguindo a tendência observadabastante inferior se comparado à média dos últimos em meses anteriores, continua sendo o destaque naseis anos (9,7%). carteira PF. Em sentido contrário, as operaçõesA inflação manteve trajetória benigna, alcançando até destinadas à Pessoa Jurídica, que sofreram maiorsetembro de 2009, 4,3%, em doze meses. A impacto com a crise internacional, seguem emcapacidade ociosa e o aumento do hiato do produto trajetória de desaceleração.possibilitaram que o Banco Central mantivesse a taxa De maneira geral a solidez da economia e do sistemaSelic no nível mais baixo da série histórica (8,75% financeiro foram fundamentais para minimizar osa.a.). efeitos da crise no Brasil. A manutenção de bonsQuanto ao desempenho das contas externas, o déficit fundamentos, reduziram a vulnerabilidade do país,em transações correntes segue mostrando redução, colocando-o entre as primeiras economias, queprincipalmente pelo menor déficit na conta de renda. apresentaram recuperação. Este ambiente tende aAlém disso, os crescentes investimentos (tanto de contribuir para a expansão do volume dos negócios noportfólio quanto diretos) seguem sinalizando confiança setor bancário.dos investidores no país. ÍNDICES MACROECONÔMICOS 3T09 2T09 3T08 Risco país (EMBI) 234 284 331 Câmbio (R$/ US$ final) 1,78 1,95 1,91 IPCA (em 12 meses) 4,3% 4,8% 6,3% Taxa Selic (a.a.) 8,75% 9,25% 13,75% CDI¹ 2,18% 2,38% 3,21% Poupança (TR)¹ 0,11% 0,17% 0,57% Ibovespa (em pontos/fechamento) 61.518 51.465 49.541 ¹ Taxa do trimestre  7 
  • 8. EVENTOS RECENTES   Eventos Recentes Mercantil S.A. de acordo com o qual, durante o prazo de 6 (seis) meses a partir de 1° de outubro de 2009, será permitido aos debenturistas da ABN AMRO Oferta Pública de Units Arrendamento Mercantil S.A. resgatar 100% do valor de Na Reunião do Conselho de Administração, realizada face de suas debêntures a qualquer tempo, acrescida em 18 de setembro de 2009, foi aprovada a realização de taxas de juros equivalentes ao CDI aplicável ao da Oferta Global, com a emissão de 525.000.000 de respectivo período. Units, todas nominativas, escriturais, sem valor nominal, Alienação de Ativos não relacionados às nossas livres e desembaraçadas de quaisquer ônus ou atividades principais gravames, representativas cada uma de 55 Ações Ordinárias e 50 Ações Preferenciais, todas nominativas, Em 18 de setembro de 2009, como parte de nossa escriturais e sem valor nominal, livres e estratégia de reorganização societária, a nossa desembaraçadas de quaisquer ônus ou gravames, com administração decidiu alienar à Santusa, sociedade distribuição pública primária simultânea de (i) Units no integrante do Grupo Santander com sede na Espanha, a Brasil (Oferta Brasileira), em mercado de balcão não- totalidade das ações de propriedade do Banco de organizado, nos termos da Instrução CVM 400/2003, e emissão das seguintes sociedades: Companhia (ii) Units no exterior, incluindo sob a forma de ADRs, Brasileira de Meios de Pagamento – Visanet; representativos de ADSs com registro na U.S. Companhia Brasileira de Soluções e Serviços; Serasa Securities and Exchange Commission (SEC), em S.A.; Tecnologia Bancária S.A.; e Visa Inc. conformidade com a Securities Act of 1933 dos Estados Incorporação de ações de sociedades de Gestão de Unidos da América. Na mesma reunião, foi aprovada a Recursos de Terceiros e Seguros listagem do Banco Santander e a negociação de Units, das ações ordinárias e ações preferenciais de sua No terceiro trimestre de 2009, incorporamos todas as emissão no Nível 2 de Práticas Diferenciadas de ações de determinadas sociedades de gestão de Governança Corporativa da BM&F BOVESPA. recursos de terceiros, seguros e atividades financeiras anteriormente detidas indiretamente pelo Santander Em 6 de outubro de 2009, foi fixado o preço da Oferta Espanha e por acionistas minoritários. Essas operações Global de ações em R$ 23,50 por Unit. As Units estão sujeitas à aprovação da SUSEP (em relação às passaram a ser negociadas na BM&FBOVESPA e na atividades de seguros). O objetivo de tais operações foi Bolsa de Nova Iorque (NYSE) a partir de 7 de outubro a consolidação dos investimentos do Santander de 2009. Em 14 de outubro de 2009, o Banco Central Espanha no Brasil, simplificando a estrutura corporativa homologou o aumento do capital social no valor de R$ do Grupo Santander e concentrando no Santander 12,3 bilhões, referente a Oferta Pública de Distribuição Brasil as participações dos minoritários em tais Primária de 525.000.000 de Units. sociedades. Em decorrência dessas operações, nosso Aquisição de Carteira de Créditos do Santander capital social foi aumentado em aproximadamente Espanha R$2,5 bilhões, com a emissão de 14.410.886.181 ações, sendo 7.710.342.899 ações ordinárias e Em 17 de setembro de 2009, adquirimos, por meio de 6.700.543.282 ações preferenciais. De acordo com o nossa agência de Cayman, do Santander Espanha, IFRS, contabilizamos as operações de incorporação de carteira de créditos composta por contratos de ações a partir da data em que tais transações foram financiamento ao comércio e exportação relacionados a completadas, com base nos valores contábeis históricos operações contratadas com clientes brasileiros ou suas dos ativos e passivos de tais sociedades cujas ações afiliadas no exterior, por US$806,3 milhões líquido de foram incorporadas. provisões. Incorporação entre Subsidiárias de Leasing – Resgate de Debenturistas Como parte de nossa reorganização societária, foram realizadas em 30 de setembro de 2009, assembléias gerais de acionistas para deliberarem sobre a incorporação da ABN AMRO Arrendamento Mercantil S.A. pela Santander Leasing. De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, a incorporação resultará em direito de resgate antecipado de debêntures emitidas em três emissões pela ABN AMRO Arrendamento    8  
  • 9. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL  Resultados do Santander no BrasilSumário Executivo Os indicadores de gestão e de solidez mostramO Santander obteve lucro líquido de R$ 3.917 milhões evolução favorável:no 9M09, crescimento de 30,3% frente à igual períododo ano de 2008. Este crescimento é maior que o - Indicadores de Gestão: a eficiência atinge 34,4% noobtido na comparação do 1S09 contra o 1S08, 9M09, com queda de 8,3 pontos percentuais quandoquando o nosso lucro crescia 13%. comparado com igual período de 2008; a recorrência (comissões líquidas / despesas gerais) alcança 56,8%,No trimestre, o lucro líquido foi de R$ 1.472 milhões, com aumento de 2,3p.p. em doze meses e ROEcom queda de 8,7% quando comparado com o (ajustado pelo ágio) cresceu 3,3 pontos percentuais,trimestre anterior (R$ 1.613 milhões). no mesmo período de comparação, atingindo 21,2%.O patrimônio líquido totalizou em setembro R$ 55.667 - Indicadores de Solidez: o índice de Basiléia emmilhões, incluindo R$ 28.312 milhões, referente ao setembro é de 17,8%, com crescimento de 3,8 pontoságio da aquisição do Banco Real e da Real Seguros percentuais em doze meses. Já o índice de coberturaVida e Previdência. O retorno sobre o patrimônio atingiu 101% em setembro, com aumento de 3,9líquido médio ajustado pelo ágio atingiu 21,2%, pontos percentuais no trimestre.crescimento de 3,3 pontos percentuais em relação aoretorno atingido em igual período do ano anterior. Destaca-se, no terceiro trimestre de 2009, a carteira de crédito (gerencial), que alcançou R$ 132,9 bilhões,No trimestre, vendemos algumas participações em com crescimento de 3,7% em doze meses, e quedacompanhias e fortalecemos nosso balanço reforçando no trimestre de 0,9%. O fortalecimento do Real contraalgumas provisões, como mostra a tabela abaixo: o Dólar impactou a evolução do volume de crédito.RECEITA Valor O destaque da evolução, tanto no ano como noR$ bilhões trimestre, está no segmento de pessoa física queVisanet 1,6Serasa 0,1 cresceu, respectivamente 13,0% e 2,6%, atingindo R$Companhia Brasileira de Soluções e Serviços (Visa Vale) 0,3 42.405 milhões em setembro de 2009.Tecnologia bancária + Visa Inc. 0,1Green Shoe - Visanet 0,3 O segmento de pequenas e médias empresas caiTotal 2,4 2,3% no trimestre, pela menor demanda porDESPESAR$ bilhões Valor empréstimos, como conseqüência da crise financeira,Provisões de crédito -0,5 e por maior prudência do Santander na concessãoAmortização aquisição folhas de pagamento -0,8 destes empréstimos.Fundo de reestruturação -1,1Total -2,4 Os depósitos totais caem 2,6% em doze meses e 2,3% no trimestre. A poupança liderou o crescimento,Destacamos a evolução da margem líquida com juros, com evolução de 19,5% em doze meses, pela maiorde 17,8% em doze meses (ou R$ 2.470 milhões), atratividade oferecida por este investimento em umexplicado, principalmente, por aumento do volume cenário de queda de taxas de juros. Os depósitos amédio do crédito de 16,8%, no mesmo período. vista evoluíram 3,1% em doze meses e caíram 3,4% no trimestre. Já os depósitos a prazo mostraramOutro ponto que merece destaque, é o controle de queda de 6,0% em doze meses e de 3,2% nogastos, que caiu 3,6% em doze meses. Esta evolução trimestre, em função da menor necessidade deé explicada em parte, pela captura de sinergias, por funding livre, causado pela redução do ritmo demeio da preservação das melhores práticas de cada crescimento da carteira de crédito.banco. Os fundos de investimento crescem 8,8% em doze meses e 8,9% no trimestre, como resultado da recuperação da atratividade deste negócio, por obtenção de maiores rendimentos em um ambiente de menores taxas de juros e mercado acionário em alta.  9 
  • 10. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL   CONTA DE RESULTADOS A margem líquida com juros no período de nove No terceiro trimestre, a margem líquida de juros meses encerrado em setembro alcançou R$ 16.317 apresentou crescimento de 3,0%, em relação ao milhões, um aumento de 17,8% ou R$ 2.470 milhões segundo trimestre de 2009. Apesar de apresentarmos em comparação aos R$ 13.847 milhões do mesmo uma queda no resultado com clientes devido à período do ano anterior. O avanço é determinado desaceleração das operações de crédito no curto prazo, principalmente pela expansão do volume médio de temos um ganho nos resultados de mercados, oriundos, crédito de 16,8%, em doze meses. principalmente, de um menor custo de captação pela queda da taxa de juros. MARGEM LÍQUIDA COM JUROS Var. Var. 9M09 9M08 3T09 2T09 (R$ milhões) 9M09x9M08 3T09x2T09 Clientes 15.311 13.148 16,5% 5.043 5.156 -2,2% Créditos 12.771 10.689 19,5% 4.226 4.346 -2,8% Volume médio 134.223 114.870 16,8% 132.184 135.684 -2,6% Spread 12,7% 12,4% 0,3% 12,7% 12,8% -0,1% Depósitos 706 722 -2,2% 213 252 -15,4% Volume médio 104.549 95.023 10,0% 102.334 104.221 -1,8% Spread 0,9% 1,0% -0,1% 0,8% 1,0% -0,2% Capital alocado e outros 1.835 1.738 5,6% 605 559 8,2% Mercado 1.006 699 43,9% 613 333 84,0% Total margem líquida com juros 16.317 13.847 17,8% 5.656 5.489 3,0%          10  
  • 11. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL Ganhos (perdas) com ativos e passivos financeiros(líquidos) + Diferenças CambiaisOs ganhos (perdas) com ativos e passivos financeiros Esta estratégia é utilizada para minimizar os efeitos da(líquidos) mais diferenças cambiais no 9M09 foram de variação cambial, associados aos investimentos noR$2.275 milhões, um aumento de 127,7% (ou R$ 1.276 exterior, no lucro líquido. O ganho de R$ 1.062 milhões émilhões), comparativamente a R$ 999 milhões no 9M08. compensado por perdas de montantes similar na linha de impostos.O principal fator desse crescimento foi o ganho deR$1.062 milhões do hedge cambial do investimento daagência do Banco em Cayman.GANHOS (PERDAS) COM ATIVOS E PASSIVOS Var.FINANCEIROS (LÍQUIDOS) 9M09 9M08 3T09 2T09 Var. 3T09x2T09 9M09x9M08(R$ Milhões)Total 2.275 999 127,7% 578 1.051 -45,0%Hedge Cayman 1.062 (120) n.a 338 592 -43,0%Total sem hedge de Cayman 1.213 1.119 8,4% 240 459 -47,6%  Comissões líquidasAs comissões líquidas somaram R$4.572 milhões no de financiamento ao comércio exterior, que registraram9M09, um aumento de 0,4% em relação ao 9M08. crescimentos de 24%, 16% e 12%, respectivamente.Destacam-se as linhas de comissões com venda deseguros, cartões de crédito e débito, e o negócioComissões Líquidas Var. Var. 9M09 9M08 3T09 2T09(R$ milhões) 9M09x9M08 3T09x2T09Tarifas bancárias 1.826 1.819 0,4% 620 658 -5,8%Cobrança e Arrecadação 374 329 13,8% 128 124 3,0%Venda de seguro 772 621 24,2% 297 253 17,5%Fundos de investimento 545 634 -14,1% 189 186 1,8%Cartões de crédito e débito 554 479 15,5% 195 190 2,3%Mercado de capitais 335 310 8,0% 110 142 -22,7%Comércio exterior 285 254 12,3% 91 94 -3,5%Imposto sobre Serviços (257) (269) -4,4% (86) (88) -2,3%Outros 139 374 -63,0% 13 14 -6,9%Total 4.572 4.552 0,4% 1.556 1.573 -1,1%          11 
  • 12. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL   Despesas Gerais (Administrativas + Pessoal)   As despesas gerais (administrativas + pessoal) Índice de Eficiência1 somaram R$8.054 milhões no 9M09, uma redução de % 3,6% (ou R$305 milhões) comparativamente a R$8.359 47,0 48,3 milhões registrados no 9M08. A redução deve-se 36,8 32,9 33,7 principalmente às sinergias criadas pela incorporação do Banco Real pelo Banco Santander, que desde janeiro até setembro de 2009 somou R$ 831 MM. No 9M09 o Santander registrou redução de despesas administrativas e de pessoal em 4,4% e 2,9%, 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 respectivamente, em relação ao 9M08, atingindo ambos o montante de R$4,0 bilhões. 1. excluindo o hedge de Cayman, o indicador  para  os períodos acima  seriam:  3T08: 44,3%; 4T08:  45,0%, 1T09:  37,5%; 2T09 35,5%;  e 3T09 35,2%. Como resultado, o índice de eficiência, calculado por meio da divisão das despesas gerais pela receita total, evoluiu de 42,7% no 9M08 para 34,4% no 9M09, apresentando uma melhora de 8,3 pontos percentuais no período. DESPESAS ADMINISTRATIVAS Var. Var. 9M09 9M08 3T09 2T09 (R$ milhões) 9M09x9M08 3T09x2T09 Serviços técnicos especializados de terceiros 1.039 1.032 0,7% 368 327 12,5% Manutenção e conservação de bens 768 656 17,1% 254 272 -6,6% Processamento de dados 712 693 2,7% 217 217 0,0% Propaganda, promoções e publicidade 385 441 -12,7% 120 141 -14,9% Comunicações 471 601 -21,6% 159 149 6,7% Transporte e viagens 110 129 -14,7% 39 37 5,4% Segurança e vigilância 343 368 -6,8% 113 115 -1,7% Outras 185 279 -33,7% 75 39 92,3% Total 4.013 4.199 -4,4% 1.345 1.297 3,7% DESPESAS COM PESSOAL Var. Var. 9M09 9M08 3T09 2T09 (R$ milhões) 9M09x9M08 3T09x2T09 Salários 2.486 2.639 -5,8% 822 847 -3,0% Encargos 692 683 1,3% 236 226 4,4% Benefícios 553 511 8,2% 191 183 4,4% Treinamento 50 62 -19,4% 26 17 52,9% Outras 260 265 -1,9% 54 79 -31,6% Total 4.041 4.160 -2,9% 1.329 1.352 -1,7%              12  
  • 13. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL Provisões de créditoAs despesas com provisão para créditos de liquidação Além disso, a partir do quarto trimestre de 2008, oduvidosa somaram no 9M09 R$8.245 MM, com Santander começou a alinhar suas políticas de riscosacréscimo de 63,5% em relação ao 9M08. com o Banco Real, o que impactou a evolução das despesas de provisões para créditos de liquidaçãoCom a crise financeira internacional, que impactou o duvidosa no 4T08 e 1T09.Brasil a partir do 4T08, observamos um crescimentodos ativos inadimplentes, particularmente por nossos No trimestre, as despesas de provisão crescem 15,6%,tomadores corporativos de pequeno e médio porte. explicado, em parte, pelo reforço de provisão efetuado, no valor de R$ 0,5 bilhão, utilizando parte dos recursosEm resposta à crise, ajustamos nossas políticas e oriundos da alienação de alguns ativos relacionadosestratégias para manutenção de níveis apropriados de anteriormente.riscos no perfil de gerenciamento de risco do GrupoSantander, ajustando-os de forma individualizada acada segmento de nossos negócios.  Índice de inadimplência Inadimplência (%)1O índice de inadimplência (carteira vencida há mais de90 dias + créditos normais com alto risco de 9,7% 8,8%inadimplência) alcançou 7,7% no 3T09, um aumento de 8,3% 8,6% 7,8%0,7 ponto percentual no trimestre e 2,5 p.p. em doze 7,0% 7,7%meses, reflexo da deterioração no cenário econômico. 5,7% 6,0%Após um crescimento acentuado na inadimplência às 5,2% 5,7% 6,1%pessoas jurídicas, observamos redução no ritmo de 3,4% 3,9% 4,2%crescimento no trimestre, com acréscimo de 0,4 pontos 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09percentuais. Em relação a inadimplência às pessoas Total PJ PFfísicas, o índice mostrou acréscimo de 0,9 pontos 1. (Carteira vencida há mais de 90 dias + créditos normais com alto risco de inadimplência) / Carteira de Crédito Gerencialpercentuais, em três meses.Índice de cobertura Cobertura %O índice de cobertura é obtido por meio da divisão dosaldo de provisão para créditos de liquidação duvidosa, 111% 106% 107% 101%pelo saldo das operações vencidas há mais de 90 dias, 97%mais créditos normais com alto risco de inadimplência.No terceiro trimestre, o indicador alcançou 101%, umcrescimento de 3,9 pontos percentuais, em relação aosegundo trimestre de 2009. 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09  13 
  • 14. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL   Provisões (Líquidas) As provisões (líquidas) foram de R$2.999 milhões no Provisões incluem principalmente contingências cíveis, 9M09, um crescimento de 136% (ou R$1,7 bilhão) trabalhistas, fiscais e reforços para gastos relacionados à comparativamente ao R$1.270 milhões registrado no integração operacional e comercial (fundo de 9M08. Esta variação é decorrente, principalmente do reestruturação). Este fundo foi constituído utilizando reforço do Fundo de reestruturação. recursos oriundos da venda de alguns ativos relacionados anteriormente. Impostos prejuízos fiscais e ajustes de títulos e valores mobiliários Nossas despesas com impostos baseiam-se ao seu valor justo. Adicionalmente, recolhemos PIS e principalmente em dois componentes: imposto de renda COFINS à alíquota de 4,65% sob certas receitas, e contribuição social. O imposto de renda é calculado à deduzido de certas despesas. alíquota de 15%, mais uma alíquota adicional de 10% Como o PIS e a COFINS incidem sobre uma base de incidente sobre os lucros tributáveis excedentes a R$240 cálculo deduzida de certas receitas e despesas, no milhões ao ano. A contribuição social é calculada à critério IFRS registramos essas contribuições sociais alíquota de 15% (para instituições financeiras) sobre o como imposto de renda. lucro líquido ajustado (9% em 2007 e para o período de 1º de janeiro a 30 de abril de 2008). Os impostos Em setembro de 2009, o aumento de 50,3%na linha de diferidos sobre ativos e passivos são calculados com impostos, quando comparado a igual período do ano base nas diferenças temporárias entre o resultado anterior, pode ser explicada pelo efeito do hedge contábil e o lucro tributável (diferenças temporárias), cambial.      14  
  • 15. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL  Balanço ConsolidadoBALANÇO PATRIMONIALATIVO Var. Var. set/09 set/08 jun/09(R$ milhões) set/09xset/08 set/09xjun/09Disponibilidades e reserva no Banco Central do Brasil 21.261 33.697 -36,9% 24.813 -14,3%Ativos financeiros para negociação 19.261 17.086 12,7% 15.809 21,8%Outros ativos financeiros ao valor justo no resultado 16.986 4.978 241,2% 6.068 179,9%- Empréstimos e adiantamentos a instituições de crédito 4.003 2.002 100,0% 4.627 -13,5%- Empréstimos e adiantamentos a clientes 606 2.612 -76,8% 1.150 -47,3%- Outros 294 364 -19,2% 291 1,0%- Equity Instruments 12.083 - n.a - n.aAtivos financeiros disponíveis para venda 44.763 29.196 53,3% 30.593 46,3%Empréstimos e financiamentos 149.973 149.713 0,2% 161.645 -7,2%- Empréstimos e adiantamentos a instituições de crédito 27.932 30.157 -7,4% 31.993 -12,7%- Empréstimos e adiantamentos a clientes 132.343 126.928 4,3% 138.811 -4,7%- Provisão para perdas (10.302) (7.372) 39,7% (9.159) 12,5%Ativos tangíveis 3.682 3.455 6,6% 3.600 2,3%Ativos intangíveis 30.982 30.977 0,0% 30.590 1,3%- Ágio 28.312 27.488 3,0% 27.263 3,8%- Outros 2.670 3.489 -23,5% 3.327 -19,7%Ativo fiscal 15.058 11.916 26,4% 13.386 12,5%Outros Ativos 4.271 2.960 44,3% 2.374 79,9%Total do Ativo 306.237 283.978 7,8% 288.878 6,0%PASSIVO Var. Var. set/09 set/08 jun/09(R$ milhões) set/09xset/08 set/09xjun/09Passivos financeiros para negociação 5.316 7.433 -28,5% 4.887 8,8%Passivos financeiros ao custo amortizado 205.801 208.058 -1,1% 207.645 -0,9%- Depósitos do Banco Central do Brasil 562 - n.a 870 -35,4%- Depósitos de instituições de crédito 18.754 38.598 -51,4% 21.794 -13,9%- Depósitos de clientes 154.548 139.714 10,6% 154.922 -0,2%- Títulos de dívida e valores mobiliários 10.945 10.718 2,1% 11.299 -3,1%- Dívidas subordinadas 11.149 8.709 28,0% 10.996 1,4%- Outros passivos financeiros 9.843 10.319 -4,6% 7.764 26,8%Passivos por contratos de seguros 13.812 - n.a - n.aProvisões¹ 11.555 9.212 25,4% 10.203 13,3%Passivos fiscais 9.287 5.484 69,3% 7.352 26,3%Outros passivos 4.799 3.472 38,2% 6.986 -31,3%Total do passivo 250.570 233.659 7,2% 237.073 5,7%Total do patrimônio líquido² 55.667 50.319 10,6% 51.805 7,5%Total do passivo e patrimônio líquido 306.237 283.978 7,8% 288.878 6,0%1) Inclui provisões para pensões e contingências2) Inclui participação dos acionistas minoritário e ajuste de valor ao mercado.Os ativos totais atingiram, em 30 de setembro de 2009, A variação de R$22 bilhões no total de ativos é, emR$ 306.237milhões, um crescimento de 7,8% na grande parte, resultado da incorporação da Seguradora,comparação interanual . Desse montante, R$ 132.949 que está refletida, principalmente, na linha “ Outrosmilhões são representados pela carteira de crédito, R$ ativos financeiros ao valor justo no resultado” e “76.558 milhões por títulos e valores mobiliários e Passivos por contratos de seguros”.instrumentos financeiros derivativos, substancialmentetítulos públicos. Títulos e Valores Mobiliários Var. Var. set/09 set/08 jun/09 (R$ milhões) set/09xset08 set/09xjun/09 Títulos Públicos 48.165 35.955 34,0% 35.926 34,1% 1 Títulos Privados 10.073 3.636 177,0% 4.957 103,2% Cotas de Fundos PGBL / VGBL 12.083 - - - n.a Instrumentos Financeiros 6.237 7.260 -14,1% 5.988 4,2% Total 76.558 46.851 63,4% 46.871 63,3% 1- Considera na série histórica, reclassificação contábil de operações da carteira de crédito para Títulos e Valores Mobiliários, realizada em Setembro de 2009.  15 
  • 16. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL   Carteira de Crédito A carteira de crédito total apresentou crescimento de A evolução da carteira do segmento de pessoas físicas 3,7% em doze meses e queda de 0,9% no trimestre, foi o destaque, com crescimento de 13,0% em doze totalizando R$ 132,9 bilhões. A evolução da taxa de meses e 2,6% no trimestre. cambio do dólar tem impacto na evolução desta carteira de crédito. ABERTURA GERENCIAL DO CRÉDITO A CLIENTES 1 Var. Var. set/09 set/08 jun/09 (R$ milhões) set/09xset08 set/09xjun/09 Pessoa física 42.405 37.515 13,0% 41.321 2,6% Financiamento ao consumo 24.225 25.591 -5,3% 24.332 -0,4% Pequenas e Médias empresas 31.029 31.689 -2,1% 31.748 -2,3% Grandes Empresas 35.290 33.392 5,7% 36.772 -4,0% Total 132.949 128.186 3,7% 134.173 -0,9% Avais e fianças total 21.247 26.234 -19,0% 22.671 -6,3% Total Crédito com avais e fianças 154.196 154.420 -0,1% 156.844 -1,7% 1- Considera na série histórica, reclassificação contábil de operações da carteira de crédito para Títulos e Valores Mobiliários, realizada em Setembro de 2009   Crédito pessoa física Em setembro de 2009, o crédito a pessoa física apresentou alta de 13,0% em doze meses, totalizando R$ 42,4 bilhões. A boa performance deve-se, principalmente, à evolução de cartões, consignado e Pessoa Física imobiliário. R$ bilhões 40,6 41,3 42,4 O volume da carteira de cartões, apresentou evolução 37,5 39,1 de 22,2% em doze meses e 3,1% no trimestre. O crescimento sustentado deste produto é ancorado na estratégia de aumento de participação de mercado e lucratividade, por meio de inovação de produtos e esforços de captação de clientes. A carteira de crédito consignado aumentou 44,2% em 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 doze meses, atingindo R$ 9,3 bilhões no fechamento de setembro de 2009. Deste valor, R$7,4 bilhões são de carteira própria e R$1,9 bilhões de carteiras cedidas por outros bancos. As operações de cessão representaram um total de R$ 236 milhões no trimestre. O crédito imobiliário apresentou crescimento de 41,8% em doze meses e 9,6% no trimestre atingindo R$ 8,7 bilhões. O crescimento na carteira é explicado, principalmente, pela forte demanda do consumidor pessoa física, além de ações específicas promovidas pelo banco com intuito de estimular a venda do produto.    16  
  • 17. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL  Financiamento ao Consumo A carteira de financiamento ao consumo apresentou queda de 5,3% na comparação interanual e permaneceu estável no trimestre, atingindo R$ 24,2 bilhões em setembro de 2009. Deste valor, mais de 80% refere-se a carteira de veículos. O desempenho Financiamento ao Consumo pode ser explicado pela revisão do modelo de negócio, R$ bilhões que prioriza a rentabilidade à participação de mercado. 25,6 24,8 24,3 24,3 A gestão desta carteira é da Aymoré Crédito, 24,2 Financiamento e Investimento S.A., instituição financeira especializada em fornecer créditos ao consumidor diretamente a tomadores ou por meio de correspondentes, cujo principal negócio é o financiamento de veículos, onde detém cerca de 16% do mercado. A aquisição do Banco Real foi 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 complementar às operações pré-existentes do Santander, que detinha uma parcela relativamente pequena de participação no mercado de financiamento a consumidores.Crédito pessoa jurídicaA carteira de Grandes Empresas somou R$ 35,3 bilhões,com alta de 5,7% na comparação interanual e queda de4,0% no trimestre. A evolução da taxa de câmbio do Pessoa Jurídicadólar tem impacto na evolução da carteira de crédito R$ bilhões 72,1 72,2 68,5neste segmento. 65,1 65,9 34,3 32,9 31,7Já a carteira de pequenas e médias empresas 31,7 31,0apresentou queda de 2,1% em doze meses e queda de2,3% no trimestre. 37,8 39,3 36,8 33,4 35,3De maneira geral, o segmento de pessoas jurídicas, foi .impactado pela crise financeira. Além da queda do 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 Grandes Empresas Pequenas e Médias Empresasfaturamento das empresas, implicando em menorprocura por crédito, observou-se deterioração daqualidade da carteira, o que levou o Santander a sermais prudente na concessão de crédito.  17 
  • 18. RESULTADOS DO SANTANDER NO BRASIL   Captação Em setembro de 2009, atingimos o montante de R$267,0 bilhões em depósitos e fundos de investimentos. O destaque é a poupança que ganhou atratividade em um Poupança R$ bilhões cenário de queda de taxas de juros. O saldo do 22,9 20,6 20,5 21,4 Santander neste produto cresceu 19,5% em doze meses 19,1 e 6,9% no trimestre. Os depósitos à vista evoluíram 3,1 % em doze meses e registraram queda de 3,4% no trimestre. Já os depósitos a prazo caem tanto na variação interanual, como trimestral, seguindo tendência do Sistema, dada a menor necessidade de financiar o crescimento da carteira. Os fundos de investimento crescem 8,8% em doze meses, recuperando ritmo de 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 crescimento. CAPTAÇÃO Var. Var. set/09 set/08 jun/09 (R$ milhões) set/09xset08 set/09xjun/09 Depósitos à vista 13.732 13.319 3,1% 14.221 -3,4% Depósitos de poupança 22.889 19.154 19,5% 21.411 6,9% Depósitos a prazo 106.815 113.654 -6,0% 110.387 -3,2% Outros depósitos¹ 30.430 32.424 -6,1% 31.930 -4,7% Total de depósitos2 173.866 178.551 -2,6% 177.949 -2,3% Fundos sob gestão 93.114 85.559 8,8% 85.503 8,9% Total 266.980 264.110 1,1% 263.452 1,3% 1.Inclui operações compromissadas. 2.Considera Depósitos do Banco Central, Clientes, Instituições de crédito e Outros Passivos Financeiros ao valor justo.    Índice de Basiléia Índice de Basiléia % As instituições financeiras estão obrigadas a manter um 17,8 Patrimônio de Referência compatível com os riscos de 14,0 suas atividades, superior ao mínimo de 11% do Patrimônio Exigido. A partir de julho de 2008, entraram em vigor novas regras de mensuração do capital regulamentar pelo Método Padronizado de Basiléia II, com nova metodologia de mensuração, análise e administração de riscos de crédito e riscos set/08 set/09 operacionais. Este índice deve ser calculado de forma consolidada, conforme demonstrado a seguir:  RECURSOS PRÓPRIOS e BIS   Var. Var. set/09 set/08 jun/09 R$ (milhões) set/09xset08 set/09xjun/09 1 Patrimônio de Referência Nível I Ajustado 28.616 23.420 22,2% 24.370 17,4% Patrimônio de Referência Nível II 9.813 7.702 27,4% 10.256 -4,3% Patrimônio de Referência Nível I e II 1 38.429 31.122 23,5% 34.626 11,0% Patrimônio de Referência Exigido 23.785 24.499 -2,9% 22.413 6,1% 1 Parcela de Risco de Crédito Ajustada 19.851 23.165 -14,3% 21.109 -6,0% 2 Parcelas de Risco de Mercado 2.903 1.047 177,3% 720 303,2% Parcela de Risco Operacional 1.031 287 259,2% 584 76,5% Índice de Basiléia II 17,8% 14,0% 3,8% 17,0% 0,8 p.p. Valores Calculados com base nas informações consolidadas das instituições financeiras (conglomerado financeiro) 1) Desconsidera o efeito do ágio referente a incorporação das ações do Banco Real e AAB Dois Par, conforme determinado pela regra internacional 2) Inclui as parcelas para as exposições de Risco de Mercado sujeitas as variações de taxas de dos cupons de moedas estrangeira, índice de preços e taxas de juros, do preço de mercadorias "commodities", do preço de ações classificadas na carteira de negociação, de taxas de juros não classificadas na carteira de negociação.      18  
  • 19. GESTÃO DE RISCOS  Gestão de RiscoAs operações do Banco Santander estão sujeitas a Monitoramento de Créditovários riscos. Para gerenciar estes riscos de forma As linhas de crédito para clientes de serviços bancários deeficaz, o Santander incorporou as funções globais de varejo são revisadas semanalmente. Este processo permitegestão de risco do Grupo Santander em vários níveis melhorias na exposição de crédito de clientes que tenhamde sua organização. Além disso, comitês presididos apresentado uma boa qualidade de crédito. Avisos compela alta administração supervisionam os relatórios de antecedência específicos são automaticamente gerados norisco financeiro, de crédito e de mercado das divisões caso da deterioração da qualidade de crédito de um cliente.designadas para a gestão de risco. Limites de risco e Neste caso, um processo de redução de risco de créditoexposições em jurisdições locais são adicionalmente projetado para impedir a inadimplência tem início com asujeitos à aprovação do Grupo Santander. identificação do problema de solvência do cliente (gastos e outros compromissos financeiros) e o cliente é abordado pelo gerente de relacionamento.Risco de Crédito Avisos com antecedência são automaticamente geradosO processo de gerenciamento de risco de crédito do para empresas de pequeno e médio porte, e seuBanco Santander é desenhado para seguir os padrões desempenho é monitorado mensalmente. Além disso, ado Grupo Santander, ao mesmo tempo em que levam situação financeira de cada empresa é discutida porem conta sua oferta de produtos e as exigências comitês específicos, na presença da área comercial, com onormativas específicas de suas operações no Brasil. objetivo de melhorar continuamente a qualidade de suaOs processos de aprovação de crédito do Banco, carteira de crédito.particularmente a aprovação de novos empréstimos emonitoramento de riscos, são estruturados de acordo O Banco revisa a qualidade do crédito de seus clientes decom sua classificação de clientes e produtos. A atacado regularmente, normalmente em base semestral,aprovação e o monitoramento de crédito são embora o Banco monitore clientes que tenham sidoconduzidos de forma separada e em diferentes classificados como suspeitos em base trimestral. Seplataformas de TI para cada uma das redes operadas durante este monitoramento surge qualquer preocupaçãosob as marcas Santander e Banco Real, mas as específica em relação à qualidade do crédito de um clientepolíticas e os procedimentos aplicados são os mesmos específico, um sistema de monitoramento de clientepara cada rede, exceto pequenas variações conhecido como ESVE (Empresas Sujeitas a Vigilânciaoperacionais. Especial) é utilizado, com possíveis ações a serem tomadas segundo as seguintes categorias: "monitoramento", "redução de exposição", "obtenção de garantias reais" ou "cancelamento".  19 
  • 20. GESTÃO DE RISCOS   Cobranças Risco de Mercado O departamento de cobranças do Banco Santander O Banco está exposto a risco de mercado resultante, usa ferramentas como pontuação comportamental e de sobretudo das seguintes atividades: cobrança para estudar o desempenho de cobrança de • Negociação de instrumentos financeiros, a qual certos grupos na tentativa de diminuir custos e envolve riscos de taxa de juros, câmbio, preço de aumentar as recuperações. Os clientes com ações e volatilidade. probabilidade de fazer o pagamento são classificados • Atividades de banco de varejo, as quais envolvem como de baixo risco, exigindo estratégias menos risco de taxa de juros, uma vez que as alterações agressivas para assegurar o pagamento, e mais das taxas de juros afetam as receitas e despesas atenção é dada à manutenção de um saudável de juros e o comportamento do cliente. relacionamento com o cliente. Os clientes com pouca • Investimentos em ativos (incluindo subsidiárias) probabilidade de fazer o pagamento são classificados cujos retornos ou contas estão denominados em como de alto risco e contatados consistentemente em outras moedas que não o Real, os quais envolvem relação ao pagamento. Todos os clientes com valores risco de taxa de câmbio. em atraso ou cujos empréstimos foram re-escalonados • Investimentos em subsidiárias e outras ou de qualquer outra forma reestruturados enfrentam companhias, os quais sujeitam o Banco a risco de restrições internas. preço de ações. As estratégias de cobrança são modificadas de acordo • Todas as atividades, de negociação ou não, que com a duração do atraso no pagamento, ou dias de envolvam risco de liquidez. atraso. Nos primeiros dias da inadimplência (menos de 90 dias de atraso), o departamento de cobranças Gestão de Riscos Operacionais e Tecnológicos implementará um modelo mais exaustivo de cobrança, criando estratégias distintas com monitoramento mais O Banco avalia cada prática e procedimento que adota em próximo. Centrais de atendimento, cartas e agências termos de conformidade com as diretrizes do Grupo Santander, as exigências do Acordo da Basiléia, de classificação de crédito, tais como SERASA, que é resoluções relevantes do Banco Central e as exigências da um sistema centralizado de dados usado por várias Lei Sarbanes-Oxley de 2002 dos EUA. instituições financeiras do Brasil e outros para o processo de aprovação de crédito, são implementadas durante esta fase. Durante esta fase da cobrança, sua Risco Ambiental e Social ênfase está na recuperação de seus clientes. O Banco Santander está atualmente implementando o Entretanto, se um cliente ficar em atraso por 90 dias, sistema de gestão de risco ambiental e social para o seu foco será direcionado à recuperação do valor Santander Brasil que estava em vigor no Banco Real. devido. Neste ponto, o Banco Santander faz a Segundo este sistema, os mutuários são inspecionados terceirização dos esforços de cobrança para agências quanto a preocupações ambientais e sociais, tais como externas de cobrança que recebem uma comissão por terras contaminadas, desmatamento, violações trabalhistas e outros problemas ambientais e sociais para os quais quaisquer valores recuperados. existe o risco de aplicação de penalidades. As estratégias de cobrança são modificadas de acordo Uma equipe especializada de biólogos e geólogos monitora com a duração do atraso no pagamento, ou dias de as práticas ambientais dos clientes, e uma equipe de atraso. Nos primeiros dias da inadimplência (menos de analistas financeiros estuda a probabilidade de danos 90 dias de atraso), o departamento de cobranças relacionados a tais práticas que podem afetar as garantias também gerencia reestruturações de dívidas e e a condição financeira do clientes do Banco. empréstimos.    20  
  • 21. Desenvolvimento Sustentável Desenvolvimento SustentávelO conglomerado Santander busca integrar a visão da de ensino superior da Iberoamérica. O concurso, quesustentabilidade em seus processos, produtos, políticas dará visibilidade internacional ao vencedor, visa ae relacionamentos. O equilíbrio entre as dimensões criação de uma comunidade musical e de novas formaseconômica, social e ambiental conduz nossas ações de interação no universo da música.para contribuirmos com o desenvolvimento sustentávelno Brasil. Destacamos ainda a parceria com o programa Serasa Experian, destinado à concessão de bolsas paraDentre essas iniciativas, destacamos que no último pesquisa aplicada. Por meio do mapeamento etrimestre foram realizadas duas turmas do curso comunicação com as universidades parceiras, o“Sustentabilidade na Prática: Caminhos e Desafios”. Até Universia realizou com a Serasa um evento para 150setembro, reunimos em oito encontros mais de mil pessoas para incentivar a participação depessoas entre clientes e fornecedores de 572 pesquisadores nesse programa.organizações. Mais 370 clientes das cidades de Recife,Belo Horizonte e São Paulo participaram de nossas Outra importante conquista foi o lançamento doOficinas de Sustentabilidade. OpenCourseWare com a Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). Criado pelo MassachussetsEm agosto foi publicado em nosso portal o terceiro e Institute of Technology (MIT), este programa de openúltimo capítulo do curso online de sustentabilidade. inovation tem o objetivo de disseminar conhecimentoAlém dos internautas, o curso também foi feito por acadêmico para o público em geral. O Universia8.300 funcionários. Foram realizados ainda 59 disponibiliza as ferramentas e, com isso, a Umespworkshops e palestras em diversas áreas da oferece acesso virtual e gratuito a conteúdo de seteOrganização, totalizando mais de 1.500 funcionários disciplinas.treinados no tema.Dentro de nossos programas de Investimento SocialPrivado, destacamos o Projeto Escola Brasil. Ainiciativa de voluntariado corporativo do Grupo jáformou 200 grupos, com mais de 1800 funcionáriosengajados na melhoria da qualidade da educação de173 escolas públicas.Tivemos ainda 225 projetos inscritos no ProgramaParceiros em Ação, que apoia iniciativas deempreendedorismo social para geração de rendadesenvolvidas por mulheres. Também foi realizada a12ª edição do Concurso Banco Real UniversidadeSolidária, na qual recebemos 185 inscrições de projetosde geração de renda.A Rede Universia, programa decooperação universitária, integra 1.126 universidadesparceiras de 18 países iberoamericanos onde oSantander está instalado. No terceiro trimestre de 2009,o Universia Brasil, realizou a entrega de 2.250 kits dométodo Everest de ensino do idioma espanhol para aSecretaria de Educação do Estado de São Paulo, querepassou o material para professores de sua rede deensino.Com o objetivo de difundir e reconhecer a criatividadede universitários, o Universia lançou o U>Rock, primeiroconcurso ibero-americano de bandas universitárias, quecontou com a participação de mais de 1.100 instituições  21 
  • 22. BR GAAP x IFRS   Conciliação Lucro Líquido BRGAAP x IFRS Conciliação do Lucro Líquido - BR GAAP x IFRS 9M09 R$ Milhões Lucro em BR GAAP 1.420 Amortização do ágio do Banco Real 2.096 Ajuste de preço de compra - amortização 280 Outros 121 Lucro em IFRS 3.917          22  
  • 23. ANEXOS Anexos          23 
  • 24. ANEXOS        24  
  • 25.  RELAÇÕES COM INVESTIDORESAv. Juscelino Kubitschek, 2.235 – 10º andarSão Paulo – SP – Brasil – 04543-011Tel. 55 11 3553-3300E-mail: ri@santander.com.br   25  

×